Captura de tela 2021-05-03 151832

Entenda como sustentar uma boa quantidade de leads com conteúdos!

Já é conhecido no mundo do marketing um número chocante e que dá os caminhos de boas estratégias para prospectar leads: mais de 90% dos usuários que visitam o seu site pela primeira vez não vão consumir nada. 

Mas o que isso revela? Esses dados mostram a importância de conquistar as pessoas que visitaram e não compraram ou adquiriram serviços por meio de um trabalho de convencimento, com bons conteúdos e que agreguem valor. 

Isso se chama nutrição de leads. É como alimentar constantemente os usuários e cada vez mais chegar próximo a uma fidelização e consolidação de novos clientes. 

Essa é uma das formas mais produtivas de sustentar uma boa quantidade de leads. Pensando nisso, neste artigo, vamos abordar mais sobre este assunto, além de mostrar a importância de nutrir os potenciais clientes do seu negócio. Acompanhe a leitura! 

O que é e como fazer a prospecção de leads?

Você pode ter todos os elementos para o sucesso, como uma marca forte de loja de material de construção, conteúdos muito bem construídos e um plano de negócio consolidado. Mas, se ninguém estiver visualizando todo esse potencial, o que adianta?

É por isso que a geração de leads é muito importante e pode ser o fator definidor para o seu sucesso. Se você quer saber quais são as melhores formas de fazer isso, alguns elementos a serem colocados em prática são:

  • Escolha formas pagas de gerar leads de forma mais rápida;
  • Crie conteúdo valioso e bem pensado;
  • Abuse dos formulários de inscrição para webinars e e-books;
  • Gere leads a partir de conteúdos frequentes em seu blog.

A seguir, entenda de maneira mais abrangente quais recursos podem ser utilizados para colocar em prática cada um destes tópicos.

1 – Investir em anúncios pagos

A presença da sua empresa de paisagismo e jardinagem nas redes sociais nunca foi tão importante quanto no momento atual. Caso você queira gerar leads mais instantâneos, ou seja, de forma mais rápida, os anúncios pagos costumam ser eficazes para esse objetivo. 

Mesmo com um orçamento modesto, é possível gerar bons resultados com o uso dessa estratégia.

2 – Fazer uso do e-mail marketing

O e-mail marketing, apesar de ser uma estratégia mais antiga, ainda dá grandes retornos em termos de tração e geração de leads, principalmente se forem personalizados. 

É uma ótima forma de angariar leads porque é um canal direto com o seu projeto de loja de roupa.

Dependendo do tipo de texto que você faz e do quão engajamento for gerado, bons leads podem vir deste tipo de comunicação.

3 – Usar CTAs nos conteúdos

Quando você cria conteúdos e textos dos mais diversos assuntos que têm a intenção de atrair novos usuários para o seu blog ou site da sua empresa de roupas femininas para revenda, por exemplo, o objetivo maior é atender as necessidades dos clientes.

Seja respondendo dúvidas ou mostrando na prática como fazer algo, bem como atrair novas pessoas para se tornarem potenciais clientes.

Porém, um texto por si só pode não ser a melhor experiência para o usuário. Para gerar realmente leads com uma estratégia de conteúdo é preciso usar chamadas para ação (ou Call to Action) mais fortes. 

Geralmente, esse CTA é uma caixa, botão ou chamada que leva a pessoa a fazer uma ação.

Seja clicar no link que você deixou à disposição ou para preencher um formulário com seus dados e, em seguida, baixar um e-book ou ir direto à compra de uma camiseta dry fit branca masculina.

Dessa forma, você consegue reter esses leads e fazer novas comunicações com eles a fim de nutri-los e convencê-los, ao longo do tempo, a comprar ou adquirir algo que sua companhia oferece.

Mas lembre-se que para os usuários chegarem a esses textos com diversos CTAs que vão fornecer mais leads, você precisa estabelecer uma forma paga ou uma maneira orgânica de trazer essas pessoas. 

O primeiro caso já vimos por aqui, mas o segundo é importante rever com uma boa estratégia SEO, que nada mais é do que deixar seu texto apto para o Google entender que aquele conteúdo merece estar nas primeiras posições dos resultados de busca. 

Isso faz com que mais pessoas, que procuram pelos termos que têm a ver com seu negócio de sala comercial compartilhada, acessem os seus conteúdos e, portanto, a chance é maior de converter essas pessoas por meio de um CTA. 

4 – Reviews e demonstrações do produto em vídeo

Hoje em dia, é inegável que os vídeos são os conteúdos que mais engajam. Na rapidez das rotinas, eles são muito práticos e uma ótima forma de trazer leads qualificados. 

Quando se trata de demonstrações ou reviews de produtos, a procura é ainda maior. 

Por isso, com a atratividade em alta, você só precisa ter um bom conteúdo em vídeo e instruir os usuários a clicarem no link e, assim, sua empresa pode reter esses dados para nutrir os leads e convencê-los eventualmente a se tornarem clientes. 

5 – Conteúdos para download

Em se tratando de marketing de conteúdo, focado em adquirir cada vez mais leads, uma arma poderosa são os conteúdos disponíveis para as pessoas baixarem se tiverem interesse, como e-books, planilhas exclusivas de gestão patrimonial, vídeos especiais, etc.

Porém, certifique-se de que esses conteúdos estejam, de fato, prontos, chamativos e interessantes a ponto de as pessoas quererem deixar os seus contatos no formulário de download. Isso é importantíssimo! 

Além de que a qualidade deve ser garantida, pois caso as pessoas se sintam enganadas, a opção mais provável para elas será encontrar o canal mais rápido que tiver e fazer reclamações, e você certamente não quer isso. Então, o seu conteúdo deve estar tinindo. 

Principais estratégias para nutrição de leads

Primeiramente, tenha calma e muita paciência, afinal, nutrir leads leva tempo e esforço, baseados em tentativa e erro. 

Se você ainda não começou com uma estratégia de nutrição de leads em sua empresa, não tem problema. Nunca é tarde para começar. Vamos ver algumas estratégias mais efetivas para conquistar cada vez mais potenciais clientes:

Marketing e Vendas devem estar bem alinhados

Há sempre uma polêmica no mundo empresarial entre Marketing e Vendas, áreas que costumam brigar pelos clientes e divergir bastante em situações conceituais de trabalho. 

Por exemplo, o que pode ser um lead qualificado para alguém do departamento de marketing pode não ser para um profissional de vendas. 

Por isso, como primeiro passo de uma estratégia de nutrição de leads, ambas as partes devem concordar com a definição de um lead. 

Isso é fundamental uma vez que é só a partir dessa definição que dá para entender o que fazer com o contato dessas pessoas, que acontece por causa do funil de vendas. 

Ou seja, se os leads que acabaram de encontrar sua empresa declararam poucas informações e não se verificou um interesse maior, então esse lead ainda precisa ser mais trabalhado dentro do funil para passar a outros estágios de interesse em se tornar cliente. 

Já os leads mais qualificados, que são aqueles que a empresa tem mais conhecimento e que estão prontos para dar os próximos passos em torno de uma compra, para nutri-lo, é preciso personalizar bastante a sua comunicação.

Assim, cada vez mais esse lead qualificado se sente exclusivo e passará a dar valor à empresa, a ponto de se tornar cliente. 

Crie um planejamento de conteúdo focado em nutrição de leads

Depois de alinhar as expectativas das duas áreas principais que lidarão com os leads, além de entender que há diferenciação entre eles devido às etapas do funil de vendas, é hora de criar o conteúdo que fará essa roda girar. 

Para garantir que você mantenha o relacionamento com seus clientes em potencial através da nutrição de leads, é uma boa ideia criar categorizações do seu conteúdo para que você saiba quando enviar, o que enviar e para quem enviar.

Por exemplo, veja quais conteúdos se adequam mais aos leads de topo de funil ou aqueles que se identificam mais com leads mais avançados.

Nesta primeira etapa, não se esqueça que o planejamento de conteúdo focado em nutrição de leads precisa ser simples. Não torne-o complicado demais e com muitos processos para não dificultar a execução. Com o tempo, vá aprimorando. 

Importância de nutrir potenciais clientes

Os leads, no geral, são pessoas que se interessaram pela reforma de loja de sua empresa, proposta, ideia, estilo ou pelos produtos e/ou serviços disponibilizados.

No entanto, sobretudo no meio online, o interesse desaparece muito rápido porque há inúmeras outras campanhas e comunicações de concorrentes acontecendo. Portanto, para fisgar e manter o interesse dessas pessoas, é preciso ter um relacionamento muito próximo. 

É exatamente nisso que se apoia a nutrição de leads. Assim como você precisa se alimentar para manutenção da saúde, os leads também precisam ser alimentados frequentemente, mas só que com conteúdos de primeiríssima qualidade.

Ao escrever e divulgar os conteúdos, pense como se você fosse um cliente. De que forma você gostaria de receber e acessar os conteúdos de uma empresa que você originalmente gostou em um primeiro contato? 

Dessa forma empática é que se cria maneiras muito criativas de captação de leads, sempre tentando antever o que ele precisa e o que ele quer assistir.

Com isso, fica claro como seguir as estratégias corretas seu negócio será capaz de captar e nutrir leads, consequentemente aumentando sua cartela de clientes.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Captura de tela 2021-05-01 172608

Gestão de Vendas: o que é e como devo aplicar?

Em um mercado cada vez mais competitivo, conquistar novos clientes e ganhar a fidelidade daqueles que já consomem em sua empresa é cada vez mais importante e para isso a gestão de vendas pode se mostrar fundamental.

Pode-se afirmar que, basicamente, os clientes são responsáveis por gerar lucro e movimentar as vendas, ou seja, a alma de qualquer negócio. Inclusive, essas transações definirão o seu sucesso ou fracasso perante o mercado. 

Por esse motivo, a gestão de vendas, processo que permite controlar e otimizar as operações e atendimentos realizados, é de fundamental relevância para todo o desenvolvimento e estruturação de uma empresa.

Contudo, para alcançar um maior êxito nas vendas, é preciso aumentar a produtividade por meio do planejamento, monitoria e análise de dados, entre tantas etapas que envolvem o gerenciamento do setor. 

Para isso, é necessário primeiro compreender realmente o que é a gestão de vendas e o que ela pode fazer por sua empresa.

O que é gestão de vendas e qual a sua importância?

De forma sucinta, é possível definir a gestão de vendas como o departamento responsável pela criação, controle e administração de todas as ações relativas às vendas de uma empresa. 

O objetivo é sempre aumentar o desempenho do negócio e, consecutivamente, os lucros. Além de procurar estabilizar as possíveis oscilações de vendas no decorrer dos meses.

Para isso, é realizado o acompanhamento detalhado de cada fase desse processo, desde a montagem de um planejamento estratégico, estudo de produto, programa de fidelização de clientes, até a averiguação e constatação dos pontos favoráveis e os pontos de melhoria, bem como o gerenciamento de estoque.

Além destes pontos, o setor ainda deve abranger os procedimentos de distribuição de produtos, as estratégias de publicidade e marketing, assim como a definição de preços, metas e atendimentos, buscando formas de se destacar.

Com tanta concorrência, é preciso se manter atualizado sobre as mudanças mercadológicas para se manter competitivo e a gestão de vendas pode ser uma ferramenta crucial nesse processo.

Desse modo, pode-se afirmar que a gestão é importante para garantir a excelência das atividades, proporcionando benefícios e suportes como:

  • Auxiliar na divulgação da empresa;
  • Favorecer uma visão ampla sobre o setor que se está inserido;
  • Melhorar a abordagem com o cliente;
  • Definir um percurso de compra mais efetivo;
  • Otimizar o processo de fechamento de vendas;
  • Propiciar o alcance de objetivos;
  •  Realizar adaptações necessárias para o mercado.

Desta forma, investir em uma equipe treinada e preparada, garantindo a integração de todos os setores do segmento de venda irá certificar a eficiência e os melhores resultados para o seu negócio como um todo e, para isso, o uso de ferramentas adequadas pode ser crucial.

Características que envolvem a gestão de vendas

Como dito anteriormente, a gerência dos processos de venda envolvem várias tarefas de setores distintos. 

Por isso, existem seis passos que você pode seguir para realizar uma melhor organização.

1.   Planejamento estratégico 

Tudo se inicia com o estabelecimento das metas almejadas, mensuráveis e realistas pela e para a empresa. 

O planejamento consiste na formulação das etapas que devem ser seguidas, com o objetivo de melhorar as ações de venda e alcançar as metas do plano de marketing. 

Por esse motivo, deve constar neste documento como será realizada a gestão, quem serão os responsáveis, qual será a estimativa de vendas (totais e por vendedor), as medidas que deverão ser tomadas para a correção de falhas, entre outros aspectos para o funcionamento “operacional” do negócio.

2.   Estudo de produto

É preciso conhecer o produto que está sendo vendido para torná-lo interessante ao mercado e demonstrar quais dores do público ele pode solucionar, fator extremamente necessário para a qualidade de vendas e para a ação do marketing.

Exatamente por isso deve haver um estudo em conjunto com o setor de marketing para entender sua finalidade e as melhorias que podem ser feitas para atrair compradores/investidores.

3.   Gerenciamento da equipe de vendas 

Os vendedores precisam conhecer os produtos que vendem, além de estarem preparados e treinados para a realização de um bom atendimento. 

Quanto melhor for sua motivação e orientação, maiores são as chances de efetividade de vendas bem sucedidas. 

Inclusive, o uso de ferramentas adequadas pode auxiliar muito nesse processo, permitindo um controle rápido da atuação de cada vendedor, bem como o controle de como o atendimento foi feito e a pessoa responsável por ele.

Para isso, um CRM bem definido é uma boa alternativa para esse gerenciamento, principalmente por otimizar o histórico e auxiliar na integração entre as equipes.

Essa ferramenta pode, ainda, contribuir para a mensuração das estratégias usadas, bem como a identificação de possíveis ofensores para a efetivação da venda.

Além do CRM, aplicativos como o Trello e o Slack também são sugestões de softwares que podem ser utilizados para facilitar a comunicação entre equipes e para gerir projetos e metas diárias.

4.   Escolha de indicadores

Essa é a definição de quais dados deverão ser coletados para realização de uma análise sobre a qualidade e desempenho de uma empresa, bem como a identificação das falhas e as melhorias que devem ser feitas nos processos.

Informações como leads, satisfação dos clientes, saída de produtos, crescimento de vendas, dentre outros aspectos podem ser avaliados, conforme objetivos traçados.

Neste ponto, o uso de plataformas de CRM online, também podem auxiliar na compilação e geração de relatórios sobre as informações do empreendimento com mais facilidade, de modo que sejam monitorados com mais agilidade e com mais recorrência, caso seja necessário.

5.   Pontos críticos e favoráveis

Com as informações dos indicadores coletados, é necessário fazer a avaliação dos pontos positivos e de melhoria do seu negócio. 

Assim, será possível enxergar quais atitudes devem ser tomadas para favorecer o processo de vendas e quais deverão ser corrigidas para otimizar os atendimentos e o percurso do cliente.

6.   Gerenciamento de valores, equipes e estoque

Envolve a gestão de todas as áreas do setor de vendas. Desde a parte financeira (gastos e faturamento), organização das equipes, análise de equipamentos e organização de estoque, promovendo uma melhor integração e controle dos materiais e valores necessários para o funcionamento.

Para isso, o uso de softwares, como o sistema ERP, pode auxiliar no trabalho de gerenciar todas essas diversas áreas de forma efetiva e, por vezes, até automatizada.

Sendo assim, seguir os passos da gestão de vendas pode auxiliar na construção de um relacionamento com o cliente (CRM) mais efetivo e que aumentará as compras e a interação dos consumidores que já são fiéis à marca. 

Além disso, se essas pessoas estiverem satisfeitas com o atendimento e a qualidade do produto, elas tendem a atrair novos clientes para sua empresa por meio do compartilhamento orgânico, o que pode ter ainda mais valor para o público consumidor.

Assim, com uma empresa organizada, treinada e com foco nas metas, a conquista de novos clientes pode ser feita muito mais naturalmente e com mais qualidade, não somente alcançando as metas estabelecidas, mas acelerando todos os resultados comerciais. 

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Top News Tech, site voltado para a veiculação de conteúdos ricos e relevantes para empresas de diversos nichos, bem como estratégias que contribuem para o desenvolvimento do negócio.

Captura de tela 2021-04-30 232155

Com e-commerce aquecido, Amazon registra maior lucro dos últimos 3 anos

AAmazon divulgou, na última quinta-feira (29), o seu primeiro balanço de 2021 com os números referentes ao primeiro trimestre e as notícias foram excelentes para os acionistas da empresa. Foi o maior lucro da companhia nos últimos três anos, registrando um lucro líquido de US$ 8,11 bilhões no primeiro trimestre de 2021 e nos 12 meses encerrados em março totalizou um resultado líquido de US$ 26,9 bilhões.

O principal negócio da empresa, o e-commerce, foi impulsionado de maneira sem precedentes neste ano de pandemia, uma vez que um número recorde de pessoas passou a fazer compras online.

Leia também: Última carta de Bezos deixa claro: olhar a Amazon é olhar para o futuro

No primeiro trimestre a Amazon teve um aumento de 44% nas vendas, chegando a US$ 108,5 bilhões. Foi o segundo trimestre consecutivo em que a big tech teve mais de US$ 100 bilhões de faturamento.

Os dados foram muito acima das expectativas dos analistas. Segundo a Refinitiv, a média das estimativas do mercado financeiro era de uma receita líquida de US$ 104,46 bilhões. O lucro por ação esperado era de US$ 9,54, bem abaixo dos US$ 15,79 efetivamente reportados.

As ações da Amazon sobem 3,68% a US$ 3.598 no after-market da Bolsa de Valores de Nova York.

Com informações do Infomoney

blurry-female-vlogger-online-streaming

Produção de vídeos: Como a criação de vídeos pode auxiliar na divulgação de um e-commerce?

Todo mundo já ouviu que uma imagem diz mais que mil palavras. Imagine, portanto, o poder de multimídias audiovisuais, sobretudo na internet e nas redes sociais. Daí a importância da produção de vídeos, da qual falaremos abaixo.

De fato, não apenas o webdesigner ou profissional da área de marketing precisam estar atentos ao tema, como também todos os empresários, autônomos, freelancers e até os influencers digitais que quiserem melhorar sua atuação digital.

Se a marca lida com roupas femininas para revenda, por exemplo, certamente vai ter um resultado muito melhor caso recorra a esse tipo de multimídia. 

Inclusive, existe um conceito na esfera digital de hoje que é o de “dar a cara”. 

Isso quer dizer que por trás de toda marca precisa haver um porta-voz, um rosto com o qual as pessoas possam se identificar. 

Tanto que um dos grandes esforços das maiores empresas do mundo é, justamente, tornar a marca mais próxima do público.

As redes sociais já estão aí para facilitar nesse esforço, por meio de postagens dinâmicas, uma linguagem mais informal e até recursos visuais como memes e gifs.

Contudo, é no audiovisual, no vídeo de conteúdo ou de chamada, que está o grande segredo.

É ali que as pessoas identificam uma autoridade capaz não apenas de representar a marca e aproximá-la do público, como também de provar sua autoridade. 

Isto é, capaz de mostrar seu conhecimento naquele segmento ou nicho de mercado.

No fundo, as pessoas já não buscam apenas relações de compra e venda, mas uma solução completa ou uma experiência marcante da qual elas se lembrem. 

Portanto, isso exige que cada um seja uma autoridade no seu assunto. Imagine alguém da área de TI, por exemplo, que lida com controle de acesso digital e afins.

Esse profissional vai precisar trazer novidades constantes sobre o seu setor, comprovando que está em dia com as inovações e que domina tecnicamente o assunto.

Por isso, a produção de vídeos tem muito a ver com marketing de conteúdo, ou seja, não se trata apenas de filmar os produtos, como se fosse um comercial de televisão transportado para a esfera das plataformas digitais.

Pode ser isso também, mas é preciso ir muito além. Portanto, decidimos escrever este artigo, trazendo várias ideias bacanas sobre como a criação de vídeos pode auxiliar na divulgação da sua marca e do seu e-commerce.

O mais bacana é que os conselhos servem para qualquer segmento, seja uma indústria petroquímica ou uma loja virtual que vende camiseta dry fit branca masculina.

Sendo assim, se você quer entender mais sobre o assunto e mudar seu negócio online de patamar, basta seguir adiante na leitura.

Como dar os primeiros passos?

Antes de tudo é preciso pensar de modo estratégico, ou seja, não sair pegando uma câmera qualquer para gravar vídeos. É necessário pensar em termos de autoridade de marca.

Claro que no seu e-commerce você já pode gravar vídeos para cada produto novo que for anunciar, pois isso já é bem melhor do que simplesmente postar uma foto.

Contudo, você vai precisar divulgar essa loja virtual. Aí é que entram outras estratégias de marketing digital, tais como:

  • Blogs e vlogs;
  • Redes sociais em geral;
  • Marketing de conteúdo,
  • Podcasts e afins;
  • Lives e entrevistas.

Enfim, há toda uma rede de divulgação, crescimento e influência que você pode (e deve) criar. 

Se a marca lida com sala comercial pequena, por exemplo, que tal um vídeo sobre “Os 10 principais motivos para alugar salas comerciais pequenas”?

No fundo, essa postura é que vai garantir o seu sucesso no curto, médio e longo prazo. 

Inclusive, nesses ambientes as pessoas tendem a repudiar alguém que já chega logo vendendo algo.

Os tempos mudaram, e hoje é preciso começar fazendo alguns materiais de conteúdos gratuitos, que gerem valor para as pessoas e façam elas engajarem primeiro.

Outro tipo de campanha que bomba é mostrar os bastidores e o dia a dia, seja da empresa inteira ou de um profissional liberal.

Ao fazer isso as pessoas sentem que tem alguém por trás daquela solução, então não se trata apenas de algo frio ou maquinário.

Sobre a parte técnica dos vídeos

Na internet há uma infinidade de rankings sobre câmeras de qualidade, bem como sobre para que serve cada modelo específico e o custo-benefício envolvido.

Nossa intenção aqui não é tratar disso. Saiba apenas que é importante pesquisar bem antes, verificar as qualificações nas lojas virtuais e ter certeza de que aquele aparelho vai atender sua demanda, seu tipo e espaço de filmagem, entre outros.

Por exemplo, se você vai fazer uma filmagem em local aberto, com raios solares interferindo nas lentes, a realidade é uma. Já se a empresa trabalha com montagem de stands em galpões cobertos, a demanda mudou bastante.

Tudo isso precisa ser levado em conta na hora de escolher um equipamento adequado, que não apenas caiba no seu bolso, mas que com certeza vai atender em termos de qualidade e assertividade.

Como dar a minha cara para os vídeos?

Sabe quando você assiste três segundos de um vídeo e já sabe de que marca é, mesmo sem ela ter aparecido na tela? O que permite esse tipo de identificação é a identidade visual, que é um ponto fundamental na produção de multimídias.

Ter um logotipo e um slogan não basta, embora também sejam indispensáveis. É preciso ir além e adotar uma paleta específica de cores, além de traços que tenham uma harmonia.

Por exemplo, uma loja de uniforme esportivo masculino pode escolher cores mais vivas, porque lida com esportes. 

Os traços podem ser retilíneos, que puxam para algo mais estoico, exatamente como uma vida de exercícios e busca por resultados.

Já uma marca de roupas para bebês, por exemplo, pode preferir traços arredondados, além de cores frias, que transmitem mais sobriedade e tranquilidade, como um azul, um rosa ou um amarelo claro.

Na hora de fazer vídeos é possível integrar esses elementos da identidade visual em barras de rodapé, letras, legendas e até mesmo em filtros que deixam a produção com a sua cara.

Por dentro das aberturas e vinhetas

Novamente, a identidade visual é tudo. Na hora de fazer uma vinheta ela precisa aparecer com destaque, inclusive é o seu momento de colocar a filosofia da marca em movimento, com um vídeo que diga tudo sobre sua proposta.

Ela também pode conter músicas de fundo e elementos chamativos e marcantes, que fazem a pessoa se lembrar de você mesmo depois de o vídeo ter acabado. 

A vinheta precisa ser curta, algo entre 10 e 20 segundos de duração. 

Outra estratégia que tem feito sucesso é investir em uma introdução do tema, que inclusive pode vir antes da vinheta.

Por exemplo, sobre uma sala comercial compartilhada, você pode começar com a introdução do vídeo, que traria uma das melhores cenas da filmagem da sala, depois a vinheta corta o vídeo e ao retornar, o material transcorre na íntegra.

Isso tem uma função grande de aumentar o engajamento, pois além de a vinheta ser chamativa, a introdução faz um suspense que tende a aumentar o engajamento e o tempo de permanência no vídeo.

Em uma época em que todos lutam por audiência e pela atenção do público, esse tipo de diferencial pode mudar tudo em termos de aumento e adesão de público.

Outros segredos bastante úteis

Tudo no universo da compra e da venda se resume à experiência. Portanto, seu esforço deve girar em torno de fazer o cliente em potencial se sentir utilizando aquele produto ou resolvendo a vida com aquele serviço.

No caso de produtos é um pouco mais fácil, desde que você saiba explorar os detalhes. 

Filmar os produtos em uso, as facilidades que traz, as vantagens que tem em relação a outros da concorrência, e daí em diante.

Um segredinho é indicar ao menos um ponto fraco (se você não for o fabricante), para ressaltar os benefícios. Isso transmite autenticidade ao seu discurso.

Já o vídeo de serviços tende a ser mais difícil, então um diferencial bacana é trazer cases de sucesso. 

Assim, se você vai vender um projeto de loja de roupa, traga testemunhos de clientes satisfeitos, pois isso é o que vai dar vida à sua solução.

Considerações finais

Há mais uma série de pequenas dicas que poderíamos dar aqui, como sempre fechar com um CTA (Chamado para Ação) ou ainda, nunca falar de valores, pois eles podem mudar a qualquer momento no seu e-commerce, e o vídeo se perderia.

No entanto, o mais importante é levar em conta tudo o que dissemos acima sobre estratégia de marca, identidade visual, qualidade de produção e os demais segredinhos que trouxemos.

No fundo, há novidades todo dia sobre esse assunto, mas seguindo o que aconselhamos aqui, certamente você vai se diferenciar no curto, médio e longo prazo.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Captura de tela 2021-04-30 230816

Quais tipos de anúncios são mais adequados para um e-commerce?

Divulgar um e-commerce por meio de marketing digital, pede como conhecimento o entendimento sobre os tipos de anúncios que podem ser mais bem utilizados em cada tipo de preferência, sendo ainda essenciais para empresas que vendem online.

E-commerces ou lojas online, são grandes ferramentas para empresas que desejam focar em clientes que preferem comprar em casa, por meio de celulares ou outros dispositivos, e que muitas vezes estão em uma distância geográfica considerável.

Com a explosão da popularidade da internet e das redes sociais, o e-commerce passou a ser não apenas mais uma forma de venda, mas uma sobrevivência para grande parte das lojas, o que trouxe uma maior demanda para o entendimento do marketing.

As estratégias de marketing, em especial o marketing digital, permite que essas empresas ampliem suas formas de relacionamento e de divulgação de seus conteúdos. 

Anúncios: o que são e seus principais tipos

São muitos os tipos de anúncios e suas utilidades, fazendo com que o estudo da receptividade de cada um deles para as empresas seja algo essencial no estudo sobre o marketing digital. 

Veja abaixo um pouco mais sobre cada um das opções:

Sites

Provavelmente você já deve ter visto dentro de sites nos quais já entrou alguns anúncios de lojas, marcas e empresas, até mesmo de eventos, que ficam em diferentes lugares, quase sempre ofertando uma promoção ou tentando uma conexão visual interessante.

Essas são formas de anúncio quase sempre preferidas pelas empresas, visto que são uma maneira de interagir exatamente com o público que compra seus produtos, como no caso de uma loja de judogi Adidas, que chega exatamente ao seu cliente alvo.

Isso acontece porque, por meio do Google, é possível saber exatamente quem são as pessoas que acessam sites de assuntos variados, e entender que seu público provavelmente estará em uma plataforma, que será então, utilizada para anunciar.  Esses anúncios são conhecidos com Google Display.

Redes Sociais

Redes sociais são boas plataformas de anúncios, e também as mais prováveis de serem vistas pelos públicos de empresas, visto que grande parte dos consumidores está nas redes, interagindo com empresas, marcas e pessoas.

Por meio de publicidades entre stories, que são mecanismos dentro de grande parte das plataformas, e anúncios que podem atingir pessoas que não são seguidoras da marca, podendo incluir possibilidades de compras futuras por quem se interessar.

Para isso, assim como em todas as outras formas de anúncios, é importante ter grande controle sobre uma excelente comunicação visual e escrita, para que além de chamar atenção para a compra, induz também para o interesse sobre a empresa.

Links patrocinados

Os links patrocinados fazem com que empresas encontradas, por meio de buscadores, sejam facilmente consideradas ótimas opções de compra. 

Isso acontece, pois esses links que direcionam para as páginas aparecem em primeiro lugar em uma pesquisa.

Essa é uma excelente oportunidade para marcas, como uma grande empresa de projeto de loja de roupa, que já tem uma boa atuação no mercado, sejam ainda mais conhecidas, caso não tenham ampla atuação ou popularidade no mercado.

Outra boa vantagem é entender de que forma as pessoas estão procurando sua empresa, como por meio de relatórios, já que por meio dessa informação é possível encontrar as melhores respostas sobre as preferências do cliente.

Principais dicas para anúncios para e-commerce

Veja abaixo algumas dicas essenciais para fazer com que os anúncios do seu e-commerce atinjam grandes índices de sucesso, promovendo não apenas grandes resultados de vendas, mas também fazendo com que uma empresa entenda de fato seu público.

Conheça seu público

Entender o público-alvo para o qual você está trabalhando é essencial para que grande parte de suas estratégias funcionem.

Visto que serão para clientes específicos que você estará vendendo, e cada um dos gostos e interesses dessas pessoas é específico.

Por exemplo, para uma empresa de serviço de frete e transporte de pequenas cargas, é possível que uma venda possa acontecer por meio de telefones e contatos frequentes com os tomadores de decisões, algo que difere do público de uma loja de roupas.

Dessa forma, é importante ter em mente algumas informações agregadas a esse público, como:

  • Gênero;
  • Idade;
  • Classe Social;
  • Localização;
  • Gostos específicos.

Essas informações quase sempre aparecem por meio de pesquisas bem direcionadas, feitas e depois analisadas, para que possam ser transformadas em conteúdos e anúncios focados em um público específico e cada vez mais parecido com o que a empresa entrega.

Dessa forma, sempre que for iniciar uma campanha, em especial aquelas que investem em anúncios, é essencial ter em mãos as informações certas sobre o público-alvo e suas especificações, o que abre espaço para uma melhor segmentação.

Faça estratégias segmentadas

Imagine que em uma empresa de roupas femininas para revenda, grande parte das clientes sejam mulheres empresárias, que possuem lojas físicas dentro de uma localidade. No entanto, o negócio tem visto crescer um público de homens donos de lojas.

Ainda que este não seja o maior público que a empresa tem, entender que esse é um segmento a ser apostado, assim que ele apresentar melhores números, passa a ser uma realidade interessante, ainda mais para empresas que querem testar seus anúncios.

Por isso, é interessante a aposta em anúncios segmentados, que podem ser administrados para atingir não apenas um grupos específico, mas uma localidade, um tipo de gênero, uma idade, dentre outras informações que a empresa tenha dessas pessoas.

Com tudo em mãos, fica mais fácil colocar em prática testes e outras possibilidades que talvez tragam uma maior identificação com potenciais públicos, testando e entregando resultados sobre essas estratégias para equipes de marketing de empresas.

Produza testes A/B

A produção de testes A/B são essenciais para saber se uma proposta de comunicação está sendo bem recebida pelo público-alvo ou não.

Isso acontece porque, ainda que a empresa tenha todas as informações sobre o consumidor, suas formas online podem ser múltiplas.

Por exemplo, clientes de uma empresa de confecção de uniformes podem estar mais interessados em anúncios que aparecem mostrando os números de promoções ou de descontos, evitando saber mais sobre como as roupas ficam vestidas.

Em outro caso, uma loja de vestidos pode ter como resultado de maior popularidade um anúncio com fotos de vestidos e seus tecidos, independente de mostrarem os valores ou possíveis números para contato, como grande parte do segmento faz.

Para isso existem os testes, para que duas formas de uma mesma campanha sejam comunicadas, onde será verificada a melhor e mais conectiva forma de interação, que irá trazer maiores resultados para uma empresa, em uma questão de interação.

Ofereça cupons

Para um e-commerce, é interessante que dentro de seus anúncios, ele mantenha uma ligação rápida e direta com seus clientes direcionando para o site de compras, visto que esse será o local onde essas pessoas vão consumir seus produtos e serviços.

Dessa maneira, uma das principais ideias que lojas e empresas utilizam online, é a divulgação de cupons e outros descontos.

Algo que rapidamente chama a atenção dos clientes, e os leva diretamente para o site e para o fechamento de um negócio.

Também é interessante divulgar os produtos separadamente com seus descontos, como no caso de uma camiseta dry fit branca masculina, que pode aparecer com um valor com desconto ao lado, causando uma forte atração para a página.

A melhor forma que será utilizada só poderá ser idealizada com testes e com a análise das melhores formas de comunicação com o público, o que demanda maior atenção da própria empresa. Ainda assim, cupons e descontos sempre serão populares.

Foque na melhor comunicação

Não esqueça que anúncios e diferentes formas de estratégias de marketing digital focam sempre nas comunicações com o público, e que além de uma forma visual interessante é preciso focar, ainda, em uma redação clara e objetiva.

Por isso, não deixe de focar nesse quesito, como sendo o principal dentro da estratégia na sua empresa, lembrando ainda de entender quais são as melhores frases e palavras para cada tipo de público que você estará lidando.

Digamos que você esteja fazendo a estratégia de marketing para uma empresa de camiseta personalizada com logo, que tenha como principais clientes pessoas que consideram uma excelente forma visual de produtos, bem como sua visualização gráfica.

Considerações finais

Por meio de anúncios, é possível que empresas passem não apenas a divulgar da melhor forma seus produtos, mas também entender seus clientes por meio de dados e informações vindos de relatórios, como em uma página de entrega expressa motoboy.

Entendendo essas ferramentas e utilizando as principais dicas, fica fácil que as empresas possam investir bem em suas propagandas, atendendo exatamente o que seus públicos esperam deles.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Captura de tela 2021-04-30 225624

Tráfego orgânico; Como conseguir gerar para o seu e-commerce?

O tráfego orgânico é todo o movimento recebido por seu site de forma espontânea, ou seja, que não utiliza nenhum tipo de anúncio pago. Esse tipo de tráfego normalmente tem origem em mecanismos de busca e referências.

Toda vez que seu site recebe uma visita, esta representa um determinado tipo de tráfego. Isso demonstra a quantidade de pessoas que acessam seu conteúdo através da internet.

Portanto, o tráfego orgânico nada mais é do que aquele que vem sem nenhum tipo de impulsionamento, de forma natural.

Entretanto, é um erro dizer que é um tráfego sem custo. Isso porque muitas vezes as estratégias de marketing utilizadas por um determinado conteúdo tem um custo de execução, buscando justamente receber como retorno o tráfego orgânico.

Porém, um dos grandes diferenciais desse modelo de tráfego é justamente que o custo é muito baixo, e seu negócio de serviço de frete e transporte de pequenas cargas acaba recebendo em retorno bons resultados por muito mais tempo, diferente do tráfego pago.

Além do orgânico, você também pode conseguir consumidores acessando sua página com outros tipos de tráfego, tais como:

  • Direto;
  • Pago;
  • Social;
  • De referência.

Embora todos os tipos de tráfego sejam vantajosos para um e-commerce, o que gera um engajamento maior acaba sendo o orgânico.

Isso porque clientes que desejam um produto ou serviço em particular acabarão procurando por eles nos próprios mecanismos de busca. Assim, uma pessoa que procura no Google “empresas de entregas”, certamente encontrará o local ideal para fechar negócio.

Por esse motivo, um cliente que chegou em seu site organicamente tem muito mais chance de fazer a compra do que ter se deixado levar por um anúncio pago.

Por que usar o tráfego orgânico?

Existem inúmeras vantagens na utilização desse tipo de tráfego para um e-commerce, principalmente por conta das possibilidades de conversão geradas pelo interesse do público. Entre elas, podemos mencionar:

1 – Melhor custo-benefício

Um dos principais pontos da utilização do tráfego orgânico é seu custo-benefício. Para modificar seu e-commerce para que ele consiga melhorar seu engajamento, você terá um custo muito menor em comparação a outras ações de marketing.

Isso porque o único fator realmente determinante é melhorar o SEO do conteúdo. A sigla, que significa Search Engine Optimization, representa uma série de atividades que tem como objetivo final melhorar seu ranqueamento junto aos motores de busca.

Se você está com um projeto de loja de roupa online, é interessante já começar a alimentar essa ferramenta agora, para no futuro, estar melhor estabelecido.

Quando um cliente faz uma pesquisa na internet, ele normalmente encontra o que estava precisando entre os primeiros links apresentados.

Por isso, há uma movimentação por parte da empresa para se adequar aos algoritmos de pesquisa e se encontrar nestas primeiras posições.

Quanto mais seu e-commerce for capaz de subir no ranqueamento das ferramentas de pesquisa, maior será o potencial de negócios que conseguirá alcançar.

Esse tipo de ação acaba gerando muitos resultados, com um custo baixo e que não precisa de gastos de reposição.

Assim, seja uma loja de roupas femininas para revenda ou e-commerces dos mais variados ramos podem conquistar muito mais oportunidades.

2 – Não há prazo de validade

Outra grande vantagem do tráfego orgânico é que, diferente de outros formatos de alcançar seus seguidores, neste caso, não existe um prazo de validade para as ações.

Todos os procedimentos tomados para melhorar o tráfego em seu e-commerce são permanentes.

Isso porque tudo fica em um histórico em seu site, e ele não tem uma limitação para ficar ativo na internet gerando engajamento. Por conta disso, esse movimento se torna fundamental para conseguir atingir os objetivos da empresa.

Isso porque uma campanha de marketing teria um custo praticamente impossível de acompanhar para ter a mesma funcionalidade que o tráfego orgânico.

3 – Poder de escalada

Quando você cria um anúncio para seu e-commerce, ele não tem nenhum poder de escalada. Isso significa que, no momento em que você parar de pagar o anúncio, ele cessará os resultados.

Entretanto, quando você cria conteúdo para gerar um maior tráfego orgânico, a situação é diferente. Os efeitos que você começar a receber vão aumentar progressivamente, uma vez que conforme o tráfego orgânico aumenta, o custo para criá-lo diminui.

4 – Apresenta credibilidade

Muitas pessoas não confiam em sites que aparecem apenas em propagandas pagas. Quando você tenta vender bolo caseiro artesanal, a credibilidade é um importante fator de negociação.

Um site que organicamente tem bons resultados em pesquisas, passa muito mais credibilidade, uma vez que as ferramentas de busca procuram conteúdo de confiança e qualidade para apresentar.

Por isso, quanto mais você conseguir converter em tráfego orgânico para sua página, maior será a autoridade de seu site, que logo acabará se tornando uma referência na área de atuação.

Ao explorar conteúdos mais profundamente, você consegue ainda mais espaço dentro do mercado, e seu e-commerce pode se tornar uma liderança forte no nicho em que está posicionado.

Por isso, a divulgação orgânica de bolo de leite ninho simples e outros sabores oferecidos pelo seu estabelecimento online pode acabar sendo um grande chamariz para sua empresa, se você utilizar corretamente os elementos digitais.

Como aumentar seu tráfego orgânico?

Para um e-commerce conseguir aproveitar da melhor maneira possível os benefícios gerados pelo tráfego orgânico, é preciso se atentar a alguns detalhes que podem fazer a diferença para conquistar estes resultados.

Conhecendo o seu público

Para que suas ações tenham resultados efetivos, não basta criar anúncios e outras etapas mecânicas. Você precisa saber para quem está apresentando o conteúdo e como estas pessoas consomem.

O primeiro passo é delimitar seu público-alvo. Esse grupo de pessoas está muito mais alinhado com o tipo de produto ou serviço que você oferece em seu e-commerce.

É possível identificar estas pessoas através de relatórios e avaliações de clientes, usuários interessados, motoboy delivery e outros.

Quando você define o público-alvo, já tem ideia do que deve fazer para conseguir um melhor engajamento. Entretanto, esse tipo de métrica ainda é genérica e tem uma margem de erro um pouco maior.

Portanto, o ideal quando você está preparando seu e-commerce para o tráfego orgânico é criar personas para conquistar uma resposta mais personalizada.

A persona é a idealização de um cliente. Trata-se de uma figura fictícia criada pela equipe de marketing para simular um consumidor de fato. A persona tem um nome, endereço, gostos, hobbies, desejos, medos, entre outros.

Quanto mais real for a persona, melhor será o resultado que ela fornecerá para suas ações de marketing.

Otimizando o SEO

Um outro ponto a se verificar é se o seu e-commerce está com o SEO em ordem. Conforme mencionamos anteriormente, o SEO é um conjunto de ferramentas muito importante para melhorar seu ranqueamento junto aos mecanismos de busca.

Trata-se de uma ferramenta fundamental para conseguir explorar em sua totalidade o tráfego orgânico. 

Para conseguir aproveitar todo este potencial, existem alguns detalhes que fazem toda a diferença para conseguir engajar seu e-commerce com estratégias de tráfego orgânico. Um dos pontos mais importantes de qualquer publicação é o título. 

Isso porque os algoritmos dos sites de busca procuram constantemente por palavras-chave, e conteúdos mais fáceis de serem encontrados são aqueles que definem de forma clara e objetiva o que estão oferecendo no título do material.

Por isso, apresentar logo de início que você trabalha com motoboy para delivery pode acabar alavancando seu site.

Assim, será possível aumentar a quantidade de resultados encontrados quando alguém pesquisar sobre o seu conteúdo.

Aproveite as redes sociais

As redes sociais são uma ferramenta imprescindível para qualquer empreendimento.

Embora elas não afetem diretamente o SEO, o potencial de compartilhar seu conteúdo nas redes acaba aumentando as pesquisas relacionadas à sua empresa, o que gera resultados muito positivos.

É preciso ter em mente que as publicações para redes sociais devem ser planejadas pensando em suas estruturas, uma vez que cada tipo de rede tem seu próprio formato de publicação e suas peculiaridades, que devem ser seguidas.

Por isso, é essencial utilizar-se das ferramentas que domine para conseguir criar bons resultados e aproveitar melhor o potencial que as redes têm para oferecer na obtenção de tráfego orgânico.

Além disso, muitas pessoas preferem o contato direto que as redes sociais oferecem, optando por esse tipo de engajamento para tirar dúvidas e questionamentos sobre seu e-commerce.

Por isso, é fundamental ter em mente que sua equipe de atendimento deve sempre estar de prontidão para garantir o melhor retorno possível quando há esse tipo de interação.

Tenha um site responsivo

Um dos mais importantes termos da atualidade, qualquer e-commerce que deseja se manter firme no mercado e aproveitar os benefícios do tráfego orgânico precisa ter em mente o conceito de responsividade.

Trata-se de estruturar o design da página para que pessoas consigam acessar o conteúdo de qualquer plataforma, principalmente em dispositivos mobile.

Esse é um mercado em amplo crescimento, e estar na frente disso significa um excelente potencial para a empresa.

Considerações finais

O tráfego orgânico é um importante ponto para que você consiga explorar seu e-commerce da melhor maneira possível, e é preciso tomar uma série de cuidados para que você consiga obter o melhor desta ferramenta.

Por isso, criar um ambiente com bom potencial de geração de tráfego é fundamental para qualquer loja online que queira ser uma referência em seu nicho de atuação.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

shutterstock_580499569

Primeiro trimestre de 2021: vendas no e-commerce têm alta de 57,4% em comparação ao mesmo período de 2020

Em pesquisa realizada com os dados de compra no e-commerce durante o primeiro trimestre de 2021, a Neotrust mostra que houve continuidade do crescimento das vendas online no Brasil.

Foram realizadas 78,5 milhões de compras online nos três primeiros meses do ano, um aumento de 57,4% em comparação ao mesmo período do ano passado.

Esta quantidade de compras resultou em um faturamento de R$ 35,2 bilhões para o e-commerce entre janeiro e março de 2021, aumento de 72,2% na comparação com 2020.

“No começo deste ano de 2021 havia uma expectativa de redução da intensidade da expansão, mas com a chegada da nova variante do Covid-19 e, consequentemente, da segunda onda de contaminação que atinge nosso país, nos deparamos com uma evolução ainda mais intensa das vendas no e-commerce não somente brasileiro, mas ao redor do mundo”, explicou Fabrício Dantas, CEO da Neotrust, na apresentação do relatório.

Os principais motivos para o crescimento estão relacionados às diversas promoções realizadas nos três primeiros meses do ano, além do Dia do Consumidor, realizado em março. Outro fator determinante foi o agravamento da pandemia no país, resultando em uma nova onda de fechamento ou redução de circulação no comércio físico em diversos estados.

O consumidor também tem investido mais nas compras online: houve aumento de 9,4% no valor do ticket médio em comparação com o mesmo período de 2020. Atualmente, o gasto registrado está em R$ 447,90.

Para efeito de comparação, o aumento do ticket médio no quarto trimestre de 2020 foi de 2,9%.

“O mês de março em 2021, foi o segundo maior mês da história em termos de volume de vendas do e-commerce brasileiro, ficando atrás somente do mês de novembro de 2020, que evidentemente, tem o impacto positivo das promoções da Black Friday”, explicou o executivo.

Destaques por região do Brasil

A região Sudeste ainda é a que mais se destaca em volume de compras e no quarto trimestre de 2020 foi responsável por 63% do total de pedidos feitos online no país. Mesmo que siga na dianteira, caiu 3,9 pontos percentuais em comparação com o trimestre anterior.

Isso porque as demais regiões têm apresentado crescimento também. A região Nordeste se destaca por ocupar a segunda posição em total de vendas no e-commerce, concentrando 14,6% das que realizadas entre outubro e dezembro de 2020. Esse número representa um crescimento de 2,6 pontos percentuais em relação ao trimestre anterior. A região Sul segue próxima, com 14,1% do total de pedidos realizados.

Frete grátis

De acordo com o relatório aumentou também a quantidade de compras que foram feitas com entrega gratuita. No primeiro trimestre de 2021, 53% dos pedidos foram entregues sem que o consumidor pagasse pelo frete. No primeiro trimestre de 2020, a porcentagem de entregas gratuitas era de 47%.

Também na marca de 47% estão os pagantes de frete neste período. Eles, no entanto, também foram beneficiados. A pesquisa mostrou que houve redução de 15,5% no valor pago pelas entregas. Dessa forma, o valor médio do frete no período foi de R$ 18,15.

Por categoria

Com relação ao comportamento de consumo por categoria, a pesquisa mostrou um padrão semelhante ao dos outros trimestres: os produtos com ticket médio mais baixo foram os mais procurados. Em contrapartida, os produtos mais caros foram responsáveis pelos maiores faturamentos.

As categorias que mais se destacaram por total de pedidos foram: moda e acessórios (16,5% dos pedidos); beleza, perfumaria e saúde (15,2%); e entretenimento (12,6%).

Já as categorias com melhor faturamento são: telefonia (com 21,2% do total faturado no período); eletrodomésticos e ventilação (17%); e entretenimento (12,4%).

O relatório aponta ainda que os números refletem as promoções realizadas no começo do ano e a duração extendida do Dia do Consumidor neste ano.

Como destaque para categoria mais comprada, moda e acessórios teve 13,3 milhões de pessoas comprando no primeiro trimestre de 2021 (considerando uma compra por consumidor). O gasto médio total foi de R$ 145,00.

A categoria telefonia não apresentou tantos consumidores, mas conquistou um gasto médio mais impressionante: foram apenas 2,9 milhões de consumidores, mas com um gasto médio total de R$ 2.232,00.

Na contramão deste dado, o setor atinge hoje apenas 17,2% do total de pessoas com acesso à internet no país.

De março de 2020 a março de 2021

O relatório apontou ainda quais foram as categorias mais compradas online durante o isolamento social, ou seja, de março de 2020 a março de 2021. De maneira geral, elas corroboram os dados levantados no primeiro semestre de 2021, pois apontam para as mesmas categorias apontadas aqui em mais vendidas e em faturamento.

As subcategorias que mais cresceram e venderem de março de 2020 a março de 2021 foram (representação do share da subcategoria dentro do segmento): livros (variação de 97,2%), fones de ouvido (76,1%), aparelhos de televisão (80,5%), remédios (56,7%) e aparelhos elétricos para o cabelo (50,4%).

Os que mais faturaram de março de 2020 a março de 2021 foram (representação do share da subcategoria dentro do segmento): ar condicionado (86,9%), celulares e smartphones (81,6%), TV (80,5%), notebook (22,6%) e geladeiras/refrigeradores (19,7%).

Leia também: Crescimento de compras no cartão de crédito aquece setor de cobranças.

Quem são os consumidores?

A pesquisa confirmou os dados das edições anteriores: as mulheres compram mais, mas os homens gastam mais. As mulheres representam 58,1% dos consumidores e o ticket médio masculino é de R$ 538,20.

A pesquisa mostrou ainda que a idade média do consumidor é de 37 anos. O público consumidor mais significativo foi o de 36 a 50 anos, com 33,9% do total de consumidores digitais. Seguidos de perto pelos consumidores de 26 a 35 anos, com 33,1% do total.

Os consumidores até 25 anos representam 19% das compras online, enquanto o público acima dos 51 é responsável por 14% das compras.

Novos consumidores e consumidores únicos

O primeiro trimestre do ano teve queda em 16,4% na quantidade de novos consumidores, com 3,8 milhões de consumidores comprando pela primeira vez online. A comparação foi feita com o primeiro trimestre de 2020.

Porém, para o e-commerce o saldo foi positivo, pois obteve um aumento de 43,9% no número de consumidores únicos: 22,8 milhões.

Frequência

Analisando exclusivamente as vendas no e-commerce feitas no feitas nos três primeiros meses do ano, houve uma média de 3 compras por consumidor digital, com um gasto médio de R$ 1.340,00 para o total das compras, aumento de 14,1% em comparação ao primeiro trimestre de 2020.

Ao analisar os consumidores que fizeram pelo menos uma compra nestes meses, as mulheres também compraram mais (58,6% dos consumidores únicos), com a média de idade mais relevante para consumidores homens e mulheres entre 26 a 35 anos (31,2%).

Fonte: e-commerce Brasil

Product Design Drawing Website Graphic

5 Dicas de design para aplicar no seu e-commerce

O design é uma importante etapa para tornar seu e-commerce um negócio de sucesso. Uma vez que a interação com a loja é inteiramente digital, todo o conceito visual é extremamente necessário para atrair os clientes e apresentar bons resultados.

No caso de lojas físicas, a estrutura conta muito para oferecer uma experiência diferenciada ao cliente.

A própria arquitetura do ambiente pode dar um tom diferente para uma loja, apresentando novos e diferentes conceitos e atraindo um tipo específico de público.

Já no e-commerce, esse tipo de interação se deve completamente ao design. Ele será a primeira impressão da loja, que deve ser criada de uma forma atrativa e interessante para conseguir garantir o público.

Se você tem um projeto de loja de roupa, o design é uma importante etapa para pensar na hora de estruturar a loja.

Isso porque o consumidor do e-commerce é um tipo diferenciado de cliente. Eles podem ser divididos em duas categorias distintas, sendo o primeiro aquele que já sabe exatamente o que precisa.

Esse cliente não irá perder muito tempo na loja virtual. Ele tem um propósito, e irá concluí-lo de forma rápida e prática. Entretanto, ele não dá muita margem para negociação.

Por outro lado, existem os clientes que gostam de conhecer ambientes novos. Neste caso, ele passará um tempo navegando pelo seu e-commerce, descobrindo os interesses em potencial e o que pode interessá-lo.

Assim, uma empresa de roupas femininas para revenda pode acabar conquistando muito mais clientes se tiver um site agradável de navegar.

Para estes clientes, a facilidade de navegação é fundamental. Se ele não estiver em um ambiente agradável, com design interessante e boas opções de navegação, certamente procurará outro site para visitar.

Por isso, a prioridade do design em seu e-commerce deve ser a funcionalidade. É importante que você atraia a atenção constantemente de seu público, principalmente porque a atenção do usuário comum da internet é muito baixa.

Com o excesso de informação sendo constantemente jogado no cliente, ele normalmente tem pouco interesse em ficar preso em um único lugar. Por isso, quanto mais atrativo for seu ambiente de vendas, mais fácil será mantê-lo ali.

A qualidade deve ser uma de suas maiores preocupações. Isso serve tanto para a funcionalidade quanto para os efeitos visuais que você irá apresentar em seu e-commerce.

Para um site de convites personalizados, por exemplo, o visual é um dos mais importantes fatores de venda.

Fotos de baixa qualidade, imagens que se deformam e outros detalhes podem afastar o cliente, que ficará com a sensação de que seu site é amador e de pouca confiança.

Uma boa parte de sua estratégia de design deve ser criar um ambiente agradável para o consumidor.

Pense em seu site como um ser humano. Você deve traçar uma personalidade para ele, algo que destaque os detalhes dessa produção e faça as pessoas se interessarem por ele. 

Quando você pensar em seu site, um descritivo de uma palavra pode ser o suficiente.

Você pode pensar em adjetivos como:

  • Elegante;
  • Moderno;
  • Acessível;
  • Sofisticado.

Independente da escolha, essa palavra deve ser refletida em toda a página, principalmente no campo visual. 

Por isso, o design é uma peça fundamental para você criar novos ambientes.

Um banner horizontal criando alguns destaques pode ser uma excelente forma de divulgar produtos com qualidade.

Para conseguir o melhor resultado com o design de seu e-commerce, acompanhe algumas dicas essenciais:

1. Capriche em sua página inicial

A página inicial de um e-commerce é como sua vitrine virtual, e funciona como um cartão de visitas da loja para seus consumidores.

Por isso, é um dos principais elementos que você deve investir para conseguir bons resultados.

Assim como nas lojas físicas, onde há um cuidado especial para apresentar uma vitrine chamativa e interessante, você deve pensar em estratégias de tornar sua página inicial um dos elementos mais chamativos do site.

Assim como um banner para vitrine, as informações que você inclui na página inicial são muito importantes.

Dessa forma, sempre que algum usuário acessar seu site, acabará ficando impressionado com a página inicial, o que ativará sua curiosidade para conhecer mais da loja.

Quanto mais tempo ele passar no e-commerce, maiores serão as chances de ele se tornar um consumidor eventualmente, iniciando um relacionamento direto entre consumidor e marca.

É importante expor o melhor de seu conteúdo na página inicial. Chamar a atenção com elementos de destaque é fundamental para conseguir explorar melhor essa interação. Coloque itens de desejo, que farão as pessoas se interessarem por consumir em seu site.

Além disso, a organização é um ponto fundamental na estrutura de sua página.

Um site confuso e com design inapropriado acaba perdendo oportunidades de engajamento, enquanto uma página ordenada agrada a visão de quem está interessado em consumir.

O cartão de visita confeitaria que sua loja virtual possui é esta página, por isso ela deve ser planejada com todo o cuidado.

O ideal é sempre induzir a navegação para que o usuário consiga explorar com tranquilidade todo o seu conteúdo.

Criando interesse em diversos itens e não só convertendo uma venda, mas criando o conceito de interesse para que ele retorne outras vezes.

Quanto mais tempo um cliente consumir com você, melhor será o aproveitamento dele. Por isso, é importante fazer os consumidores desejarem sempre continuar comprando seus produtos.

2. Aposte na responsividade

Hoje em dia, com os avanços tecnológicos, em especial aqueles ligados a serviços móveis, o consumidor está cada vez mais conectado.

A maioria das pessoas passa boa parte de seu dia com acesso a internet, bastando um clique em seu smartphone para conseguir encontrar o que procura.

Pensando nisso, é preciso que sua loja esteja preparada para esta mudança.

Um site responsivo é aquele cujo design se adapta a variados tipos de resolução. 

Essa tendência surgiu porque é muito difícil ver um site que não possui a ferramenta com uma tela pequena como a de um tablet ou smartphone.

Uma pessoa procurando em seu celular por doces para festa de aniversário infantil acabará escolhendo o site que oferecer o melhor formato de visualização para a compra.

O público atual deseja velocidade e praticidade, e não tem mais interesse em ficar tentando encontrar o que procura em um site de difícil navegação.

Quando você se adequa aos conceitos de responsividade, sua plataforma acaba ficando muito mais acessível.

As compras feitas por dispositivos móveis têm alcançado cada vez mais patamares de sucesso, e é importante estar preparado para conseguir alcançar essa fatia de mercado.

3. Seja intuitivo

Conforme citamos anteriormente no texto, o cliente de hoje não quer e nem gosta de perder tempo. 

Por isso, sites em que você tem que dar várias voltas e clicar em vários links para chegar até seu objetivo costumam cansar esse tipo de consumidor.

A ideia de um bom design para seu e-commerce parte do princípio da intuitividade. Quanto mais o cliente conseguir se adaptar a linguagem utilizada no site, maiores serão as chances de ele comprar produtos em sua loja.

Ao colocar um banner para academia em seu site, você acaba instigando o cliente a procurar mais sobre esse serviço.

A estrutura do site deve ser um foco importante na hora de criar o design do mesmo, para garantir o melhor resultado possível junto ao mercado em que você está inserido.

4. Aproveite a Sazonalidade

Uma das grandes vantagens de aproveitar um design virtual é a facilidade de adaptação que ele possui. 

Por isso, você pode separar grandes eventos ao longo do ano, como Natal, aniversário do e-commerce e outros e criar ambientes especiais.

Muitas pessoas se sentem mais confortáveis de comprar em determinadas épocas do ano, e é importante saber como explorar essas possibilidades. 

Existem até mesmo algumas comemorações que se iniciaram na internet, onde tem muito mais força.

É o caso da Black Friday, por exemplo. Esse evento tradicional norte americano acabou chegando ao Brasil por conta dos e-commerces, e hoje é uma das datas mais aguardadas para pessoas que tem interesse em comprar.

Por isso, aproveitar esses eventos para mudar o layout de seu site e colocar em destaque produtos relacionados a data é uma excelente maneira de conseguir mais espaço no mercado para sua empresa.

5. Cuidado com os métodos de pagamento

Este é um dos momentos cruciais para qualquer e-commerce. O momento do pagamento é um dos mais importantes, e é onde muitas pessoas acabam desistindo e aumentando a taxa de abandono de carrinho.

Exatamente, por isso, é importante você ter facilidade e uma boa estrutura para lidar com os pagamentos. 

Muitas pessoas desistem por dois motivos: falta de segurança e cadastros complexos.

Por isso, é importante que você solicite apenas o necessário dentro das informações do cliente, e coloque todos os certificados e protocolos de segurança de forma clara, para que o consumidor consiga ter mais tranquilidade na hora de fechar a compra.

Considerações finais

O design é um importante elemento de qualquer e-commerce, pois é ele que facilitará todo o processo de conhecimento e descoberta que o usuário passará até se interessar de fato por consumir um produto ou serviço que você ofereça.

Por isso, é importante que seu site receba um planejamento muito bem estruturado, com foco na apresentação para o público final.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Business theme, internet online shopping concept, shopping delivery, shopping cart carry shopping mail box and blur background of shopping bag and open laptop

5 Estratégias para um e-commerce possuir um bom fluxo de clientes

Para qualquer modelo de negócios, aumentar o fluxo de clientes é essencial para se tornar mais competitivo e, claro, vender mais. Inclusive, essa situação não é diferente para as plataformas de e-commerce.

Essas lojas virtuais não têm o mesmo contato com os clientes como as lojas físicas, por isso, precisam pensar em estratégias diferentes para alavancar a marca e as vendas.

O e-commerce depende exclusivamente da internet, então as estratégias de marketing digital são indispensáveis para quem quer se destacar e chamar a atenção do público-alvo.

Assim como você, outros empreendedores estão nessa busca pelo sucesso, portanto, estamos falando de um mercado que também é concorrido.

Não se esqueça do fato de que, nos dias de hoje, é muito fácil ter uma loja online, e é exatamente isso que vem sobrecarregando a web de plataformas de vendas, que permitem que o consumidor tenha muitas opções de compra.

Usar as melhores estratégias de venda e divulgação é uma necessidade diante desse cenário. Por esse motivo, o melhor é saber o que e como fazer, e nós podemos te ajudar.

Neste artigo, vamos explicar como alavancar um e-commerce, qual a importância de promovê-lo, além de dar dicas para alavancar as vendas. Acompanhe a leitura!

Como alavancar um e-commerce?

A web é um ambiente disputado para qualquer tipo de empresa, mas diferente das demais, as plataformas e-commerce dependem exclusivamente da internet para crescer.

O primeiro passo para alavancar o seu negócio é planejar, visto que as estratégias de marketing digital, apesar de mais acessíveis, também têm um custo monetário.

O planejamento faz com que você use os seus recursos da melhor maneira, portanto, defina os indicadores mais importantes para a sua marca.

Por exemplo, se o objetivo de uma empresa de entrega expressa motoboy é aumentar suas vendas, então os melhores indicadores para ela são a taxa de conversão e o ROI (Retorno sobre Investimentos).

Tanto seus recursos financeiros quanto de tempo estarão mais bem alocados com um bom planejamento. Então, antes de investir em qualquer estratégia para alavancar sua plataforma, é necessário:

  • Definir seus objetivos;
  • Criar sua persona;
  • Segmentar o público-alvo;
  • Estabelecer os canais de divulgação;
  • Escolher as ferramentas;
  • Determinar um fluxo de trabalho.

Feito isso, é o momento de divulgar a sua plataforma. Para isso, crie um perfil para sua marca de vendas nas principais redes sociais, dando preferência para aquelas que seu público-alvo mais utiliza.

Os anúncios pagos também são opções de divulgação mais rápida, enquanto suas estratégias orgânicas ainda não floresceram.

Por falar nisso, é fundamental que a sua loja virtual tenha um blog com bons conteúdos. Afinal, o cliente sente a necessidade de obter informações sobre vários assuntos.

Por exemplo, quando começou o seu e-commerce, certamente o dono do negócio leu alguns artigos sobre serviço de frete e transporte de pequenas cargas para adquirir conhecimentos a respeito do assunto.  

Foi por meio desses materiais que você encontrou a transportadora com a qual trabalha hoje. Com os outros consumidores é a mesma coisa. Eles têm essa necessidade de saber um pouco mais antes de comprar.

É dessa forma que eles adquirem confiança em uma marca e passam a comprar com ela. Aliás, o marketing de conteúdo também é ótimo para fazer com que o consumidor perceba que ele tem uma necessidade de compra que antes não sabia.

Por isso, para publicar conteúdos de qualidade, invista em um blog para a sua loja virtual e disponibilize um link em sua plataforma de vendas que leve os visitantes até ele.

Importância de promover as lojas virtuais

Muita gente sonha em ter o seu próprio negócio, mas o que impede a maioria é o fato de que para isso é necessário ter um investimento.

Contudo, as plataformas e-commerce surgiram como uma oportunidade simples, barata e lucrativa de criar uma marca de vendas.

Pelo fato de que montar uma loja virtual é muito mais barato do que uma loja física, a existência de adversários acaba sendo maior. Quem promove a sua loja virtual se destaca em meio à concorrência e atrai um número maior de consumidores.

Também não se deve esquecer de que, ao contrário de um projeto de loja de roupa física, as pessoas não têm como passar na porta do seu estabelecimento e se interessarem pelo que você vende de imediato.

É exatamente por isso que os donos de lojas online precisam investir em estratégias diferentes de divulgação. Daí a necessidade de conhecer boas estratégias de marketing digital e investir nelas, como as que mostramos no tópico anterior.

A internet oferece inúmeras possibilidades de divulgação, e com as técnicas certas, sua plataforma alcança um público maior e, consequentemente, consegue vender mais.

Independentemente das estratégias de marketing digital e vendas adotadas, pensar na divulgação do seu e-commerce é fundamental.

Isso se torna ainda mais imprescindível quando nos damos conta da quantidade de lojas online que existem hoje, logo, seus clientes precisam te conhecer para comprar com seu estabelecimento.

Agora que você já entendeu a importância de promover o seu negócio online, no próximo tópico, vamos dar algumas dicas para seu e-commerce vender mais. 

Dicas para alavancar suas vendas

Se uma loja de roupas femininas para revenda tem um bom fluxo de clientes, isso significa que ela vende bem. Só que, para conseguir isso, esse tipo de estabelecimento e os mais diversos ramos do mercado deve investir em estratégias inteligentes, como:

1. Preparar o produto para vender mais

Preparar o seu produto para venda é um ajuste essencial que deve ser feito o mais rápido possível. É necessário escolher o produto com o qual você vai trabalhar, para que este possa ser divulgado.

O ideal é que ele tenha um ótimo potencial de vendas, ou seja, aquele que você acredita que as pessoas vão se interessar.

Então, supondo que o gestor de um e-commerce tenha escolhido uniforme esportivo masculino, ele vai observar os concorrentes para saber como eles vendem essa mercadoria, como a precificam, como a descrevem, o valor que cobram pelo frete, etc.

2. Acompanhar a jornada do cliente

Você já parou para se perguntar como o usuário escolhe um produto, ou quantas telas são necessárias para ele fechar um pedido, ou mesmo se a loja virtual guarda o desejo do cliente?

Esses questionamentos precisam estar bem respondidos, sendo preciso fazer todos os ajustes necessários. Além disso, ofereça todas as informações necessárias para que o consumidor se decida por determinado produto em seu e-commerce.

3. Usar ferramentas como o Facebook Ads

Uma loja virtual que vende camiseta dry fit amarela e outras cores possui uma página em redes sociais como o Facebook e faz publicações diárias ou semanais, com novidades sobre os produtos.

No entanto, além dessas postagens, é necessário trabalhar com os anúncios pagos do Facebook, para que as pessoas certas encontrem sua loja e despertem o desejo de compra.

Para promover anúncios frutíferos nessa rede social, é necessário definir o seu público-alvo, escolher o tipo de anúncio que deseja usar, escolher uma boa imagem e um texto de impacto.

4. Facilitar o frete

Se tem uma coisa que faz qualquer cliente desistir de uma compra é uma entrega cara ou com prazo demorado. Para isso, existem algumas alternativas, como oferecer frete grátis.

Contudo, se uma loja virtual de convites personalizados fizer isso, ela precisa arcar com os custos do envio. No entanto, essa é uma das práticas que mais agradam os consumidores, e quem oferece frete grátis sai na frente.

Só que nem sempre é fácil arcar com essa despesa, então uma boa opção é inserir o valor do frete na mercadoria. Contudo, a competitividade do preço pode ser impactada.

Uma boa forma de lidar com isso é tentar oferecer diferentes possibilidades de fretes, com valores e prazos distintos. Trata-se de uma estratégia bastante usada, visto que tem boa aceitação pelo público.

5. Facilitar o checkout

Toda plataforma e-commerce precisa contar com uma solução de checkout profissional, uma vez que isso reduz a taxa de abandono do carrinho por causa de mudanças no valor do produto.

Uma gráfica online de banner impressão digital que conta com esse recurso demonstra mais profissionalismo, o que ajuda a aumentar suas vendas.

Dessa forma, o cliente consegue finalizar o pedido contando com diversos canais, a depender de seus hábitos de pagamento.

Conclusão

As compras online ganharam a preferência do consumidor moderno por diversas razões. É mais confortável, mais barato e muito mais simples comprar pela internet, e quem vende também sai ganhando.

O e-commerce atrai os olhares de quem quer ter o seu próprio negócio e de quem deseja ampliar o seu estabelecimento, sem gastar muito.

Com isso, os consumidores começam a ser beneficiados com uma quantidade cada vez maior de opções de compra.

Esse aumento na concorrência pede o investimento em estratégias para promover o negócio e aumentar as vendas. Neste artigo, você aprendeu como fazer isso, portanto, está pronto para fazer da sua loja virtual um grande sucesso.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

laptop blank screen and hopping cart full of gifts with copyspace, online shopping concept.

5 ideias de conteúdos voltados para o e-commerce!

Não é novidade para ninguém que a tecnologia está gradativamente presente em nossas vidas. Cada vez mais, as pessoas se adaptam e criam novas formas de utilizá-la, e no caso de empresas, a partir dessa oportunidade surgiu o e-commerce.

O meio digital tem crescido de diversas formas através de redes sociais, novas plataformas de entretenimento e aprimoramento em ferramentas já existentes. De fato, a tecnologia está em uma busca constante de maneiras mais baratas e práticas de resolver um problema.

Mas não apenas problemas. A revolução da internet trouxe diversas praticidades e nos aproximou geograficamente das pessoas, já que com apenas alguns cliques, podemos utilizar aplicativos para nos comunicar com qualquer um que possua acesso à internet.

Enxergando esse incrível potencial, as empresas observaram uma forma de conseguir se utilizar do meio digital para expandir a sua marca e aumentar o alcance do seu negócio e, consequentemente, aumentando suas vendas.

Isso significa que qualquer produto ou serviço, desde que fosse investido no meio digital, poderia ter um aumento significativo em suas vendas, seja ele uma camiseta dry fit amarela ou qualquer outro produto.

Para entender melhor a importância do e-commerce, é importante refletir sobre alguns pontos específicos:

  • Qual é o público-alvo;
  • Qual o diferencial frente a outros produtos;
  • Quais estratégias abordar no momento das vendas;
  • Como gerar interesse pelo produto de forma prática e dinâmica.

Agora que você já entendeu o contexto pelo qual surgiram os e-commerces, vamos entender um pouco mais sobre como funcionam essas plataformas e como utilizá-las de maneira inteligente. Acompanhe!

O e-commerce e sua importância no mercado

Empresas de entregas investem em serviço de frete e transporte de pequenas cargas, por exemplo, mas investir no e-commerce deve ser uma prioridade em sua empresa, que como consequência, se torna um dos pilares e formas de negócios dela.

Inicialmente, vamos entender o que é marketing de conteúdo e algumas formas de aplicá-lo. O consumidor, hoje em dia, pesquisa sobre um produto antes de comprá-lo, para assim ter ao menos um conhecimento prévio e básico sobre o que irá consumir.

Pensando nisso, o marketing de conteúdo se aplica no e-commerce por ser uma forma de entregar ao consumidor final, conteúdo esse relacionado à empresa ou ao produto que o mesmo está adquirindo.

Por exemplo, antes de comprar qualquer fardamento esportivo feminino que veja pela frente, o consumidor irá buscar na internet informações relevantes que o ajudem a decidir qual comprar, como média de valores, diferença de tamanhos, etc.

Isso fortalece ainda mais o e-commerce, visto que muitos links podem direcionar para a sua loja, fazendo com que a sua receita aumente e mais pessoas conheçam o seu comércio, aumentando assim a autoridade e o alcance da marca.

Então, para que essa estratégia funcione, é necessário conhecer muito bem o seu público para saber exatamente como abordá-los e quais estratégias se tornam mais eficazes com eles. 

A criação de uma ou mais personas também é uma ideia bastante válida, humanizando e aproximando o público.

Portanto, reflita bastante sobre as observações pontuadas até o momento, pois são de extrema importância para iniciar o seu projeto de loja de roupa ou qualquer outra forma de negócio.

Como desenvolver os melhores conteúdos

Agora que você já entendeu um pouco melhor sobre a importância do marketing de conteúdo, principalmente relacionado ao e-commerce, listaremos algumas dicas sobre formas de levar conteúdo ao seu público-alvo e ainda conseguir expandir a sua marca:

1 – Blogs

A criação de um blog ou espaços que pareçam mais pessoais são a iniciativa perfeita para produzir conteúdo voltados para o seu e-commerce. 

Muitas lojas utilizam blogs para passar algumas informações para os seus clientes, inclusive com opiniões e críticas de especialistas.

Você também pode colocar as comparações de produtos mais vendidos no mercado e as vantagens e desvantagens de cada um, e que todos estão em sua loja. Pode ser um comparativo de itens encontrados em uma loja de material de construção, por exemplo.

Independentemente do tema, produto ou serviço abordado, ter um blog é possuir uma vertente do seu próprio negócio, trazendo mais credibilidade para a sua empresa e mais confiança ao cliente. A partir disso, o mesmo pode ir direto à sua loja comprar os itens.

2 – Vídeos

Criar um canal no YouTube, por exemplo, é uma alternativa mais do que válida para divulgar e fazer crescer o engajamento de seus clientes com a sua marca, aumentando ainda mais o marketing, confiança e relevância da sua empresa.

Vídeos são um tipo de conteúdo em que o cliente pode observar como é a aparência do produto, como ele funciona e qual é a opinião da empresa sobre o produto comercializado. 

Provavelmente, essa é a forma mais procurada para saber se vale a pena adquirir um produto.

É possível fazer o mesmo com alguns tipos de serviços, como entrega expressa motoboy, mostrando como é o tratamento dos clientes, qual o procedimento de retirada e entrega de itens, como ele dirige, etc.

3 – Análise de produtos

A opinião de terceiros vale muito para o consumidor, e investir nesse tipo de marketing pode ser a chave entre um produto de sucesso ou um tremendo erro. Esse tópico pode ser utilizado em vários outros formatos, como os outros dois citados anteriormente.

Incentivar alguns clientes que já adquiriram o produto a fazer uma crítica real e construtiva sobre a qualidade dele pode atrair muitos outros possíveis clientes a experimentar tudo o que você tem a oferecer no seu negócio.

Pode ser feito através do seu blog ou mesmo por meio de vídeos no YouTube ou alguma outra rede social, desde o unboxing (processo de desempacotar o produto da caixa e passar as primeiras impressões do mesmo), até o teste do produto de fato.

O lado positivo é que esse tipo de conteúdo voltado para o e-commerce pode ser feito com qualquer tipo de produto. Caso a sua empresa seja especializada em oferecer serviços de reforma de loja, por exemplo, mostre o passo a passo de como realizam o trabalho.

4 – Postagens com imagens

Publicações nas redes sociais trabalhadas com um belo design e mostrando algumas informações relevantes sobre seus produtos ou serviços são ferramentas poderosíssimas para gerar conteúdo de qualidade para os seus clientes e seguidores.

Esta estratégia é útil tanto para as pessoas que estão buscando informações sobre o produto, quanto como curiosidades para aqueles que podem ter visto seu produto uma vez ou outra, mas não sabem com exatidão os benefícios dele, fazendo-os cogitar na compra.

Então, por exemplo, ao fazer um post sobre roupas femininas para revenda, crie um visual agradável, onde as informações não pareçam desorganizadas. Coloque como marca d’água o logotipo de sua empresa e mantenha a constância, que o engajamento será maior.

5 – Perguntas frequentes

Tão importante quanto investir em todas as plataformas, estratégias e redes sociais já apontadas até o momento, é investir em um lugar onde as pessoas possam tirar possíveis dúvidas que surjam ao adquirir o produto ou mesmo antes de comprá-lo.

Com as redes sociais, e-mail, sessão de comentários de vídeos e até mesmo reviews do seu produto são uma abundante fonte de recursos na qual você pode filtrar as dúvidas mais frequentes e ser assertivo na hora de criar esse ambiente.

No momento em que já tiver certeza de como montá-lo, pense em publicar perguntas diretas, claras e objetivas, assim como as suas respostas. Não há necessidade alguma de escrever parágrafos adicionais apenas para enfeitar o texto.

Quando alguém vai a essa sessão, normalmente, quer esclarecer sua dúvida e já sair da página. Caso ela queira saber de outras informações sobre o produto, ela buscará as outras fontes que apontamos até o momento.

Utilize de uma linguagem simples e leve, evitando termos técnicos demais. Porém, não utilize de gírias ou vocabulário inadequado, para assim não “sujar” a imagem de sua empresa, produtos ou serviços.

Considerações finais

Vender na internet pode ser um grande desafio. Atrair novos clientes, se mostrar interessante durante todo o momento, saber se portar perante as dificuldades e a concorrência é uma tarefa árdua, mas que precisa ser feita com qualidade.

O e-commerce expandiu demais as possibilidades, além de gerar novas formas de marketing, propaganda e vendas, fazendo com que o mercado tivesse de se adaptar ao novo estilo tecnológico e acompanhar as mudanças seguintes de forma eficaz e dinâmica.

Porém, dessa forma, muito mais lojas e autônomos ganharam mais espaço para expor suas ideias e produtos, precisando apenas de um planejamento de logística para adaptar tudo que é necessário e um pouco de esforço para aprender as estratégias possíveis.

Por fim, esperamos que essas dicas e orientações tenham te dado ideias de como produzir conteúdo para seus clientes voltados para o e-commerce. 

Adapte-as para o seu estilo de negociação e de empreender, mas, acima de tudo, seja criativo e eficaz na hora de utilizá-las.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.