amazon - blog

Amazon Business lança relatório 2021 de e-commerce B2B

A Amazon Business lançou na segunda-feira (14) o primeiro Relatório de Evolução do Comércio Eletrônico entre Empresas (B2B) de 2021, que compartilha tendências B2B e novos insights de profissionais de compras dos EUA em setores e organizações.

Para o relatório, que examina a rápida transformação que a aquisição eletrônica de B2B sofreu nos últimos anos, a Amazon Business pesquisou 250 compradores e 250 vendedores de B2B que ocupam funções influentes de compras em setores governamentais, educacionais, de saúde e comerciais nos Estados Unidos.

logotipo da Amazon
56% das pequenas e médias empresas digitalizaram seus processos de compra devido ao Covid-19, informa o relatório da Amazon Business.

De acordo com os resultados, 85% dos compradores de negócios disseram que, como resultado da pandemia, suas organizações foram impulsionadas a mover mais suas compras on-line, e 96% disseram que preveem que suas organizações continuarão fazendo mais compras online, mesmo após a pré- retomada das funções de negócios da pandemia. 91% dos compradores disseram preferir a aquisição eletrônica aos métodos de compra tradicionais e offline.

Organizações comerciais menores foram especialmente motivadas a acelerarem seus esforços de transformação digital no ano passado. 56% das pequenas e médias empresas disseram que digitalizaram mais completamente seus processos de compra devido ao Covid-19, em comparação com apenas 42% das empresas comerciais.

“Nosso relatório 2021 B2B E-commerce em Evolução enfatiza o fato que simplesmente alavancar a aquisição eletrônica não é mais suficiente”, disse Todd Heimes, diretor da Amazon Business. “Em última análise, acreditamos que as organizações têm uma oportunidade significativa de maximizar as tecnologias de aquisição eletrônica que as ajudarão a superar os desafios operacionais que reduzem a eficiência e o desperdício de orçamento”.

Fonte: e-comerce Brasil 

Captura de tela 2021-04-30 232155

Com e-commerce aquecido, Amazon registra maior lucro dos últimos 3 anos

AAmazon divulgou, na última quinta-feira (29), o seu primeiro balanço de 2021 com os números referentes ao primeiro trimestre e as notícias foram excelentes para os acionistas da empresa. Foi o maior lucro da companhia nos últimos três anos, registrando um lucro líquido de US$ 8,11 bilhões no primeiro trimestre de 2021 e nos 12 meses encerrados em março totalizou um resultado líquido de US$ 26,9 bilhões.

O principal negócio da empresa, o e-commerce, foi impulsionado de maneira sem precedentes neste ano de pandemia, uma vez que um número recorde de pessoas passou a fazer compras online.

Leia também: Última carta de Bezos deixa claro: olhar a Amazon é olhar para o futuro

No primeiro trimestre a Amazon teve um aumento de 44% nas vendas, chegando a US$ 108,5 bilhões. Foi o segundo trimestre consecutivo em que a big tech teve mais de US$ 100 bilhões de faturamento.

Os dados foram muito acima das expectativas dos analistas. Segundo a Refinitiv, a média das estimativas do mercado financeiro era de uma receita líquida de US$ 104,46 bilhões. O lucro por ação esperado era de US$ 9,54, bem abaixo dos US$ 15,79 efetivamente reportados.

As ações da Amazon sobem 3,68% a US$ 3.598 no after-market da Bolsa de Valores de Nova York.

Com informações do Infomoney

amazon-pack7

Conheça as vantagens de anunciar seu produto na Amazon

A Amazon é o maior marketplace que existe atualmente, e por meio dele é possível comprar e vender uma variedade infinita de produtos e serviços.

A empresa foi criada em 1994 por Jeff Bezos, antes mesmo da popularização da internet e, a princípio, seu foco era a venda e distribuição de livros.

Essa plataforma tem ajudado milhares de pessoas e empresas a venderem pela internet, pois é altamente confiável e possibilita a venda para o mundo todo.

É comum, por exemplo, que plataformas e-commerce que estejam começando agora utilizem a Amazon como um canal de vendas, até se estabilizarem e se estruturarem no mercado.

Com o alto crescimento das vendas pela internet, esse marketplace tornou-se a primeira opção entre as pessoas que querem adquirir diversos produtos ou serviços.

O site é vantajoso tanto para quem vende, quanto para quem compra, afinal, é possível encontrar produtos de diversas partes do mundo, por um preço atraente. Isso fez com que marcas do mundo todo se reunissem na Amazon.

Se você está pensando em vender por meio da Amazon, neste artigo, vamos explicar o que ela é, para quê serve, como anunciar, suas vantagens e os resultados que podem ser alcançados por meio dela. Confira!

O que é a Amazon?

A Amazon é uma gigante do varejo online, que também permite que indivíduos e empresas vendam e exibam seus produtos através de sua plataforma.

É a mais popular entre empresas individuais e também entre as grandes lojas, pois está disponível em vários países e em muitos idiomas.

Dentre seus produtos mais populares está o Amazon Kindle e sua loja de aplicativos online. Ela também oferece serviços de software e infraestrutura para empresas e indivíduos.

No entanto, seu maior foco está na venda online de produtos dos mais variados setores, tais como:

  • Eletrônicos, como computadores, smartphones e câmeras;
  • Acessórios masculinos e femininos, como jóias e relógios;
  • Roupas e calçados;
  • Brinquedos e jogos;
  • Produtos para casa, cozinha e jardinagem;
  • Livros e papelaria;
  • Produtos automotivos.

Isso significa que muitos tipos de empresas podem vender pela Amazon, como no caso de uma loja de placa em acrilico para fachada, por exemplo.

Portanto, além de vender produtos próprios, como softwares e e-books, essa plataforma também serve para distribuir produtos dos mais variados tipos ao redor do mundo.

Como anunciar na Amazon?

Qualquer pessoa física ou empresa pode vender seus produtos na Amazon. Para isso, é necessário possuir um CNPJ ou um CPF válido.

Não é necessário ter contrato social ou qualquer documento do tipo para se cadastrar na plataforma. Isso facilita o processo para qualquer um que queria começar a vender por lá.

Para começar, é necessário se registrar como vendedor, fornecendo informações pessoais como nome, endereço, e-mail, telefone e documento de identificação.

Também é necessário possui um cartão de crédito internacional e uma conta bancária vinculada ao CPF ou CNPJ cadastrado. Após fazer o registro, basta publicar os produtos e começar a vender pelo site.

Tanto para quem quer vender rótulos em inglês, quanto para quem vai vender outros tipos de produtos, existem dois tipos de planos que serão escolhidos pelo vendedor.

O primeiro é para quem deseja vender menos de 10 itens por mês; e o outro, para quem tem um número ilimitado de vendas. Ambos os planos incluem o pagamento de uma taxa.

Além disso, é necessário pagar um valor de comissão a cada item vendido, que diz respeito a uma porcentagem do preço total da venda, o que inclui valor do item, despesas de envio e embalagem para presente.

Os vendedores recebem seu pagamento pela Amazon a cada quinze dias, através de depósito em conta bancária, que é informada no instante do registro.

O site da empresa disponibiliza um canal para que os vendedores acompanhem os pagamentos e as datas em que os depósitos serão realizados.

Essa forma de pagamento acontece mesmo quando o cliente opta por pagar suas compras parceladas. Ou seja, se ele comprou uma impressora evolis dualys 3 parcelada em 3 vezes, o vendedor vai receber o valor integral.

Vendedores que optarem pelo plano profissional podem vender seus produtos internacionalmente. Mas só é possível fazer vendas pelas plataformas da Amazon dos Estados Unidos, Canadá e México.

Todas as vendas podem ser gerenciadas por meio de uma única conta, não sendo necessário criar um acesso em cada uma dessas plataformas.

Além das categorias que citamos anteriormente, existem outras, no entanto, nestas é necessária uma aprovação. Dentre elas estão:

  • Alimentos e bebidas;
  • Produtos de beleza;
  • Games;
  • Produtos para bebês;
  • Saúde;
  • Cuidados pessoais.

Vantagens e resultados de anunciar na Amazon

A Amazon conseguiu se estabelecer como a primeira plataforma de marketplace do mundo. Com isso, uma loja de sistema de detecção e alarme de incêndio wireless, por exemplo, consegue ter acesso a uma série de vantagens e resultados, tais como:

1 – Mais vendas

Não é necessário pensar muito, e uma única empresa tem milhões de clientes ativos todo mês, visitando o site em busca dos mais variados produtos.

A Amazon possui mais de 300 milhões de contas ativas por mês e mais de 170 milhões de visitantes únicos, com mais de 100 bilhões de rendimentos. Portanto, é a melhor opção para a maioria dos compradores.

Quando o varejista lista seus produtos na Amazon, automaticamente adquire mais credibilidade e confiança por parte do público consumidor.

Isso acontece porque alguns clientes preferem comprar apenas a partir da Amazon, e isso inclui produtos como pulseira berloque prata fina.

Visto que no site eles encontram excelência e serviço de primeira qualidade, que não sabem se encontrarão em uma loja que nunca ouviram falar.

Isso atrai inúmeros compradores para a plataforma, inclusive em países onde o comércio online ainda não engatou.

Exemplo disso é uma loja que venda 10 peças de roupas por dia em seu site, passar a vender 20, somado às vendas da Amazon. 

2 – Expansão internacional

A Amazon é uma das maiores e mais confiadas plataformas de compra e venda do mundo, além de ser extremamente fácil começar a vender por meio dela.

Isso é somado ao fato de que, para que uma loja comece a vender para o mundo todo, ela precisa traduzir o seu site para diferentes idiomas, seja uma loja de roupas ou até mesmo de uma fabricante de balcão promocional expositor.

Isso custa tempo e dinheiro, além de não ser atraente para quem está começando agora. A Amazon poupa esse esforço e permite que um pequeno negócio se expanda para qualquer país.

Isso permite que um varejista teste, de maneira rápida, se os seus produtos interessam ao mercado global, apenas com a criação de uma listagem na Amazon local.

Por sua vez, isso poupa o inconveniente de passar por sistemas de pagamento locais, logísticas e operações. 

Então, uma loja de produtos para casa que venda apenas no Brasil, pode começar a exportar seus produtos para países como os Estados Unidos.

3 – Baixo custo com marketing

A plataforma atrai, naturalmente, milhões de clientes interessados.

Dependendo do nicho da empresa, como no caso de uma loja de produtos de limpeza para cozinha de restaurante, por estar inserida em um mercado aglomerado, pode começar a vender no mesmo dia que se cadastrar.

Isso tudo acontece sem que seja preciso investir em marketing, ou seja, não há um investimento inicial para atrair o cliente e começar a vender.

No entanto, não podemos desprezar o fato de que existe uma competição intensa, o que faz com que seja preciso se destacar em meio aos concorrentes.

Isso significa que, apesar de não precisar de investimentos em marketing, se o vendedor tiver uma boa presença digital conseguirá se destacar com mais facilidade em meio a enorme base de vendedores da Amazon.

Exemplo desse baixo custo com marketing é a empresa não precisar divulgar suas vendas pela Amazon, pois os compradores a encontrarão. 

4 – Não precisa de estoque

A Amazon possui mais de 100 centros de distribuição ao redor do mundo, logo, o vendedor tem a opção de enviar todos os seus produtos do estoque em massa para um deles.

Lá, o inventário de uma confecção de adesivos personalizados, por exemplo, é armazenado, embalado e enviado para os clientes.

A Amazon FBA (Fulfillment By Amazon) é o armazém de estoques, gerente e remetente, e todo o serviço é feito por uma quantia bem pequena, em comparação ao que seria pago para outra empresa.

Portanto, além de se livrar do esforço de remessa, os produtos são qualificados automaticamente para o frete Amazon Prime, e priorizados para o Buy Box, o que gera um impacto muito positivo para as vendas.

Conclusão

Muitos negócios têm vantagens imensas e atingem excelentes resultados ao vender pela Amazon. Como você pôde ver, é uma plataforma interessante, tanto para quem está começando, quanto para quem já está há tempos no mercado.

As vendas online estão crescendo, e nada mais ideal do que contar com o maior marketplace do mundo para impulsionar o crescimento dos seus negócios.

Isso trará excelentes retornos, fortalecendo-o no mercado e conferindo a ele mais credibilidade perante o público-alvo.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Amazon abre loja com produtos mais bem avaliados.

Seleção é feita a partir de dados das vendas no site.

A gigante americana do comércio digital Amazon inaugurou na quinta-feira (27) a primeira loja onde vende apenas os produtos mais bem avaliados pelos consumidores em seu site – um novo exemplo de suas ambições no comércio físico.

Durante vários anos, a Amazon abriu inúmeros pontos de venda físicos, principalmente livrarias e lojas “pop-up”, dedicadas a produtos tecnológicos. Há ainda lojas sem caixa nem atendentes.

Na nova loja, chamada rede “4-star”, o grupo de Seattle oferece uma seleção de produtos Amazon e de outras marcas, classificados com pelo menos 4 estrelas em uma escala de 5. Entre eles estão eletrônicos, livros, games e até mamadeiras.

Assim como fez com suas livrarias, que oferecem os títulos mais populares em seu site, a Amazon usa os dados das vendas digitais para fazer a seleção dos produtos.

A loja também tem uma seção de produtos “populares em Nova York”, com base em informações de vendas no site.

Fonte: G1.

Amazon com novidades no Brasil.

A Amazon.com.br anunciou, nesta quarta-feira (22), o lançamento das categorias de Moda e Esportes em seu marketplace.

A Amazon Moda começa a sua operação oferecendo produtos de marcas como Havaianas, Cia. Marítima e Farm, além de designers como Reinaldo Lourenço e Jack Vartanian. Já a categoria Esportes oferece produtos de marcas como Caloi, Penalty, Fila e Garmin.

Juntas, as lojas oferecem mais de 300 mil produtos. Os pedidos podem ser pagos em até dez vezes sem juros em cartões de crédito – os clientes podem pedir reembolso caso o produto não esteja de acordo com o anunciado pelos vendedores por meio do Garantia de A a Z.

“Trabalhamos muito para garantir que nosso marketplace tenha um ótimo catálogo em ambas as lojas, atendendo uma gama variada de clientes”, afirmou Otávio Alves, gerente-geral da Amazon Moda para o Brasil.

A Amazon Moda também oferece calçados, malas e mochilas, óculos, joias e relógios. Algumas das categorias disponíveis são Alta Costura, Novos Estilistas Brasileiros, Grandes Marcas Nacionais e Internacionais, Plus-Size, Vegano ou Sustentável, Digitais e Artesanais.

Já a categoria de Esportes conta com catálogo de produtos de diversas modalidades, de futebol a acampamento, passando por boxe e natação.

 

Fonte: Ecommercebrasil.

Ações da Fang: Investidores procuram o próximo “lobo alfa”

A temporada de resultados do segundo trimestre abalou as grandes empresas de internet que compõem as ações da FANG – Facebook ( FB ), Amazon.com ( AMZN ), Netflix ( NFLX ) e Google Alphabet ( GOOGL ) – e o mercado está se perguntando qual será o próximo “lobo alfa” do grupo.

Os investidores viram uma “dramática bifurcação” nos resultados trimestrais das ações da Fang, disse o analista da Evercore ISI, Anthony DiClemente, em relatório divulgado nesta sexta-feira.

Aqui está o porquê. Facebook e Netflix entregaram relatórios trimestrais decepcionantes que atacaram os preços das ações. Enquanto isso, a Amazon e o Google aplaudiram os investidores com resultados otimistas.

Desde a publicação dos resultados na quarta-feira, o Facebook caiu cerca de 20%. A Netflix caiu 11% desde que divulgou seu relatório em 16 de julho. No lado positivo, a Amazon subiu 0,5% na sexta-feira após anunciar seus números na quinta-feira. E o Alphabet subiu 3% desde o seu registro em 23 de julho.

Em seu ranking das ações da Fang em 20 de julho, Michael Olson, analista da Piper Jaffray, colocou a Amazon em primeiro lugar em termos de  posicionamento para o resto de 2018. Ele ainda classificou a Netflix em segundo lugar, mesmo depois de seu desconcertante relatório de lucros.

“Nosso ranking baseia-se principalmente em uma combinação de catalisadores específicos da empresa, vantagens temporais, riscos, movimentação no ano e avaliação”, disse Olson. Olson, no entanto, classificou o Facebook em terceiro lugar, à frente do Google, antes dos ganhos das duas empresas. Ele disse que ainda não reavaliou oficialmente seus rankings à luz dos relatórios das empresas.

Facebook faz uma faceplant

O gigante da mídia social Facebook assustou os investidores com a previsão de forte desaceleração da receita e erosão da margem de lucro.

O Facebook, sediado em Menlo Park, na Califórnia, perdeu as metas de Wall Street de receita e crescimento de usuários no segundo trimestre. Ele também alertou que as taxas de crescimento de receita irão desacelerar pelos percentuais de “um dígito alto” no terceiro e quarto trimestres. As margens operacionais também cairão nos próximos anos, disseram executivos do Facebook.

Enquanto isso, o Facebook continua a lidar com questões importantes, como a privacidade dos dados do consumidor e o uso de sua plataforma para espalhar informações falsas e discurso de ódio.

O Facebook registrou vendas no segundo trimestre de US $ 13,2 bilhões, um aumento ano a ano de 42%, mas perdeu a visão dos analistas de US $ 13,3 bilhões. Ele relatou usuários ativos mensais de 2,23 bilhões, abaixo das expectativas de 2,24 bilhões. Ele entregou lucro ajustado por ação de US $ 1,74, um aumento de 32% e estimativas de bordas de US $ 1,72.

“O segundo trimestre introduz uma perspectiva muito mais sóbria” para o Facebook, disse Michael Graham, analista da Canaccord Genuity, em nota aos clientes. Graham reduziu sua meta de preço nas ações do Facebook para 200 de 240, mas manteve seu índice de compra.

As ações do Facebook estão entrando na “caixa de penalidades”, disse o analista da Baird, Colin Sebastian, em seu relatório. Ele manteve sua classificação outperform no estoque, mas reduziu sua meta de preço de 195 para 195.

O presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, foi criticado por não ter feito o suficiente para resolver os problemas da empresa, que vieram à tona durante o escândalo de dados da Cambridge Analytica no início deste ano.

A Trillium Asset Management, que possui ações do Facebook em nome de seus clientes, propôs que o Facebook nomeie um presidente independente. Zuckerberg atualmente atua no duplo papel de presidente e diretor executivo. É improvável que a mudança aconteça, no entanto, dado o poder de voto de Zuckerberg.

Amazon liga a torneira de lucros

E-commerce e líder em computação em nuvem A Amazon perdeu a meta de receita de Wall Street no segundo trimestre , mas superou as expectativas de ganhos com uma enorme batida.

A empresa sediada em Seattle divulgou lucro ajustado por ação de US $ 5,07, mais do que o dobro de estimativas de analistas para US $ 2,50. No mesmo trimestre do ano passado, o lucro por ação foi de 52 centavos. Foi o terceiro trimestre consecutivo de aceleração do crescimento dos lucros.

A Amazon registrou receita de US $ 52,9 bilhões, 39% acima do ano anterior, mas superando a meta de Wall Street de US $ 53,4 bilhões.

A unidade de computação em nuvem da empresa, Amazon Web Services, alcançou US $ 46,1 bilhões. Isso é até 49% do período do ano passado.

A Amazon pode estar fazendo uma transição para uma história de crescimento de lucros em vez de uma história de crescimento de receita, disse Edward Yruma, analista da KeyBanc Capital Markets, em um relatório divulgado na quinta-feira. Ele classifica o estoque como peso do setor.

Depois de construir escala no e-commerce e na computação em nuvem, a Amazon está “abrindo a torneira de lucro”, disse Shebly Seyrafi, analista da FBN Securities, em um relatório na sexta-feira. Ele reiterou sua classificação outperform no estoque e aumentou sua meta de preço para 2.000 de 1.850.

“A Amazon pode se beneficiar com os investidores que realocam dólares do Facebook em outros nomes do Fang”, disse Seyrafi.

O ano fiscal de 2018 pode ser um ano de inflexão para a Amazon, com aceleração do crescimento da receita e expansão da margem de lucro, disse Mark Mahaney, analista da RBC Capital Markets, em relatório divulgado na quinta-feira. Os resultados do segundo trimestre da empresa colocaram a empresa no caminho para alcançar uma valorização de mercado de US $ 1 trilhão, disse ele.

Crescimento de assinantes da Netflix desaponta

A rede de TV pela Internet Netflix perdeu sua meta de novos assinantes no segundo trimestre em 1 milhão. Acrescentou 5,2 milhões de assinantes, contra a previsão de 6,2 milhões feita em meados de abril. Os assinantes da Netflix no final do trimestre de junho estavam em 130,1 milhões em todo o mundo.

Para o trimestre atual, a Netflix espera adicionar 5 milhões de novos assinantes. Wall Street estava procurando por mais de 6 milhões.

No trimestre de junho, a Netflix ganhou 85 centavos por ação, com vendas de US $ 3,91 bilhões. Os analistas esperavam que ela ganhasse 79 centavos por ação, com vendas de US $ 3,94 bilhões.

Para o trimestre de setembro, a empresa com sede em Los Gatos, Califórnia, espera ganhar 68 centavos por ação, com vendas de US $ 3,99 bilhões. Wall Street foi modelo para Netflix para ganhar 73 centavos por ação sobre vendas de US $ 4,13 bilhões.

As ações da Netflix também foram abaladas por notícias de que o varejista Walmart ( WMT ) planeja entrar no mercado de streaming de vídeo por assinatura.

Surpresas do crescimento dos ganhos da Alphabet

A Alphabet bateu as metas do segundo trimestre graças à força em seu principal negócio de publicidade.

A empresa sediada em Mountain View, na Califórnia, faturou US $ 11,75 por ação, um aumento de 32% em relação ao ano anterior, com vendas de US $ 32,66 bilhões, um aumento de 26% no trimestre de junho . Os analistas esperavam que ele ganhasse US $ 9,59 por ação, com vendas de US $ 32,2 bilhões.

O Google Properties, que inclui seu negócio de busca na internet e o YouTube, aumentou a receita de publicidade em 26% em relação ao ano anterior, para US $ 23,3 bilhões, superando as opiniões dos analistas.

Os executivos do Google creditaram os negócios de publicidade móvel da empresa e a expansão de seus negócios de computação em nuvem como impulsionadores do crescimento.

Em uma teleconferência com analistas, o CEO do Google, Sundar Pichai, citou investimentos em inteligência artificial como um ativo importante para ajudar o Google a ficar à frente dos rivais.

Fonte: Investor`s

Walmart e Microsoft fecham parceria para uso de tecnologia em nuvem

Acordo de cinco anos vai alavancar toda gama de soluções em nuvem da Microsoft, para tornar a experiência de compra mais rápida e fácil para os clientes

WASHINGTON (Reuters) – A gigante do varejo Walmart anunciou nesta terça-feira que fechou uma parceria estratégica com a Microsoft para uso mais amplo da tecnologia de inteligência artificial e nuvem, m nuvem, em um sinal de que as principais rivais da Amazon.com estão unindo forças.

O acordo de cinco anos vai alavancar toda gama de soluções em nuvem da Microsoft, incluindo o Azure e o Microsoft 365, para tornar a experiência de compra mais rápida e fácil para os clientes, disse o Walmart.

Como parte da parceria, engenheiros da varejista e da Microsoft vão colaborar para migrar uma porção significativa do walmart.com e do samsclub.com para o Azure, acrescentou o Walmart.

Enquanto o Walmart está dobrando sua presença no comércio eletrônico para melhor competir com a Amazon, a Microsoft vem trabalhando em uma tecnologia para eliminar caixas e filas de pagamento nas lojas, noticiou a Reuters no mês passado.

A tecnologia da Microsoft visa ajudar as varejistas a acompanhar o ritmo da Amazon Go, o formato de lojas altamente automatizadas da gigante norte-americana.

Por meio da parceria, o Walmart planeja se defender das ambições da Amazon em varejo e da sua experiência com dados, elevando a presença no ambiente online.

Fonte: Finance Yahoo

Amazon tem dia de descontos em livros digitais e Kindles

Se aqui no Brasil ainda não há nada parecido com o Prime Day, o megaevento de descontos realizado anualmente pela Amazon no exterior, ao menos o público nacional pode aproveitar o Kindle Day, iniciado nesta seguda-feira, 16, e que promete descontos interessantes em livros digitais e em e-readers.

Todos os modelos de Kindle tiveram seu preço reduzido até as 23h59 do dia 17 de julho, então se você está interessado em um e-reader, você tem até amanhã. Todos os aparelhos receberam um desconto de R$ 100. Conheça as opções e preços:

  • Kindle (de R$ 300 por R$ 200)
  • Kindle Paperwhite Wi-Fi (de R$ 480 por R$ 380)
  • Kindle Paperwhite Wi-Fi + 3G (de R$ 700 por R$ 600)
  • Kindle Voyage (de R$ 900 por R$ 800)

Além dos leitores, a Amazon também cortou o preço do Kindle Unlimited por três meses. O serviço por assinatura dá acesso a um catálogo extenso de livros digitais que podem ser lidos à vontade, com o primeiro mês grátis, como já é tradicional em plataformas do tipo. Durante o Kindle Day, novos assinantes poderão usufruir do serviço pagando R$ 2 por mês; após o período o valor subirá para R$ 20 mensais.

Por fim, ebooks individuais também tiveram o seu preço cortado. A Amazon destaca os best-sellers abaixo que receberam um desconto interessante, mas há outros milhares de livros digitais com desconto no site, que podem ser lidos tanto pelos dispositivos Kindle quanto nos aplicativos Kindle para Android e iOS.
  • A Sutil Arte de Ligar o F*da-se, por Manson Mark (de R$ 19,90 por R$ 11,94)
  • SCRUM: A Arte de Fazer o Dobro de Trabalho na Metade do Tempo, por Jeff Sutherland (de R$  19,99 por R$ 9,99)
  • Além do Olhar, por Nana Pauvolih (de R$ 12,99 por R$ 6,50)
  • O Conto da Aia, por Margaret Atwood (de R$ 28,90 por R$ 17,34)
  • Mitologia Nórdica, por Neil Gaiman (de R$ 29,90 por R$ 11,96)
  • Seja Foda!, por Caio Carneiro (de R$ 27,90 por R$ 19,53)
  • Você Mais Inteligente: Técnicas de Gestão da Emoção Para Revolucionar sua Vida, por Augusto Cury  (de R$ 9,99 por R$ 4,99)
  • Homo Deus: Uma Breve História do Amanhã, por Yuval Noah Harari (de R$ 37,90 por R$ 18,95)
  • Extraordinário – Edição Especial, por R.J Palacio (de R$ 24,90 por R$ 9,96)
  • Jogador nº 1, por Ernest Cline    (de R$ 31,99 por R$ 12,79)
  • Instinto Indomável, por Jas Silva (de R$ 9,87 por R$ 4,90)
  • O Poder do Hábito: Por Que Fazemos o Que Fazemos na Vida e Nos Negócios, por Charles Duhigg (de R$ 29,90 por R$ 10,46)

Fonte: Olhar Digital