linkedin

5 métricas do LinkedIn que você deve acompanhar

Vista por muitos como uma rede social exclusiva para anúncio de vagas ou busca de empregos, o LinkedIn vem ganhando expressividade com o passar dos anos por mostrar ser muito mais do que isso.

O relatório Social Media Trends 2018 aponta que 47,2% das empresas já estão nessa rede, e reconhecem que as estratégias adotadas na rede possuem, sim, um impacto nos resultados de marketing digital.

No entanto, assim como as redes sociais mais populares, o aproveitamento do desempenho em campanhas estratégicas acontece, principalmente, graças a uma boa análise de resultados.

Neste artigo, você conhecerá algumas métricas do LinkedIn e descobrirá o que cada uma delas pode agregar em sua ação de marketing.

O que indicam as métricas do LinkedIn?

Com as métricas do LinkedIn, é possível saber como se comporta o público-alvo diante de determinadas temáticas abordadas, entender que tipo de publicação gera mais impacto e engajamento e descobrir como sua empresa se consolida na rede social.

Tais informações são grandes trunfos para potencializar sua estratégia de social selling, por exemplo, tornando sua página capaz de converter visitantes em leads.

Quais as principais métricas para acompanhar?

Existem inúmeros indicadores de performance disponíveis na chamada maior rede profissional do mundo, desde os mais simples até os mais complexos.

Uma forma de dividir e classificar as métricas do LinkedIn é separando-as por segmento:

  • performance das publicações;
  • comportamento dos seguidores;
  • desempenho da página.

Que tal conhecer algumas delas?

1. Resultados de pesquisas

Sua empresa utiliza as palavras-chave corretas em seu perfil? Uma boa dica para descobrir essa resposta é fazendo simulações de pesquisas com as palavras elencadas como sendo as que melhor descrevem seu negócio e os diferenciais vendáveis de sua companhia.

Dica: Uma boa maneira de tornar sua empresa mais visível na rede é utilizar técnicas de geomarketing. No LinkedIn, essa estratégia é chamada de “personalização para públicos globais”, e permite a criação de direcionamentos de página a usuários que estejam em determinadas localidades.

2. Seguidores na página da empresa

Com base nesse dado numérico, é possível avaliar se a empresa está sendo vista e se as ações desenvolvidas na página geram interesse legítimo no negócio, fazendo com que as interações não sejam apenas pontuais.

O LinkedIn oferece quatro tipos de análise de seguidores: destaques, novos seguidores, demografia dos novos apreciadores e comparação do perfil de seguidores de sua empresa a outras do mesmo ramo de atuação.

3. Perfil dos visitantes

Essa métrica do Linkedin tem como função fornecer dados sobre o perfil dos visitantes da company page.

Na aba “análise”, disponível no perfil corporativo, é possível acompanhar métricas de visitantes divididas em tráfego (visualizações e visitantes únicos) e demografia dos visitantes (filtrados por função, país, região, etc.).

4. Engajamento

As análises de engajamento disponíveis no LinkedIn possibilitam às empresas avaliar os níveis de engajamento com a página e com postagens feitas num período de 30 dias.

Com base no engajamento, é possível avaliar e comparar dados relacionados a “curtidas”, comentários, compartilhamentos, seguidores conquistados e impressões.

5. Número de cliques

Também relacionada ao engajamento, a métrica de número de cliques indica quantas vezes os usuários clicaram no nome da empresa, logo ou conteúdo compartilhado.Além da taxa de cliques, a plataforma fornece uma outra métrica pronta, chamada CTR — Click Through Rate — e representa o número de cliques recebidos por um anúncio dividido pelo número de impressões causado por ele.

O LinkedIn fornece mais impressões a publicações com um CTR alto, baseando-se na probabilidade de que mais usuários interajam com elas. Para apoiar o processo de mensuração de métricas no LinkedIn, a própria página oferece uma aba de análises bastante completa, com gráficos e porcentagens.Conhecer as ferramentas de análise de resultados permite ganhos extraordinários em ações de marketing digital.

O ideal é manter a página sempre atualizada, utilizando-a como cartão de visitas (o que permite até mesmo interligá-lo a serviços inovadores, como o Whatsapp Business, que permite a inclusão de um link para website em sua interface) e também como porta-voz da empresa.Agora você já sabe como usar as métricas do LinkedIn a favor da otimização de sua estratégia. Que tal compartilhar com a gente suas dúvidas e experiências sobre o assunto? Deixe um comentário aqui!

Fonte: marketingpordados

WhatsApp Image 2019-05-08 at 11.28.30

Tendências modernas para cartões de visita

Mesmo em um mundo cada vez mais conectado, com todos os passos da vida de uma pessoa sendo vivenciados e resolvidos por meio da internet, uma peça impressa nunca sai de moda: o cartão de visita.

Tão importante quanto um bom networking para a construção de relacionamento com possíveis parceiros de negócio, o cartão de visitas faz parte do ritual de apresentação de todos aqueles que desejem prospectar parceiros ou ampliar seus contatos. “O simples ato de entregar um cartão não constrói um relacionamento. É preciso passar a mensagem certa para aquela pessoa que se deseja aproximar”, explica Roberto Eskenazi, sócio da Gráfica Online Eskenazi.

Em uma feira de negócios de porte médio, em que estimativas mostram que circulam mais de 10 mil pessoas por dia, quem não tem um cartão não é lembrado depois. O executivo recomenda que, na hora de fazer a encomenda de seus cartões de visita, o cliente opte por modelos modernos, que fujam do trivial e conquistem a atenção de quem lê. “Imagine um diretor em uma feira de negócios. Ele recebe milhares de cartões a cada rodada de conversa. Desses, só um ou dois captarão sua atenção. Por isso, é preciso inovar em cada detalhe, para que a pessoa esteja nesse seleto grupo”, diz.

Com mais de 60 anos de experiência na impressão de !ink cartões de visitas Roberto separou as principais tendências modernas que podem aumentar a visibilidade desse produto:

1. Letterpress

O cartão de visitas impresso em letterpress costuma se destacar dentre os demais, pois fornece a quem o recebe uma sensação tátil que aguça os sentidos.

A técnica, que imprime em baixo relevo, é antiga. Surgiu com a tipografia clássica de Gutemberg e aparece em desuso atualmente, mas pode ser utilizada para surpreender clientes.

2. Handmade

Para o sócio da gráfica online , um cartão que use uma técnica onde se simule a escrita cursiva ou que ele tenha sido preparado artesanalmente em casa, sem o auxílio profissional, imediatamente chama a atenção, pois denota um cuidado maior na produção de cada um deles.

3. Cortes especiais

Um cartão de visitas não precisa sempre ser quadrado. É possível brincar com seu formato, simulando nele seu ramo de atividade. “Se você trabalha com doces ou consertos de eletrodomésticos, pode inovar, criando um cartão em formato de bolo ou de serra, por exemplo”, diz.

4. Diferentes texturas

Uma tendência moderna – e que vem ganhando muita força no mercado da impressão de cartões de visitas -, mescla diferentes texturas em um mesmo produto.

Produtos que misturem papéis mais ásperos com mais suaves, brincando não só com o sentido tátil, são escolhas interessantes.

5. Uso de outros materiais

A preocupação com a sustentabilidade vem motivando o mercado gráfico a procurar outros materiais para a confecção de seus cartões. O sócio diretor da empresa identifica como tendência crescente o uso de elementos biodegradáveis ou, ainda, reciclados.

6. Cartões estampados com imagens

Os cartões de visita tradicionais, ilustrados apenas com textos, estão começando a dividir muito espaço com aqueles feitos apenas com imagens. Em geral, as figuras escolhidas tem relação direta com o trabalho de quem encomenda aquele tipo de produto.

7. Mensagens criativas

Empreendedores já estão investindo nesse diferencial: um cartão de visitas com um formato tão inusitado que mais se parece com uma lembrança de festa.
“As pessoas estão percebendo que não adianta só caprichar na apresentação do cartão. É preciso passar uma mensagem instigante, que deixe aquela pulga atrás da orelha de quem recebe”, explica Roberto.

8. Tecnologia

Por fim, uma tendência que vem crescendo cada vez mais na confecção de cartões de visita é o uso da tecnologia. Roberto Eskenazi destaca a inserção de elementos como o QR Code, código em que todos os dados de uma pessoa ou empresa podem ser consultados via aplicativo.

“Com o uso cada vez maior do celular, muita gente não dá atenção para o que recebe em papel. Então, ao mesclar o cartão tradicional com um aplicativo, muitos executivos estão percebendo resultados positivos. E nós, da indústria gráfica também, pois estamos acompanhando esse novo fenômeno”, conclui.

Fonte: exame.abril

Artigo Cartão Digital

Cartão Digital ou cartão Impresso, qual devo escolher?

Estamos na era do encantamento e experiência, vivencial se torna cada vez mais necessária. Desta forma, não basta apenas ser bom, temos que ser bons e percebidos, ainda mais quando a referência feita é a vida profissional. Apresentar-se bem e fazer com que o cliente tenha uma lembrança positiva de nós mesmos ou da empresa, pode ajudar a aumentar consideravelmente as vendas.

Em um mercado globalizado e frenético, fazer com que pessoas tenham acesso fácil às suas informações de contato, acaba sendo crucial para fechar negócios de forma imediata ou fixar sua marca na mente de seus prospects.

O bom e velho cartão de visita é uma das opções mais tradicionais e eficientes nesse processo de prospecção e Networking. Pensando nisso, a partir do advento das novas tecnologias, qual cartão é mais eficiente: o cartão de visitas digital ou o antigo cartão impresso?

Cartão de Visita Digital e Interativo é uma das novas formas de disponibilizar as suas informações de forma fácil, eficiente e 100% ecológica, através do seu aparelho móvel (smartphone, tablet, etc…). Por ser online, existe a possibilidade de inserir links de redirecionamento para os contatos que você deseja transmitir, ou seja, o seu site, whatsapp, um vídeo de apresentação de sua empresa ou serviços ou até mesmo para as suas redes sociais.

A exemplo do livro digital, o cartão de visitas digital não mata o cartão impresso, são ferramentas de multiplicação que caminham em conjunto para ações estratégicas dirigidas planejadas.

Alguns diferenciais e vantagens do cartão digital:

1.     Acesso Mobile:

Compatível com smartphones, facilitando o acesso rápido aos seus dados e informações que deseja transmitir aos seus clientes e prospects;

 2.     Envios Ilimitados

Por ser digital, você pode enviar aos seus contatos quantas vezes quiser, evitando imprevistos de término de cartões como ocorre com o cartão impresso;

3.     Whatsapp trabalhando para você

A maior rede de comunicação do Brasil trabalhando a seu favor, ou seja, direcione seu cartão digital para seus grupos de contatos multiplicando os dados que deseja transmitir de seu negócio ou expertise;

4.     Integre com as Redes Sociais

Facebook, Instagram, Linkedin, entre outras centenas de redes sociais integradas em seu cartão digital;

5.     Seja amigo da natureza

Cada vez mais as pessoas estão aderindo e interagindo com empresas e profissionais que atuam com responsabilidade quanto à preservação ambiental. Evite impressões desnecessárias em gráficas e ajude a preservar a natureza;

6.     Repositório seguro

Tenha seus dados em nuvem e recupere de forma rápida e segura através de um QR Code;

Estas são algumas das inúmeras vantagens e funcionalidades do cartão digital frente ao modelo impresso. Saliento, ainda, que  são ferramentas que caminham em conformidade e conjuntas para ações traçadas com brevidade seja na multiplicação ou prospecção de negócios. Como dica, ideal para um profissional de alta performance possuir tanto o cartão impresso como o cartão digital, seja pessoal/profissional e de sua Empresa.

Vou ficando por aqui sempre antenado com as novas tendências e tecnologias para compartilhar com profissionais que gostam de estar um passo a frente de seus concorrentes neste mercado tecnológico globalizado. Eu possuo o codecard, cartão digital que apresenta diferenciais dos demais e tem me proporcionado uma atenção diferenciada em reuniões de negócios, palestras e afins.

E aí, quer ter a experiência de apresentar o seu cartão digital?

Autor: Sergio Escaleira Jr

er]

9gb09jx9guro9corl6w2zx7bv

As marcas nas redes sociais

A internet pegou todas as regras que conhecíamos, a respeito de relacionamento com o cliente, e as modificou. Afinal, os hábitos de navegação on-line das pessoas se transformaram em informações úteis para as empresas, suas redes sociais e novas oportunidades de negócio.

Sem falar que os próprios usuários podem ser considerados, atualmente, como mídia: um meio para divulgar a sua marca, promovê-la e expandir o alcance do seu negócio. Bastava traduzir esse volume massivo de dados on-line para convertê-los em prospects — clientes em potencial.

E a melhor solução para isso foi humanizar as marcas. Afinal de contas, ainda que as empresas queiram conquistar novos seguidores e gerar engajamento, publicações institucionais não surtiriam impacto algum na vida das pessoas.

O que significa humanizar as marcas

As marcas precisam de um rosto, precisam de uma voz — uma que dialogue de forma que o seu público se identifique. Elas precisam de uma abordagem para que sejam encontradas nas preferências e nos assuntos de interesse dos consumidores em potencial.

Isso ocorre em todas as redes sociais e de múltiplas maneiras, como:

  • postagens em blogs
  • ações nas redes sociais
  • entrevistas
  • aplicativos
  • vídeos
  • conteúdo gratuito para download

E mais uma infinidade de estratégias que, lenta e gradativamente, tem humanizado as marcas – pois as pessoas curtem, comentam, compartilham, marcam os amigos e interagem com quem alimenta as redes sociais de suas empresas.

Quais os desafios de manter-se próximo do público

Como em todo relacionamento saudável, deve existir uma troca. E, nesse caso, ela ocorre quando as empresas fazem mais do que divulgar, expor e apresentar conteúdos relevantes para o seu público: acontece quando elas passam a ouvir os clientes.

E essa tem sido a grande sacada na humanização das marcas. Ou seja, o estabelecimento de um diálogo aberto, franco e o mais transparente possível. Principalmente porque essa relação também trafega por linhas tênues, nas quais ações ou comentários equivocados podem colocar toda a estratégia a perder. Daí nasce a necessidade de se manter relevante, atrativo e com cuidado para não fragilizar essa relação, que é um dos grandes desafios de humanizar as marcas.

A personalização é o caminho para desenvolver as marcas

Não é de se admirar que as pessoas prefiram que as suas marcas favoritas sejam humanizadas, ganhando DNA e personalidade. As próprias empresas já fazem isso com o seu público-alvo, ao desenvolver as suas estratégias de marketing digital, traçando um perfil do seu cliente ideal. Principalmente em uma época em que nossos hábitos de consumo diários se transformam em dados, compilados em tempo real por servidores e enviados para empresas os explorarem.

Ao criarmos um rosto, uma voz e uma personalidade— em ambos os lados dessa relação —, humanizamos também a internet, colocando-nos em um mesmo patamar. O foco ainda é a divulgação de sua marca, a exposição dos seus produtos ou serviços e as estratégias mais eficientes para gerar vantagem competitiva, mas agora tratamos os nossos consumidores pelo primeiro nome.

Fonte: penseavanti

9gb09jx9guro9corl6w2zx7bv

10 tendências de redes sociais para 2019

2018 foi um ano de muitas novidades e acontecimentos no mundo digital, principalmente quando o assunto é rede social. Novas redes surgiram, outras ganharam notoriedade, funcionalidades inéditas foram criadas, algumas redes até se envolveram em escândalos mundiais.

Tudo o que aconteceu no ano passado tem um peso importante nos próximos anos. Neste artigo iremos listar e comentar as tendências de redes sociais para 2019. Confira e comece já a utilizar essas dicas nas estratégias de marketing digital da sua empresa!

1 – Verdade e transparência em 1º lugar

Em 2018 a internet e as redes sociais foram tomadas por fake news e manipulação de dados. Isso teve uma consequência real na percepção dos usuários em relação às redes sociais. De acordo com uma pesquisa da Edelman, agência especializada em relações públicas e marketing, 60% dos usuários disseram não sentir confiança em empresas de mídias sociais. Isso mostra que o principal foco da gestão de redes sociais em 2019 deve ser mais do que nunca o engajamento transparente e significativo de usuários, e não apenas a maximização no alcance de publicações.

2 – Instagram como principal rede social

O Instagram existe desde 2010, mas o ano de 2018 foi um ano especial que trouxe muitas novidades para a rede. Só para ter uma ideia, os gastos com anúncios pagos no Facebook cresceu 40% no segundo trimestre de 2018, enquanto os gastos com anúncios no Instagram aumentaram 177% no mesmo período. Foram muitas novidades: atualização no algoritmo (permitindo ao usuário visualizar conteúdos que mais gosta), compartilhamento de conteúdo de outras contas no Stories, criação do IGTV (aplicativo para vídeos mais longos) e criação do Instagram Shopping (possibilidade de adicionar etiquetas a produtos, com informações de preço e links). Graças a essas novas funcionalidades, o Instagram elevou o seu status e tem grandes chances de ser considerada a principal rede social de 2019.

3 – O crescimento do LinkedIn

Em 2018 o LinkedIn, rede social de negócios, passou dos 500 milhões de usuários, com conteúdo potencial de 100 mil artigos por semana na plataforma. Isso tudo enquanto outras redes sociais passavam por diversos escândalos e problemas. Funcionalidades de grupos, vídeos e a possibilidade de integração com outras redes sociais e aplicativos foram responsáveis por dar ao LinkedIn uma maior visibilidade, transformando a rede numa das melhores mídias para divulgação em 2019.

4 – Conteúdos em vídeo

Os conteúdos disponibilizados em vídeo vêm crescendo desde 2015. Especialistas estimam que em 2019, 80% do que consumimos online será em vídeo, mostrando que este formato poderá dominar a web em pouco tempo. As redes sociais estão disponibilizando cada vez mais funcionalidades audiovisuais, confirmando essa tendência. E as opções de como usar os vídeos são muitas: vídeos gravados e editados, vídeos ao vivo, uso de realidade virtual e outras.

5 – Conteúdo criado pelo usuário (UCG)

O conteúdo criado pelo usuário, também conhecido como UCG (user-generated content), é qualquer tipo de conteúdo que usuários comuns (nada de artistas, celebridades ou influencers) criam espontaneamente sobre produtos ou serviços. A ideia por trás do UCG é aproveitar-se da autenticidade e credibilidade para a criação de um conteúdo com o qual o público pode se identificar. Esse conteúdo pode estar presente em espaços para comentários e avaliações, fóruns de discussões, sessões de perguntas e respostas e ações com hashtags, por exemplo.

6 – Stories

Stories são conteúdos curtos que ficam disponíveis por 24h e depois desaparecem. Essa funcionalidade, presente em redes sociais como Instagram, Snapchat, Whatsapp e Facebook Messenger, está crescendo 15 vezes mais rápido do que o conteúdo compartilhado em feed. Isso mostra que em 2019 esse tipo de recurso pode superar os outros. Assim, as empresas que pretendem melhorar a performance em 2019, devem manter seus stories atualizados e bem gerenciados.

7 – Influenciadores digitais

Já faz algum tempo que realizar ações com influenciadores digitais traz bons resultados para empresas. E parece que em 2019 isso não vai mudar. Só que nesses últimos anos, as empresas perceberam que a quantidade de seguidores não é o dado mais relevante de um influenciador, mas sim os seus resultados mensuráveis. Visto isso, algo que provavelmente crescerá em 2019 serão as buscas por micro influenciadores, que são perfis menores, porém fortes em determinados nichos.

8 – Aplicativos de mensagens privadas

Os aplicativos de mensagem privada, como Whatsapp e Facebook Messenger, estão dominando nossa comunicação. Juntos eles possuem mais de 2,8 bilhões de usuários. Muitas empresas estão preferindo transferir o atendimento ao cliente para esse tipo de ambiente, mais íntimo. Empresas que não disponibilizam de atendimento 24h podem contar com uma outra tendência para ajudar nessa tarefa: os chatbots.

9 – Chatbots e mensagens diretas automáticas

Em 2018 começaram a ser usados com mais frequência os chatbots, programas de computador que usam algoritmos para simular conversas humanas em chats, automatizando tarefas repetitivas e burocráticas. Em 2019 essa tendência se consolida e se aperfeiçoa. Hoje ela já é uma solução viável, de fácil acesso e implementação. Já é possível usar esses robozinhos no Facebook Messenger, Whatsapp e outras redes sociais.

10 – Social Commerce

Social Commerce, ou Comércio Social, é a integração dos e-commerces com as redes sociais. Diversas novidades apareceram em 2018 mostrando que essa integração será tendência em 2019. O Instagram disponibilizou o Instagram Shopping e a loja virtual no Facebook ganhou mais adeptos. Fora que Facebook e Pinterest já contam há algum tempo com funcionalidades características de e-commerce (call to action, links e botões de compra).

Essas foram algumas tendências para redes sociais em 2019. Coloque essas dicas em prática agora ou procure uma agência de mídias sociais para um gerenciamento completo.

Fonte: king.host

celular com instagram aberto

Fim dos likes? Entenda o teste do Instagram que vai esconder curtidas

Ao saber dessa notícia, a primeira reação das pessoas foi entender que o “Like” acabaria, mas não é isso que vai acontecer. Ferramentas de interação é a base de qualquer rede social, e o Instagram não é diferente. Abaixo, tentamos explicar os aspectos que levaram a esta mudança e as implicações para o futuro da plataforma.

Instagram vai esconder os likes da audiência geral — Foto: Divulgação/InstagramInstagram vai esconder os likes da audiência geral — Foto: Divulgação/Instagram

Instagram vai esconder os likes da audiência geral — Foto: Divulgação/Instagram

Quando a novidade estará disponível?

Facebook ainda não se manifestou quanto a data para essa alteração entrar em vigor. No momento, os testes estão sendo conduzidos por usuários selecionados no Canará. Também não há previsão do recurso chegar ao Brasil até o momento.

Qual o objetivo real por trás dessa mudança?

De acordo com o The Verge, um porta-voz não identificado pelo site afirmou que o objetivo principal é “tirar a pressão” de cima do usuário. O Instagram entende que a sua rede social deve ser um local para as pessoas se expressarem, e não um concurso de popularidade. Além disso, querem deixar o ambiente menos tóxico e competitivo.

Continuarei tendo acesso ao meu número de likes?

Sim, cada usuário saberá exatamente quantas curtidas uma foto ou vídeo recebeu, porém, isso não estará aberto para o público. Perguntado pelo site TechCrunch sobre como os influenciadores vão lidar com esta novidade, um porta-voz do Facebook afirmou que eles estudam uma maneira de fazer o usuário demonstrar o seu valor digital para possíveis marcas que queiram patrocinar o seu conteúdo.

Durante o congresso F8, Adam Mosseri, líder do Instagram, anunciou outras possíveis ferramentas da plataforma que entrarão em testes, a maioria com o objetivo de combater o bullying na rede social de fotos. Um deles vai “cutucar” o usuário quando ele estiver escrevendo uma mensagem tóxica ou ofensiva de certa forma, antes de postar o comentário.

Outra ferramenta é o “Away mode”, que permite ao usuário encerrar todas as notificações do Instagram e deixar a sua conta “suspensa” sem precisar deletar, ideal para momentos em que estiver passando por um “período difícil”. Depois que conseguir superar essa fase, poderá voltar normalmente que todo conteúdo estará lá.

Além disso, novas funções vão dar mais controle para o usuário decidir como as pessoas em geral vão interagir com o seu perfil. Assim, poderá escolher quem pode enviar mensagem privada, por exemplo, ou ainda, quem pode comentar em suas postagens.

Fonte: techtudo