office-1209640_1280

Como uma consultoria de comunicação empresarial pode ajudar seu e-commerce

Um e-commerce é um modelo de negócios que cresceu muito nos últimos anos, e a tendência é que cresça ainda mais.

As compras pela internet, além de facilitarem a vida das pessoas, também colaboram em períodos como este que estamos vivendo agora, em plena pandemia.

As pessoas precisam continuar comprando, não só para atenderem as suas necessidades, mas também para manter a economia aquecida. 

Por isso, as lojas on-line agora são mais importantes do que nunca.

E assim como qualquer outro negócio, um e-commerce precisa investir em comunicação, tanto entre seus colaboradores, como com seus clientes.

Por conta da mudança no comportamento do consumidor moderno, provocada pelo uso constante da internet, a comunicação é de mão dupla. 

Ou seja, tanto a marca como o cliente precisam falar, e este último quer ser ouvido.

Sendo assim, é importante que as empresas de todos os tipos, desde e-commerce até as mais tradicionais, saibam se comunicar adequadamente. E, muitas vezes, isso exige uma intervenção profissional.

Neste artigo, vamos explicar um pouco mais sobre o que é consultoria em comunicação empresarial, e a sua importância para os negócios.

O que é consultoria em comunicação empresarial?

A consultoria em comunicação empresarial é um auxílio profissional que busca encontrar falhas e propor melhorias na comunicação de uma empresa.

Com isso, ela melhora a comunicação e a mão de obra, e provoca um impacto positivo no público-alvo da marca. 

Ela pode ser usada por diversos tipos de empresa, como uma clínica de depilação a laser intima.

Para entender a importância dessa consultoria, é importante entender a importância da comunicação empresarial.

O que é comunicação empresarial?

A comunicação empresarial é uma estratégia voltada a promoção da imagem de uma empresa, e também uma maneira de fazê-la alcançar seus objetivos junto ao público.

Quando a empresa estabelece uma boa comunicação, ela consegue conectar clientes e colaboradores, de acordo com sua missão e valores.

Portanto, a comunicação empresarial pode ser considerada como a voz do negócio. E o discurso precisa ser bem planejado para a empresa se posicionar bem no mercado.

Vantagens da consultoria em comunicação empresarial

Plataformas e-commerce, assim como uma clínica de endoscopia digestiva baixa, precisam de uma boa comunicação, para ter acesso as suas vantagens. E dentre as principais estão:

1 – Melhora da imagem da empresa

O setor de relações públicas é dedicado a melhorar a imagem da empresa. Afinal, sua área de atuação no mercado consiste em ter contato com a mídia e diversos meios de comunicação.

Uma consultoria em comunicação empresarial garante uma boa reputação para a empresa, o que permite que ela conquiste a confiança de todos os que estão envolvidos com ela, como:

  • Clientes;
  • Colaboradores;
  • Fornecedores;
  • Investidores;
  • Governo;
  • Comunidade.

Tendo como base uma imagem de autoridade e credibilidade, novas oportunidades de negócio surgem, destacando a empresa em seu ramo de atuação.

2 – Profissionais engajados

Se uma organização consegue estabelecer uma boa comunicação com seus colaboradores, sua produtividade aumenta consideravelmente.

Uma boa comunicação promove transparência, o que motiva os profissionais a participarem da construção do sucesso do negócio.

3 – Bom clima organizacional

Outra vantagem da consultoria em comunicação empresarial é a melhoria no clima organizacional. 

E isso é possível para todo tipos de empresa, como uma clínica de consultas veterinárias.

Isso porque os esforços da consultoria refletem positivamente no humor, percepções e sentimentos dos colaboradores, o que os torna mais satisfeitos.

4 – Canais de comunicação abertos

Quando os canais de comunicação são abertos dentro de uma organização, ela se torna um ambiente fértil para a inovação. E isso se reflete nos consumidores também.

Isso porque, profissionais que são constantemente ouvidos, tendem a oferecer o melhor de si em seu trabalho. 

Como consequência, o consumidor tem acesso a um produto ou serviço com muito mais qualidade.

Como uma consultoria em comunicação empresarial pode ajudar?

As plataformas e-commerce precisam conservar uma boa comunicação com seus consumidores, afinal, refere-se a um modelo de negócios que pode vender produtos e serviços, como aluguel de maquina de fumaça.

Por isso, o cliente tem a necessidade de manter uma boa comunicação para se sentir seguro e fechar negócio. 

E mesmo sendo 100% on-line, a maiorias das lojas virtuais contam com alguns colaboradores para funcionar adequadamente.

Nesse caso, a consultoria pode ajudar de diversas maneiras, como:

1 – Melhorar a agilidade

Na internet, o fluxo de comunicação é rápido e em grande quantidade. Além disso, apesar de as pessoas estarem sempre em busca de informações, sua rotina é muito corrida.

Por isso, a comunicação dos negócios on-line precisa ser extremamente ágil. 

A consultoria agiliza oportunidades, e faz com que elas cheguem a todos os colaboradores da organização.

Para isso, elas trabalham com tecnologia, como as plataformas de comunicação corporativas.

2 – Interatividade

Uma empresa de locação de utensílios para festa faz uso de tecnologias como as redes sociais e, obviamente, as plataformas e-commerce também. 

Aliás, é por meio delas que esse modelo de negócio chega até boa parte de seus consumidores.

A consultoria em comunicação auxilia essas lojas virtuais em como elas devem se comunicar nesses canais, bem como a implantação de aplicativos que tornam a comunicação ainda mais aberta.

3 – Mobilidade

Por falar em aplicativos, o uso de smartphones para acessar a internet é algo cada vez mais corriqueiro entre os usuários. 

Por isso, é fundamental que os negócios e-commerce invistam com comunicação para dispositivos móveis.

Além do uso de aplicativos, é importante optar por sites responsivos. Isso porque as pessoas não esperam mais chegar em casa para acessar à internet e comprar o que precisam.

Por exemplo, se uma pessoa procura por buffet de casamento para 100 pessoas e encontra um site que permite a reserva pelo celular, ela não vai pensar duas vezes.

No entanto, se essa pessoa procurar por outro produto e o site não for adaptável ao seu aparelho móvel, ela vai desistir da compra.

Os sites responsivos permitem que as pessoas acessem seus conteúdos onde estiverem, pode meio de aparelhos como tablets e smartphones.

Uma boa consultoria orienta quanto à necessidade de optar por esse tipo de site, para que bons negócios não sejam perdidos.

4 – Capilaridade

Uma boa consultoria em comunicação também está focada quanto à capilaridade. Trata-se de um conceito fundamental para a comunicação empresarial, para que um público cada vez mais amplo seja atingido.

Aliás, ela também orienta e apresenta medidas para que as mensagens cheguem da mesma maneira, tanto para os colaboradores, quanto para os clientes.

Essa é a coerência de informações, e ela é crucial para evitar mal-entendidos que afetam a produtividade dos negócios e a clientela.

5 – Engajamento

Manter um público engajado é importante para qualquer modelo de negócio, desde um e-commerce que ofereça produtos importados, até oficinas mecânicas para resolver problemas como carro rangendo.

A consultoria em comunicação oferece soluções como o uso de estratégias de marketing digital que promovam esse engajamento, bem como as maneiras de fazer isso.

Além disso, para muitas empresas, o engajamento também é importante entre seus colaboradores. 

Quando eles estão engajados são mais motivados. Por isso, oferecem ideias que ampliam o patrimônio intelectual da empresa.

6 – Monitoramento de resultados

O principal objetivo de uma boa comunicação entre marcas e consumidores é atingir um resultado promissor. Mas para que isso seja possível, é necessário monitorar essa comunicação.

Por isso, a consultoria auxilia quanto à ferramentas que uma plataforma e-commerce pode usar para saber quem acessa seus conteúdos, as informações que seus colaboradores têm acesso, e de que maneira e em que momento isso acontece.

7 – Aumento da transparência

Os consumidores modernos estão sempre atentos, e não importa o que eles precisam comprar. 

Desde a compra de itens básicos do dia a dia, até locação de fliperamas, as pessoas querem fazer negócio com empresas sinceras e autênticas.

Portanto, a consultoria faz da transparência uma identidade da comunicação para uma plataforma e-commerce, que precisa ainda mais conquistar a confiança do consumidor.

Além disso, ela também é importante entre os colaboradores do negócio, independentemente de eles trabalharem na rua ou em um escritório.

Tudo porque, atualmente, aquela velha postura de tentar encobrir erros e problemas já faz parte do passado. A meta é tentar evitá-los e oferecer o melhor para consumidores e colaboradores.

Mas se mesmo assim eles aparecerem, a consultoria orienta quanto a maneiras de compartilhar a real situação com todos. 

Isso permite encontrar uma solução efetiva, sem ocultar informações.

Conclusão

Quando se fala em comunicação empresarial, ela está voltada tanto a colaboradores, quanto aos clientes, pois todos fazem parte da empresa. E o mesmo acontece com os negócios e-commerce.

Mais do que qualquer outro, eles precisam se comunicar para se fazerem presentes na vida dos consumidores, conquistando os clientes, bem como sua confiança. E a melhor maneira de fazer isso é estabelecendo uma boa comunicação.  

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

photob

Saiba como um e-commerce pode fazer lives no Instagram e aumentar seu alcance

O Instagram foi um dos aplicativos que mais cresceu nos últimos anos, com mais de 1 bilhão de usuários ativos. 

Esse número demonstra o potencial da plataforma, tendo um aumento de 5% por trimestre, um percentual maior do que o Whatsapp, com um crescimento de 1% ao ano.

No Brasil, o Instagram aparece como o aplicativo de maior engajamento dos usuários. 

Pesquisas mostram que cerca de 37% dos usuários passam pelo menos uma hora por dia na rede, ou quase 650 horas mensais.

Não é à toa que o Brasil ocupa o segundo lugar no ranking entre os países com maior tempo gasto nas redes sociais, perdendo apenas para as Filipinas.

Por esse motivo, várias empresas, e-commerces e lojas virtuais têm usado a rede como parte da estratégia de marketing.

Hoje em dia, podemos achar praticamente qualquer negócio no Instagram. Por exemplo, uma foto de mini salgados assados em perfis de padarias ou de buffet para festas, dentre outros empreendimentos, como lojas de roupas, prestadores de serviço, etc.

Além do mais, não são somente as postagens do feed que são atrativas. 

Desde 2016, com a inclusão do recurso do Stories e a possibilidade de fazer lives no Instagram, o aplicativo tem recebido cada vez mais usuários e interações.

Cerca de 500 milhões de usuários acessam o Instagram Stories diariamente. Dos conteúdos divulgados, mais de um terço foi criado por empresas.

Entre os recursos do Stories, destacam-se as lives, que são vídeos ao vivo que aumentam a participação do público com o seu perfil – o que é extremamente vantajoso para os negócios.

Mas como um e-commerce pode fazer lives no Instagram e aumentar o seu alcance? 

O post de hoje vai falar mais sobre isso, e dar dicas de como produzir um vídeo ao vivo de sucesso.

Então, fique por dentro e acompanhe a leitura!

Por que fazer lives no Instagram?

A live, ou Instagram Live, é um recurso dentro do Stories, que permite a criação de transmissões ao vivo. 

Em 2017, o recurso ganhou ainda mais uma funcionalidade, em que é possível convidar os amigos e espectadores para participar do vídeo no formato hangout.

Depois que a transmissão termina, é possível compartilhar o vídeo no Stories, disponibilizando o conteúdo por até 24 horas, ou então, descartá-lo.

As possibilidades de uso das lives são inúmeras, como por exemplo, uma entrevista ao vivo com farmacêuticos sobre manipulação de medicamentos, um bate-papo descontraído entre pessoas, e até mesmo shows completos podem ser transmitidos.

Por conta disso, muitos e-commerces, bem como empresas de todos os nichos, têm usado a live para ações de marketing, já que elas aumentam a proximidade com o público e permitem uma interação mais direta.

Além disso, por ser um vídeo, as transmissões ao vivo alcançam um grande engajamento, com 21,2% a mais de interações do público, em comparação com o uso de imagens no Instagram.

Por isso, diante de tamanha preferência, os conteúdos audiovisuais e as transmissões ao vivo têm um enorme poder de alcance, para que as empresas possam divulgar o seu conteúdo para mais pessoas e, ao mesmo tempo, aproximar os seguidores.

No entanto, o interesse do público não é o único motivo pelo qual as lives são populares. Abaixo, veja outras vantagens do conteúdo.

Aumento na geração de leads

Ter um grande número de seguidores e uma alta taxa de visualização, não são suficientes para que o seu negócio alcance um número positivo em vendas e tenha impactos reais com ações de marketing. Para isso, é necessário que parte da audiência se transforme em potenciais clientes, o que leva à conversão em consumidores.

Ou seja, um estabelecimento de banho e tosa leva e traz, precisa ter uma porcentagem significativa de leads, para que se possa nutrí-los e, desse modo, fechar o negócio.

No Instagram, as lives podem atuar como uma excelente ferramenta para geração de potenciais clientes.

Isso porque, por conta do caráter instantâneo das transmissões ao vivo, alguns usuários buscam as lives justamente para encontrar links rápidos. 

Dessa maneira, você pode construir uma landing page capaz de capturar esses usuários e convertê-los em leads.

Maior compartilhamento orgânico

Imagine que você está gravando um tutorial de como fazer a troca de óleo motor do seu veículo. 

Esse conteúdo pode ser muito interessante, visto que muitas pessoas têm dúvidas de como fazer o serviço, que é essencial para a manutenção de automóveis.

 

Isso significa que a sua transmissão possui um grande potencial de compartilhamento orgânico, natural, pois os próprios seguidores podem convidar novas pessoas para assistir.

Como consequência do compartilhamento orgânico, a sua empresa:

  • Aumenta o número de seguidores;
  • Passa a ter reconhecimento no mercado.
  • Melhora o relacionamento com o público;
  • Espalha o conteúdo sem investimento publicitário.

Por esse motivo, crescer organicamente, isto é, sem o patrocínio de nenhum anúncio, é um dos principais objetivos do marketing digital para empresas e e-commerces.

4 dicas para uma live de sucesso no Instagram

Assim como qualquer estratégia em marketing, as lives no Instagram também requerem um planejamento, para que os resultados sejam positivos.

Afinal de contas, se a intenção é fazer uma live de tutorial sobre como instalar um vidro blindado automotivo, é necessário pensar nos aspectos de gravação, horário, conteúdo, entre outros.

Para te ajudar a fazer lives de sucesso no Instagram e aumentar o alcance do seu e-commerce, separamos algumas dicas. Confira!

1 – Crie um roteiro do conteúdo

Antes de tudo, você precisa saber ao certo sobre o quê quer gravar, bem como quais serão os conteúdos abordados na sua live.

Imagine começar gravando uma transmissão ao vivo sobre como funciona um ultrassom veterinário com doppler e, de repente, dar aquele branco?

Além de ser algo incômodo, isso pode prejudicar a estratégia, fazendo com que a sua marca perca seguidores, ao invés de melhorar o engajamento.

Mesmo que você se sinta confortável em falar sobre o assunto, é necessário roteirizar o que será dito para evitar falhas, e também garantir a máxima eficiência de transmissão, passando realmente a informação completa aos seus seguidores.

Claro que, devido à própria essência do Instagram, por ser uma rede social mais versátil, e pela live ser uma transmissão ao vivo, não é preciso seguir um script rigoroso e totalmente formal. Porém, o roteiro servirá como uma espécie de “guia”.

2 – Prepare o cenário

Um dos pontos determinantes para o sucesso da sua transmissão ao vivo é o cenário, pois ele dará o contexto de todo o tema.

Por exemplo, ao falar de uma bola de pilates 65, pode ser interessante gravar a live dentro de um estúdio de pilates, como uma forma de criar uma proximidade com o público e estabelecer uma linguagem adequada.

No entanto, é importante destacar que um cenário todo decorado pode prejudicar o conteúdo, bem como um local vazio. 

Por isso, é necessário buscar um equilíbrio, com elementos agradáveis aos olhos e que ajudem a compor um bom visual.

3 – Teste a sua câmera e o som do celular

As lives do Instagram são feitas diretamente do aparelho celular, com recursos do dispositivo. 

Muito por conta disso, nem sempre a qualidade de imagem é 100%, já que nem todos os celulares possuem câmeras de alta qualidade.

Contudo, é fundamental fazer um teste de imagem e som antes de iniciar a transmissão ao vivo. 

Mesmo que a câmera do seu celular não seja das melhores, veja se ela realmente está funcionando e se o som está audível para os seguidores.

Garanta que o seu dispositivo não apresente nenhum ruído de imagem e som. Além disso, uma boa iluminação pode ajudar a melhorar a visualização do conteúdo.

4 – Tenha interação com os usuários

Um dos grandes diferenciais das transmissões ao vivo é o alto poder de engajamento. 

Mas as empresas podem fazer com que a interação seja explorada ao máximo, não esperando somente que ela ocorra de maneira natural.

 

Assim, como realizador da live, é importante que você faça comentários que estimulem a participação do público, tirando dúvidas, pedindo opiniões, etc.

 

Por exemplo, em uma transmissão sobre aluguel de tendas para casamento, você pode pedir aos participantes que mandem perguntas sobre o serviço, referente à valores, tamanhos das estruturas, entre outros pontos.

É importante que a audiência não perca o interesse no engajamento. Por isso, sempre que possível, responda aos comentários deixados pelo público.

Um modo de fazer isso é ler em voz alta o que os seguidores enviaram, e responder durante a transmissão.

Conclusão

A live do Instagram pode ser um recurso muito atrativo para os e-commerces e empresas de todos os tipos. 

Além de oferecer conteúdo audiovisual com potencial de engajamento do público, as transmissões ao vivo também promovem um relacionamento mais próximo com os seguidores.

Desse modo, é possível construir uma fidelização maior com a audiência e, como consequência, ter resultados altamente positivos, como o aumento da visibilidade, e até mesmo, das vendas.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

e-commerce-online-shopping-internet-purchases-conc-PFHRY5Ealt

Pandemia de coronavírus: é a hora de investir sua energia no e-commerce

O coronavírus está transformando os hábitos de consumo. Pessoas que nunca haviam feito uma compra online agora estão acessando e comprando de lojas virtuais. A perspectiva era de que o e-commerce duplicasse seu crescimento em 5 anos mas, diante da quarentena, a previsão deste aumento é de 12 meses.

Empresas que pensavam ainda não ser necessário vender online despertaram para uma nova realidade. Diante disso, temos algumas dicas para quem deseja finalmente iniciar seu e-commerce. Estamos há 11 anos no mercado, com nosso conhecimento e experiência, desenvolvemos uma metodologia para auxiliar os empreendedores na atuação no mercado digital.

A metodologia que verá a seguir é o BOPI (Base do Negócio, Oferta, Público e Marketing e Impulsão).

Passo 1: base do negócio

Para vender online é importante que sua empresa esteja constituída legalmente, tenha um CNPJ. A logo é essencial também, e deve representar a identidade do seu produto. Além disso, você precisa ter um domínio, seu endereço na web. O domínio pode ser registrado no RegistroBr. Aconselho ter o registro .com.br e o registro .com.

É muito importante a integração com um ERP (sistema de gestão) para a emissão da nota fiscal, e auxílio no controle financeiro, controle de estoque e controle de vendas. Outro aspecto é a definição dos meios de envio que, inicialmente, pode ser realizado pelos Correios. Nesse quesito, é importante que a plataforma faça o cálculo automático do frete.

Nesta etapa também devem ser definidos os meios de pagamento. O ideal é ter um gateway de pagamento. Ele contribui com a segurança e melhor experiência de compra para o seu cliente, que pode optar pelo pagamento via boleto ou cartão de todas as bandeiras. Também é importante vincular as redes sociais com a sua página: Instagram, Facebook e WhatsApp, por exemplo. Ter um chat disponível é outro diferencial.

Assim, você deve escolher uma plataforma que atenda os aspectos citados acima para a melhor experiência do seu cliente. Isso levará o cliente a comprar de você, assim como fidelizá-lo à sua loja.

Passo 2: a oferta

Aqui vem a pergunta: o que você vai vender? Mesmo que você venda mais de um produto, é importante ter definido aquele que é o produto principal, que soluciona a dor do seu cliente — o produto estrela.

Tenha bem claro se o seu produto é adquirido por impulso ou por necessidade, pois esta definição irá impactar diretamente a sua comunicação com o público alvo.

O modo como o produto é cadastrado fará toda a diferença — e neste caso o SEO é rei! O que é SEO? SEO significa Search Engine Optimization (otimização para mecanismos de busca). É um conjunto de técnicas de otimização para sites, blogs e páginas na web. Essas otimizações visam alcançar bons rankings orgânicos, gerando tráfego e autoridade para um site ou blog.

Passo 3: público

Para quem você irá vender? Quem são suas personas? Público-alvo e persona não têm o mesmo significado. A principal diferença entre os dois é que o público-alvo apresenta informações de forma bem mais ampla e geral, enquanto a persona consiste em detalhes mais específicos, formando assim seu cliente ideal.

Para excelentes resultados no passo seguinte, que é a impulsão, você precisa conhecer muito bem o seu público: o que ele pensa, sente, ouve, vê, fala e faz, dores e ganhos. (mapa da empatia)

Este conhecimento é bem importante para realizar as campanhas de marketing e segmentar o público na impulsão — campanhas pagas.

Passo 4: impulsão

Neste passo estão: Facebook Ads, Google Ads, Instagram, e-mail marketing, recuperação de carrinho abandonado, venda em marketplaces, entre outros.

Quem já tem um e-commerce deve focar nos passos 2, 3 e 4 para vender cada vez mais. Seguindo esta metodologia, estamos falando de um processo de aquisição de clientes: previsível, escalável e lucrativo.

Quando trazemos o conceito onffline, o offline gera receita e o online gera lucro (+ de 70% das compras nas lojas físicas começam na internet). Diante da realidade que a quarentena nos impôs, com restrições para vendas nas lojas físicas, o online é a melhor opção.

Seu e-commerce pode salvar a sua loja física. Trabalhe muito a sua presença digital também no Google, nas redes sociais… Esteja onde o seu cliente lhe procurar. Quando tudo voltar à normalidade, que não será tão normal assim, pois os hábitos de consumo terão se transformado, você conseguirá se destacar cada vez mais no mercado que atua.

Fonte: e-commerce Brasil
Autor: Josele Delazeri de Oliveira

pexels-photo-607812

Como fazer a melhor gestão de mídias sociais para seu e-commerce

Se você é um empresário que entende a importância da internet para que o seu negócio cresça, certamente já possui páginas ou perfis de mídias sociais ativos para a sua empresa. 

Que as redes sociais se tornaram ferramentas essenciais para que um estabelecimento ganhe visibilidade e seja encontrado mais facilmente pelo público, disso ninguém duvida. 

É cada vez mais comum que as pessoas possuam um smartphone com um pacote dados para acessar a internet, permitindo que elas conversem com seus amigos e parentes, façam pesquisas sobre qualquer assunto ou adquiram produtos e serviços por meio do dispositivo. 

Ter facilidade para navegar no mundo virtual e buscar informações sobre uma depilação a laser no rosto, por exemplo, é simples e prático, e ajuda um usuário a encontrar o que ele está procurando, em qualquer lugar que esteja. 

Isso quer dizer que essas pessoas vão encontrar diversos estabelecimentos na internet, e aquele que tiver mais visibilidade, garantindo a sua presença nas redes sociais, certamente vai conquistar novos clientes de modo mais eficiente do que outros que não estejam. 

Ou seja, ter um perfil ativo nas plataformas sociais é a maneira mais eficiente de ter um contato maior com o público e, assim, fazer com que a marca seja vista, permitindo que os consumidores encontrem o negócio na internet. 

Mas, tão importante quanto ter uma página nas principais redes, é gerenciar cada uma delas adequadamente. 

Por isso, este artigo traz dicas importantes sobre como fazer uma gestão eficiente das suas mídias sociais, garantindo o sucesso do seu e-commerce. 

Quer saber mais? Então siga na leitura deste conteúdo. 

A importância das redes sociais para e-commerces

Ter um e-commerce é o desejo de muitos empresários. Oferecer um site apropriado para vender vela de ignição, ou qualquer outro produto, pode ser um meio eficaz para aumentar os resultados de um negócio. 

Porém, para que os clientes cheguem até o seu site, é preciso que eles tomem conhecimento sobre a sua plataforma na internet, o que pede ações de divulgação. 

Sem dúvida, investir em anúncios na web e produzir campanhas de e-mail marketing, são ferramentas indispensáveis para impulsionar um e-commerce, mas as redes sociais são importantes para quem quer ser visto pelo seu público-alvo. 

Atualmente, é possível criar uma conta em várias redes sociais, sendo as mais conhecidas do momento:

  • Instagram;
  • Facebook;
  • YouTube;
  • LinkedIn;
  • WhatsApp;
  • Entre outras.

Se uma empresa de casting para eventos possui perfis ou páginas ativas nessas plataformas, o número de pessoas que tomam conhecimento sobre a sua atuação no mercado é cada vez maior. 

Afinal, a quantidade de usuários que essas redes possuem cresce continuamente, o que vai influenciar diretamente na visibilidade do negócio. 

Isso significa que um e-commerce pode ser muito mais conhecido se você divulgá-lo nas redes sociais, fazendo com que os usuários e seguidores que utilizam essas plataformas saibam da existência do seu negócio de modo simples e recorrente. 

E para conseguir uma boa divulgação nas mídias sociais, é indispensável que se gerencie adequadamente cada um dos perfis, pois a forma de atuar nesses espaços é o que garante a assertividade na publicidade da sua loja virtual. 

Por que gerenciar as redes sociais?

Se você é dono de uma clínica veterinária em campinas, e deseja que as pessoas que residam próximo ao endereço do seu estabelecimento conheçam sobre o seu trabalho, as redes sociais podem ser a maneira mais prática para fazer isso. 

Esse trabalho envolve conhecimento das principais ferramentas oferecidas por essas plataformas, permitindo ações de marketing digital estratégicas, que podem proporcionar resultados efetivos na divulgação do negócio. 

Por isso, uma melhor gestão de mídias sociais é a forma eficaz de tornar o seu e-commerce conhecido na internet, e garantir que o público-alvo da empresa seja impactado, gerando vendas e lucros cada vez melhores.

Mas, é importante frisar que gerenciar um perfil na rede social exige conhecimento da área. 

Afinal, criar campanhas de marketing assertivas implica em ter uma equipe preparada para promover um serviço. 

Como o de acupuntura para cachorro, por exemplo, depende de uma série de fatores, que vão desde o uso de boas imagens, até uma linguagem mais adequada.

Com as redes sociais, o processo é o mesmo: é preciso identificar o público-alvo do seu e-commerce e fazer com que a maneira de se comunicar com essas pessoas seja objetiva e clara, no momento certo, e com estratégias eficazes.

Nesse sentido, talvez seja interessante contar com o auxílio de um profissional que entenda de gerenciamento de mídias sociais e consiga administrar a sua página de maneira eficiente e com ações direcionadas. 

Isso porque, se uma clínica de saúde quer promover os seus serviços, divulgando um exame de vulvoscopia, ela precisará utilizar técnicas apropriadas para isso. 

Ou seja, ela deverá direcionar o seu anúncio para mulheres, utilizando uma linguagem apropriada. 

Também é indispensável conhecer o perfil de usuários de uma determinada rede. 

Afinal, ao promover exames de diagnóstico, é preciso entender em quais mídias sociais eles podem ter maiores resultados. 

Enquanto o Instagram é uma plataforma voltada para a postagem de fotos e de textos curtos, o LinkedIn é uma rede que prioriza os contatos profissionais, e assim por diante. 

Desse modo, é possível perceber que a atuação de um profissional habilitado para o gerenciamento de redes pode ser a melhor maneira de garantir a assertividade das suas ações nas mídias sociais. 

O que deve ser priorizado no gerenciamento de mídias para um e-commerce?

Depois de entender a importância de gerenciar as suas páginas nas redes sociais, é fundamental conhecer as características que devem ser priorizadas na atuação da sua loja virtual, dentro dessas plataformas de comunicação. 

Isso porque é possível realizar várias ações nas mídias sociais, tais como:

  • Postagens de conteúdos diversos;
  • Interação com o público por comentários;
  • Compartilhamento de publicações;
  • Envio de mensagens privadas;
  • Publicação de anúncios patrocinados;
  • Entre outros.

Todas essas atividades devem ser feitas de maneira estratégica, para que tragam efeitos positivos para os seus perfis. 

Para que elas surtam o efeito desejado na divulgação de um estabelecimento especializado em produção de salgados para festa assados, por exemplo, é essencial levar em conta alguns elementos importantes do marketing digital. 

1 – Identificação do público-alvo do negócio

Uma das principais maneiras de gerenciar as redes sociais adequadamente é identificar o seu público-alvo.

Isso é importante para entender qual é a linguagem apropriada para utilizar nas suas postagens, assim como para saber qual das redes sociais faz mais sentido para o seu e-commerce. 

Essas informações também vão determinar os assuntos que serão abordados nas suas publicações, já que elas devem oferecer conteúdos de qualidade para os seguidores do perfil. 

Além disso, ao conhecer o público-alvo do seu negócio, pode-se utilizar os anúncios para a promoção da sua plataforma, configurando-os da maneira ideal, fazendo assim com que eles atinjam as pessoas certas.

2 – Produção de conteúdo e engajamento com os seguidores

Um bom gerenciamento de redes prioriza a postagem de bons conteúdos, assim como a interação com o público que acompanha a página. 

Isso porque uma das maneiras mais produtivas de conquistar a atenção do público atualmente, é por meio de postagens interessantes, que agregam maior valor para os leitores e, assim, conferem uma maior autoridade para a marca. 

Além disso, as redes sociais possibilitam um contato próximo com o público da sua empresa. 

Sendo assim, é indispensável utilizar os campos de comentários ou o chat privado, para interagir com os usuários dos seus perfis nas redes sociais. 

Essa é uma maneira eficiente de criar laços com os seguidores, e utilizar essas oportunidades para falar mais sobre o seu negócio e sobre seus produtos, ajudando na divulgação do e-commerce.

3 – Acompanhamento de métricas e resultados

Uma vez que uma loja virtual que vende produtos para clínicas especializadas em limpeza pele profunda deseja saber sobre como anda a sua atividade nas redes sociais, ela precisará acompanhar as métricas relacionadas ao seu perfil. 

As métricas apresentam informações detalhadas sobre quantas pessoas visualizaram uma postagem, sobre as impressões e o engajamento dos seguidores, mostrando assim, quais das publicações trouxeram resultados efetivos.

Elas também ajudam a entender a necessidade de adaptação de conteúdos, pois permitem saber quais temas interessam mais aos usuários das redes sociais. 

Como esses dados podem ser muito técnicos para algumas pessoas, é preciso contar com  ajuda de um profissional habilitado em gestão de redes, para que a assertividade das campanhas e postagens realizadas nessas plataformas tragam os efeitos desejados. 

Nesse cenário, é possível perceber que uma melhor gestão das redes sociais influencia diretamente no sucesso do perfil ou página da empresa. 

Por isso, ao contar com esse tipo de serviço, o seu e-commerce será beneficiado, conquistando novos clientes e alcançando os potenciais compradores da sua loja virtual.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

fashion-P3HV33M2

Após coronavírus, pesquisa mostra crescimento das compras online de Moda

A pandemia do coronavírus vem deixando clara a diferença entre as marcas de Varejo preocupadas com a experiência do cliente e aquelas que agora precisam correr atrás da digitalização — e acelerar um movimento que vinha sendo adiado desde o fim do século passado.

Com lojas fechadas, obviamente todos terão algum impacto negativo. Mas quem apostou antes e foi pioneiro na transformação digital agora está em uma posição privilegiada. Está conseguindo manter o relacionamento com consumidores, que também passam a reconhecer mais essa diferença.

Setor de Moda em crescimento

Prova disso é o levantamento que mostra que os consumidores brasileiros não estão comprando apenas alimentos e remédios na internet durante a quarentena. O segmento de Moda — que inclui as categorias de Vestuário, Acessórios e Calçados — teve crescimento de 48,9% em março deste ano em relação ao mesmo mês de 2019.

Isso deixou ainda mais clara a perda de eficiência do marketing de massa, com estratégias de broadcast que impactam as pessoas com mensagens genéricas. Ganham mais força as ações segmentadas de relacionamento, que realmente são centradas no consumidor.

O comportamento do consumidor brasileiro de Moda

O dado é da Pesquisa “Impactos do Covid-19 no Comportamento do Consumidor Brasileiro de Moda”, realizada pela Dito CRM. Foram analisadas 731 mil compras, que totalizaram cerca R$ 200 milhões. O estudo englobou apenas varejistas de marca própria com presença on e offline há mais de 2 anos. Juntos eles possuem cerca de 2.500 lojas físicas, que estão todas fechadas neste momento.

Receita

Volume

Em volume de vendas, o crescimento observado em março foi um pouco menor, de 37,7%, na comparação com o mesmo mês de 2019. O aumento expressivo da receita e do volume de vendas no e-commerce reflete a migração de consumidores do mundo físico para as lojas virtuais.

Ticket médio

As vendas do segmento de Moda vêm crescendo nos últimos anos e março conta com uma data sazonal que vem ganhando mais importância, o Dia do Consumidor (15/3). Mesmo assim, o resultado do mês ficou muito acima da média. Com ações agressivas para enfrentar o fechamento das lojas físicas, principalmente na segunda quinzena, o ticket médio apresentou queda de 0,3%.

As marcas que se destacaram na migração de seus consumidores para o e-commerce tiveram um ponto em comum: o aproveitamento das vendedoras das lojas físicas — que estão atuando remotamente no contato com sua base de clientes. Elas são fundamentais para esta migração do offline para o online, ajudando as consumidoras como consultoras digitais.

Varejo: um prestador de serviços

O medo do Coronavírus revela, assim, a fronteira entre as empresas que enxergam mais longe com base em seu propósito e aquelas que olham apenas para o curto prazo. Essas, ainda olham muito para dentro e não compreenderam que o Varejo é um grande prestador de serviço à população.

Talvez seja tarde para algumas marcas que ainda não tinham começado o movimento de mudança de eixo. No entanto, se continuarem ignorando as necessidades do consumidor, é certo que vão sofrer uma “seleção natural” — e infelizmente acabarão extintas, deixando apenas uma lição do que não deve ser feito.

Fonte: e-commerce Brasil

 

photo-1543185377-99cd16011803b

Como fazer vídeos para YouTube pode alavancar seu e-commerce

O YouTube é uma das redes sociais que mais cresce no mundo, presente em mais de 90 países e com 1,9 bilhões de usuários ativos mensalmente, o que equivale a quase um terço dos usuários da internet.

Além disso, o YouTube é considerado o maior mecanismo de busca do mundo e o segundo site com maior tráfego, perdendo apenas para o Google. Os usuários da rede assistem, coletivamente, mais de 46.000 anos de vídeos.

No Brasil, essa realidade não é diferente: o YouTube levou o país ao segundo lugar mundial em horas assistidas, com 95% da população brasileira online na plataforma de vídeos. 

Diante desse cenário, não é de se espantar que a rede social fosse usada como ferramenta de marketing.

De acordo com dados, o site possui uma grande relevância e influência sobre o consumo atual. 

Aliás, 80% dos consumidores de marca consideram a importância de um anúncio em vídeo, que seja divertido e entretenha, enquanto 79% ressaltam a necessidade de tutoriais e 75%, uma maneira de aprender sobre o assunto.

Ou seja, hoje em dia, muitas pessoas procuram por produtos e serviços no YouTube, com o intuito de saber mais. Assim, um oftalmologista para cães, por exemplo, pode usar o canal para informar sobre o seu trabalho e a necessidade da consulta para animais domésticos.

Muito disso, deve-se à própria mudança no comportamento do consumidor, ocasionada pela internet, que pede novas formas de conteúdo e novos materiais de divulgação. Nesse sentido, o YouTube pode ser um grande aliado para o marketing digital.

Mas como fazer vídeos para YouTube pode alavancar o seu e-commerce? O artigo de hoje irá responder a essa questão e destacar a importância da plataforma para a promoção de produtos e serviços.

Afinal de contas, por que fazer Marketing no YouTube?

O marketing no YouTube é uma das estratégias mais eficientes para aumentar o engajamento e a visibilidade da marca. 

Isso quer dizer que, de modo geral, os usuários preferem assistir a um vídeo sobre harmonização do nariz, ao invés da leitura de um texto em um blog, por exemplo.

Já não é novidade que os vídeos dominam a internet. Em uma sociedade dominada por imagens, esses conteúdos promovem maior interação do público, ao mesmo tempo em que são mais fáceis de consumir e podem entreter.

Além do mais, o marketing no YouTube se aproveita da grande quantidade de usuários que assistem e estão ativos na plataforma. Fora que, as pessoas gastam em média 11min47s navegando pela rede social e consumindo os vídeos.

Para termos uma ideia, o Facebook é usado por 17min46s ao dia, enquanto o Instagram, por 7min7s. Quer dizer que o YouTube está entre as redes sociais de maior potência dentro da internet.

Todas essas características fizeram do YouTube não somente uma mera plataforma de compartilhamento de vídeos, mas também, um canal propício para negócios.

Você provavelmente já deve ter se deparado com os famosos anúncios do YouTube. Similares às propagandas de televisão, é possível encontrar um comercial que fala sobre reiki para animais, antes de um vídeo sobre cuidados pet.

Esse tipo de estratégia pode elevar a expectativa dos consumidores, principalmente quando o anúncio trata da mesma temática do vídeo principal.

Ademais, o YouTube pode ser muito vantajoso para o seu negócio, pois ele:

  • Educa o público a respeito de um produto ou serviço;
  • Permite a facilidade de compreensão da audiência;
  • Tem maior potencial de compartilhamento do conteúdo;
  • Ajuda na captação, nutrição e fidelização dos clientes.

Vale dizer que o YouTube foi o grande responsável por alavancar os chamados digital influencers, ou influenciadores digitais, que são pessoas famosas na plataforma, com uma audiência fiel e que são capazes de influenciar seus seguidores.

Pesquisas mostram que 92% dos consumidores confiam mais nos influenciadores digitais do que em propagandas convencionais com celebridades. 

Além disso, 55% dos usuários costumam pesquisar a opinião de criadores de conteúdo do YouTube, antes de realizarem uma compra.

Outros dados mostram que 86% descobrem um novo produto via influenciador e 73% adquiriram algo por indicação do digital influencer.

Isso quer dizer que o seu marketing de YouTube pode ser muito beneficiado por esses criadores de conteúdo. 

Ou seja, quando um influenciador testa e indica um tapete yoga 5mm, os usuários tendem a confiar mais no produto, o que pode aumentar as chances de venda.

O YouTube oferece várias possibilidades para criação de campanhas e ações de marketing, resultando em um significativo crescimento do brand awareness para o seu e-commerce, bem como melhorando o engajamento e a autoridade das marcas.

Por isso, estar presente no YouTube é indispensável nos dias de hoje.

4 estratégias para marketing no YouTube

Os primeiros anúncios no YouTube foram criados em 2007. Atualmente, podemos ver milhares de propagandas dentro da plataforma, que são usadas, inclusive, como monetização para diversos canais na rede. 

Em 2018, o YouTube recebeu U$15 bilhões em receita de anúncios, contabilizando 6% da receita patrocinada do Google.

No entanto, você não precisa se limitar à criação de propagandas. Por exemplo, um clínico geral particular pode usar a plataforma como marketing de muitas outras formas, até mesmo mais eficazes que os próprios anúncios.

Para te ajudar, separamos algumas estratégias de marketing no YouTube. Confira abaixo!

1 – Produção de conteúdo

Já que o YouTube também é usado como uma plataforma de busca, assim como o Google, nada melhor do que oferecer informações relevantes, interessantes e de qualidade aos usuários, não é mesmo?

Afinal de contas, a internet é um mar de informações e, para se destacar dentro desse ambiente, é necessário criar conteúdos que sejam atrativos e que, ao mesmo tempo, respondam às dúvidas dos usuários.

Por exemplo, criar um vídeo mostrando como funciona uma consulta gastroenterologia, bem como as especificações sobre procedimentos nesta área de saúde específica, pode ser um conteúdo altamente relevante aos usuários que precisam ou pretendem se consultar.

Sendo assim, a produção de conteúdo é algo essencial para a sua estratégia de marketing no YouTube.

2 – Conheça o seu público-alvo

Apesar da grande quantidade de usuários presentes no YouTube, não dá para sair “atirando para todos os lados”. 

Ao invés disso, o mais indicado é ter um direcionamento dos seus conteúdos, para que eles possam atingir pessoas potencialmente interessadas no seu negócio.

Daí a necessidade de conhecer o seu público-alvo. Afinal, diferentemente das propagandas televisivas, que são massivas e homogêneas, o YouTube permite a criação de conteúdos personalizados, que atraem justamente os leads (potenciais clientes).

Por exemplo, um vídeo sobre investigação confirmatória, que é um procedimento de análise ambiental, pode não ser adequado ao grande público, mas quando bem direcionado, pode atingir àqueles que realmente têm interesse no assunto.

Como consequência, tem-se um maior engajamento da audiência e maiores chances de fechamento de negócio.

Além do mais, ao identificar o perfil ideal dos seus clientes, é possível direcionar uma linguagem. Claro que, nos vídeos, é permitido maior liberdade quanto ao uso da linguagem, com o objetivo de criar uma aproximação com o público.

No entanto, conhecer o perfil é uma maneira de escolhermos qual será a tonalidade, os termos e outros artifícios de linguagem, dentro do conteúdo.

3 – Faça otimização dos vídeos (SEO)

O SEO, ou otimização para os mecanismos de busca, permite que o seu conteúdo seja encontrado mais facilmente nos buscadores. Apesar de ser uma técnica aplicada aos recursos textuais, é possível aplicá-la, de certo modo, nos vídeos.

Para isso, você precisa conhecer quais são os termos mais pesquisados pelos usuários – as chamadas “palavras-chave”.

Por exemplo, se o termo é “recepcionista de evento”, você pode usar essa palavra-chave no título e na descrição do seu vídeo, tornando o conteúdo mais fácil de ser escaneado dentro dos buscadores (incluindo o próprio YouTube e o Google).

4 – Tenha parceria com os influenciadores

Devido ao alto poder de influência na decisão de compra, vale a pena firmar parcerias com os criadores de conteúdo do YouTube, isto é, os influenciadores.

Ao se juntar com eles, sua marca pode aproximar o público, ter maior credibilidade e reconhecimento perante à audiência.

Contudo, é necessário buscar parcerias com influenciadores que tenham em comum o público-alvo da sua empresa. Afinal de contas, os youtubers são formadores de opinião, mas o público busca por assuntos e conteúdos específicos.

Conclusão

O YouTube é uma plataforma muito popular e que só tende a crescer dentro da internet. Por esse motivo, as empresas, e-commerces e lojas virtuais podem se beneficiar muito desse canal, ainda mais com estratégias de marketing bem direcionadas e planejadas.

Portanto, é fundamental que os negócios conheçam mais sobre a potência do YouTube e, assim, possam usar de seus artifícios para promover o engajamento do público e ganhar reconhecimento no mercado.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

protect-450594_1280

Por que seu e-commerce precisa ser eco-friendly?

Uma postura eco-friendly é importante para qualquer empresa, e isso inclui as plataformas e-commerce. 

Isso porque o mundo está cada vez mais consciente sobre os problemas ambientais.

Por isso, as empresas estão adotando posturas mais sustentáveis. E quando isso se aplica aos negócios e-commerce, traz benefícios que impactam a marca, seus consumidores e o planeta como um todo.

Se pensarmos em sustentabilidade em seu sentido literal, trata-se de um conjunto de práticas que têm o objetivo de utilizar os recursos naturais de maneira mais consciente.

Isso quer dizer que, tais práticas não permitem que o meio ambiente seja prejudicado. Além disso, os consumidores dão mais valor às empresas que adotam uma postura consciente.

Isso porque esse assunto está em pauta no cotidiano das pessoas, que se tornaram mais cientes da importância da preservação ambiental.

Portanto, uma postura eco-friendly por parte das organizações não só colabora para a preservação do meio ambiente, como também para que a sua imagem melhore consideravelmente.

Com base nisso, neste artigo, vamos falar sobre o que é eco-friendly, algumas ações aplicadas por diferentes empresas, e como as plataformas e-commerce podem adotar essa postura.

O que é eco-friendly?

O termo eco-friendly significa “amigável ao meio ambiente”. Ou seja, está relacionado a atitudes que não prejudicam o ecossistema, ou que têm seus impactos reduzidos em comparação a produtos e serviços equivalentes.

No Brasil, o termo também é equivalente a:

  • Ecológico;
  • Consumo consciente;
  • Sustentável;
  • Verde.

Uma postura eco-friendly pode ser adotada por todos os tipos de empresa, como uma clínica para tratamento rugas profundas, plataformas e-commerce, governos, entre outros.

Importância da sustentabilidade para e-commerces

Vivemos em uma era em que as pessoas têm em mãos a internet para pesquisarem absolutamente tudo. 

Porém, mais do que pesquisar, a internet também permite que as pessoas exponham suas opiniões.

Dentre os assuntos mais destacados, estão as questões relacionadas à sustentabilidade, o que acaba fazendo com que as organizações adotem posturas sustentáveis.

As redes sociais reforçaram esse acesso à informação, o que torna as pessoas mais interessadas e preocupadas com o ecossistema, os animais, as causas sociais, etc.

Por isso, as pessoas têm buscado por empresas que respeitam essas pautas e são ecologicamente responsáveis. E isso significa que a sustentabilidade é importante para que a empresa conquiste novos clientes.

Pelo fato de melhorar a imagem no mercado, as plataformas e-commerce precisam se associar ao comportamento e pensamento eco-friendly, assim como uma empresa de aluguel de videogame.

Quando esse tipo de negócio se conscientiza sobre seu modo de produção, trabalha de maneira menos poluente, investe em reciclagem e outras atitudes, impactando de maneira positiva o psicológico dos consumidores.

Isso agrega valor ao branding da marca, e dá sentido à ação de consumo de seus clientes.

Ações eco-friendly

É fato que, atualmente, as empresas têm investido em ações sustentáveis, não apenas para a preservação do meio ambiente, como também para melhorarem sua imagem perante o público consumidor.

Existem diversas ações que são adotadas por elas, a fim de aperfeiçoar a sua postura. E dentre as principais estão:

1 – Redução do uso de papéis

Há um tempo atrás, era comumente que as organizações imprimissem documentos para ler ou corrigir, levar para reuniões ou para casa, dentre outras atitudes pouco presentes atualmente.

Por exemplo, uma clínica estética sabe que não precisa mais imprimir um contrato de drenagem linfática facial para seus pacientes.

Os recursos digitais permitem que contratos e outros arquivos sejam disponibilizados por e-mail, para a segurança do consumidor e do próprio estabelecimento.

Além disso, as organizações passaram a conscientizar seus colaboradores sobre a real necessidade de imprimir. 

Antes de ligar a impressora, as pessoas devem pensar se é mesmo necessário fazer a impressão de um documento.

Tudo isso pode ser resolvido digitalmente, e todos esses arquivos podem ser acessados rapidamente por meio de dispositivos móveis como:

  • Smartphones;
  • Pendrives;
  • Tablets;
  • Kindle.

Além de economizar papel, deixar de imprimir reduz o uso de árvores para a fabricação de papel, por exemplo, o que colabora para o ecossistema.

2- Reciclagem

Além de um pet shop tosa e banho diminuir drasticamente as impressões, todos os papéis utilizados pela empresa podem ser enviados para a reciclagem.

Existem empresas que recolhem os papéis descartados pelas organizações, o que gera um descarte consciente e digno para o meio ambiente.

3 – Aplicação de consumo consciente

Muitas organizações também optam pela prática de consumo consciente, ao adotarem o comportamento eco-friendly. Dentre eles estão:

Consumo de energia

Uso de lâmpadas econômicas como as de led, que além de iluminarem muito melhor, tem maior durabilidade, o que ajuda a economizar na conta de luz.

Outra boa opção é investir em painéis solares, além de retirar todos os equipamentos eletrônicos da tomada ao final do expediente.

Consumo de água

Uma clínica veterinária de oftalmologista para cachorro pode trocar suas torneiras comuns por torneiras reguláveis. Elas se fecham automaticamente e evitam vazamentos, afinal, cada gota conta.

A lavagem de calçadas e outros ambientes, como os banheiros, deve ser feita com baldes e nunca com mangueiras. 

Além de evitar um valor exorbitante na conta, ainda economiza esse recurso natural tão importante para a sobrevivência humana.

Todas essas práticas podem ser aplicadas pelas empresas comuns, mas no caso das plataformas e-commerce, como isso pode ser feito?

Ações eco-friendly para plataformas e-commerce

É fundamental que um e-commerce, seja este para venda de cilindro mestre clio ou qualquer outro produto, pense nas questões ambientais e tome medidas ecologicamente amigáveis.

Essas atitudes conquistam mais clientes e melhoram a imagem da marca. E dentre as principais medidas para isso estão:

1 – Ações de marketing eco-friendly

O marketing verde é um conjunto de estratégias voltado para a preservação do meio ambiente. 

Para isso, ele trabalha de maneira consciente, tanto no operacional, quanto na produção e divulgação do produto.

Este apelo ambiental vende a imagem de um negócio ecologicamente consciente, mostrando ao público suas atitudes.

Para fazer um marketing eco-friendly, uma plataforma e-commerce pode investir em programas que reduzam a degradação ambiental, ou ainda, colaborarem com programas já existentes.

Além disso, pode-se aplicar maior durabilidade aos seus produtos, para que eles sejam menos substituídos.

2 – Embalagem sustentável

Os negócios e-commerce precisam de embalagens para entregar seus produtos aos consumidores, e elas devem ser de qualidade. 

Sendo assim, é importante pensar e planejar cuidadosamente as opções sustentáveis nessa ocasião.

É indicado usar materiais biodegradáveis, reciclados ou reutilizáveis. Também é viável usar uma embalagem que possa ser útil posteriormente para o cliente.

3 – Selo de sustentabilidade

Um selo de sustentabilidade para e-commerce funciona do mesmo jeito que para uma clínica de exame vulvoscopia. Isso porque ele mostra aos consumidores e clientes que a empresa está envolvida em ações sustentáveis.

Ela passa a ser vista como uma organização que diminui agressões ao meio ambiente, ou seja, prioriza a sustentabilidade.

4 – Frete sustentável

Atualmente, uma plataforma e-commerce pode contar com diversas maneiras diferentes de fazer uma entrega, inclusive com opções sustentáveis.

Um exemplo disso é o uso de veículos que não agridem o meio ambiente, como bicicletas, patinetes e transportes elétricos.

5 – Campanhas e ações sociais

Os negócios e-commerce não possuem uma operação física, mas, mesmo assim, produzem algum tipo de desperdício que pode ser reduzido.

Um exemplo disso é o fabricante parceiro, e cabe à plataforma conscientizá-lo sobre maneiras de poluir menos o meio ambiente.

Uma boa dica é alertá-lo sobre a importância do licenciamento ambiental cetesb para que o negócio possa funcionar sem prejudicar a região onde está inserido.

Todas essas ações podem ser descritas em blogs, redes sociais e no próprio site da plataforma. 

Uma outra opção é disponibilizar no site um link de arrecadação de doações para instituições de preservação ambiental.

6 – Produção sustentável

Geralmente, a fase de produção é a mais difícil de tornar sustentável, mas é importante que a empresa tome atitude com relação a isso.

Dentre as principais maneiras está a economia de energia, e substituir materiais que produzam muitos resíduos a serem descartados por aqueles que podem ser reciclados ou reutilizados.

Conclusão

O comportamento dos consumidores tem passado por diversas mudanças. Por conta do compartilhamento de ideias e do uso das redes sociais, as pessoas se tornaram mais conscientes a respeito do comportamento sustentável.

Portanto, ser eco-friendly agrega valor social à marca, melhorando sua imagem no mercado de maneira considerável.

Portanto, ser uma plataforma e-commerce ecologicamente amigável traz muitos benefícios para a organização, para a sociedade e, claro, para o meio ambiente.

É importante que as lojas virtuais estejam atentas e adotem essas medidas eco-friendly, que vão desde suas ações de marketing, até a entrega de seus produtos.

Dessa maneira, além de colaborarem com a natureza, levam aos consumidores razões verdadeiras para comprarem seus produtos.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

People purchsing goods e-commerce online shopping

Comunicação Integrada de Marketing para e-commerce

A comunicação integrada de marketing é uma estratégia voltada para o planejamento, análise e execução nos mais diferentes canais de comunicação e marketing.

Tal estratégia ajuda a promover uma experiência melhor para o público, ao mesmo tempo em que consolida a marca e sua identidade no mercado de maneira positiva.

Ao analisarmos as maneiras como as empresas utilizam o marketing e a comunicação atualmente, percebemos o quanto isso é feito de formas diferentes.

Dentre algumas estratégias estão as redes sociais, televisão, e-mail e até mesmo mensagens anexadas nos próprios produtos. Isso, porque há uma preocupação por parte das organizações em estarem sempre em contato com seus clientes.

Essas estratégias são cercadas pelo conceito conhecido como comunicação integrada, permitindo que todas se comuniquem com os consumidores, sem exceções.

Mesmo que uma empresa não tenha perfil nas redes sociais ou telefone, algo inimaginável atualmente, o simples fato de enviar um produto ao cliente é uma maneira de estabelecer a comunicação.

Isso, porque se o produto está bem embalado e com uma boa aparência, essa impressão está relacionada à identidade da marca. E o contrário também.

Por isso, neste artigo, vamos falar sobre o que é comunicação integrada para marketing, como integrar as estratégias de maneira coerente e contínua, além de darmos algumas dicas para e-commerce.

O que é comunicação integrada?

Comunicação integrada é definida como planejamento e análise de práticas que melhoram os canais de comunicação. Isso acaba por oferecer ao público uma experiência agradável.

Aliás, esse conceito é ainda melhor entendido depois do surgimento da internet, pois, junto com ela, diversos canais de comunicação surgiram, e também modelos de negócios, como o e-commerce.

Antigamente, os canais de comunicação entre marcas e consumidores se davam por meio da televisão, rádio, panfletos, etc. Esses canais continuam sendo utilizados, mas a internet trouxe outras opções mais rápidas e eficazes.

Isso, porque ela igualou as oportunidades entre empresas de pequeno, médio e grande porte, incluindo as plataformas e-commerce. Mas isso não significa que basta explorar todas as suas possibilidades de qualquer maneira.

Um bom despachante para renovação de CNH vencida, por exemplo, faz um planejamento para integrar todos os seus canais de contato. 

Até porque uma mesma pessoa deve ter o mesmo tipo de atendimento, em qualquer canal de comunicação da marca.

Porque, se isso não acontecer, a empresa causa a impressão de mudar sua imagem e até sua “personalidade” a cada instante, o que é péssimo para a identidade.

Objetivos e fundamentos dessa estratégia

Tanto um despachante para adicionar categoria A quanto uma plataforma e-commerce precisam estar atentos à comunicação integrada de marketing.

Somente por meio dela é possível integrar estratégias de forma coerente e contínua, por meio de objetivos. 

Dentre os principais estão:

Consistência

Um dos principais objetivos da comunicação integrada é trazer mais consistência para a marca. 

Os negócios e-commerce, apesar de crescerem continuamente, precisam ser consistentes para passar confiança ao consumidor.

Com todos os meios de comunicação falando a mesma língua e caminhando para o mesmo rumo, a marca se torna mais confiável.

Para atrair a consistência é necessário planejamento, fazendo com que cada ponta de interação siga o mesmo padrão e transmita os valores da marca.

Coerência

Ainda é muito comum que o consumidor, em busca de algumas informações sobre determinado produto ou serviço, receba um atendimento seco e, algumas vezes, até ríspido por parte dos atendentes.

Se este cliente ligar para o telefone da empresa e for mal atendido, isso pode custar a venda. Tudo porque, raramente, o cliente vai dar uma segunda chance para uma marca que o atendeu mal.

Principalmente para os negócios e-commerce, os canais de comunicação devem ser coerentes, independentemente de quais forem adotados.

Continuidade

Uma fabricante de alimentação natural para cachorro deve trabalhar de maneira contínua a sua comunicação. Então, uma das maneiras de fazer isso é com a automação do envio de e-mail marketing, por exemplo.

Eles são feitos para que o lead passe por todas as fases da jornada de compra, realizando a ação esperada ao final. Sendo assim, as mensagens são elaboradas de maneira a contar uma história, com começo, meio e fim.

Por isso, todas as estratégias de comunicação devem ser contínuas e bem aplicadas, para que o cliente continue se comunicando com a marca, mesmo após a compra de algum produto.

Complementaridade

A comunicação integrada em marketing prioriza uma comunicação complementar. Isso, porque um mesmo consumidor pode ver um conteúdo no blog, ser encaminhado para as redes sociais, visitar o site, acessar o chat do e-commerce, etc.

Portanto, os pontos de comunicação devem se complementar, e no que diz respeito ao marketing, eles podem ser:

  • Sites;
  • Blogs;
  • Redes Sociais;
  • E-mail;
  • Telefone.

Quando eles se complementam, ou seja, quando o cliente recebe um bom atendimento em todos eles, um despachante para primeiro emplacamento de moto garante uma experiência melhor para seus consumidores.

Benefícios da comunicação integrada

Em vista de seus objetivos, não é difícil entender os benefícios que essa estratégia pode trazer para o e-commerce, como:

Fortalecimento da identidade da marca

As marcas, desde empresas de vistoria para carros até lojas virtuais de roupas infantis têm personalidade própria. Por isso, aquelas que investem em uma boa comunicação com o público, atraem e conquistam mais clientes.

Estratégias de comunicação mais eficientes

Toda comunicação tem um objetivo. Se um e-commerce cria uma promoção, ele quer que as pessoas aproveitem essa oportunidade.

Para que isso aconteça, é preciso trabalhar canais de comunicação consistentes, para que o público tome as ações esperadas. Portanto, a comunicação integrada permite ações de marketing mais eficientes.

Como fazer comunicação integrada para e-commerce?

Em vista de tantos benefícios, é claro que o aumento da vendas está garantido, mas assim como uma oficina de troca de óleo e filtro precisa de comunicação integrada, as plataformas e-commerce também precisam.

Estudar o público-alvo

Para começar, é importante que a loja on-line estude o seu público-alvo. Para isso, ela precisa responder perguntas como:

  • Para quem criar os canais de comunicação?
  • Como meu público se comunica?
  • Que tipo de linguagem usar?
  • Quais suas necessidades e interesses?

Ao responder essas perguntas é possível ter sucesso com a comunicação integrada. Isso, porque cada público difere em cada empresa, portanto, uma loja on-line de brinquedos não terá o mesmo público que uma clínica de drenagem linfática pós operatório.  

Planejar cuidadosamente

Planejamento é a base de uma boa comunicação integrada para e-commerce. Portanto, ter perfil em todas as redes sociais não é suficiente, pois é necessário manter uma comunicação rápida em cada uma delas.

Isso significa que cada campanha do e-commerce deve ser bem pensada e com objetivos bem delimitados. Além disso, é importante definir os alvos e também saber quais canais serão usados.

Portanto, qualquer coisa que possa interferir nos resultados deve ser analisada previamente e com muito cuidado.

Explorar opções

Atualmente, quando falamos em canais de comunicação, podemos ter acesso a muitas opções diferentes.

Por exemplo, uma clínica de oftalmologista cachorro pode atender seus clientes por telefone, e-mail, chat no site, redes sociais, etc.

O mesmo acontece com uma plataforma e-commerce, com exceção do telefone, que em muitos casos não é utilizado.

Mesmo assim, por meio de um estudo prévio do tipo de público-alvo, é possível saber quais canais combinam mais com ele, o que facilita a rotina da marca. Lembrando que é importante ter mais de um ponto de comunicação.  

Integrar canais

Se é importante possuir mais de um canal de comunicação, o e-commerce deve integrar todos eles. Para isso, uma boa dica é criar mensagens de forma que cada canal conte um pouco de uma história.

Por exemplo, o blog pede para acessar as redes sociais, as redes sociais indicam o site e o site disponibiliza o e-mail.

Conclusão

Consumidores e empresas estão inseridos na era da comunicação, que é rápida e precisa. Porém, mais do que isso, ela deve ser padronizada e garantir que as pessoas tenham boas experiências com as empresas.

A concorrência no mercado é acirrada, então, um mesmo cliente pode encontrar muitas opções para comprar aquele produto que a plataforma e-commerce X vende. E quem oferece a melhor comunicação e atendimento ganha o cliente.

Esse ciclo é impossível de ser vencido, pois se trata de uma exigência do consumidor moderno ser bem atendimento pela marca que ele escolhe. Isso não poderia ser diferente para as lojas virtuais que crescem constantemente.

A cada dia o consumidor tem acesso a novas opções, por isso, é extremamente importante oferecer a ele um diferencial, e a comunicação integrada em marketing é a melhor maneira de fazer isso. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

novo-linkedin-stories

LinkedIn lança recurso de Stories no Brasil

LinkedIn é a mais nova plataforma a ter um recurso de Stories — e o Brasil é o primeiro país a receber a novidade oficialmente. Depois da versão original no Snapchat, copiada por InstagramFacebookWhatsAppYouTubeTwitter e outras redes, o serviço de conexão e postagem de conteúdo com foco corporativo agora também permite o compartilhamento de posts com data para desaparecer.

O recurso foi descoberto no final de fevereiro deste ano, quando testes internos já eram realizados para implementar a novidade. A ideia é que a comunidade compartilhe novidades da carreira e momentos do cotidiano profissional, como uma palestra ou o dia a dia no escritório.

O design das postagens e as possibilidades de edição

O design das postagens e as possibilidades de edição Fonte: LinkedIn

Segundo o LinkedIn, o Brasil é o terceiro maior produtor de conteúdo em vídeo na plataforma e foi escolhido também por ter uma fama mundial em criatividade. Por enquanto, os Stories do LinkedIn são restritos ao aplicativo da plataforma para Android e iOS.

O que postar nos Stories do LinkedIn

O funcionamento é similar ao dos demais serviços: você pode compartilhar fotos ou vídeos de até 20 segundos, aplicando textos e figurinhas por cima. Os conteúdos ficam visíveis por 24 horas e é possível responder a eles por mensagens privadas apenas se você estiver a um ou dois graus do contato em questão. Os recados são enviados diretamente à caixa da própria rede, o que significa que você também pode responder via desktop.

Além disso, é possível saber exatamente quem visualizou a sua postagem, reportar uma publicação indevida ou baixar o conteúdo.

Recursos para marcas

Marcas e companhias também podem utilizar o recurso para fortalecer a imagem e melhorar o engajamento com parceiros e colaboradores. Neste caso, entretanto, o LinkedIn Stories só será disponibilizado para todas as marcas nas próximas semanas e somente os seguidores brasileiros da página poderão ver o conteúdo publicado, ao menos até que o recurso tenha um lançamento oficial em outras regiões.

Fonte: LinedIn

71201a

Saiba como o Guest Post pode alavancar seu site

A palavra da vez em termos de marketing digital é “conteúdo”, afinal, sem gerar materiais interessantes e gratuitos, dificilmente, um empreendimento conseguirá se tornar uma autoridade no seu segmento. Nesse contexto é que surge o Guest Post.

As relações de compra e venda mudaram muito nos últimos anos. Hoje, antes de depositar sua confiança em alguma empresa, um cliente costuma ler todo tipo de material a respeito não apenas da solução de que precisa, como daquela própria marca.

Isso vale tanto para produtos de consumo (como roupas, calçados, relógios, alimentação e afins) quanto para serviços distintos: da relação B2C à B2B, desde a área de corte de tubos de aço até soluções contábeis, jurídicas, tecnológicas, etc.

Em ambos os casos, é praticamente impossível que o comprador se convença apenas com o que está escrito no site institucional da empresa, sem recorrer às redes sociais, plataformas de qualificações/feedbacks, blogs e demais canais de interação.

Daí a importância da empresa estar sempre gerando conteúdos de qualidade, mantendo seu público informado e, claro, trocando conteúdos com outros blogs, por meio de estratégias como a de guest post.

Portanto, se você quer entender melhor como isso funciona, e como pode aumentar a relevância do seu site e do seu negócio, siga adiante na leitura.

Via de mão dupla: os dois lados ganham

Em tradução direta guest post significa “post convidado”. Trata-se, portanto, de um artigo escrito por outro blog que não o seu, e publicado no seu espaço; ou publicado no seu blog, apesar de ter sido escrito por outro canal.

Como vimos, o segredo do sucesso na internet tem nome: tráfego. É preciso que você tenha visitantes, que as pessoas cheguem até você, que elas não apenas gostem do que leem, como queiram comentar, curtir, compartilhar, etc.

Contar com o peso de um blog especialista na sua área é uma das melhores estratégias que uma página pode utilizar. O mais interessante é que isso gera vantagens para ambas as partes, dessa forma, os dois lados saem ganhando.

Se um canal especializado em solda em aço carbono troca um conteúdo com você, por exemplo, o que se entende é que você também conhece do assunto e pode ser uma autoridade. Ao mesmo tempo, a troca gera tráfego, como veremos adiante.

É assim que os guest posts têm se tornado uma estratégia de sucesso. Ao contrário do que alguns pensam, qualquer tipo de conteúdo pode ser trocado, não apenas textos mais populares ou de grande apelo, como os opinativos, políticos, etc.

Em muitos casos, essa estratégia pode se focar em áreas totalmente nichadas e específicas, como a respeito de caldeiraria tubulação industrial, por exemplo.

Outra vantagem da troca de conteúdo, é que os materiais podem ser feitos em formato evergreen. Ou seja, sem datação que os limite, de modo que “durem” por mais tempo, e possam ser lidos dali anos com a mesma atualidade e o mesmo engajamento.

Tráfego de referência e demais vantagens

Todo mundo que gera conteúdo sabe que nem sempre é fácil manter uma linha de produção com a frequência necessária.

Se você atrasa muito para postar, por exemplo, é possível que seu público “esqueça” que você existe, pois o bombardeamento de informações é contínuo.

Por outro lado, escrever sempre, ou quase diariamente, implica em um risco elevado de cair na mesmice e na repetição, tornando seu blog monótono.

Com isso, as vantagens da estratégia de guest post e troca de conteúdo podem ir além do que se imagina, sendo as principais delas:

  • Aumento de autoridade/reconhecimento do blog;
  • Aumento do alcance e disseminação do site;
  • Otimização das páginas e tráfego de referência;
  • Maior variedade de assuntos abordados;
  • Entre outros pontos.

Veja que todas essas pautas são bilaterais. Ou seja, elas dizem respeito tanto aos benefícios por parte do blog convidado e do criador do conteúdo, quanto por parte da página que recebe o conteúdo criado.

Um exemplo prático é o de um blog que se especializou em investigação confirmatória de passivo ambiental, uma área ampla que pode atender desde empresas privadas até repartições públicas, com foco em construção civil ou em engenharia ambiental.

Ao produzir conteúdo como convidado para um canal assim, que tem longo alcance, você cria uma relação entre as partes. Como sabemos, ao associar-se a uma marca, junto vêm a credibilidade e a imagem da outra parte.

Inclusive, esse tráfego de referência é uma técnica de SEO, como veremos no último capítulo. 

Outra estratégia similar é a do link building, que é uma ação voltada para gestão de links de empresas que geram maior autoridade/ranqueamento para uma página.

Guest post: sinergia com a publicidade atual

Uma das maiores exigências das gerações mais novas, dos “nativos digitais” da Geração Z, é que as marcas não façam propagandas afrontosamente comerciais.

Essa quebra de paradigma mudou profundamente o modo de se fazer marketing, não apenas o digital como também a publicidade tradicional. Tanto que os comerciais de TV apresentam muito mais storytelling, do que saldões e promoções.

Sendo assim, é preciso pescar o cliente por meio da criatividade. A mera propaganda que se fazia antigamente, já não convence, nem engaja tanto.

A sinergia que essa nova tendência tem com o guest post é incrível, pois por meio dele, os blogs precisam atrair visitantes e gerar tráfego, sem que isso soe explicitamente comercial.

Como na suposição que demos acima (do blog que escreve sobre a área de construção civil/engenharia ambiental): ainda é possível um canal assim divulgar novas soluções, ir além da investigação confirmatória cetesb, e fazer uma série de outros artigos.

Nas novas postagens, é possível falar sobre perícia judicial, ou sobre análise de incidentes, chamando a atenção do público para essas ofertas. Tudo sem precisar falar em promoções, preços, formas de pagamento e apelos comerciais desse tipo.

Quanto mais conteúdos um canal tiver, e quanto mais utilizar a estratégia de guest post, melhor será sua relação e influência em termos de relevância.

Em que ele difere da publicidade paga?

Além de aumentar o tráfego de uma página ou a relevância de um blog, realizar esse tipo de troca de conteúdos guarda outra vantagem incrível: tudo isso é de graça, não é preciso investir altos valores em publicidade.

Claro que conteúdos mais técnicos como enchimento torre de resfriamento, que lida com indústrias de termoplásticos e afins, envolvem muito know-how e formações da parte de quem vai produzir o conteúdo a ser trocado.

Seja como for, comparado com os as publicidades pagas, o guest post não custa nada, a não ser a expertise envolvida entre as partes.

Além disso, os conteúdos trocados não precisam necessariamente ser do mesmo segmento. Como o foco é aumentar o tráfego da página, certamente seus leitores terão interesse em outros tipos de matérias.

Embora os motores de busca tenham parâmetros que entendem que um tráfego de referência ocorrido, por exemplo, entre blogs do mesmo segmento, gere uma experiência melhor em termos de pesquisa e leitura.

Ainda assim, oscilar entre assuntos mais nichados e outros de jornalismo, conhecimentos gerais, dicas de saúde e afins, pode ser uma opção, dependendo da estratégia.

Bônus: os tipos de tráfego existentes

Como vimos acima, “tráfego” é uma das grandes palavras quando o assunto é internet e marketing digital.

De fato, não adianta muito garantir que seu blog tenha os melhores conteúdos, se ele não for acessado por ninguém. 

É claro que existe um crescimento orgânico, onde as pessoas “virão” aos poucos, mas há modos de acelerar isso.

Atualmente, os principais métodos existentes para gerar tráfego são os seguintes:

  • Tráfego direto;
  • Tráfego orgânico;
  • Tráfego de referência;
  • Tráfego pago;
  • Tráfego social.

Se uma página faz link patrocinado para posicionar a palavra-chave “calibrador de rosca tipo anel”, por exemplo, ela está gerando tráfego pago. 

Contudo, nem sempre alguém está disposto a pagar, além disso, nem sempre pagar significa ter autoridade, mérito ou influência.

Já a parte da estratégia orgânica de SEO (Search Engine Optimization), mencionada lá no topo, inclui outros algoritmos, todos baseados em mérito. Quando bem feita, ela permite que seu site apareça com destaque nos grandes motores de busca, como o Google.

Assim, quando um cliente pesquisar algo, como “produtos para marmoraria”, você aparecerá na primeira página, graças à relevância da sua página, gerada por estratégias como as de link-building e guest post.

De fato, cumprir os requisitos de uma boa estratégia de guest post é um dos melhores modos de alavancar o seu site e mudar sua empresa de patamar.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.