blur-display-electronics-hand-174938

Como usar o Instagram Stories nas estratégias de marketing para e-commerce

Com a expansão do e-commerce no Brasil, muitos empreendedores migraram suas lojas para os ambientes virtuais, ou estão investindo maciçamente em estratégias de marketing digital para o comércio eletrônico.

Diante desse cenário, as próprias tecnologias se aprimoraram para atender a demanda cada vez maior de e-commerces, oferecendo novos recursos, ferramentas e instrumentos que ajudam nas vendas, conversão de leads (potenciais clientes) e reconhecimento da marca no mercado.

O Instagram Stories está dentro das tecnologias que oferecem muitas possibilidades aos e-commerces, com diversos recursos e funções para quem deseja investir em marketing nas redes sociais.

Veja, no artigo de hoje, como usar o Instagram Stories nas estratégias de marketing para e-commerce e alcance mais vendas e reconhecimento no mercado. Acompanhe a leitura!

O que é o Instagram Stories e por que usá-lo na minha estratégia?

O Instagram Stories é um recursos do próprio Instagram, lançado em 2016, para a criação de conteúdos em textos, imagens e vídeos que ficam disponíveis por 24 horas para os seguidores ou demais usuários da rede.

Assim, um pet shop pode gravar um vídeo de como é a tosa e banho, colocando o conteúdo no Instagram Stories para que mais pessoas possam acompanhar.

Mas você deve estar se perguntando: “por que devo investir em um recurso que somente disponibiliza o meu conteúdo por 24 horas?”.

A resposta é simples: o Instagram Stories aumenta o engajamento dos usuários, aproxima os clientes da empresa e envolve os seguidores com a sua marca.

Além disso, o recurso tem um formato muito rápido e interativo – algo que dialoga bem com as experiências em dispositivos móveis. 

Muitas empresas já perceberam isso, não é à toa que mais de um terço dos conteúdos visualizados no Instagram são produzidos por lojas.

Ou seja, os conteúdos dos Stories são mais instantâneos, reais e pessoais, o que cria laços de proximidade e identificação com os usuários. Afinal, é possível ver os “bastidores’ de um banho e tosa para cães, como citado no exemplo anterior.

Importante dizer que o Stories dispensa a migração entre redes sociais. Quer dizer que, o usuário entra no aplicativo e tem rápido acesso ao conteúdo postado no topo do feed. Isso facilita – e muito! – o compartilhamento e produção de conteúdo.

Outra vantagem da ferramenta é que ela dispensa a criação de uma nova base de contatos. Ou seja, todos os seus seguidores e, até mesmo quem não segue o seu perfil, podem visualizar os Stories e ter uma interação com as publicações.

A natureza efêmera e temporária do Instagram Stories também reduz a necessidade de publicação de conteúdos altamente produzidos, de difícil criação. Assim, as empresas podem compartilhar algo bem menos formal.

Por exemplo, os resultados logo após uma depilação a laser no rosto, para que os usuários vejam, de fato e praticamente em tempo real, como o procedimento é feito.

Isso ajuda os usuários a entenderem mais sobre o tipo de produto ou serviço, além de terem mais confiança na marca, justamente por conta dessa proximidade.

Por esse motivo, o Instagram Stories se tornou o mais novo “queridinho” de todas as empresas, e-commerces e estabelecimentos comerciais que desejam investir em marketing digital para as mídias sociais.

5 dicas para usar o Instagram Stories no seu e-commerce

O aplicativo com maior crescimento no Brasil foi o Instagram. Com mais de 1 bilhão de usuários em todo o mundo, a rede social apresentou um aumento de 5% no número de perfis ativos por trimestre.

De acordo com pesquisas na área, cerca de 37% dos usuários brasileiros usam o Instagram por, pelo menos, uma hora por dia. Além disso, a rede só perde para o Facebook, em termos de engajamento do público.

Por isso, todos os tipos de negócios e empreendimentos estão buscando alternativas para investir no Instagram, em especial nos Stories, um dos recursos mais populares e de maior interação com os usuários.

Pensando nisso, separamos abaixo algumas dicas que podem te ajudar a usar o Instagram Stories nas estratégias de marketing, seja para os e-commerces, lojas virtuais, comércios, ou profissionais autônomos, como um veterinário oftalmologista. Confira!

1 – Faça lives

As lives são vídeos ao vivo que podem ser gravados diretamente no Instagram Stories. Elas são uma ótima forma de mostrar os bastidores da empresa, algo que ajuda na humanização da marca.

Além disso, as lives são capazes de deixar o seu conteúdo muito mais orgânico, pois não há edições.

Para quem busca engajamento, as lives são ainda mais vantajosas, pois seus seguidores são notificados para acompanharem o seu vídeo e o conteúdo ao vivo aparece em destaque dentro do seu perfil.

2 – Use os adesivos

O Instagram Stories conta com um recurso muito interessante que é o uso de adesivos. Eles tornam o conteúdo muito mais divertido e também incentivam uma reação interativa por parte de quem visualizou a postagem.

Por exemplo, você pode fazer um vídeo mostrando uma drenagem linfática pós operatório, junto com um adesivo escrito “lacrou”, que está disponível na biblioteca do Stories.

De modo simples, você torna o conteúdo mais próximo, acessível e menos formal, o que gera uma identificação com o público.

Além dos adesivos ilustrativos, como o citado no exemplo acima, o Instagram também liberou outros recursos similares, incluindo:

  • Os adesivos de compra para lojistas;
  • O swipe up (arraste para cima), para direcionamento de links;
  • As enquetes, para saber a opinião dos usuários;
  • As hashtags, para redirecionar os usuários para outras publicações;
  • As músicas, para colocar um som na postagem;
  • Entre outros.

Mais adiante vamos abordar outras funções dentro do Instagram Stories que podem contribuir para o engajamento dos usuários, bem como com as estratégias de marketing da sua empresa.

3 – Mostre a sua localização

Outra função do Instagram Stories é o sticker de localização, sendo possível marcar um local específico onde gravamos um vídeo ou tiramos foto.

Dessa forma, o usuário pode visualizar a publicação e, além disso, ter acesso ao mapa, vendo todos os stories feitos nesse local nas últimas 24 horas.

Por exemplo, você pode gravar um stories marcando as cidades em que você está fazendo a transferência de veículo de outro Estado. Ou, então, marcar uma loja, empresa, ou qualquer outro estabelecimento.

Esse recurso é muito usado para impulsionar uma marca, especialmente quando marcamos um empreendimento específico. Portanto, ele serve muito bem para lojas físicas.

4 – Adicione links na postagem

O recurso de adicionar links nos Stories é um dos mais cobiçados no Instagram. Desde 2017, qualquer conta business com o mínimo de 10.000 seguidores já pode incluir links – por esse motivo, é importante também elaborar estratégias para conquistar mais follows.

Para adicionar o link, você deve gravar o seu vídeo ou tirar uma foto e, então, clicar no ícone de corrente, que está localizado no canto superior da tela. Depois, uma tela se abrirá pedindo um endereço de URL desejada. Daí, é só adicionar e pronto!

Os seus seguidores poderão abrir o link diretamente no Stories, em uma opção “Ver Mais”, ou “Arraste para Cima”, que está colocada dentro do conteúdo publicado.

Desse modo, você pode tirar uma foto de um produto específico, como uma bateria para carro Moura e colocar um hiperlink direto para a compra do item.

Uma sugestão que pode aumentar o número de cliques no link é o uso de CTAs (Call to Action), ou chamada para ação, que levam os leitores a puxar o “Ver Mais”. 

Mas lembre-se de escrever um texto atrativo e visível para os seus seguidores.

5 – Invista em anúncios patrocinados

Depois de ser integrado ao Facebook, o Instagram passou a oferecer muitas opções de anúncios patrocinados para os seus usuários, inclusive que podem ser feitos diretamente pelo Facebook Ads.

No entanto, muitas pessoas não sabem que também é possível investir em anúncios pagos dentro do Stories – uma opção disponível para todas as contas business.

Esses conteúdos são exibidos com a tag de “patrocinado”, logo abaixo do nome do usuário e são colocados na transição das stories. 

Por exemplo, enquanto você assiste o conteúdo dos seus amigos, pode ver um anúncio patrocinado no stories, na passagem de um usuário para o outro, sobre serviços de renovação de CNH vencida multa.

Vale dizer que os anúncios patrocinados não podem ser revistos, por isso, é essencial elaborar um conteúdo que cause grande impacto e gere interesse na audiência.

Sendo assim, é importante usar o mínimo de texto possível, ressaltar a marca, respeitar a identidade visual da empresa (padrão de cores) e optar por fotografias, ilustrações ou vídeos de alta qualidade.

Isso fará com que o usuário identifique aquele Stories como pertencente a uma marca e, ao demonstrar interesse, visite o perfil comercial da empresa.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog CMO Eventos, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

rupixen-com-Q59HmzK38eQ-unsplash

Conheça as melhores estratégias de marketing para e-commerce

O e-commerce, também chamado de comércio eletrônico, é uma tendência forte no Brasil. De acordo com a pesquisa do E-commerce Brasileiro, essa modalidade de negócio cresceu, aproximadamente, 40% nos últimos anos.

Aliás, é possível constatar esse aumento muito facilmente, visto que conseguimos encontrar todos os tipos de negócios online – desde lojas de roupas, utensílios domésticos, artigos de decoração, até uma clínica veterinária para gatos.

Além de abrir possibilidades para novos mercados e compradores, um estudo revelou que muitos clientes estão migrando para os canais online. 

Quer dizer que, consumidores que já compravam em um determinado estabelecimento, passaram a experimentar o comércio eletrônico.

Afinal de contas, as vantagens do e-commerce são inúmeras, incluindo a possibilidade de realizar uma compra sem sair de casa.

No entanto, para obter destaque em um mercado cada vez mais exigente, competitivo e em constante expansão, é preciso ter conhecimento em estratégias de marketing para e-commerce, principalmente se a intenção da loja virtual é vender mais.

Por isso, separamos algumas técnicas que podem ajudar os e-commerces a incrementar o planejamento de marketing. Acompanhe o artigo!

1 – Tenha um blog

Os blogs são ótimas ferramentas de divulgação e compartilhamento de conteúdos relevantes acerca do seu produto, serviço ou mercado de atuação. 

Em geral, eles fazem parte de uma seção dentro do seu website institucional e podem ser a primeira forma de contato dos usuários com o seu e-commerce.

Segundo pesquisas, as lojas virtuais que mantêm blogs atualizados constantemente registraram 3x mais visitas, com uma conversão de 2,5x mais clientes, em comparação com os comércios eletrônicos que não possuem o canal.

Ademais, os blogs contribuem para que os usuários conheçam mais sobre o seu produto ou serviço. Isto é, você pode educar a audiência a respeito da sua atividade.

Por exemplo, uma empresa de engenharia ambiental pode produzir um material informativo no blog sobre análise e remediação da contaminação do solo, um procedimento que verifica as condições de um determinado local, para observar se não há risco à saúde humana e impactos na natureza.

Dessa forma, quando os leitores são bem informados e possuem conhecimento acerca do produto ou serviço, eles têm mais chances de confiar no seu e-commerce e, consequentemente, fechar negócio.

Entretanto, vale ressaltar que não basta apenas criar um blog. É preciso investir em outras técnicas de marketing digital em conjunto, incluindo:

  • SEO (Search Engine Optimization);
  • Marketing de Conteúdo;
  • CTA (Call to Action);
  • Diversificação de formatos.

O SEO, ou otimização para os mecanismos de busca, é uma estratégia que visa melhorar o rankeamento da sua página web dentro dos buscadores, especialmente o Google.

Assim, quando alguém digita “1 habilitação carro”, é possível encontrar uma série de resultados e, quanto melhor a classificação do seu site, maior é o tráfego orgânico.

Por trabalhar majoritariamente com textos e códigos, o SEO pode ser muito bem aplicado ao lado do Marketing de Conteúdo, para a produção de materiais de qualidade, interessantes e relevantes dentro dos blogs.

Já o CTA, ou chamada para ação, pode ser colocado ao final do texto, orientando os leitores na realização de alguma atitude, após a leitura do material, como fechar uma compra, se inscrever em uma newsletter, entre outros.

Vale dizer, também, que os blogs não suportam apenas conteúdo textual. É importante investir em outros formatos, justamente para atrair novos públicos.

Por exemplo, falar sobre a instalação de vidro blindado automotivo pode ser melhor em um vídeo, mostrando todo o procedimento, ao invés do texto.

2 – Esteja presente nas redes sociais

Com mais de 130 milhões de usuários, o Facebook é visto como a rede social mais usada no Brasil. Mas o canal não é exclusivo – aliás, os brasileiros são ávidos participantes das redes, com mais de 67% da população ativa nesse tipo de mídia.

Por esse motivo, se você estiver começando um negócio agora, seja ele um e-commerce ou não, é importante investir nas redes sociais. Afinal de contas, é uma excelente oportunidade para alcançar um grande número de pessoas.

Além disso, as redes são capazes de aumentar o reconhecimento da marca dentro do mercado. Muito disso, deve-se à proximidade com o público e o engajamento que elas proporcionam aos usuários.

Você pode, por exemplo, compartilhar no Facebook o artigo do seu blog sobre como tirar um laudo para transferência e, posteriormente, receber comentários, curtidas, entre outras reações que mostram a interação do público com a sua empresa.

Fora que, muitas redes sociais, como é o caso do Instagram, já possuem ferramentas especialmente desenvolvidas para os e-commerces.

O Shopping Instagram é um recurso que melhora a experiência de compra dos usuários, pois transforma o perfil da empresa como uma vitrine de produtos. 

Assim, é possível colocar o preço das mercadorias e direcionar os seguidores para a página do e-commerce.

3 – Invista em Marketing de Influência

O Marketing de Influência é uma estratégia que visa a realização de ações, em conjunto com indivíduos que são influenciadores, ou seja, exercem alguma liderança ou possuem certa autoridade e relevância aos potenciais compradores.

Para os e-commerces, bem como qualquer outra empresa, o investimento em parcerias com influenciadores digitais pode ajudar muito no aumento das vendas, bem como no destaque perante à concorrência.

De acordo com uma pesquisa realizada, os influenciadores digitais são a segunda fonte de informação para a tomada de decisão na compra de um produto, perdendo apenas para a recomendação de amigos e parentes.

No entanto, é preciso escolher um influenciador que dialogue com o seu público-alvo. Por exemplo, você pode dar um “brinde” do seu produto, como um óleo lubrificante Audi, para um influencer que fala sobre o mercado de automóveis.

Isso ajuda a direcionar melhor a estratégia, sendo possível atingir justamente o perfil do cliente ideal.

4 – Use o e-mail marketing

O e-mail marketing é considerado uma das ferramentas mais poderosas do marketing digital para e-commerces. Isso porque ele ainda é um dos canais mais usados pelos usuários e é visto como uma fonte de confiança para a troca de mensagens com a empresa.

Por esse motivo, é importante se relacionar com a sua lista de leads (clientes potenciais) e clientes, através do e-mail marketing, para que eles possam se lembrar do seu negócio.

Normalmente, o e-mail marketing é usado para estratégias de marketing de meio e fundo do funil, ou seja, para usuários que já conhecem o seu produto/serviço e estão próximos de realizar uma compra.

Por exemplo, um usuário que entrou em contato com o seu e-commerce, para pedir mais informações a respeito dos documentos necessários para renovação da CNH vencida 30 dias, pode receber mensagens de e-mail com as orientações.

O importante é enviar, com equilíbrio, algum conteúdo periodicamente aos seus leads e clientes. Isso inclui:

  • Newsletters (boletins informativos);
  • Promoções exclusivas;
  • Novidades da sua loja virtual;
  • Programas de fidelidade;
  • Confirmação de compra;
  • Código de rastreamento da entrega;
  • Entre outros.

Vale destacar que o e-mail marketing não é spam. No primeiro caso, temos uma lista de e-mails com pessoas que forneceram o endereço eletrônico e estão dispostas a receber o conteúdo do seu e-commerce, com possibilidade de descadastramento.

O spam, por outro lado, consiste no envio massivo de mensagens, muito vezes, por listas compradas de e-mails.

5 – Anúncios patrocinados

O investimento em anúncios patrocinados, isto é, que são pagos, também podem ajudar o seu e-commerce no aumento de visitantes no site, conversão de leads e crescimento nas vendas, especialmente se você deseja resultados a curto prazo.

Há diversas plataformas especializadas na criação de anúncios, como é o caso do Facebook Ads e do Google AdWords. 

Para escolher qual é a mais adequada, você precisa conferir os objetivos do seu planejamento de marketing, bem como o canal em que deseja fazer a divulgação.

O Facebooks Ads permite que você crie anúncios personalizados, que irão aparecer dentro da rede social. Assim, quando um usuário está navegando pelo feed, ele pode ver uma propaganda de tacógrafo caminhão da sua empresa.

O AdWords oferece a divulgação em dois modelos principais: a Rede de Pesquisa e a Rede de Display.

No primeiro, os anúncios são mostrados dentro dos resultados de pesquisa do Google. Por esse motivo, é preciso definir as palavras-chaves certas, que são os gatilhos para as propagandas, bem como o quanto você deseja investir.

Já na Rede de Display, os anúncios são exibidos em milhares de websites parceiros do Google. Assim, as propagandas são colocadas de maneira estratégica, dentro de páginas web alinhadas aos interesses do público-alvo.

Apesar de uma ótima estratégia a curto prazo, para alcançar a notoriedade e o reconhecimento no mundo digital, o seu e-commerce deve mesclar os modelos de divulgação, visto que o tráfego orgânico é muito importante para o sucesso dos negócios.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Ideia Socioambiental, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Lead Magnet over paper background attracting and retaining many spheres, symbol of new customers. B2B inbound marketing concept. 3D illustration

Inbound ou Outbound: qual a melhor estratégia de marketing para sua empresa?

As estratégias de marketing de uma empresa podem ser trabalhadas de duas formas diferentes, com o Inbound e o Outbound Marketing. Enquanto o primeiro busca despertar o interesse dos clientes com conteúdos relevantes para que eles cheguem até o produto, o Outbound utiliza técnicas mais tradicionais, com propagandas físicas e digitais.

Com a crescente popularidade da internet, é comum que os empreendedores tenham dúvidas sobre as melhores formas de divulgar o seu negócio. 

É preciso ter em mente que não existe ação de marketing superior ou inferior. Nesse caso, ambas podem ser extremamente benéficas para os negócios, dependendo do segmento de atuação ou da dimensão das empresas.

Contudo, é cada vez mais importante que os empreendedores entendam as principais diferenças entre as estratégias. Assim, fica mais fácil decidir qual estratégia tem maior potencial para alavancar a empresa.

O que é Inbound Marketing?

O Inbound Marketing é uma estratégia que tem como principal foco a atração e fidelização dos consumidores. Em uma tradução livre do inglês para o português, o conjunto de ações também pode ser chamado de Marketing de Atração. 

A ideia não é ir atrás do cliente. O Inbound foca em despertar o interesse dele, para que ele venha até a empresa com interesse nas soluções que ela oferece.

Essa atração é uma conquista que ocorre por meio de materiais informativos, de qualidade e úteis para o público da empresa, disponíveis em blogs, sites ou redes sociais.

Como a produção de conteúdos é a base do Inbound Marketing, é extremamente necessário que eles sejam adequados para o público da empresa.

Para despertar o interesse genuíno na audiência pelos produtos ou serviços oferecidos, é fundamental que os empreendedores conheçam bem o seu público. Interesses, dúvidas e desafios comuns à audiência da empresa irão guiar a produção de materiais.

Assim, as empresas conseguem oferecer informações relevantes. Elas ajudam na resolução de problemas, fazendo o potencial cliente enxergar uma oportunidade, em que o produto da empresa se mostra uma solução.

A empresa deve investir em conteúdos para as diferentes etapas da jornada de compras. Assim, ajuda o público a caminhar até a fase final, quando ele se efetiva como cliente.

Portanto, por meio do Inbound Marketing, os conteúdos atrativos ajudam a aumentar o tráfego do site da empresa. Com pontos de conversão (como formulários ou landing pages), as marcas também conseguem transformar os visitantes em contatos. Eles representam potenciais compradores e também podem ser chamados de Leads.

Com uma boa base de Leads, a empresa pode até criar um canal de relacionamento com os clientes, por meio do Email Marketing. Assim, ela consegue nutrir essa pessoa com informações relevantes, que incentivem a sua intenção de compra.

Por isso, quando o Inbound Marketing é bem planejado e executado, ele se mostra relevante principalmente para os clientes, com conteúdos adequados e não intrusivos. A venda acaba sendo um resultado de ações bem orientadas e específicas.

O custo do Inbound Marketing talvez seja uma grande vantagem a se destacar. É possível fazer pequenos investimentos e ter grandes retornos. Com o tempo, quanto melhor o conteúdo produzido e promovido pela marca, menor tende a ser a necessidade de investimento em mídias pagas.

Portanto, para resumir o Inbound Marketing, trata-se de uma metodologia pautada em:

  • Conteúdos para educar ou entreter o público;
  • Atração do cliente até a empresa;
  • Comunicação em duplo sentido;
  • Clientes atraídos em ferramentas de pesquisas, pelo SEO;
  • Menor custo médio para aquisição de clientes;
  • Movido a criatividade e esforço na produção de material;
  • Marketing de permissão com conteúdos relevantes.

O Inbound Marketing na prática

O Inbound Marketing pode ser aplicado para a promoção de empreendimentos de diferentes setores e proporções, e não só para o segmento de tecnologia, como muitas pessoas podem pensar.

Um hospital para animais, por exemplo, pode investir na produção de conteúdos para atrair e reter os proprietários de pets.

Para isso, o primeiro passo é criar um site para a instituição. Ele deve ser otimizado com boas práticas de SEO (Search Engine Optimization) e estruturado para proporcionar uma boa experiência aos usuários. 

Depois, recomenda-se a criação de um blog. Uma transportadora de mudanças, para exemplificar, pode utilizar o blog como canal para atração dos clientes, abordando as principais dúvidas do público.

Vale lembrar a jornada de compra que o cliente percorre até a decisão final. Os visitantes do site podem estar em diferentes etapas da jornada. 

No caso de um blog de uma empresa especializada em aluguel de caçamba entulho, por exemplo, o visitante pode ainda não estar convencido da importância do serviço, no início da jornada. Por outro lado, pode haver outros que já estejam pesquisando empresas para a contratação.

Por isso as empresas devem investir em materiais para suprir as necessidades do público em todas as fases. Assim, consegue despertar o interesse de diferentes tipos de consumidores em potencial.

Depois de atrair e captar os potenciais clientes, ou leads, a empresa de instalação de placa solar, por exemplo, pode pensar em formas de nutrir e manter um relacionamento com essas pessoas. Então, a marca pode criar campanhas de Email Marketing.

O que é Outbound Marketing?

Por sua vez, o Outbound Marketing também pode ser chamado de Marketing Tradicional. Ele atrai os clientes e potenciais clientes pelo oferecimento direto de produtos ou serviços.

No Outbound Marketing a marca vai atrás do consumidor de maneira mais ativa, sem necessariamente gerar um interesse genuíno no cliente em potencial.

As estratégias tradicionais são bastante populares em canais como programas de rádio, de televisão, jornais, revistas, correspondência por mala direta, cartazes e outras formas comuns de publicidade.

Além disso, hoje em dia o Outbound Marketing também pode ser aplicado no meio digital. Nesses casos, os usuários são surpreendidos com propagandas. Elas podem aparecer em pop-ups, banners em sites, emails disparados em massa, etc.

Geralmente o Outbound demanda um investimento maior, em comparação com a metodologia Inbound. O ponto negativo disso é que, caso a empresa precise cortar os investimentos na área, ela pode simplesmente sumir da mídia. 

Já os conteúdos do Inbound continuam na internet e podem ser acessados a qualquer momento e de diversos tipos de dispositivos.

Portanto, para resumir o Outbound Marketing, trata-se de uma metodologia pautada em:

  • Propagandas ativas, com divulgação direta dos produtos;
  • A empresa procura o cliente;
  • Comunicação em um único sentido;
  • Prospecção ativa com outdoors, flyers e anúncios;
  • Maior custo médio de aquisição de clientes;
  • Pouco ou nenhum valor agregado com os conteúdos;
  • Marketing baseado na interrupção.

O Outbound Marketing na prática

Embora alguns empreendedores pensem que a metodologia Outbound serve apenas para empresas mais tradicionais, tratam-se de ações que podem ser bastante benéficas para empresas de diversos segmentos e dimensões.

Um despachante, por exemplo, pode divulgar uma promoção na consultoria para laudo cautelar veicular por meio de flyers. Além de fazer uma ação de panfletagem, também pode investir em propagandas em rádios, atraindo o público local, interessado especialmente nas ofertas.

Por outro lado, para garantir presença digital, uma construtora, por exemplo, pode divulgar os serviços com anúncios pagos nas redes sociais. Assim, pode alcançar interessados em boas condições para serviços como a restauração de fachada predial.

As ações contribuem para que as empresas alcancem um elevado número de pessoas, sendo que dentre elas haverá aqueles que podem ser atraídos pelas ofertas, com interesse em se tornarem clientes.

Inbound e Outbound: como mesclar os dois?

Para garantir o crescimento exponencial das empresas, o ideal é que elas invistam em ambas as técnicas, já que uma não anula a outra.

Para vender um armário de aço escritorio, a fabricante pode produzir conteúdos informativos para o blog, abordando as vantagens do material, problemas que o móvel ajuda a resolver, dicas para escolher o armário ideal, entre outras ideias. 

Mas também pode promover diretamente o produto quando houver promoções ou descontos especiais.

O que a empresa deve levar em conta é o ROI (Retorno sobre o Investimento), que vai apontar as ações e canais que podem valer mais a pena o investimento de tempo e dinheiro.

Para ambas as metodologias, as plataformas digitais possibilitam o acompanhamento dos resultados. Na rádio ou TV, por exemplo, pode ser mais difícil descobrir quantas pessoas tiveram acesso ao anúncio e quantas foram atraídas por ele.

Contudo, o que de fato pode guiar na mistura entre as estratégias é o conhecimento sobre o perfil dos clientes, a jornada de compra que eles realizam, ticket médio que costumam gastar e outros aspectos. 

O empreendedor também deve considerar o modelo de gestão da sua empresa, e contar com profissionais qualificados, com experiência para garantir as ações mais adequadas.

Para unir as estratégias, uma ideia é a promoção do serviço de recepcionista para eventos com indicações no meio offline impulsionadas por e-mails, por exemplo.

Por fim, tendo em mente que uma metodologia não exclui a outra, as empresas conseguem atrair cada vez mais clientes, formando uma poderosa estratégia de marketing para impulsionar as vendas.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Cropped shot of Young asian man is working at home with his laptop to protect against Corona virus or Covid-19.

Estratégias de comunicação nas Redes Sociais e a Pandemia do Coronavírus

Desde que a OMS (Organização Mundial da Saúde) declarou o novo coronavírus como uma pandemia, várias empresas estão colaborando para diminuir a transmissão da doença, e investindo no compartilhamento de informações relevantes e verdadeiras no combate ao Covid-19.

Afinal de contas, há muitas notícias falsas circulando por aí, especialmente na internet, que podem desinformar as pessoas, indo na contramão do que recomendam os órgãos de saúde.

Por esse motivo, é importante pensar em estratégias de comunicação, principalmente dentro das redes sociais, que tragam conteúdos verdadeiros a respeito da pandemia do coronavírus, para que os usuários possam ser, de fato, informados com responsabilidade.

Enquanto empresa, é necessário compreender que, em momentos de crise como este, é dever da gestão manter as redes de relacionamento e comunicação como forma de manter a proximidade com o público-alvo, a afinidade com os clientes fiéis e o respeito com a audiência.

Isso torna a sua empresa credível dentro do mercado e é uma maneira de se destacar, em meio de um boom de informações falsas.

Além disso, se você tem um negócio que não é da área da saúde, como uma retifica de motores automotivos, deve introduzir como parte da sua estratégia de comunicação nas redes sociais a procura por fontes confiáveis e que têm autoridade no assunto.

No artigo de hoje, vamos falar mais como compartilhar informações verdadeiras a respeito da pandemia do coronavírus, e a adotar esse hábito como parte das estratégias de comunicação para redes sociais. Acompanhe a leitura!

Coronavírus: o que é importante saber

De acordo com o Ministério da Saúde, o Coronavírus (CID10) é o nome dado a uma família de vírus que são responsáveis por infecções respiratórias. 

O novo coronavírus, ou Covid-19, foi descoberto em dezembro de 2019, na China.

Os sinais e sintomas do atual agente do vírus são principalmente respiratórias, bem semelhantes a uma gripe. 

Contudo, o vírus pode causar infecção no trato respiratório inferior, ocasionando possíveis pneumonias e, até mesmo levar a óbito, em casos de pessoas imunocomprometidas, crianças e idosos.

Ainda estão sendo feitas novas pesquisas e investigações acerca dos sintomas do Covid-19, porém, os sinais mais conhecidos são:

  • Febre;
  • Tosse;
  • Dificuldade para respirar;
  • Espirros.

Atualmente, diversos governos estão adotando medidas preventivas para conter a transmissão do coronavírus, incluindo as orientações de distanciamento social, higienização periódica das mãos (com água e sabão, além do uso de álcool gel), bem como optar por ambientes ventilados.

Desse modo, muitas pessoas estão realizando suas atividades em casa, via internet.

Setor automotivo como exemplo de comunicação através das Redes Sociais

A tecnologia tem dado muito respaldo à isso, visto que é possível fazer a renovação de CNH vencida quase toda online.

Quanto à transmissão, o Ministério da Saúde diz que as investigações ainda estão em andamento, mas constata-se a disseminação da doença de pessoa para pessoa, por meio de gotículas respiratórias ou de contato físico.

Assim, qualquer um que tenha contato próximo (cerca de 1 metro) de alguém infectado, ou que apresente sintomas do Covid-19, está em risco de ser exposto à infecção.

Como pensar em estratégias de comunicação nas redes sociais diante do coronavírus?

Devido o distanciamento social, recomendado como medida de prevenção, muitas empresas estão autorizando seus colaboradores para o trabalho remoto.

Além disso, tem a parcela da população que resolveu cumprir as recomendações da OMS e dos demais órgãos de saúde, isolando-se em casa.

Diante desse cenário, buscam-se informações sobre o coronavírus em todos os lugares da internet, em especial nas redes sociais. 

Porém, é preciso ter cuidado com as famosas “fake news”, isto é, notícias falsas, que não disseminam informações verdadeiras a respeito da pandemia.

Por esse motivo, é importante pensar em novas estratégias de comunicação das redes sociais para todas as empresas, desde multinacionais, até empreendimentos que não são do ramo da saúde, como uma oficina de vistoria para carros.

Vale dizer que, o compartilhamento de conteúdo nas redes sociais fortalece o posicionamento das marcas, ainda mais quando prioriza informações verdadeiras e de fontes confiáveis.

Esse tipo de compartilhamento agrega valor à empresa, fortalecendo a imagem no mercado e ajudando a construir uma boa imagem aos consumidores.

Abaixo, confira algumas estratégias de comunicação para redes sociais que podem ajudar.

1 – Lembre-se de educar a sua audiência

Quando se compartilha um conteúdo nas redes sociais, a intenção não é somente fornecer uma informação, mas sim, educar o público a respeito de um determinado assunto.

Por exemplo, a produção de um artigo explicando o que é um tacógrafo caminhão tem muito mais valor do que uma simples propaganda.

O mesmo vale para casos como o atual cenário do coronavírus. É preciso pensar que, toda informação compartilhada nesses canais, ajudam a formar uma compreensão do usuário a respeito do tema. 

Portanto, é preciso pensar no compartilhamento como algo educativo.

2 – Tenha uma regularidade de postagem

Imagina que você entrou em uma página do Facebook, com a intenção de saber mais sobre laudo veicular ecv, mas percebeu que o perfil não é atualizado há muito tempo. 

Isso pode afetar a sua percepção sobre a marca, que abandonou a rede social e não produziu nenhum conteúdo novo.

Por conta disso, é importante ter uma regularidade de postagem, de modo que as pessoas esperem pelo seu próximo post.

A regularidade é também um fator de credibilidade, pois mostra que você está acompanhando as notícias e o que está acontecendo no mundo.

3 – Compreenda o ambiente das redes

Faça um teste: procure por bateria para carro Moura nas redes sociais e depois faça a mesma pesquisa em um blog. É bem provável que você encontre as mesmas informações, mas apresentadas de modo diferente.

Isso acontece porque nas redes sociais tem-se uma maior liberdade para falar com o público, sendo possível adotar uma linguagem mais informal e pessoal.

Além do mais, é preciso ter compreensão do ambiente das redes e saber qual tom de linguagem adotar, dependendo do conteúdo.

Por exemplo, se for para dar uma notícia sobre o número de casos do coronavírus no Brasil, não dá para abordar o assunto com uma linguagem que mostra entusiasmo. Além de ser totalmente desrespeitoso, os usuários não irão ter uma boa imagem da sua empresa.

Deixe para usar a tonalidade mais expansiva quando for falar de assuntos como as vantagens de uma injeção eletrônica automotiva, entre outros temas.

4 – Procure o engajamento dos usuários

Essa é uma das estratégias de comunicação nas redes sociais mais complexas. Afinal de contas, promover o engajamento dos usuários não é assim tão fácil – você precisa de um conteúdo atrativo, rico, confiável e que desperte o interesse do leitor para tecer algum comentário, crítica ou compartilhamento da postagem.

No entanto, o engajamento é o principal responsável pela credibilidade e poder de influência sobre os seus seguidores.

Ora, um conteúdo sobre laudo veicular Ecv, quando tem um bom engajamento, costuma ser melhor visto pelos usuários e, como consequência, passa a ter autoridade no assunto.

Por isso, no caso específico sobre os acontecimentos do coronavírus, é importante promover discussões relevantes, sempre ter atenção às fontes, e priorizar um conteúdo informativo de qualidade, ao invés da autopromoção.

5 – Tenha uma equipe qualificada para as redes sociais

Não caia na bobeira de deixar qualquer pessoa tomar conta da sua rede social. Conduzir estratégias de comunicação e implementá-las não é algo simples – ao contrário, requer conhecimento específico.

É possível perceber a diferença de um anúncio sobre vidro blindado automotivo produzido por uma pessoa que tem experiência em redes sociais, do que um post de um leigo.

Em tempos de crise, como a do coronavírus, é essencial ter alguém próprio e qualificado para gerenciar as redes sociais. 

Afinal, qualquer informação compartilhada de modo errôneo pode ser o suficiente para comprometer a imagem da empresa.

Conclusão

O momento que estamos vivendo, com a expansão da pandemia de coronavírus, fez com que a sociedade tivesse que ressignificar seus comportamentos, modos de trabalho e pensar em estratégias de comunicação, não só nas redes, mas em todos os canais, para evitar a disseminação de notícias falsas.

Vale dizer que, as consequências das fake news são inúmeras e podem ser alarmantes, atingindo os campos sociais, econômicos, políticos, pessoais e psicológicos. 

Por esse motivo, é preciso pensar em formas de comunicar com responsabilidade – e isso vale para todos nós.

No cenário de pandemia de coronavírus, já é possível perceber muitas consequências das notícias falsas, que afetam o modo como as pessoas encaram a situação, por exemplo.

Sendo assim, as empresas, agências e até mesmo seguidores leigos devem pensar em como vão se comunicar e o que desejam transmitir.

A melhor estratégia é sempre optar por fontes confiáveis e pesquisar muito antes de compartilhar qualquer assunto, ainda mais quando não temos um conhecimento específico sobre o tema.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

Pile of 3D Facebook Logos

Como orientar a produção de conteúdos para Facebook de acordo com a faixa etária

A produção de conteúdos para o Facebook exige bastante atenção e uma programação prévia, que ajudam na elaboração do material.

Apostar em bons conteúdos e boas informações, é extremamente importante para uma empresa que queria crescer no seu mercado de atuação.

Com o avanço da tecnologia, é cada vez mais comum que as pessoas passem grande parte do seu tempo conectadas, absorvendo diferentes tipos de materiais.

Por isso, as empresas que se destacam com a produção de bons conteúdos vão ganhando maior relevância e alcançando um bom posicionamento na internet, garantindo que a sua marca seja reconhecida como uma autoridade no seu segmento.

Mas, para montar um planejamento coerente com o seu negócio e com o seu público, com o objetivo de promover um compactador de solo a percussão, por exemplo, é preciso levar em consideração alguns elementos, que serão abordados no decorrer do artigo.

Para entender de modo mais detalhado sobre esses pontos, siga na leitura e conheça mais sobre a importância de elaborar materiais de qualidade para seus seguidores.

Produzindo conteúdos para o Facebook

O Facebook é uma das maiores redes sociais do momento: ela possui cerca de 2,3 bilhões de usuários no mundo todo, segundo os dados da própria plataforma.

Levando em consideração esse número, certamente grande parte dos seus clientes estarão presentes na rede e, por isso, você deve investir na atuação da sua marca no Facebook, aumentando o seu quadro de seguidores.

Para isso, é preciso conhecer as técnicas que tornam os seus conteúdos atrativos e especialmente direcionados para o seu público, de modo a atingir um bom número de visualizações.

Entre elas, podemos elencar:

  • Apostar em conteúdos evergreen;
  • Utilizar técnicas de SEO;
  • Aplicar copywriting em seus materiais;
  • Conhecer o público-alvo do seu negócio;
  • Entre outros pontos.

Conteúdos evergreen

A produção de bons conteúdos exige planejamento e prática. 

Isso quer dizer que ao escrever sobre um assunto como a importância de se realizar periodicamente o exame para toxoplasmose em gatos, você está levando uma informação de qualidade e que transmite um conhecimento importante.

Os conteúdos evergreen possuem o intuito de educar o seu público, de modo que ele entenda mais sobre um tema específico. Isso é essencial para levar dados de grande relevância para as pessoas.

Diferentemente dos textos informativos pontuais, ou seja, aqueles que possuem um conteúdo datado, um material evergreen não possui “validade”, o que quer dizer que o tema contido ali pode ser acessado por um longo período e ser sempre atual e interessante.

Por isso, ao produzir conteúdos para a sua página do Facebook, você deve apostar na elaboração de materiais evergreen, que serão de grande utilidade para os seus seguidores.

Técnicas de SEO

Se você já produz conteúdos há algum tempo, certamente já ouviu falar nas técnicas de SEO (Search Engine Optimization).

Ele é composto por elementos que podem ser essenciais para promover as suas postagens, fazendo com que elas sejam encontradas com mais facilidade pelos seus leitores.

O uso de palavras-chave, tal como “cadeira dobrável estofada”, é um desses elementos. 

Dessa forma, quando o cliente faz uma busca pelo item nas plataformas, as postagens que apresentarem a expressão mencionada serão vistas entre as primeiras posições dos resultados da pesquisa.

Utilizar imagens e títulos atrativos também são técnicas que podem auxiliar na produção de um conteúdo, deixando-o mais completo e chamativo para os seguidores.

Utilizando o copywriting nas suas postagens

Talvez você ainda não tenha aplicado o copywriting nas suas publicações, mas provavelmente já leu várias postagens na internet que utilizavam a estratégia na sua produção.

Ao escrever um texto com o intuito de vender materiais para construção ou serviço de pedreiro, por exemplo, uma empresa pode utilizar o copywriting para construir um conteúdo que resulte em uma venda.

Nesse sentido, é essencial descrever o objeto da venda, e mostrar como ele pode ser uma solução para alguma dificuldade que o seu potencial cliente pode ter no momento.

Para isso, é necessário também aplicar o Call to action (CTA), chamando o cliente para uma ação, que, nesse caso, pode ser a de adquirir aquilo que você está oferecendo.

Você conhece o seu público-alvo?

Quando você vai produzir um novo conteúdo, seja para abordar a importância da investigação detalhada Cetesb, ou sobre as principais tendências de moda da próxima estação, você precisa conhecer as características do seu público.

Isso quer dizer que para direcionar uma postagem para os seus potenciais e atuais clientes, você precisa saber mais sobre eles, entendo seus traços e suas necessidades.

Para começar, você deve levar em consideração idade, profissão, sexo e dados demográficos do seu público. Mas não é só isso. Também é preciso entender as dores e as vontades dos seus clientes, para que você possa atendê-las de modo ideal.

Com essas características bem definidas, você poderá produzir materiais adequados para os seus seguidores, prendendo a atenção deles e fazendo com que eles queiram acompanhar as suas novidades mais de perto.

Facebook: produzindo conteúdos de acordo com a faixa etária

Diferentemente do público do Instagram, que possui uma faixa etária composta por usuários mais novos, o Facebook apresenta um aumento no número de inscritos com idade superior a 35 anos.

Isso quer dizer que o público do Facebook é composto, majoritariamente, por usuários mais velhos e, por isso, você deve produzir conteúdos de acordo com essa faixa etária.

Nesse caso, para promover os seus serviços de paisagismo residencial, o resultado obtido será muito mais efetivo no Facebook do que em outras mídias.

Afinal, as pessoas que se interessam por esse tipo de serviço, certamente estarão em maioria nessa rede.

Sendo assim, você deve apostar na produção de materiais voltados para o público-alvo do seu negócio, levando em consideração as características dos usuários do Facebook.

Nesse sentido, apostar em uma nova publicação para informar sobre os benefícios de uma prótese capilar masculina faz muito mais sentido quando ela é direcionada para o público mais velho, trazendo resultados mais efetivos para a sua postagem.

Isso, porque os potenciais clientes de uma empresa utilizam as redes sociais para acompanhar as novidades dos seus amigos e parentes, mas também para receber informações sobre as suas marcas preferidas.

Por isso, as empresas que investem em conteúdos de qualidade para divulgar nos seus perfis e páginas nas redes sociais, alcançam novos negócios mais facilmente, principalmente, quando eles são desenvolvidos de acordo com a faixa etária do seu público-alvo.

Juntamente com a característica da faixa etária, você também deve direcionar a sua produção para as pessoas que mais se identificam com aquilo que você está promovendo.

Por isso, ao criar uma postagem para anunciar um produto como uma rede de proteção animal, você deve levar em conta o público interessado em adquirir esse tipo de item.

Os proprietários de imóveis e as pessoas que tenham animais domésticos, mas que estejam de mudança para um novo endereço que ainda não possua esse produto instalado nas janelas, são exemplos de usuários que vão interagir de modo mais efetivo com a sua postagem.

Certamente, ela não será direcionada para um público mais jovem, que busca por itens mais voltados para maquiagens e roupas, ou equipamentos eletrônicos para utilizar no dia a dia.

Nesse sentido, entender de modo mais abrangente as características dos seus seguidores e das pessoas interessadas nos seus serviços pode auxiliar no desenvolvimento de conteúdos mais personalizados, que possam chamar a atenção dos seus clientes.

Desse modo, você pode aumentar de maneira muito mais eficiente a atuação da sua empresa, pois é possível fornecer os seus produtos ou serviços para pessoas da mesma faixa etária, que residam em diferentes regiões, ampliando o seu atendimento.

Ao direcionar o conteúdo para um público mais característico, você acaba por gerar mais valor para os seus clientes e para a sua marca, que ao focar em um determinado objetivo, consegue alcançá-lo com muito mais facilidade e clareza.

Em paralelo, você consegue obter dados mais precisos sobre as suas publicações, podendo mensurar de maneira mais adequada as melhores maneiras de promover os seus produtos ou serviços no Facebook.

Esse é o modo mais assertivo de trazer resultados para a sua empresa, já que você pode utilizar as métricas obtidas com os dados de uma postagem para criar publicações cada vez mais eficientes, aumentando o retorno dos seus clientes.

Por isso, é de grande importância que você produza conteúdos no Facebook de acordo com a faixa etária dos usuários da rede e do seu público-alvo, tornando a sua atuação nas redes sociais mais positiva e permitindo assim alcançar os seus objetivos. 

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

computer-software-developer-designing-user-interface_t20_6mBEvp

Como produzir conteúdos SEO para seu blog

As empresas que desejam aumentar a visibilidade do seu site na internet precisam investir na criação de um blog e, além disso, aplicar técnicas de SEO na produção dos seus conteúdos.

Já ouviu falar sobre a importância do Marketing de Conteúdo para as empresas que buscam alcançar uma maior visibilidade no mundo virtual?

Um conteúdo bem desenvolvido pode ser uma estratégia fundamental, garantindo que o blog possua uma grande relevância dentro do seu segmento de atuação.

Isso porque o Marketing de Conteúdo tem como objetivo levar conhecimentos e informações importantes para o público, de modo que ele é responsável por atrair cada vez mais visitantes para uma página.

Uma empresa deve apostar na divulgação dos seus produtos e serviços utilizando as ferramentas de divulgação disponíveis na internet, mas é preciso apostar também em novas estratégias, que podem oferecer resultados ainda maiores para um negócio.

Fazendo a junção da produção de conteúdos para blog com as técnicas mais eficientes de SEO, pode-se obter resultados que fazem a sua página ser vista com maior destaque na internet.

A importância do Marketing de Conteúdo para uma empresa

Atualmente, o marketing tem sido, não somente uma ferramenta que permite realizar a publicidade de um negócio, mas também tem explorado diferentes possibilidades quando o assunto é a geração de valor para os clientes de uma empresa.

O Marketing de Conteúdo é responsável por isso, levando em consideração que grande parte das pessoas hoje não buscam apenas saber o preço de um produto.

Como exemplo, o calibrador de rosca anel, mas sim as suas características, os seus principais usos e funções, que ele faz e como o cliente pode utilizar o equipamento de maneira eficiente e de modo adequado.

Sendo assim, a empresa consegue atingir um patamar diferenciado, que a torna uma referência no seu segmento de acordo com a percepção que ela gera no seu público.

Além disso, outras vantagens que o Marketing de Conteúdo pode trazer para uma empresa são:

  • Redução de custos com publicidade;
  • Faz com que o público encontre sua empresa;
  • Melhora a qualidade do relacionamento com os clientes;
  • Possibilita que o público indique a empresa para seus amigos;
  • Auxilia na fidelização dos clientes;
  • Transmite conhecimentos para seu público.

O Marketing de Conteúdo pode ajudar na redução dos custos com publicidade. 

Isso porque uma academia, por exemplo, que investe nessa estratégia pode realizar uma postagem que revele aos seus clientes a vantagem de realizar uma aula funcional na academia, em vez de simplesmente investir em um anúncio pago na internet.

Ao ler mais sobre os benefícios da aula, uma pessoa interessada, pode se sentir muito mais inclinado para participar dela, enquanto um anúncio certamente poderia passar despercebido.

Seguindo essa linha de raciocínio, esse tipo de Marketing facilita que a empresa seja encontrada pelo seu público, e melhora o relacionamento com seus clientes, justamente porque não investe em divulgação de uma maneira ostensiva. 

Em vez disso, faz com que os interessados possam encontrá-la facilmente por meio de uma busca simples na internet.

Isso gera maior afeição do público pela empresa, o que resulta na indicação dos seus serviços para amigos e familiares, mostrando assim a fidelidade dos seus clientes.

Com o Marketing de Conteúdo, um negócio pode oferecer muito mais conhecimentos para os seus leitores.

Disponibilizando uma postagem que explique o processo de investigação detalhada CETESB para seus clientes que desejam investir na construção de um poço, por exemplo.

Depois de abordar mais detalhadamente sobre a importância do Marketing de Conteúdo, é preciso entender também sobre as técnicas de SEO.

O que é o SEO e quais são as suas ferramentas principais?

O SEO (Search Engine Optimization) se trata de um conjunto de estratégias utilizadas na produção de conteúdos, que são responsáveis por melhorar a visibilidade de um blog na internet.

Ao aplicar algumas dessas técnicas em suas postagens, uma empresa faz com que sua página ganhe destaque e seja exibida entre as melhores posições dentro de uma pesquisa nos principais buscadores.

Entre as principais estratégias de SEO que podem ser aplicadas nas postagens de um blog estão:

  • Escolha de um bom título;
  • Divisão do texto em tópicos, facilitando a leitura;
  • Aposta em imagens na composição do conteúdo;
  • Opção por boas palavras-chave;
  • Otimização do carregamento e responsividade da página.

Escolhendo um título interessante

A escolha de um bom título é uma das partes essenciais de conteúdos mais atrativos para um blog. Afinal, quando se busca por um determinado assunto na internet, o buscador seleciona aquele que aparenta ter maior sinergia com a pesquisa.

Assim, se você quer entender sobre como funciona a impressão de etiquetas adesivas, certamente um conteúdo que trate do assunto e que contenha um título que leva esses termos em sua composição será visto como um artigo relevante.

Por isso, o título é de grande importância na confecção de um bom conteúdo, e deve ser escolhido de maneira criteriosa de acordo com os temas que você abordará nas postagens do blog da sua empresa.

A escaneabilidade do texto é importante

Grande parte das pessoas que buscam por um determinado assunto na internet, ao entrar em uma página, faz uma inspeção prévia da formatação do texto.

Levando em consideração que a internet é tida como uma forma dinâmica de adquirir conhecimentos, é preciso que a escaneabilidade da sua página siga essa mesma linha.

Por isso, investir em tópicos pode ser interessante para tratar de um assunto de maneira simples e completa.

Se você postar um conteúdo sobre a importância da limpeza de estofados automotivos, por exemplo, é possível criar diferentes tópicos.

Em que um deles pode relatar sobre os produtos utilizados, outro pode descrever as etapas do serviço e outro pode mencionar os benefícios da prática periódica desse procedimento.

Essa estratégia de SEO deve ser utilizada na confecção dos conteúdos postados no seu blog para que cada vez mais pessoas consigam encontrá-lo e sejam beneficiadas com as informações oferecidas na sua página.

Utilizar imagens torna o texto mais atrativo

Escolher uma boa imagem para ilustrar o seu texto pode ser fundamental para auxiliar na compreensão do assunto que está sendo tratado.

Além disso, essa técnica de SEO pode ser utilizada para que um conteúdo, por exemplo, sobre a obtenção de laudo de AVCB mostre de maneira detalhada os principais elementos que são analisados na vistoria do Corpo de Bombeiros.

Fazendo com que os leitores compreendam mais facilmente cada uma das etapas da vistoria.

Por isso, um blog que investe na postagem de conteúdos com ilustrações é bem visto pelos parâmetros dos buscadores, de modo que ele aparece mais bem posicionado durante as buscas do seu público-alvo.

O SEO e as palavras-chave

As palavras-chave são os elementos de maior resultado no SEO. Isso porque elas correspondem à pesquisa que o público realiza, e utilizá-las no decorrer do seu texto é essencial para que ele seja encontrado mais facilmente.

Assim, se um cliente quer entender mais sobre os profissionais que atuam na esfera das ações trabalhistas, ele utiliza o termo “perito judicial trabalhista” no buscador.

Desse modo, as páginas que utilizam essa frase em um determinado conteúdo tendem a aparecer entre as primeiras posições no resultado da pesquisa.

Por isso, ao elaborar um conteúdo para o blog da sua empresa, é importante que você escolha as palavras-chave relacionadas ao seu segmento de atuação.

De modo que durante uma pesquisa na internet, o seu público encontre a sua página muito mais rapidamente e com maior relevância.

Investir em carregamento rápido e responsividade

Ao acessar uma página na internet é interessante que ela carregue rapidamente para que o visitante consiga visualizar o seu conteúdo. 

Até porque, quando isso não acontece, a tendência é que ele saia rapidamente da página, o que pode ser bastante negativo para o seu negócio.

Também é de extrema importância que, se um cliente ao buscar por um produto na internet utilizando o seu smartphone, consiga visualizar a sua página integralmente.

Por exemplo, se uma fábrica de equipamentos para academia, desejar que a sua página possa ser acessada por dispositivos móveis, e que as imagens dos seus aparelhos sejam visualizadas de maneira total, ela precisa investir nesses elementos importantes de SEO.

Isso porque se ela tiver um possível cliente interessado, que quer visualizar as fotos dos aparelhos fabricados no local utilizando o seu celular, mas não conseguir carregar a página ou ver a foto por completo, ele pode desistir de uma possível compra.

É por isso que tanto um carregamento rápido quanto uma página responsiva são fundamentais dentro das estratégias de SEO.

Nesse sentido, o Marketing de Conteúdo aliado às estratégias de SEO são responsáveis por trazerem um maior número de visitantes para o blog da empresa.

Enquanto compartilha com os clientes conteúdos de grande relevância, aumentando de maneira positiva os resultados.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

iphone-410324_1920

Por que é importante orientar seu site para dispositivos móveis?

Os dispositivos móveis, tablets e principalmente smartphones, revolucionaram o acesso à internet. 

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em 98,7% dos domicílios brasileiros em que há acesso à internet, os moradores utilizam celulares para este fim.

Os sites responsivos são aqueles que se adaptam sem problemas às telas de diferentes configurações, sem prejudicar a leitura dos conteúdos e proporcionando uma experiência de qualidade para os visitantes.

Basicamente, trata-se de uma solução para a criação de páginas flexíveis, com imagens e textos cujo layout depende da resolução de tela e do dispositivo utilizado.

Para entender a importância do site responsivo, basta imaginar uma pessoa com celular cuja tela tem cinco polegadas tentando acessar e visualizar um site, assim com faria em um computador. 

A necessidade de operar zoom e rolagem de tela muitas vezes pode ser complicada para os usuários, que tendem a desanimar e procurar outros sites.

No entanto, não param por aí os motivos para ter um site responsivo. Aos empreendedores, é fundamental a compreensão do que é e como ter um site responsivo, que proporcione experiências agradáveis para os usuários.

Por que investir em um site responsivo?

Hoje em dia os acessos à internet por dispositivos móveis são mais numerosos do que aqueles realizados por computadores desktops. 

O mesmo censo, do IBGE, apontou para o fato de que 52,3% das pessoas acessam a web por microcomputadores, um número que caiu aproximadamente 6 pontos percentuais de um ano para o outro.

Ao mesmo tempo, a quantidade de pessoas com mais de 10 anos que possuem um celular com acesso à rede móvel para uso pessoal é crescente, alcançando 78,2%.

Para os empreendedores ou produtores de conteúdos, isso significa que o design responsivo já se tornou uma obrigação, fundamental para o atendimento destas pessoas.

De acordo com pesquisas realizadas, ao acessar uma página que não é otimizada para abertura via mobile há 61% de chances de que os usuários simplesmente abandonem o site, devido à má experiência. 

Isso pode contribuir para uma imagem negativa da empresa, além de prejudicar a quantidade de conversões de prospects em leads e de leads em clientes.

Em outras palavras, a falta de responsividade de um site pode sim prejudicar, não só as estratégias de marketing digital, mas também a reputação da empresa.

Por outro lado, é preciso considerar que:

A experiência do usuário é essencial

A usabilidade de um site é uma das prioridades da experiência do usuário. É preciso ter em mente que de nada adianta investir em um belíssimo site, se ele oferece uma péssima experiência de navegação.

É importante se colocar no lugar dos visitantes para a criação de um site para as empresas, independentemente do segmento de atuação. Isso pode beneficiar a venda de todos os tipos de serviços e produtos, como whey protein para emagrecer, por exemplo.

O Google favorece sites responsivos

Uma das grandes vantagens de investir na criação de um site é a possibilidade de ser encontrado facilmente pelos buscadores, como o Google. 

Por isso, no marketing digital, os profissionais se dedicam incansavelmente para que os endereços das empresas alcancem os primeiros resultados nos mecanismos de buscas.

Para se ter uma ideia, essa posição tem potencial para impulsionar o tráfego orgânico de um e-commerce de copo descartável 300ml, mas apenas pode ser alcançada com sites responsivos.

O Google favorece as páginas que se adaptam facilmente aos dispositivos móveis, porque considera o tempo de carregamento, a qualidade da experiência do usuário, entre outros fatores.

Vale a pena lembrar que grande parte das pesquisas, feitas sempre no momento de dúvida ou necessidade, também é realizada pelos smartphones. Até porque os aparelhos estão sempre à mão. 

Portanto, basta imaginar um potencial cliente que tem uma dúvida sobre implante capilar masculino, para exemplificar. São grandes as chances de ele utilizar um dispositivo móvel para pesquisar sobre o assunto.

A velocidade no carregamento de páginas é fundamental

Os sites responsivos são criados para atender aos usuários independentemente do aparelho utilizado para o acesso web.

Sabe-se que os aparelhos e a conexão móvel nem sempre conta com muita velocidade, então as páginas precisam ser leves, proporcionando um carregamento mais rápido.

A velocidade de carregamento é muito importante, porque está diretamente ligada à experiência do usuário e aumento das taxas de conversão. 

Quando uma página sobre o serviço motoboy, por exemplo, demora demais para carregar, a tendência é que o visitante procure outra solução. Ele acaba escolhendo o site de concorrentes, na maioria das vezes.

O design responsivo favorece o compartilhamento nas redes sociais

Conforme cresce o acesso à internet pelos celulares, cresce também a popularidade e funcionalidade das mídias sociais. 

Por isso, as empresas também precisam estar presentes nas redes, com o objetivo de fortalecer o branding, melhorar o relacionamento com o público e impulsionar as vendas.

Quando a empresa que instala rede de proteção para gatos, por exemplo, tem um site responsivo, as funcionalidades entre o endereço e as redes sociais são potencializadas e diversificadas.

Assim, quando um visitante gostar muito de um conteúdo, ele se sente à vontade para compartilhá-lo em seu próprio perfil. 

Isso é muito positivo para as empresas, porque a divulgação e recomendação dos próprios clientes tem um grande peso para a autoridade de uma marca.

O design responsivo diminui a taxa de rejeição

O design responsivo melhora a experiência do usuário, o que contribui para diminuir a taxa de rejeição e melhorar o posicionamento no Google.

A taxa de rejeição, quando muito alta, indica ao mecanismo de buscas que o conteúdo apresentado não é relevante. 

Isso ocorre porque a má experiência faz o visitante fechar o site rapidamente, rejeitando o endereço e procurando por outro, mais satisfatório e responsivo.

Para se ter uma ideia, ao investir em um site responsivo, uma clínica de estética garante que o visitante de uma postagem sobre preenchimento nariz estará mais satisfeito com a experiência. 

Dependendo do nível de satisfação, ele pode passar um bom tempo no endereço, de artigo em artigo, o que é ótimo para a autoridade do site na internet.

O design responsivo é uma preparação para o futuro

Ao criar um site responsivo, o layout é feito para se adaptar a qualquer formato de tela e acesso à internet. 

Isso significa que o investimento de uma fabricante de lampada led tubular 40w, ou outros tipos de empresas,  prepara os sites, até mesmo, para os aparelhos que ainda não foram lançados. 

Portanto, o empreendimento que investe em design responsivo também está se preparando para o futuro no marketing digital. 

Os sites poderão ser acessados normalmente pelos novos dispositivos, mesmo se tiverem anos de existência.

Site responsivo ou versão mobile?

Muitos empreendedores confundem os conceitos de site responsivo e versão mobile. Apesar de semelhantes, tratam-se de soluções diferentes para a mesma questão que é o acesso à internet pelos dispositivos móveis.

O site responsivo é projetado para a adaptação em qualquer tipo de tela e conta com uma única estrutura de códigos para diferentes resoluções.

Já o template mobile tem um funcionamento diferente. Ele é como um site separado, programado exclusivamente para a abertura em determinados tipos de dispositivos.

O ideal é que o site das empresas seja responsivo, pois a opção apresenta mais possibilidades do que a versão mobile. 

Assim, o site de um design que elabora cartão de visita fisioterapia, para exemplificar, fica mais preparado para receber os seus visitantes.

Entretanto, o investimento em um site responsivo pode ser maior e a programação também tende a ser mais trabalhosa. Por isso, uma dica é utilizar a versão mobile enquanto não é possível ter um site responsivo.

Muitas empresas disponibilizam a versão mobile enquanto o design responsivo não fica pronto, para  que os visitantes não sejam prejudicados nesse período de adaptação. 

Isso pode ser feito com o uso de pluggins, que fazem a adaptação automática do site quando ele é aberto via dispositivo móvel. Trata-se de uma medida provisória, mas que também é bastante eficiente.

Atualmente é impossível negar a relevância dos dispositivos móveis para a nossa sociedade, já que eles estão presentes em diversos momentos no dia a dia. 

As empresas precisam se adaptar à essa nova realidade, assim como se adaptaram ao próprio marketing digital, tempos atrás.

A maioria dos layouts de sites já é criado com atenção à essa questão e as empresas que não investem no design responsivo acabam ficando para trás.

Por outro lado, as que valorizam a responsividade podem se destacar cada vez mais em seus mercados de atuação, proporcionando ótimas experiências aos usuários.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

capa-blog-site-estrategia

Descubra as melhores estratégias para fidelizar seus clientes

Atualmente, o mercado está se tornando cada vez mais competitivo, o que gera nas empresas uma certa urgência para estar sempre à frente. 

Com isso, uma das formas mais assertivas de vencer a concorrência é investir em estratégias de marketing de relacionamento para a fidelização dos clientes já existentes.

Isso porque, ao conquistar a confiança e lealdade desses consumidores, você desenvolve fidelidade, aumentando suas vendas e mantendo a sua empresa sempre lucrando.

Ficou interessado em saber mais? Então continue lendo o conteúdo!

Aprenda o que é marketing de relacionamento

Quando falamos em fidelizar o cliente com o marketing de relacionamento, nada mais é do que manter o seu cliente satisfeito e feliz.

Assim ele volta a fazer negócios com você, dá preferência e indica a sua empresa para outras pessoas, que é um dos melhores benefícios.

Isso porque, ao fidelizar seus clientes, você consegue novos consumidores através da famosa propaganda “boca a boca”, desenvolvendo então uma certa autoridade no seu segmento.

Entenda qual a importância do relacionamento com cliente 

Se você já parou para pensar como gerar leads sólidos para o seu negócio, ou seja, clientes fiéis, é exatamente no relacionamento com eles que você deve se preocupar.

Não à toa, as maiores queixas que as empresas recebem é sobre o atendimento ao cliente em todas as etapas da compra, ou seja: antes, durante e depois!

Por isso, não importa se você é dono de microfranquias, pequena, média ou grande empresa, mas sim saber que captar um novo consumidor custa até 7 vezes mais do que investir nos que você já possui.

Percebeu que o relacionamento com seus clientes é importante até para seu fluxo de caixa? Veja agora quais ações você pode executar.

Saiba quais estratégias de marketing de relacionamento investir

Investir em ações de marketing de relacionamento é se empenhar em conhecer o seu público, sendo essencial criar canais de comunicação que funcionem como uma via de mão dupla.

Para isso, você pode ter pessoas especializadas na sua equipe que deem total suporte resolvendo dúvidas e possíveis problemas em lugares como:

  • Mídias sociais;
  • Telefones de atendimento;
  • E-mails.

Entretanto, não utilize os canais de comunicação apenas para suporte, mas também como uma forma de mostrar que você se importa com o seu cliente, como e-mail marketing, por exemplo, que pode conter promoções exclusivas.

Com isso em mente, veja agora outras estratégias de fidelização de cliente:

Pesquisas de satisfação 

Muitos clientes que se sentem insatisfeitos com uma empresa, não gostam de fazer reclamações, partindo diretamente a consumir de algum concorrente.

Por isso, envie pesquisas de satisfação para seus clientes e não tenha medo de feedbacks negativos, pois são eles que te dão a chance de estar sempre evoluindo e melhorando.

Programa de pontos

Realizar uma compra que acumula pontos para serem trocados por descontos ou brindes é uma das melhores estratégias hoje em dia.

Isso porque se o cliente tem a opção de consumir em dois locais iguais, porém um deles oferece melhor custo-benefício a longo prazo, pode ter certeza que é esse que ele vai escolher!

Invista em CRM

Analisar o comportamento do consumidor está sendo levado muito a sério, pois é extremamente importante saber o que dá certo investir e o que não atinge o público da forma desejada.

Para isso, é observado vários aspectos, como quais produtos são mais comprados, o que os clientes gostam de ver nas redes sociais, entre outras coisas.

Progrida em seus negócios!

Entender o seu cliente e então atender a necessidade dele é essencial, pois essa relação traz frutos positivos para o seu negócio.

Por isso, investir em marketing de relacionamento é a chave não somente para fidelizar os seus clientes, mas também para conquistar quem for atingido pela propaganda “boca a boca”.

Além disso, ao coletar feedbacks e se dedicar a solucionar possíveis problemas, sua empresa só tende a melhorar e conquistar mais ainda o mercado!

Portanto, se você já possui uma empresa ou ainda pretende abrir um negócio próprio com 1000 reais, por exemplo, não deixe de lado o relacionamento com os seus clientes.

Saia na frente dos seus concorrentes e seja reconhecido como a maior referência no mercado.

 

Conteúdo produzido por Sther Freire | Redatora no Meu Ideal

capa-blog-site-Recuperado

Saiba como um sistema web pode otimizar a rotina da sua empresa

As soluções digitais possibilitaram a otimização das empresas, desde a produção até a destinação final para os consumidores. O sistema web está entre as revoluções tecnológicas que permitiram o aprimoramento dos ambientes corporativos, com capacidade de organização, gestão e administração de fluxos produtivos.

Até mesmo os negócios menores, como o serviço de entrega motoboy, podem contar com os suportes automatizados do sistema web. 

Afinal, a ferramenta serve para melhorar os processos internos, simplificar a gestão de recursos e agilizar a produção.

O que é um sistema web?

Um sistema web consiste em um software de gerenciamento de empresas, com capacidade de conexão móvel em qualquer lugar com acesso à internet. 

A intenção é transformar os processos manuais em automatizados, colaborando para a rapidez na execução de tarefas, bem como a eficácia e minimização de erros.

Por exemplo, uma empresa de assistência técnica de ar condicionado pode usar o sistema web para o cadastro de clientes, agendamento de serviços e formulações de garantia, tudo com o auxílio de softwares inteligentes. 

Isso evita o trabalho manual e, consequentemente, os erros humanos, fazendo com que a sua empresa tenha mais credibilidade entre as concorrentes. 

Muitas vezes, o sistema web é comumente confundido com os sites. No entanto, a principal diferença está no objetivo de cada uma dessas ferramentas.

O site é uma página online que pode ser acessada em qualquer navegador e dispositivos com acesso à internet, sendo usado como uma espécie de “loja virtual” da empresa. 

Isso não quer dizer que todo site é, necessariamente, um e-commerce, mas é possível usar o recurso para negociações de compra e venda online.

Contudo, os sites podem ser usados como canais de hospedagem para conteúdos, vídeos, imagens e hiperlinks. 

Assim, uma empresa de inspeção de carros pode usar a plataforma para informar os usuários sobre os procedimentos burocráticos para o laudo cautelar veicular, sem entretanto vender o serviço online.

Quando falamos de sistema web, nos referimos a um software de gestão, que pode estar integrado ao site. 

Desse modo, é possível desenvolver uma plataforma dinâmica, totalmente personalizada para a experiência do usuário e para o armazenamento no banco de dados.

Por exemplo, um empreendimento de arquitetura pode usar os sites e o sistema web para a gestão integrada de projeto de sala comercial

Isso quer dizer que o cliente informa as especificações, diretamente, na plataforma online da empresa, que irá armazenar os dados e as informações e, com isso, desenvolver um planejamento personalizado, segundo os desejos do cliente.

Percebe-se que são múltiplas as soluções de um sistema web. Dessa maneira, a empresa pode escolher a opção que melhor atende às suas necessidades de gestão e organização, sempre levando em conta os aspectos de praticidade.

As vantagens do sistema web para as empresas

Conforme ressaltamos, as principais vantagens do sistema web são: a otimização do tempo, melhor organização e minimização de erros humanos. Porém, há muitos outros pontos positivos em optar por essa solução tecnológica.

Abaixo, separamos alguns diferenciais do sistema web, que otimizam as rotinas das empresas.

Menos tempo gasto com tarefas simples

Todos os tipos de negócios, desde pequenos empreendimentos até as grandes multinacionais, gastam tempo com a execução de tarefas relativamente simples, mas necessárias. 

Um exemplo é o cadastramento de clientes para campanhas de marketing, especialmente, no envio de e-mails e ofertas exclusivas.

Essas ações são fundamentais para o sucesso das empresas, no que concerne à divulgação e publicidade. 

No entanto, o cadastro manual pode demandar tempo dos colaboradores, que podia ser melhor gasto com a execução de outras atividades, como planejamento e implementação da campanha.

Outro exemplo está no próprio cadastro de clientes para a prestação de serviços. Imagina uma empresa de pintura interna de casas que lida diariamente com muitas pessoas, projetos e demandas. 

É preciso organizar os dados, para evitar transtornos durante a execução do serviço (pintar a casa de um cliente com uma cor não requisitada por ele, por exemplo).

As tarefas rotineiras também incluem:

  • Armazenamento de documentos e arquivos;
  • Cronograma na execução de tarefas e serviços;
  • Apuração dos trâmites logísticos dentro da empresa;
  • Averiguação de banco de horas dos funcionários;
  • Entre outros.

Com um sistema web, é possível gerenciar o tempo gasto com essas atividades e, assim, os colaboradores podem se dedicar a outras tarefas, que são vitais para empresa, já que, normalmente, o sistema web automatiza as funções secundárias.

Maior segurança no armazenamento de dados

Um dos grandes problemas enfrentados pelas empresas é a perda de informações e dados dos clientes. 

Já pensou realizar uma impressão adesivo vinil com um desenho não requisitado pelo consumidor? Isso pode ocorrer quando essas especificações não são automatizadas por um sistema web.

Além disso, por ser hospedado em locais altamente especializados, todas as informações ficam seguras, com garantia pelos certificados de segurança e senhas de acesso criptografadas. 

Como consequência, a empresa torna-se reconhecida pela proteção que oferece aos dados de seus clientes e, até mesmo, informações específicas sobre o próprio empreendimento.

A criptografia dos sistemas web também inibe a ações de hackers, que podem praticar crimes virtuais contra a empresa, bem como contra os clientes. É preciso ficar atento ao roubo de dados, ato que pode comprometer profundamente o seu negócio.

Maior economia financeira

Com o gerenciamento de tempo e a segurança no armazenamento de dados, as empresas podem desfrutar de maior economia financeira, pois há minimização do retrabalho. 

Uma boa parte dos erros e acidentes acontecem por falhas humanas, o que gera gastos desnecessários para refazer o projeto ou solucionar o problema.

O sistema web oferece a possibilidade de uma automatização eficiente, com uma chance de erro mínima. 

Além disso, o próprio software pode ser integrado aos produtos da empresa, como é o caso do sistema de irrigação automático, que pode ser controlado tecnologicamente, por meio de dispositivos inteligentes. 

O resultado é uma maior economia de água, a racionalização do irrigamento e, por fim, a economia.

Possibilidade de personalização

É possível desenvolver um sistema web totalmente personalizado para as necessidades da empresa. 

Isso garante ainda mais vantagens para a rotina organizacional, já que o planejamento é todo feito em cima das particularidades do empreendimento, para minimizar falhas e otimizar a organização.

Por exemplo, uma oficina que trabalha com o alinhamento 3D de pneus pode recorrer ao uso de scanners de carro e, para isso, o sistema web deve estar completamente integrado a essas ferramentas.

Importante ressaltar que existem soluções prontas, para empresas que não desejam personalizar o sistema web. 

Entretanto, o desenvolvimento de uma plataforma específica assegura o melhor desempenho das funcionalidades do sistema, que se adéqua às rotinas da empresa contratante. 

Com isso, há melhor usabilidade da ferramenta, além da melhor adaptação dos colaboradores.

Facilidade na análise de informações

O gerenciamento das empresas não pode ser baseado em suposições, ainda mais em campanhas que visam aumentar a rentabilidade e o lucro. 

Por esse motivo, é fundamental analisar os dados de vendas, as ações de marketing e o planejamento estratégico do empreendimento, como forma de perceber o que vai bem e o que não vai.

O sistema web pode facilitar essa análise, por meio das dashboards e gráficos de desempenho, em uma gestão integrada. Com isso, é possível visualizar todos os resultados e métricas, além de separá-los por departamento.

Através disso, os gestores têm uma visão mais ampla do negócio, o que contribui para o controle de processos e tomada de decisões. 

Os gráficos permitem perceber se há a necessidade de modificar estratégias, bem como perceber o que está dando errado, e adotar ações preventivas ou corretivas.

Redução no número de softwares

O sistema web integrado ajuda a reduzir o número de softwares da empresa. Com ele, pode-se integrar diversas plataformas em um único lugar, facilitando o acesso, o gerenciamento e o controle das atividades.

Isso também contribui com a redução de gastos, especialmente, com a aquisição de softwares pagos e demais assinaturas. 

Afinal, a empresa só irá investir no sistema web, tendo em mãos todas as funcionalidades dos demais recursos e ferramentas.

Padronização dos processos produtivos

Com o sistema web, a empresa pode padronizar a execução de tarefas, especialmente, na fase de produção. 

A oferta de produtos padronizados contribui para a credibilidade no mercado, pois o empreendimento passa a ser reconhecido pela sua eficiência, comprometimento e qualidade, com pouco ou nenhum desvio durante os processos produtivos.

A padronização também colabora para o aumento da competitividade no setor, dando relevância e destaque para a empresa perante à concorrência. 

Por essa razão, os empreendimentos buscam por soluções eficazes e que asseguram a qualidade na produção, ainda mais quando é possível economizar gastos e contribuir para o lucro.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

capa-blog-site-landing-page

O que é Landing Page e como utilizar no seu site

A landing page é uma página usada nos sites de empresas, cujo foco está na conversão. Ao invés de apresentar um conteúdo, por exemplo, ela foca em uma oferta, que pode ser de produto ou serviço.

As landing pages devem ser capazes de incentivar o consumo de ofertas, para que cada vez mais pessoas caminhem pelo funil e se tornem clientes.

Para que eles realmente sigam pela jornada de compras, é necessário converter essas pessoas. E a Landing Page é, justamente, a melhor estratégia de conversão.

Por isso, é muito importante que os empreendedores se certifiquem de que ela está entre as ações de marketing digital das empresas. 

Além disso, é fundamental a criação de páginas que, realmente, impactem na conversão do funil de vendas, resultando em mais lucratividade.

O que são as landing pages?

As landing pages também são conhecidas como páginas de destino. Elas têm o objetivo de incentivar a conversão dos visitantes, com poucos elementos e foco em um CTA (Call to Action, ou chamada para ação, do inglês). 

Com poucas distrações e o estímulo correto, a empresa garante a conversão desejada.

Para entender este funcionamento basta ter em mente o seguinte exemplo: um fabricante de sombrite para horta atrai milhões de visitas ao blog mensalmente, devido à produção de conteúdos interessantes, mas tem encontrado dificuldades para levar os contatos ao próximo passo, que seria a compra dos itens. 

Nesse caso, as visitas são ótimas, porque agregam notoriedade e visibilidade aos negócios, mas não têm um impacto muito significativo.

Então, as landing pages são utilizadas para influenciar os visitantes a realizarem uma ação. Elas dispensam elementos que podem distraí-lo, como menu, excesso de texto ou imagens.

Nas estratégias de marketing, de uma maneira geral, as landing pages costumam pedir o preenchimento de formulário, em troca de um conteúdo de valor. 

Uma empresa pode solicitar informações como nome, idade, e-mail e localização, por exemplo. 

Em troca, oferece o download de um e-book sobre licença ambiental simplificada, ou outros assuntos relacionados com produtos ou serviços oferecidos pela empresa. 

O importante é que o material agregue valor, com qualidade suficiente para o fornecimento dos dados.

Entretanto, uma landing page também pode conter uma oferta especial, pode ser a conclusão de uma compra ou qualquer outra ação, desde que faça sentido dentro da estratégia de marketing ou relacionamento.

É válido ressaltar que não existem limitações, e as landing pages podem ser usadas como estratégias por empresas de diferentes segmentos de atuação e tamanho, como uma empresa de serviço motoboy, por exemplo, desde que faça sentido no plano de marketing.

Imagem relacionada

Landing pages e oportunidades de negócios

De primeiro impacto, pode não parecer óbvio, mas é muito interessante que as empresas consigam fazer os visitantes preencherem os formulários e realizarem as ações, porque assim elas conseguem gerar leads.

Os leads são oportunidades de negócios para as empresas. Até porque, as visitas nos sites são bastante positivas, mas não contribuem diretamente para a lucratividade dos negócios.

Entretanto, com as informações de contato e outros dados básicos é possível:

  • Investir na construção de um relacionamento mais próximo;
  • Aumentar a confiança e empatia do público pela empresa;
  • Entender melhor quem são essas pessoas que acessam aos conteúdos;
  • Entender se os contatos têm perfil para serem clientes;
  • Contribuir com o time de vendas com oportunidades;
  • Entre outros pontos.

Portanto, a conversão com o uso de landing pages nos sites é uma excelente estratégia para encaminhar os visitantes até as próximas etapas, para a construção de um relacionamento com possibilidade de compra.

Principais elementos de uma landing page

No marketing digital não basta seguir a tendência e realizar as ações, é necessário investir em campanhas que, realmente, atendam às suas demandas. 

Em outras palavras, as landing pages devem ser criadas, especialmente, para a conversão dos visitantes.

Claro, que como em outras estratégias, existem pontos que podem deixar sua técnica ainda melhor. Confira alguns:

Oferta

As pessoas não irão, simplesmente, preencher os formulários com suas informações pessoais. Por isso a landing page deve conter uma oferta que gere valor a quem visita a página.

A oferta pode ser um e-book explicativo sobre meio fio de concreto, para exemplificar. O material deve ser valioso e compensar o preenchimento do formulário, encantando o visitante para que ele venha a se tornar um lead.

Título

O título deixa uma mensagem clara, informando ao visitante sobre o que está sendo oferecido na página. 

Assim, a pessoa pode se sentir interessada no download de um vídeo passo a passo de como limpar uma cadeira dobrável estofada, ou de outros tipos de materiais.

É necessário que o título seja chamativo, simples e compreensível, sempre fazendo jus à oferta, para que a pessoa não se sinta enganada pela empresa e continue encantada com o contato.

É preciso deixar claro o tipo de conteúdo oferecido em troca do preenchimento de formulário, evitando desentendimentos e frustrações.

CTA

Os chamados CTAs são botões ou textos que convidam as pessoas para realização de determinadas ações. 

Geralmente, eles contam com frases no imperativo, como “baixe agora” ou “acesse o conteúdo completo”, entre outras opções.

Tal qual o título, o CTA também precisa ser claro, objetivo e ajudar o visitante a entender a ação que ele precisa realizar, ao mesmo tempo em que deixa uma espécie de convite para a sua realização.

Descrição

Alguns modelos de landing page dispensam a descrição, mas isso depende bastante do público da empresa. 

A descrição costuma passar uma mensagem sucinta sobre o objetivo da oferta e o valor que ela pode gerar para quem converter.

Usando como exemplo a landing page de um site de uma empresa especializada em reciclagem de papelão, a descrição pode informar a quem se destina o material oferecido, que pode ser pessoas que tenham interesse em reciclar resíduos domésticos.

Não há problema dispensar a descrição, desde que ela não seja essencial para que o usuário entenda a oferta que está sendo feita na landing page.

Conteúdos visuais

Assim como título e descrição, os conteúdos visuais podem ajudar a incentivar o visitante a fazer o download de um material sobre pilates funcional, ou outros tipos de assuntos. 

Basta imaginar um vídeo que explique a relevância do download, se ele for didático e de fácil compreensão, aumentam as chances de conversão dos visitantes.

Formulário

O formulário é uma das partes mais essenciais das landing pages, pois é através dele que ocorre uma espécie de pagamento, em que a empresa recebe as informações dos visitantes em troca dos materiais. Ao mesmo tempo, os usuários se transformam em leads.

Para isso, é importante deixar claro todos os campos de preenchimento, facilitando para os interessados. 

O ideal é que o preenchimento seja o mais breve e prático possível, extraindo as informações mais importantes para os negócios.

Dicas para otimizar Landing Pages

Durante ou após a criação das landing pages, é necessário pensar em maneiras de otimizar a página, para que ela fique mais atraente possível, elevando a sua capacidade de conversão.

Algumas técnicas que podem facilitar e ajudar com impactos positivos são:

  • Investir em benchmarking, análises estratégicas aprofundadas do mercado;
  • Realizar testes de imagens, cores e textos para melhores resultados;
  • Uso de ferramentas de automação, facilitando testes e estratégias;
  • Otimização SEO, para que as páginas sejam encontradas nos pesquisas;
  • Uso de forms inteligentes, facilitando o preenchimento de visitantes recorrentes;
  • Investir em design mobile friendly, para abertura em tablets e celulares.

As landing pages podem ser criadas com ferramentas especializadas, de acordo com a estratégia desenvolvida. 

As ferramentas também facilitam a gestão de leads, facilitando o desenvolvimento das estratégias em larga escala e a otimização das ações.

Depois da captação, com os dados armazenados na plataforma, empresas preocupadas com a experiência do usuário utilizam thank you pages, páginas de agradecimento. 

Em um site de uma empresa que vende película fume, ou diversos tipos de produtos, elas aparecem logo após o consumidor completar uma tarefa em uma landing page. 

A ideia é que a empresa mostre que o preenchimento foi concluído com sucesso e, além disso, que a ação é apreciada pela corporação.

Além de dar um parecer para o contato (informando que o download será feito, por exemplo), a thank you page é mais uma oportunidade de conquistar o cliente, mostrando atenção e cordialidade, resultando em uma boa impressão.

Outro ponto importante é que as landing pages podem ser divulgadas, aumentando a quantidade de pessoas que podem se tornar leads. 

Os principais canais para isso são e-mail, redes sociais, mídias pagas, parcerias ou pontos de conversão nos sites.

Desta forma, as estratégias ajudam a manter os visitantes em contato com as instituições, o que aumenta a chance de engajamento e oferece novas oportunidades para que os contatos se identifiquem com as marcas.

A conclusão é que as landing pages representam inúmeras possibilidades para estratégias eficientes, gerando mais oportunidades de negócio, motivo pelo qual elas são fundamentais em planos de marketing digital.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.