INCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER

E receba por email novos conteúdos sobre Marketing Digital e Vendas

Gestão de conhecimento: de que forma aplicá-lo no seu pequeno negócio?

Qualquer companhia do mercado possui uma série de ativos, que fazem parte da sua rotina e integram o seu dia a dia. Entre eles, é possível mencionar os conhecimentos que se tornam resultados. Para isso, é fundamental ter gestão de conhecimento.

Não há como negar que toda empresa precisa ter profissionais que estejam capacitados para oferecer conhecimentos que agreguem valor ao negócio, o que é indispensável para que ele possa crescer e se tornar uma referência no mercado. 

Essa inteligência, na prática, é traduzida em conhecimentos. Isso quer dizer que cada ação tomada para que a empresa possa atuar deve ter embasamento e estratégia, ou seja, são eles que contribuem para que novas ideias sejam criadas e colocadas em prática. 

Um exemplo disso pode ser o de uma fabricante que decide investir em novos itens para o seu portfólio e começa a produzir tesoura hidraulica, justamente porque percebe essa carência no mercado. 

Mas, antes de tomar essa decisão, etapas foram acontecendo. Além de pesquisas dentro do setor, também é fundamental que os engenheiros que desenvolveram o modelo entendam melhor sobre a estrutura do produto. 

Com isso, surge uma novidade para a empresa, sendo assim, todo um conhecimento foi gerado, o que contribuiu para que ela pudesse atingir um novo patamar. A gestão de todas essas informações é essencial para o crescimento e manutenção da companhia. 

De fato, todos os conhecimentos que foram gerados em decorrência dessa novidade se tornam ativos da empresa. Isso pois eles podem também ser transformados e adaptados para que novas frentes surjam dali em diante. 

Não à toa, uma área que ganhou destaque e que merece o seu lugar dentro das estratégias da companhia é justamente a de gestão de conhecimentos, que precisa ser realizada para o bem da empresa como um todo. 

Aqui entra o papel dos gestores e administradores, além dos próprios empresários, que precisam saber como lidar com essa quantidade de dados. Se você deseja  entender melhor sobre o tema, prossiga na leitura deste conteúdo. 

O que é gestão de conhecimento?

Para que seja possível desenvolver um novo modelo de uniforme de limpeza masculino, a fábrica passa por um processo de pesquisa, no qual recolhe informações que podem ajudar na elaboração desse novo produto. 

Todo esse processo é uma realidade que tem movido empresas de diferentes segmentos a realizar uma ação fundamental: ver todo esse conhecimento adquirido para a realização das atividades como um ativo da empresa. 

Diante disso, é essencial que seja possível extrair esses dados gerados e acumulados ao longo dos anos, para que eles possam ser utilizados e transformados em estratégias dentro das organizações por um amplo período de tempo. 

A gestão de conhecimentos surgiu como um conceito já em 1990. Assim, ela passou a ser uma ferramenta que ajuda na criação de diferentes modelos de organização. 

Para isso, elas costumam contar com:

  • Processos;
  • Estruturas;
  • Sistemas gerenciais;
  • Posições de liderança.

Ao somar todos esses aspectos, a empresa consegue criar e gerenciar os seus ativos, que geralmente possuem em sua estrutura vários sistemas, como o de identificação, renovação, aplicação, criação e muitos outros. 

Diante disso, a empresa depende de tecnologias e metodologias que ajudem na criação, na coleta, no compartilhamento e na identificação de todos os conhecimentos que são produzidos na rotina da companhia. 

Sendo assim, uma empresa de vistoria para transferência de moto, por exemplo, possui toda a sua estrutura interna, que levou vários anos para ser montada e que hoje desfruta de uma série de conhecimentos que foram colhidos e aplicados no seu dia a dia. 

Toda essa quantidade de conhecimentos, que foram inseridos por diversos profissionais, é aquilo que se chama capital intelectual de uma empresa. Isso se dá pela soma de capital humano, de capital estrutural e de capital de clientes. 

Esse capital intelectual é encontrado nas empresas em um formato diferente do convencional, pois é visto no conhecimento que cada indivíduo traz para agregar maior valor a uma companhia. 

Como a gestão de conhecimentos pode ser aplicada?

Não é segredo para ninguém que para que uma empresa tenha sucesso na sua rotina, há um elemento indispensável: a administração. 

Diante disso, há cargos como os de gestores, coordenadores e administradores, que ordenam todos os processos internos e externos.

Nesse sentido, até mesmo os pequenos empreendedores possuem esse tipo de responsabilidade, uma vez que estão sempre à frente dos seus negócios. 

Por ser assim, é fundamental que eles apliquem a gestão de conhecimentos na empresa. 

Isso deve ser feito em algumas etapas, a identificação dos conhecimentos dos colaboradores, a transformação deles nas atividades da companhia e o levantamento de competências são pilares desse processo. Por isso, algumas ações são necessárias. 

1. Criar canais de discussão

Ter espaços nos quais os funcionários possam levar ideais, sugestões ou mesmo reclamações é importante para a gestão de conhecimentos. 

Isso ajuda no papel dos gestores de identificar problemas e facilidades no ambiente de trabalho. 

Para isso, há meios práticos: tal como uma loja de atacado passa por reuniões para decidir vender calcinhas avulsas, a melhor maneira de coletar esses dados é com encontros de equipe, com urnas para depósito de ideais ou um e-mail específico para essa finalidade. 

2. Mapear competências

Utilizar os conhecimentos dos colaboradores de forma útil é importante. Por isso, para que eles possam ser utilizados para o desenvolvimento da companhia, é fundamental estabelecer quais são as competências que estão presentes ali. 

Ao mapeá-las, elas se tornam efetivas e são melhor organizadas no dia a dia, ajudando nos processos e permitindo que os objetivos traçados sejam alcançados. 

3. Promover o compartilhamento de ideias

Pode ser que, dentro do estabelecimento de uma fabricante de velas, ainda não exista uma ampla variedade de modelos. 

Nesse caso, um funcionário pode ter a intuição de que um modelo de vela batismo decorada pode ser um produto de sucesso de vendas. 

 

Mas, para que essa informação chegue aos gestores, é preciso que exista espaço para esse compartilhamento de ideias e informações, ou seja, promover esse tipo de ação é indispensável para o crescimento da companhia como um todo. 

4. Tornar toda a equipe responsável pela organização

Em geral, a ideia de que apenas os líderes, proprietários ou gestores das diversas áreas de uma empresa são os únicos responsáveis pelo crescimento da companhia é vista nos mais diferentes estabelecimentos. 

Entretanto, para que seja possível implementar a gestão de conhecimento, isso deve ser deixado de lado, de forma que passar para toda a equipe o senso de que cada um deles é responsável pela organização é essencial. 

Isso faz com que novas ideias, como implementar um processo de bronzeamento artificial fita isolante dentro de uma clínica de estética, seja uma grande chance de impactar novos clientes, uma vez que o procedimento está em alta no mercado. 

5. Utilizar ferramentas

É verdade que a troca de ideias em conversas ou reuniões costuma ser sempre produtiva, gerando vários insights para a companhia. 

No entanto, todo o processo de gestão do conhecimento precisa ser registrado para se tornar mais efetivo. 

Nesses casos, uma dica que pode ser implementada para trazer bons retornos é a da utilização de ferramentas, como os sistemas de gestão chamados de ERP, que permitem a organização da rotina e dos ativos de conhecimento da equipe. 

Sendo assim, todos devem ter acesso ao sistema, de maneira que possam não apenas facilitar a condução da sua rotina de trabalho, como também possam acessar conteúdos que vão contribuir para o crescimento da empresa. 

Essas cinco maneiras de aplicar a gestão de conhecimentos em uma empresa tornam o processo muito mais eficaz e prático, o que é indispensável para o sucesso dessa administração de ativos de capital humano. 

Impactos positivos dessa gestão no ambiente administrativo

Não há como negar que quando uma empresa decide mudar suas características internas, ela pode obter muitas vantagens. É como uma clínica que insere micropigmentação sobrancelha masculina no seu catálogo de procedimentos: ela conseguirá mais clientes. 

Ao implementar a gestão de conhecimentos na companhia, há vários impactos positivos, que podem ser vistos em pouco tempo. 

Afinal, ela passa a ter a capacidade de identificar, renovar e aplicar resultados de modo mais efetivo. 

Isso só é possível pois toda a equipe, que vai desde os gestores, funcionários e proprietários, passam a ser responsáveis pela geração de informações e dados relevantes, que são capazes de ajudar na criação de melhores soluções para a companhia. 

A consequência disso é a produtividade otimizada, que gera produtos melhores, serviços mais eficientes e que permite atender às demandas do mercado de forma rápida e segura. 

Considerações finais 

Portanto, fazer a gestão de conhecimentos não é uma necessidade apenas das grandes empresas. Um pet shop que oferece banho e tosa pequeno e outros serviços também pode investir nessa área e administrar ainda mais o seu negócio. 

Portanto, independentemente do segmento em que se atue, é fundamental organizar e distribuir as informações obtidas no dia a dia, tornando essa gestão de conhecimentos um dos ativos mais valiosos da empresa. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Auris

Por: Auris Ideias Digitais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

INCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER

E receba por email novos conteúdos sobre Marketing Digital e Vendas

Comments are closed.

Últimos Artigos e Notícias

Shopping Basket

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência no nosso site.