capa-blog-site-varejo-natal

Varejo: Campanhas de Marketing Digital para o Natal

A aproximação do final do ano, especialmente do Natal, representa para o mercado a necessidade de empregar esforços diferenciados nas ações de marketing digital, especialmente ao considerar a competitividade e o maior número de oportunidades nesse período.

Com ênfase no varejo, que está voltado para o atendimento dos consumidores finais, é de grande importância destacar que, conforme será visto a seguir, o planejamento é um dos principais pontos a serem adotados.

Sendo assim, além de lidar com datas importantes no segundo semestre do ano, como a Black Friday, as marcas também devem se antecipar em relação aos preparos com as campanhas de Natal, o que evita grandes transtornos no momento de executá-las. 

A seguir, confira mais algumas dicas:

Garanta uma experiência positiva

Por conta de uma demanda mais movimentada, as instituições precisam redobrar os cuidados com o tipo de estrutura oferecida para os consumidores, para assegurar que todo o processo de compra seja válido e importante.

Por exemplo, ao entrar em um site para adquirir um gerador silencioso, a organização, rapidez e segurança, certamente fazem toda a diferença para os consumidores.

No Natal, é interessante que o site esteja não apenas atrativo, como também apto a receber um maior número de acessos e realizar mais transações de forma garantida.

Importante lembrar, que todo erro pode prejudicar o seu negócio. Por isso, é importante ficar sempre atento aos detalhes.

Conte com um design estratégico

No Natal, é indispensável que as plataformas da marca já estejam compatíveis com esse período, ou seja, é preciso elaborar os layouts com antecedência, como a capa para a página do Facebook, design de publicações, fotos dos perfis, entre outras possibilidades.

Cada espaço deve ser utilizado de forma inteligente para que a empresa entre em clima natalino e reforce as campanhas de marketing digital.

Ao planejar esse aspecto, sem dúvidas, a identidade da marca precisa ser preservada, afinal, as características de uma empresa que atua com a venda de cinta pós cirurgica lipoaspiração e de marcas de outros setores podem ser totalmente distintas, o que é normal no mercado e precisa ser sempre respeitado.

Ainda mais, marcas que apresentam também lojas físicas devem adotar o clima natalino, principalmente para garantir que a experiência do cliente seja mais especial em todos os canais.

Tenha um conceito claro para a campanha

Uma campanha de marketing digital para o Natal, assim como para outras datas, deve contar com um conceito claro, especialmente para que seja criada de forma assertiva para as pessoas certas.

Dessa maneira, seja uma empresa que comercializa itens para a casa, como persiana blecaute rolo ou de qualquer outro setor, será possível identificar formas mais eficazes de se posicionar nos canais escolhidos.

Uma das consequências de um bom posicionamento, é uma maior atenção, autoridade e engajamento para os produtos do setor varejista.

Por essa razão, é interessante analisar quais são os valores a serem trabalhados, assim como os demais aspectos que a marca deseja transmitir para as pessoas por meio da campanha de Natal, que comumente envolve aspectos mais sentimentais.

Aposte em quem busca presentes

Normalmente, as empresas buscam uma precisão notável em suas estratégias, porém, em épocas festivas, é válido empregar os esforços tanto em públicos distintos, como naqueles que estão em buscas de presentes.

Por exemplo, filhos que desejam dar presentes para as mães e presentes entre amigos. Por esse motivo, nas dicas a seguir, é interessante que as marcas priorizem o custo-benefício dos produtos.

Ações diferenciadas podem ser decisivas para alavancar as vendas no varejo nesse período.

Por exemplo, além de direcionar campanhas para quem busca presentes, uma empresa que comercializa itens elétricos e de decoração, como luminária e disjuntor para tomadas, pode apostar na realização de sorteios.

Dicas de campanhas de marketing digital para o Natal

Algumas ações realizadas no marketing digital para o período de Natal, naturalmente, não mudam de forma total, pois conforme será apresentado, em muitos casos apenas alguns aspectos são adaptados para gerar mais resultados para essa data.

De qualquer maneira, é fundamental que exista atenção em cada passo adotado, principalmente para que o empreendimento não sofra grandes prejuízos por investimentos falhos.

Entre as ações de marketing digital que podem ser adotadas para uma campanha de sucesso, é possível citar:

Crie uma landing page específica de natal

A landing page é uma parte importante de uma tática de marketing digital, especialmente ao considerar que se trata de uma página específica para a captação de leads, que correspondem aos consumidores em potencial, que em algum ponto expressam interesse pela empresa.

Tal interesse, comumente, é demonstrado por meio da transmissão de dados em um formulário em troca de algo de valor.

Por exemplo, um cliente em potencial preenche um formulário com seu nome e e-mail para obter novidades de uma marca que comercializa itens para carros, como rodas aro 19.

A partir desse ponto, a marca pode direcionar ofertas e conteúdos personalizados. No entanto, vale citar que no caso do Natal, é interessante que a landing page seja personalizada para a época.

Ainda mais, entre as opções que podem ser oferecidas, estão:

  • Download de material gratuito;
  • Condições especiais de pagamento;
  • Descontos;
  • Frete grátis.

Essas alternativas podem alavancar o número de leads captados e, consequentemente, ter impacto nas conversões, caso exista um acompanhamento adequado da trajetória de compra.

Prepare conteúdos para e-mail marketing

O que fazer com a base de e-mails no Natal? A melhor maneira de lidar com esse recurso durante esse período no setor de varejo é se preparar antecipadamente para se relacionar rapidamente com os leads captados.

Como exemplo de uma ação que pode ser adotada, pode-se citar uma marca que comercializa envelope timbrado e opta por um mês antes analisar quais são as possibilidades das campanhas.

Em meio aos pontos que podem ser trabalhados, estão questões como os tipos de conteúdos que serão enviados, frequência, o que será ofertado, segmentação, layout, tipos de CTAs, entre outras possibilidades.

Aposte na mídia patrocinada

Essa é uma dica para potencializar os resultados das outras estratégias apresentadas ao longo do texto, especialmente ao considerar as chances de tornar o ciclo de vendas mais curto.

O mais vantajoso é a versatilidade dessa alternativa, uma vez que os anúncios patrocinados podem ser uma aposta associada tanto com os buscadores quanto com sites, redes sociais, entre outras plataformas.

A capacidade de segmentação em diversos meios também tem visibilidade, por exemplo, uma marca que comercializa itens para manutenção de estruturas, como produtos de limpeza e saco de lixo 30 litros, pode empregar um anúncio no Facebook com uma oferta apenas para determinada região.

Da mesma forma que aspectos como a faixa etária, gênero e interesses também podem ser selecionados em diversas ocasiões.

Além de uma imagem de qualidade, é importante implantar a chamada para ação, também conhecida como CTA (Call to Action) para estimular ainda mais a compra.

De acordo com o método utilizado, os anúncios podem variar, por exemplo, no Facebook e Instagram, várias imagens dos produtos/serviços podem ser utilizadas, juntamente com um link e o CTA.

Elabore conteúdos específicos para esse período

O marketing de conteúdo é um grande aliado de diversos setores e não seria diferente nesse cenário. Sem dúvidas, os materiais elaborados devem ser sempre planejados com cautela, e datas como o Natal estão envolvidas.

Nesse caso, os temas a serem trabalhados são amplos, por exemplo, uma empresa que comercializa materiais elétricos, como luminária ou lâmpada tubular led 40w, pode criar publicações com dicas de como aproveitar a data ou de presentes.

A criatividade pode ser trabalhada de maneiras variadas e, ainda mais, essa é uma forma de elevar o tráfego orgânico, ao contrário da alternativa anteriormente apresentada.

Nas redes sociais e em blogs, as empresas também podem apostar em vídeos, especialmente pelo potencial de viralização que esses recursos apresentam.

Sem dúvidas, cabe aos profissionais analisarem qual é a necessidade da empresa em relação aos conteúdos e, no caso dos vídeos, se é vantajoso produzir algo institucional ou promocional.

De qualquer forma, pode-se perceber que com as ações apresentadas no decorrer do texto, as empresas do setor de varejo podem ganhar um grande destaque ao se tratar do Natal. 

No entanto, é preciso que exista um planejamento cauteloso de cada etapa a ser adotada.

Afinal, para garantir a satisfação do cliente é preciso considerar que os comunicados devem ser entregues de forma que dê tempo de adquirir e receber antes do Natal. Caso contrário, a marca pode ter grandes prejuízos devido à insatisfação.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

omnichannelPrancheta-4

Omni-Channel vs Multi-Channel: Qual é a diferença e por que isso importa?

Da lojas físicas as lojas virtuais, as formas de consumo vem se modernizando no decorrer dos anos. É comum observar consumidores dentro da loja física experimentando um tênis, agradecendo a paciência do vendedor e realizar a compra do produto uma loja virtual. Muitas vezes a loja virtual concorre com a loja física, mas este cenário vem mudando. Novos conceitos e tecnologias surgiram afim de acompanhar os nossos novo hábitos de compra, entre eles o multi-channel e o omni-channel. Vamos as suas definições:

  • O comércio eletrônico multi-channel (multi-canal ou seja, “muitos” canais), embora menos integrado, permite que os clientes comprem nativamente onde preferirem navegar e comprar.
  • O comércio eletrônico omni-channel ( omni-canal ou seja, “todos” canais) unifica as vendas e o marketing para criar uma experiência de comércio única em toda a sua marca.

Ecommerce multicanal

O que é multicanal?

Segundo definição da Wikipedia multi-canal significa:

“O  multicanal é a mistura de diferentes canais de distribuição e promocionais para fins de marketing. Os canais de distribuição variam de uma loja de varejo, um website ou um catálogo de pedidos por correspondência.

“Marketing multicanal é sobre escolha. O objetivo das empresas que fazem o marketing é facilitar a compra de um consumidor da maneira que for mais adequada ”.

A palavra primordial é “escolha”. O marketing e as vendas multicanal permitem que os clientes não apenas interajam com seus produtos através de qualquer meio que seja mais natural para eles … mas para comprar diretamente por esse meio .

A melhor metáfora para um marketing multicanal  é uma roda com raios.

No centro da roda está o seu produto (ou seja, uma venda). Na borda externa da roda estão os clientes, onde cada canal oferece uma oportunidade separada e independente de compra.

E-commerce multicanal

Não há nada sagrado sobre quantos canais você vende. A questão é simplesmente oferecer aos clientes a opção de comprar de você em qualquer canal que preferirem … e depois dobrar os canais que se mostrarem mais lucrativos.

Como funciona uma abordagem “multicanal”?

Como um exemplo do mundo real, vamos escolher a Leesa, uma empresa de colchões ecommerce, e examinar quatro canais possíveis.

Número um, o site deles. Para um visitante pela primeira vez sem uma conta existente, a Leesa oferece duas sobreposições para maximizar sua loja on-line. Primeiro, uma mensagem de boas-vindas com uma oferta de “US $ 100 de desconto” e um toque sazonal sutil:

Omni-Channel Vs Multi-Channel: Qual é a diferença e por que isso importa

Se você optar por ignorar essa oferta e, em vez disso, navegar pelo site por conta própria, uma segunda sobreposição será exibida. Para mim, isso aconteceu depois que eu selecionei um colchão, adicionei-o ao carrinho de compras e decidi abandonar minha compra.

Quando mudei o mouse para sair, uma call-to-action semelhante a “US$ 100 de desconto” apareceu, desta vez acompanhada de uma opção de e-mail direcionada para que a Leesa pudesse me segmentar mais tarde:

Omni-Channel Vs Multi-Channel: Qual é a diferença e por que isso importa

Fiel à sua promessa, momentos depois de deixar o site, recebi o primeiro de uma série de e-mails voltados para compradores iniciantes.

Omni-Channel Vs Multi-Channel: Qual é a diferença e por que isso importa

Clique em “Finish Shopping” e você será enviado diretamente para o carrinho que abandonou anteriormente com o desconto de US $ 100,00 já aplicado:

Omni-Channel Vs Multi-Channel: Qual é a diferença e por que isso importa

Ao operar por e-mail e no local, essa combinação one-two é essencialmente um único canal.

Número dois, mercados. Além de seu site de comércio eletrônico, a Leesa também lista e promove seus produtos no maior mercado digital do mundo, a Amazon.

Depois de mais uma vez abandonar o meu carrinho sem fazer uma compra – desculpe Leesa – fui até a Amazon e procurei por “colchão”. Não é de surpreender que esses sejam os primeiros resultados patrocinados que recebi:

Omni-Channel Vs Multi-Channel: Qual é a diferença e por que isso importa

A chave com o multicanal, no entanto, não é simplesmente listar seus produtos nos mercados … mas ficar nativa.

Como tal, a página de produtos da Leesa está longe de ser genérica. Em vez disso, a Leesa oferece a mesma experiência on-line robusta na Amazon do que no local, completa com um vídeo de produto, prova social e uma explicação detalhada de seu valor exclusivo:

Omni-Channel Vs Multi-Channel: Qual é a diferença e por que isso importa

Número três, Facebook. Como é de se esperar, na próxima vez que eu entrei no Facebook, encontrei o mesmo colchão e a mesma oferta que deixei no site, além de anúncios mais robustos do ponto de vista textual e gráfico no meu feed:

Omni-Channel Vs Multi-Channel: Qual é a diferença e por que isso importaOmni-Channel Vs Multi-Channel: Qual é a diferença e por que isso importa

Dado o preço de compra relativamente alto – ao contrário de algo como roupas – os anúncios no Facebook da Leesa me levam de volta ao site deles. Sua própria abordagem pode, em vez disso, permitir que os clientes comprem nativamente por meio de uma Loja do Facebook ou do botão Comprar .

Número quatro, Pinterest. Como um exemplo hipotético, a Leesa também pode listar e vender seus produtos nativamente no Pinterest através de um Pin Comprável :

Omni-Channel Vs Multi-Channel: Qual é a diferença e por que isso importa

Em uma estratégia multicanal, cada canal existe como uma oportunidade de compra separada . Quais canais você prioriza se resumem ao seu produto, ao próprio canal e aos testes.

Comércio eletrónico Omni-Channel

O que é “omni-channel”?

Como na maioria das buscas online, a definição da Wikipedia – tirada do SEBRAE significa:

A estratégia omni-channel baseia-se na ideia de que fornecer uma experiência de compra ininterrupta em lojas físicas e por meio de uma variedade de canais digitais não apenas diferencia os varejistas de seus pares, mas também proporciona uma vantagem competitiva sobre os varejistas on-line, alavancando seus ativos de loja ”.

Certamente, a sobreposição entre digital, social, físico e móvel é um bom ponto de partida e, no entanto, mesmo essa definição não faz jus a um prefixo abrangente como “omni”.

Ser onipotente é ser todo poderoso. Onipresente, em todos os lugares em todos os momentos sem exceção … sempre.

Afinal o que significa ser omnicanal ?

No Omni-Channel Retailing , Tommy Walker oferece o que é facilmente o resumo mais abrangente do termo:

“O Omni-channel, como filosofia, é fornecer experiências de marca consistentes, porém únicas e contextuais, em vários pontos de contato com o cliente, incluindo lojas físicas, mercados, web, dispositivos móveis e sociais”.

“Trata-se de permitir que os consumidores comprem onde quer que estejam enquanto se comunicam de uma maneira que esteja em sintonia com o porquê eles usam um determinado canal e demonstrem consciência de seu estágio individual no ciclo de vida do cliente”.

Em essência, o omni-channel remove os limites entre diferentes canais de vendas e marketing para criar um todo unificado e integrado. As distinções entre os canais – onsite, social, mobile, email, físico e agora instant messaging – desaparecem à medida que uma única visão do cliente e uma única experiência de comércio emergem.

Ao contrário da roda multicanal, pense no omni-channel como uma imersão, como mergulhar em um pool de vendas e marketing com tudo incluído ou ser colocado no centro da gravidade de uma marca.

No omni-channel, o cliente – e não o produto ou marca – está no centro:

Comércio eletrônico omni-channel

No lugar de uma abordagem multipolarizada, o omni-channel une os mundos de websites, e-mails, anúncios redirecionados, marketing de mídia social e locais físicos para mostrar aos clientes individuais ofertas personalizadas, produtos e mensagens que se alinham e respondem em todas as etapas do caminho .

Tudo isso pode soar um pouco esotérico, então…

Como funciona uma abordagem “omni-channel”?

Para ilustrar, vamos voltar para a Leesa. Já vimos como a Leesa usa anúncios de retargeting no Facebook. Essa é talvez a forma mais fácil de omnicanal de envolver nossa mente: o que o cliente faz no local afeta diretamente sua experiência com a marca externa .

Agora imagine isso …

1.  Um cliente passa pelo processo descrito acima, adiciona um colchão queen ao carrinho e sai.

2.  Novamente, o primeiro e-mail que eles recebem contém o incentivo de “US $ 100 de desconto”. Mas eles ignoram isso.

3.  Simultaneamente, eles veiculam uma série de anúncios para o mesmo colchão de casal e cupom de “US $ 100 de desconto” no Facebook, Pinterest, Instagram e YouTube … todos escalonados ao longo de uma semana para garantir que não fiquem aborrecidos.

Omni-Channel Vs Multi-Channel: Qual é a diferença e por que isso importa

4.  Após uma semana sem envolvimento, a Leesa muda automaticamente sua abordagem e começa a apresentar anúncios destacando seu lado socialmente consciente com CTAs para conferir a página de Devolução:

Omni-Channel Vs Multi-Channel: Qual é a diferença e por que isso importa

5.  O anúncio precedente do YouTube para o Dream Center, em Phoenix, Arizona, faz o truque.

Omni-Channel Vs Multi-Channel: Qual é a diferença e por que isso importa

6.  O cliente retorna à Leesa, assiste a outro vídeo e visita a página do colchão do rei, em vez da rainha.

7.  Em resposta, uma nova rodada de anúncios sociais aparece como um e-mail com duas alterações: primeiro, todos eles têm um colchão king size e, segundo, o incentivo é aumentado para “US $ 150 de desconto”.

Omni-Channel Vs Multi-Channel: Qual é a diferença e por que isso importa

8.  Desta vez, a oferta os atrai. O cliente clica no Facebook, preenche suas informações de remessa, mas na última tela de confirmação decide que um colchão precisa ser experimentado antes de ser comprado… então eles saem.

9.  A boa notícia é que a Leesa antecipou essa objeção e detectou que o endereço do cliente está a quilômetros de distância do showroom de Nova York.

Omni-Channel Vs Multi-Channel: Qual é a diferença e por que isso importa

10.  Dois dias depois, o cliente recebe um convite personalizado em sua caixa de correio para conferir o colchão king para si na The Leesa Dream Gallery.

Omni-Channel Vs Multi-Channel: Qual é a diferença e por que isso importa

11.  Finalmente, essa é a oferta que eles aceitam. O cliente pára, adquire o colchão e usa o PDV da Leesa no momento do checkout, que atualiza automaticamente sua conta.

12.  Quando o cliente chega em casa, há um e-mail de agradecimento esperando por eles e uma semana depois outro e-mail chega para revisar o colchão.

13.  Infelizmente, eles ignoram ambos. Então, como um follow-up – porque a Leesa sabe como valiosas avaliações são – dois dias depois, o cliente recebe um convite do Facebook Messenger para enviar sua revisão.

14.  Desta vez… eles respondem e dão à Leesa 5 de 5 estrelas, interagindo exclusivamente através do Facebook Messenger.

15.  Dado que eles estão tão felizes com o novo colchão – e os últimos dois pontos de contato do cliente – na semana seguinte, a Leesa envia tanto uma mala direta física quanto uma mensagem do Messenger descrevendo seu programa “Indique um Amigo”.

16.  Enquanto isso, todos os anúncios do Facebook, Pinterest, Instagram e YouTube de um colchão foram interrompidos . Em seu lugar – encenado ao longo do tempo – os anúncios aparecem para o The Leesa Blanket.

Omni-Channel Vs Multi-Channel: Qual é a diferença e por que isso importa

17.  Para surpresa de Leesa, o cliente compra não um, mas três cobertores. Isso aciona automaticamente uma nova série de anúncios de colchão no social e via email.

18.  Em resposta, o cliente clica em um dos e-mails, mas – em vez de fazer uma compra – passa algum tempo na página de financiamento da Leesa.

19.  Provavelmente, isso significa que eles estão contemplando colchões adicionais, mas estão preocupados com a queda de todo esse dinheiro de uma só vez.

20.  E assim, o próximo e-mail que recebem e o anúncio no Facebook que veem falam diretamente sobre essa necessidade.

Omni-Channel Vs Multi-Channel: Qual é a diferença e por que isso importa

Pontos adicionais de contato e canais poderiam ser elaborados. A grande ideia é que, no omni-channel, cada interação com o cliente muda sua experiência geral de seu produto e marca .

O cliente está no centro e sua abordagem a eles está alinhada às suas ações, tanto on-line quanto na vida real.

Escolhendo entre Omni-Channel ou Multi-Channel

No papel, pode parecer que o omni-channel é a escolha certa. Afinal de contas, cria uma experiência de compra muito mais suave, que é o que realmente importa a longo prazo.

No entanto, a resposta é mais complicada do que isso.

Tornar o seu canal omnidirecional exigirá muitos recursos. Pior ainda, não há como parar no meio do caminho. A tecnologia omni-channel não funcional criará a mesma experiência que absolutamente nenhuma tecnologia omnicanal (a menos que você possa descobrir como construí-la de maneira modular).

Assim, enquanto o omni-channel for uma resposta teórica, as empresas poderiam ser mais bem servidas começando com uma experiência multicanal antes de juntá-las em um canal omni-channel.

Duas perguntas devem estar na vanguarda do seu processo de pensamento …

Recursos?

Tornar sua loja uma experiência omnicanal significa investir nas capacidades tecnológicas da sua organização. Mesmo se você tiver uma equipe de TI interna, talvez ainda não tenha essa infraestrutura técnica, qualificação ou visão para iniciar uma transição de omni-channel e concluí-la.

Por exemplo, um sistema de gerenciamento de informações do produto (PIM) é a espinha dorsal de qualquer loja multi-canal ou omni-channel robusta – sua empresa ainda tem uma dessas?

Se não (ou se esta é a primeira vez que você ouviu falar de um PIM), talvez seja necessário contratar especialistas em tecnologia de comércio eletrônico . Você pode gradualmente construir sua competência tecnológica internamente, mas a orientação especializada pode ajudar a estabelecer uma base sólida para expansão futura (e pode ajudá-lo a recrutar e contratar).

Caso você contrate especialistas, preste atenção ao conselho do ex-consultor de comércio eletrônico Bill Davis :

“Faça muito mais diligência do que normalmente é feito hoje. Os contratos precisam ser estruturados para manter os fornecedores mais responsáveis. Objetivos claros e mensuráveis ​​precisam ser definidos no início do projeto e os resultados devem ser medidos em relação a esses. ”

Além da terceirização, você provavelmente investirá mais em sua própria equipe. RSR escreve em seu relatório que 73% das lojas que excedem a taxa de crescimento da indústria de 4,5 por cento (que eles chamam de “Vencedores de Varejo”) realmente investiram mais em sua equipe nos últimos três anos.

Seus custos de folha de pagamento como porcentagem das vendas aumentaram – mais de cada dólar que eles ganham é investido em sua equipe.

Omni-Channel Vs Multi-Channel: Qual é a diferença e por que isso importa

Além disso, você ainda precisa ter o fluxo de caixa para manter seus principais negócios e operações em andamento. Como Davis explica,

“Mesmo os varejistas mais bem administrados, essa é uma jornada de mais de 4 anos para realmente se estabelecer como um varejista de canal omni. Tendo tido alguma visibilidade de onde os varejistas estão, e a maturidade das soluções atuais, eu diria que a maioria dos varejistas está olhando mais de 7 ou mais anos antes que eles possam se referir a eles mesmos no caminho omnicanal ”.

Isso exigirá comprometimento, decisões ousadas e recursos para sustentar a transição.

Flexibilidade?

Embora o omni-channel exija muitos conhecimentos técnicos, é importante não exagerar o papel da tecnologia.

Uma grande parte de fazer a transição é sobre pessoas e incentivos.

McKinsey escreve:

“Incentivos projetados ostensivamente para incentivar o desempenho involuntariamente reforçam o isolamento dos canais – como metas de geração de receita que pressionam cada canal a aumentar seu próprio volume de vendas, independentemente de qualquer impacto nos canais irmãos.

“A competição se torna ainda mais brutal internamente do que com o mundo exterior”.

Desconfie dos incentivos que você estabeleceu para sua equipe e certifique-se de que eles funcionem a longo prazo. Não deixe seu império de comércio eletrônico desabar.

A curva de aprendizado potencialmente íngreme e a consequente incerta do omnicanal exigem que você trabalhe em equipe. Eles devem estar confiantes em tecnologia e inovação humana.

Sua equipe está preparada? Ou eles vão inibir a organização de avançar e desacelerar as coisas?

Omni-Channel Vs Multi-Channel: Qual é a diferença e por que isso importa

Sua equipe de liderança também precisa tomar as rédeas. Os CMOs e os CIOs, em particular, devem desenvolver uma visão compartilhada.

Organizações como a Amazon têm sofisticação técnica suficiente em seus altos escalões para não ter que fazer essa transição – elas começaram com a tecnologia desde o primeiro dia. Mais uma vez, Davis:

“A Amazon usa a tecnologia para criar vantagens e está disposta a aceitar erros, em vez de evitar riscos, sabendo que as lições aprendidas os tornarão mais fortes.

“Um executivo de varejo que tem um profundo conhecimento técnico é mais uma exceção do que a regra e a administração tende a se ater ao que sabe.”

Onde tudo começa …

Em tudo, o elemento crucial a ser compreendido é a diferença entre o omnicanal e o multicanal, porque escolher a abordagem correta começa com uma compreensão clara:

Visão geral omnicanal versus multicanal

Para ter certeza, omni-channel e multi-channel são palavras de ordem … mas isso não significa que eles não possam ser descompactados para obter insights.

Bibliografia:

Fonte: Shopify