ideias

Entenda como sustentar uma boa quantidade de leads com conteúdos!

Já é conhecido no mundo do marketing um número chocante e que dá os caminhos de boas estratégias para prospectar leads: mais de 90% dos usuários que visitam o seu site pela primeira vez não vão consumir nada. 

Mas o que isso revela? Esses dados mostram a importância de conquistar as pessoas que visitaram e não compraram ou adquiriram serviços por meio de um trabalho de convencimento, com bons conteúdos e que agreguem valor. 

Isso se chama nutrição de leads. É como alimentar constantemente os usuários e cada vez mais chegar próximo a uma fidelização e consolidação de novos clientes. 

Essa é uma das formas mais produtivas de sustentar uma boa quantidade de leads. Pensando nisso, neste artigo, vamos abordar mais sobre este assunto, além de mostrar a importância de nutrir os potenciais clientes do seu negócio. Acompanhe a leitura! 

O que é e como fazer a prospecção de leads?

Você pode ter todos os elementos para o sucesso, como uma marca forte de loja de material de construção, conteúdos muito bem construídos e um plano de negócio consolidado. Mas, se ninguém estiver visualizando todo esse potencial, o que adianta?

É por isso que a geração de leads é muito importante e pode ser o fator definidor para o seu sucesso. Se você quer saber quais são as melhores formas de fazer isso, alguns elementos a serem colocados em prática são:

  • Escolha formas pagas de gerar leads de forma mais rápida;
  • Crie conteúdo valioso e bem pensado;
  • Abuse dos formulários de inscrição para webinars e e-books;
  • Gere leads a partir de conteúdos frequentes em seu blog.

A seguir, entenda de maneira mais abrangente quais recursos podem ser utilizados para colocar em prática cada um destes tópicos.

1 – Investir em anúncios pagos

A presença da sua empresa de paisagismo e jardinagem nas redes sociais nunca foi tão importante quanto no momento atual. Caso você queira gerar leads mais instantâneos, ou seja, de forma mais rápida, os anúncios pagos costumam ser eficazes para esse objetivo. 

Mesmo com um orçamento modesto, é possível gerar bons resultados com o uso dessa estratégia.

2 – Fazer uso do e-mail marketing

O e-mail marketing, apesar de ser uma estratégia mais antiga, ainda dá grandes retornos em termos de tração e geração de leads, principalmente se forem personalizados. 

É uma ótima forma de angariar leads porque é um canal direto com o seu projeto de loja de roupa.

Dependendo do tipo de texto que você faz e do quão engajamento for gerado, bons leads podem vir deste tipo de comunicação.

3 – Usar CTAs nos conteúdos

Quando você cria conteúdos e textos dos mais diversos assuntos que têm a intenção de atrair novos usuários para o seu blog ou site da sua empresa de roupas femininas para revenda, por exemplo, o objetivo maior é atender as necessidades dos clientes.

Seja respondendo dúvidas ou mostrando na prática como fazer algo, bem como atrair novas pessoas para se tornarem potenciais clientes.

Porém, um texto por si só pode não ser a melhor experiência para o usuário. Para gerar realmente leads com uma estratégia de conteúdo é preciso usar chamadas para ação (ou Call to Action) mais fortes. 

Geralmente, esse CTA é uma caixa, botão ou chamada que leva a pessoa a fazer uma ação.

Seja clicar no link que você deixou à disposição ou para preencher um formulário com seus dados e, em seguida, baixar um e-book ou ir direto à compra de uma camiseta dry fit branca masculina.

Dessa forma, você consegue reter esses leads e fazer novas comunicações com eles a fim de nutri-los e convencê-los, ao longo do tempo, a comprar ou adquirir algo que sua companhia oferece.

Mas lembre-se que para os usuários chegarem a esses textos com diversos CTAs que vão fornecer mais leads, você precisa estabelecer uma forma paga ou uma maneira orgânica de trazer essas pessoas. 

O primeiro caso já vimos por aqui, mas o segundo é importante rever com uma boa estratégia SEO, que nada mais é do que deixar seu texto apto para o Google entender que aquele conteúdo merece estar nas primeiras posições dos resultados de busca. 

Isso faz com que mais pessoas, que procuram pelos termos que têm a ver com seu negócio de sala comercial compartilhada, acessem os seus conteúdos e, portanto, a chance é maior de converter essas pessoas por meio de um CTA. 

4 – Reviews e demonstrações do produto em vídeo

Hoje em dia, é inegável que os vídeos são os conteúdos que mais engajam. Na rapidez das rotinas, eles são muito práticos e uma ótima forma de trazer leads qualificados. 

Quando se trata de demonstrações ou reviews de produtos, a procura é ainda maior. 

Por isso, com a atratividade em alta, você só precisa ter um bom conteúdo em vídeo e instruir os usuários a clicarem no link e, assim, sua empresa pode reter esses dados para nutrir os leads e convencê-los eventualmente a se tornarem clientes. 

5 – Conteúdos para download

Em se tratando de marketing de conteúdo, focado em adquirir cada vez mais leads, uma arma poderosa são os conteúdos disponíveis para as pessoas baixarem se tiverem interesse, como e-books, planilhas exclusivas de gestão patrimonial, vídeos especiais, etc.

Porém, certifique-se de que esses conteúdos estejam, de fato, prontos, chamativos e interessantes a ponto de as pessoas quererem deixar os seus contatos no formulário de download. Isso é importantíssimo! 

Além de que a qualidade deve ser garantida, pois caso as pessoas se sintam enganadas, a opção mais provável para elas será encontrar o canal mais rápido que tiver e fazer reclamações, e você certamente não quer isso. Então, o seu conteúdo deve estar tinindo. 

Principais estratégias para nutrição de leads

Primeiramente, tenha calma e muita paciência, afinal, nutrir leads leva tempo e esforço, baseados em tentativa e erro. 

Se você ainda não começou com uma estratégia de nutrição de leads em sua empresa, não tem problema. Nunca é tarde para começar. Vamos ver algumas estratégias mais efetivas para conquistar cada vez mais potenciais clientes:

Marketing e Vendas devem estar bem alinhados

Há sempre uma polêmica no mundo empresarial entre Marketing e Vendas, áreas que costumam brigar pelos clientes e divergir bastante em situações conceituais de trabalho. 

Por exemplo, o que pode ser um lead qualificado para alguém do departamento de marketing pode não ser para um profissional de vendas. 

Por isso, como primeiro passo de uma estratégia de nutrição de leads, ambas as partes devem concordar com a definição de um lead. 

Isso é fundamental uma vez que é só a partir dessa definição que dá para entender o que fazer com o contato dessas pessoas, que acontece por causa do funil de vendas. 

Ou seja, se os leads que acabaram de encontrar sua empresa declararam poucas informações e não se verificou um interesse maior, então esse lead ainda precisa ser mais trabalhado dentro do funil para passar a outros estágios de interesse em se tornar cliente. 

Já os leads mais qualificados, que são aqueles que a empresa tem mais conhecimento e que estão prontos para dar os próximos passos em torno de uma compra, para nutri-lo, é preciso personalizar bastante a sua comunicação.

Assim, cada vez mais esse lead qualificado se sente exclusivo e passará a dar valor à empresa, a ponto de se tornar cliente. 

Crie um planejamento de conteúdo focado em nutrição de leads

Depois de alinhar as expectativas das duas áreas principais que lidarão com os leads, além de entender que há diferenciação entre eles devido às etapas do funil de vendas, é hora de criar o conteúdo que fará essa roda girar. 

Para garantir que você mantenha o relacionamento com seus clientes em potencial através da nutrição de leads, é uma boa ideia criar categorizações do seu conteúdo para que você saiba quando enviar, o que enviar e para quem enviar.

Por exemplo, veja quais conteúdos se adequam mais aos leads de topo de funil ou aqueles que se identificam mais com leads mais avançados.

Nesta primeira etapa, não se esqueça que o planejamento de conteúdo focado em nutrição de leads precisa ser simples. Não torne-o complicado demais e com muitos processos para não dificultar a execução. Com o tempo, vá aprimorando. 

Importância de nutrir potenciais clientes

Os leads, no geral, são pessoas que se interessaram pela reforma de loja de sua empresa, proposta, ideia, estilo ou pelos produtos e/ou serviços disponibilizados.

No entanto, sobretudo no meio online, o interesse desaparece muito rápido porque há inúmeras outras campanhas e comunicações de concorrentes acontecendo. Portanto, para fisgar e manter o interesse dessas pessoas, é preciso ter um relacionamento muito próximo. 

É exatamente nisso que se apoia a nutrição de leads. Assim como você precisa se alimentar para manutenção da saúde, os leads também precisam ser alimentados frequentemente, mas só que com conteúdos de primeiríssima qualidade.

Ao escrever e divulgar os conteúdos, pense como se você fosse um cliente. De que forma você gostaria de receber e acessar os conteúdos de uma empresa que você originalmente gostou em um primeiro contato? 

Dessa forma empática é que se cria maneiras muito criativas de captação de leads, sempre tentando antever o que ele precisa e o que ele quer assistir.

Com isso, fica claro como seguir as estratégias corretas seu negócio será capaz de captar e nutrir leads, consequentemente aumentando sua cartela de clientes.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

trade marketing

Trade Marketing Digital: saiba como aumentar suas vendas com essa estratégia

O Trade Marketing Digital, ou Digital Trade Marketing, é uma estratégia que tem sido cada vez mais adotada por empresas para alavancar suas vendas.

Muitas pessoas já estão na internet vendendo seus produtos e serviços, e podem até alcançar algum sucesso, mas é possível que o empresário não esteja explorando todo o potencial de seu negócio.

Vender um banner com ilhos pela internet pode ser um trabalho muito fácil se você souber quais elementos utilizar para uma melhor conversão.

Isso porque a maioria dos negócios ainda não está completamente adequada para uma experiência correta de compra online.

Esse tipo de problema afeta diretamente os lucros de uma empresa, uma vez que com a queda de vendas, os rendimentos também diminuem, gerando uma série de problemas.

Os carrinhos virtuais muitas vezes são abandonados com itens, deixando apenas o desejo de realizar um negócio na mente do empreendedor. Para isso, foi criada a ideia do Digital Trade Marketing, como uma forma de minimizar esses danos.

A ferramenta propõe melhorar a experiência do usuário, impactando a decisão de compras e aumentando a conversão de clientes que colocam os produtos nos carrinhos virtuais.

Essa técnica é, portanto, adequada para aqueles clientes em estágio final do funil de vendas, onde é o momento de gerar a conversão e conquistar o consumidor.

Utilizando essa ferramenta, você pode identificar as melhores estratégias para vender seus produtos, como fita de cetim personalizada, e identificar quais são os elementos primordiais para converter mais clientes.

Trade Marketing Digital ou tradicional?

O conceito de Trade Marketing não é novo para empreendedores com lojas físicas. Essa estratégia promove ações nos pontos de venda para impulsionar um determinado produto.

Isso pode ter uma série de atividades, desde exposições, posicionamento do produto nas vitrines e aumento de estoque para dar conta das vendas.

O Digital Trade Marketing, entretanto, está mais focado em converter em venda o visitante da loja virtual, buscando maneiras de fidelizar o cliente enquanto realiza a conversão.

A grande diferença entre os dois é a área de atuação. O mundo digital exigiu essa migração para criar novas ferramentas de suporte ao empresário, visando a conclusão de mais negócios.

A forma de consumo mudou com os anos. Antigamente, para efetuar uma compra, você obrigatoriamente tinha que sair de casa e ir até uma loja. Lá, era possível conversar com um vendedor, que se encarregaria de concluir a transação.

Você poderia ir em uma loja e ver em funcionamento uma impressora térmica etiqueta adesiva, por exemplo.

Hoje em dia, a maioria dos produtos e serviços está a um clique de distância, com uma variedade muito maior de escolhas através de e-commerces concorrentes.

Isso obrigou o empreendedor a criar uma experiência diferenciada para o cliente como uma forma de se destacar e conseguir fechar uma venda.

1 – O que considerar no Trade Marketing Digital?

A primeira coisa a se considerar com o Digital Trade Marketing é que a ferramenta deve avaliar os motivos da rejeição de produtos no carrinho.

Esse elemento é uma das maiores problemáticas de e-commerce no Brasil, e conseguir entender os motivos pode ajudar a driblar essa situação. Muitos clientes podem estar até considerando a compra, mas algo os faz desistir.

Identificar esse motivo é fundamental para aumentar suas vendas no site.

Trabalhar com atividades de estimulação sensorial pode te fazer pensar que não é possível converter seu serviço através de vendas online.

Entretanto, uma boa estratégia pode identificar um público-alvo que você estava perdendo por não se atualizar com a internet.

Além disso, a ferramenta busca uma evolução da experiência do cliente enquanto estiver comprando. Não basta ter um bom produto, toda a jornada de compra deve ser uma experiência única e prazerosa para render um bom resultado.

Isso porque, quanto mais satisfeito um cliente estiver, não só ele irá concluir a compra mas também torna-se um promotor de sua empresa, divulgando em suas redes de amigos e familiares sobre a qualidade da experiência, ou com o famoso marketing boca a boca.

Se você tiver uma loja offline, as chances de crescimento ficam ainda maiores. Isso porque a experiência online oferecida pelo Trade Marketing Digital pode melhorar a visão que os clientes têm de seu negócio físico também.

2 – A experiência omnichannel do cliente

Alguns clientes podem preferir efetuar toda a jornada de compras online, mas retirar em mãos o produto: é o famoso omnichannel. Nesse caso, ao chegar em sua loja, você tem uma oportunidade de fidelizar o cliente e garantir que ele voltará mais vezes.

Um consumidor pode comprar pela internet uma cesta para bicicleta, mas pode desejar levar a bicicleta até sua loja para instalação. Ali, você pode mostrar mais produtos e se engajar em uma nova venda, ou garantir o retorno do cliente mais vezes.

Com essas ações, é possível identificar os elementos de sua estratégia de marketing que têm sido mais bem sucedidos, e quais você deve repensar no planejamento para um resultado melhor.

Como o Trade Marketing Digital está focado em diversas pequenas ações, que podem ser facilmente implementadas, é possível testar e diversificar seu plano estratégico para que se adeque às suas necessidades.

Isso permite que você consiga melhorar o efeito que deseja alcançar de forma prática, fácil e assertiva, com ações pontuais.

Como aplicar o Trade Marketing Digital?

Não existe um passo a passo para você seguir no que diz respeito ao Digital Trade Marketing. As ações que envolvem a ferramenta são independentes e podem ser aplicadas em qualquer ordem.

O importante, nesse caso, é a quantidade de ações que você aplicará, e não a sequência de eventos.

Para vender seu serviço de motoboy, é preciso utilizar uma série de ferramentas que possibilitarão ao cliente compreender as especificações do serviço e as formas de contratação.

Comece com um trabalho de base em seu site. Muitas pessoas desistem de compras online por falta de informação, então trabalhe muito bem a descrição de seu produto. Quanto mais detalhado for o perfil de um item, mais segurança o cliente terá na hora de fechar o negócio.

É preciso detalhar tudo com clareza de informação, de forma que o consumidor consiga compreender rapidamente e sem precisar perder muito tempo lendo descritivos técnicos. Isso vale também para imagens.

Não economize na hora de colocar imagens do produto que está à venda. Ângulos diferentes, cores, áreas de exposição. 

O máximo de informações visuais que você puder fornecer será ideal, uma vez que antes de ler toda a descrição de um produto, o cliente se atrai pelo visual.

Além disso, procure uma plataforma responsiva para seu site. Atualmente, muitas pessoas utilizam smartphones e tablets para efetuar suas compras online, e se a página não ficar adequada nessas ferramentas, as chances de o cliente desistir da compra são grandes.

Tente facilitar o máximo possível o checkout da loja. Alguns sites até mesmo oferecem a possibilidade de compra com um clique. Isso ocorre porque, quanto mais demorado for a etapa de pagamento, maiores são as chances do cliente desistir.

1 – A otimização para motores de busca

O SEO (Search Engine Optimization) é uma das ferramentas principais para auxiliar o trabalho dentro do Trade Marketing Digital. 

Com essa estratégia, é possível alavancar suas vendas usando ferramentas de engajamento orgânico, subindo seu ranqueamento em motores de busca.

Para vender vinho lambrusco rosé na internet, não basta ter um excelente produto. É preciso se engajar para aparecer no topo das páginas de busca, onde as pessoas costumam parar sua pesquisa.

Para isso, o SEO possui algumas estratégias, como:

  • Palavras-chave;
  • Otimização de página;
  • Velocidade de carregamento;
  •  Automatização.

Esses processos auxiliam a melhorar a imagem da marca junto ao consumidor ao engajar com conteúdo real e orgânico, permitindo uma maior aproximação entre o cliente e a empresa.

 

2 – Fique de olho na concorrência

Apesar de abandonar um carrinho com produtos ser um problema, ele não é exclusivo. Monitore seus concorrentes, identifique as ações que eles estão tomando para lidar com esse tipo de situação.

Você não deve interferir negativamente nos trabalhos de um concorrente, uma vez que isso seria muito antiético. Mas pode aprender com o que eles estão fazendo certo e utilizar as estratégias para tentar melhorar seu próprio empreendimento.

A análise é fundamental nesse tipo de engajamento de marketing. O processo de evolução da empresa se dá por tentativa e erro, e você provavelmente não vai resolver todos seus problemas na primeira tentativa.

Uma empresa de controle de acesso externo precisará de várias tentativas para resolver todas as pendências envolvendo sua estratégia de marketing.

Por isso, manter um monitoramento constante é fundamental para conseguir identificar quais elementos da estratégia de Digital Trade Marketing estão funcionando, quais você pode deixar de lado e onde melhorar.

É possível inclusive analisar se não é o momento de tentar outras microações dentro do Trade Marketing Digital para melhorar sua conversão de vendas.

O essencial nesse tipo de estratégia é identificar os pontos de falha em seu site, que podem afastar clientes ou fazê-los desistir de comprar. Ao melhorar a experiência de um usuário, você garante mais sucesso e resultados.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

títulos

5 dicas para criar títulos para o seu conteúdo

Não é segredo para ninguém que algumas pessoas leem apenas os títulos de matérias jornalísticas e manchetes de jornal. No marketing digital, esse problema ressurge na importância dos títulos para conteúdos de blogs, vlogs e afins.

Na verdade, de nada adianta ter os melhores produtos do mundo, sejam infoprodutos (e-books, apostilas, videoaulas, etc) ou produtos convencionais como roupas, calçados e joias, se o título não for eficiente em atrair a atenção dos clientes em potencial.

Lembrando que a internet trouxe uma democratização incrível dos veículos de divulgação, permitindo que qualquer empresa marque presença nela e promova seu trabalho. Mas o que é bom, por outro lado, cria uma concorrência enorme.

Então, se seus concorrentes utilizam gatilhos e toda uma estratégia de criação de títulos, não é possível você ficar para trás e ainda assim querer resultados melhores, não é mesmo? Daí que decidimos escrever este artigo, sobre como fazer títulos matadores.

Além disso, alguns vícios de formatos antigos de marketing precisam ficar para trás. Por exemplo, o erro de tentar falar a todos os públicos, sem segmentação ou personalização da mensagem, como será aprofundado adiante.

Se a televisão e o rádio tinham o desafio de pulverizar sua mensagem, fazendo o famoso “atirar para todo lado”, no marketing digital isso jamais funcionará, uma vez que tudo precisa levar em conta os perfis da sua persona, com base no público-alvo.

Outro extremo que costuma cair em erro e gerar títulos ruins, é o tamanho da frase. Segmentar não quer dizer colocar quase todas as informações no título, pois isso pode deixá-lo muito grande e bastante desinteressante.

Aliás, existem plataformas que priorizam títulos curtos, como algumas redes sociais e, sobretudo, os motores de busca, que chegam a sugerir limites (como o de não passar de 65 caracteres, por razões de otimização da página).

Na mesma linha, um erro comum é exagerar na dose de humor, metáforas ou até mesmo sensacionalismo. Até porque, é preciso estudar cada segmento a sério e primeiro compreender a linguagem apropriada para seu público.

Além do mais, um título sempre vai precisar entregar o que promete, portanto, não adianta exagerar na promessa apenas para atrair público, e depois frustrar a maioria das pessoas. Esse tipo de ação acaba se tornando um desserviço para o site e a marca.

Então, agora que já vimos o que não é um bom título, que tal irmos no sentido contrário? 

Se você quer entender como criar títulos que engajam de verdade, atraindo o seu público de maneira criativa e assertiva, é só seguir adiante na leitura.

1. AIDA: a estratégia principal

Do que foi dito acima, já deu para compreender que a criação de títulos é quase que uma ciência, ou mesmo uma arte. Por isso mesmo, já existe até uma técnica utilizada pela maioria dos especialistas da área, que é o método AIDA.

Na prática, essa estratégia contém todos os elementos que qualquer segmento pode precisar, seja uma oficina de troca de óleo carro ou uma indústria petrolífera. O próprio significado das quatro letras já demonstra isso:

  • A de ATTENTION (Atração);
  • I de INTEREST (Interesse);
  • D de DESIRE (Desejo);
  • A de ACTION (Ação).

Isso já mostra como a falta de planejamento ou estratégia pode trazer limitações. A maioria de nós pensaria, em um primeiro momento, apenas em gerar atração, não é mesmo? No máximo, interesse e desejo, já a parte da ação provavelmente escaparia.

Inclusive, a própria distinção entre interesse e desejo poderia ficar nebulosa. Então, vamos por partes: primeiro, a atração, que nada mais é do que utilizar ao menos uma palavra central a respeito do que será entregue, e que seja atraente para o leitor.

O interesse pode ser despertado pelo uso de palavras que indiquem qual o benefício ou as vantagens que o leitor terá em acessar aquele conteúdo. Ao passo que o desejo pode surgir no senso de urgência, o que faz a pessoa querer consumir aquilo rápido.

O timing é um elemento fundamental na internet, pois, como vimos, a concorrência e disputa por atenção é muito grande. Aí é que entra o papel da ação, como um título que diga “Aprenda tudo sobre aula de direção baliza”.

Geralmente, a ação vai ser incluída por meio de um verbo, como o “aprenda” do exemplo acima. Outro ainda mais prático seria algo na linha do título que utilizamos neste artigo, que também poderia ser: “5 dicas para criar sites que superam a concorrência”.

Neste caso, a palavra “site” é o elemento de atração, a ação permanece no verbo “criar”, ao passo que o interesse e o desejo (aliado à urgência) surgem no termo “superam a concorrência”, que é algo que todo empresário quer.

2. Por que customizar ao máximo?

Acima falamos sobre segmentação e perfis da persona. É preciso aprofundar isso, afinal, a tentação de “falar para todo mundo” é muito grande. A gente sempre pensa que com isso as chances de atingir alguém aumentam.

Mas não é bem assim. Na verdade, diminuímos as chances, pois é impossível um produto impactar todo mundo. Ele sempre vai ter alguma restrição de gênero, de valor ou simplesmente de interesse.

Pense em um exemplo clássico, se um título diz “Você aí que é advogado, quer resolver X problemas?”, talvez 90% das pessoas que lerem não são advogadas realmente. Porém, quando um advogado ler, vai parecer que foi feito especialmente para ele, concorda?

O mesmo vale para limpeza de bancos automotivos e qualquer outro segmento do mercado. A ideia é customizar ao máximo o título e o conteúdo. Acredite, isso gera um gatilho que torna o material muito mais assertivo e converte muito mais.

3. O poder da simplicidade

É claro que um técnico conhece todos os jargões ou termos específicos do seu segmento. Contudo, embora o foco seja customizar, é sempre bom lembrar que um título não precisa ter palavras difíceis por causa disso.

Então, a não ser que uma palavra-chave técnica seja o grande segredo que você tem certeza que vai atrair a atenção do seu público, prefira sempre o simples, como diz a regra de que “menos é mais”.

Por exemplo: faria mais sentido dizer “Somos a melhor oficina funilaria e pintura do bairro”, ou “Somos a oficina de melhor performance…?”. Perceba que a segunda opção ficou truncada e nichada demais.

Na regra do método AIDA, lembre-se do último elemento, o da “ação”. Foque no verbo como o grande motivador do título, e isso vai evitar o uso de termos secundários. Como no caso de “somos” a melhor do bairro. No fundo, isso é o que importa, concorda?

4. Palavras boas e palavras ruins

É sempre bom lembrar que as palavras ruins precisam ser evitadas, assim como um vendedor costuma evitar elementos negativos, correto? Não exatamente, pois o marketing digital tem suas regras próprias.

É claro que você não fala mal do seu produto, porém, uma palavra ou expressão negativa pode ressaltar a sua solução. Um exemplo clássico seria “Pare de perder dinheiro…”, ou ainda “Não corra riscos: renove sua cnh tipo b”.

É claro que perder dinheiro é algo ruim, e correr o risco de ser parado por um policial rodoviário com a carteira vencida, também. Mas se você aplica esse gatilho psicológico, no fundo, o termo caiu como uma isca, concorda?

Na verdade, todo produto pode ser explorado pela negatividade que sua ausência causa, como um cronograma capilar para crescimento, ou produtos alimentícios, ou mesmo de saúde. 

Também assim, os adjetivos podem ter o mesmo efeito, porém com o sinal invertido. No caso deles, você explora a positividade das palavras, como ao usar os termos “oportunidade”, “incrível”, “excelente”, “única” e tantas outras.

5. Nunca se esqueça do SEO

Não é possível falar em marketing digital sem mencionar o SEO (Search Engine Optimization), que nada mais é do que a Otimização de Páginas para Motores de Busca, como o Google, o Bing e o Yahoo.

Atualmente, quando uma pessoa pesquisa algo como “projeto data center”, ela só encontra nas primeiras páginas os sites que fizeram otimização e seguiram os algoritmos. Portanto, seu título precisa levar em conta esses parâmetros.

Afinal, você não vai querer ficar de fora dos grandes buscadores, não é mesmo? Saiba que hoje essas plataformas já são capazes de identificar até mesmo se uma palavra-chave, que consta no título, realmente está presente no corpo do texto.

Então, se for explorar um título com a palavra-chave “escapamento de carro”, certifique-se de que ela está presente no primeiro parágrafo, e que aparece algumas vezes em subtítulos e até no nome das imagens da página.

Tudo isso vai facilitar na otimização e permitir que suas páginas consigam atingir um bom ranqueamento nessas que se tornaram as maiores vitrines da atualidade.

Com isso, vemos que a aplicação de um título estratégico pode fazer toda diferença na hora de criar e promover um conteúdo, especialmente quando as dicas dadas acima são levadas em conta.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

conteudo

Como criar um bom conteúdo para seu negócio

Em tempos de SEO e Inbound Marketing, a questão de como criar conteúdo relevante para o seu negócio, deve ser uma preocupação constante, pois um erro nesta questão, pode colocar por água abaixo toda sua estratégia de marketing de conteúdo.

Para que estratégias de atração de tráfego e captura de Leads funcionem, precisamos ir muito além da simples questão de como criar conteúdo relevante para o seu site e abordarmos também o problema de como gerar o engajamento neste conteúdo.

Uma coisa é criar conteúdo, outra coisa completamente diferente é fazer com que este conteúdo gere Leads. Conteúdo sem retorno é somente isso mesmo, conteúdo grátis.

Defina sua persona de marketing

Para quem deseja saber como criar conteúdo relevante para seu site, blog ou rede social, o primeiro conselho é definir sua persona de marketing.

A Persona de Marketing é um personagem que você desenvolve durante a etapa de planejamento da sua estratégia de marketing digital, que representa o público que você deseja atingir.

Identifique quais são as necessidades e interesses do seu público-alvo para que você possa produzir um conteúdo que seja realmente atraente para estas pessoas. Quanto mais você conhece o seu público, mais eficiente serão suas campanhas e consequentemente sua conversão.

Coloque-se no lugar da sua audiência

A primeira coisa a ser pensada na hora de produzir conteúdo relevante para o seu site ou blog é se colocar na posição da sua audiência, ou seja, entender o momento do visitante do seu site e dirigir a sua mensagem diretamente a ele.

Quanto mais intimista e pessoal for a linguagem adotada, melhor, pois isso criará um ambiente mais acolhedor e psicologicamente, deixará o leitor mais receptivo a sua mensagem.

Coloque-se no mesmo patamar de conhecimento do leitor

Um erro muito comum, principalmente aqui no Brasil, é o autor se colocar em um pedestal e acabar criando um texto onde o “Deus do Conhecimento” discursa para a plebe ignara. Se você quiser afastar os leitores, este é o caminho certo.

Quando você se coloca em um patamar igual ao do seu interlocutor, você quebra uma barreira para a assimilação da mensagem que você pretende passar.

Não coloque o SEO acima de tudo

Um erro muito comum entre as equipes de conteúdo é colocar o processo de SEO – Search Engine Optimization, acima de qualquer outro objetivo. É claro que estar bem posicionado nas páginas de respostas dos buscadores é importante, mas, como dito anteriormente, o foco deve ser o visitante do seu site.

Uma discussão constante entre os profissionais de SEO é a questão da super otimização.

É claro que a otimização de sites é importante no contexto de uma estratégia de marketing digital, mas é importante ter em mente que sua audiência é igualmente importante.

Criação de conteúdo relevante para o seu site

Ofereça opções para aprofundamento no assunto

Outra prática interessante para produzir conteúdo relevante para o seu site ou blog é oferecer sempre opções para que o leitor aprofunde seus conhecimentos. Isso irá deixar a experiência do leitor completa.

Sempre que possível, ofereça links para outros sites de referência para que, caso o visitante queira, possa conhecer mais a fundo o assunto ou assuntos relacionados. Além de oferecer uma melhor experiência você também estará dando uma ajuda no seu processo de SEO.

Contextualize seu conteúdo

Outro segredo para quem deseja saber como produzir conteúdo relevante para o seu site e realmente impactar sua audiência é contextualizar o conteúdo no momento pelo que passa o público que você pretende impactar.

Traga para o seu site ou blog a discussão sobre um assunto que esteja “quente” para sua audiência. Busque identificar em sites de destaque na área, quais são as matérias que estão gerando mais discussão. Os melhores indicadores são comentários e compartilhamentos em redes sociais.

Traga algo de novo a discussão

Frequentemente nos deparamos com artigos que ao término da leitura constatamos que trata-se apenas de um pouco mais sobre a mesma coisa.

Se você quer produzir conteúdo relevante para o seu site, é preciso acrescentar algo mais, caso contrário, irá cair na mesmice. A essência do marketing de conteúdo é justamente informar e se destacar.

Faça uma pesquisa mais aprofundada sobre o assunto e levante novas questões, dê uma abordagem diferenciada ao tema, e se for o caso, levante alguma polêmica sobre o que já foi apresentado em outros lugares. Uma das funções do Inbound Marketing é promover a discussão.

Crie relacionamentos internos de conteúdo

Outro aspecto interessante de um conteúdo relevante é a complementação da informação. Muitas vezes é inviável colocar toda a informação em um único texto, pois isso o tornaria extenso e sabemos que muitas pessoas não tem paciência para ler. Mas existem pessoas que desejam se aprofundar mais na matéria. Como resolver isso?

A solução é simples, crie linkagens internas ou até mesmo externas para outros conteúdos que complementem a informação que você deseja passar. Isso além de deixar seu conteúdo mais completo, também irpá dar uma boa força no seu trabalho de SEO do site.

Agora que você já tem uma boa ideia sobre como criar conteúdo relevante para o seu negócio, o que acha de começar a desenhar uma estratégia de marketing de conteúdo para ele? A gente pode te ajduar, entre em contato para retirar dúvidas:

 

[sc name=”call-to-action-especialista”]

 

Fonte do artigo: Academia Mkt

 

n_40073_2f2433ffc71c83c9a171c9fbf731aade

5 tendências de marketing de conteúdo

Confira 5 tendências de marketing de conteúdo para você aplicar em seu blog:

1) Pesquisa por voz

 

O Google anda investindo bastante nas pesquisas por voz, cuja estratégia é bem simples: tornar a busca do usuário mais rápida e prática. Afinal, as pessoas andam escrevendo cada vez menos e querendo cada vez mais rapidez em sua experiência como usuário.

De acordo com pesquisa do próprio Google, desde 2017, cerca de 20% das consultas feitas na plataforma são a partir de uma pesquisa por voz.

Invista em plataformas que operem com essa tecnologia. Assim, você auxilia o usuário na busca por informação ao otimizar seu site para um SEO que leve em consideração esse comportamento do usuário.

 

2) Conteúdo em vídeo

 

Em quatro anos, o crescimento do consumo de vídeos na internet subiu 135%. A preferência vira uma oportunidade para quem acompanhar essa tendência, que só deve ganhar força em 2019.

Os vídeos são capazes de se sobressair a imagens e textos, engajando e retendo mais a atenção do público. Vale produzir lives ou até vídeos dinâmicos explicando o funcionamento do seu produto ou serviço e respondendo as principais dúvidas dos clientes. O importante é atrair a atenção do usuário.

No caso das lives, por exemplo, assistir vídeos ao vivo proporciona ao espectador a vantagem de consumir o seu conteúdo em tempo real. Com caráter de informação exclusiva. É como se você estivesse fazendo parte da vida da pessoa, visto que ela poderá te assistir de qualquer lugar e de onde estiver. No que diz respeito ao posicionamento no Google e SEO do site, o buscador já deixou claro a sua preferência por conteúdos multimídias.

Mais um ponto para as empresas que estiverem atentas a isso em 2019 e saírem na frente.

 

3) Influenciadores digitais

 

Não estamos falando daqueles influenciadores mega famosos. Se a estratégia da empresa é falar com determinado público e/ou nicho – e não com o objetivo de ter o maior alcance possível – o foco precisa estar nos pequenos e microinfluenciadores digitais. São eles que podem alavancar a sua estratégia digital ao mostrar que consomem o seu produto ou serviço.

É aquela velha história: fazer propaganda sem cara de propaganda, sem ser aquela coisa forçada, comprada. Nessas horas, os (bons) influenciadores entram em cena.

 

4) Automação de conteúdo (Chatbots)

 

A automatização do atendimento ao cliente – sem desconsiderar a personalização e a brand persona! – possibilita a redução de erros e o rápido feedback tão necessário nas redes sociais.

E isso vai muito além das respostas automáticas. Utilizar o chatbot não deve parar por aí!

Com a automação é possível coletar dados sobre os seus clientes e utilizá-los para outras estratégias de marketing. Que tal produzir um conteúdo super segmentado de acordo com os interesses do seu público?

 

5) Topic Clusters

 

No universo do SEO, essa é uma grande novidade. Topic Clusters, ou no português literal “Grupo de Tópicos”, é um recurso que trabalha termos de busca por agrupamento de acordo com relevância e interconexão.

Em outras palavras, você organiza seu conteúdo para que os assuntos sejam aglomerados de forma clara e complementar. Você produz um conteúdo principal, com uma palavra-chave mais genérica, e vários outros relacionados e linkados entre si que fortaleçam o tema em seu site para o usuário e para o Google.

A proposta é que os produtores de conteúdo não usem mais as palavras-chaves de forma “solitária”. Agora, palavras alocadas em um mesmo grupo, com alta relevância entre si, ativarão os algoritmos do Google. A ferramenta, por sua vez, entregará o melhor resultado de busca ao usuário.

Fonte: aldeiaconteudo

Sem conteúdo, sua empresa está ficando para trás!

[fusion_builder_container hundred_percent=”no” equal_height_columns=”no” menu_anchor=”” hide_on_mobile=”small-visibility,medium-visibility,large-visibility” class=”” id=”” background_color=”” background_image=”” background_position=”center center” background_repeat=”no-repeat” fade=”no” background_parallax=”none” parallax_speed=”0.3″ video_mp4=”” video_webm=”” video_ogv=”” video_url=”” video_aspect_ratio=”16:9″ video_loop=”yes” video_mute=”yes” overlay_color=”” video_preview_image=”” border_size=”” border_color=”” border_style=”solid” padding_top=”” padding_bottom=”” padding_left=”” padding_right=””][fusion_builder_row][fusion_builder_column type=”1_1″ layout=”1_1″ background_position=”left top” background_color=”” border_size=”” border_color=”” border_style=”solid” border_position=”all” spacing=”yes” background_image=”” background_repeat=”no-repeat” padding_top=”” padding_right=”” padding_bottom=”” padding_left=”” margin_top=”0px” margin_bottom=”0px” class=”” id=”” animation_type=”” animation_speed=”0.3″ animation_direction=”left” hide_on_mobile=”small-visibility,medium-visibility,large-visibility” center_content=”no” last=”no” min_height=”” hover_type=”none” link=””][fusion_text]

Gerar conteúdo que realmente entregue valor para sua persona, ao mesmo tempo que atenda as exigências de qualidade cobradas pelas ferramentas de pesquisa, faz com que sua empresa ganhe visibilidade e autoridade online.

Ainda de acordo com a Content Trends 2018, 86,7% dos respondentes usam o Google para procurar conteúdos e informações. Se seu concorrente aparece entre as primeiras posições, e sua empresa está no fim da página, ou sequer aparece entre as opções da primeira página, você está perdendo reconhecimento de marca e acessos ao seu site.

Os resultados da Content Trends mostram que empresas que adotam o Marketing de Conteúdo geram 2,6 mais visitas que aquelas que não adotam a estratégia:

media-de-visitas

media-de-visitas

O Marketing de Conteúdo não acaba quando a pessoa chega ao seu site ou blog. Pelo contrário, estratégias de conversão e nutrição com conteúdo ajudam a gerar mais leads, oportunidades e vendas.

Por isso, a diferença é ainda maior quando comparamos a geração de leads. Empresas que adotam o Marketing de Conteúdo geram 3,7 mais leads que aquelas que não adotam a estratégia:

Sim, você já está saindo atrás dos seus concorrentes, e não existe previsão de melhora. Pelo contrário:

media-de-leads

media-de-leads

Publicar conteúdos pertinentes para sua persona gera resultados quase imediatos, principalmente se alinhado a uma boa estratégia de divulgação nas mídias sociais e e-mail marketing. Isto fica claro quando olhamos para o gráfico de uma empresa que não investia em Marketing de Conteúdo, e passou a fazê-lo, como a Kenoby:

indice

indice

É possível perceber o impacto imediato da publicação e divulgação de conteúdos, a partir de setembro de 2016. Os primeiros conteúdos geraram picos de acessos, que não se consolidaram até por volta de março de 2017. Depois dos primeiros 6 meses de acessos inconstantes, percebemos um resultado semanal estável de acessos orgânicos.

Entretanto, é a longo prazo que os resultados do Marketing de Conteúdo se destacam. A partir de abril de 2017 os acessos iniciam uma crescente constante, que é afetada pelo período de recessos de janeiro, mas voltam a escalar rapidamente após.

Perceba que mesmo nesse período de recesso, os resultados alcançados nos fins de semana superam os picos gerados nos primeiros meses de estratégia. Isso é resultado da consolidação dos resultados orgânicos, que geram tráfego constante para o blog.

Isso fica claro quando olhamos os resultados de empresas que têm estratégias de conteúdo bem estruturadas e documentadas. Assim como a Kenoby, é possível ver curvas similares em outras empresas.

Como funciona uma busca no Google?

Quando você realiza uma busca, não está pesquisando a internet em si, mas sim as páginas que o Google possui em seu índice. O motor de busca utiliza a ferramenta denominada GoogleBot para vasculhar páginas, indo de link em link, e indexando as páginas a seu índice..

Uma vez que você digita uma palavra-chave e realiza a busca, o sistema procura no índice quais páginas possuem a palavra-chave que você digitou, e as coloca em ordem de relevância de acordo com alguns fatores.

Por que ranquear bem leva tempo?

O Google sempre procura entregar o melhor conteúdo possível para cada palavra-chave buscada, e por isso está continuamente avaliando seu site para definir se ele é uma boa fonte de informação para seus usuários. Este processo determina a autoridade de domínio do seu site.

Domínios que têm mais autoridade tem chances maiores de ranquear melhor, afinal o Google já reconhece que eles são fontes confiáveis de conteúdo. Para ser considerado uma boa fonte de informação, o Google avalia fatores como:

  • frequência de produção de conteúdo;
  • como os conteúdos performam em mídias sociais;
  • quanto tempo as pessoas passam na sua página e no seu site;
  • a quantidade de links entre páginas do seu site;
  • a quantidade e qualidade de links de outros sites apontando para o seu.

Existem diversos outros fatores que influem diretamente no posicionamento dos seus conteúdos, mas esses são os mais importantes para gerar autoridade no mercado e mostrar ao Google que seu site merece estar nas primeiras posições das páginas de pesquisa.

A questão aqui é: não é possível construir autoridade de mercado em pouco tempo. Seus conteúdos precisam de tempo para receberem acessos, serem compartilhados em redes sociais e receberem links externos que demonstram sua relevância. Seu blog precisa de tempo para estabelecer uma frequência de publicação e acessos constante, gerar autoridade e virar referência em sua fatia de mercado.

Um pequeno passo para seu blog, um salto gigantesco para seu SEO

Depois de alguns meses planejando, criando, publicando e divulgando conteúdo, você certamente vai viver momentos de decepção com sua estratégia. Esses momentos irão definir se você terá sucesso com seu Marketing de Conteúdo.

Todos os cases de sucesso de estratégias de conteúdo tem uma coisa em comum: continuidade. A persistência na criação de conteúdo vai construindo uma base orgânica que se transforma em uma máquina de geração de oportunidades à longo prazo.

A cada conteúdo publicado, você:

  • abre uma nova porta para que potenciais clientes te encontrem e acessem seu site;
  • constrói autoridade para o público, e se coloca na posição de especialista para toda vez que ele tiver uma dúvida;
  • melhora seu posicionamento no Google, pois aumenta sua autoridade, mantém mais pessoas em seu site por mais tempo e gera mais chances de receber visitas e links.

Conteúdo não é uma tendência de marketing passageira. É o presente e futuro do marketing digital.

Fonte: Marketing de Conteúdo.

[/fusion_text][/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]