trafego-fontes

As 5 melhores fontes de tráfego para seu negócio online

Quando pensamos em uma loja física, ao abrir esperamos que os clientes entrem e visitem a loja para ver os produtos e consequentemente vender os nossos produtos, e sobreviver a mais um mês pagando todas as contas em dia, dinamizar essas fontes de tráfego é muito importante para o negócio.

Na internet temos que pensar da mesma forma, quando temos um e-commerce ou site de serviços, precisamos mostrá-lo para que alguém se interesse por nossos produtos/serviços, para que possamos vender.

E quando falamos de internet existe uma imensidão de pessoas disponíveis para ver o que temos a oferecer, só que, imagine pegar uma pedrinha do tamanho de sua mão e joga-la em uma piscina olímpica, ela provavelmente sumirá na imensidão da piscina, o seu site é como a pedra e internet é a piscina.

Para poder mostrar o que sua empresa tem a oferecer na internet podemos utilizar várias estratégias, que podem ser utilizadas de acordo com o perfil do negócio. Aqui iremos destacar cinco fontes de tráfego que utilizamos com bastante frequência para analisar as fontes de tráfego na Auris Ideias Digitais.

Tráfego Social

Estamos falando literalmente de redes sociais Youtube, Facebook, Instagram e outros. Existem diversas estratégias que podemos utilizar nas redes sociais, porém deve ser usada com muita cautela, não adianta somente fazer posts bonitos e agradáveis, com um criativo (imagem) bonito, se não for trabalhado juntamente com alguma estratégia para conversão. Postar somente por postar não vende, não esqueça dos boletos no final no mês!

Hoje sem dúvida nenhuma (para determinados tipos de seguimentos) a melhor fonte de tráfego social é o Facebook, em companhia de outras plataformas como Instagram e o mais recente WhatsApp que agora foi liberado para anúncios. Atualmente até a produção deste texto,  o Facebook conta com surpreendentes 2.4 bilhões de usuários ativos mensais.

Claro, que dependendo do negócio temos outras redes que podem ser tão poderosas quanto, como LinkedIn, com sua rede social totalmente nichada e seletiva, até mesmo o Youtube pode trazer uma audiência enorme e exponencial para o site, tudo irá depender do seu negócio e saber onde atuar mais ativamente.

Tráfego Pago

Com certeza você já deve ter visto anúncios pela internet, e justamente esses anúncios são o tráfego pago, é como as grandes como Google e Facebook (estou citando estas por serem as mais comuns, porém existem outras) empresas garantem que seu site seja visto na internet, lembra da pedra na piscina? Seria como colocar um neon na pedra para que ela seja destacada na internet (claro que, com muitos detalhes a se levar em conta).

Da mesma forma que conversamos sobre tráfego social, se não for usado com alguma estratégia não irá trazer resultado, o tráfego pago deve ser usada com um objetivo claro e mensurável, a fim de atingir sempre um objetivo macro, que em um e-commerce por exemplo, será a venda!

Tráfego Referencial

É quando outros sites indicam seu site como referência para consulta. Neste caso o conteúdo de inbound é muito importante e conseguimos avaliar se o público está contente com o seu conteúdo ao ponto de compartilhar com amigos.

Este tráfego é o mais difícil de conseguir, pois é um trabalho que deverá ser feito manualmente, onde pessoas reais irão indicar seu site, existem algumas estratégias que usamos para ter resultados aqui, mas iremos conversar sobre em um outro momento.

Tráfego de E-mail

Um dos mais importantes e fiel é o tráfego de e-mail, que se usado de forma correta se torna uma poderosa arma de venda instantânea, seja para produtos ou serviços.

Muitas pessoas podem se perguntar e ‘afirmar’ que as pessoas nem olham seus e-mails, pois saiba que estatísticas e contagens pelo Grupo Radicati descobriram o seguinte:

  • Mais da metade da população mundial usa e-mail em 2019.
  • O número de usuários de e-mail em todo o mundo deverá crescer para mais de 4,3 bilhões até o final de 2023.
  • O número total de e-mails comerciais e de clientes enviados e recebidos por dia excederá 293 bilhões em 2019 e deverá crescer para mais de 347 bilhões até o final de 2023.

Então se o seu e-commerce, não! O seu negócio, não tem lista e-mails para contatos, saiba que já está saindo bem atrás.

Tráfego Orgânico

Quando falamos de tráfego orgânico estamos falando de inbound marketing, precisamente de conteúdos para manter seu site atualizado e atrativo para os sites de busca. É inevitável admitir que quando falamos de site de busca na internet falamos de Google, porém existem outros como Bing, Yahoo etc.

Atualmente todos os sites são otimizados de acordo com as regras do Google para que se possa aparecer entre os primeiros na hora da busca, por se tratar do site mais acessado do mundo. Existem várias regras que aceleram o processo de Ranqueamento (posição) do site na hora da busca, por exemplo, escolhas de palavras chaves corretas, configuração de imagens corretamente, SEO, tempo de carregamento do site, muito outros itens que devem ser levados em consideração para que o site esteja bem colocado na hora da busca.

E como bônus, verificamos se nossas ações e estratégias estão corretas na mensuração do tráfego direto que vamos falar abaixo.

Tráfego Direto

Deixei o tráfego direto para o final por crer ser o mais importante na mensuração dos esforços de inbound marketing feito no seu site, por se tratar do próprio cliente lembrando de você e do seu site, e visitando por vontade própria sem incentivo de anúncios ou indicações.

O tráfego direto funciona quando você tem constância e qualidade, constância ao postar conteúdos e não falhar na entrega para o usuário, por exemplo, se toda quarta tem artigo novo e quinta tem lives ao vivo, então não se pode falhar na entrega desses conteúdos, e qualidade para o usuário saiba, que irá encontrar algum conteúdo de seu interesse ou que irá resolver seu problema na hora que acessar seu site.

Trabalhar as fontes de tráfegos é muito importante, para quem já teve ou têm algum negócio físico, o movimento de pessoas na sua loja ou empresa é fundamental, para que as vendas aconteçam. E na internet não é diferente, saber entender e trabalhá-las para gerar retorno é de fundamental importância para a sobrevivência do negócio digital.

facebook

Facebook continua crescendo

Há pouco mais de 15 anos, em 4 de fevereiro de 2004, Mark Zuckerberg, um estudante de Harvard de 19 anos, junto com alguns de seus colegas, lançou um pequeno site chamado Thefacebook. 
“Thefacebook é um diretório online que conectava pessoas através de redes sociais em faculdades”, o site original cumprimentava seus visitantes , explicando que isso lhes permitiria “procurar pessoas na sua escola, descobrir quem está nas suas aulas [sic] , procure os amigos dos seus amigos e veja uma visualização da sua rede social. “Confinado ao campus de Harvard no início, o serviço rapidamente ganhou popularidade e foi posteriormente lançado para outras faculdades. Até o final de 2004, Thefacebook tinha mais de 1 milhão de usuários registrados e a empresa recém-fundada não apenas se mudou para o Vale do Silício, mas também garantiu um investimento de US $ 500.000 do co-fundador do PayPal, Peter Thiel. Depois de mudar seu nome para apenas ” Facebook ” em 2005, a rede social foi aberta ao público em geral no outono de 2006, marcando o início de uma das mais notáveis ​​histórias de crescimento da história corporativa.

Em três anos, a rede social adicionou 350 milhões de usuários e, no verão de 2012, tornou-se o primeiro serviço on-line do gênero a atingir 1 bilhão de usuários ativos mensais. Até hoje, apesar de estar envolto em controvérsias sobre sua (má) manipulação da privacidade do usuário, o Facebook continua crescendo. Somente no último trimestre, o Facebook adicionou 39 milhões de usuários ativos mensais, elevando sua base total de usuários a surpreendentes 2,41 bilhões.

Infographic: Facebook Keeps On Growing | Statista

Fonte: Statista

ROI - Return on investment word cloud collage, business concept background

Guia para medir o ROI de Mídias Sociais

Como você sabe se a mídia social está funcionando para você? Como você traduz comentários e curtidas para o ROI?

O marketing de mídia social tornou-se importante para empresas em todos os setores e nichos. É muitas vezes considerado como uma das melhores estratégias de marketing digital – mas como você sabe se está funcionando para você? Como você traduz comentários e curtidas em ROI (retorno sobre o investimento)?

Neste artigo mostrarei como medir o ROI de mídia social.

Por que você precisa medir seu ROI de mídia social?

Como com qualquer prática de marketing, você está investindo tempo, dinheiro e esforço em sua estratégia de marketing de mídia social. Então, naturalmente, você quer saber se seus esforços estão valendo a pena.

Isso não quer dizer que, se você não está obtendo um ROI claro das mídias sociais, isso significa que você deve abandoná-lo completamente; em vez disso, medir seu sucesso na mídia social ajuda a entender o que você está fazendo certo ou errado e o que você pode fazer no futuro para realmente alcançar seus objetivos.

Em outras palavras, medir seu ROI de mídia social não é apenas sobre o dinheiro ou sobre o investimento – é aprender com os resultados das mídias sociais e implementar essas descobertas para otimizar e melhorar sua estratégia geral. Não só isso, mas ajudará a descobrir onde você precisa investir mais tempo e esforço, com base nos resultados reais.

1. Comece com seus objetivos

Para saber quais métricas são relevantes para você e quais ajudarão a estabelecer seu ROI, você precisa saber o que deseja alcançar.

Mais tráfego? Mais leads ou inscritos? Mais alcance e engajamento com seu público?

Somente quando você souber o que deseja alcançar, poderá medir com precisão seus resultados.

Comece pensando nos seus objetivos de negócios; Afinal, você está usando o marketing de mídia social para ajudá-lo a alcançar esses objetivos.

Quando tiver clareza sobre o que você deseja alcançar como empresa, você pode começar a detalhar suas metas de mídia social. Seja muito específico sobre o que você quer alcançar e ajuste seus objetivos à medida que avança; Por exemplo, você pode concentrar sua atenção por um mês em aumentar seu tráfego de mídia social em 20%, mas isso não é sustentável a longo prazo. Ou você pode perceber que o Twitter gera muito mais tráfego do que outras redes sociais – nesse caso, você pode ajustar sua estratégia para se concentrar mais no Twitter do que em outras redes sociais.

Sempre que você definir uma meta de mídia social, lembre-se de fazer uma pergunta importante: como isso me ajudará a alcançar meus objetivos de negócios?

2. Estabeleça seus KPIs

Depois de ter suas metas, você precisa estabelecer seus principais indicadores de desempenho (KPIs) – ou seja, as métricas que você precisará monitorar e medir para medir com precisão suas metas de mídia social.

Se você não pode medir um objetivo, então você deve pensar em objetivos alternativos para substituí-lo.

Por exemplo, se sua meta fosse obter mais tráfego de mídia social, você teria que avaliar seus cliques e também seu tráfego de mídia social.

Se você quisesse gerar mais leads , precisaria avaliar suas conversões no website de mídia social.

Se você quisesse mais conhecimento de marca, teria que analisar seu crescimento em seguidores e engajamento.

Basicamente, quaisquer que sejam seus objetivos, você precisa garantir que ele possa ser avaliado e que você saiba em quais métricas deve ficar atento para medi-los:

  • Tráfego
  • Alcance e engajamento
  • Leads e conversões

3. Comece a acompanhar suas métricas

Agora que você já sabe o que deseja alcançar, quais métricas precisa ficar de olho, é hora de começar a acompanhá-las.

Uma das ferramentas mais úteis que você tem à sua disposição para acompanhar o sucesso de suas redes sociais, rastreando seu tráfego, e grátis: o Google Analytics.

Mais ainda, também é ótimo para acompanhar suas conversões reais. ou seja, as ações que seu tráfego (de mídia social) está realizando no seu website.

Como acompanhar suas conversões

Vá até Administrador e clique em Metas para começar:

Google Analytics

Aqui, você poderá definir metas de conversão (até 20 metas) para acompanhar as ações que suas mídias sociais estão realizando em seu site: inscrevendo-se para sua newsletter, comprando algo, agendando uma entrevista com sua empresa e assim por diante.

Além disso, você pode até dar a cada meta um valor monetário, o que tornará o acompanhamento do seu ROI na mídia social tão fácil e o Google Analytics listará automaticamente o valor total de todas as conversões feitas a partir do seu tráfego.

De volta à configuração das metas de conversão, depois de clicar em Metas, você verá vários modelos de meta para escolher:

Google Analytics

Você também pode criar sua própria meta personalizada, mas pode não ser necessária, pois ela abrange quase todas as ações comuns do website. por exemplo: fazer uma reserva ou um pagamento, pedir para se tornar um afiliado, enviar um formulário ou visualizar um conteúdo, entre muitos outros.

Você tem a opção de definir 4 tipos diferentes de objetivos:

  • Link específico / destino
  • Duração e tempo gasto em uma determinada página
  • Número de páginas visitadas por sessão
  • Tomando uma certa ação

E, finalmente, como mencionei antes, você pode definir valores monetários para cada uma das suas metas de conversão. Por exemplo, se para cada 10 pessoas que se inscreverem na sua lista, uma delas comprará de você no valor de R$ 1.000,00,  o valor dessas metas será em torno de R$ 100,00.

Esses resultados serão rastreados automaticamente pelo Google Analytics para que, sempre que você verificar o tráfego do seu website, nesse caso, o tráfego de mídia social, também possa acompanhar seu ROI, medido em quantas conversões foram feitas.

4. Como acompanhar seus cliques de mídia social

Ao verificar sua análise de mídia social (por exemplo, o Facebook Insights), você também pode ver quantos cliques cada post recebeu.

Essa informação é definitivamente relevante, mas os cliques não dizem muito sobre o tráfego de mídia social. Claro, você sabe quais postagens receberam mais cliques, mas não sabe quanto tempo eles gastaram no seu website ou o que eles fizeram lá. Além disso, esse método também dificulta a compreensão de como cada rede social funciona individualmente.

Uma maneira fácil de resolver isso é adicionar parâmetros UTM aos seus links de mídia social; eles são pedaços de código anexados a seus links que permitem rastrear seu tráfego com mais detalhes e entender de onde ele vem.

Você pode gerar facilmente um link com os parâmetros do UTM usando o criador de campanhas do Google Analytics :

Google UTM builder

Você pode criar um parâmetro UTM personalizado de acordo com suas necessidades, mas já existem três parâmetros comuns para escolher.

Use as informações dos seus links para descobrir não apenas quanto tráfego de mídia social você tem, mas também para entender de onde vem o tráfego.

Conclusão

Existem certos passos que você precisa tomar para estabelecer o impacto de suas mídias sociais. Não se trata apenas de verificar sua análise de mídia social e um pouco do Google Analytics. Para saber mais sobre suas análises (e medir com precisão seus resultados), fique atento aos passos abaixo:

  • Estabeleça seus objetivos de mídia social: seja claro sobre o que você deseja alcançar primeiro;
  • Estabeleça seus KPIs objetivos: para cada objetivo que você definir, faça uma lista dos KPIs que você precisará acompanhar para medir o objetivo;
  • Comece a rastrear!

Use sua análise não apenas para descobrir se seu investimento está funcionando, mas também para entender as alterações que você precisa fazer para tirar mais proveito de suas mídias sociais.

Fontes:

André Cardia

likes 2

Instagram confirma o fim dos likes

Inicialmente a mudança não ocorrerá para todos usuários do Instagram

A iniciativa tem como objetivo contornar o problema de saúde pública que atinge diversos usuários que usam excessivamente e de forma nociva a plataforma de rede social. O “vício em likes” já é tido em muitos países como um grande mal pois provoca alterações no cérebro e consequentemente no comportamento de diversas pessoas de forma similar aos usuários de álcool, drogas, jogos e outras dependências.

As empresas ligadas as plataformas de redes sociais têm se mostrado preocupadas publicamente, até porque não querem parecer produtoras de algo que está alterando a forma de comportamento humano para pior. Sem falar que já é público e notório, mesmo para quem não trabalha com marketing digital, redes sociais e não é influenciador digital que há formas de comprar likes, o que certamente não é recomendado, mas provoca uma sensação de “poder ser quem não é” para uma grande quantidade de desavisados.

Mas qual o motivo?

Para o Instagram, o objetivo é fazer com que a plataforma seja mais saudável e não vicie as pessoas, gerando sensações positivas e não maléficas.

A mudança não ocorrerá em definitivo e não estará visível para todos os usuários do Instagram brasileiro. Iniciando hoje, os usuários da versão beta do aplicativo, influenciadores digitais com muitos fãs e outros perfis pessoais e comerciais importantes já verão a mudança.

Também já está claro que a mudança que já foi testada no Canadá com alguns resultados positivos é apenas um teste. Na realidade, é o primeiro teste deste tipo realizado pelo Instagram em um país maior, pois o Brasil é o terceiro país com mais usuários da plataforma, sendo o primeiro os Estados Unidos e em segundo a Índia.

As curtidas não acabarão

Se a mudança for confirmada em definitivo ou para quem já for selecionado para este primeiro teste, você ainda poderá ver as curtidas realizadas por um amigo, familiar ou fã de sua empresa. Mas isso não aparecerá mais publicamente, sendo que a quantidade de curtidas (likes) restrita apenas aos administradores do perfil.

E sua empresa está no Instagram e outras redes sociais?

Trabalhamos com campanhas de marketing digital focadas em resultado, incluindo criação e gestão de perfis de redes socais, para organizações e podemos assessorar você e sua equipe a iniciar ou manter uma estratégia competitiva digital. Vamos conversar sobre o seu projeto?

Fonte: Equipe Digital

roi

Fundamentos de cálculo de ROI de marketing de aquisição

Para ganhar o respeito de sua equipe executiva, você precisa falar o idioma deles – e isso significa ROI. Veja como calcular essas ROIs para seus esforços de aquisição de clientes

O ROI é o KPI de que seus executivos mais se importam. Quando se trata de falar a linguagem dos executivos de nível C, o retorno sobre o investimento (ROI) é o Super-KPI que mais importa. Outras métricas comumente usadas pelos profissionais de marketing de aquisição – como custo por aquisição, taxa de conversão e engajamento – embora úteis, não consideram totalmente os dois lados da equação de ROI.

Neste post, primeiro defino como calcular o ROI de marketing. Depois, compartilho como chegar a estimativas válidas de receita e custo para três principais canais de aquisição de clientes: SEO, CPC e marketing de conteúdo.

Como calcular o ROI de marketing

A Harvard Business Review, no seu artigo 2017 ” Refresher on Marketing ROI” , fornece esta definição de Marketing Return On Investment (MROI):

MROI

Obviamente, aumentar o  MROI tem a ver com o aumento das receitas incrementais (mais comumente, Receitas recorrentes mensais ou MRR) ou a redução dos gastos (mais comumente, custos de marketing e suporte) necessários para atingir esses ganhos de receita.

Se você puder ter sucesso com isso, conseguirá mudar a mentalidade de sua equipe de liderança de um foco no custo (que nossos cérebros associam à dor) a um foco no investimento (que nossos cérebros associam aos ganhos).

Aqui estão as calculadoras de ROI para cada um dos seus canais de marketing de aquisição que você precisará para alcançar essa mudança estratégica.

Calculadoras de ROI relacionadas à aquisição

Quando se trata de aquisição, a maioria das empresas digitais small-b Branding  (não reconhecidas globalmente) confiam principalmente no tráfego SEO (orgânico) e nos canais CPC (pagos) para direcionar o tráfego para suas páginas de vendas, então eu vou começar com esses cálculos de ROI.

Calculadoras de ROI CPC

Duas métricas comumente usadas para campanhas de CPC são o retorno do investimento em publicidade (ROAS) e o lucro por impressão / clique (LPI / CPC). Depois de definir cada um, explicarei por que eles não são as melhores medidas de desempenho de campanha do CPC.

Retorno do gasto com publicidade (ROAS)

O ROAS é simplesmente Receita de CPC menos o Custo de CPC, dividido pelo Custo de CPC, geralmente mostrado como uma porcentagem. Por exemplo, se suas vendas de uma campanha de CPC forem de R$ 1.500,00 e você pagou R$ $ 500,00 por cliques de CPC, seu ROAS seria de 2,0 ou 200%.

roas

A plataforma de marketing HubSpot fornece uma calculadora ROAS mais robusta com base em dados, incluindo orçamento mensal de anúncios, CPC esperado, taxa de conversão de destino, preço médio de venda e taxa de lead-to-customer.

Lucros por impressão / clique (LPI / PPC)

A métrica “lucro por” tem uma visão holística do processo de aquisição e conversão. As conversões não acontecem sozinhas; eles exigem as palavras-chave certas, criando anúncios eficazes e obtendo cliques a um custo razoável.

O cálculo de lucro por impressão / clique é um pouco mais complicado. Você precisará de impressões, cliques, custo total e valor total de vendas. Para calcular o lucro por impressão, divida o lucro por impressões. Para lucro por clique, divida o lucro por cliques.

O problema com o ROAS e o LPI / CPC

Embora o ROAS e o LPI / CPC sejam um bom (e fácil) lugar para começar, eles não são medições de ROI precisas. Por quê?

Porque os cliques com CPC não são os únicos custos para essas campanhas. No e-commerce, existem custos de fabricação, custos de marketing e custos de atendimento. Existem custos de processamento de cartão de crédito e custos de processamento de retorno. Se você tiver uma equipe de suporte, também haverá custos de atendimento ao cliente.

Em um contexto de geração de leads, você tem os custos de vendedores acompanhando leads e os custos de aplicativos de automação de marketing (como e-mail e CRM), entre outros. Outros custos ocultos também se aplicam, como ineficiências na operação de vendas.

CPC ROI é o que importa

Para calcular um verdadeiro ROI para seus esforços de CPC, você precisa incluir todos os custos aplicáveis incorridos na conversão de prospectos em leads e clientes. Você precisa estimar e incluir:

  • A parte do tempo da equipe de marketing passou planejando campanhas de CPC.
  • Custos de configuração e análise de campanhas de CPC (por exemplo, no Google Adwords).
  • O custo de projetar, desenvolver e implantar páginas de destino do CPC.
  • Os custos do uso de ferramentas relacionadas a CPC de terceiros (por exemplo, aplicativos de compra programáticos).

No lado da receita, você precisa incluir as receitas resultantes de conversões diretas e assistidas (mais sobre as abaixo).

Depois de obter as melhores estimativas de custo e receita relacionadas ao CPC, alimente esses valores no cálculo MROI acima.

SEO calculadoras de ROI

O tráfego SEO (orgânico) é o mais barato a longo prazo. Portanto, para obter o maior ROI dos seus esforços de SEO, você desejará gerar grandes volumes de tráfego bem segmentado para suas páginas de destino.

Mas medir o desempenho de SEO é complicado. Digamos, por exemplo, que alguém pesquisou uma palavra-chave, acessou seu site, retornou depois de dois segundos e entrou na sua loja física para comprar algo. Você não pode simplesmente atribuir esse cliente a sua pesquisa orgânica porque não sabe exatamente o que causou a conversão. Esse é o problema de atribuição. Fazer essa análise pode levar muito tempo.

Felizmente, o cálculo de ROI para sites de comércio eletrônico ficou mais fácil com o Google Analytics (GA). Adam Frankel, da SEMRush, detalha as seis etapas que você deve seguir (em inglês) para configurar a conversão – e o ROI associado – no GA.

Para sites de comércio eletrônico, você só precisa definir metas de negócios no GA, inserir o código de acompanhamento nas páginas do produto e definir valores de receita para cada SKU do produto. O GA calculará o ROI resultante.

Para sites que não são de comércio eletrônico, o valor da receita é o valor de cada lead qualificado para vendas (SQL). Comece conversando com seus vendedores para estimar o valor de cada lead qualificado pelo marketing (MQL) que você passar para eles. Se eles considerarem que apenas 20% deles são “clientes-alvo, prontos para venda”, será necessário reduzir o valor da receita principal por um fator de cinco. Você obviamente vai querer aumentar esse valor de lead para aumentar seu ROI relacionado a SEO.

Calculadoras de ROI de marketing de conteúdo

Estatísticas recentes provam que o marketing de conteúdo – se bem executado – funciona. Mas essas estatísticas não mostram o ROI real obtido com esses esforços. Assim como nos cálculos de ROI de SEO, o GA vem para o resgate.

Primeiro, vamos definir o ROI do Marketing de Conteúdo: uma porcentagem que expressa a receita obtida com o marketing de conteúdo em comparação com o que você gasta criando e distribuindo esse conteúdo.

Do lado do custo, você precisa descobrir:

  • Quanto você gastou para produzir cada conteúdo em cada funil de geração de leads.
  • Quanto custa você publicar e manter esse conteúdo.

No lado da receita, às vezes há um link direto entre seu conteúdo e uma conversão, como quando um possível cliente visualiza um blog, clica um “call-to-action” e compra algo. Mas outras vezes a conexão de vendas por clique não é direta.

Digamos, por exemplo, que um visitante leia um de seus blogs que encontrou pelo Google, saia do seu site para fazer algumas comparações  e retorne no dia seguinte para fazer uma compra. Você não pode acompanhar essa conversão apenas com o acompanhamento de comércio eletrônico (dentro da sessão) ativado no GA.

Felizmente, você pode acompanhar isso por meio do GA com conversões assistidas . As conversões assistidas medem o número de conversões para as quais um canal contribuiu em qualquer ponto ao longo da jornada do cliente.

Para fazer isso no GA, acesse Conversões> Funis multicanais> Conversões assistidas. Clique em um canal e veja a coluna Valor de conversão direta de cliques para ver a receita gerada, direta e indiretamente.

Social media marketing ROI

Social media marketing ROI

ROI sempre foi mais difícil de calcular no lado da mídia social. Isso é principalmente

  1. Devido ao problema de atribuição que mencionei anteriormente;
  2. já que curtidas e ações não resultam diretamente em receita.

Como mostra o gráfico abaixo da Pesquisa de Gastos de 2018-19 do Gartner , muitos CMOs de marketing direcionam suas equipes para acompanhar o engajamento mais do que as conversões.

Métricas de redes sociais

Mas aqui está o problema: enquanto 57% dos CEOs estavam preparados para investir mais em marketing, eles disseram que “os orçamentos estavam em risco se os profissionais de marketing continuassem a priorizar medidas como a conscientização sobre o ROI”.

Então, como obter os números de custo e receita para que você possa obter uma estimativa de ROI confiável?

Do lado do custo, você precisa pensar tanto em reduções de custo alcançáveis quanto em custos operacionais e orçados.

Um fator de custo máximo para marcas digitais e, especialmente, para fornecedores de SaaS, é a rotatividade de clientes. Ouvindo melhor e agindo com base no feedback de seus clientes, você pode reduzir essa taxa de cancelamentos (Churn rate) e, assim, seus custos relacionados à rotatividade. Essas reduções de custo têm alta alavancagem de receita. De acordo com a pesquisa da Bain & Company, aumentar a retenção de clientes em apenas 5% aumentou os lucros em 25% a 95%.

É claro que, assim como para suas campanhas de CPC, SEO e marketing de conteúdo, você precisa incluir todos os custos (despesas gerais, ferramentas, etc.) associados às suas campanhas de mídia social para chegar a um valor de custo total válido.

É mais fácil no lado da receita. Comece estimando as contribuições da rede social para as receitas. No GA, acesse Aquisição> Social> Visão geral. Em seguida, conecte esses valores de receita e custo à sua equação MROI para obter seu ROI.

Envolvimento de ROI de marketing de aquisição

A linguagem dos negócios – e especialmente a administração executiva – é o ROI. Assim, quanto mais cedo você puder calcular estimativas confiáveis dessas ROIs para suas campanhas, melhor.

Tanto quanto possível, aproveite as ferramentas de análise que já fazem parte do seu kit de ferramentas, como o Google Analytics. Configure as metas de conversão e o acompanhamento para que você possa obter valores de receita que reflitam todos os pontos de contato digitais que levam à conversão final. Para sites de geração de leads, verifique se suas suposições de valor por lead refletem a porcentagem de leads que realmente reduzem o seu funil de vendas.

“Falando ROI” pode se sentir como se estivesse aprendendo uma nova língua estrangeira. Mas, à medida que você se familiarizar com esses cálculos e seus dados subjacentes, você logo criará o valor de sua empresa e a influência política de sua equipe.

André Cardia

Bibliografia: