seo_t20_Nxp07B

SEO: Como ele pode aumentar as vendas do seu e-commerce

Quando falamos sobre SEO para e-commerce estamos nos referindo, sem dúvida, a alguns dos termos mais importantes do universo digital. A razão para isso é bem simples, e vai ficar clara mais adiante.

Por um lado temos os e-commerces, que nada mais são do que o comércio eletrônico como um todo, o que envolve sites, plataformas e marketplaces que vão desde a venda de produtos de grande apelo popular, até venda entre empresas.

Esse tipo de negociação está entre as que mais cresceram nas últimas décadas, e hoje já concorrem seriamente com as lojas físicas. Já o termo SEO remete aos motores de busca, pois é uma sigla para Search Engine Optimization.

Trata-se da famosa otimização de sites, que faz o ranqueamento das páginas de modo a permitir que elas apareçam com destaque para ferramentas de busca como o Google, Bing e Yahoo, que hoje são os mais utilizados pela média dos brasileiros.

Só de ler isto, certamente você já se identifica com esse cenário e não deve duvidar que seja mesmo dessa forma. Ademais, há números e pesquisas que comprovam esse fato, ano após ano.

Uma pesquisa recente, realizada pelo Compre&Confie, demonstrou que o e-commerce cresceu mais de 70% no último período. O que, em termos de faturamento, significa mais de R$ 27 bilhões movimentados em apenas um ano.

Já sobre os buscadores, podemos nos focar no Google, que é o maior do mundo e concentra cerca de 90% das pesquisas totais. Segundo a Internet Live Stats, conceituada empresa de pesquisas, o número deles vem crescendo muito.

Atualmente, cerca de metade da população mundial realiza ao menos uma busca por dia. 

Isso significa que a plataforma Google processa mais de 3,5 bilhões de pesquisas, ultrapassando o número de um trilhão de buscas anuais.

Agora, imagina se você tiver um e-commerce ou se estiver migrando seu negócio físico para o digital, e consegue bons posicionamentos nesse motor de busca. A pesquisa por seu portfólio e suas soluções promete crescer espantosamente.

Com isso já fica um pouco mais claro o quanto faz sentido falarmos sobre SEO para e-commerce, não é mesmo? 

Para isso, é preciso ponderar que, embora tudo isso seja democrático e sirva a qualquer empresa, há dicas que não podem passar em branco.

Então se você quer compreender melhor como oxigenar suas vendas no e-commerce por meio da otimização das suas páginas, siga adiante na leitura e tome nota.

Qual a importância da palavra-chave?

Hoje em dia, quase todo mundo já utilizou um site de busca. Se você chegou aqui, pode ter sido por meio do link direito, talvez por indicação de alguém, mas é bem provável que tenha sido por uma pesquisa realizada no Google, no Bing ou no Yahoo.

No caso de ser por pesquisa, qual não foi a importância da palavra-chave que você utilizou, não é mesmo? Os buscadores registram buscas que vão desde sacolas de papel artesanal, até “melhor restaurante de comida japonesa perto de mim”.

Esse tipo de variação também diz muito sobre a importância da palavra-chave, sendo as mais comuns:

  • “Perto de mim”;
  • “Em SP” (RJ, MG, etc.);
  • “Comprar”;
  • “Detalhes”;
  • “Vantagens”;
  • “Preço”.

Isso mostra a conveniência e a facilidade que a plataforma costuma oferecer aos usuários.

O que pouca gente sabe é que a escolha das palavras-chave é uma técnica, quase uma ciência, que pode ser mensurada e agir conforme previsões bem acertadas. Não trata-se de sorte ou de “atirar no escuro”.

O que chamamos cauda longa são as palavras maiores, e cauda curta, as menores. Se você precisa ser encontrado pelas primeiras, como “empresas de instalações elétricas prediais”, certamente quanto mais assertivo for, melhor.

Hoje o próprio Google Ads, por exemplo, oferece o seu “Planejador de palavras-chave”, e ali, você verifica quais as variações mais assertivas dos principais produtos que comercializa no seu e-commerce.

Refere-se a um dos pontos essenciais da melhoria de sites, embora haja vários outros algoritmos que são igualmente importantes, de acordo com o que está aprofundado abaixo.

Sobre a descrição dos seus produtos

Uma dica fundamental para e-commerces é a da descrição do produto. Claro que toda descrição de produto é importante, mesmo fora da internet, porém, aqui se trata, como vimos acima, de cumprir algoritmos ou os famosos “robôs do Google”.

Não é difícil imaginar que muito do que os grandes buscadores posicionam foi selecionado por programação, e não manualmente. Isso é um algoritmo, é ele que se relaciona com você quando procura por vinho frutado tinto.

Eles têm evoluído cada vez mais, como para entender (baseado no seu histórico de pesquisa) se você procura vinho para comprar, ou se você apenas costuma ler artigos a respeito. Este é só um exemplo de possibilidades de interação.

Portanto, descrever bem seus produtos é essencial. Você será encontrado pelo texto, pela descrição dos itens do seu e-commerce. O mais importante aqui é a originalidade, e tem muito site grande que deixa isso passar batido.

Certamente é fácil copiar a descrição que está na caixa original do produto, mas, e se você conseguisse personalizá-la e dizer o mesmo só que do seu modo? Pratique isso, pois assim, o buscador vai reconhecer originalidade no seu conteúdo e priorizá-lo.

Às vezes, no próprio manual do software para loja de brinquedos que você anunciou, existem informações mais ricas sobre aquela solução. Pode ser que os outros sites não tenham explorado isso, então se você o fizer, com certeza vai sair na frente.

A originalidade e a relevância são o ponto central aqui. Também é possível fazer descrições mais aprofundadas ao pé da página, como se fosse um blog dentro da landing page ou página de vendas do seu e-commerce, tendência que tem crescido.

Dominando a parte técnica das páginas

Como estamos falando sobre algoritmos, programação e afins, há alguns termos técnicos que não podem ficar de fora. 

A vantagem é que essas plataformas são feitas para serem intuitivas e utilizadas por quase todo internauta.

Então, não se assuste ao ler algo como “meta description”. Trata-se da meta descrição e tem tudo a ver com o que dissemos cima. É simples, se você pesquisa por anzol triplo, sabe aquela descrição curta que aparece logo abaixo dos links?

Trata-se dela, que idealmente não deve ultrapassar 160 caracteres e precisa resumir perfeitamente o que o leitor vai encontrar ali. A dica de ouro é ser chamativo sem ser enganoso, afinal não adianta prometer algo que a página não entrega.

Outra questão técnica e igualmente fácil de manejar é a das URLs, que nada mais são que o endereço do site escrito “por extenso”, por assim dizer. Ou seja, o termo completo que aparece na barra de endereços do navegador.

Quanto mais amigável ela for, melhor será o seu posicionamento. Lembrando que aqui você não “conversa” apenas com os robôs da plataforma, mas também com seu leitor/cliente, que pode prestar mais atenção nisso do que você imagina.

Se o produto é guardanapo de papel infantil, certamente o mais atrativo (além de ter afinidade com o produto, lembrando da regra de não ser enganoso) vai ser algo como: www.seusite.com.br/promoção-de-guardanapo-de-papel-infantil.

Ou seja, esqueça aqueles endereços confusos, quase criptografados, que apresentam caracteres estranhos e são enormes ou sem sentido. Hoje, as próprias plataformas de desenvolvimento de site facilitam essa configuração.

Avaliações: sua história de sucesso!

Tudo o que foi dito até aqui deve ter reforçado a importância que a internet, os e-commerces e os motores de busca atingiram. Certamente, eles se comparam com a importância da televisão e do rádio nas décadas anteriores.

Uma vantagem gritante é que quase ninguém podia pagar por um anúncio em horário nobre na maior emissora do país. Hoje você pode aparecer na maior vitrine do mundo com sua empresa terceirizada de motoboy e com seu e-commerce que venda itens da área.

Mais do que aparecer, você pode escrever uma história de sucesso, oxigenando suas vendas, ampliando seu negócio e lançando bases sólidas para um crescimento escalável e sustentável, tendo resultados desde já, pensando no médio e longo prazo.

Você ainda pode transformar essa história de sucesso em outro fator de otimização. Muita gente utiliza a internet para buscar ou deixar opiniões sobre seu trabalho. 

Então, fique de olho nas avaliações que você recebe por lá, pois essas qualificações dizem muito.

Imagine a importância dos comentários em um produto como anel de formatura folheado a ouro, que lida diretamente com o sonho das pessoas e de uma família inteira, por remeter a um momento tão especial quanto uma formatura acadêmica.

Também não é preciso dizer que se trata de outro algoritmo mensurado pelos robozinhos do Google, não é mesmo? Então acompanhe, agradeça os clientes que deixaram bons feedbacks e considere contatar rapidamente os que manifestaram algo negativo.

Tudo isso demonstra como as técnicas de otimização podem aumentar as vendas do seu e-commerce.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

creative-ui-designer-teamwork-meeting-planning-designing-wireframe-layout-application-development_t20_GJovPR (1)

A importância de deixar o seu site mais responsivo

Hoje em dia, já não é mais segredo para ninguém a importância de ter um site para a sua empresa. Afinal de contas, é difícil encontrar pessoas que não usam a internet para compras, dado o grande crescimento das plataformas online.

De acordo com o relatório Digital In, as pessoas têm perdido o medo de comprar online. Em 2017, mais de 1,77 bilhões de pessoas (23% da população mundial) realizaram ao menos uma aquisição por e-commerces. 

Ao todo, mais de US$ 1,4 trilhão foram gastos, com um consumo médio de US$ 833 por usuário.

Além disso, mais de 28% das vendas online são realizadas por dispositivos móveis (tablets, celulares e smartphones), que concentram cerca de 43% do share de todo o mercado.

Isso reflete algumas mudanças pelas quais passa o mercado online. 

Os jovens de 26 a 35 anos são os principais usuários dos aparelhos de telefonia, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), e eles também estão entre o segmento de pessoas que mais compra pela internet.

Por esse motivo, não vai demorar muito para que os sites responsivos deixem de ser um diferencial da concorrência, para se tornarem uma obrigatoriedade para as empresas que desejam sobreviver no mercado online.

Afinal de contas, basta digitar qualquer coisa no celular, como “curso de transporte de passageiros”, por exemplo, e se deparar com muitos resultados. E, é claro, as pessoas vão preferir as páginas com boa navegabilidade em telas menores.

No artigo de hoje, conheça a importância de deixar o seu site mais responsivo e saiba como construir uma plataforma navegável em dispositivos móveis. Acompanhe a leitura!

Mas, primeiro, o que é um site responsivo?

Os sites responsivos são projetados para serem adaptados a qualquer tipo de tela, isto é, desde desktops até celulares, com uma boa resolução e sem deformações. 

A programação é especialmente desenvolvida para identificar a largura e o tamanho de cada aparelho, para então determinar o espaço em que a página irá aparecer.

Importante ressaltar que os sites responsivos ajustam perfeitamente as imagens. Assim, os usuários podem conferir a foto de um guarda corpo de inox, por exemplo, sem interferências, ruídos ou granulações.

Há também uma confusão muito comum entre os sites responsivos e os mobile friendly

Embora ambos proporcionem uma boa experiência de navegabilidade nos tablets e smartphones, a responsividade pode se adequar à qualquer tela, enquanto os mobile são voltados apenas para os celulares.

Sendo assim, muitos negócios preferem adotar a página responsiva, já que não é preciso investir em uma arquitetura diferente, só para navegação nos dispositivos móveis.

Quais as vantagens de ter um site responsivo?

Atualmente, mais de 70% de todo o tráfego da internet se origina dos smartphones. 

Com apenas um toque no celular, é possível ter acesso aos mais diversos conteúdos, desde uma aula de direção para habilitados, até produtos, serviços e curiosidades.

Ao lado disso, cerca de 51% dos consumidores afirmam que usam os dispositivos móveis para descobrir novas marcas e produtos e 89% se mostram mais propensos a recomendar um empreendimento após ter uma experiência de navegação positiva nos smartphones.

Por isso, otimizar o seu site em uma plataforma responsiva é a certeza de expansão e crescimento dos negócios.

Abaixo, confira algumas vantagens de adotar um site responsivo para a sua empresa.

1 – Melhor classificação nos mecanismos de busca

Oferecer uma boa navegabilidade aos usuários é uma das técnicas de SEO (Search Engine Optimization), ou otimização para os mecanismos de busca, uma estratégia que visa melhorar a classificação das páginas web nos buscadores, como o Google.

Quer dizer que um blog post sobre pressostato compressor tem maiores chances de aparecer entre os primeiros resultados, quando a plataforma é responsiva.

Como consequência, é possível aumentar o tráfego orgânico do site, já que os usuários tendem a clicar nos links que estão com melhor rankeamento.

Importante ressaltar que o SEO não se esgota na responsividade. A estratégia também usa outros artifícios, tais como:

  • Emprego de palavras-chave ao longo do conteúdo;
  • Produção de materiais informativos e de qualidade;
  • Construção de uma boa experiência de leitura;
  • Diversificação de conteúdos (texto, foto, vídeo);
  • Entre outros.

Aparecer com um bom rankeamento no Google é um dos objetivos mais comuns dentro do marketing digital. Por isso, ao elaborar um artigo sobre balança digital 180kg, vale a pena investir na utilização do SEO.

2 – Economia com o layout do site

Os sites responsivos são fáceis de gerenciar e de desenvolver. As atualizações aparecem tanto no desktop quanto nos dispositivos móveis, já que não há diferença entre os conteúdos. Com isso, a construção do layout é muito mais simples e econômica.

Afinal de contas, não é preciso requisitar que o programador construa duas plataformas totalmente diferentes, para se adaptar ao tamanho das telas.

Ou seja, os custos operacionais do site responsivo são muito mais otimizados e eficientes.

Portanto, mesmo um pequeno negócio, como uma empresa recém-criada de limpeza ar condicionado automotivo, pode investir na criação de uma página responsiva.

3 – Melhor experiência para o usuário

A experiência é tudo na internet. Os consumidores online tendem a comprar muito mais pelo que vivenciaram dentro de um site e pelo relacionamento com a marca, do que simplesmente por se depararem com um anúncio ou comercial.

Por isso, recomenda-se que as empresas não façam só uma propaganda de uma lampada de led redonda, mas sim, produzam um conteúdo interessante sobre o produto ou outro assunto que seja da curiosidade do público-alvo.

O mesmo vale para a responsividade: ao ter uma boa experiência de navegação, o usuário provavelmente terá mais confiança na sua empresa e, como consequência, irá recomendá-la para outras pessoas.

Dessa forma, é possível não só aumentar as vendas, mais atrair novos visitantes, interessados em compartilhar da mesma experiência positiva.

Além do mais, a responsividade aumenta a velocidade de carregamento dos conteúdos. Ou seja, o internauta consegue visualizar um vídeos sobre o funcionamento de uma caldeiraria industrial, por exemplo, muito mais facilmente.

O tempo também é responsável por melhorar a experiência do usuário. Afinal de contas, com uma rotina cada vez mais rápida e dinâmica, todos querem acessar um site com boa velocidade de carregamento das páginas.

Como criar um site responsivo?

Hoje em dia, é possível encontrar várias plataformas que já oferecem a possibilidade de criação de sites responsivos. 

Isso facilita muito para as empresas, em especial as que não podem arcar com custos de infraestrutura digital, em um primeiro momento.

No entanto, para quem deseja colocar novos recursos e explorar ao máximo da responsividade, recomenda-se contratar um profissional qualificado, como programadores e web designers, que fazem o trabalho de construção e implementação da infraestrutura.

Vale dizer que é importante escolher um tema responsivo para a sua página, já que muitos layouts podem “travar” em dispositivos móveis, devido ao tamanho do arquivo.

Outra dica é ter atenção ao tamanho das imagens. O ideal é optar por uma resolução que não prejudique a qualidade da foto ou da ilustração, garantindo boa visibilidade, mas que ao mesmo tempo, seja leve.

Aliás, é fundamental não usar, de maneira alguma, recursos em Flash. A própria Adobe já anunciou o fim do programa, devido aos inúmeros problemas de navegação e segurança, porém há ainda pessoas que insistem em usar o recursos.

Caso o seu site tenha planos em Flash e há a intenção em transformá-lo em uma página responsiva, busque por alternativas viáveis, como o Java e o CSS. 

Em caso de dúvidas, busque orientação de um programador ou web designer.

Conclusão

O número de dispositivos móveis cresce exponencialmente em todo o mundo. 

Segundo uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), só o Brasil conta com dois dispositivos digitais por habitante e a estimativa é que o país tenha mais de 230 milhões de celulares ativos.

Com a facilidade de conexão à internet pelos celulares, em conjunto com o avanço e aperfeiçoamento cada vez mais fino da tecnologia, muitas pessoas têm substituído os computadores pelos smartphones, principalmente em relação às compras virtuais.

No começo do artigo, mostramos alguns dados que corroboram a afirmação, o que deixa claro a importância de adotar a responsividade para os comércios eletrônicos, sites e demais páginas web.

Espera-se que em um futuro não tão distante, a responsividade deixe de ser um diferencial competitivo, para ser uma obrigatoriedade, indispensável para todos os sites que desejam sobreviver no mercado exigente da internet.

Por isso, se a sua empresa ainda não investiu na promoção de uma boa navegabilidade em dispositivos móveis, está na hora de mudar essa perspectiva e buscar por soluções viáveis o quanto antes.

Mais do que vendas, a responsividade irá ajudar na atração de novos clientes, além de oferecer uma experiência única aos usuários.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

seo-optimization-marketing-traffic-strategy-business-advertising-analysis-analytics-brainstorming_t20_LlvJA7

Saiba como aplicar estratégias de Inbound Marketing para seu negócio

O Inbound Marketing é um dos pilares mais importantes do Marketing Digital, focado em atrair, converter e encantar clientes. Um conceito completamente diferente do que costumávamos ver antigamente.

Isso porque o marketing era sinônimo de interrupção, ou seja, as marcas tiravam as pessoas de suas atividades diárias, como assistir TV, para mostrar os benefícios de seus produtos e serviços através dos comerciais.

Os tempos mudaram e hoje vivemos em uma era digital que trouxe novos conceitos para se fazer e trabalhar o marketing. Mas isso só aconteceu porque a internet mudou radicalmente o comportamento do consumidor.

Eles estão mais bem informados e sempre buscando saber mais a respeito daquilo que desejam ou precisam comprar, independentemente do que seja.

Por isso, as empresas precisaram criar novas formas de conquistar o público e fidelizar seus clientes. Então, surgiu o Inbound Marketing para atender às necessidades de quem vende e de quem compra.

Ele é tão importante que faz parte das estratégias de empresas de todos os tamanhos e setores ao redor do mundo. 

Para que você e seu negócio não fiquem de fora, neste artigo vamos falar sobre o que é Inbound Marketing e quais suas principais estratégias. Acompanhe!

O que é Inbound Marketing?

Inbound Marketing é um extenso conjunto de estratégias que se baseiam na criação e compartilhamento de conteúdos direcionados a um público-alvo específico.

Por meio de materiais ricos e ações bem planejadas, ele conquista a permissão das pessoas para se comunicar com elas de maneira direta.

A partir disso, uma fabricante de fita de led para sanca, por exemplo, consegue criar um relacionamento com seus clientes que promete ser duradouro.

Ou seja, ao invés de usar a velha prática de interromper o público, o Inbound consegue atraí-lo por meio de conteúdos relevantes.

Eles geram impactam nas pessoas e fazem com que elas se sintam confiantes, permitindo que a marca se aproxime e crie um relacionamento que as leve até a venda.

É exatamente por isso que essas estratégias são conhecidas como “Marketing de Atração” ou “Novo Marketing”.

Sua visão é estimular a aproximação dos clientes até as empresas, atraídos pela sua mensagem, o que facilita na hora de apresentar as soluções e transformar clientes em verdadeiros fãs da marca.

Possibilidades e desafios do Inbound Marketing

Assim como qualquer outra prática do Marketing Digital, o Inbound traz possibilidades e desafios em sua aplicação. Por exemplo, se uma clínica de depilação a laser masculina aplicá-lo, pode encontrar desafios como:  

1 – Boas práticas e tempo

Essa ação não funciona da noite para o dia, o que é um dos maiores dificuldades na hora de converter clientes. Boas práticas de Inbound provêm de muita pesquisa e teste, que resultam em crescimento orgânico e aumento de tráfego.

2 – Investimento e fidelidade

A fidelidade é outro ponto crucial para a efetividade do Inbound Marketing. É preciso um planejamento de médio e longo prazo, além de manter ações e investimentos ininterruptos para atingir os resultados esperados.

Com relação às possibilidades, podemos destacar:

Conteúdo gerado por consumidores

Uma empresa de curso do mopp pode usar o Inbound de modo a dar voz aos seus consumidores. Estamos na era do Customer Success (sucesso do cliente), e deixar o consumidor falar é cada vez mais importante. Dentre os materiais gerados por eles estão:

  • Reviews;
  • Pontuações;
  • Comentários;
  • Avaliações.

Eles podem ser inseridos na produção de conteúdos que sigam as técnicas de Inbound. Isso fortalece a relação com os clientes e torna a marca mais confiável.

Diferença entre Inbound e Outbound Marketing

O Inbound e o Outbound Marketing são diferentes em seus conceitos e aplicações, e é importante que as empresas compreendam suas distinções.

Enquanto o Inbound está focado em atrair por meio de conteúdos relevantes, o Outbound age com base em ações ativas, como anúncios, contato por telefone, e-mail, estande de vendas em eventos, propagandas na TV etc.

São ações são de custo mais elevado e que nem sempre possibilitam a medição de seus resultados.

Já uma empresa que retira entulho vai usar o Inbound em canais diferentes, como seu site, blog, redes sociais e e-mails informativos. Tudo possibilitando uma mensuração rápida e assertiva.

Como exemplo de Outbound Marketing, podemos citar os links patrocinados, que são anúncios pagos veiculados em sites de busca, redes sociais etc.

O Inbound, por sua vez, tem como exemplo o envio de um e-book para o lead, por meio de um endereço de e-mail fornecido por ele, contendo informações importantes e relevantes a respeito de um assunto que lhe interessa.

Principais estratégias de Inbound Marketing

Depois da comparação feita acima, deu para entender que o Inbound Marketing trabalha com práticas orgânicas muito importantes para ressaltar a autoridade da marca e sua credibilidade.

No entanto, é preciso conhecer bem e saber trabalhar com suas principais estratégias, conforme veremos a seguir.

1- SEO

SEO é uma sigla para Search Engine Optimization, ou “otimização para motores de busca”.

Como o próprio nome já diz, é um conjunto de técnicas que uma fabricante de barraquinha para festa usa para influenciar os algoritmos de buscadores como o Google, melhorando o seu posicionamento nos resultados de uma pesquisa.

Para usar essa estratégia, a empresa precisa lançar mão de algumas práticas que a envolvem, tais como:

URL

A URL da página do site ou blog de uma marca precisa ser amigável e conter a palavra-chave principal de seu conteúdo.

Uma URL amigável consiste em um endereço fácil de ser decorado, sem a presença de números ou símbolos. Por exemplo, se uma pessoa pesquisar sobre acupuntura para ansiedade no Google, vai encontrar muitos resultados.

Os primeiros são de sites com endereços das páginas como “www.clinica.com.br/beneficiosdaacunputuraparaansiedade”.

Uso de palavras-chave

A palavra-chave é a base de um bom SEO, e como você viu, ela está presente até mesmo na URL de uma página. Esta consiste nos termos mais buscados pelo público-alvo de uma empresa.

Também precisa estar presente nos conteúdos, em seus títulos e ao longo da página para que o buscador possa indexá-la e classificá-la entre os primeiros resultados.

2 – E-mail marketing

O e-mail continua sendo um dos principais canais de comunicação entre empresa e cliente, além de ser uma das melhores estratégias dentro do Inbound.

Por meio dele, uma que conserte instalação elétrica aparente consegue estabelecer um relacionamento com seus leads, trabalhar o funil de vendas, fidelizar clientes e muitas outras possibilidades.

Ela faz isso por meio do envio de conteúdos de valor, como newsletter, e-book e informações sobre atualização de conteúdos no blog.

Ou seja, é um excelente canal para veicular materiais de qualidade, dentro das especificações do Inbound Marketing.

3 – Blog

Os blogs são indispensáveis para as empresas em todos os setores e portes, pois é a principal plataforma para publicação de materiais relevantes para o público.

Por exemplo, se um despachante cria um conteúdo sobre transferência de veículo detran, ele vai publicá-lo no blog, onde também haverá outras publicações sobre os mais variados assuntos de sua área de atuação.

Ele até pode publicar no site, mas essa plataforma é mais indicada para assuntos institucionais e vendas, o que faz do blog imprescindível para o sucesso das estratégias em Inbound Marketing.

5 – Marketing de Conteúdo

O Marketing de Conteúdo se tornou, hoje, uma das ações mais importantes do Marketing Digital quando o assunto são as estratégias orgânicas, e ele é a base do objetivo do Inbound.

Trata-se da criação de materiais ricos e relevantes, que têm como intuito informar o público-alvo, gerando autoridade para a marca credibilidade no que faz e conquistando leads para os negócios.

Esses materiais podem ter vários formatos, podendo ser um e-book, áudios, vídeos, infográficos, entre outros, e abordam os assuntos de uma maneira aprofundada.

Ele é essencial porque os consumidores estão sempre em busca de informações, e como abordado no início do texto, eles estão cada vez mais informados a respeito do que querem ou precisam comprar.

A internet possibilita que eles encontrem milhares de empresas que ofereçam um mesmo produto ou serviço, mas só vão confiar naquelas que demonstram autoridade naquilo que fazem.

Os materiais criados com o Marketing de Conteúdo mostram a competência e a capacidade que uma marca tem para solucionar os problemas de seus clientes. Por isso, é parte do Inbound e deve ser trabalhado pelas empresas.

Conclusão

Estar na internet não é simplesmente criar um perfil nas redes sociais ou um site e achar que os resultados vão aparecer. É preciso trabalhar o Marketing Digital do jeito certo, usando suas melhores estratégias.

E entre as principais está o Inbound Marketing, que engloba as melhores práticas orgânicas para que uma marca conquiste espaço, reconhecimento e respeito por parte dos consumidores e da concorrência.

Tem a capacidade de beneficiar quem vende, porque mostra a credibilidade da empresa; e de quem compra, entregando valor, informação e solução.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

blackhat

Saiba o que é Black Hat SEO e como essa estratégia pode prejudicar seu site

Estamos vivendo uma fase de constantes reinvenções tecnológicas. Como resultado dos avanços, cada vez mais temos respostas rápidas e resultados imediatos.

Se há alguns anos atrás, para comprar um produto de decoração, como uma soleira de mármore personalizada, por exemplo, era preciso esperar semanas, hoje em dia, muitas empresas realizam a fabricação e entrega em dias e até horas!

E a mesma vale para as estratégias de uma empresa. No entanto, quando o assunto é posicionamento orgânico do seu site nos mecanismos de busca, como o Google ou o Bing, algumas ações podem até mesmo prejudicar você a alcançar os seus objetivos.

E uma dessas ações é o black hat SEO. Por sua vez, ela se trata de um conjunto técnicas que visam a melhor otimização da sua página nos buscadores.

No entanto, os métodos dessa estratégia costumam ser bem questionáveis, e até mesmo reprovados pelo próprio Google.

Diferente de outras práticas de SEO que são eficazes e garantem resultados, o black hat seo, apesar de muitas empresas acharem que gera resultados, estão seguindo por caminhos contrários.

Pensando nisso, nós elaboramos este conteúdo para falar mais sobre o assunto e garantir que você não use esse metódo em suas estratégias! Saiba mais sobre isso abaixo:

O que é Black Hat SEO?

Basicamente, o black hat SEO é um conjunto de ações que enganam os algoritmos do Google, para fazer que determinada página ou conteúdo tenha um melhor posicionamento em seu mecanismo de busca.

Ou seja, o black hat SEO representa qualquer tipo de ação e estratégia que manipule as regras e critérios estipulados pelos buscadores da internet. No entanto, apesar dessas recomendações dos próprios mecanismos, muitas empresas ainda utilizam a estratégia.

Mas o erro se encontra ao acreditar que essas estratégias sejam realmente eficazes. Muita das vezes, o que parecia ser relevante e trazer resultados rápidos, pode acabar prejudicando toda a imagem do seu site e o seu trabalho de marketing.

Quais são as técnicas mais prejudiciais de black hat SEO?

Para evitar uma prática ou ação de maneira planejada, é preciso primeiro conhecê-la. Por isso, vamos explicar quais são as principais técnicas e black hat SEO para que você não realize as práticas junto às suas ações de marketing. Confira:

Doorway Pages

Se trata de um conjunto de páginas que utilizam palavras-chave somente para garantir um bom posicionamento. A utilização das palavras não vem de forma natural, mas sim, de maneira forçada.

Imagine que você esteja procurando por etiqueta código de barras, e ao se deparar com um site de vendas, ele automaticamente te redireciona a outra página com conteúdos maliciosos. Isso é uma Doorway Pages.

Link Wheels

Se baseia de um conjunto de sites, mas todos eles se direcionam a um site principal (aquele que será acessado).

Ou seja, se você acessar duas páginas distintas, e elas te redirecionar para um mesmo conteúdo um site, isso significa que você foi alvo de um link wheels.

Essa técnica é utilizada para gerar tráfego a uma página e subir de posição nos site de busca.

Link Farms

São sites cujo um conteúdo é apenas uma lista para outras páginas. Em outras palavras, é uma página cheia de backlinks.

Se você procura comprar uma broca de aço rápido, por exemplo, e entra em um site onde ele está indicando que você entre em outros 20 sites, isso é um link farm.

Na teoria, a estratégia aumenta a relevância do seu site, mas sabemos que, na prática, o algoritmo do Google pode perceber a prática e prejudicar a relevância do seu site em questão de segundos.

Agora que você já sabe o que é o black hat SEO e como essa estratégia prejudica o seu site, lembre-se de manter suas estratégias de marketing digital totalmente ao oposto dessas práticas! Assim, você conseguirá ter um bom posicionamento e relevância. Gostou do post?

Esse artigo foi escrito por Rafaela Ricardo, Criadora de Conteúdo do Soluções Industriais.

a-man-sits-with-a-laptop-in-a-black-shirt-business-LAUMGKE2

O que é SEO Off Page e como pode ajudar a posicionar um site de e-commerce

Atualmente, nenhum negócio pode ignorar a importância das soluções digitais voltadas para um e-commerce, de modo que ele se torne uma ferramenta realmente assertiva, sustentável e bem sucedida.

Também assim, todo o universo do SEO (Search Engine Optimization) tem assumido uma importância cada vez maior para o posicionamento dos sites nos grandes motores de busca, como o Google, Bing e Yahoo.

Isso também vale para blogs e até para páginas governamentais ou não governamentais, que são ainda mais necessários no caso de e-commerces, por se tratarem de plataformas de alto custo de investimento, afinal, precisam de visibilidade e retorno mais rápido.

Se algumas empresas ignoravam a importância desses mecanismos de otimização, já é a hora de correr atrás do tempo perdido e ampliar mais ainda o horizonte, uma vez que aqui vamos falar sobre o SEO off page, que é um aspecto desse cenário maior.

Em linhas gerais e práticas, o SEO on page foca nas medidas de otimização que uma página toma internamente, em relação à estruturação e à relevância do seu próprio conteúdo.

O SEO off page, por sua vez, lida com o aspecto externo da otimização, já que a relação dos seus conteúdos com o mercado, ou com a web como um todo (por meio dos links que sua página faz ou recebe, por exemplo) também é determinante.

No fim das contas, tudo isso gira em torno de algo fundamental: tráfego de pessoas e vendas. 

Como sempre, uma marca precisa saber aparecer para as pessoas certas na hora certa, e na esfera digital isso depende muito do SEO.

Então, se você quer ficar por dentro dessas oportunidades e entender melhor quais são os desafios e as melhores estratégias da área, siga conosco até o fim da leitura.

Qual a situação do e-commerce no Brasil?

Não é segredo para ninguém que em nosso país o e-commerce cresce em grande número todos os anos, além de também ampliar os segmentos e nichos de mercado que estão migrando para essas soluções.

Segundo dados da própria Ebit, que é um das maiores marcas digitais dessa área, o comércio eletrônico cresceu mais de 10% no último período, e o valor movimentado anualmente já ultrapassa R$ 50 bilhões.

Cerca de dez anos atrás, esse mercado era dominado pelas grandes marcas. 

Mas hoje, qualquer empresa pode conseguir bons resultados, seja uma pizzaria local com seu delivery, ou até mesmo uma clínica de vacinas veterinárias.

Também conhecido como comércio eletrônico, o e-commerce nada mais é que uma transação iniciada de modo não presencial, ou seja, com base no mundo virtual ou digital, que tem por intermédio um computador, celular ou tablet.

Antes do posicionamento do seu e-commerce e de qualquer estratégia de SEO voltada para ele, é preciso deixar claro o tamanho da oportunidade que é uma empresa conseguir se firmar nesse tipo de negócio online.

Lembrando que esse setor pode vender produtos tradicionais e posteriormente fazer a entrega, ou mesmo comercializar infoprodutos e todo tipo de soluções digitais, que são entregues por e-mail ou assinatura de acesso.

Alguns exemplos de produtos digitais são:

  • Cursos;
  • Vídeo-aulas;
  • E-books;
  • Aplicativos;
  • Apostilas;
  • Entre outros.

Alguns e-commerces consistem na comercialização de guias para resolução de problemas ou desafios como vistoria para transferência de veículo, retirada de laudos, perícias e afins.

Este é apenas um exemplo de alguns nichos de mercado totalmente novos, que surgiram das possibilidades que o comércio eletrônico abriu para os dias atuais.

Outra distinção fundamental é sobre o formato de negócio. 

Um e-commerce pode operar nos padrões mais comuns como B2C (business to consumer: de empresa para o comprador) ou B2B (business to business: de empresa para empresa).

Mas também pode propor formatos mistos, como quando pessoas físicas negociam entre si mesmas, formato que tem crescido bastante nos últimos anos.

A razão de ser do SEO e seus algoritmos

Nas últimas décadas a internet trouxe uma série de mudanças nos hábitos das pessoas. Essas novidades são do interesse dos empresários e das marcas comerciais.

Afinal, se as pessoas utilizam a internet e seus motores de busca para decidir onde passar as férias, como praticar yoga ou exercícios físicos, e até mesmo onde comemorar uma data especial, por trás de tudo isso existem várias intenções de compra.

Quando alguém escreve instalação de vidro blindado automotivo nos buscadores, é evidente que essa pessoa está em momento de compra, tratando-se por isso de um lead altamente promissor para qualquer empresa da área.

Daí a importância de utilizar as estratégias de SEO para se posicionar nessas plataformas, as quais já não podem se limitar a um conteúdo original e interno de estruturação.

A internet é orgânica por natureza, e nela tudo deve estar cada vez mais interligado. 

Por isso mesmo, uma página bem feita não basta para cumprir com todos os requisitos e parâmetros dos grandes buscadores.

Se o site quer ser bem ranqueado, é preciso pensar também na relação com as demais páginas da mesma área. Assim, o SEO on page e off page devem caminhar sempre juntas.

De fato, se uma pessoa lê algo sobre um serviço automotivo e na mesma página encontra links externos para conteúdos sobre vistoria para carros, isso só tem a agregar para a experiência dela.

Deste modo, os grandes buscadores não são arbitrários ao definir seus algoritmos e fazer as exigências para quem quiser figurar no topo das buscas. No fundo, eles pensam na experiência de cada usuário.

Os backlinks e a essência do SEO off page

É conhecida a história de que no fim da década de 1990, o Google foi o primeiro buscador a aplicar um parâmetro para definição da posição dos sites que apareceriam em sua plataforma.

A primeira exigência de todas foi a dos backlinks, ou seja, da quantidade de vezes que aquela página era citada por outras páginas, fossem blogs ou e-commerces.

Com o tempo, surgiu a malícia dos famosos “blackhats”, que tentavam manipular isso. Então vieram os vários avanços de parâmetros de lá para cá, tentando evitar esse tipo de atitude.

Certamente, uma página que é citada centenas de vezes por um único site, pode despertar dúvidas. 

Já o contrário, uma página de licença da cetesb que seja mencionada por centenas de sites, deixa claro como ela é uma referência no assunto.

Por isso a grande dica nessa área é ser realmente original e gerar conteúdos de qualidade, para que seu SEO off page seja espontâneo e autêntico, baseado na capacidade real que seu site tem de ser uma autoridade no seu segmento.

Em suma, não dá para olhar para fora sem antes “arrumar a casa”. 

A base do off page é o compartilhamento, o crescimento orgânico; tudo isso baseado no mundo acadêmico.

Afinal, em trabalhos acadêmicos a regra mais válida é esta: quanto mais um estudo é citado por outros estudos, mais relevância ele ganha e mais importante se torna.

Logo, um e-commerce voltado para veículos, pode muito bem ter, além de produtos físicos e tradicionais, uma sessão de blog que disponibilize conteúdos sobre licenciamento de moto e carro, por exemplo.

Além dos próprios artigos, é indicado disponibilizar, como dito acima, materiais em formato de e-book, infográficos e afins, de maneira que a página possa ser linkada por quem tiver interesse na área.

Mas isso não quer dizer que o e-commerce precisa ter um bom site e ficar em posição passiva diante do mercado ou da web, apenas aguardando.

Adiante veremos dicas preciosas de como ser propositivo em todo esse processo.

Guest post, co-marketing e automatização

Além de conhecer a dinâmica do comércio eletrônico, de dominar o SEO como um todo e de garantir os melhores conteúdos e a melhor estruturação possível, um e-commerce ainda pode fazer parcerias para crescer no mundo digital.

As famosas estratégias de link building fazem toda uma gestão dos backlinks do seu site. 

É possível trocar conteúdos com outras autoridades no assunto, além de se promover em fóruns, comunidades e redes sociais.

No guest post, por exemplo, ao escrever sobre como adicionar categoria a na CNH, é possível trocar o material com a página de uma autoescola, garantindo o link dela no seu conteúdo, e combinando para que ela faça links do site dela para o seu.

O co-marketing vai na mesma linha, mas consiste em duas marcas distintas criarem o mesmo material, como um mesmo e-book, que mencione cada marca em sua devida alçada.

Deste modo, um e-book técnico sobre a importância da troca de óleo e filtro pode ser feito em parceria como uma oficina que realiza esse serviço, e vice-versa.

Além do mais, é possível automatizar esse processo, no sentido de utilizar programas de traqueamento ou gestão de links, para acompanhar o funcionamento e alcance não apenas dos seus, mas também daqueles que você promove no seu espaço.

Um e-commerce que possui muitos links quebrados, por exemplo, poderia perder posicionamento nos buscadores. Mas um programa da área pode evitar isso.

Com isso vemos que, embora o SEO off page possa ser considerado um assunto relativamente novo entre nós, já existe uma série de iniciativas estratégicas, comerciais e até tecnológicas para garantir que ele traga os melhores resultados possíveis.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Lead Magnet over paper background attracting and retaining many spheres, symbol of new customers. B2B inbound marketing concept. 3D illustration

Inbound ou Outbound: qual a melhor estratégia de marketing para sua empresa?

As estratégias de marketing de uma empresa podem ser trabalhadas de duas formas diferentes, com o Inbound e o Outbound Marketing. Enquanto o primeiro busca despertar o interesse dos clientes com conteúdos relevantes para que eles cheguem até o produto, o Outbound utiliza técnicas mais tradicionais, com propagandas físicas e digitais.

Com a crescente popularidade da internet, é comum que os empreendedores tenham dúvidas sobre as melhores formas de divulgar o seu negócio. 

É preciso ter em mente que não existe ação de marketing superior ou inferior. Nesse caso, ambas podem ser extremamente benéficas para os negócios, dependendo do segmento de atuação ou da dimensão das empresas.

Contudo, é cada vez mais importante que os empreendedores entendam as principais diferenças entre as estratégias. Assim, fica mais fácil decidir qual estratégia tem maior potencial para alavancar a empresa.

O que é Inbound Marketing?

O Inbound Marketing é uma estratégia que tem como principal foco a atração e fidelização dos consumidores. Em uma tradução livre do inglês para o português, o conjunto de ações também pode ser chamado de Marketing de Atração. 

A ideia não é ir atrás do cliente. O Inbound foca em despertar o interesse dele, para que ele venha até a empresa com interesse nas soluções que ela oferece.

Essa atração é uma conquista que ocorre por meio de materiais informativos, de qualidade e úteis para o público da empresa, disponíveis em blogs, sites ou redes sociais.

Como a produção de conteúdos é a base do Inbound Marketing, é extremamente necessário que eles sejam adequados para o público da empresa.

Para despertar o interesse genuíno na audiência pelos produtos ou serviços oferecidos, é fundamental que os empreendedores conheçam bem o seu público. Interesses, dúvidas e desafios comuns à audiência da empresa irão guiar a produção de materiais.

Assim, as empresas conseguem oferecer informações relevantes. Elas ajudam na resolução de problemas, fazendo o potencial cliente enxergar uma oportunidade, em que o produto da empresa se mostra uma solução.

A empresa deve investir em conteúdos para as diferentes etapas da jornada de compras. Assim, ajuda o público a caminhar até a fase final, quando ele se efetiva como cliente.

Portanto, por meio do Inbound Marketing, os conteúdos atrativos ajudam a aumentar o tráfego do site da empresa. Com pontos de conversão (como formulários ou landing pages), as marcas também conseguem transformar os visitantes em contatos. Eles representam potenciais compradores e também podem ser chamados de Leads.

Com uma boa base de Leads, a empresa pode até criar um canal de relacionamento com os clientes, por meio do Email Marketing. Assim, ela consegue nutrir essa pessoa com informações relevantes, que incentivem a sua intenção de compra.

Por isso, quando o Inbound Marketing é bem planejado e executado, ele se mostra relevante principalmente para os clientes, com conteúdos adequados e não intrusivos. A venda acaba sendo um resultado de ações bem orientadas e específicas.

O custo do Inbound Marketing talvez seja uma grande vantagem a se destacar. É possível fazer pequenos investimentos e ter grandes retornos. Com o tempo, quanto melhor o conteúdo produzido e promovido pela marca, menor tende a ser a necessidade de investimento em mídias pagas.

Portanto, para resumir o Inbound Marketing, trata-se de uma metodologia pautada em:

  • Conteúdos para educar ou entreter o público;
  • Atração do cliente até a empresa;
  • Comunicação em duplo sentido;
  • Clientes atraídos em ferramentas de pesquisas, pelo SEO;
  • Menor custo médio para aquisição de clientes;
  • Movido a criatividade e esforço na produção de material;
  • Marketing de permissão com conteúdos relevantes.

O Inbound Marketing na prática

O Inbound Marketing pode ser aplicado para a promoção de empreendimentos de diferentes setores e proporções, e não só para o segmento de tecnologia, como muitas pessoas podem pensar.

Um hospital para animais, por exemplo, pode investir na produção de conteúdos para atrair e reter os proprietários de pets.

Para isso, o primeiro passo é criar um site para a instituição. Ele deve ser otimizado com boas práticas de SEO (Search Engine Optimization) e estruturado para proporcionar uma boa experiência aos usuários. 

Depois, recomenda-se a criação de um blog. Uma transportadora de mudanças, para exemplificar, pode utilizar o blog como canal para atração dos clientes, abordando as principais dúvidas do público.

Vale lembrar a jornada de compra que o cliente percorre até a decisão final. Os visitantes do site podem estar em diferentes etapas da jornada. 

No caso de um blog de uma empresa especializada em aluguel de caçamba entulho, por exemplo, o visitante pode ainda não estar convencido da importância do serviço, no início da jornada. Por outro lado, pode haver outros que já estejam pesquisando empresas para a contratação.

Por isso as empresas devem investir em materiais para suprir as necessidades do público em todas as fases. Assim, consegue despertar o interesse de diferentes tipos de consumidores em potencial.

Depois de atrair e captar os potenciais clientes, ou leads, a empresa de instalação de placa solar, por exemplo, pode pensar em formas de nutrir e manter um relacionamento com essas pessoas. Então, a marca pode criar campanhas de Email Marketing.

O que é Outbound Marketing?

Por sua vez, o Outbound Marketing também pode ser chamado de Marketing Tradicional. Ele atrai os clientes e potenciais clientes pelo oferecimento direto de produtos ou serviços.

No Outbound Marketing a marca vai atrás do consumidor de maneira mais ativa, sem necessariamente gerar um interesse genuíno no cliente em potencial.

As estratégias tradicionais são bastante populares em canais como programas de rádio, de televisão, jornais, revistas, correspondência por mala direta, cartazes e outras formas comuns de publicidade.

Além disso, hoje em dia o Outbound Marketing também pode ser aplicado no meio digital. Nesses casos, os usuários são surpreendidos com propagandas. Elas podem aparecer em pop-ups, banners em sites, emails disparados em massa, etc.

Geralmente o Outbound demanda um investimento maior, em comparação com a metodologia Inbound. O ponto negativo disso é que, caso a empresa precise cortar os investimentos na área, ela pode simplesmente sumir da mídia. 

Já os conteúdos do Inbound continuam na internet e podem ser acessados a qualquer momento e de diversos tipos de dispositivos.

Portanto, para resumir o Outbound Marketing, trata-se de uma metodologia pautada em:

  • Propagandas ativas, com divulgação direta dos produtos;
  • A empresa procura o cliente;
  • Comunicação em um único sentido;
  • Prospecção ativa com outdoors, flyers e anúncios;
  • Maior custo médio de aquisição de clientes;
  • Pouco ou nenhum valor agregado com os conteúdos;
  • Marketing baseado na interrupção.

O Outbound Marketing na prática

Embora alguns empreendedores pensem que a metodologia Outbound serve apenas para empresas mais tradicionais, tratam-se de ações que podem ser bastante benéficas para empresas de diversos segmentos e dimensões.

Um despachante, por exemplo, pode divulgar uma promoção na consultoria para laudo cautelar veicular por meio de flyers. Além de fazer uma ação de panfletagem, também pode investir em propagandas em rádios, atraindo o público local, interessado especialmente nas ofertas.

Por outro lado, para garantir presença digital, uma construtora, por exemplo, pode divulgar os serviços com anúncios pagos nas redes sociais. Assim, pode alcançar interessados em boas condições para serviços como a restauração de fachada predial.

As ações contribuem para que as empresas alcancem um elevado número de pessoas, sendo que dentre elas haverá aqueles que podem ser atraídos pelas ofertas, com interesse em se tornarem clientes.

Inbound e Outbound: como mesclar os dois?

Para garantir o crescimento exponencial das empresas, o ideal é que elas invistam em ambas as técnicas, já que uma não anula a outra.

Para vender um armário de aço escritorio, a fabricante pode produzir conteúdos informativos para o blog, abordando as vantagens do material, problemas que o móvel ajuda a resolver, dicas para escolher o armário ideal, entre outras ideias. 

Mas também pode promover diretamente o produto quando houver promoções ou descontos especiais.

O que a empresa deve levar em conta é o ROI (Retorno sobre o Investimento), que vai apontar as ações e canais que podem valer mais a pena o investimento de tempo e dinheiro.

Para ambas as metodologias, as plataformas digitais possibilitam o acompanhamento dos resultados. Na rádio ou TV, por exemplo, pode ser mais difícil descobrir quantas pessoas tiveram acesso ao anúncio e quantas foram atraídas por ele.

Contudo, o que de fato pode guiar na mistura entre as estratégias é o conhecimento sobre o perfil dos clientes, a jornada de compra que eles realizam, ticket médio que costumam gastar e outros aspectos. 

O empreendedor também deve considerar o modelo de gestão da sua empresa, e contar com profissionais qualificados, com experiência para garantir as ações mais adequadas.

Para unir as estratégias, uma ideia é a promoção do serviço de recepcionista para eventos com indicações no meio offline impulsionadas por e-mails, por exemplo.

Por fim, tendo em mente que uma metodologia não exclui a outra, as empresas conseguem atrair cada vez mais clientes, formando uma poderosa estratégia de marketing para impulsionar as vendas.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Pile of 3D Facebook Logos

Como orientar a produção de conteúdos para Facebook de acordo com a faixa etária

A produção de conteúdos para o Facebook exige bastante atenção e uma programação prévia, que ajudam na elaboração do material.

Apostar em bons conteúdos e boas informações, é extremamente importante para uma empresa que queria crescer no seu mercado de atuação.

Com o avanço da tecnologia, é cada vez mais comum que as pessoas passem grande parte do seu tempo conectadas, absorvendo diferentes tipos de materiais.

Por isso, as empresas que se destacam com a produção de bons conteúdos vão ganhando maior relevância e alcançando um bom posicionamento na internet, garantindo que a sua marca seja reconhecida como uma autoridade no seu segmento.

Mas, para montar um planejamento coerente com o seu negócio e com o seu público, com o objetivo de promover um compactador de solo a percussão, por exemplo, é preciso levar em consideração alguns elementos, que serão abordados no decorrer do artigo.

Para entender de modo mais detalhado sobre esses pontos, siga na leitura e conheça mais sobre a importância de elaborar materiais de qualidade para seus seguidores.

Produzindo conteúdos para o Facebook

O Facebook é uma das maiores redes sociais do momento: ela possui cerca de 2,3 bilhões de usuários no mundo todo, segundo os dados da própria plataforma.

Levando em consideração esse número, certamente grande parte dos seus clientes estarão presentes na rede e, por isso, você deve investir na atuação da sua marca no Facebook, aumentando o seu quadro de seguidores.

Para isso, é preciso conhecer as técnicas que tornam os seus conteúdos atrativos e especialmente direcionados para o seu público, de modo a atingir um bom número de visualizações.

Entre elas, podemos elencar:

  • Apostar em conteúdos evergreen;
  • Utilizar técnicas de SEO;
  • Aplicar copywriting em seus materiais;
  • Conhecer o público-alvo do seu negócio;
  • Entre outros pontos.

Conteúdos evergreen

A produção de bons conteúdos exige planejamento e prática. 

Isso quer dizer que ao escrever sobre um assunto como a importância de se realizar periodicamente o exame para toxoplasmose em gatos, você está levando uma informação de qualidade e que transmite um conhecimento importante.

Os conteúdos evergreen possuem o intuito de educar o seu público, de modo que ele entenda mais sobre um tema específico. Isso é essencial para levar dados de grande relevância para as pessoas.

Diferentemente dos textos informativos pontuais, ou seja, aqueles que possuem um conteúdo datado, um material evergreen não possui “validade”, o que quer dizer que o tema contido ali pode ser acessado por um longo período e ser sempre atual e interessante.

Por isso, ao produzir conteúdos para a sua página do Facebook, você deve apostar na elaboração de materiais evergreen, que serão de grande utilidade para os seus seguidores.

Técnicas de SEO

Se você já produz conteúdos há algum tempo, certamente já ouviu falar nas técnicas de SEO (Search Engine Optimization).

Ele é composto por elementos que podem ser essenciais para promover as suas postagens, fazendo com que elas sejam encontradas com mais facilidade pelos seus leitores.

O uso de palavras-chave, tal como “cadeira dobrável estofada”, é um desses elementos. 

Dessa forma, quando o cliente faz uma busca pelo item nas plataformas, as postagens que apresentarem a expressão mencionada serão vistas entre as primeiras posições dos resultados da pesquisa.

Utilizar imagens e títulos atrativos também são técnicas que podem auxiliar na produção de um conteúdo, deixando-o mais completo e chamativo para os seguidores.

Utilizando o copywriting nas suas postagens

Talvez você ainda não tenha aplicado o copywriting nas suas publicações, mas provavelmente já leu várias postagens na internet que utilizavam a estratégia na sua produção.

Ao escrever um texto com o intuito de vender materiais para construção ou serviço de pedreiro, por exemplo, uma empresa pode utilizar o copywriting para construir um conteúdo que resulte em uma venda.

Nesse sentido, é essencial descrever o objeto da venda, e mostrar como ele pode ser uma solução para alguma dificuldade que o seu potencial cliente pode ter no momento.

Para isso, é necessário também aplicar o Call to action (CTA), chamando o cliente para uma ação, que, nesse caso, pode ser a de adquirir aquilo que você está oferecendo.

Você conhece o seu público-alvo?

Quando você vai produzir um novo conteúdo, seja para abordar a importância da investigação detalhada Cetesb, ou sobre as principais tendências de moda da próxima estação, você precisa conhecer as características do seu público.

Isso quer dizer que para direcionar uma postagem para os seus potenciais e atuais clientes, você precisa saber mais sobre eles, entendo seus traços e suas necessidades.

Para começar, você deve levar em consideração idade, profissão, sexo e dados demográficos do seu público. Mas não é só isso. Também é preciso entender as dores e as vontades dos seus clientes, para que você possa atendê-las de modo ideal.

Com essas características bem definidas, você poderá produzir materiais adequados para os seus seguidores, prendendo a atenção deles e fazendo com que eles queiram acompanhar as suas novidades mais de perto.

Facebook: produzindo conteúdos de acordo com a faixa etária

Diferentemente do público do Instagram, que possui uma faixa etária composta por usuários mais novos, o Facebook apresenta um aumento no número de inscritos com idade superior a 35 anos.

Isso quer dizer que o público do Facebook é composto, majoritariamente, por usuários mais velhos e, por isso, você deve produzir conteúdos de acordo com essa faixa etária.

Nesse caso, para promover os seus serviços de paisagismo residencial, o resultado obtido será muito mais efetivo no Facebook do que em outras mídias.

Afinal, as pessoas que se interessam por esse tipo de serviço, certamente estarão em maioria nessa rede.

Sendo assim, você deve apostar na produção de materiais voltados para o público-alvo do seu negócio, levando em consideração as características dos usuários do Facebook.

Nesse sentido, apostar em uma nova publicação para informar sobre os benefícios de uma prótese capilar masculina faz muito mais sentido quando ela é direcionada para o público mais velho, trazendo resultados mais efetivos para a sua postagem.

Isso, porque os potenciais clientes de uma empresa utilizam as redes sociais para acompanhar as novidades dos seus amigos e parentes, mas também para receber informações sobre as suas marcas preferidas.

Por isso, as empresas que investem em conteúdos de qualidade para divulgar nos seus perfis e páginas nas redes sociais, alcançam novos negócios mais facilmente, principalmente, quando eles são desenvolvidos de acordo com a faixa etária do seu público-alvo.

Juntamente com a característica da faixa etária, você também deve direcionar a sua produção para as pessoas que mais se identificam com aquilo que você está promovendo.

Por isso, ao criar uma postagem para anunciar um produto como uma rede de proteção animal, você deve levar em conta o público interessado em adquirir esse tipo de item.

Os proprietários de imóveis e as pessoas que tenham animais domésticos, mas que estejam de mudança para um novo endereço que ainda não possua esse produto instalado nas janelas, são exemplos de usuários que vão interagir de modo mais efetivo com a sua postagem.

Certamente, ela não será direcionada para um público mais jovem, que busca por itens mais voltados para maquiagens e roupas, ou equipamentos eletrônicos para utilizar no dia a dia.

Nesse sentido, entender de modo mais abrangente as características dos seus seguidores e das pessoas interessadas nos seus serviços pode auxiliar no desenvolvimento de conteúdos mais personalizados, que possam chamar a atenção dos seus clientes.

Desse modo, você pode aumentar de maneira muito mais eficiente a atuação da sua empresa, pois é possível fornecer os seus produtos ou serviços para pessoas da mesma faixa etária, que residam em diferentes regiões, ampliando o seu atendimento.

Ao direcionar o conteúdo para um público mais característico, você acaba por gerar mais valor para os seus clientes e para a sua marca, que ao focar em um determinado objetivo, consegue alcançá-lo com muito mais facilidade e clareza.

Em paralelo, você consegue obter dados mais precisos sobre as suas publicações, podendo mensurar de maneira mais adequada as melhores maneiras de promover os seus produtos ou serviços no Facebook.

Esse é o modo mais assertivo de trazer resultados para a sua empresa, já que você pode utilizar as métricas obtidas com os dados de uma postagem para criar publicações cada vez mais eficientes, aumentando o retorno dos seus clientes.

Por isso, é de grande importância que você produza conteúdos no Facebook de acordo com a faixa etária dos usuários da rede e do seu público-alvo, tornando a sua atuação nas redes sociais mais positiva e permitindo assim alcançar os seus objetivos. 

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

computer-software-developer-designing-user-interface_t20_6mBEvp

Como produzir conteúdos SEO para seu blog

As empresas que desejam aumentar a visibilidade do seu site na internet precisam investir na criação de um blog e, além disso, aplicar técnicas de SEO na produção dos seus conteúdos.

Já ouviu falar sobre a importância do Marketing de Conteúdo para as empresas que buscam alcançar uma maior visibilidade no mundo virtual?

Um conteúdo bem desenvolvido pode ser uma estratégia fundamental, garantindo que o blog possua uma grande relevância dentro do seu segmento de atuação.

Isso porque o Marketing de Conteúdo tem como objetivo levar conhecimentos e informações importantes para o público, de modo que ele é responsável por atrair cada vez mais visitantes para uma página.

Uma empresa deve apostar na divulgação dos seus produtos e serviços utilizando as ferramentas de divulgação disponíveis na internet, mas é preciso apostar também em novas estratégias, que podem oferecer resultados ainda maiores para um negócio.

Fazendo a junção da produção de conteúdos para blog com as técnicas mais eficientes de SEO, pode-se obter resultados que fazem a sua página ser vista com maior destaque na internet.

A importância do Marketing de Conteúdo para uma empresa

Atualmente, o marketing tem sido, não somente uma ferramenta que permite realizar a publicidade de um negócio, mas também tem explorado diferentes possibilidades quando o assunto é a geração de valor para os clientes de uma empresa.

O Marketing de Conteúdo é responsável por isso, levando em consideração que grande parte das pessoas hoje não buscam apenas saber o preço de um produto.

Como exemplo, o calibrador de rosca anel, mas sim as suas características, os seus principais usos e funções, que ele faz e como o cliente pode utilizar o equipamento de maneira eficiente e de modo adequado.

Sendo assim, a empresa consegue atingir um patamar diferenciado, que a torna uma referência no seu segmento de acordo com a percepção que ela gera no seu público.

Além disso, outras vantagens que o Marketing de Conteúdo pode trazer para uma empresa são:

  • Redução de custos com publicidade;
  • Faz com que o público encontre sua empresa;
  • Melhora a qualidade do relacionamento com os clientes;
  • Possibilita que o público indique a empresa para seus amigos;
  • Auxilia na fidelização dos clientes;
  • Transmite conhecimentos para seu público.

O Marketing de Conteúdo pode ajudar na redução dos custos com publicidade. 

Isso porque uma academia, por exemplo, que investe nessa estratégia pode realizar uma postagem que revele aos seus clientes a vantagem de realizar uma aula funcional na academia, em vez de simplesmente investir em um anúncio pago na internet.

Ao ler mais sobre os benefícios da aula, uma pessoa interessada, pode se sentir muito mais inclinado para participar dela, enquanto um anúncio certamente poderia passar despercebido.

Seguindo essa linha de raciocínio, esse tipo de Marketing facilita que a empresa seja encontrada pelo seu público, e melhora o relacionamento com seus clientes, justamente porque não investe em divulgação de uma maneira ostensiva. 

Em vez disso, faz com que os interessados possam encontrá-la facilmente por meio de uma busca simples na internet.

Isso gera maior afeição do público pela empresa, o que resulta na indicação dos seus serviços para amigos e familiares, mostrando assim a fidelidade dos seus clientes.

Com o Marketing de Conteúdo, um negócio pode oferecer muito mais conhecimentos para os seus leitores.

Disponibilizando uma postagem que explique o processo de investigação detalhada CETESB para seus clientes que desejam investir na construção de um poço, por exemplo.

Depois de abordar mais detalhadamente sobre a importância do Marketing de Conteúdo, é preciso entender também sobre as técnicas de SEO.

O que é o SEO e quais são as suas ferramentas principais?

O SEO (Search Engine Optimization) se trata de um conjunto de estratégias utilizadas na produção de conteúdos, que são responsáveis por melhorar a visibilidade de um blog na internet.

Ao aplicar algumas dessas técnicas em suas postagens, uma empresa faz com que sua página ganhe destaque e seja exibida entre as melhores posições dentro de uma pesquisa nos principais buscadores.

Entre as principais estratégias de SEO que podem ser aplicadas nas postagens de um blog estão:

  • Escolha de um bom título;
  • Divisão do texto em tópicos, facilitando a leitura;
  • Aposta em imagens na composição do conteúdo;
  • Opção por boas palavras-chave;
  • Otimização do carregamento e responsividade da página.

Escolhendo um título interessante

A escolha de um bom título é uma das partes essenciais de conteúdos mais atrativos para um blog. Afinal, quando se busca por um determinado assunto na internet, o buscador seleciona aquele que aparenta ter maior sinergia com a pesquisa.

Assim, se você quer entender sobre como funciona a impressão de etiquetas adesivas, certamente um conteúdo que trate do assunto e que contenha um título que leva esses termos em sua composição será visto como um artigo relevante.

Por isso, o título é de grande importância na confecção de um bom conteúdo, e deve ser escolhido de maneira criteriosa de acordo com os temas que você abordará nas postagens do blog da sua empresa.

A escaneabilidade do texto é importante

Grande parte das pessoas que buscam por um determinado assunto na internet, ao entrar em uma página, faz uma inspeção prévia da formatação do texto.

Levando em consideração que a internet é tida como uma forma dinâmica de adquirir conhecimentos, é preciso que a escaneabilidade da sua página siga essa mesma linha.

Por isso, investir em tópicos pode ser interessante para tratar de um assunto de maneira simples e completa.

Se você postar um conteúdo sobre a importância da limpeza de estofados automotivos, por exemplo, é possível criar diferentes tópicos.

Em que um deles pode relatar sobre os produtos utilizados, outro pode descrever as etapas do serviço e outro pode mencionar os benefícios da prática periódica desse procedimento.

Essa estratégia de SEO deve ser utilizada na confecção dos conteúdos postados no seu blog para que cada vez mais pessoas consigam encontrá-lo e sejam beneficiadas com as informações oferecidas na sua página.

Utilizar imagens torna o texto mais atrativo

Escolher uma boa imagem para ilustrar o seu texto pode ser fundamental para auxiliar na compreensão do assunto que está sendo tratado.

Além disso, essa técnica de SEO pode ser utilizada para que um conteúdo, por exemplo, sobre a obtenção de laudo de AVCB mostre de maneira detalhada os principais elementos que são analisados na vistoria do Corpo de Bombeiros.

Fazendo com que os leitores compreendam mais facilmente cada uma das etapas da vistoria.

Por isso, um blog que investe na postagem de conteúdos com ilustrações é bem visto pelos parâmetros dos buscadores, de modo que ele aparece mais bem posicionado durante as buscas do seu público-alvo.

O SEO e as palavras-chave

As palavras-chave são os elementos de maior resultado no SEO. Isso porque elas correspondem à pesquisa que o público realiza, e utilizá-las no decorrer do seu texto é essencial para que ele seja encontrado mais facilmente.

Assim, se um cliente quer entender mais sobre os profissionais que atuam na esfera das ações trabalhistas, ele utiliza o termo “perito judicial trabalhista” no buscador.

Desse modo, as páginas que utilizam essa frase em um determinado conteúdo tendem a aparecer entre as primeiras posições no resultado da pesquisa.

Por isso, ao elaborar um conteúdo para o blog da sua empresa, é importante que você escolha as palavras-chave relacionadas ao seu segmento de atuação.

De modo que durante uma pesquisa na internet, o seu público encontre a sua página muito mais rapidamente e com maior relevância.

Investir em carregamento rápido e responsividade

Ao acessar uma página na internet é interessante que ela carregue rapidamente para que o visitante consiga visualizar o seu conteúdo. 

Até porque, quando isso não acontece, a tendência é que ele saia rapidamente da página, o que pode ser bastante negativo para o seu negócio.

Também é de extrema importância que, se um cliente ao buscar por um produto na internet utilizando o seu smartphone, consiga visualizar a sua página integralmente.

Por exemplo, se uma fábrica de equipamentos para academia, desejar que a sua página possa ser acessada por dispositivos móveis, e que as imagens dos seus aparelhos sejam visualizadas de maneira total, ela precisa investir nesses elementos importantes de SEO.

Isso porque se ela tiver um possível cliente interessado, que quer visualizar as fotos dos aparelhos fabricados no local utilizando o seu celular, mas não conseguir carregar a página ou ver a foto por completo, ele pode desistir de uma possível compra.

É por isso que tanto um carregamento rápido quanto uma página responsiva são fundamentais dentro das estratégias de SEO.

Nesse sentido, o Marketing de Conteúdo aliado às estratégias de SEO são responsáveis por trazerem um maior número de visitantes para o blog da empresa.

Enquanto compartilha com os clientes conteúdos de grande relevância, aumentando de maneira positiva os resultados.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

conteudo

Como criar um bom conteúdo para seu negócio

Em tempos de SEO e Inbound Marketing, a questão de como criar conteúdo relevante para o seu negócio, deve ser uma preocupação constante, pois um erro nesta questão, pode colocar por água abaixo toda sua estratégia de marketing de conteúdo.

Para que estratégias de atração de tráfego e captura de Leads funcionem, precisamos ir muito além da simples questão de como criar conteúdo relevante para o seu site e abordarmos também o problema de como gerar o engajamento neste conteúdo.

Uma coisa é criar conteúdo, outra coisa completamente diferente é fazer com que este conteúdo gere Leads. Conteúdo sem retorno é somente isso mesmo, conteúdo grátis.

Defina sua persona de marketing

Para quem deseja saber como criar conteúdo relevante para seu site, blog ou rede social, o primeiro conselho é definir sua persona de marketing.

A Persona de Marketing é um personagem que você desenvolve durante a etapa de planejamento da sua estratégia de marketing digital, que representa o público que você deseja atingir.

Identifique quais são as necessidades e interesses do seu público-alvo para que você possa produzir um conteúdo que seja realmente atraente para estas pessoas. Quanto mais você conhece o seu público, mais eficiente serão suas campanhas e consequentemente sua conversão.

Coloque-se no lugar da sua audiência

A primeira coisa a ser pensada na hora de produzir conteúdo relevante para o seu site ou blog é se colocar na posição da sua audiência, ou seja, entender o momento do visitante do seu site e dirigir a sua mensagem diretamente a ele.

Quanto mais intimista e pessoal for a linguagem adotada, melhor, pois isso criará um ambiente mais acolhedor e psicologicamente, deixará o leitor mais receptivo a sua mensagem.

Coloque-se no mesmo patamar de conhecimento do leitor

Um erro muito comum, principalmente aqui no Brasil, é o autor se colocar em um pedestal e acabar criando um texto onde o “Deus do Conhecimento” discursa para a plebe ignara. Se você quiser afastar os leitores, este é o caminho certo.

Quando você se coloca em um patamar igual ao do seu interlocutor, você quebra uma barreira para a assimilação da mensagem que você pretende passar.

Não coloque o SEO acima de tudo

Um erro muito comum entre as equipes de conteúdo é colocar o processo de SEO – Search Engine Optimization, acima de qualquer outro objetivo. É claro que estar bem posicionado nas páginas de respostas dos buscadores é importante, mas, como dito anteriormente, o foco deve ser o visitante do seu site.

Uma discussão constante entre os profissionais de SEO é a questão da super otimização.

É claro que a otimização de sites é importante no contexto de uma estratégia de marketing digital, mas é importante ter em mente que sua audiência é igualmente importante.

Criação de conteúdo relevante para o seu site

Ofereça opções para aprofundamento no assunto

Outra prática interessante para produzir conteúdo relevante para o seu site ou blog é oferecer sempre opções para que o leitor aprofunde seus conhecimentos. Isso irá deixar a experiência do leitor completa.

Sempre que possível, ofereça links para outros sites de referência para que, caso o visitante queira, possa conhecer mais a fundo o assunto ou assuntos relacionados. Além de oferecer uma melhor experiência você também estará dando uma ajuda no seu processo de SEO.

Contextualize seu conteúdo

Outro segredo para quem deseja saber como produzir conteúdo relevante para o seu site e realmente impactar sua audiência é contextualizar o conteúdo no momento pelo que passa o público que você pretende impactar.

Traga para o seu site ou blog a discussão sobre um assunto que esteja “quente” para sua audiência. Busque identificar em sites de destaque na área, quais são as matérias que estão gerando mais discussão. Os melhores indicadores são comentários e compartilhamentos em redes sociais.

Traga algo de novo a discussão

Frequentemente nos deparamos com artigos que ao término da leitura constatamos que trata-se apenas de um pouco mais sobre a mesma coisa.

Se você quer produzir conteúdo relevante para o seu site, é preciso acrescentar algo mais, caso contrário, irá cair na mesmice. A essência do marketing de conteúdo é justamente informar e se destacar.

Faça uma pesquisa mais aprofundada sobre o assunto e levante novas questões, dê uma abordagem diferenciada ao tema, e se for o caso, levante alguma polêmica sobre o que já foi apresentado em outros lugares. Uma das funções do Inbound Marketing é promover a discussão.

Crie relacionamentos internos de conteúdo

Outro aspecto interessante de um conteúdo relevante é a complementação da informação. Muitas vezes é inviável colocar toda a informação em um único texto, pois isso o tornaria extenso e sabemos que muitas pessoas não tem paciência para ler. Mas existem pessoas que desejam se aprofundar mais na matéria. Como resolver isso?

A solução é simples, crie linkagens internas ou até mesmo externas para outros conteúdos que complementem a informação que você deseja passar. Isso além de deixar seu conteúdo mais completo, também irpá dar uma boa força no seu trabalho de SEO do site.

Agora que você já tem uma boa ideia sobre como criar conteúdo relevante para o seu negócio, o que acha de começar a desenhar uma estratégia de marketing de conteúdo para ele? A gente pode te ajduar, entre em contato para retirar dúvidas:

 

[sc name=”call-to-action-especialista”]
 

Fonte do artigo: Academia Mkt

 

dg-tips-12dgtjim3p0uws02sezixdscrvjrbl3tmf25v7363swj0t4u

Marketing digital: dicas para ser encontrado na internet

A disputa por clientes acontecia tradicionalmente nas imediações das lojas, a partir de distribuição de panfletos e propagandas sonoras. Com a chegada da internet, vendas começaram a ser mediadas por computadores e, agora, o desafio de conquistar clientes não tem mais barreiras geográficas. Hoje, você vai conhecer um pouco sobre marketing digital e, com estas dicas, será mais fácil sua loja ser encontrada na internet!

Presença digital é a base do marketing digital

O primeiro passo para você ser encontrado na internet é garantir presença digital – clique aqui para saber mais sobre o assunto. Ao contrário do que se pensa, entretanto, isso é muito mais do que fazer sucesso nas redes sociais e conquistar likes e compartilhamentos.

O sucesso da sua empresa na internet depende destes quatro pilares:

 

  • Conteúdo: o material publicado em seu site e redes sociais deve ser relevante e adequado ao público;
  • Relacionamento: a internet é o meio mais fácil para você se relacionar com o seu cliente e, segundo o IBGE, 116 milhões de brasileiros acessam a rede mundial de computadores;
  • Plataforma: a maneira que o seu site, rede social ou loja são feitos interfere diretamente no relacionamento entre a sua empresa e o cliente. Seja profissional ao usar plataformas e garanta que elas são confiáveis e fáceis de usar;
  • Posicionamento: a maneira que a sua loja se comunica com o público é uma extensão dos valores da sua marca. O discurso presente em suas redes sociais deve combinar com os valores do seu negócio

 

Investir em presença digital é uma maneira de fazer seu negócio crescer sem grandes investimentos. Site e redes sociais são fundamentais! (Foto: Unsplash)

Qual é o meu público-alvo?

A maneira mais fácil de converter uma venda é conhecer bem quem está interessado em concluir a compra. O grupo de consumidores e organizações formado por essas pessoas compartilha um perfil semelhante e se comporta de maneira parecida. Esta é a definição de público-alvo.

Ao conhecer as preferências na hora de comprar, hábitos de consumo, condições socioeconômicas (como renda e formação escolar) e detalhes como meios de informação favoritos, será mais fácil entrar em contato com essas pessoas em sites, redes sociais ou campanhas publicitárias. Para ser encontrado, é bom saber quem te busca.

SEO, site e blog

Ao fazer uma pesquisa nos buscadores como o Google.com, a plataforma organiza os resultados a partir de regras de ranqueamento. Sites, blogs e demais páginas da internet são expostas como resposta de acordo com o grau de adaptação aos critérios. Para ser encontrado ali, uma das principais estratégias do marketing digital que você vai precisar usar é o SEO (Search Engine Optimization).

Para melhorar o ranqueamento e aumentar a quantidade de pessoas que encontra a sua loja como resposta, uma das principais estratégias é criar um blog. Ao alimentá-lo com conteúdo relevante e adaptado ao famoso SEO, sua página pode aparecer como primeira resposta.

O site da sua loja também pode ser otimizado para aparecer entre as primeiras respostas no Google. Procure parceiros que vão te atender nesse quesito! (Foto: Unsplash)

Redes sociais

As três principais redes sociais são o Instagram, o Facebook e o Twitter. Entretanto, ainda é possível utilizar o PinterestLinkedIn e até o YouTube para se comunicar com clientes em potencial. Escolher as redes sociais que você deve explorar é um processo que precisa levar em consideração o funcionamento de cada rede social e o público presente nela.

Por exemplo, se você vende roupas ou produtos de beleza, explore as fotos e vídeos curtos do Instagram. Se você oferece serviços variados, o Facebook é o local com o público mais variado. Se a sua loja é especializada em consultoria ou prestação de serviços empresariais, o LinkedIn é uma rede social profissional e deve reunir públicos importantes para a sua loja.

Postagens pagas

Outra maneira de aumentar a possibilidade de sua página ser encontrada é investir em publicidade em redes sociais. É possível aumentar a quantidade de pessoas que verão as suas postagens no feed ao pagar pequenas quantias por clique em links ou visualização da publicação.

Para entender melhor como funciona cada um dos tipos de publicidade, clique nos links: Facebook; Instagram.

Anúncios em mecanismos de busca

Outra alternativa para aumentar a visibilidade da sua empresa na internet é anunciar diretamente no Google. É possível pagar para que sua página apareça no topo dos resultados de pesquisa como um link ou como propaganda em espaços de anúncio do Google em diversos sites da internet.

Marketing digital é o caminho para ser encontrado na internet

Usar a internet para atrair clientes é um dos passos para o sucesso do seu negócio. A partir de redes sociais, mecanismos de busca, blog e site, é possível aumentar a quantidade de pessoas que tem contato com a sua marca, conhecem suas soluções ou produtos e, assim, optam por comprar de você!

Se você precisa de mais dicas para fazer a gestão do seu negócio, entre em contato conosco Auris Ideias Digitais.

Fonte: terraempresas