Quando falamos de redes sociais, a primeira coisa que vem em sua cabeça é número de seguidores, certo? Vejo muita gente se gabar por ter milhares de seguidores! Legal, mas será que isso é de fato uma métrica relevante? As métricas da vaidade são um problema para quem decide investir em marketing digital nas mídias sociais.

Empresas e profissionais liberais em vez de qualificar o que realmente tem importância em uma rede social ou blog, se preocupam em quantificar números que não expressam se uma estratégia deu certo, se houve conversão.

Uma vez recebi uma cliente aqui na agência questionando o porquê de não conseguir converter em vendas as promoções que postava no seu perfil: “eu não entendo, tenho 16 mil seguidores é só minhas amigas compram de mim”, comentou a cliente que estufou o peito para se referir ao número de seguidores em seu perfil.

Fazendo uma rápida análise, observamos que as interações em suas postagens não passavam de 1%, onde muitos likes e comentários eram de público masculino que com certeza não estavam interessados em comprar um vestido tubinho para uma baladinha sábado à noite.

Esse é um típico exemplo de métricas da vaidade. Quando apresentadas para um público não técnico, podem até parecer grandes coisas, mas quando submetidas a um julgamento crítico e profissional, se desmancham como um castelo de areias.

Então o que são as métricas da vaidade?

Definimos as métricas da vaidade, sejam elas em um site ou em redes sociais, como indicadores que medem quantidade e não qualidade.

Um perfil com 200.000 seguidores no Twitter pode ser um número espetacular, não acham? Bem, se você fizer uma análise minuciosa e descobrir que 1,5% dos seguidores deste perfil são realmente ativos, acredito que irá mudar de ideia.

Uma análise técnica deste perfil, chegamos à conclusão que esses números são pura ilusão e tomar decisões em dados que não correspondem o que realmente é preciso analisar, é o caminho para o fracasso, seja o ramo de atuação que for.

Números simples e rápidos de se obter, geram uma miopia que tornam essa “qualificação” equivocada que prejudica qualquer estratégia digital. O que importa é estabelecer métricas que realmente medem o valor e não a sua popularidade.

Alguns exemplos clássicos de métricas da vaidade

1 – Likes e coraçõezinhos no Instagram & cia

É muito comum comentários do tipo, meu perfil vai muito bem! Conseguimos X likes essa semana! Legal, mas e daí? O que você ganha de fato com isso? Ah já sei! Faz bem para o ego rs.

Posso ter dado um like porque gostei do título, ou da imagem com um gif de um cachorrinho fofinho que você colocou junto ou de uma foto sua fazendo pose na academia.

Considero Likes ou curtidas com a mais maldita das métricas que pode existir em uma postagem sem objetivo bem definido. Tive uma namorada que quando postava uma foto sua, ficava contabilizando o número de curtidas que havia recebido. Se o número era baixo, ela entrava quase em depressão, uma lágrima podia escorrer de seus olhos. Mas quando atingia uma marca satisfatória, ela ia radiante trabalhar, se sentia uma verdadeira super-star.

2 – Cliques

Outra métrica que geralmente soa como importante mas que pode se tornar mera vaidade.

A quantidade de cliques em uma postagem pode ser interessante para você saber quantas pessoas está levando para um site ou blog, ou estão clicando em um anúncio. Se não tiver uma estratégia bem definida, um objetivo, de nada adianta os cliques.

O post possui muitos cliques mas a taxa de conversão é baixíssima, o tempo de permanência no site é ínfimo, é preciso avaliar se a página de direcionamento condiz com a postagem e se sacia a expectativa da chamada.

3 – Compartilhamentos

Muitas pessoas compartilham a sua postagem, isso pode significar que algo deu certo!

Mas a quantidade de compartilhamento de uma postagem pode não dizer necessariamente que a sua estratégia deu certo. Por exemplo o compartilhamento de uma postagem de humor ou algo que não tenha nenhum objetivo por trás.

Compartilhamentos de seus conteúdos geram tráfego para o seu site. Mas quando esse tráfego já está bem definido, o que realmente importa é colocar esse usuário dentro de um funil de vendas, entregando conteúdo que realmente desperte o seu interesse em prosseguir em uma jornada de compra. Ai sim podemos medir a efetividade de postagens em uma rede social.

Existem muitas outras métricas como taxa de rejeição, downloads de seu aplicativo, seguidores, número de páginas visitadas, que se não tiverem objetivos bem definidos, não servem para nada.

Como fugir das métricas da vaidade

A primeira coisa a fazer é ser humilde o suficiente para entender o seu real tamanho e influência no mercado que atua. É preciso ser frio e analítico e definir quais métricas realmente são importantes para a sua estratégia.

Não é pelo número de seguidores que você tem no Twitter ou no Linkedin que vai determinar que você seja uma referência na área que atua. O número de seguidores não é uma métrica que necessariamente o define como um influenciador.

Não é pelo fato de você ter mais de 30 mil pessoas seguindo o seu perfil no Twitter ou Instagram, que você realmente seja uma referência na área em que atua. Passar o dia inteiro em busca de fãs ao invés de produzir conteúdo de qualidade, que gerem engajamentos, só vai trazer resultado para uma coisa: o seu ego.

Se você já conhece a Auris Ideias Digitais, você já sabe que a gente ajuda empresas a implementar vendas pela Internet. Então se esse for o seu caso e você precisa de uma ajuda para vender mais, é muito provável que podemos ajudá-lo. Logo abaixo clique em fale comum especialista e a gente vai poder entrar em contato com você e entender um pouco mais da sua empresa para ver se realmente a gente pode ser uma ajuda para o seu negócio.

Autor: André Cardia