marketplaces

Amazon, Magalu, Mercado Livre e mais empresas com descontos de até 80% no Dia do Consumidor

As ofertas variam de descontos nos preços ao pagamento parcelado em até 30x sem juros

O Dia do Consumidor é comemorado em 15 de março e as varejistas premiam os consumidores oferecendo descontos ou benefícios para compra de produtos. Com promoções que têm descontos de até 80%, a semana promete ser agitada para o comércio eletrônico nacional. Confira, a seguir, a seleção da EXAME das melhores ofertas do Dia do Consumidor, que devem se estender por toda a semana.

Amazon

A Amazon já realiza, desde a semana passada, uma série de promoções de produtos que podem ter descontos de até 70% no preço dos itens.

Serão mais de 30 categorias de produtos, entre dispositivos eletrônicos, livros e e-books, artigos de escritórios, bens de consumo, eletrodomésticos e ferramentas. Itens de marcas como Havaianas, Tramontina, Nespresso, 3M, Wap e Stabilo também estão em promoção no site e aplicativo da Amazon. As ofertas são válidas até o dia 15 de março e os descontos vão de 15% a 70%.

Além disso, dispositivos da Amazon podem ter desconto de R$200, como as caixas de som inteligentes Echo (equipadas com a assistente Alexa), e o Fire TV Stick Lite, rival do Chromecast.

Americanas

Até 17 de março, a Americanas.com preparou para a Semana do Consumidor descontos até 80% no app, site e, também, nas mais de 1.700 lojas Americanas em todo o Brasil — apesar das restrições de circulação e aglomerações contra a covid-19. Entre os artigos em promoção, a Smart TV 4K UN7310PSC de 60 polegadas, da LG, e o tablet Android Samsung Galaxy Tab A de 8 polegadas, da Samsung.

O Boticário

O Boticário tem descontos de até 40% em produtos de beleza, perfumes e maquiagens na Semana do Consumidor. O período promocional começou no Dia Internacional da Mulher, 8 de março, e vai até 15 de março (Dia do Consumidor). As promoções estão tanto no site quanto nas lojas físicas da empresa.

Magalu

O Magazine Luiza tem descontos de até 70% no seu site e app. A promoção vale para diversas categorias, como artigos para casa, eletrônicos e livros. No aplicativo, o frete é grátis para compras a partir de 99 reais.

Mercado Livre

Até 21 de março deste ano, o Mercado Livre vai oferecer descontos de até 70% nas categorias moda, smartphones e eletrônicos. As compras feitas na área de supermercado da empresa também terá desconto. Na compra de 10 itens, o desconto é de 10%. Na compra de 15 itens ou mais, o desconto será de 15%. No período promocional, o frete grátis vale para compras de, no mínimo, 79 reais.

Ponto Frio e Casas Cahia

As lojas da Via Varejo permitem o parcelamento de compras em até 30x sem juros nos cartões do Ponto Frio e das Casas Bahia.

Fonte: Exame

amazon-pack7

Conheça as vantagens de anunciar seu produto na Amazon

A Amazon é o maior marketplace que existe atualmente, e por meio dele é possível comprar e vender uma variedade infinita de produtos e serviços.

A empresa foi criada em 1994 por Jeff Bezos, antes mesmo da popularização da internet e, a princípio, seu foco era a venda e distribuição de livros.

Essa plataforma tem ajudado milhares de pessoas e empresas a venderem pela internet, pois é altamente confiável e possibilita a venda para o mundo todo.

É comum, por exemplo, que plataformas e-commerce que estejam começando agora utilizem a Amazon como um canal de vendas, até se estabilizarem e se estruturarem no mercado.

Com o alto crescimento das vendas pela internet, esse marketplace tornou-se a primeira opção entre as pessoas que querem adquirir diversos produtos ou serviços.

O site é vantajoso tanto para quem vende, quanto para quem compra, afinal, é possível encontrar produtos de diversas partes do mundo, por um preço atraente. Isso fez com que marcas do mundo todo se reunissem na Amazon.

Se você está pensando em vender por meio da Amazon, neste artigo, vamos explicar o que ela é, para quê serve, como anunciar, suas vantagens e os resultados que podem ser alcançados por meio dela. Confira!

O que é a Amazon?

A Amazon é uma gigante do varejo online, que também permite que indivíduos e empresas vendam e exibam seus produtos através de sua plataforma.

É a mais popular entre empresas individuais e também entre as grandes lojas, pois está disponível em vários países e em muitos idiomas.

Dentre seus produtos mais populares está o Amazon Kindle e sua loja de aplicativos online. Ela também oferece serviços de software e infraestrutura para empresas e indivíduos.

No entanto, seu maior foco está na venda online de produtos dos mais variados setores, tais como:

  • Eletrônicos, como computadores, smartphones e câmeras;
  • Acessórios masculinos e femininos, como jóias e relógios;
  • Roupas e calçados;
  • Brinquedos e jogos;
  • Produtos para casa, cozinha e jardinagem;
  • Livros e papelaria;
  • Produtos automotivos.

Isso significa que muitos tipos de empresas podem vender pela Amazon, como no caso de uma loja de placa em acrilico para fachada, por exemplo.

Portanto, além de vender produtos próprios, como softwares e e-books, essa plataforma também serve para distribuir produtos dos mais variados tipos ao redor do mundo.

Como anunciar na Amazon?

Qualquer pessoa física ou empresa pode vender seus produtos na Amazon. Para isso, é necessário possuir um CNPJ ou um CPF válido.

Não é necessário ter contrato social ou qualquer documento do tipo para se cadastrar na plataforma. Isso facilita o processo para qualquer um que queria começar a vender por lá.

Para começar, é necessário se registrar como vendedor, fornecendo informações pessoais como nome, endereço, e-mail, telefone e documento de identificação.

Também é necessário possui um cartão de crédito internacional e uma conta bancária vinculada ao CPF ou CNPJ cadastrado. Após fazer o registro, basta publicar os produtos e começar a vender pelo site.

Tanto para quem quer vender rótulos em inglês, quanto para quem vai vender outros tipos de produtos, existem dois tipos de planos que serão escolhidos pelo vendedor.

O primeiro é para quem deseja vender menos de 10 itens por mês; e o outro, para quem tem um número ilimitado de vendas. Ambos os planos incluem o pagamento de uma taxa.

Além disso, é necessário pagar um valor de comissão a cada item vendido, que diz respeito a uma porcentagem do preço total da venda, o que inclui valor do item, despesas de envio e embalagem para presente.

Os vendedores recebem seu pagamento pela Amazon a cada quinze dias, através de depósito em conta bancária, que é informada no instante do registro.

O site da empresa disponibiliza um canal para que os vendedores acompanhem os pagamentos e as datas em que os depósitos serão realizados.

Essa forma de pagamento acontece mesmo quando o cliente opta por pagar suas compras parceladas. Ou seja, se ele comprou uma impressora evolis dualys 3 parcelada em 3 vezes, o vendedor vai receber o valor integral.

Vendedores que optarem pelo plano profissional podem vender seus produtos internacionalmente. Mas só é possível fazer vendas pelas plataformas da Amazon dos Estados Unidos, Canadá e México.

Todas as vendas podem ser gerenciadas por meio de uma única conta, não sendo necessário criar um acesso em cada uma dessas plataformas.

Além das categorias que citamos anteriormente, existem outras, no entanto, nestas é necessária uma aprovação. Dentre elas estão:

  • Alimentos e bebidas;
  • Produtos de beleza;
  • Games;
  • Produtos para bebês;
  • Saúde;
  • Cuidados pessoais.

Vantagens e resultados de anunciar na Amazon

A Amazon conseguiu se estabelecer como a primeira plataforma de marketplace do mundo. Com isso, uma loja de sistema de detecção e alarme de incêndio wireless, por exemplo, consegue ter acesso a uma série de vantagens e resultados, tais como:

1 – Mais vendas

Não é necessário pensar muito, e uma única empresa tem milhões de clientes ativos todo mês, visitando o site em busca dos mais variados produtos.

A Amazon possui mais de 300 milhões de contas ativas por mês e mais de 170 milhões de visitantes únicos, com mais de 100 bilhões de rendimentos. Portanto, é a melhor opção para a maioria dos compradores.

Quando o varejista lista seus produtos na Amazon, automaticamente adquire mais credibilidade e confiança por parte do público consumidor.

Isso acontece porque alguns clientes preferem comprar apenas a partir da Amazon, e isso inclui produtos como pulseira berloque prata fina.

Visto que no site eles encontram excelência e serviço de primeira qualidade, que não sabem se encontrarão em uma loja que nunca ouviram falar.

Isso atrai inúmeros compradores para a plataforma, inclusive em países onde o comércio online ainda não engatou.

Exemplo disso é uma loja que venda 10 peças de roupas por dia em seu site, passar a vender 20, somado às vendas da Amazon. 

2 – Expansão internacional

A Amazon é uma das maiores e mais confiadas plataformas de compra e venda do mundo, além de ser extremamente fácil começar a vender por meio dela.

Isso é somado ao fato de que, para que uma loja comece a vender para o mundo todo, ela precisa traduzir o seu site para diferentes idiomas, seja uma loja de roupas ou até mesmo de uma fabricante de balcão promocional expositor.

Isso custa tempo e dinheiro, além de não ser atraente para quem está começando agora. A Amazon poupa esse esforço e permite que um pequeno negócio se expanda para qualquer país.

Isso permite que um varejista teste, de maneira rápida, se os seus produtos interessam ao mercado global, apenas com a criação de uma listagem na Amazon local.

Por sua vez, isso poupa o inconveniente de passar por sistemas de pagamento locais, logísticas e operações. 

Então, uma loja de produtos para casa que venda apenas no Brasil, pode começar a exportar seus produtos para países como os Estados Unidos.

3 – Baixo custo com marketing

A plataforma atrai, naturalmente, milhões de clientes interessados.

Dependendo do nicho da empresa, como no caso de uma loja de produtos de limpeza para cozinha de restaurante, por estar inserida em um mercado aglomerado, pode começar a vender no mesmo dia que se cadastrar.

Isso tudo acontece sem que seja preciso investir em marketing, ou seja, não há um investimento inicial para atrair o cliente e começar a vender.

No entanto, não podemos desprezar o fato de que existe uma competição intensa, o que faz com que seja preciso se destacar em meio aos concorrentes.

Isso significa que, apesar de não precisar de investimentos em marketing, se o vendedor tiver uma boa presença digital conseguirá se destacar com mais facilidade em meio a enorme base de vendedores da Amazon.

Exemplo desse baixo custo com marketing é a empresa não precisar divulgar suas vendas pela Amazon, pois os compradores a encontrarão. 

4 – Não precisa de estoque

A Amazon possui mais de 100 centros de distribuição ao redor do mundo, logo, o vendedor tem a opção de enviar todos os seus produtos do estoque em massa para um deles.

Lá, o inventário de uma confecção de adesivos personalizados, por exemplo, é armazenado, embalado e enviado para os clientes.

A Amazon FBA (Fulfillment By Amazon) é o armazém de estoques, gerente e remetente, e todo o serviço é feito por uma quantia bem pequena, em comparação ao que seria pago para outra empresa.

Portanto, além de se livrar do esforço de remessa, os produtos são qualificados automaticamente para o frete Amazon Prime, e priorizados para o Buy Box, o que gera um impacto muito positivo para as vendas.

Conclusão

Muitos negócios têm vantagens imensas e atingem excelentes resultados ao vender pela Amazon. Como você pôde ver, é uma plataforma interessante, tanto para quem está começando, quanto para quem já está há tempos no mercado.

As vendas online estão crescendo, e nada mais ideal do que contar com o maior marketplace do mundo para impulsionar o crescimento dos seus negócios.

Isso trará excelentes retornos, fortalecendo-o no mercado e conferindo a ele mais credibilidade perante o público-alvo.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

google-shopping

Google anuncia mudanças para entrar de vez no e-commerce e virar marketplace nos EUA

O Google anunciou, nesta terça-feira (14), durante seu evento anual Marketing Live, uma série de mudanças nas suas plataformas voltadas a anunciantes e lojistas. Com as novidades, a gigante das buscas começa a entrar de vez no mundo do e-commerce – nos Estados Unidos, Amazon é o principal concorrente.

De São Francisco, a empresa apresentou uma versão remodelada do Google Shopping que, a princípio, funcionará apenas nos Estados Unidos*. As atualizações permitem aos usuários navegar por itens e lhes dá opções para comprar um produto tanto do site da marca quanto em uma loja física próxima ao consumidor e, até, no site do próprio Google, em breve. Neste caso, o internauta verá o ícone de um carrinho azul que adiciona aquele item à sacola.

Caso os clientes tenham problemas com a compra ou não sejam reembolsados, fará a intermediação com o varejista, afirmou Oliver Heckmann, vice-presidente de Engenharia, Shopping e Viagem do Google.

O pagamento também será feito por meio da plataforma da gigante das buscas usando os meios cadastrados na carteira virtual da companhia.

Na prática, essas novidades fazem com que o Google se torne um marketplace, em um movimento que segue a tendência de redes sociais – o Instagram, por exemplo, também entrou de cabeça no comércio eletrônico recentemente.

A empresa nega, porém, que esteja se preparando para virar uma plataforma no mesmo modelo de players tradicionais, que ganham uma porcentagem sobre as vendas, e tornar-se uma concorrente. Segundo a gigante das buscas, os próprios marketplaces também podem usar o Google Shopping para alcançar mais consumidores e impulsionar as vendas.

Oliver Heckmann, vice-presidente de Engenharia, Shopping e Viagem, anuncia novo Google Shopping/Reprodução

Anúncios no YouTube

Como parte da remodelação dos produtos, o Google também vai dar a opção de fazer compras diretamente de vídeos no YouTube. Por exemplo, se um criador posta um tutorial de maquiagem, a gigante das buscas dará a chance de os internautas comprarem aquele item específico – como um tipo de batom ou máscara.

A companhia também anunciou que a sua nova “galeria” de anúncios vai aparecer nas pesquisas. O formato vai usar fotos de uma maneira similar ao que ocorre no Instagram. Outra novidade é o Discovery Ads – campanhas publicitárias em vídeo e foto que podem mirar determinados critérios demográficos e que serão inseridos no feed do YouTube e nas guias de promoção do Gmail.

Todas as novidades serão colocadas no ar “até o fim do ano”, segundo o Google. Não foi explicado em quais países as novidades aparecerão primeiro,, mas, segundo o Google, no momento não há qualquer previsão de chegada da nova experiência ao Brasil.

Concorrência

As novas ferramentas marcam uma ofensiva da empresa no mundo do e-commerce. A habilidade do Google para facilitar a venda direta é um grande fator – um movimento que coloca a companhia no mesmo patamar de competição da Amazon e do Instagram para atrair mais criadores de conteúdo e marca às suas plataformas de publicidade e vendas.

Com informações da CNET

*Texto atualizado no dia 16 de maio com a informação de que o serviço não tem previsão de chegada ao Brasil. A empresa também informou, posteriormente, que o Google Shopping não vai virar uma plataforma no mesmo padrão de outros marketplaces – essas empresas, inclusive, podem usar o Shopping como forma de impulsionar as vendas. 

Fonte: ecommercebrasil