INCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER

E receba por email novos conteúdos sobre Marketing Digital e Vendas

Matriz Porter: Saiba como esta ferramenta pode ajudar um e-commerce!

Matriz de Porter é uma análise setorial que ajuda a entender a competitividade existente no mercado. Ela considera todos os participantes da companhia, de que maneira eles se relacionam e como influenciam no sucesso dos negócios.

Os gestores precisam entender a competitividade do mercado, pois isso permite definir as melhores estratégias de marketing. É fundamental entender esse cenário, seus atores e seu grau de influência.

A matriz de Porter trabalha nesse sentido, e foi criada em 1970, por Michael Porter e até hoje é aplicada e é estudada por diversos profissionais da área de administração e marketing.

Também é muito utilizada pelas empresas para fazer o planejamento das estratégias. O modelo ajuda a fazer uma análise setorial dos concorrentes e forças que se relacionam dentro do mercado em que a empresa atua.

Mas, a matriz de Porter não serve apenas para os negócios tradicionais, mas também para os digitais, como no caso das plataformas e-commerce, e ele tem muito a oferecer a esses negócios.

Neste artigo, vamos explicar o conceito de matriz de Porter e de que maneira essa prática pode auxiliar os e-commerces.

 

O que é matriz de Porter?

A matriz de Porter é um framework de análise de forças competitivas para dinamizar os negócios. Ela é composta por 5 forças, que são:

  • Ameaça de produtos e serviços substitutos;
  • Rivalidade entre os concorrentes;
  • Ameaça de novos entrantes;
  • Barganha dos fornecedores;
  • Barganha dos compradores.

De acordo com o autor da matriz, toda empresa precisa saber lidar com sua concorrência, afinal, todas estão disputando a atenção dos consumidores, desde universidades de cursos de comunicação até lojas de bairro.

Entretanto, o que mais vemos são companhias com visões limitadas sobre seus concorrentes, mas de acordo com o Porter, a concorrência não se manifesta apenas por meio dos concorrentes em si, mas também por meio de outros atores.

O nível de competitividade do setor é determinado por todas as forças presentes nele e que são capazes de impactar seu potencial de lucro e seu sucesso. 

Quanto mais fracos são esses pontos, mas a empresa tem chances de obter um bom desempenho.

As organizações também costumam se dedicar às análises do macroambiente, tais como forças sociais e econômicas. 

No entanto, Porter aponta ser também necessário analisar o setor em que a empresa compete, conhecido como microambiente.

São forças que podem impactar diretamente o negócio, e mesmo não sendo totalmente controláveis, podem ser influenciadas por ele. Quanto ao macro ambiente, ele está distante e é praticamente incontrolável.

As organizações precisam conhecer essas forças, pois elas podem embasar as estratégias de marketing. O e-commerce poderá mapear seu setor, identificar tendências e projetar cenários futuros para que possa se destacar.

 

Conhecendo as 5 forças de Porter

Tanto um negócio físico com balcão de venda quanto uma loja virtual precisam conhecer essa metodologia e suas 5 forças detalhadamente. É assim que saberão aplicá-las e aproveitar melhor seu segmento de mercado.

Quanto à rivalidade entre os concorrentes, ela oferece todo o respaldo necessário para que a plataforma e-commerce descubra quem são os seus verdadeiros concorrentes.

O site descobre com quantos rivais ele compete atualmente e de que maneira eles ofertam seus produtos e serviços, o que pode ser algo positivo ou negativo.

A ameaça de novos concorrentes ajuda o negócio a investir em estratégias para manter seus clientes. Isso porque quando um concorrente entra no mercado, pode mudar a posição do seu negócio e afetar os lucros.

Nesse sentido, uma loja online pode determinar novas estratégias para oferecer seus produtos, reduzir os preços, dentre outras possibilidades.

Para analisar os novos concorrentes é necessário considerar fatores que podem facilitar a penetração no mercado, como sua regulação e os custos de entrada.

Com essa matriz, um fabricante de placas personalizadas pode analisar, também, o poder de barganha dos fornecedores.

Aqueles que atuam em uma indústria em demanda e que possui uma concorrência mínima, podem cobrar mais por seus suprimentos, o que acaba afetando de maneira negativa os lucros da organização.

Para analisar essa fase, é importante pesquisar quantos fornecedores estão disponíveis, de modo a descobrir o quão caro seria optar por outro.

Também existe o poder de barganha dos clientes, que é o potencial dos consumidores em reduzir os preços dos produtos ou serviços. A plataforma pode descobrir se as pessoas podem encontrar preços mais competitivos, qualidade superior ou variedade.

Para analisar o poder de barganha dos clientes, é necessário averiguar a quantidade de compradores no mercado e quanto custaria para eles adquirir os produtos com outros fornecedores.

Por fim, o e-commerce também pode analisar a ameaça de produtos e serviços substitutos. 

A tecnologia evoluiu o tempo todo, por isso é cada vez mais fácil encontrar boas ferramentas de logísticas para ecommerce.

Da mesma forma, ela colabora com o surgimento de novos produtos e serviços que podem substituir aqueles que já estão no mercado.

Procure descobrir se os clientes podem encontrar uma alternativa melhor para aquilo que você vende no site, e se as suas soluções possuem qualidade o suficiente para que os consumidores continuem comprando.

 

Como a matriz de Porter auxilia o e-commerce?

Não é de hoje que as empresas sabem da importância de fazer pesquisas sobre a concorrência, tendo em vista que se trata de algo vital para um bom planejamento estratégico.

Estar sempre atualizado sobre as ações da concorrência ajuda a determinar os pontos fracos e fortes e trazem uma ideia do que pode ser evitado e das práticas que servem de inspiração.

Desde o momento de abertura de empresa simples, se o e-commerce sabe o que acontece ao seu redor, constrói um negócio dinâmico e que evolui para atender às necessidades do consumidor.

A matriz de Porter vai além e exige que o gestor observe aspectos peculiares de seu mercado, de maneira detalhada, para tornar suas decisões mais estratégicas.

Se ele compreender as oportunidades de lucro e ameaças ao negócio, saberá quais são seus pontos fortes e assim aproveitá-los melhor. Outra possibilidade é conhecer bem os pontos fracos, de modo a melhorá-los continuamente.

Um dos erros mais comuns é tentar entrar em um mercado que já está saturado por conta da alta demanda. A consequência disso é uma concorrência acirrada, que vai exigir muito mais investimentos em marketing.

A empresa também vai precisar trabalhar melhor suas estratégias de vendas e desenvolver melhor seus produtos para se destacar e reduzir os preços.

Por outro lado, o empreendedor pode escolher um caminho mais promissor e menos concorrido, como a locação de sala comercial por hora.

Por meio da matriz de Porter, o empreendedor avalia a demanda de seu mercado e se ele é realmente lucrativo para manter os negócios.

 

Como aplicar a matriz de Porter?

A matriz de Porter pode ser aplicada por meio de várias ações. Só para você entender um pouco sobre seu funcionamento, vamos falar sobre algumas delas.

Um dos procedimentos mais importantes são as pesquisas de mercado. Ao trabalhar com elas, o e-commerce compreende melhor sua participação no mercado, como o consumidor tende a se comportar, ações dos concorrentes, dentre outras informações.

Uma gráfica de impressão de banners deixa de lado hipóteses equivocadas e constrói cenários futuros mais bem embasados, o que facilita a criação de boas estratégias.

Outro ponto importante é fazer uma boa análise do plano de marketing, ou seja, na hora de planejar as estratégias, é necessário analisar as forças que atuam sobre o negócio e de que maneira ele pode se defender delas ou aproveitá-las.

O planejamento também exige um olhar mais apurado para compreender os pontos fortes e fracos da companhia, de modo a definir como ela pode lidar com as forças competitivas.

Por fim, é necessário definir uma estratégia competitiva, pois ela vai definir como o e-commerce vai se posicionar diante da competitividade em seu setor.

Além dessas práticas, também é muito importante definir uma posição em relação às forças, de modo a reduzir a vulnerabilidade do negócio.

No caso de uma gráfica de impressão flyer, por exemplo, ela pode fortalecer sua relação com os consumidores, diferenciar seus produtos em relação ao que é oferecido pela concorrência, estabelecer liderança tecnológica, entre outras possibilidades.

 

Considerações finais

Sendo assim, depois de conhecer as 5 forças de Porter, é muito importante analisar o próprio setor antes de criar estratégias.

De qualquer forma, essa metodologia vai além dos concorrentes e mostra claramente as forças que podem influenciar o desempenho do e-commerce.

Lembre-se de que a concorrência não é uma briga entre as empresas, mas, sim, um conjunto de forças que atuam diretamente sobre os negócios.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Auris

Por: Auris Ideias Digitais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

INCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER

E receba por email novos conteúdos sobre Marketing Digital e Vendas

Comments are closed.

Últimos Artigos e Notícias

Shopping Basket

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência no nosso site.