capa-blog-site-landing-page

O que é Landing Page e como utilizar no seu site

A landing page é uma página usada nos sites de empresas, cujo foco está na conversão. Ao invés de apresentar um conteúdo, por exemplo, ela foca em uma oferta, que pode ser de produto ou serviço.

As landing pages devem ser capazes de incentivar o consumo de ofertas, para que cada vez mais pessoas caminhem pelo funil e se tornem clientes.

Para que eles realmente sigam pela jornada de compras, é necessário converter essas pessoas. E a Landing Page é, justamente, a melhor estratégia de conversão.

Por isso, é muito importante que os empreendedores se certifiquem de que ela está entre as ações de marketing digital das empresas. 

Além disso, é fundamental a criação de páginas que, realmente, impactem na conversão do funil de vendas, resultando em mais lucratividade.

O que são as landing pages?

As landing pages também são conhecidas como páginas de destino. Elas têm o objetivo de incentivar a conversão dos visitantes, com poucos elementos e foco em um CTA (Call to Action, ou chamada para ação, do inglês). 

Com poucas distrações e o estímulo correto, a empresa garante a conversão desejada.

Para entender este funcionamento basta ter em mente o seguinte exemplo: um fabricante de sombrite para horta atrai milhões de visitas ao blog mensalmente, devido à produção de conteúdos interessantes, mas tem encontrado dificuldades para levar os contatos ao próximo passo, que seria a compra dos itens. 

Nesse caso, as visitas são ótimas, porque agregam notoriedade e visibilidade aos negócios, mas não têm um impacto muito significativo.

Então, as landing pages são utilizadas para influenciar os visitantes a realizarem uma ação. Elas dispensam elementos que podem distraí-lo, como menu, excesso de texto ou imagens.

Nas estratégias de marketing, de uma maneira geral, as landing pages costumam pedir o preenchimento de formulário, em troca de um conteúdo de valor. 

Uma empresa pode solicitar informações como nome, idade, e-mail e localização, por exemplo. 

Em troca, oferece o download de um e-book sobre licença ambiental simplificada, ou outros assuntos relacionados com produtos ou serviços oferecidos pela empresa. 

O importante é que o material agregue valor, com qualidade suficiente para o fornecimento dos dados.

Entretanto, uma landing page também pode conter uma oferta especial, pode ser a conclusão de uma compra ou qualquer outra ação, desde que faça sentido dentro da estratégia de marketing ou relacionamento.

É válido ressaltar que não existem limitações, e as landing pages podem ser usadas como estratégias por empresas de diferentes segmentos de atuação e tamanho, como uma empresa de serviço motoboy, por exemplo, desde que faça sentido no plano de marketing.

Imagem relacionada

Landing pages e oportunidades de negócios

De primeiro impacto, pode não parecer óbvio, mas é muito interessante que as empresas consigam fazer os visitantes preencherem os formulários e realizarem as ações, porque assim elas conseguem gerar leads.

Os leads são oportunidades de negócios para as empresas. Até porque, as visitas nos sites são bastante positivas, mas não contribuem diretamente para a lucratividade dos negócios.

Entretanto, com as informações de contato e outros dados básicos é possível:

  • Investir na construção de um relacionamento mais próximo;
  • Aumentar a confiança e empatia do público pela empresa;
  • Entender melhor quem são essas pessoas que acessam aos conteúdos;
  • Entender se os contatos têm perfil para serem clientes;
  • Contribuir com o time de vendas com oportunidades;
  • Entre outros pontos.

Portanto, a conversão com o uso de landing pages nos sites é uma excelente estratégia para encaminhar os visitantes até as próximas etapas, para a construção de um relacionamento com possibilidade de compra.

Principais elementos de uma landing page

No marketing digital não basta seguir a tendência e realizar as ações, é necessário investir em campanhas que, realmente, atendam às suas demandas. 

Em outras palavras, as landing pages devem ser criadas, especialmente, para a conversão dos visitantes.

Claro, que como em outras estratégias, existem pontos que podem deixar sua técnica ainda melhor. Confira alguns:

Oferta

As pessoas não irão, simplesmente, preencher os formulários com suas informações pessoais. Por isso a landing page deve conter uma oferta que gere valor a quem visita a página.

A oferta pode ser um e-book explicativo sobre meio fio de concreto, para exemplificar. O material deve ser valioso e compensar o preenchimento do formulário, encantando o visitante para que ele venha a se tornar um lead.

Título

O título deixa uma mensagem clara, informando ao visitante sobre o que está sendo oferecido na página. 

Assim, a pessoa pode se sentir interessada no download de um vídeo passo a passo de como limpar uma cadeira dobrável estofada, ou de outros tipos de materiais.

É necessário que o título seja chamativo, simples e compreensível, sempre fazendo jus à oferta, para que a pessoa não se sinta enganada pela empresa e continue encantada com o contato.

É preciso deixar claro o tipo de conteúdo oferecido em troca do preenchimento de formulário, evitando desentendimentos e frustrações.

CTA

Os chamados CTAs são botões ou textos que convidam as pessoas para realização de determinadas ações. 

Geralmente, eles contam com frases no imperativo, como “baixe agora” ou “acesse o conteúdo completo”, entre outras opções.

Tal qual o título, o CTA também precisa ser claro, objetivo e ajudar o visitante a entender a ação que ele precisa realizar, ao mesmo tempo em que deixa uma espécie de convite para a sua realização.

Descrição

Alguns modelos de landing page dispensam a descrição, mas isso depende bastante do público da empresa. 

A descrição costuma passar uma mensagem sucinta sobre o objetivo da oferta e o valor que ela pode gerar para quem converter.

Usando como exemplo a landing page de um site de uma empresa especializada em reciclagem de papelão, a descrição pode informar a quem se destina o material oferecido, que pode ser pessoas que tenham interesse em reciclar resíduos domésticos.

Não há problema dispensar a descrição, desde que ela não seja essencial para que o usuário entenda a oferta que está sendo feita na landing page.

Conteúdos visuais

Assim como título e descrição, os conteúdos visuais podem ajudar a incentivar o visitante a fazer o download de um material sobre pilates funcional, ou outros tipos de assuntos. 

Basta imaginar um vídeo que explique a relevância do download, se ele for didático e de fácil compreensão, aumentam as chances de conversão dos visitantes.

Formulário

O formulário é uma das partes mais essenciais das landing pages, pois é através dele que ocorre uma espécie de pagamento, em que a empresa recebe as informações dos visitantes em troca dos materiais. Ao mesmo tempo, os usuários se transformam em leads.

Para isso, é importante deixar claro todos os campos de preenchimento, facilitando para os interessados. 

O ideal é que o preenchimento seja o mais breve e prático possível, extraindo as informações mais importantes para os negócios.

Dicas para otimizar Landing Pages

Durante ou após a criação das landing pages, é necessário pensar em maneiras de otimizar a página, para que ela fique mais atraente possível, elevando a sua capacidade de conversão.

Algumas técnicas que podem facilitar e ajudar com impactos positivos são:

  • Investir em benchmarking, análises estratégicas aprofundadas do mercado;
  • Realizar testes de imagens, cores e textos para melhores resultados;
  • Uso de ferramentas de automação, facilitando testes e estratégias;
  • Otimização SEO, para que as páginas sejam encontradas nos pesquisas;
  • Uso de forms inteligentes, facilitando o preenchimento de visitantes recorrentes;
  • Investir em design mobile friendly, para abertura em tablets e celulares.

As landing pages podem ser criadas com ferramentas especializadas, de acordo com a estratégia desenvolvida. 

As ferramentas também facilitam a gestão de leads, facilitando o desenvolvimento das estratégias em larga escala e a otimização das ações.

Depois da captação, com os dados armazenados na plataforma, empresas preocupadas com a experiência do usuário utilizam thank you pages, páginas de agradecimento. 

Em um site de uma empresa que vende película fume, ou diversos tipos de produtos, elas aparecem logo após o consumidor completar uma tarefa em uma landing page. 

A ideia é que a empresa mostre que o preenchimento foi concluído com sucesso e, além disso, que a ação é apreciada pela corporação.

Além de dar um parecer para o contato (informando que o download será feito, por exemplo), a thank you page é mais uma oportunidade de conquistar o cliente, mostrando atenção e cordialidade, resultando em uma boa impressão.

Outro ponto importante é que as landing pages podem ser divulgadas, aumentando a quantidade de pessoas que podem se tornar leads. 

Os principais canais para isso são e-mail, redes sociais, mídias pagas, parcerias ou pontos de conversão nos sites.

Desta forma, as estratégias ajudam a manter os visitantes em contato com as instituições, o que aumenta a chance de engajamento e oferece novas oportunidades para que os contatos se identifiquem com as marcas.

A conclusão é que as landing pages representam inúmeras possibilidades para estratégias eficientes, gerando mais oportunidades de negócio, motivo pelo qual elas são fundamentais em planos de marketing digital.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

capa-blog-site-destination

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

Hoje em dia, todo mundo que usa automóvel – seja motorista ou passageiro – conhece o Waze e sabe como o aplicativo ajuda as pessoas a driblarem o trânsito. Mas, além de ser um aplicativo de navegação, o Waze também pode atuar como uma poderosa ferramenta de marketing, mais precisamente, de destination marketing – conceito em que as pessoas são impactadas durante o deslocamento.

É importante que as marcas entendam que podem contar com o Waze para interagir com seus clientes minutos antes da decisão de compra, o que gera conveniência para as pessoas e mais conversões para os anunciantes. E, em tempos de Black Friday, essa estratégia pode ser fundamental.

Mais que um app, um ecossistema

A missão do Waze enquanto empresa é resolver questões de mobilidade, e a plataforma é preparada, globalmente, para receber as informações dos usuários. O app é um crowdsourcing e recebe alertas sobre o trânsito em tempo real, que é o que faz do Waze um aplicativo tão diferenciado em apresentar os melhores trajetos aos usuários.

Isso faz com que o Waze seja muito mais que um aplicativo: ele é um ecossistema com impacto real na mobilidade das cidades. E quem faz o mapa existir são os seus usuários-editores. A comunidade é o DNA da plataforma. Hoje, o Waze é, ao mesmo tempo, o mapa mais atualizado do mundo e a maior comunidade global de motoristas.

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

A relevância do Waze para a mobilidade em um mundo conectado fez com que ele expandisse o seu alcance. Com seus parceiros de mídia, como emissoras de TV, por exemplo, as informações de trânsito em tempo real chegam ao grande público.

Outras iniciativas vão além dos mapas atualizados pelos usuários, ou ampliam a sua utilidade. O Waze Carpool, lançado em agosto de 2018, possibilita que as pessoas peguem e deem carona, reduzindo o número de carros nas ruas e melhorando o fluxo do trânsito. Já o Waze for Cities é uma parceria com o poder público, na qual há uma troca de dados visando um melhor planejamento de mobilidade urbana nas cidades.

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

O sucesso e a importância do Waze são refletidos no tempo que os usuários passam usando o app: em média, 1h56 por dia no Brasil, um número impressionante se pensarmos em quantas “horas úteis” – tempo gasto no trabalho, nos estudos ou em trânsito – cada pessoa tem em sua rotina.

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

O valor do Destination Marketing para as marcas

Por guiar tantas pessoas para seus destinos, o Waze consegue capturar o contexto de seus deslocamentos. A análise de dados do aplicativo pode indicar se os usuários estão perto de casa, em uma viagem de fim de semana, presos no trânsito ou a caminho de um shopping, por exemplo.

Enquanto outras plataformas de mídia utilizam geolocalização saber onde o consumidor está – em casa, no trabalho, na academia ou em uma loja – o Waze sabe para o cliente vai. Isso é Destination Marketing: impactar o consumidor que está indo para algum lugar, no melhor momento para a comunicação, e é extremamente relevante por identificar o contexto futuro do consumidor.

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

Por mais que o consumidor brasileiro seja conectado e influenciado pelo online, 96% das vendas do varejo no Brasil ainda acontecem nas lojas físicas. Neste contexto, sabe-se que a pessoa efetivamente vai até a loja – e é nesse momento pré-consumo, durante o deslocamento, que o Waze pode influenciar o consumidor quando ele está considerando ou adquirindo um produto ou serviço.

O Waze é uma plataforma que de fato leva os consumidores às lojas.

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

Destination Marketing gera mais visitas, mais lembrança de marca, mais vendas e mais retorno sobre investimento. Alguns cases globais de campanhas comprovam isso – como no caso da loja Hering que, no Dia dos Pais de 2018, teve 32% a mais de fluxo e 14% de aumento nas transações nas lojas.

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

A rota dos consumidores para as lojas na Black Friday

Lojas físicas vêm ganhando cada vez mais representatividade na Black Friday, é o que mostra uma pesquisa do Google com a Provokers. Em 2018, 48% dos consumidores compraram presencialmente e, este ano 62% pretendem visitar as lojas para fazer suas compras. O contexto de compras em lojas físicas é tão grande que até mesmo durante a Cyber Monday, uma data teoricamente 100% digital, passou a ser um momento de ofertas nas lojas offlines.

Na Black Friday, mais consumidores usam Waze para ir até as lojas.

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

A Black Friday se tornou a data no ano com maior fluxo para estabelecimentos varejistas no Waze – 60% maior que a média de sextas-feiras comuns. Várias categorias têm crescimento significativo de fluxo em loja na data:

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday-8

O fluxo para shoppings, por exemplo, aumenta 63% na sexta-feira da Black Friday e 10% na semana da data. Além disso, a quantidade de navegações para shoppings no horário de pico, entre 17h e 20h, é 22% maior na Black Friday em comparação com as sextas-feiras comuns.

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

Encontrar e ir até as lojas é uma etapa importante na jornada do consumidor:

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

Na Black Friday não é diferente: as buscas por varejistas com alguma referência geográfica associada (ex: nome da loja + endereço, ou nome da loja + nome de um shopping específico) crescem no período. E isso é um fator fundamental na decisão de compra.

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

Transformando seu negócio em destino

O Waze pode transformar negócios em destino para os consumidores. E a importância de uma data como a Black Friday só aumenta as possibilidades para os varejistas que apostarem nesse caminho. Vamos ver como isso ocorre: 1. Construindo conveniência & consideração para as lojas

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

1. Construindo conveniência & consideração para as lojas

Os pins do Waze colocam as fachadas das lojas no campo de visão dos usuários. Isso gera consideração para os varejistas e conveniência para os usuários, já que, ao clicar, o motorista já consegue traçar uma rota para a loja. O pin também tem a função de location awareness, levando informações qualificadas às pessoas.

2. Facilitando a experiência do consumidor

No momento da busca pela loja ou por uma categoria, as marcas podem aparecer em destaque na busca, com informações qualificadas e em tempo real a respeito do estabelecimento, como horário de funcionamento, por exemplo.

3. Impactando a pessoa em um momento de potencial conversão

O Takeover é um banner que surge quando o carro está totalmente parado. Ele oferece um call to action que pode levar o motorista a diversos tipos de interação. Isso acontece em um momento de grande potencial de conversão: em um trajeto qualquer (alertando para uma loja no caminho, por exemplo), ou antes do consumo, levando ao usuário um anúncio na reta final para direcioná-lo ao local.

4. First look: alta visibilidade em um só dia…

O First Look é semelhante ao Takeover: a diferença é ser o primeiro impacto do dia para os usuários do Waze. O formato fica bloqueado para uma única marca em um único dia, impactando cerca de 1,3 milhão de pessoas, gerando alta visibilidade para a marca.

5. … e re-impactando o consumidor no momento certo

É possível re-impactar usuários que engajaram com o First Look através de um push notification. Assim, quem engajar dessa forma pode ser acionado em um momento estratégico posterior – por exemplo, quando estiver próximo da loja, ou quando chegar em casa, ou algumas horas depois de ter engajado com o anúncio.

6. Loyalty Targeting

Loyalty Targeting possibilita que a marca trabalhe especificamente a fidelização – impactando quem frequentou seu local recentemente (nos últimos 7, 15 ou 30 dias, por exemplo), cross-sell e upsell – impactando quem está a caminho da loja em tempo real, e penetração – impactando quem costuma visitar os concorrentes e não as lojas da marca.

Nesta Black Friday, junte-se ao movimento utilizando Destination Marketing em sua estratégia e torne-se o destino de muitos consumidores.

Fonte: Google

capa-blog-site-juridico

Como o Marketing Jurídico pode ajudar seu escritório de advocacia

Com o advento da internet e do marketing digital, uma série de áreas viu novas possibilidades surgirem no seu radar de técnicas comerciais. Esse é o caso da advocacia e do marketing jurídico.

Neste caso, porém, além das diferenças radicais entre o marketing on-line e o off-line, entre o mercado de hoje e o de duas décadas atrás, temos ainda outra questão em jogo.

Trata-se do Código de Ética da OAB, que veda aos advogados a aplicação da publicidade no sentido mais mercadológico do termo, embora não proíba ações de marketing que tenham cunho mais informativo e de conscientização.

O interessante é que com isso ele restringe o campo de atuação comercial dos advogados e escritórios de advocacia, mas não apenas.

Isso porque também é verdade que aquela parcela da estratégia que é permitida, equivale ao que há de mais promissor na atualidade, que é o marketing de conteúdo.

Portanto, se você quer ficar por dentro de como o marketing jurídico pode ser feito, ajudando um escritório ou profissional liberal a se tornar uma referência em seu mercado, siga conosco até o final da leitura.

O que diz o Código de Ética da OAB?

Embora alguns países de primeiro mundo, como os próprios Estados Unidos da América, não tenham tantas limitações legais quanto à divulgação do trabalho de um advogado, este não é o caso do nosso país.

Contudo, ao contrário do que pode parecer em um primeiro momento, isso não proíbe todo e qualquer tipo de “divulgação” do trabalho. Ou seja, um escritório ou profissional não está fadado a crescer apenas organicamente, no famoso “boca a boca”.

Para entender melhor, vamos ao próprio Código de Ética da OAB, no seu Capítulo IV, intitulado “Da Publicidade”, no artigo 28.

Nele, está descrito que um advogado, ou empresa, pode abordar seus serviços de maneira informativa com “discrição e moderação”.

Pois bem, o debate que isto põe na mesa vai além do campo jurídico: é o das diferenças existentes entre branding, marketing e publicidade.

Adiante iremos compreender um pouco melhor do que se trata o marketing jurídico e essa diferenciação e como isso pode ajudar com que as ações sejam mais assertivas e promissoras.

A importância do branding e do marketing

Quase todo mundo já ouviu falar em publicidade e marketing. Já em branding, nem todo mundo. Além disso, é muito comum usarmos marketing e publicidade como sinônimos, embora em termos técnicos os dois não sejam idênticos.

Então vamos entender melhor esses três termos: o branding, primeiramente, é o processo de criação de uma marca qualquer.

Desde uma grande indústria, até uma empresa que trabalha com motoboy express, ambas precisam definir os seguintes pontos:

  • O seu logotipo e cores;
  • O seu slogan ou tagline;
  • A sua identidade visual;
  • A sua identidade verbal, etc.

Não é preciso estender muito para perceber que um escritório de advocacia também pode/precisa fazer o seu branding. Na sequência vem o papel do marketing.

Peguemos, agora, o caso de um negócio que trabalha com portaria virtual e automação, atendendo demandas como controle de acesso linear.

Após definir sua própria persona (branding) e como ela se coloca no mercado, é hora de entender melhor o próprio mercado e como a marca pode impactá-lo de modo positivo.

Também aqui, o advogado ou escritório de advocacia precisa entender a realidade do seu mercado, as demandas do seu público-alvo, o posicionamento da “concorrência” e assim por diante.

De fato, o marketing jurídico é um dos principais fatores que podem fazer o seu escritório de advocacia deslanchar e atingir resultados incríveis.

Marketing de conteúdo e marketing jurídico

Como vimos acima, a publicidade comercialmente apelativa é o último estágio de uma campanha de marketing, sendo perfeitamente possível fazê-lo sem recorrer à ela.

Também já fizemos uma referência ao termo Marketing de Conteúdo, que é importante pois, nesse contexto todo, ele se torna praticamente um sinônimo de marketing jurídico.

Também chamado de content marketing, o marketing de conteúdo está em todo lugar. Hoje, se uma empresa quiser atrair clientes da área de aluguel de gerador de energia, por exemplo, ela precisa gerar conteúdo.

Os canais mais comuns para isso são:

  • E-mail marketing e newsletters;
  • Blogs, vlogs e canais similares;
  • E-books, infográficos e afins;
  • Webinários, podcasts e lives.

Em suma, os conteúdos criados precisam ser relevantes e distribuídos gratuitamente com uma cadência que crie laços entre as partes.

É exatamente do mesmo modo que o marketing jurídico trará resultados para um escritório ou profissional liberal.

Como ficou claro, o conteúdo gerado vai desde textos mais frios e objetivos, distribuídos entre visitantes desconhecidos da marca, até interações ao vivo, geralmente feitas com foco em contatos que já entraram pelo famoso Funil de Vendas.

Assim, se o escritório desejar tratar sobre a área de empresa de automação residencial, terá de criar conteúdos jurídicos com detalhes sobre esse universo, o que atrairá o tipo de cliente que ele espera.

Vejamos abaixo o que é o famoso funil de vendas e como utilizá-lo para trazer melhores resultados dentro do universo do marketing jurídico.

O funil de vendas e a jornada da compra

O funil de vendas anda lado a lado com o conceito de jornada da compra. Esta, por sua vez, compreende as etapas percorridas por um cliente, que costuma ir desde a situação de ignorância a respeito de um produto/serviço, até a compra efetiva.

Por exemplo, uma pessoa física ou mesmo jurídica pode enfrentar uma série de dificuldades na hora de comprar ou vender um carro, sem saber que algumas agências realizam o famoso laudo pericial veicular, que dá suportes nesse sentido.

Essa pessoa começa sua jornada da compra na fase de descoberta e aprendizado. Ao entrar em contato com o marketing de conteúdo de quem oferta a solução, entra na fase de “Reconhecimento do Problema”.

Na sequência surgem as considerações, como negociações sobre prazo e preços. Enfim, há a decisão ou ato da compra.

Do mesmo modo, se um escritório advocatício quer se especializar na área de laudo avcb, (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros, obrigatório a todos os estabelecimentos do Estado de São Paulo), ele precisa gerar conteúdos nessa área.

O nome que se dá ao contato que percorre as etapas do funil é lead. Ao utilizar os vários canais citados acima, estreitando laços com o seu público e dando suporte gratuito, o profissional da área do Direito irá captar cada vez mais leads.

Com o tempo, além de enriquecer seu banco de contatos e possibilidades, ele poderá trabalhar um tipo de “pós-venda”. 

Assim, irá fidelizar os clientes já conquistados, tornando-os fãs e defensores da marca, isto é, do escritório.

Usando a internet e indo além dela…

Além dos exemplos citados acima, existe outro ponto muito importante. Na verdade são dois pontos: o primeiro, sobre como tornar seus conteúdos mais visíveis na internet. 

Já o segundo é sobre não se esquecer de que ainda há muitas oportunidades fora da esfera digital.

1. Dominando a esfera digital

Qualquer blog ou página criada para promover conteúdos precisará aparecer com destaque na primeira página dos grandes buscadores.

Afinal, eles são, em qualquer segmento que seja, a maior vitrine do mercado. Assim, quando um cliente precisa de algo como instalação de som ambiente, ele vai abrir um motor de busca no celular ou computador e pesquisar por essa palavra-chave.

Certamente, os resultados que estiverem na primeira página terão preferência. O modo de conseguir isso é praticando SEO (Search Engine Optimization, em português: Otimização para Motores de Busca).

Lembrando que, como essa estratégia só diz respeito à relevância e configuração das páginas da internet, ela não fere em nada o Código de Ética da OAB, de modo que cabe perfeitamente nas campanhas de marketing do seu escritório de advocacia.

2. Marcando presença no mercado

A internet, embora fundamental, não detém o monopólio das oportunidades. No caso do Direito, isto é ainda mais verdadeiro. Isso porque, as feiras e congressos que acontecem durante todo o ano são essenciais para qualquer profissional dessa área.

Nesses encontros, promover palestras e expor presencialmente alguns conteúdos de qualidade é um excelente modo de marketing jurídico.

Além dos workshops nichados, se o escritório quer focar na área de projeto de paisagismo residencial, também pode participar de exposições do setor, bem como em qualquer outro no qual deseje angariar clientes.

De fato, há vários recursos de marketing que um escritório de advocacia pode utilizar, com o que ele conseguirá alcançar resultados cada vez melhores.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

capa-blog-site-medico

Saiba como fazer Marketing Médico seguindo os preceitos éticos da profissão

É possível utilizar o marketing médico de maneira eficiente, trazendo resultados para o seu consultório e seguindo os preceitos éticos da sua profissão.

A rotina de grande parte das pessoas conta com acesso à internet de modo simples, fazendo com que smartphones sejam muito utilizados para pesquisar diversos temas e assuntos.

Dessa forma, uma oportunidade para o crescimento de um profissional da área da saúde, bem como a conquista de novos pacientes, pode ser pela utilização da internet e do marketing médico.

Desse modo, quando as pessoas realizam pesquisas para saber se um neurologista trata depressão, ou sobre alguns sintomas que elas possam estar apresentando naquele momento, elas desejam obter conteúdos que possam ajudá-las a entender um quadro e, então, buscar ajuda profissional.

Sendo assim, você precisa garantir a sua presença no mundo virtual, para que seus futuros pacientes possam encontrá-lo e conhecer mais sobre o seu trabalho.

Mas como fazer isso do modo ideal, sem sair da linha ética que a profissão exige? Este artigo traz dicas para aplicar o marketing médico de modo assertivo, garantindo que você consiga obter resultados para o seu consultório.

Quais os desafios dentro do marketing médico?

O marketing médico possui restrições, afinal a profissão envolve informações e procedimentos bastante sérios e importantes.

Não à toa, o CFM (Conselho Federal de Medicina) possui um documento próprio, trazendo diretrizes para que a publicidade do seu consultório esteja dentro dos padrões éticos necessários.

Entre os principais erros cometidos no marketing médico estão:

  • Dizer-se como ‘o melhor’ dentro do seu ramo de atuação;
  • Promover-se como o único capaz de solucionar um problema;
  • Prometer resultados em um determinado procedimento;
  • Diagnosticar ou sugerir tratamentos sem realizar uma consulta;
  • Classificar-se como especialista sem ter um certificado;
  • Entre outros pontos.

O código ético traz regulamentações sobre cada um desses pontos. Eles foram instituídos para evitar uma concorrência injusta e promessas que não podem ser cumpridas, além de diferentes tipos de fraudes.

Sendo assim, é vedado dentro de um anúncio médico dizer-se o melhor ou o mais capacitado para resolver o problema de saúde de um paciente.

Além disso, não é permitido que um médico se caracterize como o único capaz de curar uma doença.

Há também erros envolvendo promessas para um determinado tipo de procedimento. Ou seja, um cirurgião, por exemplo, não pode prometer que um resultado será alcançado e utilizar fotos de antes e depois para afirmar isso.

Na internet, é comum que as pessoas busquem informações sobre vários tipos de sintomas e, por isso, é vedado ao médico diagnosticar ou sugerir medicamentos para tratar uma doença sem realizar uma consulta presencialmente.

Outro erro comum no marketing médico é dizer-se especialista em um determinado segmento sem possuir o diploma. Por isso, é fundamental tratar de assuntos em que você seja certificado para tal, evitando prejuízos para possíveis pacientes.

Ainda existem vários outros elementos que regulamentam o marketing médico, que podem ser consultados na Resolução CFM 1974/11, com o arquivo disponível para download diretamente pelo site do CFM.

Depois de conhecer mais sobre os principais desafios envolvendo os anúncios do marketing médico, conheceremos algumas possibilidades dentro desse tipo de publicidade, para que o seu consultório possa ser visto de modo mais eficiente na internet.

As possibilidades do marketing médico

Assim como uma academia deve divulgar os seus diferentes tipos de exercícios, tal como o treinamento funcional para idosos ou outras aulas para os mais variados públicos, um consultório médico pode se beneficiar do uso do marketing dentro do seu segmento.

Nesse caso, você pode optar por aplicar suas estratégias de marketing em diferentes casos, como no seu site ou blog, nas suas redes sociais ou mesmo por e-mail marketing.

Por isso, você pode investir em artigos de qualidade na sua página, de acordo com a sua especialidade médica.

Um dermatologista, por exemplo, pode desenvolver textos relatando as etapas e o os cuidados posteriores de um preenchimento no rosto, esclarecendo ao público interessado no processo como ele funciona.

Desse modo, o futuro paciente pode avaliar as etapas do procedimento e se programar previamente para uma futura aplicação.

Além do blog/site, é possível investir também nas redes sociais. Essa é, sem dúvida, uma das ferramentas mais utilizadas hoje, dada a facilidade de acesso e o número de usuários ativos nessas plataformas.

Lá, você pode disponibilizar diferentes conteúdos, descrevendo como funciona um preenchimento mandibular e interagindo com seu público, que pode utilizar o espaço para tirar dúvidas ou relatar sobre o procedimento feito na sua clínica.

O e-mail marketing também é uma solução para o marketing médico, já que ele possibilita uma ponte de contato com seus potenciais clientes e com aqueles que já se tornaram pacientes.

Com o envio de e-mails, você pode mostrar um engajamento da sua clínica em promover saúde e bem-estar, enviando conteúdos com dicas de dieta ou de beleza, recomendando algumas sessões de drenagem linfática abdominal, por exemplo, para reduzir inchaços corporais.

Com tudo isso, o seu trabalho ganhará credibilidade e, claro, conquistará mais público interessado no seu serviço.

Estratégias na produção de conteúdos para marketing médico

Depois de entender mais sobre onde aplicar o marketing médico, você deve aprender algumas das principais estratégias para confecção de artigos e textos interessantes para o seu público.

Entre elas, podemos elencar:

  • Produzir um texto com linguagem acessível;
  • Escrever conteúdos claros e diretos;
  • Usar imagens para facilitar o entendimento;
  • Aplicar palavras-chave nas suas postagens.

A linguagem médica, às vezes é um pouco complicada para o público comum, afinal o segmento envolve uma série de termos próprios, que precisam ser adaptados para uma publicação mais acessível.

Ao explicar a necessidade do uso de uma cinta pós cirurgica lipoaspiração, um cirurgião pode abordar o tema partindo do uso de expressões simplificadas, para que os leitores possam entender sobre o assunto.

Por isso, apostar em conteúdos claros e diretos é fundamental para que os seus pacientes leiam o seu artigo e absorvam as informações, tirando dúvidas quando necessário.

Para facilitar nesse processo, você pode investir no uso de imagens ou de vídeos que complementem o assunto, tornando o seu conteúdo muito mais didático para o público.

Um dermatologista particular que queira atuar de modo mais ativo na internet, pode desenvolver uma série de postagens abordando temas de interesse comum, como o cuidado da saúde da pele ou outros pontos.

A utilização de vídeos informativos é uma boa forma de montar esses conteúdos. Dessa forma, mais pessoas serão estimuladas.

Outra dica interessante para as suas publicações médicas pode ser o uso de palavras-chave dentro dos seus textos. 

Isso, porque muitas pessoas realizam pesquisas com expressões simples, que ao serem inseridas dentro do seu conteúdo ajudam no bom posicionamento da sua página na internet.

Um medico acupunturista, por exemplo, pode desenvolver um artigo e aplicar termos como “acupuntura para enxaqueca” ou “dor nas costas e acupuntura”, de modo a alcançar pessoas que buscam soluções para esses problemas.

Com conteúdos bem desenvolvido, é mais provável que o público note o seu consultório ou serviço, agregando mais credibilidade para você.

A importância do marketing médico

Atualmente, o marketing é visto de maneira muito positiva. Isso, porque já não se trata apenas de publicidade, mas sim de levar informações importantes para as pessoas, garantindo que elas sejam beneficiadas de diferentes maneiras.

O marketing médico, nesse sentido, possui uma relevância ainda maior: ele pode ajudar uma pessoa a entender mais sobre problemas de saúde e sobre como resolvê-los de modo acessível.

Por isso, mais do que promover a sua clínica, quando você aposta na confecção de um artigo com informações, você está proporcionando conhecimentos para o seu público, ajudando-os em diversos pontos.

Assim, o marketing médico ganha uma nova característica, possibilitando oferecer melhorias e bem-estar aos seus leitores com poucos minutos de pesquisa.

Afinal, a medicina é uma das áreas mais importantes de atuação, pois ela pode ser responsável por proporcionar aos seus pacientes mais conforto e tranquilidade.

Nesse sentido, conciliar os benefícios do marketing médico para o público e para a sua clínica pode ser uma maneira interessante de obter bons resultados para o seu consultório.

Ao promover bons conteúdos, você pode ser reconhecido como uma autoridade do seu segmento e ganhar um bom número de pacientes devido a isso.

A opinião de um médico especializado pode ser indispensável para um leitor que está buscando mais informações sobre o seu quadro, fazendo com que ele agende uma consulta com você.

Por isso, você deve investir no marketing médico, respeitando os preceitos éticos da profissão e utilizando meios mais práticos de auxiliar o público. 

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

capa-blog-site-bf

Como utilizar redes sociais para se comunicar com o público na Black Friday

A Black Friday é um dos períodos do ano em que o aquecimento do comércio traz um bom número de vendas.

Justamente pela alta demanda de atendimento, as empresas precisam se preparar antecipadamente para oferecer aos seus clientes as informações e o suporte necessário.

Por ser uma época bem próxima do Natal, muitas pessoas aproveitam a ocasião para adiantar as suas compras de fim de ano, garantindo presentes para seus parentes e amigos.

O mesmo acontece para adquirir um produto que precisava, mas que estava adiando. Isso porque a Black Friday foi criada para oferecer grandes descontos, com intuito de esvaziar os estoques das empresas graças ao alto número de compras.

Assim, se você ainda não repôs o seu extintor de incêndio veicular, esse pode ser o momento ideal para, enfim, realizar a compra.

Mas, por ser um período no qual ocorre uma demanda maior por parte do público, muitos empreendimentos sofrem com o aumento de pedidos, já que ela não faz parte da rotina normal do comércio.

É por isso que os empresários buscam meios de minimizar os imprevistos decorrente da época, preparando a sua equipe de vendas e atendimento para dar o suporte necessário.

Usar as redes sociais para essa atividade pode ser fundamental. Isso porque essas plataformas apresentam funcionalidades capazes de auxiliar no atendimento do público de várias maneiras diferentes.

Por isso, este artigo traz dicas de como utilizar as redes sociais para se comunicar com seus clientes na Black Friday, otimizando seus processos e assessorando os consumidores de maneira muito mais prática.

Quais os recursos das redes sociais podem ajudar na Black Friday?

As redes sociais são cada vez mais completas. Elas disponibilizam mecanismos eficientes de comunicação, que podem ser fundamentais para as empresas que desejam ampliar o seu contato com o público.

Sendo assim, nada mais eficiente do que utilizar o seu perfil ou fanpage na Black Friday, garantindo que seus produtos sejam vistos e que seu público seja bem atendido.

Entre os recursos que podem contribuir para uma boa experiência nas redes, podemos elencar:

  • Compartilhamento de conteúdos;
  • Interação por comentários;
  • Atendimento via Messenger;
  • Respostas automáticas (chatbots);
  • Disponibilização do link direto para seu site, etc.

Com esses elementos, certamente o seu atendimento e desempenho durante a Black Friday será bem executado, garantindo a satisfação interna do seu estabelecimento e dos seus clientes.

Compartilhando conteúdos na Black Friday

Para colher bons frutos na Black Friday, a sua empresa precisa investir em anúncios e propagandas.

Isso porque, para o cliente saber que há uma balança digital com impressora em oferta, ele precisa receber a informação, seja por e-mail, pelo seu site ou pelas redes sociais.

Nesse sentido, investir no compartilhamento de conteúdos é sem dúvida a melhor maneira de comunicar ao seu público a existência de diferentes itens em promoção.

Para isso, é indispensável que você efetue postagens bonitas e chamativas, que trarão o engajamento das pessoas, fazendo com que elas queiram comprar com você.

Nesse cenário, você pode apostar nos formatos de imagem ou vídeo, que são os grandes responsáveis por atrair a atenção dos usuários das redes.

Assim, ao postar um vídeo divulgando os seus serviços de impressão em vinil adesivo, em promoção especial na Black Friday, ele certamente será visto pelo público que entrará em contato com a sua empresa para obter informações mais detalhadas sobre ele.

Interação pelos comentários

Se você apostar em bons conteúdos, criando postagens atrativas, certamente elas despertarão o interesse dos seus amigos e seguidores, rendendo um bom número de comentários.

No campo de comentário, é possível estabelecer um contato com o público de maneira bastante interessante.

Isso porque o registro da conversa fica disponível para visualização de todos. Ou seja, pode ser que vários clientes tenham a mesma dúvida. Nesse sentido, a resposta já estará visível para todos.

Além disso, as interações por comentários podem servir para que um cliente mostre a satisfação pela compra de um produto como embalagem de madeira para exportação, servindo como um depoimento sobre a qualidade dos seus itens.

É por isso que, na Black Friday, você deve apostar na comunicação via redes sociais. A demanda por contato com a empresa é crescente e, nessas plataformas, é possível responder aos comentários de maneira mais rápida e objetiva.

Atendimento individual via Messenger

Muitas das redes sociais disponibilizam canais de comunicação privada, para que o público possa se comunicar com um determinado perfil de maneira particular.

Para que esse meio de atendimento seja bastante efetivo na Black Friday, você pode inserir botões para que seus clientes acessem diretamente o comunicador, tirando as dúvidas diretamente com seus funcionários.

Isso facilita tanto no momento da encomenda de grandes quantidades de produtos, tal como no caso de uma empresa que precisa solicitar um pedido de papel toalha para banheiro, quanto no caso de uma compra individual.

Muitas vezes, para tirar uma dúvida após uma compra, o cliente entra em contato com o seu estabelecimento de modo particular, já que é necessário transmitir informações pessoais para realizar uma consulta interna no sistema.

Por isso, a rede social se torna um meio bastante eficiente para o contato durante a Black Friday, permitindo que a comunicação da empresa com os seus clientes possa ser mais simples e efetiva.

Respostas automáticas (chatbots)

Certamente você já entrou em contato com uma empresa em um período após o expediente comercial e obteve uma resposta automática informando que o contato seria retornado assim que possível.

Nesse contexto, as respostas automáticas podem ser uma ferramenta bastante funcional para o seu estabelecimento. Isso porque o chatbot auxilia a manter um contato breve com seus clientes mesmo após o expediente.

Por isso, essa se tornou uma estratégia interessante, seja para acolher um atendimento em períodos ausentes, seja para tirar uma dúvida comum do seu público.

Isso porque, as respostas automáticas são configuradas previamente, esclarecendo as dúvidas mais simples e comuns que o público pode ter, como o endereço de uma loja ou o horário de atendimento.

Além disso, se um cliente quer adquirir um uniforme operacional durante a Black Friday, ele pode entrar em contato com seus atendentes apenas para consultar o valor do envio.

Nesse caso, o chatbot envia uma resposta automática com um link para cálculo do serviço de entrega ou, caso você tenha pacotes fechados de envio, a mensagem enviada pelo robô levará a informação da sua tabela de preços de postagem.

Nesse sentido, talvez seja bastante vantajoso para o seu comércio aplicar o uso de mensagens automáticas não apenas na Black Friday, mas também em outras épocas do ano, facilitando a sua rotina de atendimento.

Levar seus clientes para o seu site pelas redes sociais

Além de ajudar na comunicação de modo muito mais rápido, as redes sociais servem para promover a sua página na internet, garantindo que durante a Black Friday os seus clientes também acessem o seu site.

Em uma determinada postagem sobre modelos de envelope empresarial, você pode disponibilizar um link para a sua página, levando o cliente a acessar o seu site e conhecer as características de cada produto.

Isso estimula a compra do produto e faz com que o cliente conheça o seu catálogo, visualizando os diferentes itens que a sua empresa oferece.

Quando isso acontece nessa época, é muito mais interessante para o negócio, já que as promoções podem ser responsáveis por gerar a venda de vários itens.

Afinal, isso garante que os seus clientes consumam diferentes artigos e, assim, conheçam a qualidade dos seus serviços.

Isso inclui tanto a rapidez no envio, quanto um atendimento completo, seja no momento da compra ou no pós-venda.

Afinal, o tratamento que o cliente recebe depois da entrega do produto diz muito sobre a política de relacionamento com o cliente da sua empresa.

Sendo assim, é de grande importância que o seu estabelecimento crie uma ponte de contato mesmo após a compra de uma ecobag dobrável, por exemplo, perguntando sobre a satisfação que o comprador teve com os seus serviços e com o produto.

Essa estratégia de comunicação é responsável pela fidelização do seu público, já que o cliente se sente importante e valorizado pela empresa.

Por isso, os canais de contato da sua empresa devem ser de fácil acesso, principalmente em épocas como a Black Friday, que demandam uma atenção especial com os compradores.

Assim, você garantirá que o seu público receba informações importantes sobre produtos, entrega e prazos, além de promover um suporte devidamente preparado para ocasiões em que a demanda pelo atendimento é acima da média.

Tudo isso consolida a sua marca no mercado de maneira bastante positiva e faz com que os seus clientes da Black Friday se tornem compradores fiéis.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

capa-blog-site-Recuperado

Marketing de Conteúdo para novos empreendedores

Nos últimos anos a internet tem ganhado cada vez mais importância, não apenas na esfera pessoal da maioria das pessoas do mundo, como também na rotina das empresas e marcas que, por meio de várias estratégias, dependem bastante dela. Inclusive, uma das táticas mais disseminadas na atualidade é justamente a do Marketing de Conteúdo.

Esse tipo de marketing é, na verdade, quase que um conceito, sob o qual se encontram várias modalidades distintas e uma gama enorme de possibilidades, vantagens e benefícios. 

De modo geral, sua maior promessa é a de tornar uma marca referencial em seu segmento, de modo que a empresa se torne uma autoridade no assunto. E tudo sem grandes gastos.

O que é mais interessante é que o marketing de conteúdo pode ser aplicado por qualquer nicho ou formato de negócio. 

De tal modo que é possível constatar casos em que ele traz resultados tanto para quem vende infoprodutos sobre depilação pubiana feminina na internet, por exemplo, quanto para uma indústria química multinacional.0

Portanto, se você quer entender como isso é possível e já começar a desenhar planos que realmente possam mudar seu negócio de patamar, siga adiante na leitura.

O cliente é o novo horizonte da publicidade

O principal ponto a ser compreendido aqui remete a uma mudança que, mais que meramente comercial, é cultural e até sociológica. 

Trata-se do modo como as novas gerações se relacionam com as empresas e marcas, e qual a expectativa delas para os novos formatos da relação de compra e venda.

Até alguns anos atrás o estilo mais praticado de publicidade era o de outbound marketing. Essa estratégia remete ao que se chama prospecção ativa, ou seja, à captação comercialmente apelativa de clientes e compradores.

Nesse formato antigo, uma empresa de detergente para lava louças industrial, por exemplo, só tinha uma escolha: fazer anúncios, panfletos e até comerciais em rádio e televisão explorando as vantagens da sua marca em relação à concorrência, bem como seus presumidos diferenciais em termos de produto e solução.

Ora, hoje em dia a abordagem já não é tão simples. Atualmente o foco não pode se dar apenas no produto, na concorrência ou mesmo na marca que faz a oferta, senão no novo protagonista do marketing de conteúdo: o cliente/comprador.

Isso que vale para produtos de apelo popular, como roupas, calçados, perfumes, alimentação, viagens e afins, vale também para setores mais industriais e nichados. 

Tal como aqueles que lidam com torres de resfriamento e controle de temperatura, por meio de bico aspersor e das demais peças de kits de aspersão e resfriamento.

Em todos esses casos, o que encontramos são clientes antenados em relação aos produtos que consomem e aplicam em suas vidas pessoais ou profissionais; igualmente engajados com os serviços/produtos de que realmente gostam e dependem.

Mais importante do que captar leads e converter clientes, hoje o foco da empresa deve ser o de tornar seus compradores um fã e defensor da marca. Sem isso, o risco de acabar perdendo espaço para a concorrência é cada vez maior.

Quais os principais modos de gerar conteúdo?

Também chamado de content marketing, o marketing de conteúdo vem se popularizando cada vez mais no Brasil, embora em países de primeiro mundo ele já tenha angariado alguns cases incríveis de superação e ampliação de negócios.

Há casos de empresas que começaram do absoluto zero e se tornaram referência nacional no seu segmento, bem como algumas que estavam prestes a fechar as portas, até conhecerem algumas estratégias que as permitiram recomeçar e recuperar seu lugar.

Para tanto, porém, não há fórmulas mágicas. Embora em termos de investimento financeiro o marketing de conteúdo custe bem menos que as modalidades antigas de publicidade e divulgação, é preciso ter e acumular muito conhecimento na área.

Por exemplo, uma indústria de aço e ferro que queira ser uma autoridade quando o assunto for laminados e tubos, barra redonda trefilada, vigas estruturais, aço ressulfurado e afins, certamente precisará dominar e muito o assunto.

Mas não se trata apenas desse tipo de expertise: também é preciso ter a disposição de conhecer melhor o próprio marketing de conteúdo, bem como seus principais conceitos e táticas mais utilizadas, quais sejam:

  • Inbound marketing;
  • Funil de vendas e captação de leads;
  • Conteúdos de blogs e vlogs;
  • Newsletters e e-mail marketing, etc.

Talvez o termo inbound marketing seja até mais popular do que o “marketing de conteúdo”. De fato, nem todo mundo sabe que este último é um conceito mais amplo, que inclui o anterior e o reduz a apenas mais uma de suas possibilidades.

O inbound marketing nada mais é que o marketing de prospecção passiva, em contraposição ao supracitado outbound marketing. 

Ele remete mais à parte prática da geração de conteúdo, ao passo em que o marketing de conteúdo remete a teorias mais abrangentes.

Como captar o máximo possível de leads

Como o content marketing não lida com prospecção ativa, nem se utiliza de apelos comerciais para atrair a atenção de clientes, ele encontra alguns desafios em termos de captação de leads.

Um conceito que ajuda bastante nesse momento é o de funil de vendas. Sem ele seria bem difícil administrar todos os contatos entre visitantes, prospects, suspects, clientes e daí por diante.

Se uma pessoa entra no seu site para ler sobre outorga de poço, por exemplo, ela ainda é um visitante apenas. Então, só se ela decidir deixar seus próprios dados para contato, é que chegará a ser um lead.

Daí a importância do conteúdo: seria preciso explicar, no exemplo dado, como funciona o certificado de outorga para perfuração de poços artesianos, deixando bem claro que você sabe do que está falando.

Ao mesmo tempo, seria preciso deixar algumas lacunas, de modo que o visitante quisesse entender mais, e deixasse os dados para receber novidades por e-mail. É assim que você consegue enriquecer seu banco de leads, dos quais você depende bastante.

Hoje se ouve falar de empresas que conseguem captar centenas ou mesmo milhares de leads com uma única campanha ou conteúdo. Também é aí que entra o papel dos blogs e vlogs, que veremos adiante.

O que os blogs e vlogs representam hoje

Os blogs e vlogs são a essência do marketing de conteúdo, uma vez que são os meios mais eficientes para a veiculação gratuita de informações de qualidade, as quais deverão ser capazes de realmente agregar valor aos leitores.

Em termos de funil de vendas, são eles a porta de entrada para que o visitante se torne um lead e comece a avançar pelas demais etapas. 

Nesses termos um prospect nada mais é que um lead já qualificado, cuja probabilidade de compra aumentou muito. E embora ele ainda não a tenha realizado, é questão de tempo.

A pessoa deixou contato em um artigo a respeito de cossinete manual, por exemplo, após tirar dúvidas sobre condições de pagamento e de entrega. 

Ora, também conhecido como tarraxa, esse produto é bem específico e serve para rosqueamento de máquinas de usinagem/siderurgia, de tal modo que seu visitante sabe exatamente do que precisava.

Se o seu conteúdo já encantou e a pessoa tirou dúvidas técnicas, e bem possível que vá comprar. Mas, caso o valor ou alguma condição se torne um impeditivo real, então ela se torna um suspect: alguém que precisa da sua solução, mas não está no momento ideal.

A diferença do blog para o vlog é que este último tende a atrair mais pessoas. Afinal, vivemos a era das imagens e do elemento visual. 

Hoje as pessoas vivem com o celular nas mãos, conectadas enquanto se locomovem, se alimentam, se exercitam, etc. De tal modo que às vezes é mais fácil consumir um vídeo/áudio, do que um texto.

Entenda o segredo das newsletters

Se os blogs e vlogs são a essência do marketing de conteúdo, em termos de disseminação de material gratuito e de qualidade, as newsletters são a alma da fidelização de clientes e do aumento da carteira de compradores.

Se uma empresa tem os melhores conteúdos digitais sobre ciclone industrial, por exemplo, que são equipamentos industriais voltados para a purificação da água, do ar e até de gases reutilizáveis, é certo que conseguirá cada vez mais leads.

No entanto, embora conquistar clientes novos seja uma boa estratégia, também é preciso trabalhar as taxas de fidelização e retenção de compradores, não é mesmo? Neste caso, é preciso continuar alimentando seus leads, mesmo depois de se tornarem clientes.

O ideal aqui é dividir tudo em dois grupos: os prospects e suspects de um lado, e do outro lado os já convertidos. Se um cliente seu consumiu a solução do revestimento autonivelante, por exemplo, que além de poder ser aplicado direto no contra-piso é uma superfície impermeável e fácil de limpar, você pode continuar instruindo-o sobre isso.

Ao disparar newsletters personalizadas para ele, sobre como manter o brilho, a qualidade e a durabilidade desse tipo de material, certamente ele perceberá que você não é daquele tipo que “só está preocupado na hora da venda”, e passará a indicá-lo.

Com essas táticas e todas as demais mencionadas, certamente você irá extrair do marketing de conteúdo o que ele tem de melhor: o poder de transformar um novo empreendedor em uma empresa de renome e autoridade.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

capa-blog-site-black-friday

Como desenvolver um funil de vendas para Black Friday

Para todos os setores do mercado, a black friday é um grande acontecimento, uma vez que se trata de uma data de grandes oportunidades para atrair clientes, potencializar as vendas e, até mesmo, fidelizar consumidores.

Nesse cenário, também é importante considerar que, embora esteja associada com um dia em diversos países, como no Brasil em que ocorre no final de novembro, de acordo com a aproximação da data, as lojas online e físicas já apresentam grandes descontos.

Essa prática acompanha o nome de “esquenta Black Friday”. Até porque, pela importância da data, é importante que os comércios se preparem e coloquem as ações em andamento.

Naturalmente, em meio às práticas que podem ser adotadas, há grande diversidade, sendo que o funil de vendas é um dos conceitos trabalhados.

Sua visibilidade está associada, essencialmente, com o fato de que representar a jornada de compra do consumidor, por exemplo, desde o primeiro contato com uma marca que realiza impressão adesivo vinil até a solicitação do serviço.

Sendo assim, tem um papel importante para que as táticas mais adequadas sejam inseridas com a proposta de estimular cada pessoa para os próximos passos da jornada.

 No entanto, para compreender a ligação de um funil de vendas com a black friday, é de grande importância ter conhecimento sobre os principais aspectos deste conceito. Confira a seguir.

O funcionamento de um funil de vendas

Naturalmente, para ter a elaboração de uma técnica de forma mais precisa, é crucial entender seu funcionamento e como pode se enquadrar nos objetivos da empresa.

Conforme apresentado, o funil de vendas corresponde a jornada do cliente até o momento da compra, ou seja, indica o nível de maturidade, de acordo com os estágios em que é dividido:

Topo

Esse é o primeiro momento enfrentado pelo indivíduo no processo de compra, em que começa a ter consciência de uma solução, além de um conhecimento mais profundo da necessidade.

Por exemplo, um cliente em potencial de uma empresa que trabalha com revelação de fotos 15×21, que está no topo, naturalmente não está tão preparado para fechar a compra quanto alguém do fundo do funil.

Por essa razão, é muito comum que o topo do funil conte com estratégias que buscam promover informações enriquecedoras para a audiência, viabilizando assim o entendimento mais assertivo da necessidade.

A ideia central é transformar as pessoas do topo em leads, ou seja, em consumidores que, em algum momento, expressaram interesse pelo seu negócio.

Esse interesse, comumente, está associado com a transmissão de dados em troca de algo de valor, como no caso de uma empresa de materiais escolares.

Nessa situação, é possível oferecer itens como um e-book sobre dicas para ter uma mochila escolar personalizada, ou um cadastro na lista de e-mails para receber novidades sobre a empresa.

Meio

Por causa das informações apresentadas, é possível ter consciência de que nesse ponto o lead já tem mais dados e informações.

Então, no meio do funil, é muito comum que existam dúvidas sobre o tipo de solução mais adequada.

O que uma empresa pode fazer neste ponto? Mostrar-se como uma boa solução. É algo que pode ocorrer, principalmente, por meio da continuação do suporte com conteúdos úteis, para que seja cada vez mais qualificado. 

É válido citar que com os materiais certos, pouco a pouco a instituição se torna mais confiável para o consumidor e, consequentemente, constrói uma percepção positiva.

Imagine o investimento em um funil de vendas de uma empresa que atua com comunicação visual.

Ao surgir a obrigatoriedade de fazer impressão de etiquetas adesivas para sua empresa, um consumidor em potencial que está passando pelo funil tem chance de contratá-la.

Fundo

Seguindo o conceito apresentado, no fundo do funil, clientes mais preparados para a concretização de um negócio são encontrados.

É muito comum que os números sejam menores em relação ao topo do funil, justamente pela obtenção de conhecimento sobre a solução necessária para o seu problema.

Após enfrentar os processos apresentados, o lead pode adquirir ofertas ainda mais atrativas, além do contato da equipe de vendas, por exemplo, de uma instituição que comercializa tela de proteção contra insetos.

É nesse ponto em que a empresa deixa ainda mais claro de que pode oferecer a solução ideal.

O que exige atenção para black friday?

O funil de vendas está ligado com o jeito de atrair e vender, mas antes de apresentar sua elaboração para a black friday, outros fatores exigem atenção.

Em primeiro lugar, é fundamental ter consciência de que o que será ofertado deve ser analisado com cautela, principalmente, para atender um maior demanda, o que pode envolver necessidades distintas, de acordo com cada setor.

Por exemplo, entre as questões averiguadas por uma empresa que comercializa itens para eletrônicos, como o álcool isopropílico 1 litro que é usado para higienizar uma série de componentes, estão:

  • Preço;
  • Estoque;
  • Logística;
  • Média da demanda.

Quando todos os detalhes são vistos, fica mais fácil saber qual produto divulgar na epóca em que começarem as promoções.

Naturalmente, esse cenário pode variar muito, em especial, no caso de empresas que oferecem serviços e produtos, como revestimentos e reforma de piso de madeira.

Caso a atividade também seja alvo de desconto, outros aspectos serão considerados, como a viabilidade técnica.

Como o funil é desenvolvido para black friday?

Para que exista um compreendimento claro, é preciso lembrar que todo tipo de estratégia exige planejamento.

No caso do funil de vendas, o conceito está relacionado, essencialmente, com o preparo prévio para alcançar os resultados esperados.

Afinal, é necessário certo tempo para que o cliente em potencial avance pelo funil. No caso da black friday, embora o ciclo de vendas seja distinto do comum, a antecipação é decisiva.

Uma vez que os elementos que receberão desconto foram analisados, é o momento de entender o impacto do funil nesse cenário.

Como as pessoas estão em momentos de compra distintos no funil de vendas, os materiais que envolvem a área de atuação da empresa e o que será ofertado por ela na black friday, devem ser trabalhados de formas divergentes.

Veja algumas das opções que podem ser adotadas por uma empresa que oferece soluções para vidros, mas vale lembrar que são práticas interessantes para diversos setores, tais como:

Primeiro estágio 

No começo do funil é fundamental apostar em materiais que atraiam os clientes em potencial, o que pode ser realizado com posts enriquecedores e otimizados com as técnicas SEO (Search Engine Optimization), para obter uma maior visibilidade.

Por exemplo, uma pessoa que se incomoda com a luminosidade pode ter consciência da importância da película para vidro de janela por meio de um conteúdo para o topo do funil.

As plataformas podem apresentar estímulos mais sutis das ofertas da empresa, uma vez que o cliente ainda está em fase de descoberta.

Segundo estágio

Uma vez que o meio corresponde a quando a solução já é mais conhecida, mas ainda existe dúvida predominantemente em relação a qual empresa recorrer, é possível oferecer materiais com soluções mais personalizadas, a partir de dados obtidos na captação de leads.

Isso se deve ao fato de que, nesse caso, pode surgir ainda mais interesse sobre conteúdos da área e sobre quais empresas irão oferecer soluções com preços vantajosos na black friday.

Ademais, o e-mail marketing é um dos recursos que, juntamente com o blog e redes sociais, apresenta grande poder de envolvimento, podendo contribuir, até mesmo, com o compartilhamento das ofertas.

Inclusive, materiais sobre o início da black friday e sobre os produtos imperdíveis para a data, podem ser utilizados para a continuação do processo. 

Terceiro estágio

Já no fundo, por ser o momento em que pesquisas são realizadas sobre com qual empresa fechar negócio, o preço é um fator muito relevante, por isso ofertas podem ser apresentadas. 

Entre os exemplos, pode-se citar anúncios, banners e conteúdos com frete grátis na aquisição de um produto para limpeza de vidro, ou desconto progressivo.

Para alcançar as pessoas no momento certo e com o conteúdo que seja capaz de resultar em uma venda, é fundamental não apenas projetar a lista de itens que serão oferecidos no funil, como também conhecer as pessoas que possuem um maior potencial para a aquisição.

Sendo assim, pode-se perceber que a estratégia de marketing pautada no funil de vendas só será coerente para a black friday, caso exista conhecimento de mercado e do público.

Afinal, o perfil do funil segue a mesma estrutura de desenvolvimento, mas os materiais e as pessoas que recebem podem ser distintos, pois nesse caso reativar alguns contatos também pode ser interessante.

Por essa razão, além priorizar materiais que superem as expectativas para esse período, é crucial preocupar-se com um preparo adequado.

É importante considerar que a marca poderá ser mais conhecida e, até mesmo, poderá realizar a fidelização de parte dos consumidores em potencial.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

capa-blog-site-email-mkt

Saiba como usar o e-mail marketing na comunicação interna de sua empresa

A comunicação interna é parte integrante de um bom ambiente corporativo. Sem ela, certamente grande parte da sua estrutura interna é prejudicada, pois os funcionários representam um dos pilares mais importantes de qualquer negócio.

Toda empresa precisa contratar novas pessoas, que farão parte do seu quadro de colaboradores. Esse processo normalmente é feito em etapas, para que tanto o interessado quanto a empresa possam se conhecer previamente e identificar sinergia entre as partes.

Depois dessa etapa, com a aprovação do interessado, essa pessoa passa a fazer parte da sua equipe. Ou seja, ela faz parte da sua empresa, e será um dos envolvidos no processo de fazer com que o seu negócio prospere.

Para manter uma equipe sempre alinhada, uma empresa precisa investir em diversos elementos, que tornam o seu engajamento sempre presente.

E um desses elementos é a comunicação interna. Quantas pessoas conhecemos que estão insatisfeitas com os seus ambientes de trabalho por não se sentirem parte do negócio?

É muito comum verificar essa situação em locais que não prezam por uma parceria com seus colaboradores. Por isso, é preciso valorizá-los e garantir que eles estejam sempre informados sobre os processos internos.

Para entendermos melhor esse cenário, é preciso conhecer alguns pontos essenciais, como veremos no decorrer deste artigo.

O que é a comunicação interna de uma empresa?

A comunicação interna é o elemento principal de interação entre toda a equipe empresarial, ou seja, ela permite que uma informação chegue a todos funcionários de maneira adequada.

Podemos dizer que a comunicação interna tem dois níveis principais: entre funcionários do mesmo patamar e entre chefes de uma seção e seus subordinados, que podem levar vários tipos de informações entre os diferentes níveis hierárquicos da empresa.

Essas informações podem tratar de vários temas, tais como:

  • Valores institucionais da empresa;
  • Feedbacks sobre o trabalho;
  • Reuniões de alinhamento;
  • Estabelecimento de novas metas;
  • Treinamentos e cursos.

Os valores institucionais de uma empresa ajudam o funcionário a se situar dentro do estabelecimento, seguindo a filosofia de trabalho do local.

Assim, uma empresa que oferece os serviços de georreferenciamento com drone, por exemplo, que preza por um atendimento personalizado, rápido e eficiente precisa passar essa mesma cultura para os seus colaboradores.

Os feedbacks também são importantes dentro da rotina de um negócio. Eles podem ser utilizados para chamar a atenção de um funcionário de modo individual, ajudando-o a corrigir uma pequena falha, ou ainda como elogio, mostrando reconhecimento.

As reuniões de alinhamento fazem parte de qualquer local de trabalho, pois é preciso que todos os colaboradores sigam uma mesma linha e busquem pelo mesmo objetivo internamente. 

Assim, uma empresa de manutenção em cabine primária, por exemplo, pode reunir a sua equipe e estabelecer novos parâmetros de atendimento, que prezem pela segurança e qualidade dos serviços.

Há ainda o momento para a implementação de novas metas, que deve reunir todos os departamentos de uma empresa, alinhando todo o quadro de funcionários para atingir melhores resultados.

Além disso, uma empresa também deve investir em treinamentos e cursos para os seus funcionários, apostando em uma melhor qualificação profissional, que prepara a equipe para aprimorar o atendimento da empresa.

Todos esses elementos fazem parte de uma boa comunicação interna, que é parte essencial da rotina de empresas que se preocupam com seus funcionários.

A importância de uma boa comunicação interna

A comunicação interna tem grande importância para a estrutura de um estabelecimento, principalmente, porque ela oferece meios de organizar o local adequadamente, criando uma rotina mais propícia ao bom relacionamento entre funcionários e gerentes.

Além disso, quando uma boa comunicação é estabelecida, ela faz com que os colaboradores se sintam valorizados, e permaneçam engajados, vestindo a camisa da empresa. Uma boa comunicação também aumenta a produtividade. 

Funcionários que trabalham juntos na montagem de um centro de usinagem horizontal, por exemplo, são capazes de entregar um bom serviço de maneira muito mais eficiente por estarem alinhados e trabalhando em equipe.

Quando os funcionários se relacionam de maneira harmoniosa, eles ainda contribuem para a recepção de novos colaboradores, fazendo com que a adaptação de uma nova pessoa à empresa seja muito mais tranquila.

Essas são apenas algumas das principais vantagens que a comunicação interna traz para um estabelecimento, tornando-a assim de extrema importância.

E-mail marketing e estratégias de comunicação

Entre as principais estratégias de comunicação interna dentro de uma empresa, é possível elencar:

  • Interação mais próxima com seus funcionários;
  • Ouvir as queixas os funcionários;
  • Investir em momentos de descontração;
  • Oferecer bonificações e reconhecer méritos;
  • Investir em canais de comunicação.

Todas essas podem ser muito mais efetivas se praticadas via e-mail marketing.

E-mail marketing e interação

Com o uso do e-mail marketing, uma empresa pode facilmente enviar informações relevantes sobre vários tipos de assunto.

Ele pode ser usado para comunicar o acontecimento de uma nova reforma, que alterará parte da rotina de funcionamento do local.

Por exemplo, por causa de uma caçamba estacionária para entulho que estará presente em uma determinada área da empresa; ou mesmo para informar sobre a troca de uniformes dos funcionários.

Essa comunicação interna é responsável, muitas vezes, por diminuir o número de comentários negativos dentro do estabelecimento, já que todos os funcionários estarão informados sobre pontos que alteram os hábitos da empresa.

E-mail marketing para coletar feedback dos funcionários

A opinião dos funcionários deve ser sempre solicitada, de modo a compor uma comunicação mais eficiente dentro da empresa.

Para isso, existe um formulário, chamado de pesquisa de clima organizacional, que pode ser enviado por e-mail marketing para todos os colaboradores a fim de coletar feedbacks e opiniões a respeito do funcionamento geral da empresa.

Essa pesquisa tem um papel de grande importância na comunicação interna do local, pois permite ouvir queixas e sugestões que podem ser essenciais para melhorar a rotina do estabelecimento.

Um funcionário pode, por meio dessa pesquisa, sugerir que seja implementado o uso de empilhadeira de grande porte, por exemplo, para facilitar a rotina de armazenamento da empresa, otimizando processos e organizando o estabelecimento de maneira mais rápida.

Isso porque a pesquisa enviada por e-mail marketing tende a deixar os funcionários mais à vontade para comentar sobre pontos importantes, fazendo diferença no ambiente de trabalho.

E-mail marketing, descontração e novidades

O e-mail marketing também pode ser uma ferramenta de descontração interna. 

Ele pode conter um convite para um momento de lazer coletivo no local, ou o envio de fotos de algum evento interno da empresa, fazendo com que os funcionários interajam de maneira mais amigável e alegre ao relembrar algumas dessas situações.

Além disso, um e-mail marketing pode ser um entregador de boas notícias. 

Ele pode levar ao conhecimento dos funcionários que novos equipamentos estão sendo implementados, tal como um termo anemômetro, que estava sendo solicitado há meses, mas ainda não tinha sido adquirido.

Desse modo, todos os colaboradores são informados sobre benefícios que facilitam a rotina de trabalho, o que gera animação na equipe como um todo.

E-mail marketing e reconhecimento

O e-mail marketing pode ser utilizado para agradecimentos coletivos e reconhecimento de méritos dos funcionários.

Isso torna a equipe muito mais produtiva e engajada, já que elogiar um trabalho bem-feito faz parte de um ambiente corporativo harmonioso.

Nesse caso, se um cliente que solicitou o serviço de solda em aço inox, por exemplo, enviou algum contato de agradecimento para a empresa, ele pode ser repassado para a equipe, que ficará mais animada com a informação.

Além disso, reconhecimentos podem ainda ser motivo de bonificações. Por isso, um e-mail marketing que comunica esse tipo de assunto é muito bem recebido pelo quadro de funcionários.

E-mail marketing e outros canais de comunicação

O e-mail marketing deve ser visto como uma ótima ferramenta de comunicação.

Ele pode ser bastante eficiente para que uma empresa comunique aos seus funcionários sobre qualquer informação importante, de maneira rápida e objetiva.

Mas, o e-mail marketing também pode ser utilizado em conjunto com outros canais de comunicação, tal como os murais de recados convencionais, pequenos panfletos ou cartazes disponibilizados no estabelecimento.

Nesses casos, a unificação dos meios de comunicação torna mais eficiente a divulgação de um curso ou de uma palestra fornecida pela empresa, que será responsável por melhorar o local de trabalho.

Ou mesmo para informar sobre o procedimento interno que ocorrerá em uma determinada data da empresa, para que o laudo AVCB corpo de bombeiros seja emitido para a estrutura do estabelecimento.

E até mesmo para informar sobre festas e outros eventos interessantes para todo o quadro de funcionários da empresa, de modo que eles possam se organizar para comparecer à ocasião.

Por esses motivos, o e-mail marketing se mostra como um elemento fundamental na comunicação interna da instituição, sendo responsável por auxiliar na transmissão de informações importantes e por patrocinar um ambiente interno muito mais agradável.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

capa-blog-iot

Internet das Coisas: possibilidades para o Marketing Digital

A Internet das Coisas, também conhecida como Internet of Thing (IoT), em inglês, é um conceito relativamente novo, que remete à revolução tecnológica, com o avanço da própria internet e dos dispositivos móveis de conexão. 

Sendo assim, o termo refere-se a rede conectada, mas não somente aos acessórios habituais como tablets e smartphones, mas sim a todo e qualquer equipamento que atua como servidor.

De modo simples, a Internet das Coisas pode ser definida como a comunicação entre os objetos físicos que permanecem conectados e a sua interação com o usuário, por meio de sensores inteligentes e softwares de transmissão de dados em redes. 

Dessa forma, é possível pensar na Internet das Coisas como um grande sistema nervoso, que realiza a troca de informações.

Já imaginou como um sistema de despoeiramento totalmente integrado e conectado com a internet pode otimizar sua rotina?

Isso porque esse equipamento envia dados sobre a quantidade de poeira em um determinado local, diretamente para o seu celular. Esse é um exemplo simples da aplicação da Internet das Coisas.

Mais ainda, considere as geladeiras inteligentes, que te avisam se algo está faltando na sua lista de compras, o total de consumo de energia e permite que você controle a temperatura do equipamento por meio do smartphone.

São muitas as possibilidades de inovação tecnológica da IoT, principalmente em relação ao sentido de interação homem x máquina.

Por esse motivo, a Internet das Coisas é considerada um dos últimos e mais avançados estágios de integração online. 

Como era de se esperar, o marketing digital não pode ficar de fora.

Nesse contexto, é notável como as empresas e setores comerciais se beneficiam da IoT.

Isso ocorre não somente para a divulgação de um produto serviço ou marca, mas para acompanhar as novas maneiras de relacionamento humano; já que atualmente elas são atravessadas pelos dispositivos móveis e pelo ambiente virtual.

Para se ter uma ideia, quase 30% das empresas já fazem uso do feedback de dados obtidos com a Internet das Coisas em campanhas de marketing digital. 

Nesse cenário, uma das principais vantagens está no alcance significativo do ROI (Retorno sobre Investimento).

Isso ocorre porque as informações coletadas permitem criar um perfil inteligente dos potenciais clientes, o que auxilia no desenvolvimento de estratégias ainda mais assertivas e objetivas.

Diante disso, conheça agora as possibilidades que a Internet das Coisas traz para o marketing digital e as diversas formas de aproveitá-las.

Big Data

Como mencionamos anteriormente, a Internet das Coisas é uma fonte extraordinária de dados no qual é possível obter informações relevantes a respeito dos usuários e dos potenciais clientes. 

Além disso, os dispositivos que estão conectados à rede de internet estão o tempo todo emitindo, recebendo, trocando e cruzando dados, sendo possível ter informações mais precisas a cada dia.

Com isso, ao desenvolver uma estratégia de marketing digital para a venda de equipamentos para academia, por exemplo, é possível conhecer quem são os usuários que mais buscam por esses produtos.

Do mesmo modo, ainda é possível identificar onde esses clientes estão localizados, quais conteúdos consomem, bem como demais informações que regem as maneiras de apresentar a mercadoria no ambiente online.

No entanto, é preciso lidar com o problema da grande quantidade de dados gerada por esses dispositivos. Ou seja, as empresas devem descobrir formas de armazenar, rastrear e analisar o uso das informações, por meio da chamada “análise de Big Data”. 

Nesse contexto, a Internet das Coisas também pode ajudar, pois ela facilita a organização de informações, acelerando o processo de armazenamento de dados.

Experiência do usuário

Devido à grande quantidade de dados disponíveis, é possível criar um conteúdo altamente personalizado e melhorar a experiência do usuário. 

Desse modo, é possível identificar os problemas dos potenciais clientes e oferecer soluções rápidas e eficientes. Imagine que um usuário está procurando como realizar a instalação de painel solar.

Por meio da Internet das Coisas, a empresa pode oferecer um software integrado à rede de energia elétrica para demonstrar se o procedimento foi bem executado ou se é preciso realizar a manutenção dos painéis.

Além disso, mais do que oferecer uma instalação completa, a empresa também pode armazenar o dado do cliente e oferecer novas soluções, como uma instalação elétrica externa, para diminuir ainda mais o consumo energético das concessionárias.

A interação entre a empresa e o usuário será muito mais próxima com a Internet das Coisas e, como consequência, a satisfação dos clientes será imediata. 

Isso quer dizer que os feedbacks e os problemas reportados pelos clientes terão um impacto rápido na linha de produção, demonstrando se alguns aspectos agradam ou desagradam os usuários. 

Desse modo, é possível definir as especificações do produto e/ou serviço, de acordo com a experiência do cliente.

Ofertas exclusivas

Além disso, a conexão com dispositivos móveis e equipamentos poderá oferecer possibilidades na divulgação de propagandas, especialmente de produtos serviços que são indispensáveis para os usuários.

Nesse cenário, é possível que com o avanço e a constante aplicação da IoT itens como as já mencionadas geladeiras inteligentes, que anunciam o item que está faltando, traga também ofertas exclusivas para os clientes sobre esses alimentos.

Do mesmo modo, seria possível que, em uma situação em que a caixa de entrada de energia precisa de manutenção, as instalações inteligentes poderiam avisar o usuário sobre:

  • Qual o melhor serviço a ser feito;
  • Quando realizar a manutenção;
  • Situação em que as peças se encontram;
  • Qual o cômodo exige maior atenção;
  • Ofertas de peças para a manutenção dos equipamentos.

Envio de problemas diretamente para a empresa

A Internet das Coisas permite a transmissão de dados diretamente para a empresa. 

Assim, suponha que um equipamento, como uma lava louça de bancada inteligente apresentou defeito de fabricação. Ao invés do cliente entrar em contato, o próprio equipamento envia informações para o fabricante, requerendo a troca ou manutenção.

A vantagem está na facilidade e na comodidade para os clientes, que não têm dor de cabeça ao comprar um item defeituoso. 

A certeza da troca ou reparo também é garantida, uma vez que o equipamento irá armazenar todos os dados referentes ao defeito. 

O mesmo vale para a garantia de um serviço, como de limpeza de ar condicionado de janela, por exemplo.

Preocupação com o meio ambiente

A sustentabilidade deixou de ser algo abstrato para entrar como norteador em grande parte das estratégias de marketing. 

Hoje, as pessoas estão cada vez mais preocupadas com o meio ambiente e tendem a adquirir produtos de menor impacto à natureza e que promovam o desenvolvimento sustentável.

Nesse sentido, a Internet das Coisas pode ajudar a desenvolver ações que respeitam a natureza e que agridam pouco o meio ambiente. 

No entanto, para que tudo isso funcione, é preciso uma grande infraestrutura das empresas com os usuários.

Um exemplo consiste em que a Internet das Coisas pode realizar a demonstração de como uma iluminação para piscina LED é, além de mais eficiente, menos prejudicial ao meio ambiente.

Isso ocorre porque o consumo de eletricidade desse item é menor em comparação com lâmpadas tradicionais.

Além disso, o sistema de iluminação pode conter um software integrado e inteligente, que permite o desligamento automático das lâmpadas.

Assim, ao mesmo tempo em que se protege o meio ambiente, há a economia para o próprio usuário.

Incita a imaginação

A Internet das Coisas também oferece muitas opções para os usuários brincarem com a imaginação.

Com programas de realidade virtual e aumentada, por exemplo, é possível visualizar várias modificações e inúmeras possibilidades.

Para se ter uma ideia, o marketing digital pode se aproveitar disso ao oferecer diferentes cenários para o cliente, nos quais ele possa ver as vantagens em adquirir um determinado produto e/ou serviço.

Um exemplo dessa possibilidade seriam as previsões e encaixe de móveis dentro de um cômodo.

Parece coisa de ficção científica. Mas, de fato, a Internet das Coisas está modificando muitas das estruturas tradicionais de compra e venda, além das maneiras como enxergamos o mundo ao nosso redor.

Por essa razão, as empresas investem cada vez mais em softwares inteligentes, em programas de simulação e outros acessórios que permitem incitar a imaginação dos clientes. Como consequência, elas conseguem influenciar nas decisões de compra. 

Afinal, as chances de venda de um produto ou serviço com excelência comprovada são muito maiores do que uma mercadoria ou atividade desconhecida.

Questão da segurança

A Internet das Coisas é o futuro. No entanto, ainda há grande preocupação em relação à segurança, especialmente pelo grande tráfego de informações e dados nos dispositivos móveis e equipamentos online.

Em 2016, uma botnet (rede de computadores-zumbis, que foram invadidos e controlados por hackers) capturou uma série de dados e dispositivos da IoT. 

Isso ocorreu porque muitos usuários não se preocupavam em mudar a senha de seus equipamentos inteligentes, usando a mesma para todos os utensílios.

Portanto, é preciso sim ter cuidado com os dispositivos, as senhas e as informações fornecidas por meio da Internet das Coisas. 

Apesar disso, é certo que não há como fugir da inovação e da revolução tecnológica. 

Com isso, logo mais a IoT será comum em nossas vidas, passando a integrar até mesmo as atividades de rotina.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

capa-blog-site-omnichannel

A Era do Marketing Omnichannel

Marketing Omnichannel é um conceito referente à integração de todos os canais de comunicação e venda de uma marca, tendo como centro de todas as ações o cliente.

Ao destrinchar as origens do termo, “ommi” vem do latim “omne” e significa “tudo”, enquanto “channel”, traduzido do inglês tem sentido de “canal”. 

Essa estratégia faz muito sentido atualmente, porque vai ao encontro da era do marketing 4.0, que tem como princípio o foco no consumidor e no ato de proporcionar uma experiência de consumo que atenda às expectativas.

Uma empresa que preza pela uniformidade nos canais de venda online e offline consegue adotar um padrão de atendimento, contando com mais chances de evitar falhas. 

Com isso, a experiência do cliente pode ser melhor, sendo que há estudos sobre a consistência da mensagem e alinhamento da comunicação, que comprovam os benefícios da integração dos canais.

Nas próximas linhas, você vai aprender um pouco mais sobre esse conceito na prática. Esperamos que as dicas sejam úteis na hora de implantar essa estratégia no seu negócio.

Marketing Omnichannel: uma tendência

Você já parou para pensar na importância de uma comunicação alinhada no seu negócio? 

Vamos imaginar o exemplo a seguir: um pet shop completo que oferece serviços de banho, tosa, leva e traz para os pets e atua com franquias. 

A empresa em questão, conta com um site e aplicativo, onde o usuário pode agendar os serviços. Agora, digamos que cada loja apresenta suas limitações, e uma delas não fornece o pacote disponível no site, contando apenas com serviços diferenciados.

Claramente, há um ruído na comunicação desses dois pontos, dessa forma, caso não haja uma integração do atendimento da loja física com os serviços do site, a chance de um cliente ficar insatisfeito ou se sentir enganado é muito maior.

Por isso que o Omnichannel é uma tendência, aliás, uma tática necessária para toda empresa que deseja proporcionar serviços melhores aos seus consumidores.

Por causa da tecnologia, o relacionamento mudou. Isso não quer dizer que o atendimento personalizado, caloroso e o boca a boca tenham morrido, mas sim, que hoje, um cliente com uma experiência positiva ou negativa consegue ampliar sua voz por meio da internet.

Não importa se o seu empreendimento se trata de um pet shop ou uma funilaria rápida que atua em rede, e é especializada no reparo da lataria amassada de veículos.

Falar a mesma língua em todos os estabelecimentos transmite credibilidade, segurança e facilita a vida do cliente, que não se perde nas informações desconexas ou conflitantes.

Neste sentido, o marketing, conhecido como omnichannel, se destaca porque essa estratégia é bastante centrada no cliente, permitindo uma jornada de compra satisfatória, com benefícios como:

  • Redução de problemas nas compras, independentemente do canal;
  • Melhorias no relacionamento com os clientes;
  • Qualidade na gestão dos canais de relacionamento com o cliente;
  • Maior sinergia da marca;
  • Incentivo à uma experiência de compra tranquila.

Como implantar estratégias Omnichannel na sua marca?

Alinhamento é a palavra-chave para implantar essa estratégia na sua marca. Vamos abordar algumas situações que funcionam melhor com a integração dos canais, para que você entenda esse conceito na prática.

1. Centro de Saúde

Um centro de saúde, terapias holísticas e medicina alternativa oferece sessões de acupuntura para enxaqueca. 

Há franquias nos centros, sendo assim, para agendar o tratamento, o paciente pode usar o app ou o site.

Digamos que o paciente não consegue comparecer a um centro perto de casa por conta de um imprevisto, mas está perto de outro espaço credenciado. Por causa do sistema integrado, é possível trocar o lugar da consulta na hora e pessoalmente, sem problemas.

Esse é um bom exemplo de comunicação integrada. Além disso, os benefícios na situação abordada são claros:

  • O cliente não perde tempo;
  • A logística do sistema é integrada;
  • O problema do paciente é resolvido na hora;
  • A integração dos canais facilita uma boa experiência.

2. Locação de impressora

Vamos supor que uma loja tem como atividade principal a locação de impressora para eventos.

A reserva da impressora pode ser feita online, juntamente com o pagamento, mas a retirada deve ser presencial.

Se a loja física tem mais de uma filial, o cliente consegue alugar o equipamento no ambiente virtual e pode retirá-lo em qualquer loja física, isso significa que há uma boa integração dos canais.

3. Academia

Uma academia oferece um serviço diferenciado para quem decide treinar. Ao pagar a mensalidade todo mês, o cliente pode treinar onde e quando quiser, em qualquer unidade. 

Vamos supor que um casal de idosos resolva tirar férias e ir viajar, porém ambos fazem treinamento funcional para terceira idade, e ficam com medo de pagar a taxa do mês e não utilizar.

Com esse sistema, esse problema está resolvido, pois eles podem treinar em qualquer cidade que tenha a academia.

Esse benefício é interessante não só para quem faz esse tipo de treinamento, mas para todas as pessoas que não querem perder o investimento na mensalidade quando há outras possibilidades.

Dicas para integração de canais

Além dos exemplos citados no tópico anterior, é importante fazer um planejamento estratégico para desenvolver ações omnichannel dentro da sua empresa.

A integração de canais não se limita apenas a conectar o sistema de vendas no mundo online e offline, já que a primeira etapa para mudança é conectar as áreas da empresa entre si.

O setor de vendas das lojas físicas não podem competir com o setor virtual, mas sim, ter uma sinergia na qual os objetivos gerais dos dois canais se voltam às boas experiências do cliente. 

Lembre-se: um cliente satisfeito, provavelmente, será um porta-voz da sua marca em algum momento.

Para facilitar a adesão dessa estratégia no seu negócio, separamos algumas dicas. Veja a seguir!

Promova a integração das áreas da empresa

Na hora de divulgar um serviço, como a locação de projetor e telão para escolas e cursos de qualificação, por exemplo, é importante lembrar que essa tarefa não é uma exclusividade do setor de marketing.

Para um atendimento que supera as expectativas da persona do seu negócio, é interessante que a área de vendas tenha algum tipo de conexão com o setor de atendimento, suporte e pós-vendas.

Dessa forma, o marketing é um setor que promove campanhas mais alinhadas e personalizadas, com base em informações acordadas coletivamente.

O foco da nova era do marketing é sempre o cliente. Não importa se o atendimento se trata de um elogio, uma troca ou uma reclamação, os setores precisam se comunicar entre si para atender o público com o máximo de qualidade e profissionalismo.

Foque na experiência do cliente

Vamos imaginar uma empresa especializada em manutenção automobilística. Na hora de vender, trocar, transferir ou comprar outro veículo, o cliente precisa assegurar que o desempenho físico, mecânico e estético do automóvel estão em perfeitas condições, certo?

A inspeção cautelar veicular serve para isso, sendo que quando há uma boa manutenção, do início ao fim, a experiência do cliente será ótima. 

Se a sua empresa se preocupa não só com o atendimento, visando também a facilidade de entrega, com o possível conserto, com a qualidade de serviços e consegue certificar que todos os setores da instituição trabalham em sintonia, a experiência do cliente será melhor

Monitore a qualidade dos processos

Vamos imaginar que um centro estético de massagem em moema oferece tratamentos relaxantes no local, além de fazer a venda de óleos, cremes e produtos pela internet.

Para uma boa experiência de consumo, vários fatores são considerados: velocidade de carregamento do site, forma de pagamento disponível, taxa de frete, tempo de entrega, qualidade do produto e do atendimento.

Monitorar as taxas de satisfação do cliente, rastrear a entrega das mercadorias e realizar pesquisas de satisfação dos clientes, são formas de garantir qualidade da estratégia e mapear como os canais podem se encaixar na estratégia omnichannel.

Por que rever a sua estratégia?

Uma estratégia de marketing não exclui a outra quando o objetivo é promover melhorias no atendimento do cliente e elevar as taxas de satisfação. 

Há vários métodos, dessa forma, você pode usar mais de um, sempre de acordo com o segmento do seu negócio, os objetivos e o comportamento do público.

No entanto, o marketing omnichannel está se destacando, porque, hoje, comodidade, facilidade e agilidade na hora da empresa resolver problemas, propor soluções e facilitar a vida dos clientes são necessidades fundamentais.

Ao investir nesse tipo de estratégia, você pode aumentar a competitividade no mercado, melhorar a gestão do negócio e a integração dos times internos que trabalham em prol dos mesmos objetivos e metas.

Agora que você sabe um pouco mais sobre esse conceito, é hora de rever as estratégias. Que tal um diagnóstico das oportunidades e dificuldades da sua empresa? Pense nisso! Nossos especialistas em canais omnichannel podem ajudá-los a implementar essa jornada!

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.