Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

5 dicas de como utilizar Inbound Marketing para e-commerce

O Inbound Marketing é uma estratégia muito eficaz na prospecção de clientes, ainda mais para quem trabalha com a internet, como e-commerces e lojas virtuais.

Ao contrário das tradicionais experiências de propaganda, com anúncios invasivos e sensacionalistas de produtos ou serviços, o Inbound vai de encontro ao novo perfil do consumidor, muito mais interessado em adquirir conhecimento e ter informações valiosas.

Diante disso, ao invés de anunciar uma oferta de uma cadeira de escritorio sem rodinha, por exemplo, o Inbound Marketing irá desenvolver um conteúdo relevante, com dicas de decoração para home office, entre outras especificações para atrair os clientes.

De acordo com uma pesquisa da HubSpot, cerca de 75% das empresas que aplicam o Inbound Marketing acreditam que suas estratégias são eficazes. 

Ao lado disso, 59% dos profissionais de marketing afirmam que o método é capaz de oferecer leads (potenciais clientes) de melhor qualidade para a equipe de vendas.

As vantagens do Inbound são inúmeras, já que o público não se sente invadido pela publicidade, mas sim, contemplado com materiais ricos sobre um determinado assunto.

Assim, a estratégia leva em conta todas as etapas do processo de compra, oferecendo informações interessantes para influenciar na tomada de decisão. 

Ou seja, o Inbound Marketing converte conteúdos para os estágios de:

  • Aprendizado e descoberta;
  • Reconhecimento do problema;
  • Consideração de soluções;
  • Decisão da compra.

Em resumo, o Inbound entrega o conteúdo certo, para o perfil ideal do cliente, no momento mais adequado. 

Por esse motivo, o método é bastante eficiente na conversão de leads e no aumento das vendas nos comércios eletrônicos.

No artigo de hoje, conheça algumas dicas de como utilizar o Inbound Marketing para e-commerce e alcançar ótimos resultados!

1 – Invista na criação de conteúdo informativo

O conteúdo é o coração da estratégia de Inbound. Não é à toa que o marketing de conteúdo é o grande protagonista das campanhas, seja para o compartilhamento de materiais em blogs, redes sociais ou outras plataformas midiáticas.

Segundo a Content Trends, o marketing de conteúdo consegue gerar 4 vezes mais visitas em sites ou blogs, além de render 5 vezes mais leads para as empresas. No Brasil, mais de 70% das empresas utilizam a estratégia.

Para uma produção de qualidade, não basta falar apenas do produto ou serviço, mas trazer informações relevantes, que possam ser úteis para a audiência.

Por exemplo, se um e-commerce vende um gabinete de cozinha 2 metros, pode ser interessante falar sobre as vantagens dos móveis pré-fabricados. 

Ou seja, é trazer materiais sobre o nicho de atuação, sem necessariamente mencionar a mercadoria.

Importante ressaltar que a produção de conteúdo também deve ser diversificada e respeitar as especificações de cada mídia, até porque o artigo de um blog é diferente de uma legenda para um perfil no Instagram.

2 – Use técnicas de SEO (Search Engine Optimization)

O SEO, ou otimização para os mecanismos de busca, é um conjunto de técnicas que visa melhorar a classificação da sua página web nos buscadores, em especial o Google. 

Dessa forma, o seu conteúdo pode aparecer em destaque dentro dos resultados de pesquisa, o que gera aumento no tráfego orgânico e maior conversão de leads.

É interessante notar que o SEO trabalha em conjunto com o marketing de conteúdo. Muito disso, deve-se à própria dinâmica do algoritmo do Google, que lê majoritariamente códigos e textos. 

Por isso, é comum que os e-commerces tenham blogs em seus sites, para compartilhar artigos e melhorar a classificação nos buscadores.

Uma das técnicas mais comuns do SEO é o emprego de palavras-chave. 

Assim, ao tratar sobre banho de niquel, por exemplo, o responsável irá empregar os termos mais pesquisados nos mecanismos de busca dentro do conteúdo, para ajudar no rankeamento.

Mas o SEO também faz uso de outros recursos, como:

  • Considerar uma boa experiência de leitura do usuário;
  • Ter linkagens dentro do artigo (link building);
  • Oferecer uma boa navegabilidade em dispositivos móveis;
  • Construir um material atrativo e relevante.

Conforme dados do SEO Trends, os e-commerces no Brasil que investem em otimização conseguiram 13,2 vezes mais visitantes e 5,7 vezes mais clientes.

Por esse motivo, cada vez mais empresas buscam adaptar seus conteúdos com SEO. 

Diante disso, 61% dos profissionais de marketing afirmam que a estratégia é responsável pelo aumento da presença orgânica, sendo prioridade no Inbound.

3 – Identifique as personas

O Inbound Marketing tem como principal característica a oferta de conteúdo para um determinado público-alvo. Isso quer dizer que os materiais sobre micrometro centesimal, por exemplo, serão oferecidos para pessoas interessadas, com reais intenções de compra.

Para isso, é importante definir quem são as personas, isto é, o perfil ideal dos clientes. 

Somente assim, é possível orientar as campanhas, com conteúdos altamente segmentados, direcionados e assertivos.

A persona é um personagem semi-fictício, elaborado com base nas características do público-alvo do negócio. Para coletar esses dados, é necessário fazer uma pesquisa de mercado, coletando algumas informações, tais como:

  • Faixa etária;
  • Estado civil e gênero;
  • Escolaridade;
  • Nível socioeconômico;
  • Comportamentos de compra;
  • Localidade;
  • Entre outros.

Quanto mais dados, melhor. No entanto, a persona precisa ir além – tem que ter uma história de vida, um contexto. 

Isso ajuda na humanização do conteúdo e, consequentemente, as pessoas passam a confiar mais no seu e-commerce.

4 – Acompanhe o funil de vendas

Além de oferecer o conteúdo para a pessoa certa, o Inbound também direciona materiais no momento certo. 

Quer dizer, talvez o usuário ainda esteja longe de comprar cloreto de magnesio pa em pó 1kg porque ainda não recebeu informações suficientes para tomar essa decisão.

Por causa disso, o Inbound Marketing deve acompanhar o funil de vendas, isto é, a jornada de compra do consumidor. Dessa forma, é possível verificar em qual estágio o usuário está (mais próximo ou mais afastado do fechamento do negócio).

Normalmente, o funil de vendas é dividido em três etapas: 1) topo do funil (descobrimento); 2) meio do funil (consideração); 3) fundo do funil (compra).

Para o primeiro estágio, recomendam-se os blogs posts, em que o usuário irá conhecer mais sobre o produto ou serviço. 

Assim, é possível usar o SEO para que mais visitantes possam se deparar com um artigo sobre o uso da espatula de laboratorio, por exemplo.

No meio do funil, o usuário já conhece o produto ou serviço, sabe que tem um problema e precisa resolvê-lo, mas ainda não está completamente decidido. 

Aqui, vale a pena investir em ações de e-mail marketing, bem como demais iniciativas que ofereçam conteúdos continuamente e aprofundados aos leads.

Por fim, o fundo do funil é a compra propriamente dita. Neste momento, o cliente está levando em consideração possíveis concorrentes, então, é a hora de falar sobre os diferenciais do seu produto ou serviço. 

Por exemplo, o porquê a sua lona para tatame personalizada é considerada a melhor do mercado.

5 – Monitore os resultados

Há muitas maneiras de investir em Inbound Marketing. O segredo é saber direcionar as ações conforme o público-alvo, verificando os estágios de compra e considerando a produção de conteúdo informativo, relevante e de qualidade.

No entanto, assim como toda estratégia de marketing, o Inbound também exige o monitoramento e acompanhamento de resultados. 

Afinal, somente com a análise precisa de relatórios, é possível verificar se as iniciativas estão, de fato, gerando bons resultados ou é preciso adaptá-las.

Por exemplo, de nada adianta ter um grande número de visitantes no seu blog, se não há conversão de leads. 

Quando isso ocorre, é necessário pensar em novas estratégias para melhorar essa porcentagem e, assim, ter maiores chances de vendas.

Hoje em dia, há ferramentas especializadas na análise de resultados. Desse modo, os conteudistas podem ver o engajamento de uma publicação no Facebook sobre gaveteiro com rodinhas e comparar os dados.

No entanto, um erro muito comum é esquecer de fazer essa análise. 

Por isso, separe um dia do mês somente para verificar cada uma das iniciativas de Inbound e, se preciso, refazer algumas ações conforme os objetivos do seu e-commerce.

Conclusão

O Inbound Marketing visa atrair, encantar e fidelizar clientes, diferentemente do marketing tradicional. 

A abordagem faz uso de conteúdo relevante, oferecendo soluções para problemas específicos de um determinado público-alvo e influenciando a tomada de decisões durante a jornada de compra.

Talvez por isso a estratégia ganha cada vez mais notoriedade no mercado, já que grande parte dos conteudistas e profissionais de marketing consideram o Inbound como um dos métodos mais eficazes para prospecção de clientes.

No caso dos e-commerces, o Inbound se destaca ainda mais, visto que a estratégia é aplicada confortavelmente na internet, através de ações de blog posts, compartilhamento em redes sociais, e-mail marketing, entre outros.

Apesar de muito amplo, com as dicas acima, já é possível elaborar um planejamento assertivo de Inbound Marketing e, com isso, conquistar o reconhecimento no mercado.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Referências

https://rockcontent.com/blog/estatisticas-sobre-inbound-marketing/

https://inteligencia.rockcontent.com/estatisticas-de-seo/

https://blog.lahar.com.br/marketing-digital/inbound-marketing-e-commerce/

https://ecommercenapratica.com/como-usar-o-inbound-marketing-no-seu-ecommerce/

Auris

Por: Auris Ideias Digitais

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Mais notícias para você

Shopping Basket