ecommerce3

6 motivos para ter um blog para e-commerce

O e-commerce é uma das modalidades de compra e venda que mais cresce em todo o mundo. De acordo com uma estimativa da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o segmento deve apresentar um faturamento de mais de R$ 106 bilhões

Esses dados representam um crescimento de 18% ao ano desse modelo de negócio.

Por esse motivo, muitas empresas estão migrando para plataformas digitais, incorporando o e-commerce em seus negócios ou somente investindo nos comércios eletrônicos, visto que não é preciso ter gastos com infraestrutura.

No entanto, para que o seu e-commerce dê bons resultados, é fundamental investir em estratégias de Marketing Digital, como divulgação em redes sociais, anúncios patrocinados e, principalmente, ter um blog.

Segundo pesquisa da HubSpot, cerca de 82% dos profissionais de marketing usam blogs para obter um ROI (Retorno sobre Investimento) positivo em suas estratégias de Inbound Marketing

Muito disso, deve-se à eficiência do canal em compartilhar conteúdo relevante ao público-alvo.

Assim, por meio de um artigo no blog, o e-commerce pode trazer dicas de como realizar um trabalho em altura, conforme as normas técnicas – que é um conteúdo ótimo para empresas de segurança do trabalho, por exemplo.

No artigo de hoje, conheça os principais motivos para ter um blog para e-commerce e como o canal pode ajudar no reconhecimento da marca. Acompanhe a leitura!

1 – Melhorar o rankeamento no Google

O Google é um dos gigantes da internet. O site tem mais de 100 bilhões de buscas por mês, sendo que a maioria dos usuários utiliza a plataforma para pesquisar mais sobre um assunto específico, produto ou serviço.

No entanto, é preciso se destacar em meio ao grande mar de resultados. Segundo a HubSpot, a primeira posição no ranking do Google tem uma taxa de cliques de 34,36%. 

Ou seja, quanto melhor é a sua classificação, maior é o tráfego orgânico no seu blog e as chances de conversão em vendas.

Por isso, ter um blog é uma forma de melhorar o seu rankeamento no Google, visto que a forma mais indicada de se investir em uma boa classificação é por meio da otimização para os mecanismos de busca, ou o famoso SEO (Search Engine Optimization).

De maneira resumida, o SEO consiste em um conjunto de técnicas, envolvendo a produção de conteúdo relevante (Marketing de Conteúdo), que ajudam a rankear as páginas web. 

Entre as principais estratégias, destaca-se o uso de palavras-chave em blog posts.

Assim, ao escrever um texto sobre as vantagens de um deck madeira, por exemplo, aplicam-se palavras-chave ao longo do conteúdo, que são os termos mais pesquisados pelos usuários no Google.

Mas o SEO vai além das palavras-chave. Há muitas outras ações capazes de melhorar a classificação do seu blog, entre as quais:

  • Ofertar informações interessantes e de qualidade;
  • Linkar outros conteúdos relevantes para o usuário;
  • Ter uma boa navegabilidade em dispositivos móveis;
  • Construir uma boa autoridade do seu blog.

Importante destacar que o SEO é uma estratégia a longo prazo e, aos poucos, com a atualização do blog, é possível melhorar consideravelmente o tráfego orgânico e gerar mais vendas para o e-commerce.

2 – Conferir autoridade ao seu negócio

Ao manter uma loja virtual para a venda de agendas personalizadas, dificilmente a sua empresa terá algum destaque, pois o perfil dos consumidores online é bem diferente dos clientes tradicionais.

Além do mais, as pessoas também buscam por informação antes de realizar alguma compra.E desse modo, o blog é capaz de oferecer o que o público-alvo deseja: conteúdo. 

Assim, o seu e-commerce tem a chance de se tornar uma autoridade no nicho de atuação, já que as pessoas tendem a comprar de empresas que demonstram conhecer sobre os produtos, serviços e assuntos relacionados ao mercado.

Por isso, uma loja virtual especializada na venda de equipamentos de proteção contra incêndio pode ter um blog para compartilhar conteúdos a respeito de um extintor co2, bem como demais dispositivos de segurança.

Mais do que construir a autoridade do e-commerce, é uma forma de manter um relacionamento saudável com a audiência e colaborar para a fidelização dos consumidores.

3 – Educar o público-alvo

Outra vantagem do blog é a capacidade do canal para educar o público-alvo a respeito de um produto ou serviço. 

Por trabalhar com o Marketing de Conteúdo, é possível produzir materiais que explicitem mais sobre a mercadoria ou atividade realizada, ainda mais quando ela não é algo comum para a audiência.

Por exemplo, um texto sobre quiropraxia preço acessível pode fazer mais sobre os benefícios do serviço, para o quê ele serve e para quais pessoas é indicado. 

Dessa forma, há maiores chances de aumentar as vendas, uma vez que os consumidores tendem a comprar algo da qual entendem e conhecem.

Importante ressaltar que a disponibilização de conteúdos informativos ao público também é uma maneira de melhorar o rankeamento no Google. 

Ou seja, muito mais do que mostrar para que serve uma geladeira industrial, por exemplo, fornecer materiais de qualidade também é uma maneira de aumentar o tráfego orgânico.

4 – Construir um relacionamento com os clientes

Embora o Marketing de Conteúdo seja uma ótima estratégia para melhorar o posicionamento no Google e transformar os visitantes em leads (potenciais clientes), ele também é capaz de fidelizar os consumidores.

Desse modo, o blog para o seu e-commerce é capaz de manter o seu público sempre atento às novidades e anúncios da sua empresa, fazendo com que a sua loja virtual esteja sempre à vista da audiência, construindo um relacionamento saudável e duradouro.

Além disso, o blog pode ser um canal para sanar as dúvidas de seus clientes. 

Por exemplo, é possível oferecer um conteúdo direcionado para detalhar o funcionamento de um anel de vedação, especialmente para os consumidores que estão em busca dessas informações.

Outra forma de fidelizar a audiência é por meio do compartilhamento de materiais do blog dentro das estratégias de e-mail marketing. 

Assim, mesmo que um visitante não venha comprar nada no seu e-commerce à primeira vista, o blog pode fazer com que o usuário mantenha o interesse no seu negócio, ao oferecer conteúdos atualizados.

5 – Ter presença nas redes sociais

Os blog são capazes de melhorar o posicionamento do seu e-commerce em outras mídias online, como é o caso das redes sociais. 

Vale dizer que as redes sociais precisam ser atualizadas constantemente para que o público mantenha o interesse nos seus conteúdos. 

Assim, ao escrever um artigo com dicas de uso de tinta impermeabilizante, o material pode ser compartilhado na sua página no Facebook, bem como em uma publicação adaptada para Instagram.

Esses compartilhamentos de publicações fazem com que a sua página tenha um melhor alcance.

Por esse motivo, grande parte dos planejamentos de Marketing Digital é realizado com integração das mídias, afinal de contas, é possível melhorar o alcance da sua marca em diferentes tipos de plataformas.

6 – Baratear os custos de Marketing Digital

O Marketing Digital é uma das estratégias mais baratas da atualidade, principalmente em comparação com a publicidade tradicional (anúncios em televisão, rádio, jornais e revistas). 

No caso do blog, além de ter um custo muito acessível, também é possível ganhar dinheiro com as suas publicações.

Inclusive, há programas de troca de propaganda entre blogs. 

O Google Adwords, por exemplo, permite o patrocínio de anúncios, em que os parceiros ganham uma taxa a cada conversão (quantidade de cliques na propaganda, por exemplo).

Outra estratégia é o guest post, ou artigo de convidado, em que a sua empresa pode produzir conteúdo para outra página web e alcançar ainda mais visibilidade online.

Além do mais, uma postagem feita hoje pode gerar tráfego para o seu site mesmo daqui a alguns anos, dependendo do assunto abordado. 

Desse modo, o blog é capaz de manter a constância de visitantes, mesmo sem investimentos financeiros.

Conclusão

Os blogs são velhos conhecidos da internet. Eles são uma revolução dos tradicionais diários online, onde as pessoas mantinham informações constantes sobre suas vidas pessoais, mantendo conversas com seus seguidores.

Hoje em dia, mas do que compartilhar estilos de vida, os blogs são usados como potenciais ferramentas de Marketing Digital, especialmente para os e-commerces que desejam obter reconhecimento na internet.

Ao lado do Marketing de Conteúdo e demais técnicas de Inbound Marketing, o blog é um canal capaz de educar um público-alvo a respeito de produtos ou serviços, além de informar a audiência sobre diferentes assuntos.

Além disso, os blogs são capazes de melhorar o rankeamento da sua página dentro dos buscadores, como o Google, gerando maior tráfego orgânico e, consequentemente, aumentando a conversão de leads.

Por esse motivo, os comércios eletrônicos estão cada vez mais empenhados em investir em blogs, para melhorar as vendas e construir um relacionamento duradouro com a audiência.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

Referências

https://www.jivochat.com.br/blog/ecommerce/motivos-para-ter-blog-ecommerce.html

https://www.jivochat.com.br/blog/ecommerce/razoes-para-criar-blog-ecommerce.html

https://www.ecommercebrasil.com.br/noticias/comercio-eletronico-crescer-2020-movimentar-abcomm/

https://neilpatel.com/br/blog/38-estatisticas-sobre-marketing-de-conteudo-que-todo-profissional-precisa-saber/

https://inteligencia.rockcontent.com/estatisticas-de-seo/#:~:text=Alcan%C3%A7ar%20as%20primeiras%20posi%C3%A7%C3%B5es%20nos,o%20primeiro%20passo%20para%20isso.

funil-01

A importância do funil de vendas para um e-commerce

O modelo de negócios e-commerce tem ganhado espaço no mercado, tanto entre os consumidores quanto entre os empreendedores. Ele traz muitas facilidades para os dois lados, por isso, a propensão é que o crescimento avance.

Mesmo sendo uma grande tendência e algo comum em nosso dia a dia, alguns consumidores ainda se sentem receosos para comprar pela internet, e acabam precisando ter que confiar numa marca antes de comprar com ela.

Aqui entra todo o trabalho do marketing digital e as suas estratégias. 

Inclusive, uma delas, conhecida como funil de vendas, é muito importante para esse modelo de negócios, uma vez que ele possibilita que a empresa acompanhe a jornada de compra do cliente.

Só que é necessário conhecer bem o funil de vendas para entender suas funcionalidades e de que maneira ele deve ser estruturado.

Dessa forma, as marcas conseguem despertar o interesse do lead, alimentá-lo e se tornar um modelo de negócio de confiança para ele no momento da compra. 

Consiste em um trabalho cuidadoso e muito eficiente, que exige o envolvimento da equipe de marketing e vendas.

Tendo isso em mente, neste artigo, vamos falar sobre o que é funil de vendas e suas etapas, mostrar como ocorre o percurso do cliente até a compra,  bem como ele deve ser desenvolvido. Acompanhe!

O que é o funil de vendas?

O funil de vendas, também é conhecido como pipeline, trata-se de um modelo estratégico que mostra toda a jornada do cliente, desde o primeiro contato dele com uma marca até a finalização da compra.

Ou seja, ele representa todo o caminho que uma pessoa percorre até que resolva comprar um corrimão de inox ou qualquer outro produto ou serviço.

Com isso, a empresa consegue conduzir o cliente, desde o momento em que ele toma conhecimento de uma solução que está sendo vendida, até que ele resolva comprá-la.

Como ocorre a jornada de compra

O processo de compra não é algo homogêneo, pois acontece por etapas, e durante essa jornada, o cliente vai demonstrando o quão próximo ele está de realizar uma nova aquisição.

Esse processo inicia-se no momento em que a pessoa ouve falar de uma solução pela primeira vez, o momento em que ela começa a pesquisar sobre o assunto para obter mais informações, o momento da compra e, por fim, o que ela fala da empresa depois disso.

Um cliente que acabou de descobrir que precisa de tomada externa está menos preparado do que aquele que já tem essa consciência e sabe qual é a loja que oferece a solução.

Dessa forma, se uma empresa quer determinar o nível de maturidade do cliente no que diz respeito a sua decisão de compra, deve definir cada momento dessa jornada em etapas.

Aqui nasce o funil de vendas, e é importante que as empresas compreendam bem cada uma das etapas que o envolvem.

O funil de vendas é dividido em três etapas, sendo topo, meio e fundo de funil, e cada uma dessas etapas é conhecida por uma sigla, como “ToFu” (ou Top of the Funnel); “MoFu” (ou Middle of the Funnel); e “BoFu” (ou Bottom of the Funnel).

1 – Topo do funil – etapa da descoberta

O topo do funil é conhecido como a etapa da consciência, quando a pessoa acaba de descobrir que precisa, por exemplo, de limpeza de dente, porque até então era indiferente a isso.

Essa pessoa não estava buscando nenhum produto ou serviço, mesmo porque ela desconhecia tal necessidade. Mas ao ter um primeiro contato com aquela plataforma e-commerce, ela compreende que precisa de algo.

Neste momento, a empresa deve se colocar como uma especialista naquilo que faz, fornecendo materiais que fazem com que o visitante do site diagnostique o seu problema e compreenda-o por completo.

Quando essa pessoa tiver alguma dúvida, irá recorrer ao mesmo site porque já confia nele.

A empresa sequer possui informações sobre essas pessoas, por isso, é necessário que elas sejam educadas por meio de materiais ricos e que as convertam em leads.

2 – Meio de funil – consideração de uma solução

Um lead passa para a segunda fase do funil de vendas quando ele reconhece seu problema e considera ir atrás de uma solução.

Ele já leu muito sobre o assunto que envolve a sua necessidade, como barramento de cobre e relacionados. 

Por isso, ele está buscando formas de solucionar o problema, e a plataforma e-commerce deve apresentar dicas e técnicas que possam ajudá-lo.

Nesta fase, as empresas estão lidando com os potenciais clientes, indivíduos que já tiveram alguma proximidade com seus conteúdos antes, e que ofereceram informações básicas em troca do acesso a um conteúdo, como o e-mail, por exemplo.

Até então, ele não sabe como solucionar de forma definitiva o problema, logo considera várias soluções, inclusive a compra, porém não sabe se essa é a melhor opção.

Nesse momento, uma loja on-line de peças automotivas, por exemplo, deve ser sincera e dizer exatamente quando é o caso de comprar um produto e apresentar outras alternativas além da compra.

Ela pode oferecer mais conteúdos que levem ainda mais informação para o lead, deixando claro que o objetivo é ajudar e não apenas vender a todo custo.

Isso ajuda a estabelecer uma relação de confiança benéfica, que amadurece ainda mais o lead para a próxima etapa.

3 – Fundo de funil – decisão de compra

No fundo do funil, um e-commerce de aluguel de caçamba estará lidando com MQLs (Marketing Qualified Leads). Potenciais clientes estes que já passaram por todo o processo de educação, e que estão classificados como prontos para comprar.

Esse lead sabe que tem um problema e que não pode solucioná-lo sozinho, precisando comprar um produto ou serviço específico para isso.

As empresas que seguem corretamente todo o processo tornam-se referência e alguém de confiança na hora de negociar. Este é o momento de mostrar que seu negócio é a melhor opção.

Então, após algumas comparações, o lead vai escolher o mais vantajoso e comprar com essa marca.

Como desenvolver um funil de vendas

Para desenvolver um bom funil de vendas, uma plataforma e-commerce precisa realizar alguns procedimentos, tais como:

1 – Mapeamento da jornada

Para que uma revenda de boia elétrica pela internet possa otimizar e monitorar a jornada de compra de seus clientes, primeiro ela precisa conhecê-la.

Caso já tenha um número considerável de jornadas, o mapeamento pode ser feito com uma pesquisa de persona. 

Ou seja, perguntas destinadas àqueles que são considerados os melhores clientes. Essa pesquisa tem como objetivo:

  • Definir o perfil de cliente ideal;
  • Entender suas dúvidas;
  • Saber sobre suas ambições;
  • Que razões o levaram a comprar.

Para os negócios e-commerce que estão começando agora, a dica é conversar com o máximo de clientes possível para entender como chegaram até o site e o que os leva a fechar um negócio.

2 – Definir milestones e etapas

Quando uma plataforma que ofereça aula de música, por exemplo, começa a conhecer a jornada do cliente, precisa ir além das etapas de consciência, consideração e decisão para implementar algumas milestones.

Estas são marcos que mostram que o cliente amadureceu e está mais informado a respeito de um produto ou serviço.

Com isso, é possível saber quando o visitante se tornou lead e quando lead passou para outra etapa do funil. 

Isso permitirá que a marca utilize as ferramentas corretas para convencê-lo a passar para a próxima etapa.

3 – SLA entre vendas e marketing

Ao ter o funil de vendas já estruturado é necessário acordar alguns pontos entre o time ou profissional de marketing e vendas, o famoso Service Level Agreement, ou Acordo de Nível de Serviço, em tradução livre. 

Isso vai definir de que maneira eles podem se ajudar e quais serão as entregas de um para outro.

Além do mais, é necessário fazer marketing constantemente e adequar os conteúdos de acordo com cada etapa do funil, sendo:

  1. Topo de funil: Postagens em blog, infográficos, podcasts, newsletter, postagem em redes sociais;
  2. Meio de funil: Aqui, uma loja virtual de criolipólise de placas e outros itens deve investir em posts de blog e e-book;
  3. Fundo de funil: Já no fundo de funil uma boa aposta são os cases de sucesso e webinars.

Conclusão

As plataformas e-commerce oferecem um modelo de compra e venda muito mais prático para quem compra e para quem vende, só que elas precisam conquistar o seu espaço no mercado e crescer cada vez mais.

Para isso, assim como qualquer outro modelo de negócio, precisam compreender a jornada de compra do cliente e oferecer as informações que ele precisa durante todo esse processo.

Somente dessa forma ele descobre que tem um problema, quais são as soluções disponíveis e quem pode oferecer a melhor saída. Uma relação de confiança necessária para bater a concorrência e facilitar o fluxo de vendas.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

doctor

Google Ads para médicos e dentistas: 5 motivos para investir

O Google Ads é um recurso muito interessante se o objetivo do seu consultório ou clínica é captar novos pacientes de forma rápida e investindo pouco por isso. Quer saber como usá-lo e quais são suas vantagens? Veja agora!

Felizmente foi-se o tempo em que entregava-se panfletos e cartões para conquistar novos pacientes.

Fato é que atualmente as pessoas fazem tudo pela internet. Pesquisam sobre assuntos, passam o tempo e procuram por serviços e produtos.

A prova disso é o Google, com 4 bilhões de pesquisas diárias sobre os mais diversos temas. Logo, investir no buscador para ter o seu negócio encontrado por potenciais clientes é fundamental no mercado atual.

E é para isso que existe o Google Adwords (ou Ads)! Descubra o que é essa ferramenta, como funciona e quais são seus principais benefícios!

O que é Google Ads?

O AdWords é a plataforma de publicidade do Google e por meio deste serviço anúncios são exibidos como links patrocinados no momento em que alguém realiza uma pesquisa no buscador.

Os anúncios são exibidos nos resultados de pesquisas de acordo com o termo usado nela, as chamadas palavras-chave.

Por exemplo, uma empresa de convênios odontológicos que atua em São Paulo pode aparecer nos resultados de uma busca caso o usuário pesquise algo como: “plano dental em sp”, caso termos como este estejam relacionados ao anúncio.

O Google Ads é a maior parte da receita do Google, pois as empresas cada vez têm investido no recurso.

Como usar o Google Ads na prática

O ideal é que a empresa conheça o público que pretende atingir, afinal, é preciso saber como eles procuram pelo serviço que você vende.

Diante disso, estude o comportamento e perfil de seus pacientes (isso serve como base para atingir novas pessoas), e estruture anúncios que vão de acordo com o seu segmento.

Para isso, faça o seguinte:

  • Escolha palavras-chave específicas;
  • Pesquise o volume de busca dessas palavras;
  • Selecione mais de uma palavra para o anúncio;
  • Pense como o seu cliente/paciente.

Seguir passos como esses vai fazer com que seus anúncios atinjam as pessoas certas no momento mais apropriado e se aproximem do momento de compra, que é o intuito de uma estratégia de ADS.

Mas quais são as vantagens de fazer tudo isso?

1 – Fácil metrificação

Seguindo o exemplo do começo, com o Google Ads é possível mensurar os resultados do seu anúncio sobre planos odontológicos de forma rápida e prática!

2 – Influência sobre o público

Por meio dos anúncios de remarketing do Google Ads é possível influenciar seus potenciais clientes.

Isso por que, os usuários que acessam um site por meio de qualquer fonte, podem ser categorizados em vários públicos-alvo diferentes.

Pelo remarketing, seu público recebe mensagens segmentadas sobre assuntos que podem interessá-lo (seu anúncio), o que influencia diretamente em sua decisão de compra.

3 – Visibilidade 

Como foi dito lá no começo do texto, 4 bilhões de pessoas pesquisam no Google diariamente, ou seja, ele é uma vitrine.

Obviamente é impossível que um consultório ou clínica tenha todo esse alcance, por isso é necessário checar o volume de busca mensal sobre os termos que vão ser usados nos seus anúncios.

Por exemplo, a palavra-chave plano odontológico tem 1.000 de volume de busca mensalmente, isso significa que esse é o número de pessoas que pesquisam por ela.

Cabe ao seu consultório ou clínica estruturar um anúncio que seja de alta conversão.

4 – Resultados rápidos

O AdWords é incrivelmente rápido. É possível colocar uma campanha no ar hoje e obter os primeiros resultados já amanhã. 

O melhor de tudo é que todo esse desempenho é bastante fácil de ser analisado pela própria integração da plataforma com o Google Analytics.

A vantagem disso é que se algum anúncio não estiver alcançando os resultados esperados as mudanças podem ser feitas rapidamente.

5 – Ferramenta barata

Quem decide o que vai pagar é você. Simples assim.

Basicamente, é possível definir quanto gastar a cada mês e ajustar seu orçamento baseado nos resultados obtidos durante a campanha. 

Ou seja, se os anúncios estiverem performando bem é só subir o investimento para captar mais pacientes e aumentar as vendas.

O Google Ads é um recurso que está se tornando cada vez mais popular graças à democratização da internet e claro, a mudança da maneira em que as pessoas consomem atualmente.

Investir na ferramenta é fundamental para aumentar as vendas no curto prazo e os 5 motivos apresentados neste conteúdo são comprovadamente eficientes, porém não são os únicos.

Fato é que: nunca deixe de estudar o seu público antes de montar campanhas e por fim, realize testes para alcançar os benefícios aqui apresentados. Não existe fórmula mágica.

 

Este conteúdo foi produzido por Ideal Odonto

robo

Robôs farão delivery sem contato durante pandemia de Covid-19

A crise gerada pelo coronavírus mudou a dinâmica socioeconômica do planeta. Com isso, algumas soluções estão sendo revistas e melhoradas para oferecer ainda mais segurança à população, como é o caso dos serviços de delivery. Nesse cenário, a DHL Supply Chain e a Unike Technologies se juntaram a MyView, especializada em automação de drones, desenvolveram um projeto baseado em inteligência artificial para atuar nas entregas em domicílio.

O MyView D4 Touchless Delivery realizará entregas por veículo terrestre autônomo em condomínios, sem contato humano, um conceito global batizado touchless delivery (entrega sem contato). Os veículos remotos serão embarcados com a tecnologia Unike, de reconhecimento facial, para que a entrega seja feita de forma segura.

O projeto parte do princípio fundamental de manter o distanciamento social entre o entregador e o consumidor, em alinhamento com as recomendações da OMS, conforme o seguinte passo-a-passo:

O transporte do produto, adquirido via internet, ocorre da forma usual (moto, bike, carro etc.) da loja em que foi expedido até a portaria do condomínio.
A entrega do produto ao consumidor é realizada por um robô autônomo, movido por geolocalização e conduzido por inteligência artificial, entre a portaria do condomínio e a casa do cliente.

Plano de expansão no delivery

O projeto foi lançado no início de junho em dois condomínios da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

As entregas piloto serão realizadas durante o período de isolamento social devido à pandemia, com o objetivo de oferecer serviço regular de entregas automatizadas touchless ao mercado de last mile delivery em algumas das principais cidades da América Latina, em um futuro próximo.

Fonte: ecommerce Brasil

email

Como usar e-mail marketing na comunicação do seu e-commerce

Você já sabe como utilizar o e-mail marketing dentro dos canais de comunicação do seu e-commerce? Ele pode ser essencial para uma série de ações da sua empresa, podendo trazer resultados bastante positivos. 

Qualquer loja virtual precisa investir no relacionamento com seus clientes, criando um contato mais próximo e mais direto, que possibilite que os compradores confiem na sua marca e a indiquem para outras pessoas. 

Sendo assim, além de tornar o seu e-commerce mais atrativo, é essencial abrir o seu blog, marcar presença nas redes sociais, disponibilizar canais de atendimento como telefone e chat e, de maneira especial, utilizar o e-mail marketing.

Anteriormente, o envio de e-mails era considerado uma maneira incômoda de abordar o seu público, já que as mensagens eram muito vagas e tinham como foco apenas a venda de produtos. 

Isso ocorria porque, no geral, as empresas adquiriam listas de outros estabelecimentos, fazendo o envio de um tipo de spam, considerando que nem sempre haveria interesse em se comprar o que era oferecido. 

Mas a realidade hoje mudou: antes de vender pulseira de prata feminina, o e-commerce vai estabelecer uma relação com esse cliente, enviando informações importantes do seu segmento e fazer com que as pessoas queiram adquirir o produto futuramente. 

Além disso, atualmente as empresas reconhece a necessidade de construir a sua própria lista de leads, sabendo que os resultados com um trabalho direcionado, para as pessoas que buscam o que o e-commerce oferece, podem ser muito mais eficazes. 

Por isso, utilizar o e-mail marketing tornou-se essencial para uma comunicação mais efetiva com os clientes. 

Quer saber como utilizá-lo na sua loja virtual? Então siga na leitura deste conteúdo e entenda o assunto. 

O que é o e-mail marketing e quais são as suas possibilidades?

Tal como um flyer de festa, o e-mail marketing pode ser uma maneira simples e interessante de levar algumas informações para o conhecimento do público. 

Ao acompanhar o desenvolvimento das formas de se fazer publicidade e comunicação, é possível perceber que cada vez menos pessoas são adeptas do envio de correspondências. 

Isso se dá, de modo bastante expressivo, devido à tecnologia e o quanto ela está presente no dia a dia das pessoas. 

Um exemplo disso é o de quando uma pessoa precisa adquirir uma janela para banheiro: ela certamente utilizará a internet para encontrar modelos e preços atrativos.

No mesmo sentido, quando uma empresa, e em especial um e-commerce, precisa se comunicar com o seu público, ela recorrerá às ferramentas mais atuais e dinâmicas, como é o caso do e-mail marketing. 

Afinal, por ele é possível enviar mensagens como:

  • Promoções e descontos nos seus produtos;
  • Novidades institucionais do seu negócio;
  • Dar boas vindas para um novo cliente;
  • Felicitações em datas comemorativas;
  • Envio de conteúdos relevantes para os leitores;
  • Entre outros.

Por isso, além de ser uma forma de comunicação, outra possibilidade que o e-mail marketing apresenta é a de atração. 

Uma mensagem bem elaborada, que traga informações relevantes tais como os benefícios de um polimento automotivo, a indicação de periodicidade com que deve ser feito e como potencializar os efeitos do procedimento, pode chamar a atenção de quem a lê.

Assim, o efeito gerado no público é o de interesse, possibilitando que as pessoas que queiram adquirir os produtos para realizar o polimento no seu automóvel façam uma compra no seu e-commerce. 

Por fim, outra possibilidade do e-mail marketing é a de fidelizar os clientes de uma loja virtual. 

Isso porque, ao realizar um pedido no e-commerce, as etapas seguintes podem ser responsáveis por proporcionar uma boa credibilidade do comprador na marca. 

Nesse sentido, as mensagens que enviam o passo a passo, que pode ir desde a confirmação do pagamento até a saída do pedido para a entrega, vão confirmar a prestatividade da empresa e comprometimento de fazer com que o cliente esteja informado.

Esse tipo de cuidado é essencial para que o público saiba da preocupação do e-commerce em atender bem o seu público, garantindo que novas compras sejam feitas futuramente. 

Além disso, o envio de conteúdos relevantes para os potenciais e atuais consumidores da sua loja virtual pode ser um determinante na fidelização desses compradores. 

Afinal, os materiais de qualidade enviados aos clientes são grandes responsáveis por conferir fazer com que os leitores percebam o domínio e a autoridade que o e-commerce possui no setor onde atua, o que passa maior tranquilidade para eles. 

Estratégias para o uso do e-mail marketing no e-commerce

O e-mail marketing pode ser importante por vários motivos, mas saber utilizá-lo para potencializar o seu e-commerce é indispensável para colher bons resultados.

Há uma série de estratégias que podem contribuir para que uma loja virtual consiga aumentar as vendas de um ventilador industrial, por exemplo, graças ao envio de mensagens assertivas. 

Por isso, conhecer algumas delas pode ser essencial para o seu e-commerce, conforme veremos a seguir.

1. Produção de conteúdos para e-mail marketing

Você já conhece o benefício do marketing de conteúdo para o seu negócio? Pois saiba que ele pode ser ainda mais eficaz ao ser introduzido nas suas estratégias de e-mail marketing. 

A produção de materiais relevantes, que levem informações de qualidade e possam oferecer um novo conhecimento aos leitores, é uma das maneiras mais eficazes de agregar valor ao seu negócio.

O blog sempre foi uma plataforma utilizada para a postagem de artigos, e pode ser usado para potencializar o seu e-commerce, mas o e-mail marketing é uma alternativa mais direta para garantir que os seus clientes saibam sempre que houver um novo conteúdo.

Além disso, uma das principais indicações do marketing de conteúdo é justamente manter a periodicidade nas postagens de diferentes materiais. 

Ao decidir compartilhá-los por e-mail marketing, você faz com que eles cheguem nas pessoas que possuem interesse no tipo de material que você publica e faz com que os resultados do e-mail marketing tragam benefícios para a sua loja virtual. 

Nesse sentido, é possível dizer que o envio de mensagens com conteúdos relevantes pode ser uma maneira prática de se comunicar com o público do seu e-commerce.

2. Técnicas de SEO

As técnicas de SEO (Search Engine Optimization) também pode ser incluídas no seu e-mail marketing, garantindo melhores resultados para o seu e-commerce.

Quando você envia uma mensagem falando sobre o lançamento de um corrimão de vidro na sua loja virtual, esse conteúdo pode ser elaborado para levar os leitores até o site. 

Com essa estratégia, o e-mail marketing se torna mais eficaz para o e-commerce, ajudando na popularidade do site dentro dos mecanismos de busca. 

Isso porque ocorre um aumento no tráfego do seu e-commerce ao se utilizar links dentro do conteúdo elaborado e enviado por e-mail, permitindo que os destinatários cliquem nesses endereços que vão levá-los até a página. 

Além disso, você pode chamar a atenção do público para um comunicado que esteja sendo feito no site, levando-os até a loja virtual para saber mais sobre o assunto. 

Nesse sentido, o e-mail marketing cria uma ponte entre o leitor e a sua loja virtual, possibilitando que os clientes recebam atualizações, de modo que o relacionamento entre consumidor e e-commerce seja cada vez mais próximo. 

3. Envio de lembretes

É essencial que os meios de comunicação da loja virtual com os compradores sejam fáceis e dinâmicos, para que qualquer dúvida ou sugestão possa ser acolhida e tenha uma resposta rápida por parte do e-commerce. 

Essa deve ser uma via de mão dupla, ou seja, tanto a empresa deve estar aberta e acessível ao seu público, quanto ela deve investir na relação com eles, para se manter sempre presente no dia a dia das pessoas.

Assim, o e-mail marketing pode ser uma ferramenta que auxilia a loja virtual a mostrar que ela está atenta aos movimentos feitos pelos clientes dentro do site. 

Uma loja virtual que venda grampeador de tapeceiro, por exemplo, pode ter o e-mail marketing configurado para envio de lembretes para os seus clientes, principalmente nos casos onde acontece o abandono do carrinho. 

Esse tipo de uso pode trazer bons resultados para o e-commerce, permitindo que os compradores retornem ao momento da compra e finalizam, enfim, o pedido. 

Afinal, esse abandono de carrinho pode ter sido feito em uma situação inesperada, de modo que é fundamental lembrar o cliente sobre a ação que ele estava executando no seu site, indicando que ela pode ser retomada com apenas um clique. 

Por isso, essa pode ser uma outra forma para que um e-commerce especializado em interruptor intermediário consiga melhorar a comunicação com o público e potencializar as suas vendas.

As estratégias abordadas neste conteúdo mostram o quanto o e-mail marketing pode ser utilizado dentro em uma loja virtual para otimizar a comunicação da plataforma com os clientes, se tornando uma ferramenta indispensável para qualquer tipo de e-commerce.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos. 

Referências:

https://www.escoladeecommerce.com/artigos/e-mail-marketing-para-loja-virtual/

https://www.iagente.com.br/blog/email-marketing-para-ecommerce/

https://www.ecommercebrasil.com.br/artigos/email-marketing-e-seo-mas-nao-do-jeito-que-voce-esta-pensando/

dente

4 tendências de Marketing Digital para Consultórios Odontológicos

Com a internet transformando cada vez mais nossos hábitos de compra e a forma com que nos comunicamos, o Marketing Digital torna-se fundamental às empresas que querem se manter relevantes, e com a odontologia não é diferente. 

Eu nem te conheço, mas sei de uma coisa a seu respeito: a última vez em que você comprou algo sem antes se consultar com a internet já faz muito, mas muito tempo.

Sabe por quê? A sua jornada de compra agora é inteiramente baseada em autonomia antes de chegar ao momento de decisão, graças ao Marketing Digital e seus avanços.

Em outras palavras, antes de fechar negócio você já sabe do que precisa, como aquilo irá resolver seu problema, onde encontrar, o melhor preço e demais informações sobre o produto, aí é só chegar na loja e digitar a senha.

Diante disso, por que não adotar as tendências do Marketing Digital e aplicá-las no seu consultório a fim de atrair e fidelizar pacientes, gerar autoridade à sua marca e atingir resultados rápidos?

Veja agora o que fazer para tornar o seu consultório odontológico relevante no mercado!

Por que investir em Marketing digital, mesmo?

Vou devolver a pergunta: você conhece alguma grande empresa do mercado atual que só trabalha off-line?

Para simplificar, uma empresa que não investe em Marketing Digital atualmente está completamente fora da disputa com a concorrência.

Hoje as pessoas estão na internet para passar o tempo, buscar por informações, consumir e acredite: tudo isso quase sempre está interligado.

Principais tendências que transformarão a divulgação do seu consultório!

  1. Seu site é seu cartão de visitas 

Os sites seguem como porta de entrada para todos os potenciais clientes interessados no seu consultório. E nesse espaço as visitas devem se sentir à vontade.

Por isso, criar uma boa impressão através de um design atrativo e ter um site responsivo com fácil navegabilidade para smartphones é um dos primeiros pontos para que o usuário permaneça com você para te conhecer melhor. 

Invista não só no design do site mas também no visual dos profissionais e espaços que aparecerem em suas fotos! A boa imagem é um fator que impacta muito na percepção de qualidade.

É importante também que esse meio seja capaz de comunicar o que seu consultório oferece e que seja fácil fazer contato com você por lá. Se um cliente está procurando quanto custa um tratamento de canal é imprescindível que canais de contato como chatbots, formulários de e-mail e principalmente WhatsApp estejam visíveis para interação.

Conteúdos através de blog

Mais do que nunca, as pessoas estão buscando respostas para diversas questões e é você que deve respondê-las quando se trata dos serviços que seu consultório oferece! 

Por isso, iniciar um blog com conteúdos relevantes, diferenciados e de qualidade são capazes de te transformar em uma autoridade no assunto e um profissional ainda mais valorizado em seu meio. 

Crie conteúdos baseados em perguntas que seus pacientes geralmente fazem pra você. Supondo que você é Clínico Geral e escuta frequentemente um “Doutor, restauração de dente quanto custa?”. Você não informa o valor exato no conteúdo, mas pode demonstrar no sua expertise sobre o procedimento e porque são cobrados tais valores. 

Conhecimento e uso de SEO

SEO significa Search Engine Optimization, ou seja, Otimização para Mecanismos de Busca. Prestar atenção em alguns fatores contribuem para que você esteja em evidência nos buscadores, alguns deles são: 

  • Palavra-chave: Escolha termos específicos de acordo com o assunto que vai tratar para que os mecanismos entendam que você também agrega valor a ela dentro do seu nicho de atuação;
  • URL: A URL é o endereço do seu site, então além de ser curta e de fácil memorização, esse endereço deve corresponder ao conteúdo da página. Se, por exemplo, você estiver falando sobre clareamento dental preço, sua url deverá ser blog.apenasumexemplo.com/clareamento-dental-preco;
  • Conteúdos atualizados: Procure investir em conteúdos perenes que estão no imaginário dos pacientes há muito tempo, e ao falar sobre tendências em seu nicho, atente-se às atualizações que aconteceram para aquele assunto.

Redes Sociais também são um cartão de visitas

Então não esqueça de investir nas redes sociais em que seu público pode te encontrar com mais facilidade, continue priorizando sua identidade visual aqui tanto quanto em seu site, assim a percepção de qualidade estará cada vez mais alta. 

O conteúdo deve ser diferenciado e de qualidade e aqui é possível abusar de vídeos e imagens explicativas com curiosidades chamando as pessoas para o seu blog e principalmente para seu consultório. 

Utilizando storys, por exemplo, você pode responder perguntas sobre aparelho lingual preço atraindo mais pessoas a entender porque você é o especialista certo no assunto, afinal você não tem medo de contar um pouco mais a respeito. 

E também cuide para que suas contas possuam assiduidade de postagens e respostas a mensagens e comentários, a fim de garantir que sua audiência sempre esteja interessada em saber mais sobre você e que sua presença sempre esteja evidente, não como uma opção, mas como uma prioridade e escolha de confiança. 

 

Conteúdo produzido pelo blog Clínica Ideal

Annotation 2020-06-20 214730

Chatbot: tudo o que você precisa saber

Você acredita que no futuro será possível conversar com robôs? E se te dissermos que hoje em dia isso já existe, aliás, você mesmo pode ter conversado com algum ao longo da sua vida?

Seja para solicitar produtos, buscar informações diversas, tirar dúvidas e fazer reclamações, o chatbot é um protótipo pode promete grandes avanços na comunicação e no relacionamento entre empresas e clientes!

O chatbot se trata de um sistema muito utilizado entre empresas de todos os segmentos. Se você deseja comprar um uniforme profissional, mas tem dúvidas em relação ao produto, por exemplo, ao invés de ter o trabalho de entrar em contato diretamente com a empresa, as suas necessidades são sanadas em questão de minutos por meio do chatbot.

Mas você sabe o que é um chatbot? Como ele pode contribuir com a comunicação de uma empresa? Quais os seus tipos?

Se você ainda não tem conhecimento sobre o assunto, fique tranquilo. Neste post, vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre a ferramenta. Continue nos acompanhando neste artigo!

O que é o chatbot?

Basicamente, o chatbot diz respeito a uma ferramenta da inteligência artificial que simula um agente de atendimento para o usuário.

Essa ferramenta automatiza os processos de suporte e comunicação, oferecendo respostas e mensagens programadas para as perguntas dos usuários.

Normalmente, os chatbots se encontram nas plataformas de websites, e são encontrados em formatos de chat online. Ao entrar em contato com um chatbot, geralmente é preciso informar a sua dúvida para obter uma resposta programada.

No entanto, além de serem encontrados em páginas da web, os chatbots também estão disponíveis por meio de telefone (autoatendimento eletrônico), aplicativos, redes sociais e totem digital.

Apesar do chatbot ser um software que está em plena expansão, ele ainda não consegue substituir um agente virtual, ou seja, um humano. Isso, pois a programação ainda não conseguiu fazer com que os chatbots tivessem tanta naturalidade e fluidez nas conversas.

Quais são os tipos de chatbot?

O chatbot pode apresentar funcionalidades diversas. Eles são encontrados em dois tipos. Veja abaixo quais são eles:

  • Chatbot baseado em regras predefinidas: esse tipo de chatbot utiliza botões e opções para conversar. É o mais comum e utilizado pelas empresas, pois agiliza o tempo dos usuários e fornece informações mais claras.
  • Chatbot de machine learning: essa versão otimiza as suas respostas conforme o tempo e a experiência. Ou seja, ele se auto desenvolve e cria suas próprias respostas.

Vimos que as duas versões de chatbots são bastante vantajosas. Se um determinado cliente entra em contato com o chabot para saber sobre divisórias para escritório, por exemplo, enquanto o primeiro modelo de chatbot tem respostas limitadas, mas funcionais, a segunda versão irá se tornando apenas eficiente ao longo do tempo.

Agora que você já sabe tudo sobre o chatbot e como é a sua funcionalidade, o que acha de adotar esse sistema em seu negócio e se destacar?

Esse artigo foi escrito por Rafaela Ricardo, Criadora de Conteúdo do Soluções Industriais

green-marketing

Como funciona o marketing verde?

Você já ouviu falar no marketing verde? Também conhecida como marketing ambiental, ele é uma das alternativas que buscam destacar uma empresa diante de um posicionamento de consciência ecológica.

O marketing verde está se tornando cada dia mais popular entre as empresas. Afinal, o assunto de sustentabilidade já gira em torno da maioria dos clientes. Nos dias de hoje, pessoas de todo o mundo passam a defender as práticas ecologicamente corretas.

Por isso, além dessas pessoas já se tornarem mais sustentáveis com ações pessoais, elas também buscam produtos e serviços que tenham os mesmos ideais.

E em muitos casos não é só a preferência, mas muitos clientes também cobram a empresa a mostrar as suas práticas que contribuem com a preservação do meio ambiente.

Seja em uma agência de publicidade, uma indústria de produtos de decoração ou empresa de locação de tendas, entre outras, o marketing verde está prestes a se tornar uma questão de prioridade para sobreviver com uma imagem positiva e posicionada no mercado!

Pensando nisso, nós elaboramos este post para te mostrar todos os detalhes de como funciona o marketing verde e como é possível aplicá-lo em seu próprio negócio. Quer saber mais sobre o assunto? Então vamos lá!

O que é e como funciona o marketing verde?

Marketing verde, ecomarketing, marketing ambiental, marketing ecológico ou marketing sustentável. Essas são algumas das diversas maneiras como ele é chamado.

De forma básica, o marketing verde se trata de um conjunto de estratégias que priorizam e buscam expor a consciência ecológica da empresa.

Normalmente, as ações são focadas nos produtos e serviços empresariais, que por sua vez, agregam uma série de benefícios ao meio ambiente.

O objetivo do marketing verde é mostrar ao público que sua empresa se preocupa em adotar um posicionamento sustentável diante do mercado!

Por isso, a estratégia de marketing verde é muito versátil e pode ser aplicada em qualquer organização.

Se você trabalha com chapa de acrílico, é possível mudar os processos internos de produção ou fabricar o produto com materiais mais ecológicos, por exemplo, além de expor e divulgar as ações de forma positiva!

Como aplicar o marketing verde?

Mesmo com milhares estratégias de marketing verde disponíveis para serem aplicadas em sua empresa, abaixo nós falaremos sobre algumas iniciativas que podem ser interessantes para o seu negócio. Confira:

  • Economize água sempre que possível.
  • Separe seu lixo industrial de maneira adequada e destine-o a para as empresas responsáveis por reciclagem.
  • Faça parceria com uma empresa de tratamento de efluentes para cuidar de todas a matéria dissolvida do seu processo produto que pode prejudicar o meio ambiente.
  • Reaproveite todos os materiais possíveis em seu processo de fabricação.
  • Substitua ou altere os seus produtos e serviços por alternativas mais ecológicas.
  • Opte por fabricar embalagens que sejam descartáveis ou recicláveis.
  • Procure por maneiras de aumentar a durabilidade dos produtos da sua empresa.

Agora que você já sabe de tudo sobre o marketing verde, o que está esperando para aplicá-lo em seu próprio negócio e se destacar? Gostou do nosso post? Conta pra gente!

Esse artigo foi escrito por Rafaela Ricardo, Criadora de Conteúdo do Soluções Industriais.

webinar

Webinar: saiba o que é e como funciona

Você já ouviu a previsão de que no futuro a internet será dos vídeos? E não é apenas um palpite, mas sim, diversas pesquisas indicam que, daqui há alguns anos, os vídeos irão dominar a internet.

Para você ter uma ideia, a sexta edição da Video Viewers em conjunto com o Google e Provokers, afirmou que o consumo de vídeo nos meios online cresceu cerca de 165% nos últimos cinco anos, enquanto o de programação de TV obteve uma aumento de apenas 24% no mesmo período.

Ou seja, o vídeo já está se tornando uma das ferramentas mais poderosas do marketing digital, já que também é capaz de gerar leads (potenciais clientes), ampliar o relacionamento de uma empresa, auxiliar no processo de nutrição e até mesmo impulsionar os leads em sua jornada de compra.

E o webinar é uma ferramenta que possibilita uma empresa a gerar estratégias de vídeo inovadoras e personalizadas.

Especialmente se você atua com nicho, como no fornecimento de conexões pneumáticas, por exemplo, o webinar pode ser vantajoso para explicar as vantagens e conceitos dos seus produtos, garantindo a experiência dos clientes.

Mas, afinal, o que é o webinar e como funciona? Neste post, nós iremos falar sobre todos os detalhes do assunto, por isso, continue nos acompanhando!

Afinal, o que é webinar?

O termo “webinar” é uma abreviação da expressão em inglês “web based seminar”, que significa algo como: seminário realizado pela internet.

Basicamente, o webinar é um modelo de videoconferência, ou seja, a conferência de vídeo entre dois ou mais dispositivos de maneira online e instantânea, só que com fins comerciais ou educacionais.

Ou seja, pode ser definido como uma palestra online. Imagine que uma empresa de insumos para cerveja queira lançar um novo produto e gostaria de apresentá-lo ao seu público.

Para isso, ao invés de ter o trabalho de organizar um evento e chamar todos os visitantes, levando em consideração os imprevistos, trânsitos, esforços e estrutura, a empresa pode utilizar a internet para realizar o seu próprio webinar de maneira online e otimizada!

Como funciona um webinar?

Normalmente, o webinar é uma videoconferência apresentada em formato de palestra ou seminário, ou seja, nela, há um apresentador que conduz todas as informações e exposição, além de também interagir com os visitantes por meio de um chat que fica incluso dentro da própria plataforma,

Hoje em dia, é possível encontrar diversas plataformas para a realização de um webinar, como o YouTube Live, GoToWebinar e até mesmo o Google Hangouts.

Se você vende rachador de lenha, com um webinar, é possível apresentar seu produto apenas utilizando uma câmera, microfones e alguns equipamentos de iluminação. Ou seja, é uma maneira simples e com um baixo custo para atrair leads, aumentar a sua notoriedade e melhorar o seu relacionamento!

Agora que você já sabe o que é o webinar e como ele funciona, o que está esperando para aplicá-lo em suas estratégias de marketing digital? Gostou do nosso conteúdo? Conta pra gente!

Esse artigo foi escrito por Rafaela Ricardo, Criadora de Conteúdo do Soluções Industriais.

roi-new

ROI: o que é e por que ele é tão importante para seu negócio

Há muito tempo atrás, para um negócio desenvolver e aplicar alguma campanha de marketing, as bases de mensuração eram o achismo e as referências de outras empresas,

Como resultado, a organização não conseguia saber se a estratégia era realmente eficaz, ou se ela trouxe algum retorno para a empresa.

No entanto, nos dias de hoje isso mudou. Desde o surgimento do marketing digital, as técnicas de mensuração se tornaram uma questão de prioridade para as empresas que querem se destacar frente ao mercado.

Ainda mais com inúmeras possibilidades de estratégias, para que um empresa de seringa de insulina, por exemplo, faça uma escolha de qual utilizar, ele vai precisar analisar qual as possibilidades de retorno sobre o investimento de cada uma delas.

E um dos indicadores que mais teve eficácia dentre as métricas de mensuração é o ROI. Por se tratar de uma análise personalizável e versátil, ele pode ser utilizado para calcular qualquer tipo de investimento e captar as informações mais relevantes.

Pensando nisso, nós elaboramos este conteúdo para te explicar o conceito do ROI e mostrar qual a sua importância dentro do seu negócio. Quer saber mais sobre tudo isso? Então não deixe de nos acompanhar neste post! Vamos lá?

Afinal, o que é ROI?

Basicamente, o termo ROI é a sigla para a expressão em inglês “Return over Investiment”, que significa Retorno sobre Investimento.

Como o próprio nome já diz, ele se trata de uma análise em que é possível descobrir quanto um negócio está ganhando com seus investimentos.

A análise do ROI aborda todos os tipos de estratégias que geram algum lucro futuro ou até mesmo um prejuízo. Com ele, o gestor pode saber quanto ele poderá lucrar e em quanto tempo obterá o valor investido novamente.

Assim, é possível fazer a melhor escolha de estratégia e ainda obter eficácia nas ações, além de alcançar os melhores resultados com o menor índice de investimento e fazer uma empresa se desenvolver.

Além disso, o ROI está se tornando cada vez mais popular e recorrido, pois com o surgimento do marketing digital, muitas estratégias também vieram a tona.

Uma empresa de locação de tendas pode escolher entre e-mail marketing, SEO, marketing de conteúdo, links patrocinados, assessoria digital, e assim vai a lista. Por isso, o ROI proporciona uma maior clareza de quais ações realmente valem a pena.

Qual a importância do ROI?

Embora muitas empresas confiem e acreditam que as estratégias de marketing apresentam retornos significativos, na prática, elas podem proporcionar resultados muito diferentes, dependendo do público-alvo, porte, segmento, etc.

Isso significa que não adianta uma agência de publicidade implementar as mesmas estratégias que uma indústria de chapa de acrílico, por exemplo.

Por essa razão, adotar a métrica de ROI auxilia ao gestor sobre as características e potencial de determinadas campanhas.

Com o ROI, é possível saber se os canais de comunicação é mais efetivo, se o desempenho das campanhas de marketing estão atingindo resultados desejáveis, se o atendimento do cliente está contribuindo para a sua fidelização, entre outros fatores que influenciam no sucesso da empresa.

Agora que você já entendeu tudo sobre o ROI e sabe qual é a sua importância, o que acha de aplicá-lo em seu negócio e se destacar? Gostou do post? Conta pra gente!

Esse artigo foi escrito por Rafaela Ricardo, Criadora de Conteúdo do Soluções Industriais.