shutterstock_580499569

E-commerce têm alta de 45,17% em janeiro, revela índice MCC-ENET

O e-commerce no Brasil registrou crescimento de 45,17% em janeiro de 2021, frente ao mesmo mês do ano anterior. Usando a mesma base de comparação, o faturamento do setor teve alta de 61,82%. Os dados são do índice MCC-ENET, desenvolvido pela Neotrust | Movimento Compre & Confie, em parceria com o Comitê de Métricas da Câmara Brasileira da Economia Digital (camara-e.net).

“O mês de janeiro costuma ser de fortes vendas no e-commerce brasileiro devido às ofertas de saldão dos grandes varejistas e retorno às aulas. A pequena retração observada entre dezembro/20 e janeiro/21 justifica-se pelas vendas de Natal no último mês do ano, considerada uma das melhores datas para o comércio eletrônico”, afirma Felipe Brandão, secretário executivo da camara-e.net. “Nos próximos meses, a tendência será de alta nas vendas, uma vez que as vendas online tornaram-se um hábito dos consumidores brasileiros.”

Vendas online

Apesar das vendas pela internet continuarem em expansão, ao comparar os meses de janeiro de 2021, com dezembro de 2020, a variação foi negativa (-3,88%). Por sua vez, ao observar a evolução do acumulado dos últimos 12 meses, o crescimento foi de 68,15%, segundo o indíce.

Ao observar os dados regionais, na comparação entre janeiro de 2021 com o mesmo período de 2020, a métrica de vendas online ficou da seguinte forma: Nordeste (72,76%), Norte (52,39%), Sul (50,15%), Centro-Oeste (49,51%) e Sudeste (38,45%).

Os dados do acumulado dos últimos 12 meses foram: Nordeste (97,35%), Norte (82,85%), Centro-Oeste (74,67%), Sul (69,27%) e Sudeste (62,07%).

Faturamento do e-commerce

De acordo com o levantamento, na comparação de janeiro de 2021 com dezembro de 2020, teve crescimento de 5,84%. No acumulado dos últimos 12 meses, a alta foi de 87,65%.

A composição por região ficou da seguinte forma: Nordeste (90,59%), Norte (74,90%), Centro-Oeste (72,69%), Sul (64,52%) e Sudeste (52,88%). E no acumulado dos últimos 12 meses, por sua vez, os resultados foram: Nordeste (122,36%), Norte (111,49%), Centro-Oeste (99,25%), Sul (83,73%) e Sudeste (78,94%).

Participação do e-commerce no comércio varejista

Em dezembro de 2020, o comércio eletrônico representou 7,8% do comércio varejista restrito (exceto veículos, peças e materiais de construção). No acumulado dos últimos 12 meses, nota-se que a participação do e-commerce no comércio varejista corresponde a 9,6%. Vale destacar que esse indicador foi feito a partir da última Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE, divulgado no dia 10 de fevereiro.

Categorias

De acordo com o levantamento, em dezembro de 2020, a composição de compras realizadas pela internet, por segmento, ficou da seguinte forma: equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (41,9%); móveis e eletrodomésticos (26,2%); e tecidos, vestuário e calçados (11,5%). Na sequência, artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (7,5%), outros artigos de usos pessoal e doméstico (7,1%); hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (3,4%); e, por último, livros, jornais, revistas e papelaria (2,4%). Esse indicador também utiliza a Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE como base.

Consumidores online

Outra métrica avaliada pelo MCC-ENET revela que, no trimestre de outubro a dezembro de 2020, 18,4% dos internautas brasileiros realizaram ao menos uma compra online. Observa-se uma alta de 0,5 p.p em relação ao trimestre anterior (17,9%). Já na comparação com o mesmo período em 2019 (13,7%), houve crescimento de 4,7 p.p.

Metodologia do MCC-ENET

Os índices mensais vêm da comparação dos dados do último mês vigente em relação ao período base (média de 2017). Para compor o índice, o Neotrust | Compre & Confie coleta 100% de todas as vendas reais de grande parte do mercado de e-commerce brasileiro, utilizando adicionalmente processos estatísticos para composição das informações do mercado total do comércio eletrônico brasileiro. Também são utilizadas informações dos indicadores econômicos nacionais do IBGE, IPEA e FGV.

Não estão contabilizados no MCC-ENET dados dos sites MercadoLivre, OLX e Webmotors, além do setor de viagens e turismo, anúncios e aplicativos de transportes e alimentação, pois ainda não são monitorados pela Neotrust | Movimento Compre & Confie.

Clique aqui para acessar o estudo completo: https://www.mccenet.com.br/

Fonte: e-commerce Brasil

abc

Curva ABC: o que é e para que serve

A curva ABC é uma estratégia muito usada pelas empresas para que possam gerenciar melhor suas prioridades.

O controle de estoque figura entre as principais dificuldades entre as organizações que trabalham com um alto fluxo de vendas.

Quanto mais você vende, melhor deve ser a gestão de estoque, uma vez que ele pode impactar todo o resto empresa.

Tendo isso em mente, foi desenvolvida a curva ABC, uma ferramenta usada por corporações ao redor do planeta, que seleciona quais itens precisam de mais cuidado e apuração.

É ela que evita situações complicadas para a empresa e também para os clientes. Se um supermercado usa essa ferramenta, ele evita falta de produtos e mercadorias, o que pode desapontar a clientela, por exemplo:

  • Café;
  • Macarrão;
  • Arroz;
  • Feijão;
  • Produtos de limpeza.

As plataformas e-commerce também se beneficiam, uma vez que garantem que todos os produtos anunciados no site estejam disponíveis para venda.

Para usar a curva ABC, no entanto, é preciso saber o que é, como funciona, a sua importância para as organizações, de que maneira ela se divide, onde é usada e como pode ser aplicada.

É exatamente sobre esses tópicos que vamos falar aqui. Então, se você tem alguma dúvida, não deixe de ler até o final.

O que é curva ABC?

Curva ABC é uma importante estratégia para empresas de vários setores, sendo usada por corporações em todo o mundo. Por meio dela, é possível controlar e organizar melhor o estoque.

Isso porque a ferramenta classifica os produtos, de acordo com seu grau de importância. Para isso, pode ser levado em conta o preço de custo ou o preço pelo qual o produto, como banner informativo, é vendido.

É importante que as companhias, independentemente do tipo de solução que ofereçam, classifiquem seus produtos de acordo com o volume de vendas e estoque.

A curva ABC identifica as mercadorias de mais importância e maior valor no estoque, então, ela classifica a relevância de cada um.

Em outras palavras, ela coloca os produtos dentro de um ranking, mostrando quais trazem mais retornos para a marca.

Os de maior retorno são classificados na curva A, os de médio na curva B e os de baixo na curva C.

Seu uso se dá no meio administrativo do negócio, visando o controle e a gestão de estoque. No entanto, muitas empresas também empregam o seu conceito em vendas, produção, preços e compras.

Sua divisão, então, se dá entre as curvas e para você entender melhor, vamos especificar cada uma delas.

Na curva A nós temos os produtos mais importantes para a marca, é como se fosse um catálogo de empresas, então, a fórmula 80-20 faz a seleção dos itens. Então, trata-se de 20% dos produtos que correspondem a 80% do total de vendas.

São eles que demandam mais atenção na hora de fazer a gestão de estoque, pois dizem respeito à porcentagem maior do total de vendas.

Por exemplo, se uma empresa tem 100 produtos disponíveis e vende um valor X todo mês, 20%, ou seja, 20 produtos correspondem a 80% da venda, que resulta no valor X. E são poucas as mercadorias que geram a maioria dos lucros.

Na curva B, por sua vez, encontramos os produtos de média importância, e eles correspondem a 30% dos itens, correspondendo a 15% do faturamento.

Sendo assim, naquela empresa que mencionamos na curva A, os de curva B correspondem a 30 produtos, com um valor de venda bem abaixo da curva A.

Por fim, na curva C temos aqueles de menor importância, que correspondem a 50% dos itens e apenas 5% do faturamento. 

Dessa forma, a empresa vende 50% deles correspondendo a um lucro de valor X.

Resultado de imagem para curva abc

Importância da curva ABC

Agora que você já sabe o que é essa ferramenta, vamos explicar a sua importância. Trata-se de um processo tão necessário quanto o protocolo de qualificação de operação, pois possibilita uma visão mais abrangente da empresa.

Além disso, auxilia nas tomadas de decisão, ficando muito fácil identificar quais produtos se destacam mais e quais necessitam de maior atenção dentro do estoque.

Por meio dessa prática, o estoque é organizado de acordo com a relevância de cada item presente nele, evitando sua falta, o que acarreta na perda de vendas.

Também é uma forma de evitar que uma grande quantidade de produtos menos relevantes seja armazenada, o que traz custos desnecessários e desequilibra a gestão de estoque.

Esse controle permite que 80% dos processos importantes para a empresa sejam devidamente administrados.

Além disso, é muito mais fácil manter o foco na gestão dividindo o estoque dessa forma do que tentar administrar tudo junto.

Os balanços periódicos feitos trimestralmente, semestralmente ou anualmente de todos os equipamentos que uma empresa de aluguel de empilhadeira oferece, por exemplo, são importantes.

Contudo, o balanço rotineiro promovido pela curva ABC é ainda mais importante porque garante o pleno funcionamento da companhia.

Como fazer a Curva ABC

É possível usar essa ferramenta por meio do Excel, montando uma matriz. Você pode criar três colunas nomeadas como “Identificação”, onde vai o nome do produto; “Quantidade” e “Valor Unitário”.

Calcule o valor total de cada produto, multiplicando a quantidade pelo valor total de cada um. Depois, calcule o valor acumulado dos itens.

Depois, é necessário organizá-los em ordem decrescente em relação ao valor total, usando a tabela “Dados”. Clique em “Organizar” e uma nova janela será aberta.

Na opção “Classificar por” selecione “Valor total” > “Ordem” > “Do maior para o menor” < “OK”. 

Assim, todos os itens vendidos por uma loja de eletrodomésticos, como lava louça compacta, por exemplo, serão organizados do maior para o menor em valores.

Depois, é necessário calcular as porcentagens que se referem aos produtos e à porcentagem acumulada, e é com isso que geramos a Curva ABC.

Depois, você vai dividir os itens em suas respectivas curvas, de acordo com a porcentagem adequada ao seu negócio. Feito isso, crie uma coluna de classe e uma função SE para classificar como A, B e C.

Agora é possível saber em qual classe cada produto se encaixa, e uma empresa de etiqueta de patrimônio pode adicionar uma formatação adicional se quiser sobre as células de cada classe.

Assim, é possível alterar as cores delas de acordo com a classe em que se encontram, depois, é possível definir as zonas (curvas), criando a coluna ABC que permitirá a visualização dessa região na planilha.

A coluna ABC deve estar junta a coluna “Classe”, e em sua primeira linha deve ser adicionada uma fórmula para quantificar a quantidade de itens em cada curva.

Depois, é necessário selecionar a coluna ABC e criar um Gráfico de Barras. Para isso, é preciso clicar sobre o gráfico gerado, e duas novas abas vão aparecer.

Clique em Design > Alterar Tipo de Gráfico > Barras > Barras 100% empilhadas. Depois, selecione o gráfico à direita e clique em “OK”.

Feito isso, dê dois cliques sobre o gráfico para visualizar a janela e conseguir fazer como uma empresa de entregas rápidas, e formatar uma série de dados.

Basta ir em “Largura do Espaçamento”, alterar o valor para zero e pressionar “Enter”. Na guia design, vá em selecionar dados e clique em “Adicionar”. Clique em “Valores da série” e selecione a coluna de porcentagem acumulada (%) e clique em OK.

Se o gráfico mudar, clique nele novamente e depois na aba “Design”. Vá na opção “Alterar tipo de gráfico”, então, uma nova janela se abrirá.

Clique em “Combinação” e localize a última série criada. Marque a caixa de eixo secundário e depois clique em “Tipo de gráfico”, então, selecione o gráfico de linhas e dê um OK.

Depois, basta colocar um título para o gráfico, como “Curva ABC pratos para congelar” e dar um título aos eixos.

Se você quiser adicionar o número de elemento nas partes do gráfico, precisa clicar com o botão direito na zona escolhida e selecionar “Adicionar Rótulos de Dados”.

Seguindo esse passo a passo é possível usar a Curva ABC e controlar melhor o estoque do seu negócio. 

Contudo, se preferir, sua empresa também pode adotar ferramentas apropriadas para a Curva ABC.

Resultado de imagem para curva abc

Curva ABC.

Conclusão

Controlar o estoque é muito importante para garantir as vendas e aproveitar cada oportunidade de negócio. É dessa forma que você consegue atender às demandas de seis clientes e expandir sua empresa.

Cada produto receberá a atenção que merece, evitando que se acumulem ou que faltem aqueles que são mais importantes.

Isso economiza recursos e espaço, permitindo que sua organização invista cada vez mais em estratégias que façam sua marca crescer.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

shutterstock_580499569

Impulsionado pela quarentena, e-commerce brasileiro cresce 132,8% em maio

Apesar de a pandemia do novo coronavírus ter afetado as mais diversas empresas e segmentos, o setor de e-commerce é um dos poucos que se salvam em meio à crise. Segundo uma pesquisa da Compre & Confie, o número de pedidos online durante o mês de maio cresceu 132,8%, em comparação com o mesmo período do ano anterior.

O levantamento mostrou que, entre 1º de maio e 24 de maio deste ano, o número de pedidos feitos pela internet no país somaram 23,8 milhões, totalizando um faturamento aproximado de R$ 9,4 bilhões – o que representa um aumento de 126,9% no total arrecadado com as vendas do e-commerce nacional em comparação com o mesmo período de 2019.

No entanto, se o volume total de compras apresentou uma grande melhora, o valor gasto em cada compra diminuiu. Em maio, o tíquete médio das compras teve uma leve retração de 2,6% em relação ao mesmo mês do ano passado. O relatório aponta que, em média, o montante gasto ficou em torno de R$ 393,40.

O estudo da Compre & Confie considera dados factuais de vendas recebidos em tempo real de cerca de 90% do varejo de bens de consumo do e-commerce brasileiro – com exceção do Mercado Livre. Lojas como Magazine Luiza, Casas Bahia, Pontofrio, Extra e outras centenas de varejistas fazem parte do balanço.

A plataforma recebe os dados detalhados de todos os pedidos e produtos comprados diretamente dos sistemas de vendas das lojas.

Gift Cards no e-commerce

No relatório, ainda há dados sobre as categorias que apresentaram o maior crescimento em pedidos. Os gift cards lideram a lista com uma alta de 1.041% nas vendas em maio.

Gift Card (cartão presente, na tradução literal) é um cartão pré-pago que pode ser utilizado para pagar produtos e serviços que aceitam esse método de pagamento.

Outro segmento de produtos que apresentou crescimento considerável durante a pandemia foi o de alimentos e bebidas. A variação positiva em pedidos para essa categoria foi de 339%.

Em um intervalo de 90 dias, do dia 24 de fevereiro até o dia 24 de maio, ainda é possível identificar um aumento considerável no volume de pedidos e no faturamento do e-commerce, ainda que o avanço seja um pouco mais tímido do que o registrado em maio.

Durante esses três meses, a pesquisa da Compre & Confie contabilizou 68,9 milhões de pedidos online – alta de 82,1% em relação ao mesmo período de 2019 – e um faturamento 71% maior, chegando aos R$ 27,3 bilhões.

No dia 24 de fevereiro, data em que começa a amostra, o Brasil ainda não tinha nenhum caso confirmado de coronavírus. A comparação permite concluir que o isolamento foi fundamental para o crescimento mais acentuado em maio.

Fonte: InfoMoney

capa-blog-site-varejo-natal

Varejo: Campanhas de Marketing Digital para o Natal

A aproximação do final do ano, especialmente do Natal, representa para o mercado a necessidade de empregar esforços diferenciados nas ações de marketing digital, especialmente ao considerar a competitividade e o maior número de oportunidades nesse período.

Com ênfase no varejo, que está voltado para o atendimento dos consumidores finais, é de grande importância destacar que, conforme será visto a seguir, o planejamento é um dos principais pontos a serem adotados.

Sendo assim, além de lidar com datas importantes no segundo semestre do ano, como a Black Friday, as marcas também devem se antecipar em relação aos preparos com as campanhas de Natal, o que evita grandes transtornos no momento de executá-las. 

A seguir, confira mais algumas dicas:

Garanta uma experiência positiva

Por conta de uma demanda mais movimentada, as instituições precisam redobrar os cuidados com o tipo de estrutura oferecida para os consumidores, para assegurar que todo o processo de compra seja válido e importante.

Por exemplo, ao entrar em um site para adquirir um gerador silencioso, a organização, rapidez e segurança, certamente fazem toda a diferença para os consumidores.

No Natal, é interessante que o site esteja não apenas atrativo, como também apto a receber um maior número de acessos e realizar mais transações de forma garantida.

Importante lembrar, que todo erro pode prejudicar o seu negócio. Por isso, é importante ficar sempre atento aos detalhes.

Conte com um design estratégico

No Natal, é indispensável que as plataformas da marca já estejam compatíveis com esse período, ou seja, é preciso elaborar os layouts com antecedência, como a capa para a página do Facebook, design de publicações, fotos dos perfis, entre outras possibilidades.

Cada espaço deve ser utilizado de forma inteligente para que a empresa entre em clima natalino e reforce as campanhas de marketing digital.

Ao planejar esse aspecto, sem dúvidas, a identidade da marca precisa ser preservada, afinal, as características de uma empresa que atua com a venda de cinta pós cirurgica lipoaspiração e de marcas de outros setores podem ser totalmente distintas, o que é normal no mercado e precisa ser sempre respeitado.

Ainda mais, marcas que apresentam também lojas físicas devem adotar o clima natalino, principalmente para garantir que a experiência do cliente seja mais especial em todos os canais.

Tenha um conceito claro para a campanha

Uma campanha de marketing digital para o Natal, assim como para outras datas, deve contar com um conceito claro, especialmente para que seja criada de forma assertiva para as pessoas certas.

Dessa maneira, seja uma empresa que comercializa itens para a casa, como persiana blecaute rolo ou de qualquer outro setor, será possível identificar formas mais eficazes de se posicionar nos canais escolhidos.

Uma das consequências de um bom posicionamento, é uma maior atenção, autoridade e engajamento para os produtos do setor varejista.

Por essa razão, é interessante analisar quais são os valores a serem trabalhados, assim como os demais aspectos que a marca deseja transmitir para as pessoas por meio da campanha de Natal, que comumente envolve aspectos mais sentimentais.

Aposte em quem busca presentes

Normalmente, as empresas buscam uma precisão notável em suas estratégias, porém, em épocas festivas, é válido empregar os esforços tanto em públicos distintos, como naqueles que estão em buscas de presentes.

Por exemplo, filhos que desejam dar presentes para as mães e presentes entre amigos. Por esse motivo, nas dicas a seguir, é interessante que as marcas priorizem o custo-benefício dos produtos.

Ações diferenciadas podem ser decisivas para alavancar as vendas no varejo nesse período.

Por exemplo, além de direcionar campanhas para quem busca presentes, uma empresa que comercializa itens elétricos e de decoração, como luminária e disjuntor para tomadas, pode apostar na realização de sorteios.

Dicas de campanhas de marketing digital para o Natal

Algumas ações realizadas no marketing digital para o período de Natal, naturalmente, não mudam de forma total, pois conforme será apresentado, em muitos casos apenas alguns aspectos são adaptados para gerar mais resultados para essa data.

De qualquer maneira, é fundamental que exista atenção em cada passo adotado, principalmente para que o empreendimento não sofra grandes prejuízos por investimentos falhos.

Entre as ações de marketing digital que podem ser adotadas para uma campanha de sucesso, é possível citar:

Crie uma landing page específica de natal

A landing page é uma parte importante de uma tática de marketing digital, especialmente ao considerar que se trata de uma página específica para a captação de leads, que correspondem aos consumidores em potencial, que em algum ponto expressam interesse pela empresa.

Tal interesse, comumente, é demonstrado por meio da transmissão de dados em um formulário em troca de algo de valor.

Por exemplo, um cliente em potencial preenche um formulário com seu nome e e-mail para obter novidades de uma marca que comercializa itens para carros, como rodas aro 19.

A partir desse ponto, a marca pode direcionar ofertas e conteúdos personalizados. No entanto, vale citar que no caso do Natal, é interessante que a landing page seja personalizada para a época.

Ainda mais, entre as opções que podem ser oferecidas, estão:

  • Download de material gratuito;
  • Condições especiais de pagamento;
  • Descontos;
  • Frete grátis.

Essas alternativas podem alavancar o número de leads captados e, consequentemente, ter impacto nas conversões, caso exista um acompanhamento adequado da trajetória de compra.

Prepare conteúdos para e-mail marketing

O que fazer com a base de e-mails no Natal? A melhor maneira de lidar com esse recurso durante esse período no setor de varejo é se preparar antecipadamente para se relacionar rapidamente com os leads captados.

Como exemplo de uma ação que pode ser adotada, pode-se citar uma marca que comercializa envelope timbrado e opta por um mês antes analisar quais são as possibilidades das campanhas.

Em meio aos pontos que podem ser trabalhados, estão questões como os tipos de conteúdos que serão enviados, frequência, o que será ofertado, segmentação, layout, tipos de CTAs, entre outras possibilidades.

Aposte na mídia patrocinada

Essa é uma dica para potencializar os resultados das outras estratégias apresentadas ao longo do texto, especialmente ao considerar as chances de tornar o ciclo de vendas mais curto.

O mais vantajoso é a versatilidade dessa alternativa, uma vez que os anúncios patrocinados podem ser uma aposta associada tanto com os buscadores quanto com sites, redes sociais, entre outras plataformas.

A capacidade de segmentação em diversos meios também tem visibilidade, por exemplo, uma marca que comercializa itens para manutenção de estruturas, como produtos de limpeza e saco de lixo 30 litros, pode empregar um anúncio no Facebook com uma oferta apenas para determinada região.

Da mesma forma que aspectos como a faixa etária, gênero e interesses também podem ser selecionados em diversas ocasiões.

Além de uma imagem de qualidade, é importante implantar a chamada para ação, também conhecida como CTA (Call to Action) para estimular ainda mais a compra.

De acordo com o método utilizado, os anúncios podem variar, por exemplo, no Facebook e Instagram, várias imagens dos produtos/serviços podem ser utilizadas, juntamente com um link e o CTA.

Elabore conteúdos específicos para esse período

O marketing de conteúdo é um grande aliado de diversos setores e não seria diferente nesse cenário. Sem dúvidas, os materiais elaborados devem ser sempre planejados com cautela, e datas como o Natal estão envolvidas.

Nesse caso, os temas a serem trabalhados são amplos, por exemplo, uma empresa que comercializa materiais elétricos, como luminária ou lâmpada tubular led 40w, pode criar publicações com dicas de como aproveitar a data ou de presentes.

A criatividade pode ser trabalhada de maneiras variadas e, ainda mais, essa é uma forma de elevar o tráfego orgânico, ao contrário da alternativa anteriormente apresentada.

Nas redes sociais e em blogs, as empresas também podem apostar em vídeos, especialmente pelo potencial de viralização que esses recursos apresentam.

Sem dúvidas, cabe aos profissionais analisarem qual é a necessidade da empresa em relação aos conteúdos e, no caso dos vídeos, se é vantajoso produzir algo institucional ou promocional.

De qualquer forma, pode-se perceber que com as ações apresentadas no decorrer do texto, as empresas do setor de varejo podem ganhar um grande destaque ao se tratar do Natal. 

No entanto, é preciso que exista um planejamento cauteloso de cada etapa a ser adotada.

Afinal, para garantir a satisfação do cliente é preciso considerar que os comunicados devem ser entregues de forma que dê tempo de adquirir e receber antes do Natal. Caso contrário, a marca pode ter grandes prejuízos devido à insatisfação.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

capa-blog-site-destination

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

Hoje em dia, todo mundo que usa automóvel – seja motorista ou passageiro – conhece o Waze e sabe como o aplicativo ajuda as pessoas a driblarem o trânsito. Mas, além de ser um aplicativo de navegação, o Waze também pode atuar como uma poderosa ferramenta de marketing, mais precisamente, de destination marketing – conceito em que as pessoas são impactadas durante o deslocamento.

É importante que as marcas entendam que podem contar com o Waze para interagir com seus clientes minutos antes da decisão de compra, o que gera conveniência para as pessoas e mais conversões para os anunciantes. E, em tempos de Black Friday, essa estratégia pode ser fundamental.

Mais que um app, um ecossistema

A missão do Waze enquanto empresa é resolver questões de mobilidade, e a plataforma é preparada, globalmente, para receber as informações dos usuários. O app é um crowdsourcing e recebe alertas sobre o trânsito em tempo real, que é o que faz do Waze um aplicativo tão diferenciado em apresentar os melhores trajetos aos usuários.

Isso faz com que o Waze seja muito mais que um aplicativo: ele é um ecossistema com impacto real na mobilidade das cidades. E quem faz o mapa existir são os seus usuários-editores. A comunidade é o DNA da plataforma. Hoje, o Waze é, ao mesmo tempo, o mapa mais atualizado do mundo e a maior comunidade global de motoristas.

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

A relevância do Waze para a mobilidade em um mundo conectado fez com que ele expandisse o seu alcance. Com seus parceiros de mídia, como emissoras de TV, por exemplo, as informações de trânsito em tempo real chegam ao grande público.

Outras iniciativas vão além dos mapas atualizados pelos usuários, ou ampliam a sua utilidade. O Waze Carpool, lançado em agosto de 2018, possibilita que as pessoas peguem e deem carona, reduzindo o número de carros nas ruas e melhorando o fluxo do trânsito. Já o Waze for Cities é uma parceria com o poder público, na qual há uma troca de dados visando um melhor planejamento de mobilidade urbana nas cidades.

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

O sucesso e a importância do Waze são refletidos no tempo que os usuários passam usando o app: em média, 1h56 por dia no Brasil, um número impressionante se pensarmos em quantas “horas úteis” – tempo gasto no trabalho, nos estudos ou em trânsito – cada pessoa tem em sua rotina.

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

O valor do Destination Marketing para as marcas

Por guiar tantas pessoas para seus destinos, o Waze consegue capturar o contexto de seus deslocamentos. A análise de dados do aplicativo pode indicar se os usuários estão perto de casa, em uma viagem de fim de semana, presos no trânsito ou a caminho de um shopping, por exemplo.

Enquanto outras plataformas de mídia utilizam geolocalização saber onde o consumidor está – em casa, no trabalho, na academia ou em uma loja – o Waze sabe para o cliente vai. Isso é Destination Marketing: impactar o consumidor que está indo para algum lugar, no melhor momento para a comunicação, e é extremamente relevante por identificar o contexto futuro do consumidor.

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

Por mais que o consumidor brasileiro seja conectado e influenciado pelo online, 96% das vendas do varejo no Brasil ainda acontecem nas lojas físicas. Neste contexto, sabe-se que a pessoa efetivamente vai até a loja – e é nesse momento pré-consumo, durante o deslocamento, que o Waze pode influenciar o consumidor quando ele está considerando ou adquirindo um produto ou serviço.

O Waze é uma plataforma que de fato leva os consumidores às lojas.

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

Destination Marketing gera mais visitas, mais lembrança de marca, mais vendas e mais retorno sobre investimento. Alguns cases globais de campanhas comprovam isso – como no caso da loja Hering que, no Dia dos Pais de 2018, teve 32% a mais de fluxo e 14% de aumento nas transações nas lojas.

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

A rota dos consumidores para as lojas na Black Friday

Lojas físicas vêm ganhando cada vez mais representatividade na Black Friday, é o que mostra uma pesquisa do Google com a Provokers. Em 2018, 48% dos consumidores compraram presencialmente e, este ano 62% pretendem visitar as lojas para fazer suas compras. O contexto de compras em lojas físicas é tão grande que até mesmo durante a Cyber Monday, uma data teoricamente 100% digital, passou a ser um momento de ofertas nas lojas offlines.

Na Black Friday, mais consumidores usam Waze para ir até as lojas.

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

A Black Friday se tornou a data no ano com maior fluxo para estabelecimentos varejistas no Waze – 60% maior que a média de sextas-feiras comuns. Várias categorias têm crescimento significativo de fluxo em loja na data:

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday-8

O fluxo para shoppings, por exemplo, aumenta 63% na sexta-feira da Black Friday e 10% na semana da data. Além disso, a quantidade de navegações para shoppings no horário de pico, entre 17h e 20h, é 22% maior na Black Friday em comparação com as sextas-feiras comuns.

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

Encontrar e ir até as lojas é uma etapa importante na jornada do consumidor:

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

Na Black Friday não é diferente: as buscas por varejistas com alguma referência geográfica associada (ex: nome da loja + endereço, ou nome da loja + nome de um shopping específico) crescem no período. E isso é um fator fundamental na decisão de compra.

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

Transformando seu negócio em destino

O Waze pode transformar negócios em destino para os consumidores. E a importância de uma data como a Black Friday só aumenta as possibilidades para os varejistas que apostarem nesse caminho. Vamos ver como isso ocorre: 1. Construindo conveniência & consideração para as lojas

Saiba como destination marketing pode transformar seu negócio em destino na Black Friday

1. Construindo conveniência & consideração para as lojas

Os pins do Waze colocam as fachadas das lojas no campo de visão dos usuários. Isso gera consideração para os varejistas e conveniência para os usuários, já que, ao clicar, o motorista já consegue traçar uma rota para a loja. O pin também tem a função de location awareness, levando informações qualificadas às pessoas.

2. Facilitando a experiência do consumidor

No momento da busca pela loja ou por uma categoria, as marcas podem aparecer em destaque na busca, com informações qualificadas e em tempo real a respeito do estabelecimento, como horário de funcionamento, por exemplo.

3. Impactando a pessoa em um momento de potencial conversão

O Takeover é um banner que surge quando o carro está totalmente parado. Ele oferece um call to action que pode levar o motorista a diversos tipos de interação. Isso acontece em um momento de grande potencial de conversão: em um trajeto qualquer (alertando para uma loja no caminho, por exemplo), ou antes do consumo, levando ao usuário um anúncio na reta final para direcioná-lo ao local.

4. First look: alta visibilidade em um só dia…

O First Look é semelhante ao Takeover: a diferença é ser o primeiro impacto do dia para os usuários do Waze. O formato fica bloqueado para uma única marca em um único dia, impactando cerca de 1,3 milhão de pessoas, gerando alta visibilidade para a marca.

5. … e re-impactando o consumidor no momento certo

É possível re-impactar usuários que engajaram com o First Look através de um push notification. Assim, quem engajar dessa forma pode ser acionado em um momento estratégico posterior – por exemplo, quando estiver próximo da loja, ou quando chegar em casa, ou algumas horas depois de ter engajado com o anúncio.

6. Loyalty Targeting

Loyalty Targeting possibilita que a marca trabalhe especificamente a fidelização – impactando quem frequentou seu local recentemente (nos últimos 7, 15 ou 30 dias, por exemplo), cross-sell e upsell – impactando quem está a caminho da loja em tempo real, e penetração – impactando quem costuma visitar os concorrentes e não as lojas da marca.

Nesta Black Friday, junte-se ao movimento utilizando Destination Marketing em sua estratégia e torne-se o destino de muitos consumidores.

Fonte: Google

capa-blog-site-black-friday

Como desenvolver um funil de vendas para Black Friday

Para todos os setores do mercado, a black friday é um grande acontecimento, uma vez que se trata de uma data de grandes oportunidades para atrair clientes, potencializar as vendas e, até mesmo, fidelizar consumidores.

Nesse cenário, também é importante considerar que, embora esteja associada com um dia em diversos países, como no Brasil em que ocorre no final de novembro, de acordo com a aproximação da data, as lojas online e físicas já apresentam grandes descontos.

Essa prática acompanha o nome de “esquenta Black Friday”. Até porque, pela importância da data, é importante que os comércios se preparem e coloquem as ações em andamento.

Naturalmente, em meio às práticas que podem ser adotadas, há grande diversidade, sendo que o funil de vendas é um dos conceitos trabalhados.

Sua visibilidade está associada, essencialmente, com o fato de que representar a jornada de compra do consumidor, por exemplo, desde o primeiro contato com uma marca que realiza impressão adesivo vinil até a solicitação do serviço.

Sendo assim, tem um papel importante para que as táticas mais adequadas sejam inseridas com a proposta de estimular cada pessoa para os próximos passos da jornada.

 No entanto, para compreender a ligação de um funil de vendas com a black friday, é de grande importância ter conhecimento sobre os principais aspectos deste conceito. Confira a seguir.

O funcionamento de um funil de vendas

Naturalmente, para ter a elaboração de uma técnica de forma mais precisa, é crucial entender seu funcionamento e como pode se enquadrar nos objetivos da empresa.

Conforme apresentado, o funil de vendas corresponde a jornada do cliente até o momento da compra, ou seja, indica o nível de maturidade, de acordo com os estágios em que é dividido:

Topo

Esse é o primeiro momento enfrentado pelo indivíduo no processo de compra, em que começa a ter consciência de uma solução, além de um conhecimento mais profundo da necessidade.

Por exemplo, um cliente em potencial de uma empresa que trabalha com revelação de fotos 15×21, que está no topo, naturalmente não está tão preparado para fechar a compra quanto alguém do fundo do funil.

Por essa razão, é muito comum que o topo do funil conte com estratégias que buscam promover informações enriquecedoras para a audiência, viabilizando assim o entendimento mais assertivo da necessidade.

A ideia central é transformar as pessoas do topo em leads, ou seja, em consumidores que, em algum momento, expressaram interesse pelo seu negócio.

Esse interesse, comumente, está associado com a transmissão de dados em troca de algo de valor, como no caso de uma empresa de materiais escolares.

Nessa situação, é possível oferecer itens como um e-book sobre dicas para ter uma mochila escolar personalizada, ou um cadastro na lista de e-mails para receber novidades sobre a empresa.

Meio

Por causa das informações apresentadas, é possível ter consciência de que nesse ponto o lead já tem mais dados e informações.

Então, no meio do funil, é muito comum que existam dúvidas sobre o tipo de solução mais adequada.

O que uma empresa pode fazer neste ponto? Mostrar-se como uma boa solução. É algo que pode ocorrer, principalmente, por meio da continuação do suporte com conteúdos úteis, para que seja cada vez mais qualificado. 

É válido citar que com os materiais certos, pouco a pouco a instituição se torna mais confiável para o consumidor e, consequentemente, constrói uma percepção positiva.

Imagine o investimento em um funil de vendas de uma empresa que atua com comunicação visual.

Ao surgir a obrigatoriedade de fazer impressão de etiquetas adesivas para sua empresa, um consumidor em potencial que está passando pelo funil tem chance de contratá-la.

Fundo

Seguindo o conceito apresentado, no fundo do funil, clientes mais preparados para a concretização de um negócio são encontrados.

É muito comum que os números sejam menores em relação ao topo do funil, justamente pela obtenção de conhecimento sobre a solução necessária para o seu problema.

Após enfrentar os processos apresentados, o lead pode adquirir ofertas ainda mais atrativas, além do contato da equipe de vendas, por exemplo, de uma instituição que comercializa tela de proteção contra insetos.

É nesse ponto em que a empresa deixa ainda mais claro de que pode oferecer a solução ideal.

O que exige atenção para black friday?

O funil de vendas está ligado com o jeito de atrair e vender, mas antes de apresentar sua elaboração para a black friday, outros fatores exigem atenção.

Em primeiro lugar, é fundamental ter consciência de que o que será ofertado deve ser analisado com cautela, principalmente, para atender um maior demanda, o que pode envolver necessidades distintas, de acordo com cada setor.

Por exemplo, entre as questões averiguadas por uma empresa que comercializa itens para eletrônicos, como o álcool isopropílico 1 litro que é usado para higienizar uma série de componentes, estão:

  • Preço;
  • Estoque;
  • Logística;
  • Média da demanda.

Quando todos os detalhes são vistos, fica mais fácil saber qual produto divulgar na epóca em que começarem as promoções.

Naturalmente, esse cenário pode variar muito, em especial, no caso de empresas que oferecem serviços e produtos, como revestimentos e reforma de piso de madeira.

Caso a atividade também seja alvo de desconto, outros aspectos serão considerados, como a viabilidade técnica.

Como o funil é desenvolvido para black friday?

Para que exista um compreendimento claro, é preciso lembrar que todo tipo de estratégia exige planejamento.

No caso do funil de vendas, o conceito está relacionado, essencialmente, com o preparo prévio para alcançar os resultados esperados.

Afinal, é necessário certo tempo para que o cliente em potencial avance pelo funil. No caso da black friday, embora o ciclo de vendas seja distinto do comum, a antecipação é decisiva.

Uma vez que os elementos que receberão desconto foram analisados, é o momento de entender o impacto do funil nesse cenário.

Como as pessoas estão em momentos de compra distintos no funil de vendas, os materiais que envolvem a área de atuação da empresa e o que será ofertado por ela na black friday, devem ser trabalhados de formas divergentes.

Veja algumas das opções que podem ser adotadas por uma empresa que oferece soluções para vidros, mas vale lembrar que são práticas interessantes para diversos setores, tais como:

Primeiro estágio 

No começo do funil é fundamental apostar em materiais que atraiam os clientes em potencial, o que pode ser realizado com posts enriquecedores e otimizados com as técnicas SEO (Search Engine Optimization), para obter uma maior visibilidade.

Por exemplo, uma pessoa que se incomoda com a luminosidade pode ter consciência da importância da película para vidro de janela por meio de um conteúdo para o topo do funil.

As plataformas podem apresentar estímulos mais sutis das ofertas da empresa, uma vez que o cliente ainda está em fase de descoberta.

Segundo estágio

Uma vez que o meio corresponde a quando a solução já é mais conhecida, mas ainda existe dúvida predominantemente em relação a qual empresa recorrer, é possível oferecer materiais com soluções mais personalizadas, a partir de dados obtidos na captação de leads.

Isso se deve ao fato de que, nesse caso, pode surgir ainda mais interesse sobre conteúdos da área e sobre quais empresas irão oferecer soluções com preços vantajosos na black friday.

Ademais, o e-mail marketing é um dos recursos que, juntamente com o blog e redes sociais, apresenta grande poder de envolvimento, podendo contribuir, até mesmo, com o compartilhamento das ofertas.

Inclusive, materiais sobre o início da black friday e sobre os produtos imperdíveis para a data, podem ser utilizados para a continuação do processo. 

Terceiro estágio

Já no fundo, por ser o momento em que pesquisas são realizadas sobre com qual empresa fechar negócio, o preço é um fator muito relevante, por isso ofertas podem ser apresentadas. 

Entre os exemplos, pode-se citar anúncios, banners e conteúdos com frete grátis na aquisição de um produto para limpeza de vidro, ou desconto progressivo.

Para alcançar as pessoas no momento certo e com o conteúdo que seja capaz de resultar em uma venda, é fundamental não apenas projetar a lista de itens que serão oferecidos no funil, como também conhecer as pessoas que possuem um maior potencial para a aquisição.

Sendo assim, pode-se perceber que a estratégia de marketing pautada no funil de vendas só será coerente para a black friday, caso exista conhecimento de mercado e do público.

Afinal, o perfil do funil segue a mesma estrutura de desenvolvimento, mas os materiais e as pessoas que recebem podem ser distintos, pois nesse caso reativar alguns contatos também pode ser interessante.

Por essa razão, além priorizar materiais que superem as expectativas para esse período, é crucial preocupar-se com um preparo adequado.

É importante considerar que a marca poderá ser mais conhecida e, até mesmo, poderá realizar a fidelização de parte dos consumidores em potencial.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

capa-blog-site-omnichannel

A Era do Marketing Omnichannel

Marketing Omnichannel é um conceito referente à integração de todos os canais de comunicação e venda de uma marca, tendo como centro de todas as ações o cliente.

Ao destrinchar as origens do termo, “ommi” vem do latim “omne” e significa “tudo”, enquanto “channel”, traduzido do inglês tem sentido de “canal”. 

Essa estratégia faz muito sentido atualmente, porque vai ao encontro da era do marketing 4.0, que tem como princípio o foco no consumidor e no ato de proporcionar uma experiência de consumo que atenda às expectativas.

Uma empresa que preza pela uniformidade nos canais de venda online e offline consegue adotar um padrão de atendimento, contando com mais chances de evitar falhas. 

Com isso, a experiência do cliente pode ser melhor, sendo que há estudos sobre a consistência da mensagem e alinhamento da comunicação, que comprovam os benefícios da integração dos canais.

Nas próximas linhas, você vai aprender um pouco mais sobre esse conceito na prática. Esperamos que as dicas sejam úteis na hora de implantar essa estratégia no seu negócio.

Marketing Omnichannel: uma tendência

Você já parou para pensar na importância de uma comunicação alinhada no seu negócio? 

Vamos imaginar o exemplo a seguir: um pet shop completo que oferece serviços de banho, tosa, leva e traz para os pets e atua com franquias. 

A empresa em questão, conta com um site e aplicativo, onde o usuário pode agendar os serviços. Agora, digamos que cada loja apresenta suas limitações, e uma delas não fornece o pacote disponível no site, contando apenas com serviços diferenciados.

Claramente, há um ruído na comunicação desses dois pontos, dessa forma, caso não haja uma integração do atendimento da loja física com os serviços do site, a chance de um cliente ficar insatisfeito ou se sentir enganado é muito maior.

Por isso que o Omnichannel é uma tendência, aliás, uma tática necessária para toda empresa que deseja proporcionar serviços melhores aos seus consumidores.

Por causa da tecnologia, o relacionamento mudou. Isso não quer dizer que o atendimento personalizado, caloroso e o boca a boca tenham morrido, mas sim, que hoje, um cliente com uma experiência positiva ou negativa consegue ampliar sua voz por meio da internet.

Não importa se o seu empreendimento se trata de um pet shop ou uma funilaria rápida que atua em rede, e é especializada no reparo da lataria amassada de veículos.

Falar a mesma língua em todos os estabelecimentos transmite credibilidade, segurança e facilita a vida do cliente, que não se perde nas informações desconexas ou conflitantes.

Neste sentido, o marketing, conhecido como omnichannel, se destaca porque essa estratégia é bastante centrada no cliente, permitindo uma jornada de compra satisfatória, com benefícios como:

  • Redução de problemas nas compras, independentemente do canal;
  • Melhorias no relacionamento com os clientes;
  • Qualidade na gestão dos canais de relacionamento com o cliente;
  • Maior sinergia da marca;
  • Incentivo à uma experiência de compra tranquila.

Como implantar estratégias Omnichannel na sua marca?

Alinhamento é a palavra-chave para implantar essa estratégia na sua marca. Vamos abordar algumas situações que funcionam melhor com a integração dos canais, para que você entenda esse conceito na prática.

1. Centro de Saúde

Um centro de saúde, terapias holísticas e medicina alternativa oferece sessões de acupuntura para enxaqueca. 

Há franquias nos centros, sendo assim, para agendar o tratamento, o paciente pode usar o app ou o site.

Digamos que o paciente não consegue comparecer a um centro perto de casa por conta de um imprevisto, mas está perto de outro espaço credenciado. Por causa do sistema integrado, é possível trocar o lugar da consulta na hora e pessoalmente, sem problemas.

Esse é um bom exemplo de comunicação integrada. Além disso, os benefícios na situação abordada são claros:

  • O cliente não perde tempo;
  • A logística do sistema é integrada;
  • O problema do paciente é resolvido na hora;
  • A integração dos canais facilita uma boa experiência.

2. Locação de impressora

Vamos supor que uma loja tem como atividade principal a locação de impressora para eventos.

A reserva da impressora pode ser feita online, juntamente com o pagamento, mas a retirada deve ser presencial.

Se a loja física tem mais de uma filial, o cliente consegue alugar o equipamento no ambiente virtual e pode retirá-lo em qualquer loja física, isso significa que há uma boa integração dos canais.

3. Academia

Uma academia oferece um serviço diferenciado para quem decide treinar. Ao pagar a mensalidade todo mês, o cliente pode treinar onde e quando quiser, em qualquer unidade. 

Vamos supor que um casal de idosos resolva tirar férias e ir viajar, porém ambos fazem treinamento funcional para terceira idade, e ficam com medo de pagar a taxa do mês e não utilizar.

Com esse sistema, esse problema está resolvido, pois eles podem treinar em qualquer cidade que tenha a academia.

Esse benefício é interessante não só para quem faz esse tipo de treinamento, mas para todas as pessoas que não querem perder o investimento na mensalidade quando há outras possibilidades.

Dicas para integração de canais

Além dos exemplos citados no tópico anterior, é importante fazer um planejamento estratégico para desenvolver ações omnichannel dentro da sua empresa.

A integração de canais não se limita apenas a conectar o sistema de vendas no mundo online e offline, já que a primeira etapa para mudança é conectar as áreas da empresa entre si.

O setor de vendas das lojas físicas não podem competir com o setor virtual, mas sim, ter uma sinergia na qual os objetivos gerais dos dois canais se voltam às boas experiências do cliente. 

Lembre-se: um cliente satisfeito, provavelmente, será um porta-voz da sua marca em algum momento.

Para facilitar a adesão dessa estratégia no seu negócio, separamos algumas dicas. Veja a seguir!

Promova a integração das áreas da empresa

Na hora de divulgar um serviço, como a locação de projetor e telão para escolas e cursos de qualificação, por exemplo, é importante lembrar que essa tarefa não é uma exclusividade do setor de marketing.

Para um atendimento que supera as expectativas da persona do seu negócio, é interessante que a área de vendas tenha algum tipo de conexão com o setor de atendimento, suporte e pós-vendas.

Dessa forma, o marketing é um setor que promove campanhas mais alinhadas e personalizadas, com base em informações acordadas coletivamente.

O foco da nova era do marketing é sempre o cliente. Não importa se o atendimento se trata de um elogio, uma troca ou uma reclamação, os setores precisam se comunicar entre si para atender o público com o máximo de qualidade e profissionalismo.

Foque na experiência do cliente

Vamos imaginar uma empresa especializada em manutenção automobilística. Na hora de vender, trocar, transferir ou comprar outro veículo, o cliente precisa assegurar que o desempenho físico, mecânico e estético do automóvel estão em perfeitas condições, certo?

A inspeção cautelar veicular serve para isso, sendo que quando há uma boa manutenção, do início ao fim, a experiência do cliente será ótima. 

Se a sua empresa se preocupa não só com o atendimento, visando também a facilidade de entrega, com o possível conserto, com a qualidade de serviços e consegue certificar que todos os setores da instituição trabalham em sintonia, a experiência do cliente será melhor

Monitore a qualidade dos processos

Vamos imaginar que um centro estético de massagem em moema oferece tratamentos relaxantes no local, além de fazer a venda de óleos, cremes e produtos pela internet.

Para uma boa experiência de consumo, vários fatores são considerados: velocidade de carregamento do site, forma de pagamento disponível, taxa de frete, tempo de entrega, qualidade do produto e do atendimento.

Monitorar as taxas de satisfação do cliente, rastrear a entrega das mercadorias e realizar pesquisas de satisfação dos clientes, são formas de garantir qualidade da estratégia e mapear como os canais podem se encaixar na estratégia omnichannel.

Por que rever a sua estratégia?

Uma estratégia de marketing não exclui a outra quando o objetivo é promover melhorias no atendimento do cliente e elevar as taxas de satisfação. 

Há vários métodos, dessa forma, você pode usar mais de um, sempre de acordo com o segmento do seu negócio, os objetivos e o comportamento do público.

No entanto, o marketing omnichannel está se destacando, porque, hoje, comodidade, facilidade e agilidade na hora da empresa resolver problemas, propor soluções e facilitar a vida dos clientes são necessidades fundamentais.

Ao investir nesse tipo de estratégia, você pode aumentar a competitividade no mercado, melhorar a gestão do negócio e a integração dos times internos que trabalham em prol dos mesmos objetivos e metas.

Agora que você sabe um pouco mais sobre esse conceito, é hora de rever as estratégias. Que tal um diagnóstico das oportunidades e dificuldades da sua empresa? Pense nisso! Nossos especialistas em canais omnichannel podem ajudá-los a implementar essa jornada!

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.