Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Growth Hacking: saiba o que é e como aplicá-lo

Quem trabalha com gerenciamento de empresas já deve ter ouvido falar no Growth Hacking

O termo é usado para referir-se a uma estratégia que visa o crescimento dos negócios como um todo e, recentemente, vem sendo muito usado para as ações de marketing.

O artigo de hoje vai tratar mais sobre o que é o Growth Hacking e como aplicá-lo no seu negócio. Continue lendo!

O que é o Growth Hacking?

O termo Growth Hacking foi usado pela primeira vez por Sean Ellis, CEO da Growth Hackers, para tratar de uma estratégia de marketing voltada a experimentos. 

Ou seja, a intenção é encontrar oportunidades e desenvolver ações em prol do crescimento da empresa.

Por exemplo, ao propor a elaboração de um calendário com espaço para escrever como produto publicitário, a estratégia de Growth Hacking deve avaliar o impacto da iniciativa e como ela pode ajudar na ampliação das vendas.

No entanto, para conhecer a real influência da estratégia de marketing, as equipes devem realizar a identificação dos pontos críticos das campanhas, além de descobrir brechas e oportunidades, para a produção de uma ação inteligente e direcionada.

Sendo assim, um dos principais aspectos do Growth Hacking é o uso de KPIs (Key Performance Indicators, ou indicadores-chave de performance, em tradução), que mostram o desempenho de cada material de marketing, de acordo com os objetivos.

Dessa forma, se a intenção é aumentar o tráfego orgânico de um site, por exemplo, o Growth Hacking irá transformar o KPI em experimentos, para verificar qual campanha irá contribuir para melhorar o número de visitantes na sua página.

Mas qual a diferença do Growth Hacking para as demais estratégias de marketing?

Em primeiro lugar, nem toda campanha de marketing leva em consideração os KPIs. Por exemplo, um grande painel de publicidade já é uma ação tradicional de propaganda, de difícil mensuração e, por conta disso, dificilmente se baseia em um indicador.

No entanto, o grande diferencial está na possibilidade de elaborar ações rápidas, otimizadas e de baixo custo, através de métodos experimentais que validam as hipóteses.

Quer dizer que a proposta do Growth Hacking é descobrir as oportunidades para crescer, com o menor custo possível.

Para alcançar essa meta, a estratégia trabalha com os seguintes elementos:

  • Objetivo: o que se pretende conquistar com a campanha;
  • Hipótese: o que se espera alcançar, tendo um know-how prévio;
  • Experimentos: testes realizados para comprovar a hipótese;
  • Ferramentas: recursos tecnológicos que ajudam na mensuração e implementação.

Dessa maneira, em uma campanha para elaborar flyers odontologia, por exemplo, é possível conquistar ótimos resultados e contribuir para o crescimento do negócio.

O trabalho de um Growth Hacker

O Growth Hacker é um profissional de marketing que tem uma visão estratégica da organização, pois o objetivo não é apenas faturar, mas sim, buscar o crescimento das empresas do modo mais rápido e barato.

Por esse motivo, é importante ter um perfil criativo e explorador, justamente para encontrar inúmeras possibilidades para teste e formular hipóteses. Ao mesmo tempo, o Growth Hacker precisa ser analítico, para conseguir analisar os dados de forma precisa.

Sendo assim, o profissional deve ter conhecimento acerca de metodologia de processos, análise de dados e, é claro, o comportamento do consumidor. 

Esse último aspecto é fundamental para o desenvolvimento de campanhas assertivas, visto que as pessoas interessadas em produtos naturais para emagrecer rápido, por exemplo, têm um perfil bastante específico.

Importante ressaltar que qualquer profissional pode adotar a cultura do Growth Hacking. Afinal de contas, quanto mais os trabalhadores se empenharem em prol do crescimento dos negócios, melhor será o desempenho das campanhas.

Além do mais, a estratégia não precisa ficar restrita ao departamento de marketing. 

Outros setores podem usar a metodologia, como a própria área de vendas, que pode fazer testes da aceitação de rótulos em inglês em seus produtos, por exemplo.

Como aplicar o Growth Hacking nos seus negócios?

O Growth Hacking é um processo, não apenas uma iniciativa. Por esse motivo, é importante conhecer o método a fundo, pois sem as ferramentas corretas, o seu experimento pode não ter os resultados esperados.

A seguir, confira as 4 fases principais para a implementação do Growth Hacking.

1 – Product-Market Fit

O Product-Market Fit é a base do Growth Hacking, pois ele refere-se à criação de produtos, de acordo com as preferências do público-alvo.

Por exemplo, uma auto escola com carros adaptados pode oferecer um serviço diferenciado depois de ter feito uma pesquisa de mercado e visto quais são as reais necessidades de seus clientes.

A falta dessa etapa pode prejudicar o seu negócio, pois muitos produtos são lançados em mercados errados, ou sem levar em consideração os desejos do público.

Por conta disso, aqui o foco é compreender o comportamento do consumidor para então desenvolver produtos conforme a demanda.

2 – Growth Hacks

A segunda etapa consiste na aplicação do Growth Hacking propriamente dita. Aqui, é o momento em que o time vai formular hipóteses e começar a verificar quais iniciativas podem gerar resultados mais rápidos e baratos.

Para isso, é necessário analisar o produto e, com base nos conhecimentos prévios da instituição, encontrar as vulnerabilidades e oportunidades de crescimento.

Por exemplo, um médico domicílio pode verificar o que em seu atendimento pode ser melhorado, quais serviços ele pode realizar de uma nova maneira, como é a abordagem aos pacientes, entre outros aspectos.

3 – Escala e viralização

O objetivo do Growth Hacking é gastar o mínimo possível, por isso, o ideal é fazer com que os consumidores se tornem promotores do seu negócio – e possam receber algum benefício em troca dessa divulgação.

Esta pode ser a etapa mais difícil, pois é necessário criar um relacionamento saudável e duradouro com os clientes, além de oferecer algo vantajoso em troca, para que eles possam indicar o seu produto/serviço.

Por exemplo, os estúdios de música podem fazer um clube de parceiros, oferecendo descontos para os próximos ensaios, aos clientes que já são fiéis.

4 – Otimização e retenção

Nessa etapa, a intenção é melhorar a usabilidade do seu produto ou serviço para satisfazer os interesses dos usuários. Ou seja, é o momento de consolidar a base de clientes.Caso você consiga alcançar esse processo, o seu Growth Hacking está finalizado.

Por esse motivo, a análise dos indicadores e o feedback do público são fundamentais para concretizar as campanhas. Com essas informações, os gestores de marketing podem saber se suas ações contribuíram de fato para o crescimento da empresa.

Principais estratégias de Growth Hacking para a sua empresa

Agora que você já sabe quais são as etapas do Growth Hacking, chegou o momento de aplicar a estratégia na prática. 

Abaixo, conheça algumas campanhas que são capazes de contribuir com o crescimento rápido e barato das empresas.

1 – Marketing de referência

O marketing de referência tem a intenção de fidelizar os clientes e transformá-los em promotores da marca. É o famoso “boca a boca”, quando alguém indica um produto ou serviço, porque teve uma boa experiência com o seu negócio.

A dica é combinar estratégias de fidelização com programas de benefícios, como clubes de vantagens, descontos exclusivos e parcerias com clientes fiéis.

2 – Marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo é um velho conhecido do marketing digital, pois ele consiste na oferta de materiais informativos e relevantes, conforme os interesses do público-alvo, acompanhando o comportamento do consumidor digital.

Nesse sentido, é necessário que a empresa produza diferentes tipos de conteúdos e, desse modo, conquiste o reconhecimento e autoridade no mercado.

3 – Gatilhos mentais

Os gatilhos mentais podem ser aplicados em conjunto com o marketing de referência e o de conteúdo, pois eles têm a intenção de despertar emoções no público, fazendo com que a tomada de decisão de compra seja muito mais rápida.

Um exemplo é o princípio da escassez, quando uma empresa anuncia que aquele determinado produto irá acabar no estoque, portanto é a última oportunidade para o cliente realizar a compra.

Conclusão

O Growth Hacking é um dos métodos mais eficientes para a elaboração de campanhas estratégias em marketing digital. 

Diferentemente das iniciativas tradicionais, o grande destaque da estratégia é focar em um crescimento rápido da empresa, porém, com redução de custos. 

Dessa forma, é possível melhorar o reconhecimento da marca, bem como a lucratividade.

Para isso, o processo faz uso de diferentes ferramentas, mas também foca em propor testes com base em indicadores de performance.

O artigo de hoje buscou trazer algumas dicas de como aplicar o Growth Hacking no departamento de marketing. No entanto, vale dizer que a metodologia pode ser ampliada para diferentes setores da empresa, contribuindo, assim, para melhorar os negócios.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Auris

Por: Auris Ideias Digitais

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Últimos Artigos e Notícias

Shopping Basket