selective focus of toy shopping cart with small carton boxes near laptop, e-commerce concept

Naming: Descubra o que é e conheça 12 dicas para criar o nome de uma loja online

A fase de planejamento para iniciar um novo negócio digital envolve diversos detalhes, e um ponto-chave do negócio é o nome. Para isso, uma importante ferramenta é o naming, um método que envolve um conjunto de práticas para guiar uma decisão assertiva.

Essa tarefa estratégica tem grande influência sobre como será a experiência do consumidor com a marca, sendo comumente considerado desde o primeiro instante do contato.

O nome de um negócio pesa sobre a primeira impressão das pessoas, antes de qualquer outra informação.

Portanto, se está no processo de estruturação de um novo negócio, como um e-commerce de adesivo de vinil.

Assim como uma linha de produção para vendas online ou qualquer outro empreendimento, ou mesmo se apenas buscando mais conhecimento estratégico, esse texto é para você.  

Visto que trouxemos 12 dicas de naming, para auxiliar nesse momento tão crucial para o nascimento de uma marca, portanto, continue lendo e confira.

Construindo o nome do seu e-commerce

Seguindo uma metodologia desenvolvida exclusivamente para auxiliar os empreendedores nesse processo crucial, certamente você fará uma escolha que acarretará bons resultados. 

Para começarmos, tenha em mente que estamos falando do ponto central da identidade da sua empresa.

1. Olhe para seu objetivo

Antes de escolher o nome do seu negócio para um lindo cartão de visita pessoal,  o primeiro passo é ter seus objetivos, princípios, valores e propósitos muito claros.

Afinal, um nome deve comunicar a essência do seu negócio, aquilo que quer transmitir com a sua marca.

Aconselhamos fazer exercícios de brainstorm, dinâmicas que reúnem a equipe envolvida com o projeto para uma “tempestade de ideias”, literalmente.

Tome nota de tudo e aproveite essas reuniões, em um primeiro momento, as ideias podem não fazer sentido ou serem desconexas, mas talvez se analisadas de outros ângulos, podem trazer insights geniais.

Esse é um ótimo exercício para todo o desenvolvimento do Plano de Negócio de uma empresa, como uma assistencia tecnica LG smart TV, por um profissional empreendedor.

Sendo assim, atenção para não iniciar um negócio sem essa ferramenta-chave norteadora do projeto. 

Os riscos envolvidos se tornam potencialmente grandes quando não há o planejamento adequado.

2. Seja estratégico e não limite seu negócio

Nesse momento é importante ter um cuidado especial para não se limitar quanto às possíveis expansões futuras.

Seja pela criação de novas linhas de produtos ou mesmo pela ampliação dos serviços para outras localidades.

Fuja de nomes muito específicos e de expressões regionais, assim o seu e-commerce se mantém flexível para as possibilidades.

3. Seja criativo

Nesse momento de planejamento você não deve se limitar, exercite sua criatividade ao máximo, inspire-se e esteja aberto a novas ideias, como as seguintes: 

  • Desenvolva conceitos literais e figurativos;
  • Busque por sinônimos;
  • Considere palavras estrangeiras;
  • Considere palavras compostas;
  • Brinque com o som e com fonemas;
  • Teste prefixos e sufixos;
  • Teste alterações ortográficas;
  • Considere adicionar números;
  • Teste inversões.

Crie alternativas e visualize suas aplicações práticas, já imaginando como seriam as redes sociais do seu novo e-commerce que vende computador completo para gamers, para darmos um exemplo mais prático.

Imagine também as possibilidades de nomes em relação ao logotipo, a identidade visual e os demais detalhes. Quanto mais original e criativo você for, mais tem a ganhar.

4. Faça listas

Anote todas as possibilidades, crie listagens de pontos fortes e fracos, prós e contras, qualidades e diferenciais dos nomes que achar mais interessantes.

Pense nos adjetivos e associações possíveis. Com uma lista ficará bem mais fácil  visualizar os possíveis cenários, pesar as opções e tomar a melhor decisão.

5. Pesquise e use a tecnologia a seu favor

Até mesmo para auxiliar o processo criativo, as pesquisas são essenciais. 

Vários pontos que vamos citar a seguir envolvem uma pesquisa detalhada, o que evita margens para problemas.

Buscar os significados, e fazer uma busca no site do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) com os possíveis nomes para uma gráfica online de digitalizacao 3D, ou para qualquer outra empresa, é essencial.

Além disso, a tecnologia pode ajudar muito, pois existem diversas ferramentas desenvolvidas exclusivamente para o naming, como sites geradores de nomes, por exemplo. Certamente muitas ideias aparecerão.

6. Use palavras-chave para potencializar o SEO

Em negócios digitais, o SEO (Search Engine Optimization), que podemos traduzir como Otimização para Mecanismos de Busca, é uma ferramenta essencial para garantir um posicionamento de destaque para uma empresa.

O uso de palavras-chave é um de seus focos principais. Mas, usá-las no nome não é uma regra, apenas uma dica que pode trazer muitas vantagens em relação às pesquisas em mecanismos como o Google ou Bing. 

Por exemplo, uma loja de camisa gola polo personalizada, posiciona-se organicamente mais fácil, tendo palavras como “polo” ou “moda” em seu nome. Essa dica vale para o slogan também.

7. Analise os concorrentes

Outra pesquisa que deve ser feita é um diagnóstico da concorrência, afinal nomes iguais são altamente prejudiciais para os negócios, e para ambas empresas.

Além de ferir os direitos de propriedade intelectual, portanto, tome cuidado.

Ao mesmo tempo, seus concorrentes podem ser uma exímia fonte de inspiração. Busque cases de sucesso em sua área, e aprenda com eles.

8. Conheça muito bem seu público-alvo

Ainda mais importante do que conhecer sua concorrência, é conhecer detalhadamente seu público-alvo.

Esse é o pilar central de seu Plano de Negócio, e obviamente, fará toda a diferença na escolha do nome de sua empresa.

Escolha um nome que combine com o consumidor, com sua realidade e com suas expectativas a respeito de seus produtos ou serviços.

Seguindo o exemplo anterior, pense em um nome para sua loja de camisa com logo bordado, que projete o valor do negócio, e crie uma conexão entre marca e público.

9. Prefira nomes curtos e simples

Escolher um nome mais simples facilita o engajamento do público. Cuidado com escolhas impronunciáveis e muito longas. 

Um nome curto também deixa o registro do domínio mais simples, além de ajudar na fixação na mente dos consumidores.

Considerar o uso de siglas, pode ser uma boa saída para quem está com dificuldades, pois é uma solução simples e fácil de memorizar, mas tenha muito cuidado quanto a sua originalidade. 

10.  Cuidado com as associações

As possíveis associações devem ser consideradas, uma vez que um risco comum é que o nome escolhido possa não transmitir a ideia que você esperava.

Pesquise sobre o significado dos termos em outros países e culturas, e evite erros de interpretação ou até mesmo conflitos. 

11. Peça a opinião do seu público

O foco do seu negócio deve ser o público, e pedir sua opinião é uma boa forma de fazer a melhor escolha para poder confeccionar um belo cartao de visita advogado, ou mesmo para guiar no design de sua página. 

Sendo assim, lembre-se de usar a tecnologia a seu favor, visto que existem diversas formas de fazer esse contato, como:

  • Formulários do Google;
  • Enquetes no Instagram;
  • Enquetes no Facebook;
  • Contato direto via WhatsApp;
  • Contato via email.

Além de valorizar o conceito de quem realmente importa, nesse processo você já inicia uma conexão e um diálogo com o público, e de uma ótima forma, ao mostrar que quer saber sua opinião.

12. Confira a disponibilidade de domínio

Para um negócio virtual, o domínio é tão importante quanto o próprio nome, afinal uma URL simples, intuitiva e de fácil digitação, garante um maior tráfego em sua página.

Existem ferramentas, como o site no qual você pode pesquisar a disponibilidade do domínio de seu interesse, a partir de uma lista de possibilidades. 

Outra opção para fazer a checagem de disponibilidade é o site de registros de domínios. Caso tenha dificuldades em relação ao domínio, uma dica é testar extensões alternativas ao  “.com.br”.

Considerações finais

Portanto, após essas 12 dicas de naming, uma estratégia desenvolvida por profissionais para auxiliar empreendedores nessa que é uma das decisões mais importantes.

Antes mesmo de uma empresa sair do papel, certamente esse será um processo mais simples.

Escolher um nome para o seu negócio digital é um momento estratégico, e sabemos que após essa leitura você já tem um excelente norte para as melhores escolhas.

Tome essa decisão com calma e tente não se pressionar, afinal, esse costuma ser um momento delicado para qualquer empreendedor.

É normal que fazer essa escolha leve um certo tempo, e é bem melhor que demore mais, mas seja realmente uma opção assertiva e que trará bons resultados, do que optar pela primeira coisa que vier à cabeça.  

Além disso, nesse artigo você também viu que utilizando a tecnologia, você já pode iniciar o relacionamento com seu público, então não perca essa oportunidade. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Elderly man is using mobile phone

Usabilidade: Descubra como impactar de maneira positiva o usuário que navega no seu site!

O comércio virtual vem crescendo cada vez mais e o seu desenvolvimento nos últimos anos foi intenso e bastante rápido. Hoje, entenderemos como melhorar a usabilidade de seu site e impactar de maneira positiva todos os usuários que navegam por ele.

O meio digital tem sido de grande ajuda para diversas empresas e pessoas que buscam empreender, sendo que o cenário e a forma como negócios são vistos nos dias de hoje são totalmente diferentes de como era a alguns anos atrás.

Atualmente, todos têm informação a apenas um clique de distância e isso se reflete também nos produtos ofertados por incontáveis lojas, comércios e organizações, ou seja, se tornou cada vez mais difícil se destacar nesse meio.

Mesmo que você venda um computador completo com o melhor atendimento e qualidade disponíveis, ainda assim, podem não ser o suficiente.

Afinal, o mercado está cada vez mais competitivo e movimentado. Em outras palavras, as empresas têm de sempre estar se reinventando.

Isso não necessariamente é algo ruim, afinal, quanto mais acirrada for a competição, melhor as empresas terão de desenvolver seus produtos e serviços, consequentemente, o consumidor tem mais opções e oportunidades de compra.

Sendo assim, em um mercado repleto de possibilidades, o seu site não pode ser mal desenvolvido ou correr o risco de não ser atrativo o suficiente, independentemente se oferece assistencia tecnica Apple Iphone ou se é focado na venda de cosméticos.

O seu site muitas vezes é o primeiro contato que o cliente tem com o seu negócio, e no mundo de marketing e vendas, as primeiras impressões marcam bastante e podem ser decisivas para uma possível conversão desse lead ou a completa perda dele.

Em poucas palavras, o seu site deve ser um lugar agradável e que instigue o usuário a continuar pesquisando sobre seus produtos e sabendo mais da empresa, se informando do porque ela é boa e como o seu serviço pode ser essencial para ele.

Pensando nesse contexto, vamos entender como o seu negócio de papel de parede 3D, logística ou até mesmo venda de camisetas pode se beneficiar ao construir um excelente site. Confira no próximo tópico.

O impacto de um site com alta usabilidade

Pensemos em um cliente, pode ser tanto uma pessoa física quanto uma organização, que esteja procurando sobre algum serviço em específico e encontre o seu site. 

Para que você chame a atenção dele, serão necessários em alguns elementos, como:

  • Fluidez do site;
  • Design e layout;
  • Conteúdo;
  • Interação do usuário.

Quanto melhor esses elementos estiverem bem desenvolvidos dentro do seu site, melhor será a experiência do usuário e mais satisfeito ele ficará ao navegar pelo seu site. 

Não apenas isso, mas que ele se sinta instigado a voltar a ele.

O seu site é como se fosse uma espécie de flyer de divulgacao e serve tanto de forma informativa como forma de divulgação. 

Sendo assim, alguns benefícios podem ser adquiridos ao desenvolver melhor o seu site.

Cria uma melhor impressão

Como dito anteriormente, a primeira impressão é a que fica, portanto, não tenha receio de investir pesado no layout e no visual do seu site. 

Pense bastante em sua identidade visual, na forma como disponibiliza imagens, links e a própria formatação dele.

Sites que não se preocupam com esse elemento causam estranheza no público, mesmo que eles não saibam diretamente o que os está incomodando. 

Portanto, um site bonito e esteticamente interessante chama muito mais atenção.

Quando um site não é bonito e atrativo, a grande maioria dos usuários nem oferece uma chance para navegar nele, portanto, sua empresa deve ter isso em mente, servindo como uma espécie de grafica cartao de visita.

Maior taxa de conversão

A boa experiência do usuário do seu site está diretamente ligada a conversão desses leads em clientes em potencial, podendo futuramente até mesmo fidelizá-los.

Afinal, quanto maior a satisfação do lead, maior a probabilidade dele virar seu cliente.

Claro que existem diversas outras formas de aumentar a taxa de conversão de sua empresa, mas é muito melhor que isso aconteça de forma mais natural do que forçar isso com altos investimentos. 

Muitas vezes o custo-benefício não compensa. Portanto, pense em cada etapa de desenvolvimento do site.

Estabelece um grande diferencial no mercado

Seja na venda de uma caixa display papelao ou em algum aparelho celular, por exemplo, com tantas novas empresas e empreendedores surgindo no mercado atual, se tornou comum que não existam tantos sites tão bem desenvolvidos assim.

Muitos por falta de experiência, outros por faltas de investimentos eficazes, mas a realidade é que ter um site bem construído, fluido e com conteúdo pode ser necessário um investimento que empresas iniciantes podem não ter.

Portanto, quanto mais você investe em seu site, mais se distancia do comum e ganha um certo destaque, mesmo que o produto ofertado seja algo simples como um banner com foto.

Como construir um bom site?

Existem diversas estratégias e práticas de mercado que te ajudam a construir um site bom, eficiente, fluido e atrativo. 

Portanto, vamos destacar algumas dicas do que você e sua empresa devem focar para o desenvolvimento do seu site.

01 – Trabalhe com marketing de conteúdo

Essa sem dúvida é uma das melhores alternativas que você pode utilizar para deixar o seu site muito melhor, facilitando a geração de leads e fazendo com que se tenha um maior engajamento com a sua empresa, e consequentemente, com a sua marca.

O marketing de conteúdo é uma estratégia baseada em criar conteúdo relevante e de qualidade para o seu público e fazer com que eles venham até a sua empresa e não que a empresa vá até o cliente.

Pense no seu ramo de trabalho e em um conteúdo informativo que você pode desenvolver para que as pessoas se sintam motivadas a voltar para o seu site. 

Dessa forma, você faz um marketing do produto ou serviço e o usuário já está no lugar certo para encontrá-lo.

Independentemente se o foco da sua empresa seja impressao digital ou até mesmo sobre peças automotivas, essa é uma das formas mais eficazes de atrair clientes e impactá-los de maneira positiva.

02 – Crie uma estrutura simples

É extremamente comum que muitas pessoas confundam quantidade com qualidade. Pense em algo simples, bonito e atrativo para o seu site. 

De nada adianta preenchê-lo com diversas informações que não levam a lugar nenhum apenas para fazer com que se pareça melhor.

Pense na navegação do usuário, crie painéis que facilitem com que ele vá até onde quer de forma simples e fácil. 

Um bom exemplo é colocar uma espécie de guia lateral por onde ele irá navegar, indo para qualquer canto do site com apenas uma pesquisa rápida.

Esse tipo de facilitação cria uma maior fluidez durante o acesso, que é um ponto que estamos destacando desde o começo do texto. Simplicidade e eficiência são a chave para o sucesso.

03 – Faça investimentos na divulgação

De nada adianta oferecer o melhor produto e serviço e ter um site incrível e bastante funcional se as pessoas não sabem como te encontrar. 

Para isso, é necessário um determinado investimento em marketing e divulgação.

Utilize as redes sociais para promover o que você tem a oferecer, sempre orientando os clientes a visitarem o site para maiores informações e conteúdo caso queiram se inteirar mais do assunto e saber mais curiosidades.

Outra técnica que pode ser utilizada é a utilização e estudo dos SEO, que são as ferramentas de busca do Google, fazendo assim com que o seu site seja melhor ranqueado no momento em que alguém pesquisa por algum produto em específico.

Dessa forma, seu site será alimentado com link de mais qualidades, com boas parcerias e com boas indicações de outros sites, fortalecendo o algoritmo do Google e fazendo com que ele entenda o quão bem estruturado e bom o seu site é.

Considerações finais

Hoje, entendemos como a usabilidade pode melhorar o desempenho do seu site e impactar os usuários de maneira positiva.

Além de alguns benefícios muito importantes que você pode adquirir e boas dicas de como colocar essa estratégia em prática.

Utilize as informações aqui disponibilizadas para aumentar o tráfego de usuários pelo seu site e se tornar mais relevante no mercado de trabalho, adaptando tudo de acordo com a realidade da sua empresa, afinal, você a conhece melhor do que ninguém.

Sendo assim, planeje por onde irá começar o seu site ou melhorar ainda mais o desempenho dele. Lembre-se de utilizar a sua criatividade.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

chat-bot-f

6 vantagens da automação de marketing

Quando se ouve falar em automação, a maioria de nós imagina esteiras industriais e braços robóticos, mas não é bem assim. Existe também um tipo de automação de marketing, que pode ajudar e muito uma empresa a se alavancar.

Neste caso, o que temos são processos e ações típicas do marketing digital, que simplesmente dispensam a ação humana, a não ser para configurá-las. Basicamente, esta já é uma realidade no mercado atual, embora nem todo mundo conheça.

Algumas delas já são até populares, como quando você entra em um site para cotar um notebook novo, e um chat se abre sozinho no canto da tela, conversando com você e tirando dúvidas básicas. Muito provavelmente, era um chatbot.

Sendo assim, um robô digital desenvolvido para lidar com questões básicas como preços, prazos, status de ordem de serviços e afins. O que favorece esse tipo de tecnologia são os algoritmos digitais, que a cada ano se tornam mais desenvolvidos.

Um exemplo são os grandes motores de busca, que já falam em machine learning (algo como “aprendizado da máquina”). Nesses casos, os robozinhos dos buscadores já são capazes de fazer análises sintáticas em frases escritas ou mesmo faladas.

Outra frente que tem evoluído muito nesse sentido são as redes sociais, que também têm tudo a ver com o marketing digital, tanto quanto os motores de busca. Justamente, por isso, elas permitem um nível de segmentação de públicos que é incrível.

Se a marca trabalha com sala de reunião pequena, a automação/inteligência artificial das redes permite que a empresa faça anúncios para aparecer somente para um perfil de usuários. No caso, pequenos empresários que estejam próximos das salas comerciais.

Afinal, que sentido faria falar sobre sala de reunião pequena com adolescentes que nem sequer trabalham ou pagar para aparecer para grandes empresários que precisam de espaços maiores ou que estão em outros locais do país, bem distantes?

Daí a importância de segmentar o perfil do usuário, localização dele, ticket médio que costuma investir e daí em diante. Além disso, sites institucionais, blogs, marketplaces, e-mails marketing e várias outras frentes também podem ser automatizadas.

Por isso, decidimos escrever este artigo, trazendo os principais conceitos da área, bem como as 6 maiores vantagens da automação de marketing. 

Se você quer desfrutar de tudo isso, basta seguir adiante na leitura.

1. Só os melhores leads

Acima falamos sobre segmentação, mas isso é o que ocorre nas redes sociais e nos motores de busca.

Agora, quem já fez algum esforço no marketing digital, sabe da dificuldade de atrair apenas as pessoas certas, e na hora certa.

Tudo bem que mesmo dentro do seu próprio site é possível já contar com um público mais assertivo, justamente por meio de anúncios feitos em mídias sociais e buscadores. Assim, quem chegar ali por essas vias vai ter o perfil do seu público-alvo.

Contudo, e se alguém vier de fora, como saber que você não vai acabar perdendo tempo por gerar leads de pessoas desinteressadas? Um modo incrível de fazer isso é criando formulários de preenchimento, como para recebimento de newsletters.

Você pode fazer isso no seu blog sobre avaliação de ativos (gestão patrimonial típica de advogados e consultores), oferecendo um e-book sobre o assunto. A automação entra quando você integra isso com um pop-up inteligente, por exemplo.

Ele pode ser programado para aparecer somente quando determinado comando for executado, ou seja, não será apenas um formulário estático no começo da página.

Talvez ele apareça somente quando a pessoa navegar até o fim, atingindo um percentual da barra de rolagem. 

Ao fazer isso e interagir apenas com quem interagiu com seu conteúdo, você captará os melhores leads, de gente realmente interessada.

2. Integração dos vários canais

Se conseguir filtrar apenas os leads realmente interessados já é um avanço e tanto, a automação de marketing pode ir além e integrar os vários canais que citamos acima.

Hoje as principais frentes são as seguintes:

  • Buscadores;
  • Redes sociais;
  • Site institucional;
  • Blogs e vlogs;
  • E-commerces.

Essa integração consiste em conseguir atingir o cliente ideal em qualquer um desses canais, especialmente quando se trata de um lead que, por exemplo, abandonou o carrinho, como no caso do remarketing.

Na verdade, mesmo antes da compra essa integração pode ter um poder enorme. Imagine que você trabalha com academia de hidroginástica, e uma vez que o cliente entrou no seu blog ou pesquisou isso nos buscadores, seu anúncio ganhou destaque na rotina dele.

Então, ele vai ver um banner seu nos demais sites que entrar (graças à rede de displays dos motores de busca), seja um blog, um portal de notícias ou um vídeo que ele queira assistir.

Com o tempo, isso vai gerar uma presença que o usuário tende a associar com autoridade, o que reforça sua marca e potencializa os resultados comerciais.

Internamente a marca pode fazer isso não apenas com e-mail marketing, mas até mesmo com SMS. Assim, o lead além de receber e-mails recebe mensagens de celular, lembrando ele de ações que podem ser feitas para benefício próprio.

3. O atendimento fica mecânico?

Um receio muito comum quando se fala em automação de marketing, é os empresários ou gestores acharem que se trata de algo robotizado demais, como deixar o cliente no telefone falando com uma atendente eletrônica.

Não é nada disso, na verdade o atendimento fica muito mais personalizado, e não mecânico ou superficial. 

O primeiro exemplo é o da própria integração referida acima, que faz com que o cliente tenha impressão de que há uma pessoa por trás das ações.

Por isso, outro benefício da automação de marketing é sua capacidade de melhorar o atendimento e com isso, tornar o engajamento muito mais assertivo. Outro exemplo é o próprio e-mail marketing.

Imagine que o lead está avançando no funil de vendas, sobre creme hidratante para o rosto. Cada novo e-mail disparado aprofunda mais o assunto, falando sobre importância do cuidado com a pele, depois sobre composição do produto, enfim as melhores marcas.

Uma pessoa jamais poderia fazer isso manualmente com centenas ou milhares de clientes. A automação faz isso, e a impressão que o lead tem é de que está sendo melhor tratado do que em qualquer outro lugar, jamais sentido que a comunicação é “mecânica”.

4. Unificação entre equipes

Se tem um problema que pode comprometer o resultado das vendas de uma empresa é a falta de harmonia entre duas equipes fundamentais: a do marketing e a do comercial.

Pela ótica do funil de vendas, o topo do funil e parte do seu meio precisa ser dominado pelo pessoal do marketing, até que o lead se torne um prospect, e do meio para o fundo do funil, possa ser trabalhado pelos vendedores.

Mas, essa transição é desafiadora. Por exemplo, uma empresa de projetos de automação industrial, há várias etapas de idealização desses projetos, então os funcionários precisam acompanhar a jornada de compra do cliente em potencial.

Além disso, geralmente, quando o lead está perto da fase de prospect, é comum que ele esteja cotando outras opções do mercado também. 

Sendo assim, se a empresa perder muito tempo, pode acabar perdendo a oportunidade para a concorrência.

A automação de marketing ajuda a evitar que isso ocorra, já que programas como o CRM (Customer Relationship Management) fazem, justamente, a Gestão de Relacionamento com o Cliente, com alertas de cada etapa do funil de vendas.

5. Como anda o seu CAC?

O famoso Custo de Aquisição por Cliente é um dos indicadores mais importantes para uma empresa manter em dia. Basta somar todos seus custos com marketing e divulgação, e dividir com os clientes conquistados.

Pronto, é o custo que você teve para trazer cada um deles. Agora imagine a diferença entre prospectar clientes na rua, de porta em porta, ou fazer isso pelo marketing digital, com todas as suas automações típicas.

Se uma papelaria vende envelope personalizado para imprimir, quantos ela pode vender pelo balcão, durante o dia? E quantos clientes ela pode impactar anunciando para o país todo, com uma loja virtual automatizada com as opções descritas acima?

6. Fidelização e sustentabilidade

Por fim, um termo muito em voga hoje é “sustentabilidade”. Pouca gente sabe, mas ele não remete apenas a questões ecológicas, mas também a questões financeiras.

Uma empresa sustentável é uma empresa que se mantém faturando e lucrando. Para isso, o que ela precisa é fidelizar seus clientes, e a automação de marketing pode ajudar e muito nisso, de maneiras bastante diversas.

Aliás, elas evoluíram bastante nos últimos anos. Se o cliente fechou com você um lote de flyer digital, há muito mais para fazer do que disparar um e-mail de boas-vindas. Hoje é possível enviar dicas customizadas, bem como artigos de blog que o ajudem.

Além disso, há pesquisas de satisfação que o ajudam a expressar em que seu negócio pode melhorar. Tudo isso só reforça como essas 6 vantagens da automação de marketing tratadas acima podem, realmente, mudar a realidade de qualquer empresa.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

com-integrada

Comunicação integrada: conheça as vantagens dessa estratégia

A comunicação integrada é a união de todos os elementos que compõem a equipe de comunicação de uma empresa.

Em um mercado cada vez mais competitivo e amplo, é preciso encontrar características que se destaquem de seus concorrentes. Pensando nisso, a adaptação deve ser constante e sempre buscando a melhoria para o processo e para o cliente.

A comunicação é uma destas mudanças em constante movimento. A cada inovação tecnológica, surgem novas formas de se comunicar e de compartilhar informações.

Sendo assim, é preciso compreender que não existe mais apenas uma forma de dialogar enquanto empresa.

Todas as informações que a empresa cria, desde um e-mail interno a um banner de loja, fazem parte do que a comunicação precisa cuidar. Por isso, quanto mais uniforme for o diálogo da companhia, melhor será o resultado.

Dentre as diversas formas de comunicação, a integrada é a que mais se adequa ao mercado atual. Isso porque ela une elementos como planejamento, estratégias e a utilização dos meios de comunicação em prol do objetivo da companhia.

Apesar de todas as áreas de uma empresa se beneficiarem com esse tipo de comunicação, certamente uma das mais afetadas positivamente é a de marketing. 

Isso porque o marketing busca alcançar novos públicos e clientes, e a comunicação é parte fundamental dessa tarefa.

É importante que toda a empresa esteja no mesmo tom.

A comunicação integrada garante que todos os colaboradores, desde gestores até o operacional, consigam compreender o objetivo que a empresa busca e consigam trabalhar em conjunto para alcançá-lo.

Uma empresa de cordão para crachá personalizado precisa falar a mesma língua para que seus clientes consigam efetuar a compra, e a equipe comece a desenvolver o trabalho, sem que haja lombadas no caminho.

De acordo com a AMA (American Marketing Association), a comunicação integrada é um planejamento realizado para que todos os contatos realizados pela empresa sejam relevantes para a jornada de compras do cliente.

Evitando assim, o desgaste na comunicação ou contatos desnecessários.

Isso significa que qualquer empresa que deseje uma boa comunicação deve estar pronto para compreender a necessidade de seus clientes e como facilitar esse processo para conseguir bons resultados.

A base da comunicação integrada é saber que todas as mensagens, não importando qual canal ou tipo de conteúdo será utilizado, deve ser apresentada de forma única, com todos na empresa falando a mesma língua.

Um simples flyer de festa pode conter uma série de informações relevantes, então é preciso que a equipe de comunicação se manifeste.

A comunicação integrada vai além da relação entre consumidor e marca, inclusive. Ela atinge toda a comunicação interna da empresa.

Quando houver a necessidade de redigir qualquer tipo de comunicação para seus colaboradores, é importante que todos estejam falando a mesma língua.

A ideia desse formato é combinar todas as áreas que se envolvem com a comunicação, entregando uma mensagem final que demonstre o quão forte a empresa é e o quão unida está sua estrutura corporativa.

Por isso, todos aqueles que falam em nome da companhia, desde o teleatendente ao responsável pelo contato com a imprensa devem ter um discurso unificado e que passe a sensação de solidez quando for se comunicar.

Que objetivos a comunicação integrada possui?

A comunicação integrada tem quatro objetivos básicos, dos quais falaremos um pouco a seguir. Eles são:

  • Consistência;
  • Coerência;
  • Continuidade;
  • Complementaridade.

Com relação à consistência, o foco é manter a comunicação sem nenhuma contradição. Isso significa que todos devem falar o mesmo discurso. Uma empresa na qual cada pessoa fala uma coisa perde credibilidade no mercado, e por consequência, clientes.

Se a empresa adotou um cartão de visita colorido novo, é importante que todos na empresa entendam o que houve de mudança e porquê, para evitar que os discursos não batam.

Por isso, é fundamental que todos compreendam a necessidade de ter uma comunicação homogênea. Todas as comunicações devem encaminhar diretamente para a mesma direção, com foco na missão da empresa.

Já a coerência é fundamental para harmonizar as etapas de comunicação da empresa. Quando há um tipo de comunicação definido para um canal de atendimento, não faz sentido que os outros canais tenham ações diferentes.

A coerência pede que o discurso da empresa seja igual em todos os canais de comunicação, para evitar confusão e desconforto com clientes que possam estar tentando compreender o funcionamento da empresa.

Isso significa também que em todas as etapas da venda esse discurso deve permanecer igual.

Quando você oferece mais durante o processo de venda, mas não tem recursos o suficiente para o atendimento pós venda, a visão que o consumidor terá de sua companhia pode ser bem negativa.

Por isso, ter um espaço para alugar uma sala de reunião pequena precisa de uma comunicação clara para evitar qualquer desentendimento.

Esse tipo de reação pode acabar prejudicando a empresa, principalmente, porque um cliente insatisfeito costuma ser bem vocal com relação aos problemas que teve, e pode acabar afastando potenciais consumidores de fazerem negócios com você.

A continuidade diz respeito às constantes comunicações que ocorrem durante toda a jornada de compra. Um cliente pode ficar muito insatisfeito de ter que ficar se repetindo o tempo todo.

Hoje em dia, existem ferramentas tecnológicas de registro de atividade, então quando um cliente ligar, é possível fazer um pequeno relatório do atendimento efetivo e em caso de nova comunicação, o atendente já saberá do que se trata e como agir.

Esse tipo de ação é muito importante para manter a experiência do usuário positiva durante todo esse processo.

Uma pessoa que deseje comprar marmitex para empresa poderá aproveitar para conseguir novos resultados ao se comunicar de forma mais assertiva.

Por fim, a complementaridade é o ato de usar suas ferramentas de comunicação de forma unida. Integração só é possível com esse tipo de recurso, uma vez que todos os canais de comunicação estarão conectados.

Se todas essas ações são realizadas, fica muito mais fácil identificar os resultados.

Vantagens da comunicação integrada

A comunicação integrada traz uma série de benefícios tanto para o consumidor quanto para a empresa. 

Por isso, é preciso realizar um bom planejamento e estar preparado para essa mudança, que acabará sendo muito benéfica para a companhia.

Efetividade ao promover ações

Quando sua comunicação funciona de forma fluida, é muito mais fácil conseguir promover uma ação, seja ela de venda ou engajamento. 

Qualquer pessoa acabará identificando muito melhor seus objetivos se todos se comunicarem da mesma forma.

Assim, quando você decidir fazer uma promoção com sua empresa de motoboys, é preciso que todos falem o mesmo discurso para evitar retrabalhos.

Sendo assim, quando optar por criar uma ação, qualquer que seja, o retorno acabará sendo muito maior, e a tendência é que dúvidas sejam cada vez menos frequentes uma vez que a comunicação esteja em dia.

Diminuição de gastos

Falhas na comunicação significam retrabalho, desperdício e em casos piores, a desistência do cliente em fechar uma compra. 

Por isso, quando você opta pela comunicação integrada, é muito mais fácil resolver qualquer pendência que o cliente tenha.

Dessa forma, você consegue reduzir a necessidade de explicar novamente uma informação que foi passada, além de conseguir aproveitar o conteúdo de suas ações de marketing em diversas mídias, economizando na criação de novas peças.

Oportunidades de marketing

Conseguir usar o marketing digital e o tradicional de forma unida é uma tarefa que não é simples, mas pode trazer excelentes resultados. Pensando nisso, a comunicação integrada é a melhor forma de fazer esse vínculo.

Muitas pessoas têm dado mais atenção ao marketing digital, uma vez que ele ainda é uma novidade e traz ótimos resultados. Mas, é importante continuar com suas estratégias de marketing tradicional se você pretende se manter competitivo no mercado.

Por isso, quanto mais você conseguir integrar em sua empresa, melhor. A comunicação uniforme de sua companhia permite uma série de outras junções importantes para um bom desenvolvimento do trabalho.

Fortalecimento da marca

Quanto mais firme sua empresa for em sua comunicação, mais respeitada ela será. Isso porque os consumidores entenderão que o posicionamento da empresa é sério e profissional, confiando muito mais na hora de fechar um negócio.

Por isso, é de fundamental importância que o discurso da empresa esteja sempre alinhado, principalmente, com ligações a missão, visão e valores da empresa.

Esse tipo de atitude é muito respeitada no mercado, e além do prestígio também traz novas oportunidades de negócios.

Todas as mídias devem estar alinhadas com o mesmo discurso, seja uma publicação na internet ou uma gravação de áudio para propaganda.

Clientes que ouçam falar da postura de sua empresa se sentirão muito mais inclinados a ouvir o que você tem a dizer e iniciar um engajamento comercial.

Além disso, as dúvidas e questionamentos dos clientes ficarão cada vez menores se sua equipe estiver qualificada e fortalecida para responder qualquer tipo de dúvida.

Considerações finais

Uma das principais funções dentro da empresa é a comunicação. É por intermédio dela que todas as informações internas e externas são passadas. Por isso, é fundamental estruturar esse fator para que todos na empresa falem a mesma língua.

A comunicação integrada é uma excelente maneira de manter todos no mesmo ritmo, garantindo assim um sucesso muito maior e relevância dentro do mercado, conseguindo conquistar muito mais clientes e oportunidades de negócio.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

remarketing

Remarketing: o que é e porque fazer

Você já ouviu falar do remarketing? Essa é uma estratégia muito usada no ambiente digital, já que permite que as empresas possam anunciar mais de uma vez no Google Ads.

No artigo de hoje, saiba mais o que é o remarketing e porque fazer com que essa estratégia seja parte do seu planejamento de comunicação é vantajoso. Acompanhe a leitura!

Mas, afinal, o que é remarketing?

O remarketing, como o próprio nome sugere, significa fazer um marketing novamente para a mesma pessoa. Ou seja, a intenção é gerar impacto mais de uma vez, especialmente em um usuário que já tenha demonstrado interesse no produto.

Por exemplo, um usuário que viu o seu anúncio sobre vinho para presente, mas não efetuou a compra, tem grandes chances de ser convencido com uma estratégia de remarketing.

Na prática, as campanhas podem ser feitas através do envio de conteúdos por e-mail, que reativam os clientes na base de busca e, desse modo, incentivam os usuários a tomarem alguma ação (como a compra do produto).

O remarketing também pode ser usado em diferentes situações, como para relembrar que os itens foram esquecidos em um carrinho de compra, ou até mesmo para avisar de promoções no seu e-commerce.

Outra opção é usar a tecnologia do banco de dados para orientar anúncios patrocinados específicos. Assim, se um usuário procurar por buffet de massas e acaba se deparando com uma empresa específica, é possível direcionar a propaganda pelo Google Ads.

O próprio Google divulgou o potencial da estratégia de remarketing. De acordo com a plataforma, cerca de 97% dos usuários não se convertem logo de início. Por esse motivo, o remarketing aparece como uma estratégia extremamente válida.

Hoje em dia, também é possível fazer remarketing com outras mídias de marketing, como no Facebook. Afinal de contas, as redes sociais tornaram-se muito populares nos últimos anos, influenciando fortemente a tomada de decisão dos usuários.

Quais as principais vantagens do remarketing?

O principal objetivo do remarketing é aumentar o número de conversões, isto é, potenciais clientes, ou como são mais conhecidos, os leads. Para isso, a estratégia atua de forma simples, já que raramente o usuário realiza uma compra de primeira.

Sendo assim, o remarketing permite que o consumidor tenha um contato mais próximo com a marca, já que os anúncios e os conteúdos são personalizados, tornando as mensagens muito mais eficientes e assertivas. 

Dessa maneira, quando alguém procurar por uma lembrancinha com chocolate, mesmo sem realizar a compra, o usuário passa a ser cada vez mais convencido de que vale a pena investir no produto.

Dá para pensar no remarketing como uma versão follow up, só que voltada ao ambiente digital – em especial, para gerar conversões.

Para termos uma ideia, cerca de 58% das pessoas gostam de receber e-mails que informam mercadorias em liquidação. Além disso, cerca de 51% dos usuários afirmam que preferem conteúdos personalizados e tratamento VIP. 

Em conjunto, 41% dos adultos, entre 25 a 34 anos, apreciam os e-mails sobre abandono de carrinho. Por isso, vale a pena investir no remarketing.

Como investir em uma campanha eficiente de remarketing?

Diante de todas as vantagens do remarketing, muitas organizações estão investindo cada vez mais na estratégia. No entanto, é necessário criar um planejamento eficiente, identificando os leads em sua jornada de compra e personalizando o conteúdo.

Para facilitar esse trabalho, o remarketing trabalha com um sistema de listas, que será a base para a segmentação das mensagens de e-mail. Normalmente, as listas se dividem conforme o tipo de ação tomada pelos usuários.

Por exemplo, se alguém já fez um pedido com motoboy entrega, a lista do remarketing pode incluir uma campanha que ofereça descontos para os próximos produtos.

Algumas opções de ações com remarketing são:

  • Ofertas e produtos em liquidação;
  • Campanhas para se inscrever em newsletter;
  • Cupons de desconto;
  • Avisos de esquecimento no carrinho de compras;
  • Download de materiais ricos e informativos.

Partindo disso, é possível estruturar mensagens, layouts e anúncios personalizados, que ajudam a obter destaque com o método de remarketing.

Quais são as formas de remarketing com o Google Ads?

Além das campanhas de e-mail, o remarketing também é facilmente aplicável no Google Ads. De modo geral, há duas formas de aplicar a estratégia: através da Rede de Display e da Rede de Pesquisa.

Na sequência, conheça as especificações de cada uma delas.

Rede de Display

A Rede de Display consiste em um grupo de sites parceiros que dispõe de um espaço para publicar anúncios online dentro de suas páginas. Ou seja, são ambientes em que se pode divulgar banners para impactar os usuários.

A grande vantagem da Rede de Display é a presença de imagens chamativas, que despertam o interesse do público.

Ou seja, funciona como uma espécie de cartão de visita colorido, só que online.

Rede de Pesquisa

Já a Rede de Pesquisa cria um anúncio padrão e com um texto específico. Dessa forma, quando alguém faz uma pesquisa na página de resultados, o site aparece como um dos primeiros resultados de busca.

A Rede de Pesquisa inclui as seções de busca no Google Imagens, Google Maps e Google Shopping, bem como os sites parceiros.

Como criar uma estratégia de remarketing no Google Ads?

Criar uma campanha de remarketing na rede de Pesquisa é uma forma de fazer com que o seu anúncio continue aparecendo na internet. Sendo assim, é mais fácil alcançar o sucesso e o reconhecimento da sua marca.

Para criar uma estratégia de remarketing no Google Ads, o procedimento é simples. A seguir, conheça o passo a passo:

  • Faça o login no Google Ads;
  • Vá até Ferramentas e Configurações;
  • Clique em “Origens do público-alvo” e conheça as listas disponíveis;
  • Clique e configure a sua tag;
  • Selecione os dados que deseja coletar, segundo as especificações;
  • Conclua e confirme o procedimento.

É importante conhecer as especificações do seu público-alvo. Afinal de contas, quem está interessado(a) em empresas de refeições coletivas possui algumas características muito específicas, que tornam o seu marketing mais direcionado.

Para a configuração da Rede de Pesquisa, o procedimento é um pouco diferente.

O primeiro passo é fazer a otimização de palavras-chave, sendo indicada para aqueles usuários que clicam em um anúncio de campanha, mas não realizam uma compra.

Dessa maneira, ao aumentar o lance das palavras-chave da sua campanha no Google Ads, é possível aumentar suas chances de aparecer no topo da lista de pesquisas. Como consequência, há uma maior conversão.

Também é fundamental customizar o texto dos anúncios, fazendo pequenos ajustes. Alguns termos como “frete grátis” e “promoções” são capazes de aumentar ainda mais as chances de conversão, tornando o seu anúncio muito mais eficiente.

Além do mais, não se pode esquecer de aplicar as palavras-chave. Ou seja, se o termo que tiver um bom índice de pesquisa for stand para evento, é necessário usar a palavra ao longo do seu texto de descrição.

Como aliar o remarketing com a estratégia de inbound marketing?

O remarketing pode ser combinado com o inbound marketing para desenvolver uma estratégia de comunicação digital muito eficiente e poderosa. Dessa forma, antes de limitar o envio de e-mails pontuais, também é possível promover conteúdos interessantes.

Com isso, é possível tornar os seus usuários visitantes mais corriqueiros no seu site, sendo uma forma de gerar leads, da mesma forma que para fidelizar os clientes.

Isso porque o conteúdo é um dos grandes diferenciais do ambiente digital.

Afinal de contas, quando se procura por um marmitex para empresa no Google, o interesse é ir além do preço do produto, mas também conhecer mais sobre o item, como as opções de refeições, calorias, entre outros.

Perceba que o remarketing sozinho foca apenas em acelerar a decisão de compra, enquanto o inbound marketing tem o objetivo de criar um relacionamento saudável com os leads, acelerando a caminhada ao longo do funil de vendas.

Conclusão

O remarketing é uma das estratégias mais eficientes para aumentar o número de conversões e alcançar um número maior de potenciais clientes. Apesar do nome ser um pouco estranho, as campanhas de remarketing são muito eficientes e comuns.

Uma das melhores maneiras de aplicar essa estratégia é por meio das campanhas de e-mail. Através delas, é possível enviar mensagens personalizadas, como ofertas, descontos e avisos de esquecimentos em carrinhos de compras.

Dessa maneira, é possível aumentar o número de leads e, com isso, ter maiores chances de sucesso e reconhecimento da sua marca.

O artigo de hoje trouxe algumas especificações sobre como aplicar a estratégia de remarketing de maneira eficiente e, desse modo, conquistar sucesso com as suas campanhas.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Em pleno 2019, alguém lê e-mail?

Em pleno 2019, alguém lê e-mails?

Vamos falar um pouco sobre lista de e-mails qualificados (ou leads), mas afinal o que é um lead? Um lead nada mais é que o contato de possível cliente, seja o telefone, e-mail, ou qualquer outra forma de contato. Um lead é uma pessoa que está aguardando alguma forma de contato.

O e-mail é o meio de contato mais antigo da internet, a internet toda surgiu por causa da troca de mensagens entre instituições, e até hoje é utilizado ativamente, por praticamente todos os usuários da internet.

Você já deve ter ouvido falar que o e-mail marketing já morreu, e eu escuto isso todo ano, ano após ano, mas eu lhe afirmo, não acredite! Vou tentar te convencer do porquê dessa afirmação está errada, com números e fontes de dados (nada melhor que estatísticas não?!).

Vamos começar do porquê usar e-mail? Uma pergunta comum que ouço no dia a dia, eu tenho alguns dados simples vamos a eles:

58% dos consumidores abrem seu e-mail logo pela manhã, antes de suas redes sociais. (fonte)

91% dos consumidores usam e-mail diariamente. (fonte)

77% preferem receber mensagens promocionais por e-mail, com a sua autorização (ou seja, eles se forem autorizados, as empresas estão aptas a enviar promoções de seu interesse) (fonte)

Para cada R$ 0,25 reais gastos com e-mail marketing, você pode esperar um retorno médio de R$ 10 reais. Então aproveite ao máximo esse ROI. (fonte)

E se ainda não está convencido, de acordo com o Radicati Group, temos mais de 2 bilhões de usuários de e-mails no mundo, a quantidade de e-mails enviado se recebidos por dia está aumentando em 5% a cada ano, e até o final de 2019, deve chegar a 246 bilhões de e-mails.

Mas afinal por que as pessoas acham que o e-mail marketing não funciona?

Existem muitas razões dos quais as pessoas acham que o e-mail marketing não funciona, mas ao me fazer essa pergunta eu vejo apenas duas razões em minha mente: As redes sociais e o spam.

Marketing de mídia social

A maioria das pessoas se deixam levar pelo momento, o velho “efeito manada”, onde o ser humano precisa pertencer a um grupo, e segue cegamente o que está em evidencia, mas se esquecem que também é passageiro, e quando passar, terão que começar do zero em algum momento.

É inquestionável o crescimento das redes sociais, porém ainda assim as estatísticas provam que o e-mail está muito a frente se tratando de retorno sobre o investimento (ROI). As pessoas que compram produto comercializados por e-mail gastam 138% a mais que aqueles que não recebem ofertas por e-mail, o valor médio de um pedido de um e-mail é pelo menos três vezes maior que o da mídia social. A verdade é que as pessoas seguem as marcas nas mídias sociais, mas na verdade não querem que essas marcas entrem em seus DMs.

Marketing de e-mail ineficaz

Muitos acreditam que quantidade e não qualidade faz a diferença, já está mais que comprovado que lista de e-mails funciona, porém vários profissionais e empresas ainda acreditam que bombardear os leads de promoções a todo momento irá gerar vendas constantemente, e sabemos que não é bem assim. Isso ocorre porque muitas empresas pedem muito de seu público no começo, e esquecem que antes de pedir alguma coisa, precisam entregar algo de valor a elas.

Essas ações causam afastamento um afastamento temporário, digo temporário, pois mesmo que o usuário tenha sua caixa de e-mail invadida por spams e na falta de não conseguir organizá-la, a solução será, criar um novo e-mail e não parar de usar e-mail.

 

Uma estratégia de e-mail bem-sucedida é saber como conectar sua mensagem ao seu cliente de maneira que seja relevante para seus desejos, necessidades e estilo de vida. E se não usa ainda lista de e-mails está deixando dinheiro na mesa.