Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Análise SWOT para e-commerce: saiba como montá-la e suas vantagens

Compreender como reconhecer problemáticas e verificar dados são atitudes imprescindíveis para todo empreendimento digital. Tanto que a Análise Swot para e-commerce tornou-se um dos métodos de verificação mais usados nos dias de hoje.

Embora a sua origem não seja recente, a estratégia é muito eficaz para as iniciativas digitais, devido ao seu alto poder de precisão e capacidade de cruzar informações de maneira simples, fácil e prática.Com isso, os gestores podem fazer uma varredura completa, mas sem gastar muito tempo, o que pode comprometer o desenvolvimento de campanhas online.

No artigo de hoje, conheça mais sobre a análise SWOT para e-commerce, saiba como montá-la e suas vantagens. Acompanhe a leitura!

O que é a Análise SWOT?

Também chamada de “Matriz FOFA”, a análise SWOT é um método de verificação do desempenho empresarial, sendo uma ferramenta usada para compreender os fatores internos e externos de uma empresa e, com isso, ter dados para tomada de decisões.

A análise SWOT é muito prática, o que permite a aplicação para os mais variados tipos de negócios – desde um prestador de serviços autônomos, até um buffet para festa de aniversário de grande porte.

Por isso, o método é frequentemente aplicado na administração de lojas virtuais, já que são necessárias constantes adaptações.

O termo SWOT é um acrônimo para Strengths, Weaknesses, Opportunities and Threats, que em português significa Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças, respectivamente (daí a sigla FOFA).

O método foi desenvolvido com base nos dados coletados das empresas Fortune 500, uma das classificações mais renomadas do mundo, que faz a organização das 500 maiores corporações existentes. 

Os quatro pilares da SWOT significam:

  • Strengths: tudo no que a empresa é boa;
  • Weaknesses: no que a empresa tem dificuldade;
  • Opportunities: as oportunidades do mercado;
  • Threats: as forças que ameaçam o negócio.

Na matriz, as forças e as fraquezas são categorizadas como “causas internas” de uma empresa. Já as oportunidades e ameaças, externos.

Além do mais, as forças e oportunidades são vistas como pontos positivos, enquanto as fraquezas e ameaças, são negativos.

Em resumo, a análise SWOT pode ser representada com o seguinte desenho:

Pense, por exemplo, em um e-commerce especializado na venda de jóias. Uma das “forças” do negócio pode ser a comercialização do anel de ouro feminino delicado, um dos carros-chefe da loja virtual.

Temos aí um fator interno e positivo. Ao mesmo tempo, o comércio eletrônico tem dificuldades para a confecção de conjuntos, como pares de brincos e colares, pois o público acredita que o preço de mercado não está competitivo. 

Aqui, temos uma das “fraquezas”, que é um fator interno ainda, porém negativo.

Ao mesmo tempo, não há perspectiva para melhora nos preços, uma vez que o mercado de ouro está com uma alta inflação. O que configura a “ameaça”, como fator externo e negativo.

O e-commerce está confeccionado um novo modelo de anel de formatura folheado a ouro, que é uma “oportunidade”, já que o seu público está com um nível de escolaridade cada vez mais alto (fator externo e positivo).

Como compreender os 4 quadrantes da SWOT?

Em geral, a análise SWOT é uma ferramenta relativamente simples. Por conta disso, uma parcela das estratégias dos negócios começam suas avaliações com o método e, posteriormente, incrementam novos modos de observação dos cenários.

Contudo, para colocar em prática a SWOT, é necessário compreender a fundo o que cada um dos seus quadrantes significa. 

A seguir, conheça com detalhes as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças:

1 – Strengths (Força)

Para averiguar quais fatores internos são capazes de representar bem o seu negócio, isto é, uma “força” da organização, vale a pena responder às seguintes perguntas:

  • Quais são as melhores atividades e processos da organização?
  • Quais os melhores produtos comercializados?
  • Quais recursos são diferenciais da concorrência?
  • O que a empresa oferece de novo aos clientes?

Por exemplo, um e-commerce de mochilas e bolsas pode ter como diferencial um produto único, que é a mala estilo vintage, com um excelente custo-benefício. Quer dizer que é uma mercadoria que a concorrência não tem e que faz sucesso com os compradores.

2 – Weaknesses (fraquezas)

Aqui temos o oposto da “força”, isto é, o quadrante representa o que falta à empresa, as desvantagens internas que podem limitar e prejudicar a atuação do negócio.

Para identificar esses fatores, responda:

  • A equipe tem uma boa qualificação?
  • Qual é a qualidade dos insumos e materiais?
  • Os processos operacionais são confiáveis?
  • Os preços são competitivos com o mercado?
  • A concorrência tem diferenciais que não possuímos?

Nos e-commerces, a questão do preço é muito importante, visto que a internet é capaz de oferecer um leque de vantagens, inclusive ofertas com melhores valores.

Mas vale dizer que a qualidade também é fundamental. Não adianta nada oferecer um super desconto em produtos de limpeza para cozinha de restaurante, se a mercadoria não tem qualidade e não agrada o cliente.

Isso também pode prejudicar os negócios e, neste caso, a falta de qualidade para manter o preço baixo é uma fraqueza.

3 – Opportunities (oportunidades)

As oportunidades referem-se aos aspectos externos que influenciam positivamente o seu e-commerce. Neste caso, é necessário ficar atento às condições do mercado, como:

  • Alguma política pública beneficia o meu negócio?
  • Há alguma redução de taxas de impostos?
  • Há algum atrativo na região que possa ser proveitoso?
  • O novo comportamento dos consumidores é favorável?

Um exemplo notório é o crescimento das vendas online após a pandemia do novo coronavírus.

Embora a crise financeira, as lojas virtuais tiveram a oportunidade de crescer, já que as pessoas não podiam sair de casa e as compras eram feitas na internet.

4 – Threats (ameaças)

Por fim, as ameaças representam os aspectos externos que prejudicam a sua empresa. 

Neste caso, há uma perda não só de lucros, mas fatores que determinam a sobrevivência ou não do seu negócio no mercado. Algumas perguntas para construir esse quadrante são:

  • Há algum grande concorrente?
  • Houve alguma mudança nos impostos?
  • A crise financeira está impactando os negócios?
  • O novo comportamento do consumidor é desfavorável?

Voltamos ao exemplo da pandemia da Covid-19. Embora fosse uma chance para os e-commerces, negócios como um transporte executivo bilíngue estão tendo que lidar com a queda, justamente devido ao isolamento social.

Como é um serviço que depende diretamente do contato presencial, não sendo feito online, a área de transportes, viagens e turismo, por exemplo, estão enfrentando uma crise e precisam se adaptar ao “novo normal”.

Quais as vantagens da análise SWOT para os e-commerces?

Uma das principais vantagens da análise SWOT é a sua facilidade de aplicação em qualquer tipo de negócio. 

Nesse sentido, as lojas virtuais que trabalham com a entrega de produtos ou que prestam serviços, como a instalação de um som para festa completo, podem usar a matriz para o planejamento estratégico assertivo da organização.

Vale dizer que os benefícios da SWOT impactam as empresas a longo prazo, já que a análise dos quatro fatores envolvidos no métodos ajuda a traçar novos planos e adaptações para as empresas.

Além do mais, a metodologia permite:

  • Compreender mais sobre o mercado e o seu negócio;
  • Traçar novas metas e objetivos;
  • Avaliar as condições favoráveis ou desfavoráveis para venda;
  • Conhecer melhor os concorrentes e os clientes;
  • Identificar possíveis tendências e novos mercados;
  • Prevenir-se de situações e cenários indesejados;
  • Trabalhar na melhoria contínua dos negócios;
  • Potencializar as qualidades da sua empresa;
  • Reunir diversos tipos de informações e dados;
  • Orientar investimentos e gastos.

A análise SWOT é interessante para que sua empresa crie um planejamento estratégico, tático e operacional efetivo.

Afinal, a organização passa a se conhecer muito melhor, tendo maior noção de quais são suas qualidades e fraquezas, bem como o contexto externo em que está inserida. Inclusive, a análise SWOT pode ser aplicada de modo pontual. 

Por exemplo, se uma loja quer saber se vale a pena investir em sacola kraft lisa para a embalagem de seus produtos, a metodologia é capaz de avaliar o cenário, a concorrência e até mesmo as preferências dos clientes.

Assim, o e-commerce saberá se esse tipo de invólucro é realmente ideal para o seu negócio, ou se é preciso procurar por novos tipos de sacolas.

Conclusão

A análise SWOT firmou-se como um dos meios fundamentais para a verificação das estratégias de empresas, incorporadas aos negócios online, como os e-commerces e lojas virtuais.

Prático e eficaz, o método apresenta os princípios internos e externos que podem prejudicar ou colaborar com a sua empresa, sendo possível traçar objetivos mais direcionados, assertivos e orientados.

Com isso, é possível reduzir significativamente os erros e prever cenários. Assim, mesmo em tempos de crise, os e-commerces já dispõem de soluções detalhadas, para garantir a sobrevivência no mercado.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Auris

Por: Auris Ideias Digitais

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Últimos Artigos e Notícias

Shopping Basket