INCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER

E receba por email novos conteúdos sobre Marketing Digital e Vendas

Mensure o engajamento que a sua empresa possui! Veja como analisar os dados

Ninguém ignora o quanto as redes sociais se tornaram fundamentais nos últimos anos, até mais do que antigas estratégias de marketing digital. Nesse novo universo, um dado fundamental é o do engajamento.

De fato, já podemos falar em novas e “antigas” estratégias de marketing digital, de tanto que a internet evolui e avança em poucos anos. Um exemplo claro é o dos marketplaces e plataformas de venda, que foram uma das primeiras criações digitais.

Ainda antes dos anos 2000 já havia sites assim nos Estados Unidos, que permitiam a qualquer empresa anunciar algo como totens personalizados. Claro que essas soluções ainda existem e têm sua razão de ser, trazendo ótimos resultados.

Aqui, não se trata de colocar um recurso em detrimento do outro, mas apenas de esclarecer as especificidades de cada um deles. Como no caso das redes sociais, que demoraram um pouco mais para surgir e evoluir digitalmente, mas trouxeram várias novidades.

Algumas delas são realmente disruptivas, como o fato de que, em um marketplace, você simplesmente cria um anúncio de um produto ou serviço, mas não necessariamente consegue criar uma conexão com o público, ficando mais como um catálogo.

Já as redes ou mídias sociais unicamente permitem que cada marca assuma algo como uma personalidade, assumindo uma máscara no sentido positivo do termo, o que, por sua vez, permite uma comunicação mais assertiva e humanizada.

Tanto que hoje as maiores marcas do mundo lutam justamente para criar essa ponte com o seu público, em vez de ficarem em uma torre de marfim, inacessíveis. Com isso, ao vender software de gestão comercial, ela se torna mais próxima da clientela.

Sendo que se antes apenas as grandes marcas e empresas podiam assumir campanhas assim tão ousadas, hoje qualquer um pode recorrer a isso criando um perfil nas redes sociais disponíveis, desde que saiba como agir a partir dos primeiros passos.

Daí a importância de explicar melhor como mensurar o engajamento que sua companhia possui nessas mesmas redes, pois ele é que vai medir o impacto real que você está causando, em vez de deixar seu esforço se perder em métricas ilusórias.

Para isso, além de trazer exemplos concretos que realmente ajudam um empresário ou gestor a assimilar o assunto, também vamos explicar as vantagens e benefícios implicados nesse esforço, bem como o que esperar no curto, médio e longo prazo.

Inclusive, um ponto muito interessante é o fato de que hoje as mídias sociais realmente evoluíram tanto que já podem ajudar qualquer modelo de negócios, tanto na área de serviços nichados como controle de acesso, até venda no varejo ou no atacado.

De tal maneira que, se o seu interesse mais urgente é compreender melhor como as métricas de engajamento podem ajudar seu negócio a crescer, conseguindo a fidelidade do público e conversões reais, basta seguir adiante até a última linha deste artigo.

 

Engajamento: entenda o conceito

 

Desde a época dos blogs que a ideia de poder interagir com um conteúdo vem dominando a esfera digital, já que antes deles, os sites eram estáticos e não permitiam interação. Era a época da Internet 1.0, na qual o único modo de interação eram os e-mails.

Depois vieram os blogs e as salas de bate-papo, até que as redes sociais juntaram tudo isso de modo perfeito em termos de acessibilidade, usabilidade e experiência geral.

Hoje, milhões de pessoas pelo mundo todo simplesmente não se imaginam sem ao menos uma rede social. Ao mesmo tempo, as empresas também descobriram ali um oceano de oportunidades, já que onde há audiência sempre é possível fazer anúncios.

Mas é nesse cenário todo que surge a questão do engajamento real, tanto que mais recentemente surgiu o termo técnico da métrica de vaidade.

Ou seja, aquela métrica que pode até ser positiva em um primeiro momento, mas que no fundo apenas infla a estratégia, sem trazer resultados práticos mais sólidos e sustentáveis.

Por exemplo, a famosa história de ter muitas curtidas. Na verdade, é possível ter muitas curtidas sem conseguir jamais realizar uma venda efetiva.

Já uma postagem sobre consultoria administrativa e financeira, que tem alguns comentários pertinentes ao que foi dito ali, encontra-se em posição muito melhor. Outras métricas podem incluir taxa de compartilhamento, de salvamento, e daí em diante.

Tudo isso tende a ser bem mais substancial do que apenas curtidas, já que um vídeo fofo de um bebê que viraliza pode ter milhões de curtidas, mas nem por isso o vídeo vai ajudar a vender algum produto de loja de bebês.

Na prática, os estágios que uma pessoa precisa correr são os seguintes:

 

  • Ser leitor do perfil;
  • Virar seguidor;
  • Tornar-se um lead;
  • Ser qualificado;
  • Fazer contato comercial;
  • Comprar efetivamente;
  • Fidelizar-se.

 

Ou seja, há uma boa distância entre simplesmente gostar de algo engraçado que foi postado e, correndo as etapas tradicionais do funil de vendas, chegar a se tornar um consumidor satisfeito.

Lembrando que, hoje em dia, essa satisfação é ainda um primeiro passo do pós-venda. Se uma gráfica vende folders empresariais, depois de ficar satisfeita com o seu primeiro pedido, o cliente precisa ser fidelizado, dispondo-se a comprar mais e indicar a marca.

Essas etapas subsequentes são aquilo que se convencionou chamar de “evangelização”. Ou seja, seus clientes não ficam no ostracismo do banco de leads, parados, mas passam a ser algo como um embaixador da sua marca.

É justamente isso o que podemos chamar de engajamento real. Portanto, o engajamento está ligado à curtidas, comentários e compartilhamentos em relação às postagens, mas também em relação à realidade mais abrangente da marca.

Neste sentido, é preciso transpor o engajamento digital para um engajamento real, que muda a vida do cliente, gerando uma experiência memorável e replicável.

Só assim é possível falar em crescimento sólido e sustentável, que são dois valores fundamentais para qualquer empresa.

Assim, você não vende bem apenas em uma temporada, nem dá sorte de maneira sazonal, mas cria algo que pode ser repetido quando você quiser.

Fazendo a análise desses dados

 

Quanto mais a empresa quiser qualificar sua ação nas redes sociais, mais profissional vai precisar ser o seu esforço. Ou seja, não basta ficar mensurando curtidas e comentários apenas pelo rodapé das postagens, mas contar com um analytics.

Termo em inglês para “analítico”, o que esses programas, softwares, aplicativos ou simples extensões permitem é justamente ter um levantamento mais preciso e profissional das ações de uma marca nas redes sociais, sendo que a maioria é gratuita.

Ou seja, basta que uma empresa de avaliações patrimoniais crie uma conta comercial para ter acesso a dados como:

 

  • Taxas de cliques;
  • Taxas de rejeição;
  • Tráfego social;
  • Crescimento por período;
  • Conversões;
  • Retorno de CTA.

 

Enfim, há vários indicadores que ajudam a montar o quadro geral do engajamento. Algumas ferramentas já permitem montar até mesmo um cenário do sentimento que sua marca causa.

Afinal, as pessoas podem interagir com emojis e botões que indicam sentimentos e sensações. Com isso, a precisão e assertividade da métrica de engajamento crescem e muito.

 

Dica de ouro para a análise

 

Uma regra de ouro que não pode faltar em nenhuma análise da métrica de engajamento nas redes sociais é a de aplicar a mesma fórmula desde o começo.

Como existem vários números em jogo, e os indicadores também são muitos, inclusive no sentido de se multiplicarem conforme surgem novidades, é preciso ter uma fórmula fixa.

Assim, se a empresa lida com escritório compartilhado coworking, ela pode dividir o número de interações com o número de alcance.

Ou seja, somar todas as interações, desde comentários e curtidas até cliques em CTA, e dividir pelo alcance. Se as interações ficaram em 200 e o alcance foi de 2000 usuários, o impacto geral do engajamento é de 10%.

Esse número é bastante positivo, de modo que seria um bom momento para postar, junto com os conteúdos de qualidade, alguma campanha comercial, tornando as vendas bem mais promissoras.

 

Tenha metas muito claras

 

Por fim, além de ter contas profissionais, ficar de olho constantemente e aplicar fórmulas imbatíveis, outra dica incrível para mensurar o engajamento com assertividade é ter metas muito claras.

Por exemplo, faz toda diferença uma imobiliária de sala comercial para alugar fazer uma ação para captar leads ou para vender mais.

Em um caso, suas publicações precisam oferecer algo em troca e pedir os dados de contatos dos seus seguidores. No outro caso, é preciso ir direto à venda, como por meio de uma promoção arrasadora que o cliente não quer perder.

Nos dois casos, seu engajamento pode crescer muito e junto aumentar os resultados mais práticos e imediatos, mas para isso, é essencial que haja clareza quanto às metas e objetivos, tanto de curto quanto de médio e longo prazo.

 

Conclusão

 

Muitas marcas ainda se deixam levar por métricas de vaidade, perdendo o horizonte do engajamento real, o único que traz resultados efetivos.

Com as dicas que demos acima, vai ficar bem mais fácil aprender a mensurar o engajamento que sua empresa possui de fato, de modo seguro e promissor.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Auris

Por: Auris Ideias Digitais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

INCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER

E receba por email novos conteúdos sobre Marketing Digital e Vendas

Comments are closed.

Últimos Artigos e Notícias

Shopping Basket

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência no nosso site.