Screenshot 2020-09-29 123051

Métricas de vaidade: saiba como elas podem atrapalhar sua estratégia de Marketing Digital

Medir o desempenho das campanhas é algo essencial para qualquer estratégia de marketing digital. No entanto, muitas vezes somos enganados pelas chamadas “métricas de vaidade”.

Isso significa que muitas informações atraentes, mas que não ajudam na tomada de decisões estratégicas, podem atrapalhar na percepção dos resultados da estratégia.

Ou seja, se cairmos no erro de observar os indicadores incorretos, podemos comprometer todas as demais iniciativas de marketing e, ao mesmo tempo, não oferecer um diagnóstico preciso de desempenho.

Por conta disso, é importante compreender mais sobre as métricas de vaidade e saber como elas podem atrapalhar na sua estratégia de marketing digital. Acompanhe mais no artigo de hoje!

O que são métricas de vaidade?

As métricas de vaidades são indicadores utilizados nas campanhas de marketing, mas que revelam informações que não ajudam em uma tomada de decisão ou interferem na percepção do resultados de campanhas.

Um exemplo bem popular refere-se ao número de curtidas em publicações nas redes sociais. 

Por exemplo, uma postagem sobre um kit lanchinho para festa infantil pode ter várias curtidas, mas se elas não se converterem em outras ações, como a geração de leads, de nada adianta.

 

Isso não significa que as métricas de vaidade devem ser ignoradas completamente. Mas, cabe destacar, que sozinhas não ditam o desempenho total do seu negócio. 

Mais ainda, elas não representam a visão macro das estratégias de marketing.

No exemplo acima, a quantidade de curtidas pode ser relevante para perceber quais conteúdos são preferidos pelos seguidores, mas elas não impactam diretamente na performance da empresa.

Para isso, ao invés de medir as curtidas, o melhor indicador seria a taxa de conversão.

Quais são as principais métricas de vaidade existentes?

Como dito, as métricas de vaidade envolvem qualquer indicador que não ajude na tomada de decisão.

Por esse motivo, elas podem variar conforme os objetivos da estratégia de marketing digital.

Entretanto, existem algumas evidências mais populares e que, em geral, são bem populares entre as métricas de vaidade. Conheça-as abaixo:

Likes e curtidas

É muito comum que as campanhas de marketing no Facebook sejam baseadas no número de likes na redes social.

Por exemplo, o anúncio de um anel de compromisso folheado a ouro pode ter tipo mais de mil curtidas. Contudo, além de definir o gosto do público, o que se faz com essa informação?

Ou seja, não há nenhum dado concreto que conduza a uma decisão estratégica. Por esse motivo, os likes são extremamente perigosos e são considerados a métrica de vaidade mais arriscadas da internet.

Fora isso, é preciso ter sempre uma suspeita quanto ao excesso de curtidas, já que, em muitos casos, é possível “comprar likes” de robôs.

Downloads de aplicativos

As marcas que trabalham com aplicativos muitas vezes se impressionam com a quantidade de downloads dos programas, mas isso não quer dizer, necessariamente, que o faturamento vai bem.

É preciso compreender a relação entre o número de downloads e as compras de pacotes de serviços. Até porque, ao mesmo tempo em que muitas pessoas baixam os app, também há uma grande taxa de desinstalação.

É claro que se uma empresa de desinfetante, por exemplo, acabou de criar um aplicativo e lançou o programa há pouco tempo, o número de downloads é uma métrica importante, pois verifica a aceitação do app no mercado.

Entretanto, a longo prazo, esse indicador pode não fazer tanto sentido mais. Por isso é sempre bom comparar e relacionar as métricas, para melhor avaliação da qualidade de uma campanha.

Isso indica que também é importante contextualizar tais métricas, bem como os objetivos da empresa para avaliar quais são os indicadores importantes para cada ação.

Cliques

Dependendo de como é vista, a taxa de cliques também é considerada uma métrica de vaidade. 

Isso porque, mesmo que as pessoas estejam clicando no seu anúncio, nem sempre isso leva ao objetivo da estratégia, que pode ser a venda ou o download de material, por exemplo.

Assim como nas curtidas, uma grande taxa de cliques com pouca conversão, não revela necessariamente um bom desempenho da campanha.

Por conta disso, recomenda-se ter certo cuidado com os “clickbaits”, que são aquelas famosas chamadas nas redes sociais, que prometem algo revelador, mas só estão ali para atrair cliques e fazem com que o público sinta-se enganado/lesado.

Seguidores

O número de seguidores aparece como uma das métricas mais populares nas redes sociais, principalmente no Facebook, Instagram e Twitter. 

Claro que se o perfil de uma funilaria para carros blindados tiver um grande número de seguidores, é algo interessante para a empresa, mas isso não é o único indicador relevante para a sua estratégia de marketing.

Tanto o Instagram quanto o Facebook contam com relatórios de análises muito mais amplos, que permitem verificar o que, de fato, está dando certo.

Compartilhamentos

Pode até parecer contraditório, mas em alguns casos, o número de compartilhamentos das suas publicações também é uma métrica de vaidade.

Embora esse indicador revele o engajamento do público e, ao mesmo tempo, garanta um tráfego maior para a sua página ou rede social, é necessário focar em estratégias posteriores.

Tal medida é essencial para que esses visitantes permaneçam no seu site e sejam convertidos em leads.

Por exemplo, um post no Reels do Instagram tem uma boa taxa de compartilhamento. 

Desse modo, um buffet de festas de 15 anos pode usar esse material para produzir um vídeo engraçado, mas mesmo com um alcance alto, é preciso ir além.

Por esse motivo, é importante associar a quantidade de compartilhamento com outros indicadores, para que esse número não estacione como uma métrica de vaidade.

Quais métricas realmente importam?

Diante de tantas métricas de vaidade, pode ser difícil para os gestores analisarem o real desempenho das suas campanhas. 

Para as agências, a dificuldade é ainda maior, pois é preciso apresentar resultados para os clientes, mostrando o porquê o número de seguidores não é, necessariamente, um indicativo de sucesso.

Muitas vezes, quando se faz campanhas para várias empresas de instalações elétricas prediais, por exemplo, os clientes querem ver números práticos e, por isso, há uma grande associação com as métricas de vaidade.

Apesar disso, há indicadores que fazem mais sentido e podem representar melhor os resultados do seu negócio. São eles:

Taxa de conversão

A taxa de conversão é uma das métricas mais relevantes no marketing digital. Ela revela a quantidade de visitantes ou seguidores que se tornaram leads, tendo um grande potencial para fechar negócio com a sua empresa.

Claro que nem sempre o objetivo da conversão é a venda. Isso irá depender muito dos objetivos da sua campanha. 

Por esse motivo, em alguns casos, esse indicador pode representar:

  • Quantidade de pessoas que baixaram um material rico;
  • Número de usuários que entraram em contato com a empresa;
  • Quantas pessoas optaram por um determinado produto;
  • Número de inscritos no formulário de e-mail marketing.

Independentemente disso, o mais importante é alinhar as análises das métricas com os objetivos da empresa, para elaboração de um relatório completo e bem organizado.

Conversões no funil

A partir do momento em que se tem o lead, ele já entrou no funil de vendas da sua empresa. Agora é o momento de alimentá-lo com conteúdos interessantes, para que ele caminha por todas as etapas.

Pode ser que o cliente esteja muito próximo de fechar a compra e, nesse momento, os detalhes se tornam importante.

Com isso, oferecer uma sacola TNT lembrancinha como mimo já pode fazer toda a diferença para a campanha.

Por esse motivo, é importante identificar em qual estágio o lead está e ofertar um conteúdo que realmente importa e voltado para solucionar a sua dor.

LTV (Lifetime Value)

O LTV mostra o relacionamento da sua empresa com o cliente, bem como o quanto aquele lead vale para o seu negócio.

Em geral, essa métrica é bastante associada com serviços por assinatura e estratégias de retenção, já que ela aborda o tempo gasto pelo cliente na sua empresa, incluindo as compras que ele fez em um determinado recorte temporal.

Assim, quando um lead faz o projeto de stand com a sua empresa e, depois de 12 meses, volta a fechar negócio, o cálculo envolve todo esse tempo e o dinheiro gasto pelo cliente, o que pode ser interessante para os lucros.

CAC (Custo de Aquisição por Cliente)

O CAC é uma métrica que avalia a relação entre o investimento feito pelo seu negócio e a prospecção do cliente. Ou seja, é o quanto a empresa gasta para conquistar o consumidor.

Esse indicador é fundamental para empresas que buscam um crescimento financeiro saudável, já que é possível orientar os investimentos conforme a demanda e necessidade.

Conclusão

Curtidas, seguidores, compartilhamentos. De fato, são fatores que crescem aos olhos de muitas pessoas, ainda mais quando se tem uma quantidade muito grande, com inúmeros likes em uma publicação, ou um boom de seguidores no seu Instagram.

Contudo, esses indicadores sozinhos não mostram o real desempenho da sua campanha: são métricas de vaidade. 

Por isso, vale a pena ir além, cruzando dados e olhando para outros pontos de performance (muitas vezes esquecidos, mas extremamente necessários).

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Referências

https://rockcontent.com/br/blog/metricas-de-vaidade/#:~:text=M%C3%A9tricas%20de%20vaidade%20s%C3%A3o%20informa%C3%A7%C3%B5es,seus%20esfor%C3%A7os%20no%20marketing%20digital.

00002072

Métricas da Vaidade: como não se entregar a elas

Quando falamos de redes sociais, a primeira coisa que vem em sua cabeça é número de seguidores, certo? Vejo muita gente se gabar por ter milhares de seguidores! Legal, mas será que isso é de fato uma métrica relevante? As métricas da vaidade são um problema para quem decide investir em marketing digital nas mídias sociais.

Empresas e profissionais liberais em vez de qualificar o que realmente tem importância em uma rede social ou blog, se preocupam em quantificar números que não expressam se uma estratégia deu certo, se houve conversão.

Uma vez recebi uma cliente aqui na agência questionando o porquê de não conseguir converter em vendas as promoções que postava no seu perfil: “eu não entendo, tenho 16 mil seguidores é só minhas amigas compram de mim”, comentou a cliente que estufou o peito para se referir ao número de seguidores em seu perfil.

Fazendo uma rápida análise, observamos que as interações em suas postagens não passavam de 1%, onde muitos likes e comentários eram de público masculino que com certeza não estavam interessados em comprar um vestido tubinho para uma baladinha sábado à noite.

Esse é um típico exemplo de métricas da vaidade. Quando apresentadas para um público não técnico, podem até parecer grandes coisas, mas quando submetidas a um julgamento crítico e profissional, se desmancham como um castelo de areias.

Então o que são as métricas da vaidade?

Definimos as métricas da vaidade, sejam elas em um site ou em redes sociais, como indicadores que medem quantidade e não qualidade.

Um perfil com 200.000 seguidores no Twitter pode ser um número espetacular, não acham? Bem, se você fizer uma análise minuciosa e descobrir que 1,5% dos seguidores deste perfil são realmente ativos, acredito que irá mudar de ideia.

Uma análise técnica deste perfil, chegamos à conclusão que esses números são pura ilusão e tomar decisões em dados que não correspondem o que realmente é preciso analisar, é o caminho para o fracasso, seja o ramo de atuação que for.

Números simples e rápidos de se obter, geram uma miopia que tornam essa “qualificação” equivocada que prejudica qualquer estratégia digital. O que importa é estabelecer métricas que realmente medem o valor e não a sua popularidade.

Alguns exemplos clássicos de métricas da vaidade

1 – Likes e coraçõezinhos no Instagram & cia

É muito comum comentários do tipo, meu perfil vai muito bem! Conseguimos X likes essa semana! Legal, mas e daí? O que você ganha de fato com isso? Ah já sei! Faz bem para o ego rs.

Posso ter dado um like porque gostei do título, ou da imagem com um gif de um cachorrinho fofinho que você colocou junto ou de uma foto sua fazendo pose na academia.

Considero Likes ou curtidas com a mais maldita das métricas que pode existir em uma postagem sem objetivo bem definido. Tive uma namorada que quando postava uma foto sua, ficava contabilizando o número de curtidas que havia recebido. Se o número era baixo, ela entrava quase em depressão, uma lágrima podia escorrer de seus olhos. Mas quando atingia uma marca satisfatória, ela ia radiante trabalhar, se sentia uma verdadeira super-star.

2 – Cliques

Outra métrica que geralmente soa como importante mas que pode se tornar mera vaidade.

A quantidade de cliques em uma postagem pode ser interessante para você saber quantas pessoas está levando para um site ou blog, ou estão clicando em um anúncio. Se não tiver uma estratégia bem definida, um objetivo, de nada adianta os cliques.

O post possui muitos cliques mas a taxa de conversão é baixíssima, o tempo de permanência no site é ínfimo, é preciso avaliar se a página de direcionamento condiz com a postagem e se sacia a expectativa da chamada.

3 – Compartilhamentos

Muitas pessoas compartilham a sua postagem, isso pode significar que algo deu certo!

Mas a quantidade de compartilhamento de uma postagem pode não dizer necessariamente que a sua estratégia deu certo. Por exemplo o compartilhamento de uma postagem de humor ou algo que não tenha nenhum objetivo por trás.

Compartilhamentos de seus conteúdos geram tráfego para o seu site. Mas quando esse tráfego já está bem definido, o que realmente importa é colocar esse usuário dentro de um funil de vendas, entregando conteúdo que realmente desperte o seu interesse em prosseguir em uma jornada de compra. Ai sim podemos medir a efetividade de postagens em uma rede social.

Existem muitas outras métricas como taxa de rejeição, downloads de seu aplicativo, seguidores, número de páginas visitadas, que se não tiverem objetivos bem definidos, não servem para nada.

Como fugir das métricas da vaidade

A primeira coisa a fazer é ser humilde o suficiente para entender o seu real tamanho e influência no mercado que atua. É preciso ser frio e analítico e definir quais métricas realmente são importantes para a sua estratégia.

Não é pelo número de seguidores que você tem no Twitter ou no Linkedin que vai determinar que você seja uma referência na área que atua. O número de seguidores não é uma métrica que necessariamente o define como um influenciador.

Não é pelo fato de você ter mais de 30 mil pessoas seguindo o seu perfil no Twitter ou Instagram, que você realmente seja uma referência na área em que atua. Passar o dia inteiro em busca de fãs ao invés de produzir conteúdo de qualidade, que gerem engajamentos, só vai trazer resultado para uma coisa: o seu ego.

Se você já conhece a Auris Ideias Digitais, você já sabe que a gente ajuda empresas a implementar vendas pela Internet. Então se esse for o seu caso e você precisa de uma ajuda para vender mais, é muito provável que podemos ajudá-lo. Logo abaixo clique em fale comum especialista e a gente vai poder entrar em contato com você e entender um pouco mais da sua empresa para ver se realmente a gente pode ser uma ajuda para o seu negócio.

[sc name=”call-to-action-especialista”]

Autor: André Cardia