INCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER

E receba por email novos conteúdos sobre Marketing Digital e Vendas

O que são hotsites?

Cada vez mais a internet se mostra absolutamente indispensável para uma empresa que decidiu marcar presença e melhorar seus resultados, um exemplo disso são os hotsites, páginas dedicadas exclusivamente à venda em grande volume.

De fato, já nem falamos sobre a necessidade de estar no mundo online, mas sim sobre alguns acréscimos que são indispensáveis mesmo para ele. Por exemplo, foi-se o tempo em que bastava ter um website institucional no ar.

Portanto, você pode ter um site oficial para uma empresa de terceirização de serviços, mas ele não pode se reduzir a algo como um panfleto digital, ou um portfólio que a pessoa acessa de modo estático e meramente expositivo.

Pelo contrário, quanto mais dinâmica a sua plataforma digital for, oferecendo também um blog, aplicativos, perfis nas redes sociais e daí em diante, melhor será a relação com o seu público, bem como seus resultados gerais e até seu lucro.

Sem falar nos motores de busca como Google, Bing e Yahoo, que são os mais utilizados e mais famosos do Brasil. 

Ou mesmo dos marketplaces e plataformas comerciais, que também podem trazer muito resultado para qualquer empresa. 

É diante dessa quantidade enorme de frentes possíveis e de estratégias inovadoras que surge a ideia de criar “páginas de vendas”. 

Sendo assim, algo como um site que se resume a apenas o essencial para promover determinado produto ou serviço.

Dentro dessa proposta existem as landing pages, que são páginas de destino ou de aterrissagem, nas quais o cliente em potencial cai como se fosse uma isca, fazendo uma espécie de imersão dentro daquela solução oferecida.

Portanto, se o produto são painéis fotográficos, a página não conta com menus, rodapé e demais dispersões, mas sim vai direto ao ponto, explorando apenas a promoção de modo bem mais enxuto, eficiente e assertivo.

Vale a pena explicar isso, pois no caso dos hotsites temos exatamente o mesmo cenário, com base em uma estratégia e um tipo de layout e de comunicação que é idêntico. Só o que muda entre as duas modalidades é um detalhe técnico.

Na verdade alguns detalhes, sendo o principal deles o do período em que a página fica no ar, pois a landing page é feita de maneira despreocupada em relação a isso, podendo ficar por um tempo curto ou indeterminado.

Geralmente, infoprodutos como um curso online sobre compliance empresariais fica uma semana no ar, com o carrinho aberto. 

Depois ele fecha, encerra as vendas e a landing page sai do ar, ficando pausada e indisponível para o público.

Depois, quando for fazer outro lançamento, é só colocá-la no ar novamente. Já o hotsite não tem essa disponibilidade toda, sendo feito sempre com vistas a uma ação específica, que aliás pode nem ser uma venda propriamente dita.

Por exemplo, você pode usar um hotsite para captar leads, fazer enquetes e daí em diante. 

Essa maior agilidade dele está sugerida no próprio nome, já que um “site quente”, quer dizer exatamente isso, algo intenso como um relâmpago.

Também reside nisso um dos motivos mais fortes pelos quais deliberamos sobre criar este conteúdo, explicando melhor o que são os hotsites. O que também implica explicar a importância deles e como implementar.

Inclusive, um aspecto bacana é que hoje em dia esse recurso evoluiu tanto que já pode ser aplicado em qualquer segmento de mercado, desde a loja de bairro que faz manutenção de notebooks até grandes empresas de vendas no varejo.

Desse modo, se o seu interesse é mergulhar de cabeça em uma estratégia relativamente simples que pode revolucionar seu negócio, gerando mais leads e trazendo mais tráfego e mais vendas, então basta seguir em frente até o fim.

 

De onde eles vieram?

Esse é um daqueles casos em que a contextualização pode fazer toda diferença, pois falar de onde o hotsite veio já é um bom começo para explicar melhor o que exatamente ele é e como aplicá-lo com eficiência e assertividade.

Vale lembrar também que na fase da Internet 1.0 não havia muito mais do que sites estáticos, que servem justamente como um panfleto ou cartão de visitas online. Isso foi por volta dos idos de 1990.

Com a virada dos anos 2000 os grandes motores de busca começaram a se disseminar muito mais e até a evoluir, o que fez com que blogs e afins fizessem mais sucesso. Naturalmente, isso já permitia uma interatividade bem maior. Era a internet 2.0.

A 3.0 se dá com o surgimento das redes sociais, que permitem uma interação dinâmica em tempo real, como vemos nas lives e demais transmissões ao vivo. Também é quando as páginas de venda começam a se disseminar.

Isso ocorre justamente porque com as mídias sociais as vendas online passaram por uma revolução, que é a da fórmula de lançamento, como quando uma empresa de fachada de loja moderna faz vários eventos até anunciar sua promoção encantadora.

Por fim, hoje vivemos a era da Internet 4.0, que traz inovações como a da Conexão 5G, da Computação na Nuvem e tantas outras evoluções disruptivas.

O que precisa ficar claro sobre os hotsites é que eles surgiram em um contexto de crescimento da interatividade entre o público e as marcas.

Tanto que, se você prestar atenção, essas páginas de venda não são feitas para apresentar a marca ou convencer o público de que ela é boa. 

No fundo, elas são feitas para pessoas que já interagiram bastante e já conhecem a proposta, agora só querem saber de alguma novidade promocional que será anunciada de modo temporário, o que faz toda diferença.

 

O que são os hotsites?

Até aqui já vimos várias características dos hotsites, mas há algumas que ainda precisam ser bem esclarecidas, sobretudo em termos do conceito por trás.

Por exemplo, o fato de que alguns chamam essas páginas de mini-sites, o que também diz muito sobre isso. 

Temos aqui uma outra diferença fundamental em relação às landing pages, que tem literalmente uma página apenas.

Ao passo que os hotsites podem chegar a ter mais de uma página, embora não muitas, pelo que precisam continuar sendo apenas um mini-site, como algo reduzido e otimizado.

Outro fator essencial e conceitual é a relação que eles costumam ter com eventos e acontecimentos atrelados a datas festivas e previstas.

Há eventos de importância nacional ou mesmo mundial, como as Olimpíadas, que até uma imobiliária de escritórios compartilhados pode compartilhar, criando estratégias de hotsites para vender mais nesse período.

Eles também servem para demonstrar claramente porque os hotsites têm uma natureza tão esporádica e temporal, em vez de contarem com campanhas que poderiam se estender no tempo de maneira indeterminada.

Também assim, há datas festivas de vários tipos que podem servir como mote para campanhas bem promissoras. As mais comuns são as civis, tais como:

 

  • Natal;
  • Ano-novo;
  • Carnaval;
  • Dia das Crianças;
  • Dia dos Pais;
  • Dia das Mães.

 

Enfim, são várias e também podem ser absorvidas por qualquer empresa, por serem universais. 

Ao mesmo tempo, há datas específicas e mais nichadas, como uma papelaria que pode aproveitar o dia do professor, ou a volta às aulas.

 

Por que valem a pena

Um dos principais fatores pelos quais o hotsite vale tanto a pena é que eles focam todas as energias em algo específico, e isso aumenta incrivelmente a assertividade.

Trata-se de falar em conversões de um modo que a Internet 1.0 e a 2.0 nunca tinham visto, seja para captar leads, fazer pesquisas e enquetes perante o público, disponibilizar downloads ou mesmo fazer vendas no sentido clássico do termo.

Isso também significa falar no funil de vendas, que é uma frente fundamental para qualquer esforço de marketing digital. 

Com ele, uma empresa de balcão de venda pode dividir os estágios pelos quais cada cliente passa a chegar a comprar.

A ideia é justamente racionalizar o processo para torná-lo cada vez mais eficiente, coisa em que os hotsites podem ajudar incrivelmente. 

Eles valem tanto a pena hoje em dia porque se comunicam fortemente com todo o contexto do marketing digital.

 

Dando os passos iniciais

Por fim, podemos dar algumas diretrizes básicas para quem já quer começar a construir seu hotsite por dentro das boas práticas da área.

A primeira de todas é fazer um planejamento de marketing completo, assim uma empresa de quadro de gestão define melhor qual é seu objetivo principal.

Depois, é preciso ter em mente que a página precisa ser otimizada, assim você ganhará destaque nos motores de busca e terá um tráfego bem maior.

Os CTA e gatilhos mentais também são indispensáveis, pois com eles os visitantes fazem mais rápido o que você precisa que eles façam dentro do seu hotsite.

 

Considerações finais

Sendo assim, hoje em dia não é possível falar de marketing digital sem citar as páginas de vendas, que podem girar em torno de diversas estratégias distintas.

Com os conselhos práticos e os conceitos dados acima, ficará bem mais fácil entender o que são os hotsites e como aplicá-los seguindo as boas práticas da área.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Auris

Por: Auris Ideias Digitais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

INCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER

E receba por email novos conteúdos sobre Marketing Digital e Vendas

Comments are closed.

Últimos Artigos e Notícias

Shopping Basket

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência no nosso site.