growth hacking

Growth Hacking: saiba o que é e como aplicá-lo

Quem trabalha com gerenciamento de empresas já deve ter ouvido falar no Growth Hacking

O termo é usado para referir-se a uma estratégia que visa o crescimento dos negócios como um todo e, recentemente, vem sendo muito usado para as ações de marketing.

O artigo de hoje vai tratar mais sobre o que é o Growth Hacking e como aplicá-lo no seu negócio. Continue lendo!

O que é o Growth Hacking?

O termo Growth Hacking foi usado pela primeira vez por Sean Ellis, CEO da Growth Hackers, para tratar de uma estratégia de marketing voltada a experimentos. 

Ou seja, a intenção é encontrar oportunidades e desenvolver ações em prol do crescimento da empresa.

Por exemplo, ao propor a elaboração de um calendário com espaço para escrever como produto publicitário, a estratégia de Growth Hacking deve avaliar o impacto da iniciativa e como ela pode ajudar na ampliação das vendas.

No entanto, para conhecer a real influência da estratégia de marketing, as equipes devem realizar a identificação dos pontos críticos das campanhas, além de descobrir brechas e oportunidades, para a produção de uma ação inteligente e direcionada.

Sendo assim, um dos principais aspectos do Growth Hacking é o uso de KPIs (Key Performance Indicators, ou indicadores-chave de performance, em tradução), que mostram o desempenho de cada material de marketing, de acordo com os objetivos.

Dessa forma, se a intenção é aumentar o tráfego orgânico de um site, por exemplo, o Growth Hacking irá transformar o KPI em experimentos, para verificar qual campanha irá contribuir para melhorar o número de visitantes na sua página.

Mas qual a diferença do Growth Hacking para as demais estratégias de marketing?

Em primeiro lugar, nem toda campanha de marketing leva em consideração os KPIs. Por exemplo, um grande painel de publicidade já é uma ação tradicional de propaganda, de difícil mensuração e, por conta disso, dificilmente se baseia em um indicador.

No entanto, o grande diferencial está na possibilidade de elaborar ações rápidas, otimizadas e de baixo custo, através de métodos experimentais que validam as hipóteses.

Quer dizer que a proposta do Growth Hacking é descobrir as oportunidades para crescer, com o menor custo possível.

Para alcançar essa meta, a estratégia trabalha com os seguintes elementos:

  • Objetivo: o que se pretende conquistar com a campanha;
  • Hipótese: o que se espera alcançar, tendo um know-how prévio;
  • Experimentos: testes realizados para comprovar a hipótese;
  • Ferramentas: recursos tecnológicos que ajudam na mensuração e implementação.

Dessa maneira, em uma campanha para elaborar flyers odontologia, por exemplo, é possível conquistar ótimos resultados e contribuir para o crescimento do negócio.

O trabalho de um Growth Hacker

O Growth Hacker é um profissional de marketing que tem uma visão estratégica da organização, pois o objetivo não é apenas faturar, mas sim, buscar o crescimento das empresas do modo mais rápido e barato.

Por esse motivo, é importante ter um perfil criativo e explorador, justamente para encontrar inúmeras possibilidades para teste e formular hipóteses. Ao mesmo tempo, o Growth Hacker precisa ser analítico, para conseguir analisar os dados de forma precisa.

Sendo assim, o profissional deve ter conhecimento acerca de metodologia de processos, análise de dados e, é claro, o comportamento do consumidor. 

Esse último aspecto é fundamental para o desenvolvimento de campanhas assertivas, visto que as pessoas interessadas em produtos naturais para emagrecer rápido, por exemplo, têm um perfil bastante específico.

Importante ressaltar que qualquer profissional pode adotar a cultura do Growth Hacking. Afinal de contas, quanto mais os trabalhadores se empenharem em prol do crescimento dos negócios, melhor será o desempenho das campanhas.

Além do mais, a estratégia não precisa ficar restrita ao departamento de marketing. 

Outros setores podem usar a metodologia, como a própria área de vendas, que pode fazer testes da aceitação de rótulos em inglês em seus produtos, por exemplo.

Como aplicar o Growth Hacking nos seus negócios?

O Growth Hacking é um processo, não apenas uma iniciativa. Por esse motivo, é importante conhecer o método a fundo, pois sem as ferramentas corretas, o seu experimento pode não ter os resultados esperados.

A seguir, confira as 4 fases principais para a implementação do Growth Hacking.

1 – Product-Market Fit

O Product-Market Fit é a base do Growth Hacking, pois ele refere-se à criação de produtos, de acordo com as preferências do público-alvo.

Por exemplo, uma auto escola com carros adaptados pode oferecer um serviço diferenciado depois de ter feito uma pesquisa de mercado e visto quais são as reais necessidades de seus clientes.

A falta dessa etapa pode prejudicar o seu negócio, pois muitos produtos são lançados em mercados errados, ou sem levar em consideração os desejos do público.

Por conta disso, aqui o foco é compreender o comportamento do consumidor para então desenvolver produtos conforme a demanda.

2 – Growth Hacks

A segunda etapa consiste na aplicação do Growth Hacking propriamente dita. Aqui, é o momento em que o time vai formular hipóteses e começar a verificar quais iniciativas podem gerar resultados mais rápidos e baratos.

Para isso, é necessário analisar o produto e, com base nos conhecimentos prévios da instituição, encontrar as vulnerabilidades e oportunidades de crescimento.

Por exemplo, um médico domicílio pode verificar o que em seu atendimento pode ser melhorado, quais serviços ele pode realizar de uma nova maneira, como é a abordagem aos pacientes, entre outros aspectos.

3 – Escala e viralização

O objetivo do Growth Hacking é gastar o mínimo possível, por isso, o ideal é fazer com que os consumidores se tornem promotores do seu negócio – e possam receber algum benefício em troca dessa divulgação.

Esta pode ser a etapa mais difícil, pois é necessário criar um relacionamento saudável e duradouro com os clientes, além de oferecer algo vantajoso em troca, para que eles possam indicar o seu produto/serviço.

Por exemplo, os estúdios de música podem fazer um clube de parceiros, oferecendo descontos para os próximos ensaios, aos clientes que já são fiéis.

4 – Otimização e retenção

Nessa etapa, a intenção é melhorar a usabilidade do seu produto ou serviço para satisfazer os interesses dos usuários. Ou seja, é o momento de consolidar a base de clientes.Caso você consiga alcançar esse processo, o seu Growth Hacking está finalizado.

Por esse motivo, a análise dos indicadores e o feedback do público são fundamentais para concretizar as campanhas. Com essas informações, os gestores de marketing podem saber se suas ações contribuíram de fato para o crescimento da empresa.

Principais estratégias de Growth Hacking para a sua empresa

Agora que você já sabe quais são as etapas do Growth Hacking, chegou o momento de aplicar a estratégia na prática. 

Abaixo, conheça algumas campanhas que são capazes de contribuir com o crescimento rápido e barato das empresas.

1 – Marketing de referência

O marketing de referência tem a intenção de fidelizar os clientes e transformá-los em promotores da marca. É o famoso “boca a boca”, quando alguém indica um produto ou serviço, porque teve uma boa experiência com o seu negócio.

A dica é combinar estratégias de fidelização com programas de benefícios, como clubes de vantagens, descontos exclusivos e parcerias com clientes fiéis.

2 – Marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo é um velho conhecido do marketing digital, pois ele consiste na oferta de materiais informativos e relevantes, conforme os interesses do público-alvo, acompanhando o comportamento do consumidor digital.

Nesse sentido, é necessário que a empresa produza diferentes tipos de conteúdos e, desse modo, conquiste o reconhecimento e autoridade no mercado.

3 – Gatilhos mentais

Os gatilhos mentais podem ser aplicados em conjunto com o marketing de referência e o de conteúdo, pois eles têm a intenção de despertar emoções no público, fazendo com que a tomada de decisão de compra seja muito mais rápida.

Um exemplo é o princípio da escassez, quando uma empresa anuncia que aquele determinado produto irá acabar no estoque, portanto é a última oportunidade para o cliente realizar a compra.

Conclusão

O Growth Hacking é um dos métodos mais eficientes para a elaboração de campanhas estratégias em marketing digital. 

Diferentemente das iniciativas tradicionais, o grande destaque da estratégia é focar em um crescimento rápido da empresa, porém, com redução de custos. 

Dessa forma, é possível melhorar o reconhecimento da marca, bem como a lucratividade.

Para isso, o processo faz uso de diferentes ferramentas, mas também foca em propor testes com base em indicadores de performance.

O artigo de hoje buscou trazer algumas dicas de como aplicar o Growth Hacking no departamento de marketing. No entanto, vale dizer que a metodologia pode ser ampliada para diferentes setores da empresa, contribuindo, assim, para melhorar os negócios.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Funil de vendas - o que é e como desenvolver para seu negócio

Funil de vendas: o que é e como desenvolver para seu negócio

O funil de vendas é um dos principais conceitos do Inbound Marketing, sendo usado para acompanhar a jornada de compra dos clientes e melhorar os resultados das empresas, seja para o aumento de vendas ou para a fidelização dos clientes

Embora não seja usado somente em ambientes online, o funil de vendas é amplamente empregado no marketing digital, garantindo a eficácia da estratégia.

No artigo de hoje, acompanhe o que é e como desenvolver o funil de vendas para o seu negócio, além de dicas valiosas para aplicar o conceito na sua empresa. Continue a leitura!

O que é o Funil de Vendas?

O funil de vendas, também conhecido como pipeline, é uma representação gráfica da jornada de compras do cliente, desde seu primeiro contato com a empresa, até a concretização da compra do produto ou serviço, ou até além dela.

Na prática, o funil de vendas envolve a primeira vez que uma pessoa vê uma persiana rolô double vision, por exemplo, seja por um blog post ou por um anúncio patrocinado em rede social, até o momento em que o usuário resolve comprar o artigo

Essas ações também envolvem os pós-venda realizados pela loja. É importante verificar que a compra não é um processo homogêneo, mas ocorre por etapas. 

Logo, durante toda a jornada, o cliente passa por vários momentos que revelam se ele está realmente próximo a concretizar o negócio.

Assim, temos o momento em que ele ouve falar pela primeira vez do produto ou serviço, posteriormente faz a pesquisa sobre o assunto e, somente após uma reflexão, decide por realizar a compra e recomendá-lo para outra pessoa, quando a experiência é positiva.

Por esse motivo, para determinar qual é a maturidade do cliente em relação à compra, o funil de vendas é dividido em algumas etapas, que ajudam a elaborar uma estratégia de captação de clientes mais assertiva.

Afinal de contas, uma pessoa que acabou de conhecer o amortecedor de carro de uma determinada empresa tem outra percepção quando comparada a um usuário que já conhece o produto.

As etapas do funil de vendas são:

  • Topo do funil: aprendizado e descoberta;
  • Meio do funil: consideração;
  • Fundo do funil: concretização da compra;
  • Pós-venda: fidelização do cliente.

Nesse sentido, fica mais fácil pensar em ações de marketing, direcionadas e assertivas, capazes de influenciar a tomada de decisão dos consumidores.

Quais são as etapas do funil de vendas?

Como vimos, o funil de vendas é dividido, basicamente, em quatro etapas principais. 

Em cada uma delas, é necessário orientar a estratégia de marketing, conforme o nível de maturidade do cliente.

A seguir, conheça algumas especificações e iniciativas de marketing para cada estágio do funil de vendas.

1 – Topo do funil

O topo do funil, ou ToFu, é o momento da consciência, pois até então o usuário não conhecia o produto/serviço, bem como era indiferente à sua própria necessidade.

Por exemplo, alguém que está procurando informações sobre sintomas que envolvem animais de estimação pode se deparar com o serviço de um veterinário oftalmologista, algo desconhecido anteriormente pelo usuário.

Em resumo, o internauta não buscava pela atividade, devido ao próprio desconhecimento da demanda. 

Mas ao ter o primeiro contato com o empreendimento, no exemplo o veterinário, acaba compreendendo que existe essa necessidade e, por isso, acaba procurando mais informações sobre o serviço.

Diante disso, o topo do funil é o melhor momento para se colocar como especialista no tema. Isso irá ajudar a moldar a percepção do visitante com conteúdos valiosos e de qualidade e respeito do seu negócio.

Aqui, a empresa geralmente lida com usuários que chegaram até o site de alguma forma, mas que não possuem nenhuma informação concreta sobre o produto ou serviço.

Ou seja, a pessoa pode ter visto um anúncio sobre disco de desbaste diamantado e, assim, ter sido redirecionada a uma página web. Porém, o visitante ainda precisa de mais conteúdos sobre o produto. 

Portanto, é o momento de oferecer materiais ricos, na tentativa de converter os usuários em leads (potenciais clientes).

Algumas ações de marketing interessantes para o topo de funil são:

  • Criação de blog posts;
  • Criação de landing pages;
  • Elaboração de postagens em redes sociais;
  • Produção de vídeos e ativos de marketing.

Importante ressaltar que o marketing de conteúdo é o grande aliado do funil de vendas. 

Afinal, o consumidor da internet não quer apenas se deparar com uma propaganda sensacionalista, mas sim verificar um material de qualidade, com informações pertinentes.

Sendo assim, vale muito mais a pena produzir um folder 2 dobras com conteúdo valioso, do que uma propaganda apelativa e comercial.

2 – Meio do funil

O meio do funil (MoFu) define a passagem da primeira para a segunda etapa, a partir do momento em que o visitante tem reconhecimento do problema.

Quer dizer que o usuário já leu o suficiente sobre o assunto e verificou que tem uma demanda, sendo assim, ele está em busca de maneiras para solucionar o contratempo.

Nesta etapa, estamos lidando com os leads, isto é, pessoas que já interagiram com o conteúdo da empresa, forneceram informações básicas de contato (como e-mail ou telefone), em busca de um aprofundamento maior a respeito do produto ou serviço.

Nesse sentido, o lead já sabe que está procurando uma escola período integral, por exemplo, mas ele ainda precisa de mais informações para tomar a decisão correta.

Sendo assim, é importante que a empresa seja honesta e transparente, deixando claro que o objetivo é ajudar o consumidor, não vender algo diretamente. Isso ajuda a estabelecer uma relação de confiança, aproximando o usuário da compra.

Aqui, o ideal é trabalhar com materiais ainda mais ricos, como e-books, webinars, newsletters e diálogo periódico com clientes (através de e-mails, troca de mensagens, entre outros meios).

3 – Fundo do funil

O fundo do funil (BoFu) é a etapa da compra propriamente dita. Neste momento, estamos lidando com os MQLs (Marketing Qualified Leads), que são os leads que já conhecem o produto ou serviço, e estão prontos para fazer contato com vendedores.

Ou seja, as pessoas que estão no fundo do funil perceberam que precisam de ajuda para resolver um problema – e isso significa fechar negócio com a sua empresa. 

Porém, elas precisam ter certeza de que estão fazendo a coisa certa e, por esse motivo, buscam não só pelo seu negócio, mas também pela concorrência.

Assim, no serviço de adição de categoria a, por exemplo, o fundo de funil é o estágio certo para mostrar o quanto a sua autoescola é referência no mercado e o porquê ela é a melhor escolha para o seu cliente.

Por esse motivo, vale a pena continuar com a criação de materiais relevantes, mas com foco nos diferenciais do produto ou serviço, além de citar as principais vantagens da empresa em relação à concorrência.

Também é importante que os vendedores tenham em mãos todos os dados do cliente e saibam orientar sua abordagem de modo direcionado, já que ninguém quer receber informações duplicadas ou conteúdos incorretos.

Por isso, vale a pena investir em ferramentas de automação de marketing, capazes de armazenar e compartilhar dados em tempo real, tornando a comunicação mais efetiva.

4 – Pós-venda

Apesar de nem todas as empresas incluírem o pós-venda como etapa do funil, percebe-se que a fidelização dos consumidores é muito maior quando a estratégia é adotada. 

Afinal de contas, é preciso fazer com que as pessoas se lembrem da sua empresa e, como consequência dessa iniciativa, busquem realizar novas compras e indicar o seu negócio para outras pessoas.

Por exemplo, após a aquisição de uma balança digital 300kg, o empreendimento pode enviar um e-mail ao cliente, pedindo um feedback sobre a mercadoria. Assim, é possível saber o que o consumidor gosta no produto e o que é preciso melhorar.

As estratégias de pós-venda incluem o envio de newsletters, além de outras mensagens, com ofertas, cupons de desconto e até programas de fidelidade.

Conclusão

O funil de vendas é uma representação da jornada de compras do cliente, que tem ajudado a moldar estratégias de marketing direcionadas, como forma de auxiliar na tomada de decisão dos consumidores, bem como aproximá-los do fechamento do negócio.

É fundamental ter em mente que todas as iniciativas precisam contemplar os interesses e preferências de cada usuário, já que o processo de compra não é homogêneo, mas sim, é influenciado por inúmeros fatores.

Assim, com a aplicação do funil de vendas, de modo prático e estratégico, é possível melhorar os resultados de venda, aumentando a conversão de leads, educando o público a respeito dos produtos e serviços e melhorando sua lucratividade e rentabilidade.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Referências

https://rockcontent.com/blog/funil-de-vendas/

Saiba como o e-mail marketing pode ajudar no seu e-commerce

Saiba como o e-mail marketing pode ajudar no seu e-commerce

Você utiliza o e-mail marketing para o seu e-commerce, aproveitando os benefícios que a ferramenta proporciona nas mais diversas ações relacionadas ao negócio?

O marketing digital trouxe uma série de oportunidades, e junto com elas possibilita diferentes estratégias que, ao serem aplicadas na rotina da loja virtual, podem ser responsáveis pelo aumento de resultados e pelo bom relacionamento com o público.

Dessa forma, se antes os meios de atuação de quem investiu em uma atuação online eram limitados, hoje existem recursos importantes e que facilitam a administração de um e-commerce. 

Uma dessas ferramentas significativas é o e-mail marketing, que é capaz de promover a venda de um filtro manga, indo desde o anúncio sobre o item até o questionamento sobre a satisfação do comprador com a aquisição realizada.

Justamente por isso, é possível perceber a flexibilidade e as utilidades que uma estratégia de e-mail marketing pode fornecer a um estabelecimento. 

Para que essas vantagens sejam facilmente alcançadas é preciso conhecer melhor o funcionamento da ferramenta e para quais tipos de ações ela pode ser utilizada, garantindo o sucesso da loja virtual.

Se você reconhece que o e-mail marketing é importante e quer utilizá-lo no dia a dia do seu e-commerce, siga na leitura deste artigo e entenda melhor sobre o assunto.

O que é o e-mail marketing?

Certamente você já utilizou a internet para vários tipos de ações, desde a procura de uma empresa que forneça crepe para festa até a realização da compra de um determinado produto.

Para muitas dessas necessidades, você se cadastrou em um site ou e-commerce deixando o seu endereço de e-mail, permitindo assim que contatos fossem feitos por parte da empresa. 

De fato, uma loja virtual que quer marcar presença na rotina dos seus clientes deve se empenhar no uso do e-mail marketing, criando vínculos e conquistando um relacionamento mais próximo com o seu público.

Isso porque a ferramenta trata-se do envio de um conteúdo para os leads de uma companhia, de modo que o assunto abordado ali possa ser de interesse desses destinatários, trazendo, assim, resultados efetivos para o negócio.

Desse modo, é possível dizer que o e-mail marketing pode ser utilizado para várias finalidades, sendo de grande importância para lojas virtuais de qualquer segmento. 

Como utilizar o e-mail marketing no seu e-commerce

O e-mail marketing fará parte de diversas etapas de uma compra de bandeirola colorida, do mesmo modo que deve ser utilizado para levar conteúdos para os clientes, não apenas com o intuito de vender, mas de conquistar a confiança e fidelizar o público.

Por isso, saber com quais estratégias você deve seguir ao usar o e-mail marketing pode ser um fator determinante para o desenvolvimento de campanhas assertivas. 

Sendo assim, é possível dizer que o e-mail marketing pode ser bem aplicado para:

  • Divulgação de promoções;
  • Acompanhamento de pedidos;
  • Estratégias institucionais;
  • Envio de felicitações;
  • Compartilhamento de conteúdos;
  • Aumento de tráfego;
  • Entre outros.

1. E-mail marketing para divulgar promoções

Um dos principais objetivos do e-mail marketing é, sem dúvida, a divulgação de promoções e descontos, que vão servir para potencializar os resultados financeiros de um negócio.

Assim como uma clínica de estética pode decidir criar um pacote de sessões de depilação a laser virilha completa para estimular o preenchimento da sua agenda, os e-commerces podem utilizar do e-mail marketing para anunciar preços atrativos para o seu público.

Afinal, esse é o meio mais prático de garantir que uma empresa consiga comunicar esses benefícios ao cliente, já que grande parte deles não terá contato diário com a marca. 

2. Acompanhamento de pedidos

O e-mail marketing também pode servir como uma ferramenta potente de comunicação. 

Ao finalizar a compra de uma mesa de inox para cozinha, certamente o comprador vai querer saber quando ela foi despachada e quando deverá chegar no endereço de entrega. 

Nesse sentido, o envio de mensagens surge como um recurso prático e eficaz, já que cada disparo pode conter informações que são importantes para o comprador, como a confirmação do pagamento ou o envio do pedido. 

Por isso, ele pode ser um auxílio também nessa etapa de relacionamento com o cliente, sendo, dessa maneira, ideal para qualquer loja virtual.

3. Estratégias institucionais

Levar informações para os clientes, revelando as novidades do seu e-commerce, também pode ser fundamental para o seu negócio. 

Há vários exemplos que podem ser utilizados para promover o e-commerce, como a abertura de uma loja física, a participação em ações beneficentes, o investimento na formação da equipe com um curso de mopp, de tecnologia, etc.

Ao levar esse tipo de informação para os clientes, eles conseguem perceber o comprometimento da marca com o seu público e com os seus funcionários, mostrando a sua responsabilidade social.

Dessa forma, a admiração e confiança do público com a marca crescem de modo positivo, fazendo com que o e-commerce ganhe destaque no seu nicho. 

4. Envio de felicitações

O e-mail marketing pode ser utilizado na construção do relacionamento com o público inclusive em datas especiais.

Assim, enviar bons votos e felicitações em datas comemorativas importantes, como o aniversário, dia das mães, dos pais, Natal, etc., é uma ótima oportunidade de marcar presença em dias comemorativos. 

Pode ser também uma ocasião interessante para oferecer desconto na compra de produtos para pintura eletrostática a pó, oferecidas pelo seu e-commerce, com um desconto especial para aniversariantes.

5. Compartilhamento de conteúdos

Se você já se inscreveu para receber e-mails marketing de alguma empresa, provavelmente já percebeu que essa ferramenta não é utilizada apenas para vender. 

Além de possibilitar a construção de uma ponte com os seus consumidores, trazendo-os mais para perto do seu negócio, o e-mail marketing também é importante para educar o público e fidelizar os clientes. 

Assim como ter um blog é fundamental para que os potenciais compradores da sua marca que estejam pesquisando sobre caldeiraria industrial possam encontrar a sua loja virtual, o e-mail marketing também é um caminho para levá-los até o seu e-commerce.

Os mesmos conteúdos que são disponibilizados no seu site, e que podem influenciar o leitor a acessar a loja, também podem ser enviados por e-mail, de modo que você instrua o público sobre as novidades e os temas importantes do seu nicho. 

Ao receber uma mensagem com um título atrativo, é possível que você conquiste a atenção do destinatário, que desejará ler o que você enviou naquele e-mail.

Dessa forma, você consegue mostrar aos clientes a importância e a qualidade dos produtos oferecidos, ao mesmo tempo em que conquista a fidelidade dele quando mostra domínio sobre os principais assuntos do segmento. 

6. Aumento de tráfego

Se os seus compradores estiverem ausentes e não fazem compras há um certo tempo, é interessante utilizar o e-mail marketing para recordá-los das vantagens oferecidas pela sua loja virtual. 

Nesse tipo de mensagem, é importante que você insira o link do seu blog, site ou qualquer outra página relacionada ao seu negócio, fazendo com que o número de pessoas que estejam acessando o endereço na web cresça a cada dia. 

Além de aumentar a relevância do seu e-commerce na internet, você também facilita o caminho para a compra de um cliente interessado, garantindo maiores vendas para a sua loja. 

Os benefícios do uso do e-mail marketing

Depois de conhecer as principais maneiras de utilizar o e-mail marketing para o seu e-commerce, é interessante perceber os benefícios que ele traz para o seu negócio, de modo que você desenvolva campanhas cada vez mais eficazes.

O e-mail marketing é barato

O investimento para o envio de e-mail marketing é um dos menores entre as principais estratégias de marketing digital, o que mostra o quanto ele é cada vez mais indispensável para qualquer empresa. 

O e-mail marketing pode ser automatizado

Existem softwares hoje que podem automatizar o envio de e-mail marketing, possibilitando a criação de listas específicas e que levem em conta as características dos seus clientes. 

Além de programar os melhores dias e horários, você ainda pode personalizar cada mensagem com o nome do destinatário, o que torna o contato muito mais próximo e direcionado. 

O e-mail marketing é mensurável

Assim como um software permite que você automatize e personalize as mensagens, ele também oferece meios de mensurar os resultados das suas campanhas, de modo que você terá acesso aos números de taxa de abertura, cliques, entre outros.

Com isso, você terá melhores subsídios para entender as preferências do seu público e o que pode trazer mais resultados para o seu e-commerce. 

Considerações finais

O e-mail marketing é uma das principais ferramentas do marketing digital, e justamente por isso é fundamental para uma loja virtual.

Sendo assim, utilizá-lo para as mais diversas finalidades, de acordo com os objetivos do seu e-commerce, é um modo de garantir o crescimento e o desenvolvimento positivo da sua marca. 

Por isso, não deixe de incluí-lo no planejamento das suas ações de publicidade e colha frutos cada vez melhores para a sua loja virtual.
Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

A importância de investir em marketing de conteúdo para seu negócio

A importância de investir em marketing de conteúdo para seu negócio

Você já investe em Marketing de Conteúdo para o seu negócio? A estratégia pode ser capaz de oferecer bons resultados para qualquer empresa e, por isso, merece ser utilizada no seu planejamento de marketing digital.

Em um mercado cada vez mais competitivo, onde vários estabelecimentos oferecem vantagens para quem compra os seus produtos, é preciso encontrar meios de se destacar e conquistar a preferência do público. 

Tudo isso certamente dependerá de ações assertivas, que sejam diretamente responsáveis por atrair a atenção do público para os serviços prestados por um endocrinologista para emagrecer, por exemplo.

As empresas que garantem a sua presença na internet já estão um passo à frente daquelas que ainda não reconhecem a importância de atuar virtualmente. 

Mas como fazer para ser visto entre os inúmeros concorrentes que estão no mundo online?

Para isso existem diversas estratégias, como o uso do marketing digital, que podem trazer uma série de benefícios em termos de divulgação e de publicidade. Mas há ainda um elemento fortíssimo nesse cenário: o marketing de conteúdo.

Afinal, o consumidor está cada vez mais exigente, querendo saber sobre uma marca, sobre os seus produtos ou serviços e entender a fundo os seus processos, além de pesquisar melhor um segmento, adquirindo assim novos conhecimentos. 

Nesse sentido, investir em marketing de conteúdo vai muito além de uma mera formalidade, já que é com base nesses materiais que os seus clientes poderão saber o que desejam, de maneira prática e dinâmica. 

Por isso, se você tem dúvidas sobre o que é essa ferramenta e como ela pode ser utilizada para ajudar nos processos de captação e de fidelização de clientes, siga na leitura deste conteúdo e saiba mais sobre o tema. 

O que é o marketing de conteúdo e qual é a sua importância?

O marketing de conteúdo está dentro do Inbound Marketing, ou seja, faz parte de uma série de ações com o intuito de impactar clientes de modo menos invasivo. 

Se as ações de publicidade sempre foram vistas como uma interrupção, “pulando” na frente dos clientes enquanto eles estavam fazendo uma atividade, o Inbound deseja ser eficiente ao evitar esse tipo de incômodo. 

Para tanto, ele é dividido em quatro etapas principais:

  • Atrair um visitante;
  • Convertê-lo em lead;
  • Vender para o cliente;
  • Fidelizá-lo.

Isso quer dizer que uma clínica especializada em microagulhamento para melasma conseguirá utilizar do marketing de conteúdo para trazer clientes para o seu estabelecimento sem ser inoportuna ou desagradável. 

Assim, é possível dizer que a melhor definição do marketing de conteúdo é: uma estratégia de desenvolvimento de conteúdos relevantes e de qualidade com foco em atrair, converter, vender e fidelizar o público de uma empresa. E então, como utilizá-lo no dia a dia?

1 – Marketing de conteúdo para atrair

Todo estabelecimento, seja ele especializado em impressão a laser ou em venda de roupa feminina, precisa conhecer a persona do seu negócio. 

Ou seja, ele deve identificar o perfil do cliente com potencial para adquirir seus produtos, e a partir disso, conseguir utilizar estratégias para atrair essas pessoas. 

O marketing de conteúdo pode ser aplicado para essa etapa com a elaboração de textos que sejam interessantes o suficiente para trazer usuários para o site da empresa, conquistando visitantes. 

2 – Marketing de conteúdo para converter

Marketing de conteúdo também é conversão, o que quer dizer que para conquistar leads para o seu negócio, é fundamental ter uma estratégia bem delineada, que possibilite montar uma lista extensa de contatos. 

Para que isso seja possível, a elaboração de bons conteúdos pode ser uma maneira simples e eficaz de converter visitantes em leads.

No seu blog, por exemplo, é possível compartilhar um conteúdo sobre como é desenvolvida uma aula de violão iniciante e, com uma explicação interessante, levar os leitores do conteúdo a se inscrever para receber mais informações sobre o assunto no e-mail. 

3 – Marketing de conteúdo para vender

O marketing de conteúdo também é importante para gerar um maior número de vendas para uma empresa. 

Se depois de conquistar o lead você investiu em um trabalho completo de divulgação e suporte para dúvidas, com o envio de materiais interessantes e que mostrassem a qualidade da cortina blecaute rolo que você vende, o próximo passo é receber o pedido. 

Por isso, o marketing de conteúdo é utilizado na etapa da venda, sendo responsável por mostrar ao potencial comprador que aquele produto ou serviço oferecido pelo seu negócio pode ser a solução ideal para a necessidade dele. 

4 – Marketing de conteúdo para fidelizar

Apesar de muitas pessoas acharem que o relacionamento com o cliente se encerra na compra, essa ideia está equivocada. 

Há ainda a etapa da fidelização, que virá após a entrega do produto e a consequente satisfação do consumidor com toda a experiência que ele teve até aqui com o seu estabelecimento. 

Nesse sentido, continuar a encaminhar conteúdos relevantes, que podem tratar de levar dicas de rotina úteis para as pessoas, tal como aumentar a durabilidade de uma lampada fluorescente de led, pode ser um caminho para alimentar esse contato com os clientes. 

Assim, é possível dizer que o relacionamento pós-venda é tão importante quanto o da conversão, já que nesses próximos passos a confiança com o seu público deve ser trabalhada para gerar uma relação duradoura, com a fidelização do comprador. 

Os benefícios do marketing de conteúdo e onde usá-lo

Entender em quais processos o marketing de conteúdo pode ser utilizado na sua empresa faz com que se compreenda a importância dele para qualquer empresa. 

Para esclarecer ainda mais o tema, é interessante mencionar os benefícios do uso dessa estratégia para o seu negócio, que podem ser:

  • Aumento de tráfego do site;
  • Fortalecimento de marca;
  • Engajamento dos clientes;
  • Educação do mercado;
  • Redução do custo de aquisição de clientes;
  • Entre outros.

Com o marketing de conteúdo, você pode facilmente aumentar o número de visitantes que entram no seu blog para conhecer dicas de design para um cartão de visita arquiteto, por exemplo, e com isso aumentar a relevância do negócio. 

Além disso, ao gerar conteúdos interessantes, que atraiam a atenção das pessoas, é possível fortalecer a sua marca, mostrando o quanto o seu estabelecimento domina o nicho, e é uma autoridade no setor. 

Também vale lembrar que bons conteúdos podem engajar os seus leitores, fazendo com que eles queiram continuar acompanhando o que você escreve e que compartilhem esses materiais com outras pessoas. 

O marketing de conteúdo ajuda, inclusive, na educação do mercado. 

Ao escrever sobre a importância de contar com um serviço de entrega rápidas, você ajuda os seus clientes a perceberem o quanto esse elemento pode ser indispensável para vários setores.

Por fim, vale mencionar que o marketing de conteúdo ajuda uma empresa a economizar com publicidade e anúncios pagos, já que ele é um tipo de marketing orgânico. 

Ou seja, ele diminui os custos de aquisição de clientes da empresa, trazendo resultados e economia. 

Onde utilizar o marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo do seu negócio pode ser elaborado em diversos formatos: artigos, vídeos, ebooks, webinars, podcasts, etc. 

Ao elaborá-los, você pode disponibilizar esses materiais em diversas plataformas, indo desde o site do seu negócio, até as redes sociais e, inclusive, por e-mail marketing. 

Você deve, no entanto, saber como utilizá-los de maneira estratégica de acordo com a etapa do funil que cada cliente está. 

É possível oferecer um ebook para captar leads, assim como fazer uma postagem na sua rede social com o intuito de fidelizar o público, oferecendo informações importantes de maneira dinâmica. 

Para ter maior eficiência, é preciso captar a essência de cada uma dessas ferramentas para utilizá-las com sabedoria. 

As redes sociais, por exemplo, são plataformas onde é importante divulgar o seu negócio, mas é preciso considerar as características que cada uma delas apresenta. 

Assim, utilizar o Instagram pode ser excelente para quem produziu boas imagens e deseja que o público visualize melhor os produtos, enquanto o Facebook comporta o compartilhamento de artigos e textos que sejam mais extensos.

Considerações finais

De fato, produzir materiais é indispensável para qualquer negócio que deseja crescer. 

Essa ação é também um meio de promover o contato com os seus clientes, se tornando acessível e presente no dia a dia de cada um deles. 

É justamente por isso que o marketing de conteúdo se torna uma ferramenta de grande importância para quem quer se promover na internet, pois possibilita a captação de contatos e fidelização do público, com ações simples e duradouras. 

Sendo assim, se você ainda tinha dúvidas sobre o potencial dessa estratégia dentro do marketing digital para a sua empresa, saiba que os resultados colhidos com ela podem ser surpreendentes, e que ela pode trazer mais consumidores para perto da sua marca.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Referência:

https://rockcontent.com/blog/marketing-de-conteudo/

Como usar o e-mail marketing na comunicação interna do seu e-commerce

Como usar o e-mail marketing na comunicação interna do seu e-commerce

Você sabia que o E-mail Marketing pode ser uma excelente ferramenta de comunicação interna para o seu e-commerce? 

Por meio dele, várias ações podem ser realizadas, sendo possível, inclusive, otimizar o relacionamento entre os gestores e os funcionários.

Administrar um estabelecimento, seja ele físico ou virtual, exige bastante conhecimento e experiência por parte dos responsáveis, já que é deles que nascem as decisões mais importantes e significativas. 

Não à toa, o desempenho de uma campanha de publicidade para o aumento de vendas de lona grossa para toldo pode ter muito mais sucesso se houver embasamento em teorias e práticas anteriores, que serão coordenadas pela equipe de marketing. 

Mas o funcionamento de uma empresa não depende apenas do relacionamento dela com os seus clientes. Apesar de representar grande parte do faturamento de um negócio, uma administração adequada de uma loja virtual dependerá de muitos outros fatores. 

Um dos mais importantes, e que vem ganhando o devido destaque no cenário empresarial, é justamente a comunicação interna. 

Afinal, um time alinhado, tanto com as suas metas e expectativas, quanto com o seu trabalho e resultados, poderá ter um desempenho cada vez mais completo e produtivo.

Para auxiliar nesse aspecto, existem ferramentas interessantes, como é o caso do e-mail marketing, que possuem um papel fundamental para potencializar o sucesso de uma comunicação ampla e estratégica. 

Se você quer saber mais sobre o assunto, entendendo o que é a comunicação interna e como o e-mail marketing pode contribuir positivamente com ela, siga na leitura deste conteúdo e conheça melhor esse recurso indispensável para qualquer negócio. 

O que é a comunicação interna?

Uma empresa que atue com a fabricação de cloreto de magnésio liquido certamente possui uma estrutura bastante grande, que inclui desde a sua linha de produção até os setores de vendas, administrativo e financeiro.

Todos esses departamentos são indispensáveis para permitir o funcionamento do negócio, o que quer dizer que mesmo que eles não estejam diretamente relacionados entre si, um dependerá do outro para conseguir fazer com que a empresa exista e seja eficiente. 

O mesmo ocorre com um e-commerce. Ele dependerá de diversas áreas: a de compras, de estoque, de logística, de atendimento, de vendas, etc. 

Mas essa divisão estrutural não funcionará adequadamente se não houver investimentos em comunicação interna. 

Ou seja, é essencial que esses setores se relacionem para desfrutar de um trabalho coerente e produtivo para o negócio.

Assim, é possível definir a comunicação interna como um elemento de interação entre toda a equipe do e-commerce, garantindo que as informações circulam do modo correto e para todos os envolvidos no trabalho. 

Pode-se dizer que a comunicação interna existe em dois níveis: entre colaboradores do mesmo nível de hierarquia, e entre os gestores e os seus subalternos. 

Ela ainda pode ter várias funções dentro da empresa, tais como:

  • Reforçar os valores do e-commerce;
  • Fornecer feedbacks sobre o trabalho;
  • Otimizar reuniões de alinhamento;
  • Estabelecer novas metas;
  • Promover treinamentos e cursos;
  • Engajar funcionários;
  • Entre outros.

A comunicação interna pode ser responsável por reforçar para a equipe quais são os valores institucionais da loja virtual, de modo que a atuação deles seja sempre guiada da maneira correta. 

Além disso, ela pode ser facilmente aplicada em momentos onde é necessário passar feedbacks para os funcionários, independentemente se essas análises são positivas ou negativas. 

Do mesmo modo, um nutricionista esportivo campinas pode utilizar de uma boa relação com o time para alinhar toda a sua equipe, priorizando o atendimento ao público, reforçando ações que devem ser praticadas e ajustando funções quando preciso. 

Outro ponto importante da comunicação interna é auxiliar no estabelecimento de metas. 

Assim, se o e-commerce quer aumentar o seu número de pedidos de papel filtro laboratório, é necessário deixar esse objetivo claro para todos.

Isso porque para que uma campanha de divulgação do produto seja aplicada, a equipe de marketing, a de vendas, de tecnologia e de atendimento devem estar cientes e criar estratégias de atuação para todos esses setores. 

Também vale mencionar que a comunicação interna pode ser responsável por promover cursos ou treinamentos para todos os colaboradores. 

Com isso, a qualidade do trabalho é potencializada, além de que todos se dedicam com maior determinação nos seus cargos. 

Por fim, com todas essas aplicações, a comunicação interna também tem papel indispensável no engajamento dos colaboradores, fazendo com que eles se sintam parte importante da loja virtual, além de serem efetivamente valorizados pela empresa. 

Depois de entender melhor o que é a comunicação interna e como ela pode ser aplicada no seu e-commerce, também é essencial saber como ela pode ser aplicada, tendo como uma ferramenta indispensável o uso de e-mail marketing. 

O uso do e-mail marketing na comunicação interna do seu e-commerce

A internet se tornou um elemento cada vez mais presente no dia a dia das pessoas e das empresas dos mais diversos segmentos. 

Afinal, quando se precisa pesquisar quanto custa um paquímetro, ou mesmo para enviar ou receber mensagens, é com o auxílio de diferentes ferramentas online que se pesquisa assuntos e se envia e-mails para quem quer que seja. 

No segmento comercial, isso não é diferente. O e-mail marketing, por exemplo, é um dos principais recursos para que a publicidade de um e-commerce possa trazer resultados, levando informações importantes para os clientes. 

Uma promoção de vinho halberth, oferecida na sua loja virtual, pode ser vista pelo seu público ao ser encaminhada uma mensagem para a caixa de entrada dessas pessoas, que certamente vão querer aproveitar o desconto para fazer uma compra. 

Mas o uso do e-mail marketing não para por aí. Muito pelo contrário. 

Levando em consideração a importância da comunicação interna de uma empresa, ele pode ser uma estratégia complementar para o sucesso do relacionamento entre funcionários e setores.

Isso porque ele pode ser utilizado em diferentes ações, conforme veremos a seguir. 

1. E-mail marketing para promover a interação

Tão importante quanto investir na compra de cadeira de escritorio confortavel é garantir que eles se sintam mais dispostos para exercer as suas funções. 

Muito disso está relacionado ao modo como a interação entre líderes e subalternos se dá na empresa, e como ocorre a comunicação interna entre os departamentos do e-commerce. 

Nesse sentido, utilizar do e-mail marketing para enviar informações importantes, como a implementação de novos processos de venda na loja virtual, pode auxiliar nessa interação entre a empresa e os seus colaboradores. 

Do mesmo modo, comunicar sobre investimentos na estrutura da empresa, como a compra de mesa grande para escritorio que ajudará na rotina do estabelecimento pode ser vista como uma ação integrativa, onde a empresa torna as suas práticas conhecidas por todos. 

Vale a pena pedir um feedback e sugestões sobre o que a sua equipe acha dessa novidade, convidando-os para um relacionamento mais ativo e participativo com o negócio. 

2. E-mail marketing para divulgar eventos institucionais

Se o e-commerce vai passar por uma reformulação no design, nos processos de compra e de atendimento ao público, certamente oferecer um treinamento para os seus funcionários é a melhor maneira de evitar confusões e aumentar o conhecimento da equipe. 

Além disso, investir em qualificação para os seus funcionários, promovendo cursos que vão aprimorar a sua mão de obra, são atitudes positivas, que devem ser comunicadas para os colaboradores, contribuindo para a melhoria das relações internas da loja virtual. 

Por isso, o e-mail marketing pode ser aplicado para que todos possam se programar e comparecer em todos os treinamentos oferecidos pela empresa. 

3. E-mail marketing para reconhecer os méritos dos funcionários

O e-mail marketing pode ser uma ferramenta para reconhecer os méritos de toda a equipe ou de um colaborador específico, de modo coletivo ou individual. 

Esse tipo de ação pode reforçar o relacionamento do e-commerce com os seus funcionários, mostrando que ele percebe cada passo dados pelos seus colaboradores, assim como valoriza as iniciativas tomadas em favor do negócio.

Considerações finais

A comunicação interna vem ganhando cada vez mais destaque dentro das empresas, auxiliando na administração do relacionamento do e-commerce com a sua equipe e potencializando a rotina de funcionamento do local. 

De fato, a interação e a comunicação dos diferentes setores e dos colaboradores são de suma importância para um bom desempenho da empresa, já que o alinhamento de todos é necessário para que não haja dificuldades em conduzir o negócio. 

Utilizar o e-mail marketing pode ser uma alternativa interessante dentro das ações de relacionamento da equipe, pois além de facilitar o envio de informações e conteúdos para o time, torna a transmissão de dados mais simples e dinâmica. 

Por isso, investir no uso do e-mail marketing pode ser a melhor maneira de promover a comunicação interna do seu e-commerce e colher bons frutos com essa prática.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Referências:

https://rockcontent.com/blog/comunicacao-interna/

https://aurisideiasdigitais.com.br/saiba-como-usar-o-e-mail-marketing-na-comunicacao-interna-de-sua-empresa/

Sem título

Por que eu preciso ter um site?

Mesmo com esse constante avanço tecnológico atual, ainda há empresários que não veem vantagens em ter um site para o seu negócio.

Existe um ditado que diz: “ Sua empresa só existe se ela estiver na internet”. Vamos entender agora um pouco mais sobre quais as principais vantagens de ter o seu negócio divulgado na internet.

 

Motivo 1:  Facilidade para o cliente encontrar a sua empresa

Possivelmente você já teve alguma dúvida sobre algum produto ou serviço, ou até para pesquisar algum número de telefone comercial, e para sanar essa dúvida você fez uma pesquisa na internet, é nesse momento que o site da sua empresa entra em cena.

Além de credibilidade, um site é a principal forma para se estabelecer um bom relacionamento com o consumidor, pois lá é que está contido todo o DNA do seu negócio: serviços, produtos, missão, visão, valores, endereço, todas as informações que possam facilitar e reduzir o caminho entre a troca de valores, seja ele como forma de venda de um produto ou a prestação de um serviço.

Motivo 2: Menor custo na hora de encontrar possíveis clientes

Imagine que um site receba em média 5 visitas por dia em um prazo de 30 dias, no final desse período, você terá estabelecido contato com 150 clientes em um mês sem ter que gastar uma grande quantia em dinheiro para que a mesma quantidade de clientes visitassem sua loja física. Ter um site não quer dizer que a sua empresa não possa ter uma loja física, muito pelo contrário, as duas coisas se complementam. É muito comum hoje um cliente pesquisar sobre uma empresa na internet antes de estabelecer um contato mais próximo.

Motivo 3: Aumento das vendas em grande escala

Vamos pensar o seguinte, com o crescimento da internet, sua empresa não precisa e não deve se limitar a apenas o mercado local. Um exemplo são as lojas virtuais, que na maioria dos casos além de possuir lojas físicas, possuem também toda uma estrutura virtual para não se limitar a apenas o público local, podendo assim atender em todo o país. Além de um grande aumento no faturamento, há também um fortalecimento do nome da marca em uma grande escala.

 

Motivo 4: Integração com redes sociais

Você deve estar se perguntando, já tenho uma página no Facebook, preciso ter um site? Vamos entender o seguinte, redes sociais funcionam como uma vitrine. Imagine-se andando por uma rua e você acaba gostando de um determinado produto em uma vitrine, ao se interessar pelo produto você faz oque? Entra na loja para ver mais de perto, é ali onde ele entra em contato com a sua marca, seja sendo atendido por um vendedor ou vendo detalhes do produto. Na internet o processo é o mesmo, porém quem faz o papel de vitrine é a Rede Social, e quem faz o papel da loja é o site.

 

Motivo 5: Mensuração de dados e resultados

Na internet, recolher dados de possíveis comprados e pessoas que visitam o seu site é simples e muito mais barato que em uma loja física.

Vou te fazer a seguinte pergunta: Você possui o histórico detalhado dos últimos 100 clientes que visitaram ou tentaram fazer negócio com a sua empresa? Se sim, você provavelmente teve altos gastos em estrutura interna para alcançar esse mérito, não é mesmo?!

Agora, se a respostas for não, você pode estar perdendo uma grande oportunidade. Ter um histórico de seus clientes facilita fazer negócios com eles futuramente, além disso, você poderá mensurar dados como, localização, idade, interesses, definindo assim um perfil de público que irá facilitar e contribuir em possíveis campanhas de divulgação.

Fonte: Online Sites

Feed

A experiência do cliente é o coração do seu negócio

É preciso entender a natureza do seu empreendimento para oferecer uma jornada de compras fantástica para o seu consumidor.

De acordo com o relatório Digital Trends 2017, realizado pela Econsultancy em parceria com a Adobe, a experiência do consumidor é vista como o principal caminho para as empresas se diferenciarem em meio a concorrência do mercado. Por isso, entender que proporcionar uma jornada de compras fantástica é o coração do seu negócio, é o primeiro passo para um crescimento sustentável das vendas.

O estudo feito com 14 mil profissionais de marketing e e-commerce na Europa, América do Norte e Ásia-Pacífico, aponta ainda o CX ou Customer Experience como tendência global. Ou seja, é importante entender que o consumidor vive uma experiência desde o primeiro contato com o produto, passando pela compra, pelo pós venda e, finalmente, pela recompra.

Entender cada detalhe das etapas que envolvem a jornada do consumidor é o ponto-chave para estreitar sua relação e evitar a perda do cliente no “meio do caminho”. Para Marcello Bernabe, gerente de produto de Mercado Envios Brasil, “uma experiência de compras fantástica é ágil, pontual e faz o momento do unboxing uma entrega de valor da marca”.

A ideia é que, a partir do momento que o seu potencial cliente iniciar a busca por um determinado produto, ele viva uma experiência capaz de gerar envolvimento e inspirar uma emoção. Afinal, é se conectando com o público de forma sutil que uma marca passa a ser sempre lembrada pelo consumidor.

 

Quer aumentar suas Vendas?

Clique aqui e veja as dicas que preparamos para você!

 

Mas como oferecer uma experiência fantástica e próxima, sem nenhum contato físico com o cliente?

Sabemos que o ápice da compra é o momento da entrega. Em uma busca rápida pelo termo “saiu para entrega” no Twitter, por exemplo, podemos identificar a ansiedade e expectativa dos clientes em receber os produtos adquiridos pela Internet. Sendo assim, oferecer uma entrega rápida e adicionar valores de marca ao momento do unboxing é sinônimo de gerar boas recordações em um momento chave da jornada de compra, resultando em fidelização.

Algumas empresas enxergaram nesse ponto uma oportunidade e passaram a oferecer um serviço chamado fulfillment, um modelo de serviço que realiza a gestão do armazenamento, da embalagem e entrega de produtos de diversos vendedores a partir de um centro de distribuição (CD), incluindo também o serviço de pós-venda e atendimento ao cliente.

Para Leandro Bassoi, diretor do Mercado Envios, utilizar serviços como o fulfillment traz benefícios tanto para o empreendedor quanto para o consumidor. “Para o comprador, o produto chegará mais rápido e embalado dentro de um padrão de qualidade pré-estabelecido; para o vendedor, deixar que o Mercado Livre realize essas etapas significa ter mais tempo para se dedicar à estratégia do negócio e às vendas”, destaca.

Além de garantir gastos menores para os usuários da plataforma e tempo extra para planejar as vendas e as estratégias de marketing, a terceirização do fulfillment também permite que todo o processo seja efetuado com mais agilidade, ou seja, o produto chega mais rápido nas mãos do cliente, o que fideliza o público e desbanca a concorrência. Essa prática é ainda mais importante em épocas de alta demanda, como no Natal e no dia das Crianças.

 

Fonte: Mercado Livre

celular com instagram aberto

Use seu celular como uma ferramenta poderosa de vendas!

A forma como as pessoas se comunicam mudou bastante ao longo dos anos, especialmente graças à navegação móvel. Mais do que nunca, os consumidores utilizam as redes sociais e as ferramentas de chat para se comunicar com outras pessoas e até com empresas. Um bom exemplo disso é o WhatsApp, aplicativo praticamente indispensável em qualquer celular hoje em dia.

Desde de setembro de 2018, o WhatsApp já assume a liderança entre os aplicativos com mais usuários ativos no mundo, superando até as grandes redes sociais, como o Facebook e o Twitter. Se você pretende manter a qualidade do seu atendimento e elevar a taxa de conversão das suas campanhas, então essa ferramenta será indispensável.

Quer entender melhor como usar o WhatsApp para vender mais? Então acompanhe!

Conheça o WhatsApp Business

Em primeiro lugar, você deve cadastrar sua empresa no WhatsApp Business para ter acesso à maior parte das ferramentas que precisa. Este é um aplicativo separado do WhatsApp padrão, então você terá que baixá-lo primeiro. Com ele em seu aparelho, basta inserir as informações básicas do seu negócio, como o número de contato, site, e-mail, endereço e uma breve descrição do seu produto ou serviço.

Isso já é suficiente para que você tenha acesso às principais funcionalidades da ferramenta. Depois que você experimentar um pouco e aprender como usá-la de forma adequada, certamente irá notar um incremento considerável no total de vendas ao longo do mês. E para alcançar esse resultado, o melhor a fazer é começar o quanto antes.

Principais benefícios oferecidos pela ferramenta

O WhatsApp Business é um dos melhores meios de comunicação entre negócios e o público geral hoje em dia. Se você estiver bem posicionado nessa plataforma, todos os seus atendimentos serão mais ágeis e rentáveis.

Para esclarecer isso, veja aqui alguns exemplos os benefícios que essa ferramenta proporciona:

Baixo custo de comunicação

Uma das maiores fontes de despesas no processo de atendimento em qualquer negócio é justamente a necessidade de um meio de comunicação que esteja ativo a maior parte do tempo. Por muitos anos, as únicas opções foram o atendimento presencial e o telefônico, que ainda são bem utilizados hoje em dia.

Porém, manter uma grande equipe de atendentes via telefone, além de toda a estrutura necessária para responder aos seus clientes adequadamente, pode ser bem caro para sua empresa. O WhatsApp, por outro lado, é uma ferramenta bem mais barata e altamente escalável. Isso significa que, a medida que sua empresa cresce, ela pode aumentar a capacidade de atendimento sem aumentar muito seus custos.

Respostas rápidas a qualquer momento

Quando um cliente entra em contato com a empresa, ele espera ter um atendimento rápido, se não imediato. E quanto antes você puder entregar ao seu público a solução que ele busca, mais cedo poderá convertê-los em clientes e melhorar a reputação do seu negócio diante do mercado. Nesse ponto, o WhatsApp também é muito útil.

Sistemas de chat podem ser assinados com muito mais facilidade do que o atendimento telefônico. Quando alguém envia uma mensagem para o WhatsApp Business, um atendente pode responder a questão rapidamente, lidando até com múltiplos contatos simultaneamente, caso esteja bem capacitado para isso. Se você incluir alguma forma de automação de atendimento, o processo será ainda mais eficiente.

Fácil acesso para o público

Uma das principais dificuldades em promover o atendimento online em larga escala até alguns anos atrás é que boa parte do público não tinha acesso a estes meios de comunicação no dia a dia. Porém, hoje em dia, a navegação móvel é cada vez mais relevante, sendo o principal meio de acesso a redes sociais, incluindo o WhatsApp.

Em muitos casos, é mais fácil para o público geral utilizar a ferramenta de chat para se comunicar do que usar o telefone. Sendo assim, ter um canal disponível através do WhatsApp Business pode facilitar consideravelmente o acesso do público à sua marca.

3 dicas para utilizar melhor o WhatsApp Business

Agora que você entende melhor por que deve usar o WhatsApp em seus negócios, é hora de ver como aplicar esse conhecimento de forma mais eficaz. Veja aqui 3 dicas para utilizar esta ferramenta e obter melhores resultados:

Segmente contatos

Uma das melhores funcionalidades do WhatsApp Business é justamente a possibilidade de registrar uma ampla agenda de contatos e dividi-los em grupos de acordo com determinadas características. Quando você recebe um contato, pode marcar qualquer lead como um prospect, definir em qual estágio de compra ele está, entre outras coisas.

Com essa funcionalidade, você pode organizar melhor suas campanhas, ter uma visão mais consistente do seu público geral e, claro, escolher o momento certo para abordar qualquer cliente. Isso tudo traz uma grande vantagem competitiva para sua empresa.

Foque no engajamento antes da venda

Muitos empreendedores cometem o erro de tentar fechar a venda logo de cara. Infelizmente, essa não é uma atitude muito efetiva para conseguir boas conversões. Pelo contrário, isso pode espantar potenciais clientes antes que estejam preparados para fechar negócio, te custando mais algumas conversões.

Antes de pular para uma proposta de negócio, tende conversar com o cliente, tire suas dúvidas e estabeleça uma relação de confiança. O WhatsApp é um bom espaço para ter uma conversa próxima e nutrir esse relacionamento. Se você souber como aproveitar essa chance, será mais fácil converter e fidelizar o público.

Integre o WhatsApp com seu CRM

Por fim, mas não menos importante, você pode usar o WhatsApp Business junto com outras ferramentas de gestão para lidar melhor com seu público. O CRM é o melhor exemplo disso, pois ele inclui várias informações sobre seus clientes. Se ambos forem integrados, fica mais fácil agendar contatos, segmentar o público, escolher a melhor abordagem, entre outras coisas. E com os aprimoramentos em ambas as ferramentas, você pode ver novas possibilidades de uso surgirem com o tempo.

Agora que você entende um pouco mais sobre o WhatsApp Business e como usá-lo para vender mais, é hora de começar a colocar esse conhecimento em prática. E se quiser mais dicas, assine nossa newsletter e receba tudo em primeira mão.

Fonte: Echosis

conteudo

Como criar um bom conteúdo para seu negócio

Em tempos de SEO e Inbound Marketing, a questão de como criar conteúdo relevante para o seu negócio, deve ser uma preocupação constante, pois um erro nesta questão, pode colocar por água abaixo toda sua estratégia de marketing de conteúdo.

Para que estratégias de atração de tráfego e captura de Leads funcionem, precisamos ir muito além da simples questão de como criar conteúdo relevante para o seu site e abordarmos também o problema de como gerar o engajamento neste conteúdo.

Uma coisa é criar conteúdo, outra coisa completamente diferente é fazer com que este conteúdo gere Leads. Conteúdo sem retorno é somente isso mesmo, conteúdo grátis.

Defina sua persona de marketing

Para quem deseja saber como criar conteúdo relevante para seu site, blog ou rede social, o primeiro conselho é definir sua persona de marketing.

A Persona de Marketing é um personagem que você desenvolve durante a etapa de planejamento da sua estratégia de marketing digital, que representa o público que você deseja atingir.

Identifique quais são as necessidades e interesses do seu público-alvo para que você possa produzir um conteúdo que seja realmente atraente para estas pessoas. Quanto mais você conhece o seu público, mais eficiente serão suas campanhas e consequentemente sua conversão.

Coloque-se no lugar da sua audiência

A primeira coisa a ser pensada na hora de produzir conteúdo relevante para o seu site ou blog é se colocar na posição da sua audiência, ou seja, entender o momento do visitante do seu site e dirigir a sua mensagem diretamente a ele.

Quanto mais intimista e pessoal for a linguagem adotada, melhor, pois isso criará um ambiente mais acolhedor e psicologicamente, deixará o leitor mais receptivo a sua mensagem.

Coloque-se no mesmo patamar de conhecimento do leitor

Um erro muito comum, principalmente aqui no Brasil, é o autor se colocar em um pedestal e acabar criando um texto onde o “Deus do Conhecimento” discursa para a plebe ignara. Se você quiser afastar os leitores, este é o caminho certo.

Quando você se coloca em um patamar igual ao do seu interlocutor, você quebra uma barreira para a assimilação da mensagem que você pretende passar.

Não coloque o SEO acima de tudo

Um erro muito comum entre as equipes de conteúdo é colocar o processo de SEO – Search Engine Optimization, acima de qualquer outro objetivo. É claro que estar bem posicionado nas páginas de respostas dos buscadores é importante, mas, como dito anteriormente, o foco deve ser o visitante do seu site.

Uma discussão constante entre os profissionais de SEO é a questão da super otimização.

É claro que a otimização de sites é importante no contexto de uma estratégia de marketing digital, mas é importante ter em mente que sua audiência é igualmente importante.

Criação de conteúdo relevante para o seu site

Ofereça opções para aprofundamento no assunto

Outra prática interessante para produzir conteúdo relevante para o seu site ou blog é oferecer sempre opções para que o leitor aprofunde seus conhecimentos. Isso irá deixar a experiência do leitor completa.

Sempre que possível, ofereça links para outros sites de referência para que, caso o visitante queira, possa conhecer mais a fundo o assunto ou assuntos relacionados. Além de oferecer uma melhor experiência você também estará dando uma ajuda no seu processo de SEO.

Contextualize seu conteúdo

Outro segredo para quem deseja saber como produzir conteúdo relevante para o seu site e realmente impactar sua audiência é contextualizar o conteúdo no momento pelo que passa o público que você pretende impactar.

Traga para o seu site ou blog a discussão sobre um assunto que esteja “quente” para sua audiência. Busque identificar em sites de destaque na área, quais são as matérias que estão gerando mais discussão. Os melhores indicadores são comentários e compartilhamentos em redes sociais.

Traga algo de novo a discussão

Frequentemente nos deparamos com artigos que ao término da leitura constatamos que trata-se apenas de um pouco mais sobre a mesma coisa.

Se você quer produzir conteúdo relevante para o seu site, é preciso acrescentar algo mais, caso contrário, irá cair na mesmice. A essência do marketing de conteúdo é justamente informar e se destacar.

Faça uma pesquisa mais aprofundada sobre o assunto e levante novas questões, dê uma abordagem diferenciada ao tema, e se for o caso, levante alguma polêmica sobre o que já foi apresentado em outros lugares. Uma das funções do Inbound Marketing é promover a discussão.

Crie relacionamentos internos de conteúdo

Outro aspecto interessante de um conteúdo relevante é a complementação da informação. Muitas vezes é inviável colocar toda a informação em um único texto, pois isso o tornaria extenso e sabemos que muitas pessoas não tem paciência para ler. Mas existem pessoas que desejam se aprofundar mais na matéria. Como resolver isso?

A solução é simples, crie linkagens internas ou até mesmo externas para outros conteúdos que complementem a informação que você deseja passar. Isso além de deixar seu conteúdo mais completo, também irpá dar uma boa força no seu trabalho de SEO do site.

Agora que você já tem uma boa ideia sobre como criar conteúdo relevante para o seu negócio, o que acha de começar a desenhar uma estratégia de marketing de conteúdo para ele? A gente pode te ajduar, entre em contato para retirar dúvidas:

 

[sc name=”call-to-action-especialista”]
 

Fonte do artigo: Academia Mkt

 

20blog-20

15 dicas de marketing pessoal

Atualmente, com a competitividade cada vez mais acirrada no mercado de trabalho e no mundo corporativo, ter um diploma e uma boa atuação profissional já não são mais garantia de conseguir (e manter) aquela vaga dos sonhos.

É preciso, antes de mais nada, mostrar ao mundo suas qualidades e potencialidades. Tudo isso sem, contudo, parecer egocêntrico, arrogante ou prepotente. Parece difícil? Pois saiba que não é tão complicado assim!

Estamos falando aqui da construção de um bom marketing pessoal. Quer aprender o que é isso e ainda ficar por dentro de ótimas dicas para transformar teoria em prática? Então acompanhe o nosso post de hoje!

O que é marketing pessoal?

Quem nunca ouviu aquele velho ditado que diz que “quem não é visto não é lembrado”? Pois é exatamente essa uma das principais bases do marketing pessoal! Afinal, de que adianta ser um excelente profissional, dotado de capacidades e qualidades extremamente valorizadas pelo mundo corporativo, se absolutamente ninguém sabe disso?

Para que seja efetivamente reconhecido perante chefes, gestores e demais colaboradores em sua área de atuação, você não pode passar despercebido. Assim, quando bem aplicadas, as estratégias de marketing pessoal podem fazer milagres por você nesse quesito.

O marketing pessoal é a melhor maneira de promover imagem, conteúdo e trabalho, de maneira a se destacar não só na empresa em que atua como no mercado de trabalho em geral. No entanto, atenção: marketing pessoal não é, de maneira nenhuma, sinônimo de culto ao ego ou simples vaidade pessoal, ok?

Na verdade, é apenas uma maneira de destacar positivamente suas habilidades, entregando valor às pessoas e fazendo com que elas tenham uma excelente impressão a seu respeito.

Está bastante enganado quem pensa que saber fazer um bom marketing pessoal é uma qualidade que já nasce com determinadas pessoas. Muito pelo contrário! Essa habilidade pode ser aprendida, desenvolvida e aprimorada. Para isso, basta querer.

E então? Quer descobrir 15 dicas de marketing pessoal extremamente úteis e fáceis de colocar em prática? Então pule para o próximo tópico!

Como colocar o marketing pessoal em prática?

1. Aja com naturalidade

A primeira e mais valiosa dica é ser você mesmo e agir naturalmente, independentemente da situação. Tente não criar um personagem profissional que nada tenha a ver com você. Assim, se você é uma pessoa alegre e extrovertida, está tudo bem ser assim também no escritório.

No entanto, aqui vale fazer uma ressalva: isso não significa adotar gírias ao travar conversas formais, tampouco gargalhar aos brados dentro do ambiente de trabalho por ser essa a maneira como você interage com sua família e seus amigos, por exemplo.

Por mais que tudo flua melhor agindo naturalmente, lembre-se de que tudo tem um limite e que cada ambiente exige uma determinada postura.

2. Seja pontual

Se você quer fazer um bom marketing pessoal, nada de seguir o (mau) exemplo de profissionais que estão quase sempre atrasados ou em cima da hora para compromissos e prazos de entrega.

Você sabia, aliás, que há empresas que desclassificam candidatos antes mesmo de entrevistá-los, justamente porque eles chegaram atrasados ao local da entrevista?

Então aprenda desde já a gerenciar melhor o seu tempo e, de preferência, acostume-se a chegar sempre com 15 minutos de antecedência a todo e qualquer compromisso. Esse cuidado automaticamente passa uma imagem de pessoa comprometida e interessada.

3. Tenha um aperto de mão firme

Esse é um detalhe que faz toda a diferença. Nós, brasileiros, já estamos acostumados a nos aproximar com abraços e beijos no rosto. Mesmo assim, em uma situação profissional, esse cumprimento não é muito indicado.

Em vez disso, prefira apertar a mão das pessoas com firmeza. Essa atitude demonstra, ao mesmo tempo, seriedade e autoconfiança.

4. Olhe nos olhos das pessoas

Olhar nos olhos é uma forma de demonstrar, de maneira não-verbal, transparência e sinceridade. Por isso, é importante que você mantenha contato visual mesmo quando estiver falando de um assunto difícil.

Além disso, também é uma comprovação física de que você está interessado no que a outra pessoa tem a dizer. Então, quando estiver conversando, evite olhar para as mãos, para o chão ou para o que está ao redor.

5. Fique atento à sua postura corporal

Isso não é mito: a postura corporal transmite mensagens sobre você a todos que o rodeiam. Uma pessoa que se senta de maneira torta na cadeira, por exemplo, não impõe muito respeito. Alguém que está sempre curvado ou de braços cruzados parece isolado, sem vontade de se enturmar. Mãos nos bolsos são um sinal de falta de interesse ou tédio.

Em vez disso, procure manter a coluna ereta, olhar sempre para a frente e deixar os braços soltos ao lado do corpo. Essencialmente, sua postura deve transmitir uma imagem de atenção, interesse, autocontrole e abertura.

Existe uma forma simples de saber se está funcionando: observe se as pessoas tentam se aproximar espontaneamente de você, pois uma boa postura corporal atrai as pessoas à sua volta.

6. Adapte a vestimenta

Não há como negar: uma pessoa adequadamente vestida passa muita confiança e uma ótima imagem pessoal. Então, leve isso em consideração sempre que for escolher o vestuário para ocasiões profissionais.

A dica aqui é vestir-se de acordo com o cargo que almeja alcançar. Se quer ser gerente um dia, por exemplo, observe como quem ocupa esse cargo na sua empresa se veste e tente se aproximar do estilo, mas sem abrir mão do seu toque próprio — afinal, são as particularidades que o distinguem dos demais.

Além das roupas, essa dica também é válida para o corte de cabelo, para os acessórios e para a maquiagem das mulheres. Todo o seu visual é um cartão de visitas.

7. Tenha iniciativa

Investir em marketing pessoal significa, dentre outras coisas, destacar-se na multidão. Nada melhor nesse quesito do que demonstrar iniciativa. Assim, não espere que os outros digam o que deve ser feito. Tome a frente e vá atrás, preferencialmente buscando soluções para problemas que sequer ocorreram.

Proponha alternativas que facilitem o trabalho e exponha suas ideias para se mostrar uma pessoa indispensável. Demonstre que você tem um lado inovador. Se a sua ideia não for bem recebida logo no começo, tudo bem.

Entenda que, pelo simples fato de participar, você já está deixando uma marca e colaborando com o grupo. É uma situação bem melhor do que ser aquela pessoa que fica no canto, sem participar ou se manifestar. Aos poucos você construirá mais aceitação e conquistará o seu espaço!

8. Procure conhecer-se

Para que você possa entender melhor os outros, é necessário, antes de mais nada, que conheça a si mesmo. Então, pare por um minuto e pense tanto nos seus pontos fortes como nos fracos. Faça uma análise SWOT pessoal.

Saiba exatamente o que você tem de bom a oferecer e efetivamente ofereça. Ao mesmo tempo, aprenda sobre os aspectos que devem ser aprimorados e como administrá-los. No entanto, não entenda esse conselho como uma recomendação para acomodar-se em relação aos seus pontos fracos.

É importante reconhecer suas limitações exatamente para que seja possível tentar superá-las. Em outras palavras, em vez de alimentar pensamentos como “eu não entendo desse assunto, então vou ficar de fora”, busque um estado mental de “se eu não entendo desse assunto, então, vou aprender tudo o que puder”.

9. Saiba ouvir

Um dos maiores problemas do mundo corporativo atual e da sociedade como um todo está na nossa extrema dificuldade em saber escutar o que os outros têm a dizer. Já reparou como, normalmente, só estamos interessados em falar sobre nós mesmos, expondo nossas opiniões e ideias? Essa postura acaba já.

Reverta de vez esse quadro, aprendendo a ouvir! Colegas de trabalho, chefes e estagiários: todos têm algo a ensinar. Além do mais, mostrar-se um bom ouvinte faz com que as pessoas tenham apreço e admiração por você. Então aproveite a chance de aprender enquanto promove seu marketing pessoal!

10. Atualize seus conhecimentos

Na era do conhecimento, toneladas de novas informações, técnicas, teorias e metodologias sobre absolutamente todas as áreas do conhecimento são lançadas no mercado diariamente. Por isso, acomodar-se não é uma solução.

Esteja sempre na vanguarda do conhecimento em sua área de atuação, frequentando congressos, palestras e workshops, lendo publicações recentes ou matriculando-se em um curso de pós-graduação, MBA ou especialização.

Além de aumentar o seu conhecimento, fazendo de você um colaborador essencial à empresa, essas atitudes ampliam significativamente seu networking profissional, fazendo com que seu marketing pessoal ultrapasse as fronteiras do ambiente de trabalho.

11. Acompanhe as notícias

A nossa última dica nem vai exigir muito de você. De fato, acompanhar as notícias é algo que já faz parte da rotina das pessoas. Porém, é ainda mais importante se você deseja melhorar o seu marketing pessoal e causar uma boa impressão.

Afinal, você não vai querer ficar sem resposta quando, em um evento ou uma entrevista, alguém perguntar sua opinião sobre um evento da política, da economia ou do meio ambiente, certo?

Portanto, procure acompanhar as principais notícias diariamente. Você pode ler ou assistir jornais. Caso isso pareça inviável na sua agenda de compromissos, não tem problema. Muitos dos melhores meios de comunicação do mundo também divulgam seus conteúdos online. Ou seja, basta um toque no smartphone para manter-se atualizado com tudo o que acontece por aí.

O que não fazer?

Para encerrar, que tal descobrir algumas atitudes que você deve evitar, em favor de um bom marketing pessoal? Nós preparamos uma pequena lista. Confira!

12. Evite demonstrar arrogância

Existem muitas atitudes que demonstram arrogância. Uma das principais é o foco em si mesmo. Se tudo que você fala começa com “eu” — “eu acho”, “eu faço”, “eu prefiro” —, cuidado.

Você provavelmente está transmitindo uma imagem excessivamente autocentrada, o que não vai ajudá-lo a conquistar nenhuma simpatia (e nenhuma oportunidade profissional). Uma solução simples é transformar essas falas em um interesse genuíno pelo outro. Já falamos sobre a importância de ouvir, certo?

Além disso, você pode também perguntar: “o que você acha daquilo?”, “como você faz isso?”, “você prefere assim ou assado?”. Ao colocar o foco no outro, você melhora a sua imagem e, por tabela, ainda aprende muito.

13. Evite fazer piadas de tudo

Muitas pessoas com dificuldade para interagir socialmente recorrem ao humor para quebrar o gelo. Você ficaria surpreso em saber quantas pessoas “engraçadas” são, na verdade, extremamente tímidas.

O problema é que você corre o risco de fazer piada com algo que não deveria ser alvo de humor e pode até ofender alguém. Mesmo que a intenção não seja essa, impressões ruins são difíceis de reverter. Então, para preservar o seu marketing pessoal, uma boa regra é tentar não usar o seu lado comediante com pessoas que ainda não conhece muito bem.

14. Evite opiniões fortes

Quando você está expondo sua imagem profissional, não é interessante associá-la a opiniões fortes. Você pode perder excelentes oportunidades simplesmente porque se posicionou de uma maneira que vai contra o que a outra pessoa acredita.

Quer saber quais temas devem sair do seu vocabulário? Todos aqueles que possam gerar uma tensão mais forte. Opiniões divergentes são algo natural — entretanto, quando crenças e valores estão envolvidos, qualquer discordância se transforma em uma discussão.

Use o seu bom senso e desvie dessas situações, deixando suas opiniões fortes fora da conversa. Existem momentos e pessoas mais adequados para compartilhá-las.

15. Evite tentar demonstrar toda a sua elegância

Nas dicas positivas, já explicamos sobre a questão da vestimenta e do estilo. Esperamos que você já tenha entendido a importância de se vestir bem. Ao contrário do que os contos de fadas ensinam, o exterior também conta no mundo profissional.

No entanto, cuidado. A linha é muito fina entre o adequado e o exagerado. Por um lado, não é legal ir de bermudas e chinelos a uma entrevista. Por outro, aquele relógio rolex de ouro ou seu sapato de salto fino de 12cm pode também não ser ideal.

A dica é simples: lembre-se de que você está em uma situação de trabalho e não em um desfile — e, muito menos, uma competição — de moda. É claro que não existe uma regra única. Se você está em uma multinacional multimilionária, pode ser que essa vestimenta faça sentido.

O segredo é estar atento para não ultrapassar os limites, nem para mais, nem para menos.

Viu só como não é assim tão complicado? Coloque nossas dicas de marketing pessoal em prática o quanto antes para observar logo uma guinada no seu sucesso profissional! Se quiser outras ideias e recomendações para alavancar sua carreira, assine a nossa newsletter e acompanhe todos os conteúdos da Fundação Dom Cabral!

Fonte: Fund. Dom Cabral